Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

O Mercedes GLA 250 era um crossover médio fabricado pela Daimler, sendo inicialmente importado e depois fabricado no Brasil, através da planta de produção em Iracemápolis, interior de São Paulo.


Compartilhando a plataforma MFA com a primeira geração do Mercedes-Benz Classe A, ele era um rival do BMW X1 e Audi Q3, formando um quarteto de luxo completado com o Range Rover Evoque nacional.

Variante mais potente do GLA 200, o GLA 250 tinha conteúdo diferenciado e visual levemente distinto em relação a esse primeiro, mas a maior mudança era o motor empregado.

Em vez do M270 1.6 Turbo, o 250 empregava o 2.0 Turbo. Tendo as mesmas características técnicas, excetuando-se o volume e números apresentados, o propulsor de quatro cilindros é o mesmo M274 do Classe A. A diferença é a posição.

Além disso, no ano/modelo 2017, o Mercedes GLA 250 Sport ganhou a opção 4MATIC, que oferecia tração nas quatro rodas por meio de um sistema sob demanda com bloqueio eletrônico do diferencial traseiro.

Mercedes GLA 250 – detalhes

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

Contudo, a oferta durou pouco tempo no mercado nacional, sendo obrigatória no GLA 45 AMG 4MATIC, visto que o mesmo contava com nada menos que 360 cavalos e precisava da tração nas quatro rodas para mostrar seu poder.

O GLA 250 era uma opção de melhor performance, que ia de 0 a 100 km/h em 6,6 segundos e atingia 235 km/h. Isso porque o propulsor M270 entregava 211 cavalos e 35,7 kgfm, tendo ainda uma caixa de dupla embreagem com 7 marchas.

Acima do GLA 200, que fazia o mesmo em 8,1 segundos e final pouco acima dos 200 km/h, o GLA 250 tinha desempenho de carro esportivo, já que era bem mais potente que o irmão, que entregava 156 cavalos e 25,5 kgfm.

No GLA 250 4Matic, a tração integral reduz o tempo até 100 km/h para 7,1 segundos e a final cai para 230 km/h. Apesar de a potência ser grande nas duas versões, o crossover tem um bom consumo para suua proposta, chegando a 13,5 km/l.

Bem equipado, o GLA 250 tinha vários itens de conforto ao longo do tempo, entre eles ar-condicionado automático, multimídia com Android Auto e Car Play (nos últimos anos), teto solar panorâmico e modos de condução.

Leia também sobre o Mercedes GLA 200.

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

Além disso, trazia faróis de xénon inicialmente, mas depois passou a oferecer LED, além de lanternas que foram repaginadas em LED e fusão de luzes diurnas com repetidores de direção num único conjunto. Tinha pacote AMG Sport.

Bem estiloso, chamava atenção pelos faróis maiores e frente mais avantajada que a do Classe A, mas com carroceria igualmente esculpida, tendo um coeficiente aerodinâmico muito baixo de 0,28 de cx.

Por dentro, o destaque era o cluster analógico de fundo cinza, que dava mais destaque que o preto da GLA 200, além de volante esportivo com detalhes em alumínio, alavanca de câmbio na direção e bancos com apoios de cabeça integrados.

Os modos de condução Eco, Conforto e Sport, além do Individual, traziam ao modelo uma resposta muito melhor em vários sentidos, oferecendo assim uma dinâmica de condução excelente.

A resposta de motor, câmbio e direção, eram adaptadas conforme a opção escolhida, o que assegurava um aproveitamento melhor em esportividade ou boa economia de combustível.

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

Com espaço interno mediano para quem vai atrás, o Mercedes GLA 250 trazia 421 litros no porta-malas e banco traseiro bipartido com ampliação do bagageiro. As portas tinham soleiras AMG Sport.

Tendo 4,41 m de comprimento, 1,80 m de largura, 1,56 m de altura e 2,70 m de entre-eixos, o GLA tinha tanque de 50 litros. Suspensão traseira multilink e dianteira McPherson fazia parte do pacote.

Rápido, econômico e com tecnologia a bordo muito boa, o GLA 250 apresentava ainda um acabamento condizente com a proposta, usando couro e microfibra nos bancos, bem como detalhes em preto brilhante, aço escovado e alumínio.

A impressão de luxo a bordo era superior ao de seus rivais BMW X1 e Audi Q3, mas ainda ficava abaixo do campeão do segmento nesse caso, o Range Rover Evoque. Luzes de LED amarelas nos apoios de cabeça e assoalho chamava atenção.

Um toque levemente esportivo existia para atrair os consumidores jovens, especialmente com os bancos de apoio de cabeça integrados. O próprio design da carroceria, com silhueta baixa e larga, ajudava na proposta.

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

Mesmo não sendo um SUV legítimo, o Mercedes GLA 250 tem ótima aceitação no mercado de carros usados e ainda tem um preço bem salgado quando usado, especialmente com baixa quilometragem e com revisões feitas na rede Mercedes.

Contudo, é um carro de manutenção muito cara e só até 50.000 km, o crossover tem custo de revisão de até R$ 14,4 mil, o que é bem elevado e supera o Evoque, por exemplo.

Então, na compra de um usado, pesquise defeitos e problemas do produto com a experiência de quem já possui, assim como reservar ofertas para verificar pessoalmente o estado do veículo e seu histórico.

Mesmo assim, a maioria dos carros ofertados está em boas condições, dado que seus donos tinham um poder aquisitivo muito bom, podendo assim bancar as caras revisões na rede da Daimler. Isso ajudou os carros a durarem mais.

O Mercedes GLA 250 tinha frente com faróis de xénon com projetor único de LED, bem como luzes diurnas e piscas integrados, ambos em LED. A grade superior mostra frisos vazados em alumínio e com logo da estrela.

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

Sobre o conjunto, o logotipo clássico da Mercedes-Benz e abaixo, no para-choque, molduras laterais envolventes tinham spoilers em preto brilhante. A boca central era invertida e skid plate metalizado.

O protetor era ainda dotado de sensores de estacionamento. Nas laterais, as rodas de liga leve aro 19 polegadas eram raiadas e diamantadas, vindo com pneus 235/45 R19. Além dos vincos pronunciados, o GLA 250 tinha frisos em alumínio.

Maçanetas e retrovisores eram na cor do carro, enquanto estes últimos vinham com repetidores de direção em LED, desembaçador dos espelhos e rebatimento elétrico. No teto, barras longitudinais de alumínio se faziam presentes.

Além disso, havia o teto solar panorâmico com grande área envidraçada e vincos sobre o prolongado defletor de ar traseiro. Ainda nas laterais, o Mercedes GLA 250 tem também protetores de alumínio na base das portas.

Na traseira, as lanternas eram grandes e dotadas de LED, cortadas pela tampa do bagageiro, que apresentava vigia ampla e limpador, além de lavador e desembaçador. O GLA 250 tinham vidros climatizados com filtro UV e para-brisa degradê.

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

O para-choque tinha uma placa de alumínio sobre o conjunto e outra metalizada inferior, envolvendo as duas saídas de escape cromadas. Vincos nas laterais fechavam o conjunto, que ainda tinha câmera de ré e sensor de estacionamento.

O Mercedes GLA 250 antes da atualização durante sua vida na geração anterior, tinha faróis escurecidos com projetor duplo de xénon baixo, assim como desenho dos LEDs diurnos e dos piscas em LED mais antigos.

A grade tinha duas lâminas de cor cinza com frisos cromados. Já o para-choque ganhou um desenho mais simples, mas preservando sensores de estacionamento e o skid plate de cor cinza.

Já na traseira, as lanternas ganharam contornos em LED e o para-choque teve a área metalizada ampliada, porém, mantendo o layout. As rodas de liga leve aro 19 polegadas passaram a ser em preto brilhante, com os mesmos pneus.

Por dentro, o GLA 250 pré-facelift tinha volante com comandos multifuncionais e paddle shifts, com aplique metálico no acabamento. A coluna de direção era ajustável em altura e profundidade, tendo assistência elétrica.

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

Com pedais de alumínio, o crossover tinha ainda painel com acabamento diferenciado em relação ao GLA 200, bem como multimídia com tela destacada de 7 polegadas, não sensível ao toque. Os difusores de ar eram em formato de turbina.

Abaixo da mídia, que portava display para CD/DVD e inúmeros botões, o Mercedes GLA 250 tinha o ar-condicionado automático dual zone. O SUV tinha também comando para os modos de condução e botão de partida ao lado do volante.

Sem alavanca de câmbio, visto ficar na coluna de direção, tendo então dois porta-objetos e o botão de navegação da multimídia ao lado do porta-copos. O GLA tinha freio de estacionamento eletrônico no lado esquerdo do painel.

O cluster tinha fundo cinza-fosco com ponteiros vermelhos, além de display digital de grafismos tridimensionais. Os bancos eram em couro com opção de dois tons, bem como apoios de cabeça vazados com iluminação, inclusive atrás.

Neste assento para três, não havia apoio de braço central, mas o encosto bipartido, o que ampliava o volume do bagageiro de 421 litros. No teto escurecido, luzes de leitura e para-sois com espelhos iluminados. O retrovisor era eletrocrômico.

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

Alças no teto e acionamento elétrico one touch do teto solar panorâmico faziam parte do pacote. As portas tinham acabamento em couro com os bancos dianteiros tendo comandos dos bancos elétricos em reprodução dos mesmos.

Os vidros elétricos eram one touch e havia ainda botão para abertura elétrica da tampa do bagageiro, além de acesso remoto ao bocal do tanque. Apenas o assento do condutor tinha duas memórias.

Já a multimídia reproduzia CD, DVD, USB e outros arquivos de áudio e vídeo, além de dispor de gráficos dos sensores de estacionamento.

Na atualização do Mercedes GLA 250, o cluster passou a ter fundo preto, enquanto a multimídia com câmera de ré, além de volante de fundo chado, tendo ainda bancos elétricos dianteiros com três memórias cada um.

A multimídia ganhou projeção para Google Android Auto e Apple CarPlay, além de nova padronagem de bancos e portas, tudo em cor preta para ampliar a esportividade do crossover da Mercedes-Benz.

Mercedes GLA 250 – versões

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

  • GLA 250 Vision 2.0 7G-tronic
  • GLA 250 Enduro 2.0 7G-tronic
  • GLA 250 Sport 2.0 7G-tronic
  • GLA 250 Sport 2.0 7G-tronic 4Matic

Equipamentos

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

Mercedes GLA 250 – Motor 2.0 turbo com câmbio de dupla embreagem e sete marchas com modos de condução, volante em couro multifuncional com paddel shifts, chave-slot para partida, faróis de xénon ou LED, luzes diurnas e piscas em LED, rodas de liga leve aro 19 polegadas, pneus 235/45 R19, lanternas em LED, teto solar elétrico panorâmico, barras longitudinais no teto em alumínio, molduras laterais em alumínio, grade em alumínio, skid plate dianteiro e traseiro metalizados, duias saídas de escape cromados, bancos em couro, bancos dianteiros elétricos com três memórias, multimídia com Android Auto e CarPlay, piloto automático, ar-condicionado dual zone, seis airbags, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, tampa do bagageiro elétrica, entre outros.

Preços

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

  • GLA 250 Vision 2.0 7G-tronic 2015 – R$ 128.000
  • GLA 250 Enduro 2.0 7G-tronic 2016 – R$ 167.000
  • GLA 250 Sport 2.0 7G-tronic 2019 – R$ 246.900*
  • GLA 250 Sport 2.0 7G-tronic 4Matic 2017 – R$ 145.000

Preços da tabela Fipe.

(*) Preço sugerido na época.

Mercedes GLA 250 – motor

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

O Mercedes GLA 250 tinha motor M270 2.0 Turbo, que era uma variante do M274, cujo emprego era em longitudinal, com o primeiro sendo transversal por conta da plataforma MFA da família Classe A.

Com quatro cilindros em linha e construído em alumínio, o M270 tem duplo comando variável e injeção direta de combustível, além de turbina com intercooler e com 1991 cm³.

Ele entregava 211 cavalos a 5.500 rpm e 35,7 kgfm a 1.200 rpm, abastecido apenas a gasolina. O crossover tem ainda transmissão de dupla embreagem com sete marchas, com paddle shifts e modos de condução Eco, Conforto e Sport.

Desempenho

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

  • GLA 250 2.0 7G-tronic – 6,6 segundos e 235 km/h
  • GLA 250 2.0 7G-tronic 4Matic – 7,1 segundos e 230 km/h

Consumo

  • GLA 250 2.0 7G-tronic – 9,3/12,4 km/l
  • GLA 250 2.0 7G-tronic 4Matic – 9,7/13,5 km/l

Mercedes GLA 250 – manutenção e revisão

Mercedes GLA 250: motor, desempenho, equipamento, preço, consumo

A rede Mercedes-Benz tem revisões a cada 10.000 km ou 12 meses, o que vier primeiro. O custo de manutenção é elevado e até 50.000 km, ele cobra altíssimos R$ 14.432,00.

Nas revisões, são trocados óleo do motor, filtro de óleo, filtro de ar do motor, filtro de pólen do ar-condicionado, filtro de combustível, velas, fluido de freio, líquido de refrigeração, óleo da transmissão automatizada, entre outros.

Além disso, são feitas trocas de itens de desgaste natural, como pastilhas de freio, palhetas dos limpadores, discos, batentes das torres, pivôs de direção, entre outros, bem como há serviços de higienização, tratamento de couro, etc.

Revisão10.000 km20.000 km30.000 km40.000 km50.000 kmTotal
M270R$ 1.749,00R$ 3.322,00R$ 4.290,00R$ 3.322,00R$ 1.749,00R$ 14.432,00

Ficha técnica

Motor2.0
Tipo
Número de cilindros4 em linha
Cilindrada em cm31991
Válvulas16
Taxa de compressão9,8:1
Injeção eletrônicaDireta, turbo
Potência máxima211 cv a 5.500 rpm (gasolina)
Torque máximo35,7 kgfm a 1.200 rpm (gasolina)
Transmissão
TipoAutomatizado de dupla embreagem com 7 marchas
Tração
TipoDianteira ou integral
Direção
TipoElétrica
Freios
TipoDiscos dianteiros e traseiros
Suspensão
DianteiraMcPherson
TraseiraMultilink
Rodas e Pneus
RodasLiga leve aro 19 polegadas
Pneus235/45 R19
Dimensões
Comprimento (mm)4.417
Largura (mm)1.804
Altura (mm)1.569
Entre eixos (mm)2.699
Capacidades
Porta-malas (L)421
Tanque de combustível (L)50
Carga (Kg)458 (FWD) 485 (AWD)
Peso em ordem de marcha (Kg)1.460 (FWD) 1.500 (AWD)
Coeficiente aerodinâmico (cx)0,28

Mercedes GLA 250 – fotos

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.