Linha 2019 Mitsubishi SUVs

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)
Mitsubishi Pajero Dakar

Como aposta da marca japonesa para bater o Toyota Hilux SW4, o tradicional Mitsubishi Pajero Dakar foi anunciado em julho de 2009. Na gama da marca, ele se posicionava entre os modelos Pajero Sport e Pajero Full e tinha como um dos destaques a capacidade para levar até sete pessoas em sua cabine.

Assim como o rival Hilux SW4 e, mais recentemente, o Chevrolet Trailblazer, o Mitsubishi Pajero Dakar é um verdadeiro SUV, visto que é construído sob chassi e não sob estrutura monobloco como os crossovers convencionais.


Como dá para reparar também pelas linhas visuais, o Pajero Dakar tem como base a antiga geração da picape L200 Triton.

Por herdar a base de uma picape, o Pajero Dakar era um pouco mais “bruto”. Um dos focos do modelo era a capacidade para o fora de estrada, com motor turbodiesel e sistema de tração 4×4. Além disso, destacava a altura em relação ao solo de 215 mm, o ângulo de entrada de 36º e o ângulo de saída de 25º.

Ele também era uma boa opção para quem buscava por um SUV capaz de acomodar toda a família.


Os últimos exemplares foram equipados com uma série de equipamentos interessantes, como ar-condicionado com independente nas fileiras traseiras, sensores de luz e chuva, faróis xênon, central multimídia com GPS, entre outros.

O Pajero Dakar já foi descontinuado em nosso mercado. Porém, ainda vale conferir os principais detalhes do SUV, que pode ser uma boa compra entre os modelos seminovos. Veja:

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)

Mitsubishi Pajero Dakar – detalhes

Dá para falar que o Mitsubishi Pajero Dakar é a segunda geração do Mitsubishi Pajero Sport, este baseado em uma geração ainda mais antiga da Mitsubishi L200. Porém, assim como a picape, o SUV mais recente evoluiu em uma série de quesitos.

O modelo foi anunciado para complementar a gama de utilitários-esportivos da Mitsubishi, que já contava com o Pajero TR4, o Pajero Sport e o Pajero Full.

O sobrenome “Dakar” foi escolhido para homenagear a participação da marca no rali Dakar, onde a Mitsubishi venceu 12 vezes em 26 anos de participação. Esta identidade, inclusive, foi uma exclusividade do mercado nacional. Lá fora, ele foi oferecido somente como Pajero.

Quando foi lançado, o Mitsubishi Pajero Dakar tinha como concorrentes os modelos Hilux SW4, que tinha preços a partir de R$ 154 mil, Jeep Grand Cherokee (R$ 190 mil) e Nissan Pathfinder (R$ 157 mil).

Havia ainda outros modelos com motor a gasolina, como o Ford Edge, Land Rover Freelander e Volvo XC60.

O Pajero Dakar e a L200 Triton compartilham uma série de detalhes.

Todavia, o SUV tem um acabamento mais refinado e tem uma lista de equipamentos mais extensa em comparação com a antiga picape, como sensores de chuva e luz, bancos dianteiros com ajustes elétricos e faróis de xênon.

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)

Todavia, estamos falando de dois modelos com propostas e públicos diferentes. O Pajero Dakar atende pessoas com família grande, já que dispõe de três fileiras de bancos, enquanto a L200 Triton atinge um público que necessita transportar cargas na caçamba.

No espaço interno, o Pajero Dakar oferece dimensões maiores para quem viaja na segunda fileira. Ela, inclusive, é deslizante e rebatível. A terceira fileira oferece um espaço adequado para duas crianças e, quando embutida no assoalho, amplia o espaço para a bagagem no porta-malas.

A capacidade de volume com a terceira fileira rebatida é de 1.160 litros, enquanto com as duas fileiras rebatidas este número salta para 1.920 litros.

Todo o conjunto do Pajero Dakar foi projetado para oferecer um bom desempenho tanto na estrada como fora dela.

No entanto, como acontece também com o SW4, por exemplo, o modelo da Mitsubishi não entrega o mesmo nível de conforto e estabilidade de um veículo com centro de gravidade mais baixo. A situação fica ainda mais complicada pelo fato de o Dakar não ter controle de estabilidade (ESP) em nenhuma das versões.

Porém, no fora de estrada, o Mitsubishi se sobressai até mesmo nos piores tipos de terreno. A tração tem quatro modos de atuação: 4×2, 4×4, 4×4 com bloqueio e 4×4 bloqueado com reduzida. A inclinação lateral pode chegar até 45º sem risco de tombar o veículo.

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)

Mitsubishi Pajero Dakar – novidades

Linha 2011 com mais equipamentos

As primeiras novidades do Mitsubishi Pajero Dakar no Brasil surgiram na linha 2011. O SUV médio da marca japonesa passou a ser comercializado com novos equipamentos de série. O preço do Pajero Dakar 2011 sugerido na época era de R$ 154.990.

Entre os itens, o modelo adotou um novo sistema multimídia com navegador GPS integrado ao painel, tela sensível ao toque de sete polegadas, entrada USB e conexão Bluetooth. Ele passou a contar ainda com acendimento automático dos faróis, sensor de chuva e banco do motorista com regulagem de altura.

Ainda entre os equipamentos, freios a disco nas rodas traseiras e aerofólio na tampa do porta-malas passaram a fazer parte da lista.

Estreia da versão produzida no Brasil em 2011

Em abril de 2011, a Mitsubishi lançou o Pajero Dakar na linha 2012, agora produzido no Brasil, mais precisamente na planta da marca em Catalão, no estado de Goiás. A nova gama marcou ainda a chegada de novos equipamentos de série, como rodas de liga-leve e bancos revestidos em couro e tecido na cor preta, e também sete novas cores: branco, cinza, vermelho, verde, preto e dois tons de prata.

Em versão com motor turbodiesel e itens como sistema multimídia com CD e DVD player, navegador GPS com mais de 1.250 cidades mapeadas, Bluetooth e viva-voz, sensores de luz e chuva e piloto automático, o SUV nacional tinha preços a partir de R$ 147.990 – mais baixo devido à nacionalização.

Nova versão com motor V6 flex em 2011

Outra novidade na linha 2011 da Mitsubishi Pajero Dakar a chegada da versão HPE com motor V6 Flex. O SUV passou a usar o mesmo propulsor de 3.5 litros utilizado na picape L200 Triton, com direito ao câmbio automático de quatro marchas. O novo Pajero Dakar HPE V6 Flex foi anunciada com preço de R$ 134.900.

Este propulsor, dotado de seis cilindros em “V” e 24 válvulas, entrega 200 cavalos de potência com gasolina e 205 cv com etanol, a 5.000 rpm, e torque de 31,5 e 33,5 kgfm, respectivamente, a 3.500 rpm. O conjunto inclui ainda o sistema de tração Super Select 4WD nas quatro rodas.

A versão HPE inclui itens como central multimídia com navegador GPS, CD e DVD player e conexão Bluetooth, faróis com acendimento automático, sensor de chuva, volante multifuncional, piloto automático, freio a disco nas quatro rodas com ABS e EBD, ar-condicionado independente na terceira fileira, entre outros.

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)

Chegada do Pajero Dakar diesel automático em 2012

Até então disponível somente com transmissão manual, o Pajero Dakar Diesel (modelo mais básico da gama) adotou a opção de câmbio automático de quatro marchas, que antes era uma exclusividade do HPE Diesel AT e do HPE Flex AT. O Pajero Dakar Diesel AT conta com espaço interno para cinco pessoas e o preço na ocasião era de R$ 135.990.

O motor usado pelo modelo é o mesmo 3.2 16V turbodiesel de quatro cilindros, com até 170 cv e 35 kgfm. Já a transmissão é dotada do sistema INVECS-II (Intelligent & Innovative Vehicles Electronic Control System) de quatro velocidades. Segundo a Mitsubishi, tal sistema analisa o modo de condução do motorista e se adapta de forma automática.

Os preços do Mitsubishi Pajero Dakar 2012 variavam de R$ 129.990 a R$ 151.990.

Motor mais potente e câmbio de cinco marchas em 2013

O Mitsubishi Pajero Dakar 2014 foi um dos que mais trouxe novidades para a gama. Introduzido no fim de 2013, o SUV na nova linha passou a contar com uma versão mais potente do motor 3.2 diesel, agora com 180 cv, além de câmbio automático de cinco marchas e novidades no visual.

Na estética, muda a grade dianteira e o para-choque dianteiro, afora as luzes de neblina com moldura na cor grafite, os detalhes visuais cromados e os faróis de neblina. Além disso, o carro recebeu novos faróis de xênon HDI com regulagem automática e limpadores.

Por dentro, o Mitsubishi Pajero Dakar 2014 recebeu paddle shifts atrás do volante para trocas manuais de marcha e novos bancos, sendo que os dianteiros (motorista e passageiro) ganharam ajustes elétricos.

A mecânica, por sua vez, destaca o motor 3.2 litros agora com 180 cv e 38 kgfm, além da nova transmissão automática de cinco marchas em substituição à caixa de quatro velocidades. Outra mudança foi o tanque de combustível, ampliado para 90 litros, oferecendo autonomia de 1.000 km.

Os preços do Mitsubishi Pajero Dakar 2014 iam de R$ 146.990 a R$ 172.990.

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)

Chegada da série especial HPE-S em 2015

A primeira série especial do Pajero Dakar foi a HPE-S, anunciada em julho de 2015. O Mitsubishi Pajero Dakar HPE-S tinha preço inicial de R$ 180 mil e produção limitada a 200 unidades. Se diferenciava por detalhes visuais e de acabamento.

Por esse valor, o SUV entregava como diferenciais os detalhes pintados em grafite (grade, barras de teto, maçanetas das portas e retrovisores), rodas de 18 polegadas também em grafite com pneus Pirelli Scorpion Verde 265/60 e luzes de condução diurna em LED. Havia ainda bancos revestidos em couro cinza.

O Pajero Dakar HPE-S tinha itens como airbags frontais, faróis de xênon, sensores de luz e chuva, ar-condicionado automático, bancos dianteiros com ajustes elétricos e central multimídia. O motor era o 3.2 turbodiesel de 180 cv e 38 kgfm, com câmbio automático de cinco marchas e tração 4×4.

Nova versão Outdoor em 2016

Em maio de 2016, foi a vez do Pajero Dakar Outdoor chegar ao Brasil. O modelo partia de R$ 166 mil e entregava visual mais aventureiro, com faróis e lanternas escurecidos, detalhes pintados em cinza grafite, moldura nas caixas de roda, para-choque de impulsão, rodas de 17 polegadas com pneus 265/65 e rack de teto na cor preta.

Já o interior tem bancos revestidos em material “premium” e maçanetas cromadas. Entre os equipamentos, volante com comando do piloto automático e ajuste de altura, sistema de som simples com Bluetooth e entrada USB, entre outros.

O motor é o 3.2 turbodiesel de 180 cv, com câmbio automático e tração 4×4.

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)

Fim de linha em 2018

Quase sete anos após ter sido nacionalizado, o Mitsubishi Pajero Dakar deixou de ser fabricado no Brasil em dezembro de 2017. O SUV saiu de cena para dar espaço para a sua nova geração, agora conhecida como Pajero Sport.

O novo Pajero Sport foi apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo de 2018 e chega às concessionárias com mais tecnologia, equipamentos e motor turbodiesel de 190 cv. Seu preço é de R$ 259.990.

Mitsubishi Pajero Dakar – versões

Confira abaixo a gama completa de versões do Mitsubishi Pajero Dakar:

  • Mitsubishi Pajero Dakar 3.2 Diesel MT 4×4
  • Mitsubishi Pajero Dakar 3.2 Diesel AT 4×4
  • Mitsubishi Pajero Dakar HPE 3.2 Diesel AT 4×4
  • Mitsubishi Pajero Dakar HPE 3.5 V6 Flex AT 4×4
  • Mitsubishi Pajero Outdoor 3.2 Diesel AT 4×4
  • Mitsubishi Pajero HPE-S 3.2 Diesel AT 4×4

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)

Mitsubishi Pajero Dakar – equipamentos

Mitsubishi Pajero Outdoor 2018

Segurança: airbags frontais, freios ABS com EBD e BAS, imobilizador do motor, sistema keyless para travamento das portas, travamento automático das portas por velocidade, limpador e desembaçador do vidro traseiro, entre outros.

Conforto: banco do motorista com ajuste manual de altura, coluna de direção com regulagem de altura, abertura interna da tampa de combustível, ar-condicionado manual, console central com descansa-braço e porta-copos, descansa-braço com porta-copos central na segunda fileira, direção hidráulica, bancos da segunda fileira bipartidos e reclináveis, vidros, travas e retrovisores elétricos, entre outros.

Visual: detalhes visuais em grafite, faróis de dupla parábola com máscara negra, faróis de neblina dianteiros com moldura grafite, frisos nas portas, luz de posição integrada ao para-lama dianteiro, para-choque de impulsão na cor grafite, rodas de liga-leve de 17 polegadas, rack de teto preto, protetor de cárter, entre outros.

Acabamento: bancos com revestimento premium, maçanetas internas cromadas, manopla de câmbio e de transferência em uretano preto,

Tecnologia: piloto automático com comandos no volante, sistema de som com AM/FM, CD player, MP3 player, Bluetooth, entradas USB e auxiliar e quatro alto-falantes, entre outros.

Mitsubishi Pajero HPE Diesel 2018

Segurança: se diferencia pelos airbags laterais e de cortina, sensor de estacionamento traseiro, luzes de condução diurna em LED, faróis de dupla parábola com xênon e cinto de segurança de três pontos para os bancos da terceira fileira.

Conforto: recebe porta-luvas com iluminação e fechadura, paddle shifts atrás do volante, terceira fileira de bancos rebatíveis sobre o assoalho, comando traseiro da ventilação para a terceira fileira de bancos, ar-condicionado automático, bancos dianteiros com ajustes elétricos,

Visual: inclui ainda maçanetas das portas cromadas, skid plate sobre o para-choque na cor prata, difusor no para-choque traseiro com acabamento diferenciado, molduras das caixas de roda na cor da carroceria, capa do motor, luz de posição integrada aos retrovisores externos, rack de teto na cor prata, detalhes visuais cromados, estribos laterais, moldura dos faróis de neblina na cor preta, gancho para reboque dianteiro, entre outros.

Acabamento: agrega alavanca de câmbio e da transferência revestidas em couro, volante com revestimento em couro, bancos com revestimento em couro e tecido,

Tecnologia: em relação ao Outdoor, agrega comando de áudio no volante, sensor crepuscular para acendimento automático dos faróis, sensor de chuva para acionamento automático do limpador de para-brisa, sistema multimídia com tela sensível ao toque de 6,75 polegadas, comandos de voz, Bluetooth, DVD player, quatro alto-falantes e dois tweeters, entre outros.

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)

Mitsubishi Pajero Dakar – preços

  • Mitsubishi Pajero Dakar 3.2 Diesel MT 4×4: de R$ 70.333 (2009) a R$ 102.979 (2015)
  • Mitsubishi Pajero Dakar 3.2 Diesel AT 4×4: de R$ 72.473 (2009) a R$ 114.896 (2015)
  • Mitsubishi Pajero Dakar HPE 3.2 Diesel AT 4×4: de R$ 82.270 (2011) a R$ 177.632 (2018)
  • Mitsubishi Pajero Dakar HPE 3.5 V6 Flex AT 4×4: de R$ 70.524 (2011) a R$ 117.521 (2016)
  • Mitsubishi Pajero Outdoor 3.2 Diesel AT 4×4: de R$ 140.933 (2017) a R$ 148.495 (2018)

*Preços com base na tabela Fipe em novembro de 2018.

Mitsubishi Pajero Dakar – motor

O Pajero Dakar tinha como destaque o motor 3.2 litros turbodiesel de quatro cilindros em linha, dotado de injeção eletrônica direta common-rail e intercooler. Os exemplares a partir do ano/modelo 2013/2014 contam com 180 cavalos de potência, a 3.500 rpm, e 38 kgfm de torque, entregues a partir de 2.000 rpm.

Ele está associado a uma transmissão automática de cinco marchas com o modo Sports Mode e INVECS-II (Intelligent & Innovative Vehicles Electronic Control System). Este recurso reúne as principais informações do modo de condução do motorista, como formas de aceleração e frenagem, e se adapta automaticamente. No caso do Sports Mode, o condutor pode trocar as marchas de forma manual por paddle shifts atrás do volante ou pela alavanca no console.

Os modelos mais antigos, porém, contavam com 165 cv, a 3.800 rpm, e 38,1 kgfm, a 2.000 rpm. Além disso, a transmissão era uma automática de somente quatro marchas.

Já as configurações mais em conta ofereciam um 3.5 V6 aspirado, com injeção eletrônica multiponto e sistema bicombustível (flex), que tem 200 cv com gasolina e 205 cv com etanol, a 5.000 rpm. O torque é de 31,5 e 33,5 kgfm, respectivamente, a 3.500 rpm. A transmissão também é automática de quatro marchas.

Em todos os casos, o sistema de tração é o Easy Select 4WD, com os modos de atuação: 4×2 2H (somente tração traseira), 4×4 4H (tração nas quatro rodas), 4×4 4HLc (com bloqueio do diferencial) e 4×4 4LLc com reduzida e bloqueio do diferencial (indicado para situações que exigem força total, como transposição de obstáculos).

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)

Mitsubishi Pajero Dakar – desempenho

Veja abaixo os números de desempenho do Pajero Dakar:

Mitsubishi Pajero Dakar 3.2 Diesel AT 4×4 (165 cv)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 14 segundos
  • Velocidade máxima de 175 km/h

Mitsubishi Pajero Dakar 3.2 Diesel AT 4×4 (180 cv)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 13,9 segundos
  • Velocidade máxima de 177 km/h

Mitsubishi Pajero Dakar 3.5 V6 Flex AT 4×4 (200 cv)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 13 segundos
  • Velocidade máxima de 182 km/h

Mitsubishi Pajero Dakar – consumo

Confira abaixo os números de consumo do Mitsubishi Pajero Dakar:

Mitsubishi Pajero Dakar 3.2 Diesel AT 4×4 (165 cv)

  • 9 km/l na cidade e 11 km/l na estrada

Mitsubishi Pajero Dakar 3.2 Diesel AT 4×4 (180 cv)

  • 9,8 km/l na cidade e 11 km/l na estrada

Mitsubishi Pajero Dakar 3.5 V6 Flex AT 4×4 (200 cv)

  • Etanol: 4,5 km/l na cidade e 6 km/l na estrada
  • Gasolina: 6 km/l na cidade e 8 km/l na estrada

Mitsubishi Pajero Dakar – ficha técnica

Motor

3.2 turbodiesel

3.5 V6 

Tipo

Dianteiro, longitudinal, turbo e diesel

Dianteiro, longitudinal, turbo e flex

Número de cilindros

4 em linha

6 em “V”

Cilindrada em cm³

3.200

3.497

Válvulas

16

16

Taxa de compressão

17:1

9:1

Injeção eletrônica de combustível

Direta

Multiponto

Potência Máxima

180 cv a 3.500 rpm

Gasolina: 200 cv a 5.000 rpm / Etanol: 205 cv a 5.000 rpm

Torque Máximo

35 kgfm a 2.000 rpm

Gasolina: 31,5 kgfm a 3.500 rpm / Etanol: 33,5 kgfm a 3.500 rpm

Transmissão

Tipo

Manual ou automática de 5 marchas

Automática de 4 marchas

Freios

Tipo

Disco ventilado / Disco sólido

Disco ventilado / Disco sólido

Direção

Tipo

Hidráulica

Hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, braços sobrepostos

Independente, braços sobrepostos

Traseira

Eixo rígido

Eixo rígido

Rodas e Pneus

Rodas

Liga-leve de 17 polegadas

Liga-leve de 17 polegadas

Pneus

265/65 R17

265/65 R17

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.695

4.695

Largura sem retrovisores (mm)

1.815

1.815

Altura (mm)

1.840

1.840

Distância entre os eixos (mm)

2.800

2.800

Capacidades

Porta-malas (litros)

115 (com os 7 assentos)

115 (com os 7 assentos)

Tanque (litros)

90

90

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

580

595

Peso em ordem de marcha (kg)

2.130

2.005

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

Não divulgado

Não divulgado

Mitsubishi Pajero Dakar – fotos

Mitsubishi Pajero Dakar: preço, motor, versões (detalhes e consumo)
Nota média 4 de 4 votos

  • Domenico Monteleone

    Ouvi várias e várias vezes que é o pior Pajero que já rodou por aqui.

  • Munn Rá : O de Vida Eterna

    E pensar que a Mitsubishi já produziu tanto carro icônico desde Eclipse á Pajero entre tantos outros

    Mas agora para infelicidade de muitos virou …………………………………………………………… SUVsubishi

  • Paulo

    Não é confortável. Mas é um tanque. Poucos veículos hoje em dia aguentam o tranco assim. Mas no mercado de usados considero a full uma opção mais interessante.

  • Lucas

    Pior carro que já possuí na vida! Era uma HPE a diesel 2013 automática. O acabamento interno simplesmente se solta um do outro com o uso, parecendo uma escola de samba quando se transita por vias um pouco menos planas. Bate atras do volante, bate nas portas, bate nas colunas, bate tudo. Eu comparo o carro com 100 daquelas capas de cd de plástico sendo torcidas a cada irregularidade da via.
    A suspensão é dura demais, parece que não tem suspensão, simplesmente.
    O motor e o câmbio de QUATRO marchas não conversam, então o carro tem desempenho de 1.0 – literalmente.
    A direção é dura, te faz suar de esforço ao fazer uma baliza.
    O isolamento acústico é terrível, não da pra conversar dentro do carro durante uma acelerada.
    O som é pior que o do meu celular, todo abafado, sem grave, sem nada. Eu tinha que ouvir música numa caixinha de som avulsa.
    O espaço pra cabeça de quem vai nos bancos de trás é terrível, eu literalmente ia com a cabeça no forro do teto do alto dos meus 1.75.
    Tive problema com vazamento no setor da direção hidráulica e com amortecedores com uns 37 mil km.
    O carro foi vendido com menos de 40 mil km.
    Talvez essa má opinião tenha sido causada pela aquisição de uma SW4 do mesmo ano, que se mostrou incomparavelmente melhor, tanto que tenho ela até hoje – e olha que sou crítico ferrenho da caminhonete da Toyota e vejo mil falhas nela…
    Ah, peguei lama uma vez com a Dakar e ela e se mostrou bastante valente no off road, mas foi o único ponto positivo que consegui encontrar no veículo até hoje, além de tê-lo vendido por um bom preço e rapidamente. Nem o consumo eu posso avaliar com precisão porque o carro não tinha computador de bordo.

    • MKB

      Fala Lucas, tudo bem? Acho que já li seu relato da SW4 e já vi você comentando a respeito da má experiência com a Dakar. Já pensou em fazer uma avaliação da Dakar e postar por aqui? abraços

    • Paulo

      Caramba hein. Ta parecendo meu New Fiesta que só me passou raiva 😂😂

      • Daniel

        PowerShift?

        • Paulo

          Pior que o meu era manual. Mas é um carro cheio de problemas crônicos. O powershift é apenas um de vários.

  • Murilo Ramos

    Tive a experiência com uma Dakar durante 1 ano (carro de trabalho na antiga empresa que eu prestava serviço) e pense num carro desconfortável, apertado, acabamento ruim e bebia mais que eu em festa Open Bar. Sei que o propósito dele é mais para o fora de estrada, mesmo assim poderia oferecer um pouco mais pelo valor cobrado.

  • Zé Mundico

    Já andei em 2 Pajero Dakar de amigos e só posso dizer que é um jeepão. É um carro duro, daqueles de bater o queixo. Mas queriam o que?
    Então, quem quiser carro para ter conforto e luxo, corra da Dakar.
    Quem quiser um carro para pisar fundo nas estradas e deixar todo mundo para trás, fuja da Dakar.
    Quem quiser um carro para fazer 0-100 em menos de 10 segundos, esqueça a Dakar.
    Agora, quem quiser um carro honesto para durar uns 20 anos, não tem coisa melhor.
    Penso até em comprar uma daqui a uns 3 ou 4 anos para nunca mais me preocupar com carro na vida.

    • Lucas

      Até carbonizar a EGR, ter vazamento de fluido da direção hidráulica ou talvez estourar amortecedores com 35 mil km… Orçamento Mitshubishi sem os amortecedores: 8 mil reais. Lembrando que tudo isso num carro que vendi com uns 40 mil km. Não me pareceu nada duradouro.
      Não se trata de fazer 0 a 100 em menos de 10 segundos, mas de conseguir chegar nos 100 em absurdos 15 segundos. É lento demais, perde pra celta.
      E você aguentaria conviver com um carro que faz ruíds em todas as partes imagináveis durante 20 anos? Pegue uma SW4 de 2006 – 2015 que você será muito mais feliz. Ainda vai ter um carro lerdo e com pouco torque, mas os encaixes são de primeira e me tem me parecido bem mais robusto.

      • RPM

        Po….mas essas Hilux 2006/2015 com motor 3.0 D4D não são lerdas não….eu tenho uma,anda bem,mas o freio é horrível….kkk

        • Lucas

          Depende do referencial. Eu tenho uma Ranger 3.2 também, então a HIlux se mostra muito lerda. E olhe, a 2.8 atual consegue ser mais lenta que a 3.0.

          • RPM

            Entendo o seu raciocínio….então a sua ranger seria lerda,em comparação a uma amarok V6.

            • Lucas

              Lerda seria eufemismo hehe.

  • A minha já passou dos 100mil km e posso dizer que o único arrependimento é não ter comprado ela antes. A Dakar é bruta… não é pra andar no shopping ou desfilar em avenida… não tem os mimos que a ASX ou Full têm. Eu faço trilhas com ela, viagens longas… percorri mais de 15 mil km entre Brasil, Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia numa única viagem, incluindo longos trechos de 4×4 no calor escaldante do deserto… fazendo 800km/tanque. Fiz a viagem com conforto, segurança, nunca me deu qualquer problema… só troco óleo, filtro e pastilhas, manutenção básica mesmo. Mas não é um Civic, não confundam. Acho extremamente confortável, mas a minha é HPE. Tem gente que compara os modelos mais simples ou o de frotista… é bem diferente. Aliás, fiz várias modificações pra trilha que a deixaram mais bruta, mais dura, mais alta, mais forte… não me arrependo. O carro é nota mil.

  • Antonio Carlos de Carvalho Dor

    A minha é uma outdoor de 5 lugares diesel. É barulhenta, parece um caminhão. Mas já estou ha 2 anos com ela, com 85.000 km, viajei pelo Atacama, Patagônia, pesco no Pantanal e ela não quebra. Manutenção básica, mais troca de pneus, pastilha de freio e bateria. Estrada ruim não é problema para ela. Era um carro lento até chipar. Hoje é maravilhosa. Anda muito e não bebe muito. Média de 9 km/l. É carro para estrada apesar de fazer manobra dentro de Shopping melhor que a maioria das caminhonetes. Na estrada de terra pula menos e é mais confortável que a Full.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email