*Featured Avaliações Crossovers Mercedes Benz

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

Não é um SUV, como diz a marca alemã. O Mercedes GLA é um crossover premium e bem mais próximo do Classe A do que poderíamos esperar. Afinal, ele compartilha a plataforma modular MFA com o hatch, assim como com o CLA, o cupê quatro portas. Na lista, não podemos esquecer do hatch/minivan Classe B.


Apesar do detalhe em relação à categoria, o Mercedes-Benz GLA de forma alguma está sendo rebaixado. Pelo contrário, como um crossover premium com vocação urbana, o modelo não só convence, mas faz bonito no segmento. Seu estilo agressivo e sofisticado chama atenção e, diferente de seus irmãos mais utilitários, ele é jovem.

É isso que a Mercedes-Benz buscou ao fazer o GLA, um carro jovem para um consumidor que quer entrar no mercado premium e ainda por cima pelo desejado segmento de utilitários e crossovers. No entanto, ele não é altinho e muito menos parrudo. Ainda assim, tem corpo musculoso e a desejada estrela de três pontas.

O GLA oferece um ambiente interno atraente e sofisticado, assim como uma proposta mais “brasileira” em pós-venda. Afinal, ele será o segundo e aparentemente último modelo a ser feito pela Mercedes-Benz em Iracemápolis, interior de São Paulo. Por enquanto, ele vem da Hungria a partir de R$ 136.900, mas na versão Vision, testada pelo NA, o preço sobe para R$ 154.900.


Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

Por fora…

A primeira impressão que se tem ao ver o Mercedes-Benz GLA 200 Vision é que se trata de uma versão aventureira do Classe A, dada a semelhança. No entanto, é apenas um golpe de vista, pois não se precisa de um olhar mais apurado para notar as diferenças. A própria carroceria é maior e mais musculosa.

A frente se destaca pelos faróis bi-xênon com LEDs diurnos e repetidores de direção em LED. A grade possui dois grandes frisos prateados com logotipo da estrela ao centro e logo acima, perto do capô, o logo tradicional da Mercedes-Benz. Vincos pronunciados sobre o capô entregam certa agressividade às linhas do crossover.

O para-choque possui a parte central com acabamento prateado que envolve a saída de ar. Duas entradas de ar falsas nas laterais criam um perfil mais aerodinâmico ao conjunto e reforçam sua proposta. Há um protetor em tonalidade prata logo abaixo e sensor de estacionamento. O corpo é volumoso e as caixas de rodas são abauladas e apresentam protetores em plástico preto. Destaque para as grandes colunas C.

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

Os retrovisores apresentam repetidores de direção em LED, enquanto as maçanetas são pintadas na cor do carro. A linha de cintura é alta e limpa de protetores ou frisos emborrachados. Apenas uma moldura com vincos pode ser observada sob as portas. As rodas de liga leve aro 18 com pneus 235/50 R18 são diamantadas.

As janelas possuem friso cromado na base e o teto tem duas barras longitudinais de mesmo acabamento, bem como vidro panorâmico duplo, com abertura apenas na parte dianteira. Na traseira, um grande spoiler sobre a tampa surge como continuação do teto. A vigia é envolvida por acabamento preto brilhante, o mesmo das colunas A junto ao para-brisa. As lanternas em LED são volumosas e pouco arredondadas.

A tampa do bagageiro possui friso cromado e suporte da placa com iluminação por LEDs. Sobre o para-choque, um pequeno apoio cromado se destaca. O protetor ainda dispõe de sensor de estacionamento, acabamento preto e parte central prateada, contando ainda com dois escapes cromados. O veículo de teste estava pintado de cinza fosco, que dá um visual ainda mais sofisticado ao GLA.

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

Por dentro…

No interior, o ambiente é semelhante ao dos irmãos MFA. O visual é sofisticado e aparenta luxo. Destaque para o acabamento levemente emborrachado na parte superior do painel e portas, assim como tonalidade branca na parte inferior do habitáculo.

Teto e colunas são pretos, enquanto a parte central do painel apresenta tonalidade Silver Wave, com boa textura e aparência. Os difusores de ar em formato de turbina também são característicos da marca alemã e apresentam acabamento prateado.

O volante multifuncional com paddle shifts e revestido em couro é outro ponto bom do Mercedes-Benz GLA. A coluna de direção apresenta alavanca da transmissão de dupla embreagem 7G-DCT de sete marchas, além de comandos unificados para limpadores e fachos de faróis, bem como piloto automático e limitadores, os chamados Tempomat e Speedtronic.

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

O cluster é outra bela parte do ambiente interno do GLA, tendo instrumentação de fundo branco e vistoso display TFT com navegação, mídia, configurações do veículo, hodômetro, telefonia, entre outros. A visualização é clara e a iluminação é correta. Como nos irmãos, o freio de estacionamento é eletrônico e fica do lado esquerdo, abaixo do comando dos faróis e luz de neblina.

Ao centro do conjunto, a famosa tela suspensa de sete polegadas, cujo acabamento externo é em preto brilhante, mas o display não é sensível ao toque. Ela exibe as funções do sistema de som Audio20 e da multimídia COMAND Online, que apresenta navegador GPS, mídias, Bluetooth, telefonia, acesso à internet através de aparelhos móveis, CD/MP3/USB, HD de 10GB e funções diversas, exceto câmera de ré, pois o GLA surpreendentemente não dispõe desse recurso.

O painel ainda conta com ar condicionado Thermatic dual zone, bem como teclado para discagem telefônica e comandos dos modos de condução Sport, Eco e Manual, bem como a função ECO para desativação do Start&Stop e funcionalidades que aumentam a econômica de combustível. No console, um porta-objetos com fonte 12V e outro maior, onde fica a alavanca de transmissão na versão manual, não oferecida no Brasil.

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

Ao lado do porta-copos, um botão giratório controle as funções do COMAND Online. O apoio de braço central e regulável esconde um porta-objetos com entrada USB. O porta-luvas tem espaço razoável e revestimento em camurça. Nas portas, destaque para o acabamento com detalhes em alumínio, assim como couro. Há comandos elétricos apenas para o banco do condutor, que ainda dispõe de ajuste lombar elétrico.

Os assentos tem acabamento em tonalidade branca com couro sintético nas laterais e microfibra na parte central. O visual é agradável, mas eles sujam muito facilmente. Sempre é um destaque os elementos vazados entre os apoios de cabeça fixos e os encostos, devidamente iluminados e com moldura em alumínio. Os traseiros possuem iluminação também, assim como maçanetas, puxadores das portas e assoalho na frente e atrás. Há cinco níveis de intensidade, mas a tonalidade é sempre amarela.

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

Não há apoio de braço central atrás, mas existe um bom difusor de ar duplo central. Além disso, o teto panorâmico apresenta duas aberturas e com persiana elétrica, mas apenas a parte frontal pode ser aberta. Luzes de leitura e para-sóis com iluminação e espelho estão presentes, mas o retrovisor interno é apenas dia e noite.

O espaço interno na parte de trás poderia ser mais generoso, sendo bom apenas para pessoas de estatura média. A altura interna é boa e a posição de dirigir é correta. O porta-malas tem 421 litros e pode ser ampliado para até 836 litros com o rebatimento do banco traseiro. Dá conta do recado, mas seu assoalho sem estepe, aumenta um pouco mais o volume disponível.

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

Por ruas e estradas…

Pesando 1.435 kg – é pesadão como o CLA, que tem 5 kg a menos – o Mercedes-Benz GLA 200 Vision oferece uma boa performance com o motor M270 1.6 Turbo de 156 cv a 5.300 rpm e 25,5 kgfm entre 1.250 e 4.000 rpm. Felizmente, a marca ainda não abraçou a causa do Flex, oferecendo seus carros somente com gasolina.

Com transmissão de dupla embreagem com sete marchas, o GLA anda muito bem. O motor responde prontamente à menor pisada no acelerador, entregando todo o torque bem próximo da marcha lenta. Ou seja, força total desde o início. As respostas são satisfatórias e a aceleração é gradual e suave. As mudanças de marcha ocorrerem de forma quase imperceptível.

No modo Sport, o giro sobe bem mais rápido e o GLA 200 passa a entregar uma dirigibilidade mais esportiva. Rodando a 110 km/h no modo Eco, que é o normal, a rotação atinge 2.000 rpm, garantindo mais economia e conforto ao dirigir. O consumo na estrada chegou a 13,9 km/litro, enquanto no ciclo urbano, ficou em 9,1 km/litro.

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

O conforto ao dirigir é bom. A direção é bastante leve e os freios agem com eficiente germânica. A suspensão tem ajuste firme e absorve as imperfeições de forma apenas razoável. Voltado para o asfalto, o GLA não vai passar pelos buracos da mesma forma que um SUV, mas dá para andar em estradas de terra tranquilamente.

A estabilidade é muito boa, reforçada por rodas grandes e pneus largos, bem como por controle de tração e estabilidade. O nível de ruído interno é bom e para ouvir melhor o motor turbinado, só mesmo exigindo muito dele ou abrindo os vidros. De modo geral, a condução a bordo do GLA é prazerosa.

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

Por você…

O Mercedes-Benz GLA chegou para enfrentar Audi Q3 e BMW X1. Assim, ele não poderia compartilhar os preços dos irmãos menores e fica entre R$ 136.900 e R$ 157.900. Esta versão GLA 200 Vision – top de linha, por enquanto – custa R$ 154.900. Com esse preço, poderia oferecer câmera de ré e tração integral.

De qualquer forma, o conjunto tem bom nível de equipamentos e acabamento muito bom. Em relação aos rivais, o Mercedes-Benz GLA é o mais novo e por isso, mais atual. Seu visual mais leve é cativante, apenas de parecer menos utilitário e mais um carro de passeio mais encorpado.

Isso não é um demérito para ele, já que muitos consumidores do segmento pouco ou nada rodam em estradas de terra ou caminhos onde a tração integral ou mesmo 4×4 seriam exigidos. O ambiente interno é sofisticado e atraente, sendo um grande diferencial em relação aos demais.

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium

Outra importante ação em prol do Mercedes-Benz GLA é o pós-venda com revisões de preço fixo, planos de financiamento diferenciados, seguro mais barato e planos de manutenção com até cinco revisões.

Apesar do modelo atuar no segmento de luxo, algumas dessas ações já são bem conhecidas em produtos mais baratos de marcas tradicionais, especialmente as que chegaram nos anos 90. É um atrativo a mais para o cliente, que no mercado de luxo, exige um tratamento diferenciado, assim como preços menos exorbitantes. Vale a pena ter um GLA na garagem? Se você não é aventureiro, claro que sim.

Medidas e números…

Ficha Técnica do Mercedes-Benz GLA 200 Vision

Motor/Transmissão
Número de cilindros – 4 em linha, turbo, injeção direta
Cilindrada – 1595 cm³
Potência – 156 cv a 5.300 rpm (gasolina)
Torque – 25,5 kgfm entre 1.250 e 4.000 rpm
Transmissão – Automatizada de dupla embreagem e sete marchas (7G-DCT)

Desempenho
Aceleração de 0 a 100 km/h – 215 km/h
Velocidade máxima – 8,8 segundos
Rotação a 110 km/h – 2.000 rpm
Consumo rodoviário – 13,9 km/litro
Consumo urbano – 9,1 km/litro

Suspensão/Direção
Dianteira – McPherson/Traseira – Multilink
Elétrica

Freios
Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus
Liga leve aro 18 com pneus 235/50 R18

Dimensões/Pesos/Capacidades
Comprimento – 4.417 mm
Largura – 1.804mm (sem retrovisores)
Altura – 1.494 mm
Entre-eixos – 2.699 mm
Peso em ordem de marcha – 1.435 kg
Tanque – 50 litros
Porta-malas – 421 litros
Preço: R$ 154.900

Galeria de fotos do Mercedes-Benz GLA 200 Vision:

Mercedes-Benz GLA não é um SUV, mas convence como crossover premium
Nota média 5 de 1 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email