Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC

Direito de resposta da Lamborghini Latino America, sobre o assunto da reportagem:

BOLETIM DE IMPRENSA

Em relação às reportagens publicadas em diferentes meios eletrônicos, meios de comunicação e imprensa em geral, fazemos o seguinte conhecimento público:

AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V., é uma empresa mexicana, autônoma, legalmente constituída e com mais de 25 anos de existência; licenciado da marca LAMBORGHINI exclusivamente para a América Latina e não exclusivamente para o resto do mundo. Nossa empresa obteve os direitos e exploração da marca LAMBORGHINI através de diversos contratos outorgados por Automobili Lamborghini S.P.A. (Italia), pertencente ao grupo Chrysler e Megatech, firmados por Robert A. Braner COO e Michael Kimberley CEO.

Os contratos internacionais, autorizacões expressas, poderes e direitos emitidos em favor de AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, SA DE CV, para operar e explorar a marca LAMBORGHINI se encontram vigentes e tem um prazo de 99 anos. Estes instrumentos, se encontram legalmente inscritos ante diversas autoridades de manejo de marcas, como é o caso do INSTITUTO MEXICANO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL (IMPI), WORLD INTELLECTUAL PROPERTY ORGANIZATION (WIPO) E EUROPEAN UNION INTELLECTUAL PROPERTY OFFICE (EUIPO) Escritório de propriedade intelectual da União Europeia, registros que são em sua totalidade de acesso público e que pode ser consultado através dos sites oficiais del IMPI, WIPO y EUIPO respectivamente.

Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC

Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC

Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC

Em exercício da lincença exclusiva que opera em favor de AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V., temos desenhado e desenvolvido modelos automotivos com tecnologia e engenharia própia, como são: Lamborghini Coatl (1998 -2004 ), Lamborghini Alar (2006), Lamborghini Centurión (2015), e o mais recente, ganhador de prêmios mundiais, Lamborghini L.A. Vision de motor 100% elétrico. Os desenvolvimentos de AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRCIA, S.A. DE C.V., são motivo de orgullo e elevam em alto nível o nome das empresas Latinas para todo o mundo.

No ano 1998, a empresa Volkswagen AG (Alemanha) e sua filial AUDI, adquiriram a empresa italiana Automobili Lamborghini S.P.A., lamentavelmente desde então, ditas empresas tem exercido atos desleais e diferentes tipos de manifestações monopólicas, alegando mentirosmente desconhecer os direitos legalmente adquiridos por AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V. Na Argentina (jurisdição competente segundo os acordos firmados), se realizaram os processos de mediação privada entre AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V, Automobili Lamborghini S.P.A. e Volkswagen AG, ao não chegar a um acordo entre as partes se forçou a empresa mexicana a se defender e exigir seus direitos através de contendas judiciais iniciada em 2015.

Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC

Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC

Como consequência da defesa dos direitos de AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V., na data 15 de novembro de 2019, o juizo comercial 5 do Poder Judicial da Nação, em Buenos Aires Argentina, autoridade competente para conhecer as controversias entre a empresa mexicana e a italiana, decretou a seguinte medida cautelar:

Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC

Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC

Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC

“Em atenção ao exposto, RESOLVO: 1°.-) Decretar a medida inovativa solicitada, sob a responsabilidade das acionantes e, em consequência, ordeno a AUTOMOBILI LAMBORGHINI S.p.A. e suas filiais (em conjunto LAMBORGHINI) y VOLKSWAGEN AG a cessar imediatamente as ações ou omissões que turvan os dereitos exclusivos outorgados pelo contrato aos peticionantes da medida e, em particular, se abstenham e cessem em todo tipo de atos que afetem o pleno exercício dos dereitos contratuais acordando, e em especial, que se abstenha de efetuar intimações e amedrontamentos e ou dirigir notificações aos sócios comerciais dos peticionantes, clientes, e ou sublicenciatários respeitando aqueles direitos exclusivos; assim como tambem a abstenção de comunicaçõess públicas que podem afeta-los permitindo o normal exercício dos direitos exclusivos resultantes da documentação aportada nos autos e referida nesta resolução”. Atualmente, dita medida se encontra em instância de apelação na Sala A da justiça argentina.

Assim mesmo, AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V., tem sofrido difamações e ataques de diversos meios de comunicação que acusam a companhía, assim como a seu diretor geral, Jorge Antonio Fernández García, de fraudadores.

AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V., não sabia que no marco da mediação (mediação privada de 2015); Lamborghini S.p.A e VW AG se encontravam preparando um complexo arcabouço fraudulento de múltiplas jurisdições e ilegal, violando a ordem pública nacional e internacional para tentar sujeitar AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V. a voltar para a jurisdição natural (Argentina).

Multi-jurisdição ilegal e violadora: em 2018 Jorge Antonio Fernández García toma conhecimento através de um e-mail que é acusado en Virginia, USA “como um terceiro” de uma SUPOSTA “infração de marca” (a demanda inicial foi contra e Sr. Robert A. Braner, ex COO de Automobili Lamborghini USA Inc, junto a um sócio e a uma empresa norteamericana por fabricação e venda de cigarros).

Jorge Antonio Fernández García, notificou a justiça norteamericana e demostrou com provas que:

– Como pode ser dono de uma Empresa Norteamérica se desde 1996 não viaja aos Estados Unidos? Tampouco lhe outorgaram em 2 oportunidades o visto para sua defesa nos tribunais da Virginia.
– Ele não tem comercializado nenhum tipo de Cigarros nos Estados Unidos.
– A notificação via email não é válida e viola os direitos internacionais do convenio de HAYA. Onde os advogados de VW AG (Corporativo em Virginia) aludem haver intentado notifica-lo através de despacho a Jorge Antonio Fernández García, “porém desconheciam seu domicilio”. Ocultando a informação do processo de Mediação Privada na Argentina para a justicia norteamericana.

Ademais, quando Jorge Antonio Fernández García se apresentou em defesa, automaticamente os advogados de VW AG dispensaram os principais acusados. É evidente a manipulação Jurídica da companhía monopólica para iludir A JUSTIÇA ARGENTINA.

Aparentemente, algo similar estão tratando de fazer com a justiça italiana, por diferentes páginas web e meios de comunicação, AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V. toma conhecimento de uma suposta medida cautelar ditada em 02.02.2020 en Génova. Dizemos suposta dado que não existe notificação válida (não tem sido notificada em conformidade com as previsões da convenção junto a HAYA) violando todo tipo de direitos internacionais. Novamente Automobili Lamborghini S.p.A e VW AG Ocultam informações da Justiça Italiana em um intento desesperado para contrarrestar a Demanda de antecedentes e medidas cautelares otorgadas na Argentina a favor de AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V.

A manipulação jurídica da Volkswagen e suas ações parece ser moeda corrente, como o caso de Dieselgate.

A respeito, expressamos nosso retumbante repúdio a tais afirmações, difamação e notícias falsas, reiterando em todos os momentos que AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V., conta com todos os direitos necessários para o uso e exploração da marca LAMBORGHINI.

Tanto AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V., como seu diretor geral e Presidente para toda América Latina Jorge Antonio Fernández García, bem como AUTOMOBILI LAMBORGHINI DO BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A por meio do seu Presidente Gilson Pierri, orgulham-se de representar os valores mais elevados da sociedade LATINOAMERICANA, através do desenvolvimento de tecnologia e negócios a nível internacional, pelo que expressamos à opinião pública que iremos legalmente defender a honra, prestígio, dignidade e honestidade dos empresários e cidadãos latinos, contra empresas internacionais que atuam no âmbito da ilegalidade e que dificultam o crescimento e desenvolvimento das empresas nacionais.

Nosso compromiso sempre seguirá pelo povo latinoamericano e em especial aos Brasileiros. Buscando gerar fontes de emprego, impulsionando e posicionando este território como uma zona geográfica estratégica para o investimento de alto capital internacional.

_________________________. _________________________
Jorge Antonio Fernández e García Gilson Pierri
CEO e Presidente 
Automóviles Lamborghini Automobili
Lamborghini do Brasil
Latinoamérica. S.A. de C.V Participações S.A

Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC


A polêmica continua. Após a declaração de que abriria uma fábrica de carros elétricos em Santa Catarina, a Lamborghini Latinoamérica está sendo contestada pela Automobili Lamborghini S.p.A., da Itália.

O fabricante de carros esportivos, que pertence ao grupo Volkswagen através da Audi, disse em nota ao jornal NSC Total, que não autorizou a abertura de qualquer fábrica e não reconhece os direitos do empresário mexicano Jorge Garcia Fernandez.

Utilizando o departamento de Marketing e Comunicações para as regiões da América do Norte e Latina, a Automobili Lamborghini diz que é a única dona dos direitos de propriedade da marca e que Joan Fercí, como é conhecido o empresário mexicano, não tem direitos como diz ter adquirido.

A Automobili Lamborghini ainda informou que existem processos judiciais nos EUA, Europa, Argentina e Brasil, onde a Lamborghini Latinoamérica tem até contratos de direitos de marca com algumas empresas. O fabricante italiano busca anular as ações do mexicano no continente.

O retorno do assunto, que virou polêmica há muitos anos, foi devido à visita de Joan Fercí ao estado de Santa Catarina, chegando ele a se reunir com a governadora interina Daniela Reinehr.

Na Itália, Lamborghini se manifesta sobre fábrica em SC

O motivo é o interesse em abrir uma fábrica de carros elétricos na região, mas sem especificar uma cidade. Além disso, Fercí está investindo em empreendimentos imobiliários nas cidades de Governador Celso Ramos e Balneário Camboriú usando a marca Lamborghini.

A história toda começou nos anos 90, quando Joan Fercí adquiriu da Lamborghini italiana os direitos sobre a marca na América Latina e também o direito de produzir o superesportivo Diablo.

Em dificuldades, a Lamborghini teria feito o negócio com Fercí, que abriu uma nova empresa, chamada Automóviles Lamborghini Latinoamérica, que construiu cinco unidades de cada um dos modelos Coatl e Alar 777.

Além disso, a empresa desenvolveu o Centurion, que não foi produzido e agora o LA Vision, um SUV superesportivo e elétrico, que supostamente seria produzido aqui.

Antes da declaração da Lamborghini italiana, a Automóviles Lamborghini Latinoamérica enviou nota confirmando que existem questões judiciais, mas que a empresa tem os direitos reconhecidos na justiça. A companhia também não gostou da exposição na imprensa.

Segundo a nota: “A respeito, expressamos nosso retumbante repúdio a tais afirmações, difamação e notícias falsas, reiterando em todos os momentos que AUTOMÓVILES LAMBORGHINI LATINOAMÉRICA, S.A. DE C.V., conta com todos os direitos necessários para o uso e exploração da marca LAMBORGHINI”.

[Fonte: NSC Total]

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.