Chevrolet História Matérias NA Pickups

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

A Montana Sport é uma versão de apelo levemente esportivo da picape pequena da Chevrolet, vendida atualmente. Essa opção passou por duas gerações da picape leve da GM, que involuiu na alteração em 2010.


Nesta ocasião, trocou a terceira geração do Corsa, a chamada “C” pela anterior modificada, que deriva da geração “B”.

Mudando de personalidade ao passar de um produto mais jovial e moderno para um antiquado e simples, a Montana Sport focou mais no trabalho. Vendida junto com a versão LS, a Montana Sport é a opção mais cara da picape e vem com alguns itens a mais, mas nada surpreendente.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Também nessa mudança, a Montana Sport ficou mais fraca ao perder o motor GM Família I 1.8 em favor do Família I 1.4. A diferença de potência nem foi tão grande quanto a de torque, o que realmente fez muita diferença.

Em estilo, nem dá para comparar como a Montana Sport passou do vinho para a água (sim, nesse sentido mesmo).

Hoje, a opção nem chegar a incomodar Strada Adventure ou Saveiro Cross. Por ora, não se sabe por quanto tempo a picape derivada do Agile continuará em produção e nem se haverá outra Montana Sport.

Montana Sport

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

 

 

A Montana Sport atual tenta ser mais esportiva, mas o peso da idade mostra que o esforço é inútil devido ao design datado.

Mantendo elementos estéticos oriundos do Agile, a picape leve da GM tem seus atributos focados no baixo custo. Nesse caso, manutenção, capacidade de carga e volume da caçamba são seus pontos fortes.

Em estilo, a Montana Sport fica devendo muito, embora em comparação com a comercial LS, tenha mais itens de destaque.

Assim, seus faróis grandes com máscara negra ainda mantém parábolas simples, enquanto a grade tem grelha preta.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

O para-choque, nunca retocado desde o lançamento, apresenta faróis de neblina em molduras pretas.

As rodas de liga leve aro 16 polegadas ainda ostentam o mesmo estilo do (belo) conceito GPiX de 2008, que originou o Agile. Com linha de cintura alta, a Montana Sport tem retrovisores na cor do carro e vigias laterais, bem como rack no teto.

O teto tem ainda um ressalto proeminente e antena, enquanto as laterais empregam bons degraus para acesso à carga.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Nesta versão, existem saias laterais, enquanto o para-choque traseiro é bem pronunciado, mas integrado ao conjunto. As lanternas compactas possuem lentes escurecidas, enquanto a tampa da caçamba tem puxador com moldura preta.

Para facilitar o acesso à carga, a Montana Sport tem ainda um bom degrau sobre o para-choque.

Além disso, conta com molduras plásticas sobre as bordas da caçamba com ganchos para amarração de carga. Também vem com grade de proteção da vigia traseira.

Toda a caçamba com seus 1.152 litros de volume possui proteção plástica para reduzir danos à carroceria e carga.

A capota marítima é outro item que reduz a entrada de água na caçamba e protege parcialmente a carga transportada. Interior da Montana Sport

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Por dentro, a Montana Sport ostenta ainda o ambiente que um dia foi do finado Agile.

Com características bem peculiares, o habitáculo foi criado para duas pessoas e tem diversos itens nessa versão. O volante de fundo chato e comandos de mídia e telefonia ainda tem aspecto moderno.

Mas ele tem algo a mais, piloto automático, um item importante para quem faz longas viagens. Já o cluster com mostrados analógicos, cujo ponteiro do conta-giros sobe ao contrário do tradicional, chama atenção.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Há um medidor de nível de combustível e display central com informações diversas, sempre em cor Ice Blue.

Tendo ainda sensor crepuscular, a Montana Sport vem também com sistema de áudio simples com CD, Bluetooth e USB. O ar condicionado com display digital é outra herança do Agile e que remete ao começo da década.

Porém, os comandos de climatização são atuais, compensando o estilo mais antigo do conjunto acima. O painel de duplo cockpit ainda possui difusores de ar circulares e apliques em cinza brilhante nessa versão.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Com porta-luvas mediano, a Montana Sport tem ergonomia ruim com retrovisores elétricos ajustados na coluna A.

Além disso, os puxadores das portas sem molduras ainda hoje são tão estranhos quanto em 2010. O mesmo em relação à alavanca de câmbio curvada e com acabamento em cinza brilhante.

Os dois porta-copos são práticos, assim como um porta-objetos ao lado do volante. Existem ainda outros espaços nas portas e atrás dos bancos.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Estes, por sinal, ainda mantém as rampas de elevação dos assentos do Agile, mas com sulcos e faixa azul.

Foi um recurso usado para manter as pernas mais altas e proporcionar uma posição elevada e confortável. Os vidros são elétricos do tipo one touch e são acionados pela chave também.

Tem travas elétricas com controle remoto e alarme. A Montana Sport vem ainda com dois alto-falantes, direção hidráulica, lanterna de neblina, airbag duplo e freios ABS.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Dispõe ainda de alerta de faróis ligados, temporizador dos faróis, banco do motorista com ajuste de altura e indicador de mudança de marcha.

A picape leve da Chevrolet tem motorização 1.4 com cabeçote de oito válvulas, feito em alumínio, enquanto o bloco é de ferro fundido. Com 1.389 cm3, esse vetusto da Família I da GM tem injeção eletrônica multiponto flex com partida a frio.

Tendo comando de válvulas acionado por correia dentada, o motor de quatro cilindros é o mesmo do Onix antigo. Ele entrega 94 cavalos na gasolina e 99 cavalos no etanol, ambos obtidos a 6.000 rpm.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Já o torque é de 12,9 kgfm no derivado de petróleo e 13,0 kgfm no produto obtido da cana-de-açúcar.

Nos dois casos, a rotação de força plena é de 3.200 rpm. O câmbio é manual de cinco marchas com embreagem de acionamento hidráulico.

A suspensão é McPherson na frente e por eixo de torção atrás, este com molas e amortecedores separados. Com 4,514 m de comprimento, 1,700 m de largura, 1,572 m de altura e 2,669 de entre eixos, a Montana Sport tem tanque de 49 litros.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Sua capacidade de carga é de 717 kg e o peso em ordem de marcha é de 1.136 kg.

Assim, ela vai de 0 a 100 km/h em 10,4 segundos e com máxima de 170 km/h. O consumo é de 7,5 km/l na cidade e 8,4 km/l na estrada, ambos com etanol.

Na gasolina, ela faz bons 11,3 km/l no ciclo urbano e 12,6 km/l no rodoviário.

Primeira geração – Corsa C

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Em 2003, a GM providenciava um projeto nacional independente da Opel sobre seu Corsa C.

A nova picape era chamada Montana e substituía a antiga Corsa Pickup, derivada do Corsa B. Na composição das versões, surgiu a Montana Sport com foco na esportividade, a fim de atrair o público jovem.

À época, o visual era realmente atraente com frente curta e baixa do Corsa C, mas com carroceria alongada e fluida. Os faróis de dupla parábola tinham máscara negra e a grade tinha frisos pretos.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

O para-choque chamava atenção pela moldura preta e grade retangular ampla, além de faróis de neblina com entradas de ar nas extremidades.

Com colunas B que descreviam uma curvatura que separava cabine e caçamba, a primeira Montana Sport era bonita. Além das saias laterais, tinha ainda maçanetas embutidas na cor do carro, assim como os retrovisores.

Rack no teto e antena também estavam lá, assim como vigias laterais bem estilizadas. Um vinco acentuava-se desde as portas até moldar para-lamas proeminentes nas laterais da caçamba.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Na curva sobre o eixo traseiro, tinha degrau para acesso à caçamba.

O para-choque traseiro não era tão proeminente, enquanto as lanternas tinha lentes circulares na ótica principal. A caçamba também era protegida, assim como a vigia traseira, que era basculante também.

Por dentro, o ambiente era de típico do começo dos anos 2000 e tinha volante “meia-lua” com airbag. Havia ainda console central em cinza e airbag do passageiro, além de rádio com CD integrado ao painel.

O display ficava no computador de bordo no topo do conjunto.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

O ar condicionado era manual, enquanto o console era deficiente em praticidade.

No cluster, os mostradores analógicos eram elegantes e tinham fundo branco, um charme. Os bancos tinham padronagem avermelhada e só havia espaço para duas pessoas.

A Montana Sport do Corsa C media 4,436 m de comprimento, 1,646 m de largura, 1,456 m de altura e 2,714 m de entre eixos, tendo 1.143 litros na caçamba e 52 litros no tanque.

Sua capacidade de carga era maior que a da atual: 735 kg. O motivo era o uso de um motor mais forte, que no caso era o GM Família I 1.8 8V Flex.

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Ele tinha 105 cavalos na gasolina e 109 cavalos no etanol, ambos a 5.400 rpm.

Isso sem contar o torque alto, que na gasolina era de 17,3 kgfm e no álcool tinha 18,2 kgfm, ambos a 3.000 rpm. Com câmbio manual longo, fazia de 0 a 100 km/h em 10,2 segundos com final de 180 km/h.

Era econômica, fazendo 7,2 km/l na cidade e 10,7 km/l na estrada com etanol. Na gasolina, o ciclo rodoviário surpreendia com 15,2 km/l, fazendo na cidade razoáveis 9,4 km/l.

Segundo geração da Montana Sport – Agile

Montana Sport: história, visual, motor, equipamentos e detalhes

Na mudança de geração em 2010, a GM aproveitou a arquitetura feita para o Agile e recriou a Montana Sport. Feita em São Caetano do Sul (o Agile saía de Rosário), ela tinha motor até mais potente que na atualidade.

Sem o 1.8, a picape leve tinha o econo.Flex 1.4 8V com 97/102 cavalos, respectivamente com gasolina e etanol. Seu torque era de 13,2/13,5 kgfm a 3.200 rpm, tendo ainda câmbio manual.

A carga útil chegava a 758 kg.

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Eduardo Zacchi

    Desculpem a expressão, mas trocarem o Corsa pelo Agile, a Montana do Corsa pela Montana do Agile foi a maior CAGADA da GM.
    Se o Corsa tivesse continuado aqui no Brasil ao invés dessas gambiarras, teríamos um carro moderno, seguro, econômico e BELO!!!
    Hoje essa trapizomba é menos que coadjuvante no mercado. Até a Courier da Ford, se ainda fosse fabricada, venderia mais…

    • Paulo Lustosa

      O Corsa não foi trocado pelo Agile e sim pelo Onix em 2012.

      • Eduardo Zacchi

        Acho que não Paulo. O Ônix entrou justamente em Gravtaí/RS onde o Celta saiu gradativamente de linha. Tanto é que o nome Prisma foi mantido por muito tempo, dando a entender claramente que era a substituição natural do Celta…
        O Agile seria um carro um pouco melhor em acabamento e motorização, mas fizeram uma cagada enorme no design, que nunca se encontrou e sempre faltou harmonia… Gerou até saída de altos executivos na GMB.

        • Paulo Lustosa

          O Onix substituiu os dois, visto que o Celta perdeu motor 1.4 que era apenas a gasolina em 2007, e só substituiu efetivamente o Celta em 2016 quando o mesmo saiu de linha e o Onix foi reestilizado, lançando o Joy pra essa função de atender o mercado que era do Celta. Tanto é, que quando o Agile foi lançado, o Corsa ainda permaneceu em linha e perdeu apenas o motor 1.8 e depois o 1.0, ficando apenas com o 1.4 e o acabamento Maxx e Premium e só saiu mesmo de produção em 2012.

  • Augusto

    Também conhecida como monstrana!!!

  • ChalMust

    Na verdade foi a Montana (modelo Corsa) que usou motor 1.4 inicialmente … e foi fabricada entre 2008 e 2010. Em 2011 veio então a famosa M O N S T R A N A !!!

  • Fabão Rocky

    Chega dá saudade da família Corsa C qdo vejo essa foto. Uma pena q a família Corsa C não durou muito no mercado e se foi tão cedo! Ao invés de terem feito Agile e Monstrana, deveriam continuar c/ a família Corsa C que esta poderia ter sobrevivido até hj no lugar de Celta e Classic c/ um preço mais em conta. Tive um sedã premium 2009 q era a minha paixão! Fikei bons 7 anos de alegria e felicidade c/ ele. Nunca me deu dor de cabeça!

    • Matafuego

      A família do Corsa C até que durou bastante, ficou 10 anos no mercado. Acho a Montana derivada do Corsa C bonita até hoje. Já a porcaria derivada do Agile, dá tristeza de ver…

      • Fabão Rocky

        Tem outros carros q as montadoras fazem reestilização e duram mto mais do q isso. O Corsa C tem um design q agrada até hj. A GM ainda n lançou um carro mais bonito do q akele na categoria.

  • Essa Monstrana é fabricada ainda ou a GM matou essa bizarrice quando transferiu o “ônix/prisma G1” para SCS?

  • Zé Mundico

    Conheço dois vizinhos que trabalharam por muitos anos com a Montana antiga, com motor 1.8. Um é catador de latinha e o outro também trabalhou com reciclagem de papelão. Os dois sempre me diziam que a Montana era a única picape pequena que aguentava o rojão deles. Nem Pampa nem Strada aguentavam. Cansei de ver o catador de papelão chegar de manhã cedinho com a Montana carregada e subindo a garagem numa boa. O cara fez o motor 3 vezes mas nunca largou dela. Já venderam o que restou das duas e hoje usam S-10 cabine simples.
    Eu acho que essa Montana atual só serve mesmo para entregar quentinha vegana.

  • To na área!

    Essa Montana Sport Antiga é um colírio para meus olhos! Saudades!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email