*Destaque *Featured Crossovers Lançamentos Linha 2018 Mitsubishi Preços

Mitsubishi ASX 2018: versões, fotos, preços, detalhes, equipamentos

mitsubishi-asx-2017-vermelho-1 Mitsubishi ASX 2018: versões, fotos, preços, detalhes, equipamentos

A Mitsubishi já está oferecendo em suas concessionárias a linha 2018 do ASX. O crossover passa a ser equipado com um motor 2.0 litros flex e abandona a opção de câmbio manual, agora disponível somente com a transmissão automática CVT. Além disso, o Mitsubishi ASX 2018 teve seus preços reduzidos em até R$ 7 mil e agora parte de R$ 97.990.



Apesar de não parecer, o Mitsubishi ASX já tem certa idade. Não na geração atual, mas no curso de sua história. Ele nasceu como RVR – nome que ostenta até hoje no Japão. Nascido como uma minivan, o modelo da marca japonesa ficou conhecido fora do mercado nipônico como Mitsubishi Space Runner . Ele também foi vendido como Mitsubishi Expo LRV, Dodge Colt Wagon, Eagle Summit Wagon e Plymouth Colt Vista Wagon.

Medindo entre 4,29 m e 4,48 m, a primeira geração do ASX durou até 1999, sendo feita exclusivamente no Japão. Era equipada apenas com motores 4G63 1.8 ou 2.0 litros. Dois anos antes de sair de cena, surgiu o sucessor no Japão. Com desenho mais fluído, a segunda geração do RVR/ASX manteve o tamanho e os motores. Ganhou um dos primeiros motores com injeção direta de combustível, o 2.4 GDI.

Por conta da legislação japonesa, o Mitsubishi Space Runner da segunda geração teve duas larguras, sendo 1,69 m no JDM e 1,78 m no mercado internacional. No entanto, sua produção foi encerrada em 2002. A montadora japonesa esperaria pelo menos oito anos até reviver o RVR, que internacionalmente ficou conhecido como ASX ou Outlander Sport (América do Norte e Indonésia).

Este apareceu em 2010, mas não mais como uma minivan e sim como crossover compacto. Com 4,29 m de comprimento (antes do facelift), 1,77 m de largura, 1,62 m e altura e 2,67 m de entre-eixos, o Mitsubishi ASX rapidamente se espalhou pelo mundo, tendo sua produção no Japão, Brasil, China, Malásia, Indonésia e EUA. Aqui no Brasil é feito pelo grupo HPE, ex-MMC.

Desenvolvido sobre a plataforma GS da Mitsubishi, o ASX ganhou diversos motores, sendo um 1.6 a gasolina e outro a diesel, mas este é de origem Peugeot. Com o mesmo combustível há também o DI-D 1.8 ou 2.2. O motor MIVEC 1.8 e 2.0 são os mais usados, assim como o 2.4. As opções de câmbio podem ser manual de cinco ou seis marchas, mas há câmbio automático de seis marchas ou CVT, este último oferecido no país. A próxima geração do crossover deve ter propulsão híbrida plug-in ou elétrica.

Recentemente, o Mitsubishi ASX recebeu um facelift que deixou a frente com um “X” cromado característico. As alterações deixaram o crossover mais atual e devem prolongar sua vida comercial até por volta de 2020, quando uma nova geração chegará. O modelo foi vendido na Europa como Peugeot 4008, bem como Citroën C4 Aircross.

mitsubishi-asx-2017-vermelho-2 Mitsubishi ASX 2018: versões, fotos, preços, detalhes, equipamentos

Mitsubishi ASX 2018 – detalhes

Nos itens de série, a versão mais em conta do Mitsubishi ASX 2018 oferece airbags frontais, freios ABS com EBD, isofix, rodas aro 18, direção elétrica, trio elétrico, ar-condicionado automático, volante e alavanca de câmbio em couro, piloto automático, sistema multimídia com tela de 7 polegadas, DVD player, GPS, Bluetooth e câmera de ré, entre outros.

O modelo intermediário oferece ainda airbags laterais, de cortina e de joelhos para o motorista, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, retrovisores externos com luz indicadora de direção e desembaçador, sensores de luz e chuva, interior na cor bege, bancos em couro, assento do motorista com ajustes elétricos, bancos dianteiros com aquecimento, sistema multimídia com tela de 9,7 polegadas, Android Auto e Apple CarPlay, entre outros. A versão topo de linha agrega teto solar panorâmico e faróis xênon.

Outra versão da linha era a Outdoor, que ostentava um visual mais agressivo e é baseada na versão de entrada, mas com equipamentos como controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, detalhes visuais na cor grafite e rodas de 17 polegadas. No entanto, ela saiu de linha, restando apenas as outras três.

No futuro, o Mitsubishi ASX deve se converter em crossover 100% elétrico, contando com um visual mais arrojado e esportivo, bem próximo dos conceitos que são apresentados anualmente pela Mitsubishi. A autonomia é outra questão importante, devendo ficar entre 300 km e 500 km.

A aposta em híbridos plug-in deve por parte da marca deve ser reduzida com o possível fim de linha dos incentivos nos EUA. Assim, se torna mais viável investir direto nas baterias apenas. Com motores elétricos, o Mitsubishi ASX do futuro terá tração nas quatro rodas sem necessitar de grande aparato, tendo apenas dois motores – um em cada eixo – para assim manter as rodas com força.

Além da propulsão elétrica, a Mitsubishi deve aplicar ao ASX do futuro um sistema de condução autônoma de nível 4, onde o motorista vira passageiro. A tecnologia deverá ser compartilhada da Nissan com o ProPilot, permitindo assim que haja uma redução nos custos de software e hardware. Já a produção nacional, como ocorre agora, provavelmente não ocorrerá por conta dos custos elevados, embora sob a gestão da Nissan, provavelmente a produção venha a ocorrer na planta da controladora nipônica.

Por ora, o mais próximo que o ASX pode chegar é ganhando uma propulsão com motor 1.5 Turbo de 163 cv e 25,5 kgfm, além da manutenção do CVT e da tração nas quatro rodas. Provavelmente uma nova geração intermediária, com o aproveitamento da base atual, venha a surgir antes da chegada do modelo eletrificado, que sem dúvida será o suprassumo do desenvolvimento de produto da japonesa.

Além dele, o futuro deve reservar células mais potentes em densidade, alcançando uma nova meta da indústria, que é de 800 km de alcance. Apenas tecnologias como lítio-ar ou estado sólido, poderão fazer com que as células durem o suficiente energizadas para prover uma autonomia superior à verificada nos carros atuais. Espera-se que o Mitsubishi ASX faça parte dessa nova gama de produtos de alta tecnologia, que manterão os consumidores conectados em tempo real e garantirá não só a segurança final durante a condução autônoma, mas também a possibilidade de compartilhamento.

Mitsubishi ASX 2018 – versões

Confira os preços do Mitsubishi ASX 2018:

Mitsubishi ASX 2.0 CVT 2WD
Mitsubishi ASX 2.0 CVT 4WD
Mitsubishi ASX 2.0 CVT 4WD + teto e xênon

mitsubishi-asx-outdoor-2017-7 Mitsubishi ASX 2018: versões, fotos, preços, detalhes, equipamentos

Mitsubishi ASX 2018 – equipamentos

Mitsubishi ASX 2.0 CVT 2WD – Motor 2.0 de até 170 cv, mais câmbio CVT. De série com ar-condicionado automático, direção elétrica, vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico do tipo one touch, travamento central elétrico com comando na chave canivete, retrovisores externos com ajustes elétricos, volante multifuncional com detalhes em preto brilhante, airbag duplo, freios ABS com EDB, freios a disco nas quatro rodas, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, assistente de partida em rampa, multimídia com tela de 6,2 polegadas, DVD, navegador GPS, Bluetooth, USB, detalhes externos cromados, ponteira cromada, antena estilo barbatana, aerofólio traseiro, rodas de liga leve aro 18 polegadas, pneus 225/55 R17, maçanetas na cor do carro, câmera de ré, sensor de estacionamento, barras longitudinais no teto, Isofix, banco traseiro bipartido com apoia braço central, acabamento geral preto, paddle shifts, piloto automático, bancos revestidos em tecido, volante em couro, quatro alto-falantes e sensor de pressão dos pneus.

Mitsubishi ASX 2.0 CVT 4WD – Itens acima, mais tração permanente nas quatro rodas, detalhes externos exclusivos, retrovisores com indicador de direção e desembaçador, sensor de chuva, sensor crepuscular, bancos revestidos em couro, bancos dianteiros com aquecimento, banco do motorista com ajustes elétricos, cluster personalizado, comandos de voz, multimídia com tela de 6,75 polegadas capacitiva, Google Android Auto, Apple Car Play, interior em acabamento bege, airbags laterais, airbags de cortina, airbag do joelho (motorista) e partida remota.

Mitsubishi ASX 2.0 CVT 4WD + teto e xênon – Itens acima, mais teto solar elétrico, faróis de xênon e lavador automático de faróis.

Mitsubishi ASX 2018 – preços

Confira os preços do Mitsubishi ASX 2018:

Mitsubishi ASX 2.0 CVT 2WD: R$ 102.490
Mitsubishi ASX 2.0 CVT 4WD: R$ 119.490
Mitsubishi ASX 2.0 CVT 4WD + teto e xênon: R$ 128.490

Com preços abaixo do Outlander 2018, o Mitsubishi ASX 2018 agora custa acima de R$ 100 mil, mas antes nunca havia ultrapassado essa barreira. A versão PCD (Pessoas Com Deficiência) custa R$ 93.563. A versão Outdoor não fez sucesso, mas já havia surgido com preço acima de R$ 100 mil. 

mitsubishi-asx-s-7 Mitsubishi ASX 2018: versões, fotos, preços, detalhes, equipamentos

 

Mitsubishi ASX 2018 – motor

O motor do novo ASX 2018 é um 2.0 litros flex de quatro cilindros, que rende 170 cv no etanol e 160 cv na gasolina, a 6.000 rpm, e torque de 22 e 23 kgfm, respectivamente, a 4.250 rpm. Esta unidade está associada ao câmbio automático INVECS-III CVT com seis marchas simuladas no modo Sport e tração dianteira ou nas quatro rodas.

Esse propulsor foi desenvolvido em parceria com Chrysler e Hyundai, que formaram a Global Engine Manufacturing Alliance (GEMA) em 2002. Dessa união, surgiu a linha 4B1 da Mitsubishi, o Tigershark da Chrysler (hoje FCA) e Theta da Hyundai. Todos, de alguma forma, equiparam ou ainda motorizam carros feitos no Brasil.

Feito totalmente em alumínio, o 4B10 foi o primeiro da família, tendo 1.8 litro e equipado o RVR de 2010, assim como anteriormente Lancer e o Proton Inspira. Entregava até 143 cv e 17,5 kgfm. A outra versão é o 4B11, um 2.0 litros com até 160 cv na gasolina e 170 cv no etanol, no caso brasileiro. Além do ASX, equipa o Outlander, bem como Inspira e Lancer. É um motor bem confiável e durável, chegando a usar velas de irídio, coletor de admissão em plástico, coletor de escape em alumínio, duplo comando de válvulas variável, corrente de comando, injeção eletrônica indireta, entre outros.

Esse motor 4B11 tem ainda outra aplicação, só que equipado com turbocompressor e injeção direta, tendo 2.0 litros e alcançando de 280 cv à 410 cv, sempre em versões normais ou especiais dos Lancer Ralliart e Evolution. Já o 4B12 é um 2.4 litros que entrega 170 cv e 23,5 kgfm, sendo usado desde o Delica até o Lancer. A variante mais recente é a 4B40, um 1.5 litro com turbo e injeção direta, que entrega 163 cv e 25,5 kgfm. Esse propulsor é exclusivo do Eclipse Cross, que é um crossover irmão do ASX. Provavelmente esse motor deverá equipar modelos da marca no Brasil por conta do Rota 2030.

Já o câmbio INVECS-III CVT possui gerenciamento eletrônico que permite se adaptar ao modo de dirigir do condutor, além de ter modo Sport e trocas manuais na alavanca ou nos paddle shifts. Já o sistema de tração nas quatro rodas tem três modos: 2WD para o dia a dia com economia, 4WD para condução esportiva em pistas sinuosas e 4WD Lock, que permite maior segurança em pistas de baixa aderência.

mitsubishi-asx-2017-vermelho-4 Mitsubishi ASX 2018: versões, fotos, preços, detalhes, equipamentos

Mitsubishi ASX 2018 – desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h e velocidade máxima final

  • Mitsubishi ASX 2.0 CVT 2WD – 11,5 segundos e 190 km/h
  • Mitsubishi ASX 2.0 CVT 4WD – 11,9 segundos e 188 km/h

O Mitsubishi ASX 2018 apresenta uma boa performance. O crossover da marca japonesa vem com motor 2.0 Flex de até 170 cv e 23 kgfm. Com bom torque em baixas rotações, o propulsor da marca japonesa entrega boa disposição, movendo com desenvoltura o crossover de pouco mais de 1,4 tonelada.

Respondendo prontamente ao acelerador, o motor rapidamente sobe de giro, mas graças ao sistema INVECS-III, o CVT permite manter a linearidade no funcionamento do motor, que sempre estará em giro mais baixo, geralmente entre 1.500 e 2.000 rpm, elevando-se para 3.000 rpm ou até 4.000 rpm em ultrapassagens.

Graças ao comportamento mais neutro, o propulsor sobra um pouco mais, mas as saídas possuem certa lentidão por causa do CVT, que patina inicialmente. Afinal, são duas polias e duas cintas de aço que sofrem escorregamento na variação de relação, por isso existe essa perda momentânea de força.

De qualquer forma, sua principal característica é a economia e o conforto, sempre poupando motor e gasolina. Com ele, o Mitsubishi ASX 2018 consegue uma boa média de consumo, fazendo na cidade 6,9 km/litro no etanol e 9,8 km/litro na gasolina. Na rodovia, o crossover faz 9,1 km/litro no etanol e 12,6 km/litro na gasolina. Isso tudo com tração 2WD.

Nessa configuração, o Mitsubishi ASX 2018 parece muito leve ao volante, que tem assistência elétrica. O crossover tem boas retomadas e é gradual na aceleração. Nas curvas, ele se mantém bem equilibrado, atuando bem também em mudanças rápidas de trajetória. A dirigibilidade é muito boa. A suspensão tem uma calibragem voltada para o conforto, mas não depõe contra a estabilidade. Em pisos irregulares, o conjunto filtra bem as vibrações, gerando conforto ao ambiente interno. Os freios atuam de forma eficiente no SUV compacto.

Na versão 4WD, o Mitsubishi ASX 2018 tem um comportamento mais centrado. O propulsor se esforça um pouco mais para arrastar o conjunto, que tem três opções de tração: 2WD para o dia a dia com economia, 4WD para condução esportiva em pistas sinuosas e 4WD Lock, que permite maior segurança em pistas de baixa aderência. No 2WD, o crossover parece mais desenvolto, mas é também mais econômico.

Para o dia a dia, o Mitsubishi ASX 2018 tem na tração 2WD seu melhor uso, não forçando assim o conjunto para empregar mais energia e gastar mais combustível. Nessa condição, o consumo é apenas um pouco maior. Com o 4WD, o crossover japonês possui uma condução mais no chão, garantindo curvas mais bem feitas, sem saídas de traseira, mantendo-se bem neutro e garantindo excelente dirigibilidade.

Mesmo em pisos escorregadios, a gestão de tração permite ao Mitsubishi ASX 2018 saídas de curvas bem rápidas, assim como entrada um pouco mais forte. Nesse modo de tração, o consumo urbano é de 6,8 km/litro no etanol e 10,1 km/litro na gasolina. Na estrada, o modelo faz 8,6 km/litro no etanol e 12,3 km/litro na gasolina.

Para estradas de terra com lama ou areia, o Mitsubishi ASX 2018 modula melhor a força em cada roda, permitindo sair-se melhor em atoleiros leves, bem como areia ou pedras. O foco do crossover é o asfalto, mas isso não o impede de sair bem no fora de estrada. De modo geral, o crossover da marca japonesa é uma boa escolha para uso no dia a dia e também em viagens de fim de semana ou férias.

Com bom espaço interno, o Mitsubishi ASX 2018 tem posição de dirigir correta e comandos bem à mão. A ergonomia é também muito boa, assim como o espaço geral, especialmente para quem vai atrás. O porta-malas tem 415 litros, bom para uma família de tamanho médio, típica usuária desse tipo de veículo.

Mitsubishi ASX 2018 – consumo

Cidade

  • Mitsubishi ASX 2.0 CVT 2WD – 6,9 km/litro no etanol e 9,8 km/litro na gasolina
  • Mitsubishi ASX 2.0 CVT 4WD – 6,8 km/litro no etanol e 10,1 km/litro na gasolina

Estrada

  • Mitsubishi ASX 2.0 CVT 2WD – 9,1 km/litro no etanol e 12,6 km/litro na gasolina
  • Mitsubishi ASX 2.0 CVT 4WD – 8,6 km/litro no etanol e 12,3 km/litro na gasolina

Mitsubishi ASX 2018 – manutenção e revisão

Revisão

Custo

Quilometragem

Preços 2.0

10.000 km

R$ 746

20.000 km

R$ 746

30.000 km

R$ 746

40.000 km

R$ 1.395

50.000 km

R$ 746

60.000 km

R$ 746

Mitsubishi ASX 2018 – ficha técnica

Motor

2.0

Tipo

Dianteiro transversal, Etanol e Gasolina

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm3

1998

Válvulas

16

Taxa de compressão

12:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima Líquida (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 160 cv @ 6000 rpm / Etanol: 170 cv @ 6000 rpm

Torque Máximo Líquido (ABNT NBR 5484) 

Gasolina: 22,0 kgfm @ 4250 rpm / Etanol: 23,0 kgfm @ 4250 rpm

Transmissão

Tipo

CVT 6 marchas

Tração

Tipo

Dianteira / Integral

Freios

Tipo

Disco ventilado / Disco

Direção

Tipo

Elétrica

Suspensão

Dianteira

McPherson, independente com barra estabilizadora

Traseira

Multilink

Rodas e Pneus

Rodas

Liga Leve aro 17 / 18 polegadas

Pneus

235/55 R17 / 225/55 R18

Dimensões

Comprimento total (mm)

4360

Largura sem retrovisores (mm)

1770

Altura (mm)

1635

Distância entre os eixos (mm)

2670

Capacidades

Porta-malas (litros)

415

Tanque (litros)

60

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

550 (4×2) / 490 (4×4) / 525 (Outdoor)

Peso em ordem de marcha (kg)

1420 (4×2) / 1480 (4×4) / 1445 (Outdoor)

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,33

Mitsubishi ASX 2018 – fotos

5.0

  • KevinGR

    Parabéns a Mitsubishi que soube baixar o preço!

    Agora está um pouco menos absurdo

    • Exato, acho que poderia baixar mais um pouco, principalmente a versão intermediária, mas está mais perto da realidade do carro.

      As versões deveriam ser:
      94 mil
      105 mil
      115 mil

      Aí venderia, mesmo com essa redução ainda acho que não venderá muito.

      • Edson Fernandes

        Concordo, aí seria um concorrente valido no mercado.

      • Andre Studart

        ela dá diversos descontos na hora, um amigo comprou um ASX AWD 2.0 (160cv) por 100mil, ótima compra, se comparar os preços com concorrência e equipamentos..

        Já vem com farois de xenon, controle de traçao e estabilidade, 6 airbags, multimidia etc.. otima compra mesmo

      • Ⓜ️arcelo

        Somente queimaram um pouco de gordura. Deste modo, continua sendo carta fora do baralho.

    • RRROL

      Piada esses preços! ASX nem 7 airbags em todas as versões. Modelo velho com preço altíssimo. Honda HRV é a maior piada com versão de 108k

    • Kate WP

      Agora passou. Foice!

  • Darlon Anacleto

    O que desanima (além do preço) é esse interior franciscano demais.

    • th!nk.t4nk

      No resto do mundo esse carro custa na mesma faixa do Tracker/Mokka e ainda recebe uns descontos bons. No Brasil curiosamente é visto como um carrinho de luxo até. Pela antiguidade do projeto, e aperto interno, considero uma compra péssima nos dias de hoje.

    • Miguel

      Olha, ele tem um design mais fresco que do Old Tucson, mas pra mim o sentimento tá parecido, ainda mais olhando o interior! kkkk

    • Sigi Vilares

      vdd. muito simples para um carro que chega a passar dos 120 mil

  • Anderson Trajano

    Sempre achei esse carro bacana, mas esse preço acima dos 100k sempre me afastou dele. A 3 meses atrás fui conhecê-lo pessoalmente, mas achei um absurdo o DVD Ching Ling que colocam na versão BR. Depois pesquisando bem, percebi que nem uma CMM era … Tratava-se de um DVD fajuto que era vendido em qualquer casa de acessórios ou pela internet.

    De resto o carro é bom.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    97 conto apenas com air bags duplo? Sem mais……

    • meneghelli1972

      Verdade, por esse preço a nova Ecosport 2.0 virou uma pechincha.

    • Gran RS 78

      E sem esp.

  • Lucas

    era 127 mil, praticamente o preço do novo Peugeot 3008!!!!! Isso beira a insanidade.

  • V12 for life

    Ainda precisa de versões mais baratas para entrar na briga pelas posições intermediárias.

    • Filipe

      Corretissimo! Reduzir mais uns 10-15 mil reais.

  • leomix leo

    Rsrsrsrsrsrs, Fanjos hoje chora a noite toda. Mais contínua muito caro, como todo carro no Brasil. Melhor eu fazer uma revisão top no Carango e investir em uma Bike top, com certeza tenho muitos momentos de prazer com ela e menos estresse. Tá doido, eu estou em uma fase de desapego em minha vida, nada de carro novo, agora tô curtindo a filhota nova e quero torná-la uma pessoa mais humana e simples possível. Esse negócio de ter celular caro, roupa cara não leva ninguém a lugar algum. Todo Fds que possível vou em uma praia, vou na chapada Diamantina, vou em uma trilha contemplar a natureza e ver tudo de bom que existe no nosso planeta. Sai dessa de trocar de carro e gastar em coisas que não mudam em nada minha vida, só quero é curtir a filhota.

    P.S.: não curto nada ilícito, mais gosto de viver em sintonia com a natureza.

    • ViniciusVS

      Quando o orçamento é curto e precisa escolher entre curtir a vida ou trocar de carro ( meu caso), ai tem mesmo que colocar na balança e ver o que será melhor. Eu não critico quem escolhe trocar de carro até porque vai da satisfação de cada um.

      Agora tem gente que pode fazer os dois e eu noto que alguns com esse perfil escolhem carros neste padrão mesmo… São pessoas que podem até colocar um carro melhor na garagem mas preferem um ASX, Vitara, Pajero que já atende bem.

    • Louis

      Concordo. Parabéns pela herdeira!
      Acabo de voltar de uma viagem para Patagônia com minha família, apreciei a natureza, montanhas cheias de gelo, gastei o mesmo que gastaria mantendo 1 ano com um carro 0km médio. Ando de carro velho, mas aproveito mais a vida. Abraço.

      • leomix leo

        Obrigado. Meu carro é um médio, mais o seguro já está bem barato pelo meu perfil é idade, o emplacamento foi R$ 1.100,00, por causa de uma infração que cometi, então não compensa gastar tanto dinheiro em carro novo e deixar de viver como gosta.

    • Nelson Oliveira

      Cara, pois eu tenho o mesmo pensamento que tu. Eu to pensando em ainda ficar com meu PRISMA 2011, que agora que tá chegando nos 100.000 e fazer uma revisão mais completa dele. Aproveitar o dinheiro pra viajar, curtir com a família, isso sim. O que eu conheço é gente com iphone de 4000 reais, com carrão na garagem a cada 2 anos, mas mal consegue viajar pro interior. Ao contrário, conheço pessoas que tão com um carro há muito tempo (isso falo de um conhecido que tem um voyage 2014), mas sempre leva familia pra viajar pra disney/europa nas férias – esse meu proprio amigo tava semana passada na grécia

      Respeito quem se enquadra no perfil que falei anteriormente, mas eu não vejo tanta necessidade de gente que compra uma coisa tão cara, como forma de querer mostrar o ‘poder” que tem

    • Danillo Barros

      Viver é buscar o equilíbrio… E quanto mais perto dele chegamos melhor nos sentimos.
      Além do mais, a única riqueza de verdade que vc tem (e já percebeu) e sua filhota.
      Parabéns.

    • Mestre Fioda

      Parabéns Leo. Também estou revendo meus conceitos sobre carros no Brasil. Adoro carros, mas enquanto não mudarmos esse país fica difícil investir em carro zero. Recentemente adquirir um carro zero e fui ver na nota fiscal dele o valor dos impostos. Absurdo! Se junta a isso o valor do IPVA (vergonhoso). Só com IPVA poderia ter ido para praia ficar uma semana curtindo uma vida de rei… rsrsrsrs. Com o valor de imposto que paguei poderia ir à Alemanha alugar um super carro e dar umas voltas no inverno verde. Penso que seria melhor para quem gosta de carros como eu. Ultimamente estou avaliando nem ter carro de tão revoltante que é os impostos, taxas seguro e combustível, que pagamos para ter um na garagem. Está compensando mesmo andar de táxi/aplicativos de transporte, e em viagens alugar um carro, uma vez que, só viajo em feriado prolongado e férias mesmo. Espero em 2018 fazermos uma limpeza em Brasília e iniciarmos um verdadeiro processo de mudança neste país. Um governo para os brasileiros e não para os bancos, bandidos e grandes grupos empresariais.

      PS: Essa é a minha realidade (trabalhador de classe média baixa), pois para quem tem condições financeiras de trocar de carro os custos que citem não afetam o orçamento.

  • Maycon Farias

    Entrei correndo aqui para parabenizar a marca pela redução recorde nos tempos atuais. Mas…. quando vi o preço de 97k eu murchei. Kkkk só vai levar uma Palma bem suave e discreta.

  • Alvarenga

    Não me empolgo em comprar carro com CVT !

  • Dreidecker

    “Esta unidade está associada ao câmbio automático INVECS-III CVT com seis marchas simuladas no modo Sport e tração dianteira ou nas quatro rodas.” — Continua com o defasado câmbio CVT INVECS-II.

    • Edson Fernandes

      Na verdade é a mesma geração do atual Sentra. Ele é uma atualização de fato sobre o INVECS-II. Esse no modo Sport tem o recurso D-Step que simula trocas de marchas em que a Mitsubishi decidiu ajustar 6 posições da polia (o original da Nissan faz uma simulação da troca mas com trocas infinitas devido a relação das polias e pressão do acelerador)

      • Dreidecker

        Porém está função D-STEP no INVECS III só funciona em modo manual e não automático como no Jatco CVT7 W/R:

        http://www.mitshelp.com/micont-1416.html

        • Edson Fernandes

          Isso mesmo. Isso é questão de programação tbm.

  • Gabriel Ferreira

    Estava vendo os números de consumo dele
    São ótimos, na versão 4×2 CVT
    9,1 km/L de etanol na estrada,
    6,9 km/L na cidade esse 2.0 da Mitsubishi tá de parabéns, nem os compactos com motor 1.0 fazem um consumo bom assim.

    • Edson Fernandes

      De etanol um compacto não faz? Cara… com um C3 2008 eu já fazia no minimo 7,5km/l. Eu ouço donos de ka comentando consumo de 9 a 10km/l na cidade com etanol.

      • Gabriel Ferreira

        Na estrada 9.1 tá ótimo cara pra um carro desse tamanho

        • Edson Fernandes

          Olha no meu Fluence eu faço acima de 10km/l… (geralmente 10,5km/l)

      • Marcus Mendes

        O meu Ka 2009 1.6 fazia entre 7 e 8 km na cidade com etanol. Já fez entre 11 e 12 km na estrada com Etanol.

    • Luis LC

      Ironia né???

      • Gabriel Ferreira

        9.1 km/L no etanol ta ótimo pra USV tá ótimo! vai ver Duster e Ecosport e Jeep e cia não passam de 8 km/L

        • Luis LC

          9,1 na estrada faz quanto com gasolina então?

          • Gabriel Ferreira

            12

            • Luis LC

              Hummm, normal então. Mao não pra dizer que é econômico, normal apenas.

          • Gabriel Ferreira

            Corolla aqui de casa faz 6 km/l da cidade. Com câmbio manual.

            • Luis LC

              Falei isso pq meu S-Cross faz 16-17 não estrada. Com gasolina, 11-12 na cidade e é 4X4

              • Gabriel Ferreira

                os asx’s são maiores e mais pesados, o combustível e o etanol.

                • Luis LC

                  Com relação ao tamanho, no máximo é igual ao S-Cross mas o peso sem duvida é maior

                  • Gabriel Ferreira

                    S-cross é mais baixinho, mais redondo. Isso faz ele ter uma aerodinâmica melhor.

                    • Luis LC

                      Sim ,a aerodinâmica deve ser diferente mesmo, quanto a altura o S-Cross tem 205 mm e o ASX 215 mm, pouca diferença. O que faz ele ser bem mais econômico é o peso sem dúvida e um motor mais moderno

          • Gabriel Ferreira

            12 km/l

    • oq?????
      No up! MPI eu faço 10 km/l de etanol

      • Gabriel Ferreira

        Na estrada, 9.1km/L de etanol o motor dele equivalente a 2 motores de up e pesa quase 1500 kg, consumo tá ótimo kkkk

    • ObservadorCWB

      ????????????????

      • Gabriel Ferreira

        9.1 km/L no etanol ta ótimo pra USV tá ótimo! vai ver Duster e Ecosport e Jeep e cia não passam de 8 km/L.

  • Lucas086

    O que justificar comprar um Asx invés de uma Compass? Digo isso em praticamente todas as versões…a Mit precisa se reinventar, pq em nenhum segmento ela se destaca.

    • ObservadorCWB

      12 horas de comentário até aqui e NINGUÉM conseguiu justificar…..acho que já tem sua resposta…kkkkk

      • Lucas086

        Kkkkkkk

    • Bruno_O

      em boa parte do planeta, MIT tem excelente custo x beneficio, mas no Br eh marca de luxo por algum motivo…

      • Lucas086

        A Mit está defasada demais, gosto da Triton antiga e da Pajero Dakar que virou Sport, mas estão muito defasados.

      • Gran RS 78

        Ela está praticamente falida na América do Norte. A marca não tem novidades e as vendas despencaram por lá.

        • Bruno_O

          Sim, mas esta firme e forte em varios mercados asiaticos, inclusive Australia/Nova Zelandia. A nova Triton / Outlander vendem a rodo.

          • Gran RS 78

            Vc forçou a barra ao dizer firme e forte em mercados asiáticos, pois é uma marca sem expressão, sempre bem atrás das outras marcas japonesas, tanto é que ela foi comprada pelo grupo Renault/Nissan a pouco tempo justamente por causa das baixas vendas em todo o mundo.

    • Roberto Kubota

      Comprei uma ASX 2018 4X4, já rodei 1.500k, antes já tinha outra ASX tambem 4X4 2014, que vendi com 110.000k, inteira. Queria mudar, fiz 2 testes drive na Compass Longitude, equivalente em preço, achei bem confortável, mas pra ter 4X4 teria que desembolsar mais $ 20k. Tambei achei o desempenho do 2.0 do Jeep fraco. A ASX na estrada vai muito bem. Tambem testei a nova Vitara 4X4, excelente conjunto mecânico, mas meio apertada, e o Subaru XV, bem equipada, mas com o motor mais fraco de todos. A nova ASX melhorou de fato no desempenho, consumo, suspensão e câmbio. Não me arrependi, muito bem equipada, bom custo benefício.

  • Ricardo Blume

    Vai continuar penando tadinho (não é praga). Aqui na minha cidade quando o povo vê um na rua, vai logo achando que é lançamento, de tão raro que é de se ver um.

  • Filipe

    Visual cansado (diga-se de passagem, a versão anterior era mais bonita) e interior sem graça.

  • zeh

    essa frente ficô, oh!..the best!…parece gamb*arra…

  • Luis LC

    S-Cross dá de 10

    • Ricardo

      E na hora de precisar peça, faz o quê?

      • Luis LC

        Bom, da de 10 onde tem css, claro!!

        • Ricardo

          Moro no interior do RS, 600km da capital, pretendo visitar a css Suzuki de Porto Alegre quando tiver uma folga para ver os carros.

          • Luis LC

            Se andar no S-Cross vai apaixonar. Problema pra vc são as revisões a cada 5K, isso é duro

  • Lucas Alves

    Quase 100 conto e a porra do carro não oferece ESP/ASR, apenas 2 airbags, CMM sem os obrigatórios Android Auto e Apple CarPlay, lanterna com detalhe laranja, algo já descontinuado a tempo pela indústria, isso sem falar nesse interior datado! Infelizmente nasci no país errado!

    • MMM

      Concordo com vc, mas do CarPlay eu abro mao. Meu carro tem e eu fiquei todo animado, até descobrir que nem o ridículo Apple Maps é liberado na versão brasileira, ou seja, não presta pra absolutamente nada. Ontem, muito a contragosto, comprei um telefone com Android pra poder usar o Waze que foi liberado para o Android Auto.

  • Lucas Alves

    Quase 100 conto e o carro não oferece ESP/ASR, apenas 2 airbags, CMM sem os obrigatórios Android Auto e Apple CarPlay, lanterna com detalhe laranja, algo já descontinuado a tempo pela indústria, isso sem falar nesse interior datado! Infelizmente nasci no país errado!

  • Joao Victor Reis

    Possuo um. Acho um ótimo carro. Confortável, com potência decente, confiável, e com manutenção barata (o meu já passou dos 100 mil rodados, e apenas revisões programadas, peças que possuem desgaste natural foram trocadas). Porém, jamais compraria um zero km (o meu já era da minha família, e numa troca de carro, eu paguei o valor que ofereceram na CSS pra ficar com ele).

    Na minha opinião, é carro para a versão topo de linha custar 100 mil, e 80 a de entrada.

    O acabamento interno está anos luz defasado em relação a todos os concorrentes disponíveis no mercado. Não acho ruim a simplicidade, mas pelo valor cobrado, deveria vir um produto final bem melhor…

    • Mestre Fioda

      Resumiu bem o contexto deste carro. Não é ruim. Só está tabelado erroneamente pela Mit. Depois tem gente que não entende porque o Jeep Compass vende tanto. Este mês ficou como o SUV mais vendido.

  • Ricardo

    Imagine (apenas imagine, pois poucos aqui tem) 100k na sua conta.

    Você abre o aplicativo do banco no celular… Ver Saldo… 100k.

    Agora me diga:

    Você compraria esse carro?

    • Ernesto

      Se eu tivesse só 100k eu não compraria esse ASX e nenhum outro. Jamais gastaria todo meu dinheiro num carro!

      • Itamar

        reformulando. Voce tem um milhao em conta, porém somente 100k podem ser gastos com um carro.

        • Ernesto

          Se eu gosto do carro (não é o meu caso), eu compraria. E não estaria nem ai pra quem achar que estou errado.

    • mpey

      Não!

    • Mestre Fioda

      Eu iria de Compass, e se não conseguisse completar acho Hyundai Creta Top melhor opção que este ASX.

  • zekinha71

    A Mit está tão parada no tempo, que seus carros agora tem a frente inspirada no Exterminador do Futuro 2, lá dos anos 90.

  • Ricardo Santos

    Se quiser Mitsubishi, um Lancer é muito mais negócio.

    • ObservadorCWB

      Só se gosta do nome Lancer….por que é um carro TÃO ou mais defasado quanto a ASX.

      • Exatamente. Lancer só presta a partir da versão Sportback, que com tração AWD e 250cv se torna um brinquedo interessante (apesar do design da traseira afastar a muitos).

        • ObservadorCWB

          É que pessoal assiste filmes do tipo Velozes e Furiosos e acha que tudo é lancer Evolution..kkkkk

  • Cristiano

    Lembrando que esse motor já podia ser flex faz tempo, já que ele é a versão Mitsubishi do Hyundai Theta e do Crysler Tigershark.

  • FocusMan

    Todo mundo trabalhando para tirar o atraso! muito bem!!

  • Para mim o problema do ASX é que o interior é muito simplório para o valor que é cobrado. Mas convenhamos que com essa moda de SUV compacto, ter um que é de fato 4×4, com 170 cv (etanol), por 114k (que deve conseguir ser negociado por menos), não é de se desprezar na hora de cogitar a compra de um carro dessa categoria.

    • Ricardo

      A questão é saber se esse 4×4 serve para alguma coisa, ainda mais que o ASX tem rodas aro 18, que não servem para off-road, e pneus de asfalto, ou seja, vai andar nos mesmos lugares que outros carros 4×2.

      • Concordo. Jamais será um “legítimo off-road” dessa forma (rodas aro grande com pneu perfil baixo, altura do solo não tão grande, etc), mas pelo menos serve para dar mais estabilidade na estrada em condições de chuva forte, por exemplo. É um item a mais que deve ser colocado na conta, sim.

  • Dick Buck

    O que esse carro tem de tão especial pra custar mais que todos os rivais?

  • Elizangela Oliveira

    Atenção administradores do NA: entrem em contato com o Fanjos pois a esta altura é provável que ele tenha tido um infarto, se é que já não morreu! Lançamento de carro no Brasil com preço menor? Isso é notícia fake, só pode. Ou vcs querem perder um leitor?

  • Speed Racer

    97.000 reais num crossover defasado sem ESP e Airbgs laterais, não obrigado!

  • Roger

    Com essa dianteira medonha, os preços caíram muito pouco…

  • DTF

    Conseguiram acabar com a frente dessa SUV….Nunca vi algo tão resbuscado….

  • Don Ramón

    Era um carro com design frontal bacana e traseira acanhada. Aí colocaram a nova identidade visual da marca na frente e a avacalhação ficou completa. O que houve com a Mitsubishi?

  • Max Neves

    Digo isso sempre, e sei que vou receber críticas, mas com o preço dos combustíveis praticados hoje no país, carro que não for Flex, encalha, podem não ser tão eficientes quanto os mono combustíveis, mas pelo menos vc pode optar, gasolina a R$ 4 não dá!

    • Ricardo

      Sujeito que precisa ficar contando dinheiro por causa de alguns centavos a mais na gasolina não devia nem considerar um carro de 100mil, na real.

  • Roberto Kubota

    Comprei uma ASX 2018 4X4, antes já tinha uma tambem 4X4 2014, que vendi com 110.000k, inteira. Antes, fiz 2 testes drive na Compass Longitude, equivalente em preço, achei bem confortável, mas pra ter 4X4 teria que desembolsar mais $ 20k. Tambei achei o desempenho do 2.0 do Jeep fraco. A ASX na estrada vai muito bem. Tambem testei a nova Vitara 4X4, excelente conjunto mecânico, mas meio apertada, e o Subaru XV, bem equipada, mas com o motor mais fraco de todos. A nova ASX melhorou de fato no desempenho, consumo, suspensão e câmbio. Não me arrependi!

  • Ricardo

    A nova ASX vendida no exterior tem um painel diferente desse lixo nacional, bem mais moderno, e até o volante foi atualizado. Só no Brasil que colocam essa multimídia dinossaura com CD. A versão estrangeira continua totalmente atual, só essa nacional que ficou para trás.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend