Mercado Preços

Modelos menores chegam a custar mais que os maiores

fiat-punto-blackmotion (2)

A agregação de opcionais aos preços de alguns veículos no Brasil, fazem com que fiquem tão mais caros, que superam os modelos maiores. Nem todos os fabricantes continuam apostando em itens separados ou pacotes que elevam os valores básicos, mas ainda assim alguns preços “cheios” são mais altos do que alguns de acesso de segmento superior.

Conheça alguns exemplos de carros completos que superam em preços os de categoria acima. As marcas Fiat, Chevrolet, Volkswagen e Hyundai foram usadas como exemplo:

vw-golf-comfortline-1

O Fiat Punto 1.8 BlackMotion, por exemplo, custa R$ 67.511. No entanto, seu valor é superior ao do Volkswagen Golf 1.4 TSI Comfortline, que sai por R$ 66.990. É verdade que o compacto italiano é bem completo, destacando-se rodas de liga leve aro 17, ar condicionado digital, teto solar elétrico, airbags laterais, bancos em couro/tecido e sensores de chuva e crepuscular, entre outros.

No entanto, o hatch médio alemão oferece motor 1.4 TSI de 140 cv, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, airbags de cortina e joelho, além dos itens mais básicos. Mesmo assim, oferece maior espaço interno e porta-malas, bem como desempenho superior.

Volkswagen CrossFox

O Volkswagen CrossFox sai por R$ 55.917, mas completo custa R$ 59.566. No mesmo preço de entrada, há opção do Renault Duster Expression. Nos dois casos, a motorização é 1.6, embora com potência maior no SUV: 115 cv contra 104 cv. Nos dois casos há quase um equilíbrio de equipamentos, mas o Duster perde por não ter comandos no volante e sistema de som com Bluetooth. No entanto, apresenta rodas aro 16 ao invés de 15 polegadas do CrossFox.

chevrolet-sonic-effect-branco (5)

O Chevrolet Sonic Effect sai por R$ 59.580 e supera o Peugeot 308 1.6 Active, que tem preço sugerido de R$ 55.490. O hatch francês apresenta um pacote mais básico que o do mexicano, que tem piloto automático, MyLink e sensores de chuva e estacionamento. Mas pelo preço do Chevrolet, ainda dá para comprar um Fiat Bravo Dualogic (R$ 59.885) por um pequeno acréscimo.

hyundai-hb20-premium

Por fim, um exemplo do Hyundai HB20 Premium BlueNav (R$ 51.575) contra um Citroën C4 Hatch Tendance (R$ 51.490). O compacto do interior paulista oferece trio elétrico, ar, direção, rodas de liga leve aro 15, multimídia com GPS, sensor crepuscular, entre outros. Já o hatch argentino se destaca por ter ainda piloto automático, bancos em veludo e faróis com regulagem elétrica.

[Fonte: G1]

Agradecimentos ao Fabricio Jacob pela dica.





  • Leandro1978

    Como se isto fosse exclusivo do mercado nacional. Basta olharem os sites das montadoras em outros países, mercados desenvolvidos inclusive, e tal fato é observado.

    • João Martini

      Aqui as montadoras tentam evitar isso, vide New Fiesta e Novo Focus. Na Europa isso acontece sem problemas. Golf lá começa em 50 e poucos mil reais, e Polo 1.4 TSi equipado passa dos 80.

      • Douglas

        Qualidade e itens custam mais do que alguns quilos de aço a mais.

    • Lucas Souza

      Né. No site da Ford dá pra ver. Fiesta 14mil dólares, Focus 16mil dólares e Fusion 18mil dólares. Na Faixa de 22 já pega um mustang, Um fiesta com um monte de equipamentos compra um mustang mais simples com um humilde v6 de + de 300cv ^^

      • Hen_Par

        Dá p por tudo isso de equipamentos no Fiesta? São 8 mil dólares, ou quase 60% do preço inicial do carro…

        • Lucas Souza

          Fiesta Titanium parte de 18.800 dólares. o ST parte de 21600 dólares. O Mustang inicial sai por 22mil ^^ Fonte: Ford.com

    • ObservadorCWB

      IIIIIIII…..depois dessa reportagem é bem capaz das montadoras “aumentarem” o preço dos carros comparados…rsrsrsr é só o que sabem fazer…. daí distanciam mais os valores.

  • EDUVINHAS

    Na pratica o punto custa menos e o golf mais , basta pesquisar rss

    • Bruno

      mas é o que tem que ser, afinal punto é 10 degrau abaixo

    • João Martini

      Já vi Comfortline por 64.990 em Jundiaí. Mas aquele volante sem comandos não rola.

      • dougkmt

        Pra comprar um Comfortline, eu prefiro não comprar. Depois vou me arrepender com a falta dos itens que julgo importantes…

        • João Martini

          Eu não trocaria um Golf Comfortline por um NF sedan, por exemplo. Mas faria um esforço dentro da própria VW e pegaria um Highline básico.

          • dougkmt

            Pois é. Penso o mesmo.

          • Lucas Souza

            O problema do Highline básico é que vc vai querer aquele automátigo DSG topzão, e mesmo que queira manual, vai ficar pensativo quanto ao teto solar, ou pelo menos o primeiro pacote (5mil reais), que já da um grade enorme e inclui rodas 17″. No final o Golf que poderia ser 65mil passa dos 80, chegando nos 90. Já namorei demais o golf e sempre que vou vendo oq eu quero no carro chego na configuração de 90mil =/

            • dougkmt

              Querer é uma coisa, poder é outra, rs. Eu sou realista na hora da compra, então o sonho até rola, mas fica de lado quando é pra fechar negócio, já que eu não tenho tanta sorte ($$$). Assim, todos os itens da versão Highline sem opcionais já me atendem perfeitamente. Sobre o pacote Elegance dar um “grade enorme”, eu discordo. Acho muito caro por itens que não me chamam atenção. Se incluísse acabamento em couro, aí sim eu consideraria, mas do jeito que está hoje, eu ficaria satisfeito com a versão sem opcionais e compraria sem problemas. O que falta agora é o dinheiro na conta e o modelo em estoque, porque tá em falta!!

            • Rodrigo Pasini

              É bem nessa, todos falam na versão de menos de 70 mil, mas quem compra não gasta menos de 85, geralmente é DSG + pacote elegance + této + roda madrid, o que joga o preço do carro em 89 mil, isso se não pegar uma cor especial.

              • dougkmt

                Só uma coisa: Passei em uma concessionária na semana passada e consegui exatamente essa versão DSG + Elegance + teto solar + rodas Madrid + vermelho sólido + 14/14 = R$ 82.720. Se vc for pegar a versão básica DSG que é R$ 78.990, acaba valendo a pena economizar mais e subir pra esse pacote supracitado.

                • Rodrigo Pasini

                  É, pelo visto as vendas não estão nem perto do que eles pensaram que estaria. Pena o GTI custar tão caro.

        • Louis

          O Comfortline não tem mesmo lanterna traseira em led ?

          • Fanjos

            Não, já vi um na rua

  • Thiago_NCO

    Concordo que o Punto (embora excelente) é muito menos carro que o Golf atual. Entretanto, é bom frisar: o Punto se compra com desconto, o Golf com sobrepreço. Simples assim.

    • João Martini

      Depende da concessionária. Como disse, já vi Golf Comfortline manual por 64.990

    • Ébano

      Ai que vc se engana! No pacote Exclusive por exemplo, da pra conseguir facilmente 10 mil de desconto…

      • Lucas Souza

        Onde amigo, pq não queria pagar 90mil no golf =/

        • Ébano

          No htforum tem varios relatos de usuários que pagaram em torno de 81 no Elegance e 90 no Exclusive…

    • felipe

      O Golf atual vem da Alemanha e o Punto? Outras comparações seriam interessantes, agora Golf com Punto não dá, é comparar uma galinha com um avestruz…

      • Alfredo Araujo

        Se vc estiver falando de aves, ai vc compara galinha com avestruz..
        Estão falando de segmentos, então da SIM para comparar um hatch compacto com um médio… pq não daria ?

        • felipe

          Se voce matar uma galinha e um avestruz pra comer, qual vai proporcionar o maior almoço? Simples assim, comparar Golf com Punto é neste mesmo nível, uma coisa totalmente diferente da outra em todos os sentidos. Sabe o que o Punto ganha do Golf? É menor, tem motor mais fraco, tem menor nivel de segurança, e por ai vai. Ou seja, NÃO DARIA!

  • GPE

    Tudo depende do carro. Eu prefiro um New Fiesta titanium com a infinidade de opcionais que ele tem ao invés de um hatch médio de entrada na sua versão básica com 2 airbags, abs e rodas pequenas.
    Porém, em outros casos é preferível levar a versão superior. Por exe.: antigamente o City EXL custava o mesmo preço do Civic LXS e o City tinha de “relevante” a mais que o Civic o banco de couro e o farol de neblina. Nesse caso, mt melhor levar o Civic, até pq os itens citados poderiam ser colocados posteriormente.

    Isso são casos que o preço é igual ou maior. Mas existem outros em que o preço é tão próximo que vale a pena passar pro nível acima, como no caso da pessoa que quer comprar um Focus sedan Titanium plus por cerca de 90mil, tendo o Fusion 2.5 por 96mil.

    • Lucas Souza

      A do Focus TT Plus é doída mesmo, só se o cara fizer muita questão de mostrar pros outros que o carro estaciona sozinho hahaha

      • dougkmt

        Bom, não digo que o Focus Titanium Plus vale o preço cobrado, mas tem a mais:

        Sistema de estacionamento automático (Active Park Assist)
        Sensor de estacionamento dianteiro
        Faróis de Xenon
        Luzes diurnas de LED
        Banco do motorista com regulagem elétrica em 6 posições
        Teto solar

        E tem gente que faz questão de xenon, teto solar e ajustes elétricos do banco. Então se tiver descontos na prática, acaba valendo a pena, né?! Agora pagar os R$ 88.890 eu já acho demais. Se a Ford oferecesse o 1.6 Ecoboost pelo mesmo preço até justificaria.

    • felipe

      Boa analise! Concordo plenamente.

  • Demori

    Esses pacotes ou versões mais caras são ridiculas, eu acho que deveria ser somente 2 versões!
    e opcionais separados sem pacotes caros

    • felipe

      “Peór” que não… Versões valorizam o carro enquanto opcionais nada importam.. A tabela Fipe do carro não leva em consideração um opcional se quer, enquanto isto, leva em consideração a versão do veículo. Logo, muito melhor que exista um milhão de versões que sejam tabeladas, do que você perder rios de dinheiro na venda visto que opcional não agrega o devido valor…

  • Lukoh

    Pensei que a comparação seria entre modelos de uma mesma marca….

    Ex. Fiat Punto c/ opcionais custar mais que um Bravo…. ou C3 completo mais que o C4 Hatch, etc.

    • dougkmt

      Dá pra brincar com todo tipo de cenário, neste caso. Como o Leandro falou, isso não é particularidade do Brasil, acontece normalmente nos mercados desenvolvidos.

    • 4lex5andro

      mas faz pouco tempo que o na publicou uma série de ‘comparativos’ entre modelos de mesmas marcas ..

  • Douglas

    Não vejo problema algum nisso, o povo que quer comprar carro por metro.

    • zeuslinux

      Não é questão de comprar por metro.

      A verdade é que em mais de 90% dos casos o comportamento dinâmico dos carros médios e grandes é superior ao de carros pequenos.

      E diria que a segurança dos carros pequenos é, em média, menor do que de carros maiores.

      Já tive carros pequenos com motores relativamente grandes (1.8) e eram até perigosos para andar rápido em estradas com muitas curvas com eles. Depois que troquei por hatches e sedãs médios com motores de 2.0 para cima, não faço o “downgrade” nunca mais. O conforto e o comportamento dinâmico deles não têm comparação com o de carros pequenos.

      O único carro pequeno que talvez pudesse comprar um dia para brincar seria o Mini. O resto não quero.

      • IRA

        Concordo. Na verdade, o carro pequeno é justificável na cidade, mas em estradas, seja por conforto ou por segurança, necessário se faz um pouco mais de espaço, tanto dentro quanto fora do carro.

        • felipe

          O carro pequeno é exatamente isto, um carro pra andar na cidade.

  • Leandro Federsoni

    Eu dou preferência por carros menores, detesto ficar carregando lataria ou peso morto, venho do conceito de vestir o carro, isso só sabe quem anda de moto. Tamanho de carro não é sinal de qualidade, tenho visto carros grandes com qualidade bem inferior aos compactos.

    • JPaulo10

      Mas a questão não é tanto pelo tamanho, mas pela diferença de preço, mesmo num mesmo veículo.
      Um fiesta SE AT custa R$ 53 mil ante aos R$ 60 mil da versão top, com poucos itens a menos.

    • felipe

      Depende de marca estamos falando. Realmente, tem carros por ai que tem qualidade ridicula. Carro é coisa pessoal, cada um tem o que gosta, essa sua visão é bastante interessante, mas não se esqueça que assim como ocorre com as motos, o nivel de segurança e desempenho do carro se altera pelo “tamanho da lataria”.

      • Alfredo Araujo

        Discordo totalmente !!
        O nivel de segurança se altera pela qualidade do projeto, dos equipamentos de segurança e pela qualidade dos materiais empregados…
        Se fosse assim, donos de Opala seriam imortais no trânsito

        • felipe

          Ta precisando de aulas de interpretação em camarada, vai se ruim assim lá na pqp…

          • IRA

            “(…) mas não se esqueça que assim como ocorre com as motos, o nivel de segurança e desempenho do carro se altera pelo “tamanho da lataria”.”

            “Discordo totalmente !!
            O nivel de segurança se altera pela qualidade do projeto, dos equipamentos de segurança e pela qualidade dos materiais empregados (…)”

            Onde está o erro de interpretação?

        • Nostress

          Ok, então você prefere estar em que carro em caso de acidente? um Up 5 estrelas ou num Malibu, teoricamente menos seguro? Pela diferença de peso, prefiro estar no Malibu, mesmo com estrela à menos. Ou melhor ainda, por isso ando de caminhonete.

  • Z.

    Não se compra carro pro metro, né? Na verdade acho que esse é um dos grandes “problemas” do mercado nacional. As pessoas não compram carro pela real necessidade, preferem pagar 10k a mais por um carro que compartilha a mesma plataforma e acessórios de um compacto, só por este primeiro ser um pouco maior e ter dominação de “SUV”…

    • 4lex5andro

      entao, nem sempre o porte do carro deve por si só , determinar seu preço ; o unico pacote que nao deveria ser barganhado entre categorias é o de segurança, mesmo dos carros menores, simples e baratos , até os top line ..

  • CanalhaRS

    Eu ainda tenho um pensamento antigo de que deve haver um bom senso entre equipamentos e tamanho. Pagar preço de sedã num compacto só porque ele é um pouco mais equipado não rola pra mim.

    • Luciana

      Pessoas diferentes possuem necessidades diferentes. quem não abre mão de morotzão se sentirá melhor com o carro “pelado” da faixa superior. Quem não abre mão de equipamentos de conforto e segurança opcionais pega o da faixa inferior completinho.

    • JPaulo10

      Também acho. Não importa a quantidade de equipamentos que exista num carro compacto: ele nunca vai deixar de ser compacto.

      Mas, olhe, essas versões top que invadem categorias superiores não devem vender muito, não. Acho mesmo é que são reduzidíssimas as unidades, a montadora dando preferência às versões intermediárias.
      Cito o exemplo do Corolla Altis, vendido a preço de sedã grande. Você topa pagar o preço dele? Ótimo: a Toyota vai e fabrica um para você. Mas o foco dela nas vendas é o Corolla XEi.

    • Canalha, olha o caso do Fiesta top com o Focus top: Ele não é um pouco mais equipado, mas muito mais equipado que o Focus de entrada. É automatizado, enquanto o Focus é manual, 5 airbags a mais, e algumas siglas a mais que o irmão mais novo (Lembrando que o Fiesta é de 73). Até espaço interno, que ele perde para o Focus, o irmão maior não é expoente. E as vezes o irmão menor, por ser equipado com o mesmo motor do irmão maior e ser mais leve, ganha no desempenho e consumo.

  • beto

    Carro não se vende por M² e sim por conteúdo.

  • Rodrigo

    Matéria válida, mas não muito útil.
    Há inúmeros fatores que fazem alguém preferir um hatch compacto “premium” completo ao invés de um hatch médio básico. Só como exemplo, cito a esmagadora maioria de vagas de garagens em prédios (residenciais ou comerciais) que atualmente mal-e-má acomodam um carro pequeno, que dirá um médio. Ou mesmo o desempenho e consumo de modelos grandes com motores pequenos.
    Preferência por marca também é um fator importante, seja pela confiabilidade, pós-venda ou mesmo disponibilidade de autorizadas na região onde se mora.

  • Thales Sobral

    Na boa, entre Crossfox e Duster, melhor o VW. Citar tamanho de roda como vantagem é dose… E os pocotós a mais do Renault vão servir pra empurrar a massa a mais que ele tem, então não é uma real vantagem.

    • Z.

      Pessoal escolhe carro hoje como se jogasse Super-Trunfo, não pelo que realmente necessita. “Tal carro tem roda maior, lanterna de LED e o motor tem 5CV a mais!!! Claro que vou escolher ele…”

    • CorsarioViajante

      Obrigado, me poupou de escrever isso. Usar tamanho de roda como “vantagem” é dose para cavalo.

      • Edson Fernandes

        Alias isso mais demonstra ue os leigos preferem dessa forma. Nao a toa o Duster vende mais.

  • Junoba

    Enquanto alguém compra um hb20 premium, podia estar comprando um Chery Tiggo, que vem ainda com motor 2.0.

    • Que anda menos que o 1.6 da Hyundai… Olha o Super Trunfo aí gente! Antes fosse com características factíveis do carro! Desempenho de zero a 100, velocidade final, espaço interno real… Mas não: Com características que nem sempre corresponde a vantagens reais, como litragem, número de cilindros, entreeixos…

  • CorsarioViajante

    “O Fiat Punto 1.8 BlackMotion, por exemplo, custa R$ 67.511. No entanto, seu valor é superior ao do Volkswagen Golf 1.4 TSI Comfortline, que sai por R$ 66.990. ”
    O_o

    • Edson Fernandes

      Na versao de topo equipada om os itens proximos do que o Golf oferta. Pq se for apenas do preço, tem o T-Jet bem menos equipado.

  • zeh

    …coisas loucas que acontecem por aqui…cobra-se caro na compra e perde-se no pós venda….

  • ThiagoR

    Acho que vou na contramão da maioria. Não vejo problema em carros pequenos. Sou sozinho e meus trajetos são 90% na cidade. Logo, na ampla maioria das vezes, estou em baixa velocidade e sozinho no veículo. Assim, em regra, tendo a preferir carros menores, mas mais completos. Prefiro itens de conforto a desempenho. Prefiro a facilidade de colocar o carro em uma vaga apertada a mais espaço para os raros passageiros que andam no banco de trás.

    • dougkmt

      Eu também ando 90% na cidade, a maioria das vezes sozinho (é menor que 90%, mas não sei dizer quanto). Agora depois que eu subi pra categoria dos médios, não penso em voltar tão cedo pros compactos. De vez em quando eu viajo cerca de 600 – 650 km e sinto diferença enorme num médio, sendo pior no compacto. Até minha esposa disse que se cansa menos pelo rodar e dinâmica do carro, e conforto dos bancos.

      E eu já acostumei com espaço privilegiado na frente. Depois que eu entrei no 208 e fiquei batendo o joelho no apoio de braço, perto dos comandos dos vidros elétricos, eu tive a certeza de que não quero voltar.

      E pras vagas, eu prefiro hatch por isso. Com os 4,27m não fica muito difícil achar uma vaga livre, que ficaria chato ou impossível com um sedan de mais de 4,60m.

  • Leandro Federsoni

    Eu entendo que temos que parar de tanto reclamar dos nossos carros e ficar comparando com os veículos americanos, é gostoso termos ambição por produtos melhores e mais caros, mas quando alcançamos esses objetivos temos grandes chances de ficarmos tristes, sem mais novos objetivos, depressivos e nessa hora o mercado de carros perde o interesse dos seus clientes. Então vamos curtir nossos lindos Golzinhos, Palios, Unos e sonhar com carros melhores e nada de tanto reclamar.



Send this to friend