Brasil Mercado Montadoras/Fábricas Preços

Nanico Car: Microcarro tem motor de 125 cm3 e deve custar R$ 15 mil

Nanico Car: Microcarro tem motor de 125 cm3 e deve custar R$ 15 mil

Este é o Nanico Car.


O Ceará deve iniciar em breve a fabricação de um novo veículo nos próximos meses. Trata-se do Nanico Car, um microcarro com visual diferente, com um foco no uso urbano e que terá motor bicombustível. Com minúsculos 1,90 metro de comprimento, 1,30 metro de largura e 1,50 metro de altura, o pequenino pesa somente 300 kg, o que é cerca de um terço do peso de um carro popular normal.

Ele será equipado com um motor de moto, de 125 cm3 e com isso ele pode alcançar 80 km/h. Com capacidade para apenas duas pessoas, o Nanico Car pode ser abastecido com gasolina ou GNV. Neste último, com R$ 12,50 de gás natural, o veículo tem autonomia de 300 km, de acordo com a empresa, o que é um custo baixíssimo de rodagem.

Nanico Car: Microcarro tem motor de 125 cm3 e deve custar R$ 15 mil


A produção do veículo será feita em São Gonçalo do Amarante, localizada a cerca de 60 km de Fortaleza, capital do estado do Ceará. A fábrica cearense recebeu terreno e incentivos fiscais da prefeitura e deverá ter suas obras iniciadas em cerca de 60 dias, devendo demorar seis meses para ficar pronta.

Serão investidos cerca de R$ 8 milhões na planta, que terá uma capacidade instalada de produzir 500 carros por mês com emprego de cerca de 100 pessoas. A ideia é que o preço do Nanico Car comece em R$ 15 mil. Cerca de 15 unidades de teste já foram feitas em São Paulo capital.

Será que vai dar certo essa nova idéia? O que você acha?

Nanico Car: Microcarro tem motor de 125 cm3 e deve custar R$ 15 mil

Nanico Car – ficha técnica

Comprimento 1,90 metro
Largura 1,30 metro
Altura 1,50 metro
Motor 123 cm3 de scooter
Potência 12 cavalos
Velocidade máxima 80 km/h
Peso 242 kg
Capacidade para 2 pessoas
Consumo médio de 30 km/l
Tanque de combustível de 4 litros
Autonomia com um tanque de 120 km
Preço entre R$ 15 mil e R$ 18 mil
Versão elétrica com um motor de 7,5 kW de potência e autonomia de cerca de 300 km

Nanico Car: Microcarro tem motor de 125 cm3 e deve custar R$ 15 mil
Este texto lhe foi útil??

237 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

          • Pois é….

            Fica claro pra mim que esse projeto me parece ter esse tamanho de roda para baratear os testes de rodagem…. só espero que o carro possa sim atingir um nivel de maturidade para ser um bom city car.

      • É que esta é a versão Cross, hehehe… Brincadeira. A pergunta que fica é realmente sobre a legalização para rodar nas ruas, uma vez que hoje é necessário ABS e Airbag. Fiquei curioso para vê-lo em um crash test.

      • Logo se vê que você não entende nada de projeto automobilístico. As rodas normalmente são proporcionais ao tamanho e peso do carro, mas um carro tão leve tem que compensar, no peso das rodas, para dar mais estabilidade…

        • O carro está todo mal projetado. Está parecendo TCC de faculdade, e as rodas estão superdimensionadas sim… Se você quer atrair investidores para um projeto, ou a atenção do público, tem que no mínimo pensar no visual e depois no processo produtivo. Quem vê um troço desse, mesmo que funcione, não vai levar a sério. Sem falar que o mercado está imundado de novas empresas de elétricos. O que eu vejo aí é que fizeram tudo da maneira mais barata e fácil que encontraram só para apresentar um conceito. Eu garanto que tem uma penca de bons engenheiros e empreendedores por aí, que se dedicasse a um projeto desses, fariam algo muito melhor em menos tempo.

          • Vocês julgam protótipos como se já fossem carros de linha. Pelo amor de Deus, parecem crianças invejosas com o sucesso dos outros… Ridículos! O Troller (já falei isso) fez cinquenta protótipos que rodaram por dois anos nos mais diferentes terrenos. Depois de produzidos os primeiros jipes de linha, o sucesso foi absoluto. Tanto que anos depois a Ford comprou a fábrica… A situação é a mesma. E entendem tanto de carros por que não montam uma fábrica de carros melhores? Repito, vocês não passam de invejosos!

            • Você é ligado ao projeto? Se sim, você que é infantil por não aceitar críticas. Fica muito feio para uma pessoa da sua idade não aceitar críticas e ficar com esse papo de inveja.

              • Não sou ligado ao projeto, só vejo que há uma insistência fora do normal de desfazer dos empreendedores e isso não tem como não levar a crer que é inveja. As críticas de vocês são destrutivas e não construtivas e por outro lado, o que idade tem a ver? Além de tudo é preconceituoso, vai ver que é isso, preconceito porque o carrinho é do Ceará, mas aqui tem outras fábricas, inclusive do Troller e do Stark…

                Em 5 de junho de 2017 00:07, Disqus escreveu:

    • Ai meus olhos… Apaguem essas fotos.
      Queimem o projeto e as unidades de teste, e vamos fingir que isso nunca existiu.
      Quando eu penso que nada poderia piorar ainda mais o país, me vem essa bomba.
      É claro que “isso” não será classificado como carro, pois não tem nem limpador de para-brisa, Airbag então passa longe. Muito provavelmente terá classificação igual a dos Tuk Tuk.
      Será um transporte (é o máximo como consigo definir esta coisa) exótico, praticamente atenderá uma demanda em mercado recreativo. Pois quem vai gastar R$15.000,00 em um veículo que será o único da família, vai peferir algo que ofereça o mínimo de dignidade.

      • Quanta besteira! Esse carro é um protótipo. Foram construídos vinte protótipos que devem rodar alguns meses em testes. Isso não é o carro pronto. O Troller outro projeto também cearense (depois comprado pela Ford) teve 50 protótipos que rodaram por dois anos, antes do veículo ser lançado. O Nanico é um projeto inovador, com versões elétrica ou gás natural.

      • Isso é um protótipo, cara. Pelo amor de Deus, nunca ouviu falar de protótipos? Foram feitos vinte desses para testar, só para testar questões como torção transacional, vibração etc. É uma exigência técnica. Quase sempre o carro final fica muito diferente.Ninguém vai botar Airbags em protótipos e nem é preciso, nos protótipos, limpador de para-brisas e outros detalhes que podem ser testados na fábrica… E nem todos os carros nacionais possuem airbags . Depois podem botar… Assim começou o Troller e o Stark, ambos fabricados no Ceará também…

    • O primeiro carro produzido no Brasil era menor do que esse e a porta abria pra frente. O Romiseta, rodou por alguns anos, sem problema. Além disso, é mais seguro do que uma moto, sem nenhuma dúvida!

  • “A ideia é que o preço do Nanico Car comece em R$ 15 mil.” 15K em um motor de 125 cm3 que não vale 3 mil e essa carroceria de brinquedo que não vale 2 mil, juntando tudo não vale 5K, vai COMEÇAR com preço de 15K, vender bastante desse jeito.

      • Isso não importa. Vc não sabia que no Brasil as empresas deveriam fabricar carros, pagar impostos e toda a classe que ela paga (fornecedores, trabalhadores e ainda as concessionarias) deveriam vender sem nenhum lucro?

        • O pessoal não entende de capitalismo. Se fosse fácil de fabricar um carro, desenvolver o projeto, conseguir licenciar ele no Detran, todo mundo ia fazer no fundo de quintal.
          Quero ver quem com 5 mil faz um carro do zero aqui no Brasil. As empresas tem que ter lucro, tem que pagar os funcionários. Quero muito que as montadoras vendam bem, pq aí acabam as demissões e os funcionários dessas empresas podem gastar o seu salário em outras partes do comércio e todo mundo ganha dinheiro. Mas a galera só pensa que é explorado, que tudo é caro…mas duvido que alguém iria reclamar de ter um lucro ou um salário maior, se pudesse.

        • Há alguns anos trabalhei com um cara que era supervisor de compras de uma das fornecedoras da VW Brasil, acho que em 2005 ou pouco antes. Ele me disse que eles fabricavam a manopla de freio de estacionamento para o Golf e vendiam (com lucro, lógico) para a VW por R$ 8,00. E as concessionarias vendiam a peça por R$ 180,00. Não sei o valor que a Vw vendia para as concessionárias, mas nem o governo lucra tanto assim…

    • Custo de fabricação vai girar em torno de R$5.000,00 entre peças e equipamentos.
      Mais mão de obra
      Mais impostos
      Mais custos de pesquisa e desenvolvimento
      Mais construção da fábrica que tem que se pagar
      Mais custo de manter a empresa/custos administrativos
      Mais custo de transporte
      Mais custo de garantia
      Mais custo do risco
      Mais lucro

      Faça as contas, não estou dizendo que o valor é baixo, concordo que é alto e em um país civilizado custaria a metade, mas aqui no Brasil todos os custos são altos, é quase impossível fazer um valor justo.

      • No Brasil além de tudo que você citou há algo chamado de “lucro Brasil”

        Significa por exemplo que as empresas daqui têm uma margem de lucro maior que as de fora.

        Pra exemplificar.

        Perguntaram (um repórter especializado, não me lembro qual) por que o GOL vendido no México, que era produzido aqui custava uns 10 mil a menos lá que aqui no Brasil. A resposta foi direta. Brasileiro PAGA.

        Por isso, no ano passado ou retrasado, as empresas americanas, montadoras, estavam acionando o órgão regulador americano ( algo parecido com o Contran dele) informando que a qualidade dos veículos Brasileiro era demasiadamente inferior, de tal forma que colocaria em risco vidas americanas e prejudicava a concorrência.

        A denúncia constava que o número de pontos de solda eram insuficientes.

    • Logo se nota que você não entende nada de automóveis. O mais caro de um carro é a caixa de marchas e não o motor ou a carroceria… Além disso, só os desinformados não sabem que os impostos representam muito no valor final de um veículo. A Tributação varia de 37,2% a 54,8%sobre o valor final.

  • No minímo interessante uma empresa brasileira entrando no mercado automobilistíco. Mas o que mais me preocupa é mesmo com a segurança…e outra, vai ter airbag? Pelas fotos, não parece ter.

    • Deve ter, a lei obrigada. Mas é interessante mesmo uma empresa brasileira se aventurando no mundo automotivo, pena que podia lançar um carro “mais tradicional” rs

    • Faz diferença? Você já viu os vídeos desses carros sendo montados? É tudo de fibra, sem gaiola de proteção. Não sei se melhoraram a segurança na versão final, pois se não, você serão destroçado junto com os airbags e o resto do carro em caso de colisão. Imagina sofrer um engavetamento dentro de um desses?! Prefiro um usadinho pelo mesmo preço.

  • Bem melhor que moto. Acho que deve atingir um público específico, tipo de lugarejos de interior, áreas de lazer, praias e etc, nada muito interestadual pelo jeito.

      • Sei lá, mas a coisa nas cidades aqui no Brasil não está tão complicada assim.. E outra, com esses 15 mil, aqui na minha região, compra-se um Ford Ka geração 1 que também é excelente para vagas apertadas. Além de achar um até com ar, direção, vidros e travas, ou seja, mais confortável que essa coisinha ai..

      • Bullying talvez não… existem muitos pilotando a moto* shineray como se fosse uma BMW kkkk. Acho ate que esse mini carro seria a Ferrari para alguns.

  • O conceito é bem interessante mas o design é muito feio! Eu acho que a solução urbana ideal (salvo transporte público de qualidade) são veiculos nos moldes do SmartForTwo, pois, grande parte dos veiculos nas ruas andam com 1 ou 2 pessoas a bordo. Pena que o Smart seja tão caro.

      • A Gurgel começou a instalar uma fábrica no Ceará, financiada, na época pelo Governo Ciro Gomes e não terminou a fábrica, pedindo mais dinheiro ou então levaria as máquinas. Delicado como ele só, o Ciro, botou a Polícia Militar na porta da fábrica e mandou dizer que fossem embora, mas as máquinas ficariam e ficaram mesmo…

    • Quanta vergonha estou sentindo agora!!

      Gurgel nos ANOS 70 desenvolveu a primeira fabricante nacional com carros de fibra, 45 anos depois eu me deparo com “ISSO”, um carro com menos tecnologia que um carro dos anos 70! Isso é reflexo do atrasado em educação e tecnologia do país, muito triste.

        • Admiro muitoooo a Troller, não existe outra fabricante com proposta no mundo parecida com a dela, tanto que atraiu a Ford! Já li em sites gringos que eles estão implorando para a Ford vender Troller nos Estados Unidos.

          Agora esse tal de Nanico ai?? É sério isso?? Olha para os avanços em tecnologia da India, da China, Russia e é isso que o Brasil tem pra agregar? Ridículo!!

          • Pois é Ric. Falaram tanto que o Brasil tinha de ter um carro nacional, etc etc. ..Taí a bagacinha Brasileira! Tosco igual esse País nosso. Se levar essa coisinha para a tribo mais atrasada da África, os caras vão falar” que merd* é essa”…Nem de graça amigo queremos aqui rsrsrsrs..

            • OTroller é um projeto totalmente brasileiro. O Stark também. Ambos são fabricados no Ceará e quando começaram era assim, tinha muita gente querendo prejudicar os empreendedores com críticas sem sentido…

          • Isso é um protótipo. O carro final sempre fica diferente. Além disso, será um carro elétrico com versões a gás. Será isento de IPVA. Quem entende de projetos de carro sabe que projetos de carros não são bebês que saem da barriga da mãe prontos, precisam de muitos testes, ajustes e modificações. Mesmo assim, já existem encomendas de 500 unidades, fora outras pedidos avulsos… No Ceará já tem a Troller, a Stark (semelhante ao Troller) e fábricas de bugres e carros especiais (réplicas de carros clássicos). Tem várias fábricas de moto.Tem muitas fábricas de autopeças que vendem para as montadoras de todo o Brasil. O Estado tem vocação para isso, só falta investimento e estão investindo no Nanico. Essas críticas destrutivas, não vão impedir o sucesso do negócio…

    • Muitos agradecem a abertura de mercado que o Color fez, mas muitos esquecem de que a abertura quebrou a Gurgel, entendo que precisávamos melhorar nossos carros, mas como todo político imediatista que senta naquela cadeira, quebraram a possível industria brasileira. Acho que tudo tem de ser feito de maneira ponderada. A Gurgel precisava de incentivos para sobreviver com as de fora. Conhece algum país poderoso que não tenha uma industria automobilística de ponta!? Alemanha, Japão, EUA, França, Inglaterra, Coréia do Sul (cada vez mais forte), Itália (já foi melhor, mas é bem). O Governo precisa sim ajudar a industria nacional.

        • Melhor que nada!! Precisamos incentivar pequenos projetos, ou vc acha que a Ford nunca contou com ajuda do governo americano!? Olha a GM na crise de 2008, o Governo comprou a empresa, criou uma nova, e em seguida vendeu na bolsa.
          Alemanha tem ações do Grupo VW! EXISTE UMA LEI VW NA ALEMANHA!!! E aqui!?
          Fazemos chacota de iniciativas como esta…

      • O povo parece que esquece que antes de a Ford fabricar as melhores picapes do mundo, eles fabricaram o modelo T, que só conseguiu ser barateado depois de vender bastante.
        Nós precisamos de um carro nacional, por mais que seja modelo para centros urbanos, mas o próprio brasileiro faz chacota das suas iniciativas de desenvolvimento.

      • Não foi a abertura ao mercado internacional que quebrou a Gurgel. O que quebrou a gurgel foi o governo que estendeu o beneficio tributario de impostos a carros até 999cm³.

        Antes era até 800cm³ o que fazia a Gurgel poder vender seus produtos de forma competitiva.

        • Não sabia de todos os detalhes. De qualquer forma, culpo governos passados pela decadência da industria automotiva nacional. A Troller tinha a Pantanal (pick-up) e o T1 (compacto urbano) que seriam montados, a Ford veio e engavetou tudo. O Governo não poderia ter permitido essa venda, hj teríamos Trollers elétricos talvez? Não sei, sei que o Brasil é o celeiro do mundo, e vai continuar sendo pq a bancada agropecuária e religiosa, não ligam pra isso, e a oposição atual quer entregar o petróleo para as multinacionais igual foi com o pau Pau-Brasil.
          Não sou petista nem psdbista, só queria ver um Brasil melhor.

          • Ok e entendi.

            Para mim, o que o Brasil deveria no minimo nessa confusão toda que é até hoje é que poderiam trazer auxilios a empresas brasileiras como foi com a Gurgel. O cara era um visionario que devido a nenhum tipo de subsidio e o unico que poderia colocar a Gurgel em pé de guerra foi retirado. Isso foi uma pena.

      • Não foi a abertura do mercado que quebrou a Gurgel…
        A Gurgel não faliu por não vender veiculos (na verdade, ela faliu antes mesmo de entregar veiculos já encomendados!).
        Basicamente faliu pq o sr. Gurgel quis dar um passo um pouco maior que a perna… confiando que o acordo com os governos de SP (Fleury) e CE (Ciro Gomes) seria honrado.
        A Gurgel ia abrir uma fabrica no Nordeste para fabricar o Delta (um veiculo extremamente simples, com soluções bem interessantes – sim, o nome Delta vem da Asa Delta, que mesmo sendo extremamente simples proporciona ao homem o prazer de voar). Para baratear o processo (a Gurgel teve problema com o fornecedor da caixa de cambio argentina), ele comprou maquinário da França (Citroen) para fabricação das caixas de marcha. O equipamento chegou, mas o dinheiro do acordo com o governo não… dai ficou na divida e foi quebrando.
        Se para fabricar carro o sr. Gurgel era um gênio… para administrar a empresa não era muito bom… Construiu tudo na base dos sonhos, mas sucumbiu na inocência de confiar em políticos…

    • Quem acabou com Gurgel foi o mesmo que produziu o Gurgel. Seu idealismo não encontrou abrigo na realidade. Um brasileiro como poucos. Um empresário com visão limitada como muitos.

    • Isso que eu achei, só o conjunto rodas/pneus deve pesar 1/3 do carro.
      Seria interessante diminuir principalmente a largura das rodas e pneus, diminuiria o peso e o arrasto.
      Tirando isso, é um conceito bastante interessante, me sentiria mais seguro em um desses do que em uma moto.

    • Além de serem grandes demais, olhe o tanto de espaço que se perdeu para as caixas de roda. Desnecessário. As pernas devem ficar afuniladas na frente. Fora a largura do banco. Dois adultos se expremem ali. Estudo de ergonomia e proxêmica pelo jeito, ficaram de fora. Estética então….

  • bacana a ideia e mais bacana ainda o fato de ser empresa brasileira!
    porém precisa de AirBbag/ABS, pneus menores creio eu!! um Teste de Colisão é imprescindível e, claro, baixar esse preço um pouco !
    a partir de 8.990$ vai ter mt comércio (pizzaria por exemplo) querendo um

  • É sério? Vão investir R$ 8 milhões para fabricar isso? Quero dizer, com esse valor se poderia desenvolver algo um pouquinho mais realista, algo como um Smart, ao menos em tamanho e visual.

  • Feio porem a proposta é interessante, mas em que categoria se encaixa? Ciclomotores são até 50cc, se for considerado um automóvel me parece bem inseguro.

  • Qual o enquadramento legal desse veículo? Ele não parece estar muito pronto para ABS/Airbag… Além disso, tenho medo só de pensar num LATINCap dele… kkkkk

  • Louvável a iniciativa de se produzir um carro brasileiro, ainda mais pensado para o uso urbano, mas o projeto padece do mesmo mal que acometeu os Gurgel: É feio de doer. Senhores empresários brasileiros, dêem o devido valor aos designers (eu incluso), os contratem e verão que o gasto terá retorno. O carrinho é cheio de boas intenções, mas como diz o ditado “de boas intenções o inferno está cheio!”. Não dá pra encarar esse trambolho, mesmo sendo muito patriota. Não tem proporção, não tem gráficos, não tem coesão na forma e, a julgar pelas fotos, não tem boa ergonomia. Isso só comentando o que diz respeito ao design. Não quero nem pensar em segurança, engenharia etc. Acho que se aplica, nesse caso, a máxima do “vai fazer, faz direito!”.

    • Os carros da Gurgel não eram tão feios, para época até que tinham um charme à parte. Gosto é pessoal mas os Gurgel além de econômicos eram ágeis e o Gurgel já pensava nas tendências que hoje temos no mercado, na década de 70 já pensava em carro elétrico, nos anos 80 já imaginava veículos compactos … Teve um XEF que era uma mini – Mercedes para alguns, com bom acabamento e voltado a transportar apenas 3 ocupantes, já que o mesmo notou que nas grandes cidades em média se transportavam menos de 2 ocupantes por veículo . Teve o Carajás, o único com motor dianteiro; enorme e bem robusto, mecânica AP 1.8 do Santana . Ao meu ver até melhor que as Ford F.1000 SR, que era um típico carro de fazendeiro. Dava enorme garantia no seu composto, o “plastil” era bastante resistente por incrível que pareça, tenho visto Gurgeis quase que impecáveis em Aracaju que é litoral com maresia e tudo . Esse aqui o SuperCross, olhe só onde está o estepe . Já imaginava essa onda de pseudos cross nos anos 90 .

      • Tosca..Tudo bem…
        Admiro sua admiração pela Gurgel e tal, mas acredite, muito do que se fala hoje não condiz com a realidade. Eu vivi bem os anos 80 e começo dos 90, e acredite, na época, ninguém sonhava com Gurgel, principalmente o BR800. Me lembro que carros que se queriam a época eram(e falo como jovem da época)..Escort, Gol, Monza…etc a até o Uno Mille, para aqueles que realmente gostavam dos Fiat..A Gurgel, me lembro bem, só se admitia comprar o Carajás, que era um absurdo de caro. A Gurgel não foi perseguida e tal como dizem por ai, mas sim, p de não ter carros que a maioria esmagadora da população queria comprar. Ou seja, quebrou por não ter um produto de grande aceitação no mercado…Fica as lembranças, sim, mas foi uma empresa que errou, e muito, com o mercado…

        • eu vejo um cara a frente de seu tempo, que pagou alto por ser visionário ; numa época onde não se pensava no trânsito que hoje é caótico, Gurgel já imaginava que o futuro eram carros menores e econômicos … Mas sabe muito bem eu e vc que nicho de mercado era onde uma empresa menor poderia se aventurar, se ele ainda vendeu 43 mil automóveis foi por que eram em nichos onde as grandes montadoras não exploravam …

  • Anos de Fábricas operando no país e o melhor que deu pra fazer localmente é uma bixeira dessas… Realmente a china que está certa em forçar as marcas de fora se associarem com marcas internas e transferir tecnologia e conhecimento para fabricação local.

    Nem a Dignidade de ser um Tata Nano da vida…

    Dá vergonha ver isso ai… Para um produto amador, é para ser aplaudido, para um produto em série, é vergonhoso!!!

    E para completar, isso sim é um carro feito no fundo de casa!!!

    http://g1.globo.com/carros/noticia/2015/07/chines-constroi-carro-eletrico-com-r-15-mil.html

    Que vergonha, que VERGONHAAAAA!!!!

    • Vergonhoso mesmooo a imprensa nem tinha q dar ibope pra essa porcaria! Gurgel a 45 anos atrás fez um carro de fibra com mais tecnologia q isso ai! Russia, India, China.. Olha a contribuição do Brasil!putz, se mata!!

    • se a proposta for pra frente eu compro, pouco me importo com beleza nesses carros, rodar 300km com R$12,50 tá pra mim que moro a 12km do meu serviço tá bom demais.

      • compra uma scooter que vc gasta menos q isso.. ou uma bike..e so gastará as canelas hehe.
        eu teria vergonha de andar num bicho feio desses.. parece aquelas carrinhos de parque de diversoes..

  • Por favor manda um desses pra cá. Era o que eu precisava. Sem falar que é de uma empresa nacional.
    Carro prático e econômico por 15k? Manda um pra mim.

  • Saúdo os empreendedores e desejo sucesso na jornada, afinal de contas, empreender no Brasil é absolutamente desgastante, ainda mais agora que estamos colecionando crises. O carrinho pode melhorar em alguns aspectos, mas, a ideia é excelente.

    Agora, espero que venha à luz de fato, afinal, já ouvi essa estória de que em ano X vão produzir Y unidades, com incentivos do governo, etc.

  • Algo me diz que as vendas tbm serão nanicas…. O que leva um ser humano a gastar dinheiro numa empreitada obviamente condenada? Ate os carrinhos da Gurgel de décadas atras eram menos toscos que isso ai.

  • É uma moto com teto. Pelas fotos nota-se como a construção é amadora e improvisada. Talvez no modelo definitivo melhore. Nem imagino como deve ser a dinâmica deste carro com um entreeixos tão curto.
    De qualquer forma, desejo sucesso, pois a Troller também começou de forma amadora e improvisada e evoluiu muito até passar (infelizmente) às mãos da Ford. Vamos ver se sai do papel mesmo ou se vai ser mais um à morrer na praia coo o Òbvio e tantos similares.

    • Arrisco afirmar que a salvação da Troller foi a Ford, pois ela estava mal das pernas e caminhando para a falencia. A Ford impôs uma pegada mais empresarial e profissional, tornando o carro mais conhecido e confiável. Além do mais, se hoje o Troller tem venda e assistencia nacional, deve-se a Ford.

        • sim, e para muitos a mesma tem perdido sua vocação e identidade, hoje é tudo muito parecido com os modelos da Ford, melhorou o acabamento mas algumas mudanças no projeto foram questionadas….

        • Nunca teve uma nem outra.
          O que haviam eram representações comerciais em pouquíssimas capitais. Quanto a assistencia, se o dono precisasse de alguma peça, tinha que entrar em contato com a fábrica por conta própria e encomendar a peça.
          A produção era artesanal ( o que não quer dizer que fosse ruim) e a assistencia era amadora. Complicado ir para a frente assim.

      • DIfícil dizer. Sem dúvida a Ford fez bem à marca de forma imediata, a experiência e tudo mais são indiscutíveis e a troller, neste ponto, era uma novata bastante amadora.
        Mas vale lembrar da história da Pantanal, a picape que supostamente teve erro de projeto, se um projeto desses dá com os burros n´água numa empresa pequena certamente iria fechar, isso explicaria a venda para a Ford, pois a Troller ia caminhando bem e se teve a ousadia de fazer um projeto desses era porque os donos queriam crescer com a marca.
        Ao mesmo tempo, pode-se ver pelo prisma da “teoria da conspiração”, ou seja, quando a troller começou a sair do seu nicho e iria ofertar um carro de apelo mais geral, como a tal picape pantanal, acabou se tornando incômoda e sofrendo um “hostile takeover”, ou seja, vendida na marra, sofrendo ameaças, etc, ou com ofertas muito tentadoras, inclusive com apoio do governo federal e pessoalmente do presidente Lula que “abençôou” a venda.
        Puxando a sardinha da história, podemos especular coisas parecidas com a Gurgel.
        A verdade? Dificilmente saberemos, visto que todas as Pantanal foram recolhidas e destruídas.

  • Tá certo que o bichinho é feinho e parece cruzamento de carrinho de supermercado com pinico, mas a proposta é interessante e iniciativa merece elogios.
    Também terá versão elétrica, o que o torna mais interessante e econômico para uso individual a curtas distancias.
    O design pode melhorar, pois com essas medidas parece que para capotar basta um empurrão.
    Mas a proposta e o preço são bons. Não deixa de ser bom um começo.

  • A gente não pode descer a lenha assim nos projetos nacionais, sabemos muito bem como é difícil produzir algo aqui, até mesmo uma patente é complicado de se conseguir ao ponto de muitos jovens inventores brasileiros venderem suas ideias a preço de banana à qualquer empresa multinacional . Com baixo capital para investimentos e ao menos boa vontade em ser aventurar no mercado acharia por bem buscar alguma parceria com uma empresa qualquer, não é feio para uma indústria que começará agora aquirir algum projeto antigo de outra empresa já consolidada, as chinesas começaram assim . Eu teria buscado alguma empresa chinesa, feito uma parceria para troca de tecnologias e mão de obra; podendo até usar motores desta através de uma joint-venture . Compraria algum projeto antigo como este da Renault, o Twingo, e faria meu projeto encima desse modelo; não é vergonhoso começar assim, nenhuma empresa nasce de um dia para o outro, e pior aqui sem investimentos e com muita burocracia . Imagino um modelo assim, de 850cc à 1000cc; usando mecânica de fora e algumas outras tecnologias adquiridas de outras empresas. É possível começar assim, infelizmente melhor que isso é impossível de se pensar hoje.

  • Praticamente todas as noticias (ou posts) do NA deixam a desejar no quesito “informação completa”. Tudo muito vago e sem detalhes. Fiquei curioso em saber se esse carro teria ABS e Airbag que são obrigatórios hoje no Brasil. o NA não diz nada sobre isso. Alias, não diz nada sobre nada.

  • pegaram um motor de uma fan 125 e colocaram num carrinho de brinquedo kkkkkkkk, agora sério, 15 mil nisso? sei que existem impostos, mas não chega a tanto, um up por 50mil chega a parecer barato perto desse ai por 15, a ideia é excelente se eles realmente quisessem caprichar no projeto.

  • A ideia é boa, mas o desenho do “Carro” não ajuda muito, minha opinião! eu teria um sim, uso estritamente urbano é uma ótima pedida.
    Ps: O preço ta um pouquinho salgado chefe…

  • A Fabrica recebeu terreno e incentivos da prefeitura, Vamos ser sincero, este projeto somente nasceu para alguns levarem uma bolada em verbas publicas a fundo perdido. O Ceará já fez isso com a Troller e com a TAC, que inclusive fechou…..

  • Não me animou nem um pouco, e olha que sou entusiasta desse tipo de veículo.
    Obrigatoriamente tem que ser equipado com câmbio CVT pra ser interessante (disponível em scooters dessa faixa de cilindrada), o problema é que ficou feio demais, e passa uma sensação de esmagamento quando olhamos a lateral

  • ora… esse ai não é o carro que o Faustão apresentou como sendo de um mecanico de fundo de garagem que foi la para conhecer a família que não via desde que nasceu!?!?!?

  • E aquele veículo nacional, um que tinha 3 rodas e espaço para 2 passageiros salvo engano, que fim levou??? Achava ele bem mais bonito! A última notícia que tive foi a de que haviam mudado os planos para que o motor fosse elétrico. Infelizmente nosso governo não dá incentivo algum para os veículos nacionais.

  • Porque alguém pagaria 15 mil nesse carro sendo que com este mesmo valor se pode comprar varios carros tradicionais (corsa,gol,palio,uno etc..) usados?

  • E esse projeto de elétrico? pq não ajudar a desenvolver algo nesse sentido com tecnologia nacional? Feio por feio, melhor um feio elétrico. Ah sim, esqueci que o governo está K.H.ando para os elétricos…

  • A intenção é ótima, mas creio que precisa evoluir o projecto para realmente ter larga escala. Parece não ser muito seguro. E vão liberar o emplacamento nele?

  • A legislação atual exige ABS e 2 AIR-BAGS. Não vi nem como vão colocar air-bags naquela coluna de direção, que mais parece uma lança pronta para entrar no peito do motorista. Eu preferia andar no fusca do Itamar que é muito mais seguro. Estou duvidando que isto entre em produção.

  • Deu até vontade de correr atrás desses 8mi, bóra fazer um? Mas, pelo amor de Deus, que seja como um Dacon 828 ou um Emis Art, poruque essa jabiraca tá ofensiva de tão feia… que vergonha.

  • Essa…. carro eu acho uma excelente ideia como segundo carro, p que coisa melhor nessas cidades travadas? Teria um facil como um work horse e um bom p viagens e fds!

  • Achei muito estreito para ser um nano car. Tá mais pra Átomo car.
    Se eu tivesse a oportunidade desse cara, tentaria fazer parceria com empresas nacionais ou chinesas para a fabricação do carro. Contratar uma galera que já trabalha no ramo. Pq entrar assim do nada, só pra dizer que tem carro 100% nacional é pra pedir pra levar pau. Se isso for apenas uma amostra e o definitivo for melhorado, pode ser que venda algo.

  • Espero que os R$8 milhões não venham do governo ou BNDES… Nossos imposto para fabricar algo que não pode andar na rua… Já ganharam terreno e incentivos fiscais da prefeitura…

  • Ai, ai, Brasil… Que lixo de engenharia é essa? Putz… E certamente o motor 125 virá de alguma moto, com tecnologia que não foi desenvolvida aqui, assim como outros itens do projeto, imagino. O mundo civilizado falando de veículos (de verdade) elétricos, célula de combustível, carros autônomos, e na Banânia temos uma coisa destas. ECA.

  • Após ler essa matéria, busquei saber ainda mais sobre a indústria automotiva brasileira, e hoje vejo o quanto o nosso Governo corrupto sempre interferiu e muito nesse ponto, sem falar nas indústria estrangeira que hoje se dizem brasileiras, que compram e matam vários fabricantes 100% nacionais como o Onça 1960, Puma DKW e o mais escandaloso de todos que achei foi o IBAP Democrata com um motor 2.5 V6 e muita beleza e conforto que seria acessível ao brasileiro que o governo conseguiu extinguir antes mesmo de entrar em produção.
    Voltando a matéria esse mini carro pra mim, chega abeirar o ridículo em termo de construção, bem diferente de outros nacionais de fibra que já ouvi falar, mas pelo que vejo é apenas dessa maneira que uma indústria 100% brasileira pode trabalhar, por que se melhora um pouco mais, alguma coisa incomum acontece e tudo vai pro brejo.
    Seria interessante o NA trazer uma matéria revivendo esses fatos!!! Lembrando de Gurgel também.

  • Gostei do carrinho!

    O duro é que se levar um porrada na traseira ou haver uma colisão dianteira, o motorista já era.

    Mas, eu arriscaria ter um de daily driver!

  • Pra quem não tem uma garagem grande, anda de moto e quer fugir da chuva, é uma boa pedida.
    Acho bacana esses microcarros. Sempre me lembro do izetta que foi fabricado até pela BMW no pós guerra.
    Vai ter airbags? ABS? Mesmo que não tenha, é melhor que uma moto nesse sentido.

  • Pra que ele tem que ser assim tão feio?
    Eu adoraria ter um buggy elétrico por exemplo.
    Ficaria show.
    Será que seria tão caro produzir algo esteticamente mais aceitável?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email