Motores: Tupy compra MWM por US$ 865 milhões

mwm

A MWM é um dos mais importantes fabricantes de motores diesel do país e da América Latina, e agora passou para as mãos da fundição Tupy.


Esta última é uma das mais tradicionais empresas do setor automotivo nacional, fornecendo blocos e peças fundidas para as montadoras nacionais desde tempos imemoriais.

A multinacional brasileira foi adquirida pela companhia nacional por US$ 865 milhões, mas ainda está sujeita à lei antitruste no Brasil.

A MWM terá serviços integrados com os da Tupy, mais precisamente em fundição, usinagem, montagem, validação técnica e engenharia.

Para a Tupy, a MWM aumentará o alcance da empresa em uma área onde ela nunca atuou, ou seja, na produção de motores e grupos geradores, notadamente a diesel.

Como se sabe, a MWM fornece motores para picapes, caminhões, ônibus, tratores, entre outros, sendo uma marca amplamente conhecida no mercado automotivo nacional há décadas.

Já a Tupy continuará a atuar com o fornecimento de usinados para os fabricantes nacionais e estrangeiros, incluindo ainda atuação com a Teksid, empresa comprada da Stellantis.

mwm a

A compra, no entanto, ocorreu em grande parte por causa da saída da Ford do setor produtivo nacional.

Eterna concorrente da Cummins no Brasil, a MWM atualmente está produzindo grupos geradores, mas com a Tupy, espera voltar à produção de motores para veículos comerciais.

Com 600 pontos de vendas de peças e componentes em todo o país, a MWM tem ainda 300 oficinas especializadas para manutenção de seus motores.

Fernando Cestari de Rizzo, CEO da Tupy, disse: “Juntas, MWM e Tupy tornam-se uma companhia singular no mercado. Vamos nos unir a uma empresa com grande capital intelectual e tecnológico, cultura empreendedora e elevada credibilidade técnica em nossa indústria”.

Rizzo completou: “Com a competência técnica desse time, estenderemos os serviços por eles oferecidos aos nossos clientes atuais”.

A MWM produziu motores de picapes famosas, como a Ford F-1000 e F-250, assim como também o Duramax 2.8 da GM, que equipa a Chevrolet S10.

Nos caminhões, abasteceu as linhas da Ford e VWCO durante anos, assim como fez um V12 diesel para o tanque militar Osório da Engesa.

[Fonte: Automotive Business]

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.