América Latina Mercado Montadoras/Fábricas

México bate recordes de produção e exportação em 2012

chevrolet-captiva-2012-v6-1

Mesmo com a imposição de cotas no comércio com o Brasil, os mexicanos não têm do que reclamar. Afinal, o país bateu recordes de produção e exportação nos cincos primeiros meses de 2012.

Em maio, 228.048 veículos saíram das linhas de montagem mexicanas, o que representa um aumento de 2,8% em relação ao mesmo período de 2011. Em 2012, a produção local já subiu 13% se comparado a 2011. Foram produzidos mais de 1,15 milhão de veículos até agora.

Nas exportações de Maio, o México registrou baixa de 0,5% no comércio com os EUA e de 41% com a Europa. No entanto, o volume geral subiu 5,7% por causa dos mercados da América Latina, que tivera alta de 32%. Foram enviados 187.042 veículos para o exterior no período.

No acumulado de 2012, as exportações já aumentaram 14% e 945.530 veículos mexicanos encontraram seus donos em outros países. Mesmo com cotas para o Brasil, o México compensa uma possível queda nos negócios com outros mercados. Isso sem contar que ainda vai receber alguns bilhões de dólares para aumento da produção e exportação.





  • marcos3000

    pois é, preço justo faz o comercio aumentar, mas aqui no nosso brasil, o governo não pensa, e não faz nada com essas ditas montadoras "braçileiras", que so querem explorar, com essas carroças, a preço ultra injusto, pagamos pelo preço do carro mais caro no mundo, e mesmo assim, eles só colocam em nosso mercado carroças "as 4 grandes", se pelo menos os carros fossem os mais equipados "completissimos como os carros europeu e americanos", mas nem isso, eles querem e vender carros pelados a preço de ferrari, cade o resultado do Ministério Público sobre lucros abusivos da montadoras, ate agora não vi resposta nenhuma, acho que teve não deu em nada, pois a 4 GRANDES é quem manda nessa m.e.r.d.a de país.

    • fabiohai

      Você não viu? Eu vi, desceu a CACHOEIRA de caiaque amarrado numa pedra de ouro chamada LOBBY. Enquanto ainda existir consumismo desenfreado e impostos onerosos, ainda irá existir o lucro Brasil. Pare de coprar carro como se fosse comida!

      • Cil

        Perfeito! Daria um slogan para uma campanha: "Pare de comprar carro como se fosse comida".

        Eu esperaria que a produção deles fosse mesmo desviada para outras países. Agora a AL tá consumindo carros mexicanos hein? O suficiente para compensar essa queda de quase 41% para a Europa. Interessante saber que eles exportam tanto para lá. Enquanto isso, nós…

  • O_Corsario

    A meu ver, é uma série de fatores. Um deles justamente a questão tributária, pois o México, se não me engano, tem acordos de comércio com EUA, coisa que o Mercosul não quis – se não me engano novamente, era o NAFTA.
    Enfim, a meu ver, é mais um sinal claro de onde o Brasil deveria trabalhar: menos impostos, mais infra-estrutura.

    • Até onde sei o México fez uma série de investimentos na infraestrutura e diminuiu\isentou alguns impostos para atrair as fabricantes, com isso o México já conseguiu "surrupiar" duas fabricantes que iriam construir fabricas na américa do sul… e parece que a terceira fabricante "surrupiada" será a BMW que já desistiu de investir no Brasil…
      Por ser mais atrativo e por estar do lado dos EUA, o México está atraindo fabricantes de maior cacife, gente que só investe com segurança e com perspectiva de futuro… Já o Brasil está atraindo fabricantes de terceiro mundo, na maioria das vezes apenas uma aposta, sem a garantia de um futuro certo…

      • O_Corsario

        Falou tudo e muito certo, é bem por aí. Ou seja, ao bagunçar o meio de campo com IPI pra cá e pra lá, só atrai aventureiro. Tanto que, se não me engano, desde que se mudou o "regime automotivo" nenhuma nova fábrica confirmou investimentos, apenas as que já tinham manifestado este interesse.

        • Só para complementar com algo que acabei de lembrar… O México diminuiu drasticamente da "burrocracia", deixaram o processo burocrático de abertura de empresa e sua manutenção muito mais rápido e fácil. Já aqui o processo continua lento e complicado, para abrir uma empresa demora no minimo 5 meses, aqui você precisa de uma pessoa para cuidar de toda burocracia (encargos trabalhistas, impostos, direitos… blá blá blá) de 50 a 100 funcionários, isso já sobrecarregando porque a burocracia é tanta que o recomentado é ter um funcionário para cuidar da burocracia de outros 20… Enquanto isso, em outros países um único funcionario consegue cuidar de todo processo burocratico de outros 500 a 1000 funcionários…

          • LuccasVillela

            Olha, desconheço complemente a politica mexicana, mas já estive no pais por duas ocasioes, fazendo intercambio e as estradas mexicanas me pareceram bem superiores as nossas.

          • Cil

            Tem um ranking sobre as facilidades de se fazer negócios em vários países do mundo. Duas coisas chamam a atenção. O show coreano (8º lugar) e o vexame brasileiro. Na AL, só ganhamos de Honduras, Suriname, Haiti, Ecuador, Bolívia e Venezuela, quando se trata de facilidade de abrir um negócio, administrar etc. Chile é o 1º e o México o 6º.

            Então, nosso burrocracia explica porque não atraímos e/ou mantemos negócios importantes. Imagine isso acomplado com impostos escorchantes, infraestrutura super-hiper-mega-ultra-DELTA péssima, com estradas cheias de burracos e a própria dependência do transporte rodoviário, e o quadro é feio.
            http://www.doingbusiness.org/rankings

  • vicegag

    Receita simples, produtos de qualidade tecnologicamente avançados sem ter um caminhão de impostos e custos trabalhistas embutidos, basta seguir dona Dilma, os juros já baixaram, eles faziam parte do problema, mas o problema principal a senhora já sabe, espero que tenha coragem de resolver, diferentemente dos que a antecederam, estou descrente, que algum político faça alguma reforma tributaria sem ter a pressão popular.

  • DougSampaNA

    Brasil com toda esta CARGA DE IMPOSTOS iniciada no Governo FHC e CONTINUADA no governo MULA, colocam sobre nós brazucas, cabrestos financeiros pesadíssimos, porisso consumimos mau, não conseguimos guardar pra velhice, somos chupinados dia após dia, e na hora do voto eles se lembram de sorrir pra nós, pegar criancinha no colo…
    Que triste fim o tal celeiro do mundo e país do futuro..de um futuro que nunca chega e que remunera mal o profissional do campo.

    Dona Dilma poderia descer de sua arrogancia e tentar aprender com os mexicanos o que ainda não aprendeu a fazer, exigir investimos das industrias, diminuir impostos pra aquelas que verdadeiramente reinvestirem o dobro dos ultimos 3 anos em qualidade e segurança, e só aí teremos paridade com o México..por ultimo…que ela dê um belo pé na B… do Mercosul, que só nos puxa pra trás.

  • DiMais

    parabéns pra eles, que souberam atrair grandes investimentos e comercializar para além das suas fronteiras produtos de qualidade e com bom preço.. aprende Brasil!!

  • marcos3000

    é, só que mesmo com as cargas tributárias do brasil, não justifica um carro custar 3 vezes mais que em outro país, isso é pura exploração, acabei de ser um carro sedan no chile, custa 20 mil reais, todos equipado, enquanto um mille de 30 anos esta custando 25 mil reais. Então não justifica esses preços de carro no brasil, e pura extorsão mesmo.

    • barts

      Concordo plenamente, óbvio que não só os impostos, mas pra mudar essa outra parte do lucro abusivo, só o consumidor consegue mudando o pensamento, o que é muito complicado dado o nível de educação e cultura da população brasileira…

    • MM_

      Não é só isso, mas a questão tributária também eleva custos indiretos. O problema não é só o valor dos impostos, mas o sistema brasileiro é tão complexo que as empresas tem exércitos de contadores para dar conta do negócio.

      Lógico q a margem aqui é maior, entretanto tem muita coisa nesse meio.

      • zemarreta

        É verdade! Quem conversar com alguém que tem empresa vai ouvir estórias de que muitas vezes nem os contadores conseguem se guiar no cipoal tributário brasileiro.
        Mesmo sem redução da carga tributária, só a simplificação e a racionalização tributária já teria um impacto muito positivo no setor produtivo brasileiro. Mas a verdade é que as reformas nunca passam porque ninguém confia em ninguém. A União não confia que os Estados e os municípios não vão aproveitar para lhe tungar recursos, os Estados e os Munícipios não confiam que uns estados vão tungar os outros, e os empresários não confiam que o governo não vá descobrir formas marotas de apertar-lhes ainda mais a goela.
        Tem hora que eu até acho que o de Gaulle é que tinha razão…

    • cepereira2006

      E eles não estão vendendo com prejuízo. Com certeza eles lucram mesmo vendendo a este preço.

  • zemarreta

    Parabéns ao México que tem uma indústria moderna e competitiva, capaz de produzir carros bons e com preço razoável, sem precisar da eterna lengalenga latinoamericana de que somos explorados e coitadinhos, por isso precisamos de protecionismo, como fazem certos países ao sul da linha do equador…

  • Jason

    É só o Brasil que gosta de ficar puxando o freio de mão da indústria, através de seus onerosos impostos. Aqui, as montadoras só se compensam pelos lucros que faturam com seus carros, deveras ultrapassados e inseguros. E os importados que aqui chegam assumem um preço alto, não tão acessível para todos os consumidores.

    Essas cotas de importação são uma faca de dois gumes. No final, quem acaba sendo prejudicado (como SEMPRE) é o consumidor.

  • guinho_pe

    Exportar automoveis o Brasil? Quase impossível. Qual pais vai querer comprar essa banheiras fabricadas aqui..só os brasileiros, claro. O canada e a Argentina compravam o nosso Golf mas desistiram afinal nosso modelo eh 1998, Quarta geração enquanto o resto do mundo já esta na sétima geração. A VW não vai querer investir em inovar aqui pois o brasileiro paga uma fortuna pra ter uma carro versao 14 anos atras.



Send this to friend