Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

A Montana 2010 foi o último modelo da primeira geração vendida no Brasil, baseada no Corsa e sucedida pela geração inspirada no Agile.

O modelo teve várias versões e algumas edições especiais ao longo dos anos, sendo mais elogiada pelo visual que sua sucessora.

Diferente em vários aspectos da picape que está disponível até hoje no mercado brasileiro, a Montana 2010 era exaltada em alguns aspectos e carregava no currículo a façanha de ter vendido mais que a irmã maior S10 em alguns meses.

Confira todos os detalhes da Montana 2010!

Montana 2010 – detalhes

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

O projeto da Montana 2010 foi desenvolvido pela Chevrolet visando especialmente os mercados emergentes, incluindo alguns países da América Latina e também a África do Sul. A geração vendida até 2010 chegou por aqui em 2003 e logo se tornou um modelo muito importante para a marca.

Ela sucedeu a antiga picape Corsa, sendo baseada no mesmo modelo (da segunda geração). Com 100% do desenvolvimento feito pela General Motors do Brasil, a Montana buscava atender desde um público mais jovem até quem realmente usaria a picape para o trabalho duro, incluindo andar em estradas de terra com frequência.

Para isso a GM não se atentou apenas ao visual, mas também à capacidade de carga, altura do solo e conforto na cabine, que sempre levou apenas dois passageiros.

Mesmo assim, não podemos negar que a Montana 2010 tinha um visual mais equilibrado que o modelo atual, baseado no Agile, apesar de alguns problemas relatados pelos proprietários.

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

Sua dianteira era exatamente igual à do Corsa vendido na época, com faróis de desenho simplificado, base reta e parte superior arredondada. O capô da Montana 2010 se estendia sobre a grade, que tinha um fundo preto de plástico e uma faixa cromada posicionada um pouco acima. O logotipo da marca era dourado em algumas versões e sempre centralizado num aro cromado.

Abaixo dos faróis e dessa grade, a picape da Chevrolet tinha um para-choque de plástico preto em algumas configurações ou pintado na cor da carroceria em outras. Sua parte inferior tinha uma boa abertura para entrada de ar, enquanto as extremidades acomodavam os faróis de neblina que algumas versões traziam de série. Em alguns casos, ele ainda contava com uma moldura cromada.

Subindo novamente até o capô, a Montana 2010 não tinha um desenho tão chamativo, mas apenas dois vincos discretos que saíam da extremidade da grade e seguiam na diagonal até a lateral do carro. Esse desenho era harmonioso e subia pelo topo das portas até a coluna B.

Já no teto, a picape compacta tinha uma antena de tamanho nada discreto e santantônio em alguns casos, como a versão Arena, que foi uma novidade naquele ano. Além disso, o modelo contava também com uma barra de proteção que poderia ser preta ou pintada na cor do veículo.

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

Passando para a lateral, vemos que até na coluna B a Montana 2010 não se diferenciava em praticamente nada quando comparada ao irmão Corsa. Os espelhos retrovisores e maçanetas eram pintados na cor da carroceria em apenas algumas versões, como a topo de linha Sport.

Na parte inferior, as caixas de roda tinham um aspecto bem mais robusto quando apareciam em plástico preto, enquanto que as versões mais caras vinham com uma saia lateral. Um vinco bem pronunciado aparecia no começo da porta e seguia até a caixa de roda traseira, quando subia e terminava nas lanternas.

Outro vinco formava quase um semicírculo na coluna B, o que dentro da cabine gerava um pequeno espaço para levar ferramentas ou bolsas pequenas.

Outra característica marcante da picape da Chevrolet, e que segue na Montana até os dias atuais, é o step side lateral, aquele degrau para colocar um pé e acessar com mais facilidade a carga na caçamba. As rodas da Montana 2010 eram de 14 ou 15 polegadas.

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

Finalmente chegamos à traseira, onde a Montana 2010 ganhava um pouco mais de personalidade em relação ao Corsa. Os para-choques traseiros também poderiam aparecer sem pintura em algumas versões, sempre tendo um formato que subia um pouco nas extremidades até chegar na base das lanternas.

Essas, por sua vez, tinham um formato vertical e invadiam levemente as laterais. A tampa da caçamba, diferente do que era visto nas concorrentes, tinha vincos bem marcantes, especialmente na parte inferior. Ao centro aparecia o logo da marca, sem o detalhe dourado da dianteira, e acima dele estava a maçaneta.

Nesse ponto da picape, vale a pena citar que sua capacidade de carga era de 730 kg ou 1.143 litros, tendo seis ganchos na parte superior externa e mais quatro ganchos no interior.

No caso da versão Combo (foto abaixo), que tinha uma carroceria fechada, a capacidade de carga caía para 680 litros, mas o volume subia para 3.300 litros.

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

As medidas gerais da Montana 2010 eram de 4.422 mm de comprimento, 1.646 mm de largura, 1.456 mm de altura e 2.714 mm de entre-eixos, com peso variando entre 1.078 e 1.170 kg. Seu ângulo de entrada era de 24 graus, enquanto o de saída era de 16 graus, e a altura do solo ficava entre 153 e 200 mm.

Voltando a falar de seu desenho, vemos que o interior da Montana 2010 voltava a ser uma cópia quase exata do Corsa, o que para muitos era um aspecto positivo.

Com visual bem mais harmônico do que o usado posteriormente por Agile e Nova Montana, a picape agradava por ter comandos próximos ao motorista e um bom acabamento.

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

Os bancos ainda tinham um estilo peculiar à época, nada discreto, o que às vezes era acompanhado pelo forro das portas em algumas versões. Mesmo sem ter qualquer comando, o volante tinha boa empunhadura.

O painel de instrumentos da Montana 2010 contava com a iluminação amarela de fundo, vista também no Astra e que é lembrada com carinho pelos fãs mais saudosistas da marca. Com quatro mostradores principais, ele tinha um aspecto simples e bem funcional, além de apresentar uma ótima visualização.

A parte central do painel era simplificada nas versões de acesso, mas contava com um sistema de som embutido e uma tela com várias informações no topo (incluindo hora, temperatura externa e data), assim como aparecia na Meriva e no próprio Corsa.

À frente da alavanca de câmbio estava um porta-objetos com bom espaço e o comando de travamento/destravamento das portas.

A Montana 2010 foi vendida em cinco versões e com dois motores, sendo que o propulsor 1.8 foi mantido apenas na versão Sport, que também passou a ser oferecida com o motor 1.4.

Novas versões completam a família

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

Em novembro de 2009, a Chevrolet anunciou duas novas versões para a Montana 2010: as opções Arena (foto acima) e Sport com motor 1.4, que chegavam com preços de R$ 35.087 e R$ 38.787, respectivamente.

A primeira era uma configuração com visual mais despojado, trazendo vários itens da opção de entrada Conquest, mas com adesivos nas laterais e na traseira que a diferenciavam.

A lista de equipamentos incluía ar-condicionado, direção hidráulica, faróis de neblina, faróis com máscara negra e regulagem de altura, barras de proteção no vidro traseiro, santoantônio, brake-light, capota marítima, rodas de liga leve de 14 polegadas, entre outros.

Já a versão Sport tinha como novidade o motor 1.4, pois anteriormente já era oferecida com o propulsor 1.8. Apesar das vendas fracas, a Chevrolet decidiu manter a versão com motor maior.

Essa versão agregava itens como rodas de liga leve de 15 polegadas, para-choques, maçanetas e retrovisores pintados na cor da carroceria, vidros e travas elétricos, banco do motorista com regulagem de altura, bancos e portas com acabamento em tecido exclusivo, entre outros.

Com essas novas versões, a linha da Montana 2010 ficava mais equilibrada, pois antes contava apenas com a versão de entrada Conquest 1.4 e a topo de linha Sport 1.8, tendo uma diferença muito grande de equipamentos e motorização entre as duas.

Além disso, a picape continuava oferecendo a versão Combo, lançada no final de 2007. O furgão tinha um dos maiores volumes de carga do mercado, de 3.300 litros, e era equipado com motor 1.4.

Boas vendas, mas ainda longe da Fiat Strada

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

As vendas da Montana 2010 podem surpreender quem vê o cenário atual, pois naquele ano a picape compacta da Chevrolet conseguiu emplacar mais que a S10 em dezembro e ficar em terceiro lugar entre todos os comerciais leves.

Quando olhamos o acumulado do ano, vemos que isso lhe rendeu um honroso quarto lugar, com 36.690 unidades vendidas. Acima dela ficaram a própria S10 (43.181) e as concorrentes diretas Volkswagen Saveiro (62.198) e a líder disparada Fiat Strada (116.819).

Ao olhar apenas para seu segmento, a Montana 2010 conseguiu superar apenas modelos de menor expressão entre o público, como Ford Courier (7.309 unidades vendidas em 2010) e Peugeot Hoggar (4.026), lembrando que a picape francesa havia estreado em maio, não tendo 12 meses completos de vendas como as outras citadas.

Com tudo isso, a representante da Chevrolet abocanhou 16,07% de participação entre as picapes pequenas, enquanto a Strada continuava com seus 51,14%.

Montana 2010 – versões

Vendida até o ano anterior em apenas duas versões, além da opção furgão, a Montana 2010 ganhou mais duas configurações e aumentou sua gama para cinco versões.

Com isso, a Chevrolet tinha modelos mais adequados para o público jovem e urbano, bem como para aqueles que precisavam de uma picape compacta para o trabalho.

Confira as versões da Montana 2010:

  • Montana Conquest 1.4 Econo.Flex
  • Montana Arena 1.4 Econo.Flex
  • Montana Sport 1.4 Econo.Flex
  • Montana Sport 1.8 Flexpower
  • Montana Combo 1.4 Econo.Flex (furgão)

Cores disponíveis: Vermelho Lyra, Preto Liszt, Branco Mahler e Cinza Merídio (sólidas); Azul Asthenes, Cinza Artemis, Prata Polaris, Verde Hades, Bege Artio e Verde Hera (metálicas).

Montana 2010 – equipamentos

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

Montana Conquest 1.4 Econo.Flex – motor 1.4 de 99/105 cv e 13,2/13,4 kgfm de torque, com câmbio manual de cinco marchas.

Pacote R9A: protetor de motor e cárter, ventilador com 4 velocidades, ajuste manual dos espelhos, limpador e lavador do para-brisas, luz interna, porta-copos na tampa do porta-luvas, saída de 12V, espelhos, maçanetas e para-choques pintados em preto, rodas de aço de 14 polegadas, entre outros.

Pacote R9T: adiciona ar quente, direção hidráulica, preparação para som, antena no teto, barra de proteção no vidro traseiro, regulador de intensidade da iluminação no painel, entre outros.

Pacote R9C: adiciona ar-condicionado.

Pacote R9D: adiciona travas elétricas com comando na chave, alça no teto, banco do motorista com regulagem de altura, vidros elétricos com um toque e antiesmagamento, luz de cortesia no porta-luvas, barra de proteção no teto, brake-light, destravamento automático das portas em acidentes, fechamento automático das portas em 15 km/h, alarme, vidro da janela traseira escurecido, entre outros.

Montana Arena 1.4 Econo.Flex – motor 1.4 de 99/105 cv e 13,2/13,4 kgfm de torque, com câmbio manual de cinco marchas.

ITENS DE SÉRIE: itens acima + capota marítima, regulagem elétrica dos faróis, faróis de neblina, adesivos decorativos da versão, faróis com máscara negra, rodas de liga leve de 14 polegadas, santoantônio, soleiras pretas, entre outros.

Montana Sport 1.4 Econo.Flex – motor 1.4 de 99/105 cv e 13,2/13,4 kgfm de torque, com câmbio manual de cinco marchas.

ITENS DE SÉRIE: itens da versão Conquest R9D + capota marítima, mostrador digital com hora, temperatura externa e calendário, regulagem elétrica dos faróis, revestimento diferenciado no interior, barra de proteção no teto na cor do veículo, faróis de neblina, acabamento interno prata, espelhos, maçanetas e para-choques na cor do veículo, rodas de liga leve de 15 polegadas, spoiler lateral, entre outros.

Montana Sport 1.8 Flexpower – motor 1.8 de 112/114 cv e 17,7 kgfm de torque, com câmbio manual de cinco marchas.

ITENS DE SÉRIE: itens acima + ajuste elétrico dos espelhos, faróis com desligamento automático temporizado, airbag duplo, freios ABS, entre outros.

Montana Combo 1.4 Econo.Flex (furgão) – motor 1.4 de 99/105 cv e 13,2/13,4 kgfm de torque, com câmbio manual de cinco marchas.

Pacote R6W: mesmos itens da versão Conquest R9A + capota em plástico reforçado com fibra de vidro, altura interna de 1.420 mm, estrutura metálica integrada, duas portas traseiras com abertura de 180º com vedação, sistema de limitação de abertura por molas a gás, fechaduras de acionamento interno e externo, entre outros.

Pacote R6X: mesmos itens da versão Conquest R9T + Combo R6W + luminária interna, vidros nas portas traseiras e protetor de caçamba.

Pacote R6V: mesmos itens da versão Conquest R9C + Combo R6X.

Montana 2010 – preços

Bem diferente do que estamos acostumados a ver hoje, onde um carro zero quilômetro fica na casa dos R$ 40 mil ou R$ 50 mil, a Montana 2010 tinha um preço inicial de pouco mais de R$ 30 mil. Mesmo assim, sua versão mais cara custava bem mais, ultrapassando os R$ 48 mil.

Atualmente, a Chevrolet Montana 2021 é vendida na versão única LS, sobrevivendo no mercado com preços absurdos que começam em R$ 78.370.

Confira abaixo os preços da Montana 2010 quando ela era vendida zero quilômetro:

  • Montana Conquest 1.4 Econo.Flex – R$ 30.234
  • Montana Arena 1.4 Econo.Flex – R$ 36.420
  • Montana Sport 1.4 Econo.Flex – R$ 40.244
  • Montana Sport 1.8 Flexpower – R$ 48.187
  • Montana Combo 1.4 Econo.Flex (furgão) – R$ 34.083

Montana 2010 – motor

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

Ao receber suas novas versões, a Montana 2010 ampliou o uso de seu motor 1.4 Econo.Flex, colocando esse conjunto em 4 das 5 versões disponíveis. Tal propulsor VHC era transversal, com injeção multiponto, 4 cilindros em linha e 8 válvulas.

Ele entregava 99 cv com gasolina e 105 cv com etanol, sempre a 6.000 rpm, enquanto seu torque era de 13,2 ou 13,4 kgfm, dependendo do combustível, com força máxima obtida a 2.800 rpm. O câmbio era sempre manual de cinco marchas.

Segundo a GM, na época esse era o 1.4 aspirado mais potente do mercado, com vantagens como o coletor de admissão de plástico (que resultava numa redução de 35% no peso em comparação com um similar de alumínio), o novo coletor de escapamento em tubo de aço inoxidável e a calibração para partida sem a injeção de gasolina em temperaturas de até 8º Celsius.

Já o mais potente 1.8 Flexpower continuava equipando a Montana 2010 mais cara, apesar das vendas cada vez mais fracas dessa versão.

O conjunto tinha 112 cv com gasolina e 114 cv com etanol, sempre a 5.600 rotações por minuto, além de torque na casa dos 17,7 kgfm (2.800 rpm), com álcool ou gasolina. O câmbio era o mesmo do motor 1.4, sendo manual e com cinco marchas.

Montana 2010 – desempenho

Com números diferentes em relação a potência e torque, confira o desempenho de cada conjunto que equipava a Montana 2010 na aceleração de 0 a 100 km/h e na velocidade máxima:

  • Montana 1.4 – 12,3 segundos e 175 km/h
  • Montana 1.8 – 11 segundos e 181 km/h

Montana 2010 – consumo

Montana 2010: motor, consumo, versões, equipamentos, detalhes

Veja também o consumo de cada versão, com clara vantagem para o motor 1.8, apesar da Montana 2010 ter sido sua última aparição na gama da picape antes da nova geração:

CONSUMO CIDADE:

  • Montana 1.4 – 6,5 km/l com etanol e 9,6 km/l com gasolina
  • Montana 1.8- 7 km/l com etanol e 9,2 km/l com gasolina

CONSUMO ESTRADA

  • Montana 1.4 – 7,8 km/l com etanol e 11,1 km/l com gasolina
  • Montana 1.8- 10 km/l com etanol e 14 km/l com gasolina

Montana 2010 – manutenção e revisão

Revisão

Custo

Custo

Quilometragem

Preços 1.4 Econo.Flex

Preços 1.8 Flexpower

10.000 km

R$ 256

R$ 268

20.000 km

R$ 608

R$ 656

30.000 km

R$ 724

R$ 792

40.000 km

R$ 500

R$ 568

50.000 km

R$ 908

R$ 988

60.000 km

R$ 768

R$ 1.104

Montana 2010 – ficha técnica

Motor

1.4 Econo.Flex

1.8 Flexpower

Tipo

Dianteiro, transversal e flex

Dianteiro, transversal e flex

Número de cilindros

4

4

Cilindrada em cm3

1389

1796

Válvulas

8

8

Taxa de compressão

12,4:1

10,5:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Multiponto

Potência Máxima Líquida (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 99 cv a 6000 rpm / Etanol: 105 cv a 6000 rpm

Gasolina: 112 cv a 5600 rpm / Etanol: 114 cv a 5600 rpm

Torque Máximo Líquido (ABNT NBR 5484) 

Gasolina: 13,2 kgfm a 2800 rpm / Etanol: 13,4 kgfm a 2800 rpm

Gasolina/Etanol: 17,7 kgfm a 2800 rpm

Transmissão

Tipo

Manual de 5 marchas

Manual de 5 marchas

Tração

Tipo

Dianteira

Dianteira

Freios

Tipo

Disco ventilado / Tambor

Disco ventilado / Tambor

Direção

Tipo

Hidráulica

Hidráulica

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson

Independente, McPherson

Traseira

Eixo de torção

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Liga leve 14 ou 15 polegadas

Liga leve 15 polegadas

Pneus

175/70 R14 ou 185/60 R15

185/60 R15

Dimensões

Comprimento total (mm)

4422

4430

Largura sem retrovisores (mm)

1646

1710

Altura (mm)

1456

1420

Distância entre os eixos (mm)

2714

2714

Capacidades

Porta-malas (litros)

1143

1143

Tanque (litros)

52

52

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

730

735

Peso em ordem de marcha (kg)

1120

1116

Vão livre (mm)

153 ou 200

n/d

Montana 2010 – fotos

https://www.youtube.com/watch?v=og1rlNfvPCc

Viny Furlani

Formado em Gestão de Negócios, trabalha no segmento automotivo há mais de 17 anos. Em 2009, passou a escrever avaliações e notícias sobre carros, totalizando mais de 2.000 artigos, em vários sites. Além das matérias escritas para o NA, também cuida das mídias sociais do site.