Europa Nissan SUVs

Nissan desiste de produzir próximo X-Trail no Reino Unido

Nissan desiste de produzir próximo X-Trail no Reino Unido

A Nissan desistiu de produzir a próxima geração do X-Trail no Reino Unido. A decisão não foi tomada por conta do Brexit, segundo a montadora, mas é quase certo que a indecisão sobre o destino do país em sua separação com a União Europeia, deve ter influenciado na retirada do investimento em Sunderland.


Gianluca de Ficchy, presidente da Nissan Europa, confirmou a pressão sobre o Brexit: “Embora tenhamos tomado essa decisão por razões comerciais, a contínua incerteza em torno do futuro relacionamento do Reino Unido com a UE não está ajudando empresas como a nossa a planejar o futuro”.

Nissan desiste de produzir próximo X-Trail no Reino Unido

Em outras palavras, é melhor não botar dinheiro no Reino Unido até que tudo tenha sido definido. Como não se sabe sobre o futuro, a montadora não irá arriscar. Para abastecer o mercado europeu, a Nissan produzirá o X-Trail em Kyushu, Japão, onde atualmente se concentra boa parte da fabricação de veículos da marca. O SUV é feito hoje em Kanda, Fukuoka.


O SUV é considerado de grande importância para o mercado europeu, em especial com motorização híbrida, que foi mostrada no Salão do Automóvel 2018. Aliás, o modelo não deverá ser vendido no Brasil tão cedo, pelo menos não nessa geração. Lançado em 2013, o X-Trail atual já está perto de mudar.

Nissan desiste de produzir próximo X-Trail no Reino Unido

Atualmente, o Nissan X-Trail é fabricado em diversos países. Além do Japão, sua produção se dá nos EUA, China, Indonésia, Malásia, Tailândia, Rússia, Coreia do Sul e Taiwan. Não há previsão de produção no México, o que ajudaria sua comercialização no Brasil.

Agora, resta esperar pela nova geração, que aí assim poderá chegar ao mercado nacional em sintonia com os demais países. Apesar de ausente por aqui, o Nissan X-Trail emprestará seu propulsor híbrido 2.0 para o próximo Sentra, que já foi visto na China e que será vendido dessa forma no Brasil.

[Fonte: Carscoops]

Nissan desiste de produzir próximo X-Trail no Reino Unido
Nota média 5 de 1 votos

  • Natán Barreto

    Sei q os fanáticos amam e criticam todos os q gostam dos automáticos, mas carro acima de 60 mil reais manual é algo impensável PRA MIM.
    Não faz sentido um SUV desse tamanho com câmbio manual. Ele não tem proposta off road, não tem proposta esportiva, sem nada q justifique um câmbio manual nesse trambolho

    • Raimundo A.

      Não precisa de MT em um fora de estrada, pois até caminhões extra pesados com aplicação fora de estrada utilizam transmissão automatizada para evitar mal uso e melhorar a eficiência.
      Purista que gosta de trocar marcha vai apelar para esportivo ter a opção por embreagem simples, mas grandes marcas de super esportivos estão ofertando os AT com opção de troca manual. O controle sobre a transferência de força é menor, mas ainda possível.
      O que não compreendo é o cara fazer questão de cambiar utilizando o veículo a maior parte do tempo em centros urbanos com crescente congestionamento. Se fosse eventualmente no meio urbano e com maior uso em rodovias, compreenderia porque em rodovia troca menos as marchas, mas você tem aquela sensação saudosista.

      • Natán Barreto

        Pois é, ou seja, você ainda trouxe evidências técnicas que explicam porque câmbio automático seria melhor.
        As pessoas são teimosas e gostam de usar coisas antiquadas apenas “porque sempre foi assim”.
        Comprei meu primeiro carro com 24 anos e sempre ouvi que gosta de automático quem não sabe dirigir. Hoje vejo q quem não gosta de automático é pq não tira o pé do passado mesmo

        • El Gato!

          Perfeito. Cara, pra mim, MT só se for em carro acima de 200 cv em um track day ou algo do tipo. Do contrário, não troco AT por nada no mundo automotivo.

    • Bruno Silva

      Na Europa é maioria, vi muitas BMW, AUDI (suv tbm), etc, todos manuais.

    • Zé Mundico

      Realmente, o público alvo desse SUV quer passar longe de câmbio manual e não volta para ele por nada nessa vida. Passar marcha e pisar em embreagem é algo próximo do medieval pra muita gente….rsrsrss

    • th!nk.t4nk

      Os europeus adoram câmbio manual. Não é uma questão financeira pra eles, e sim de preferência. Mas tem pra todos os gostos, e é isso que importa: dar opçoes ao consumidor. Eu mesmo só tenho automático há bons anos, mas tenho vontade de ter um modelo manual como segundo carro. Acho bem divertido, pois te obriga a interagir diretamente com o motor, é instigante.

      • cepereira2006

        Não creio que seja por gosto e sim porque a gasolina aí é cara pra chuchu. Até mais cara que na banânia. Não é à toa que o diesel faça tanto sucesso. E o europeu médio (não-alemão) é relativamente pobre. Não passam fome, mas vivem naquele limite, fazendo contas. Também não passam mal pois seus países tem uma excelente infra para se viver, mesmo sem ter um carro. Carros pequenos e econômicos são a maioria. O dia que a gasolina for mais barata aí, pode escrever, acaba esse “amor” pelo câmbio manual.

        • th!nk.t4nk

          A gasolina aqui é barata frente aos salários. Comparando com o Brasil, na Europa gasta-se bem menos do orçamento pra andar de carro. Mas não entendi a relação, já que carro automático normalmente é até mais econômico. Quanto ao europeu médio “viver no limite”, mas nem a pau. Tenho familiares e amigos pelo continente todo, e mesmo a família mais pobre vive melhor que qualquer classe média no Brasil. Sem luxos, mas sem dívidas também (dá uma pesquisada sobre o índice de endividamento das famílias nos países da Europa ocidental, e depois do BR). O dinheiro aqui rende muito bem. Já questionei também bastante meus colegas e amigos do leste do continente, onde os salários são bem mais baixos (ex: Rep. Tcheca), e mesmo eles relatam que no geral vive-se muito bem (tanto é que muitos poderiam abandonar por completo seus países e irem trabalhar em outro, mas a maioria decide ficar porque a vida é boa, sem stress pra fechar as contas). Por fim, carro usado na Europa é baratíssimo. Tem Clio do modelo atual em excelente estado por 3 mil, com certificado de vistoria do ano (e por aqui a vistoria é bem chata de passar). E ainda parcelam usados com juros beirando a zero. Insisto, nao tem nada a ver com o custo do combustível pra optar por um manual ou automático. O que mais tem é gente com muita grana andando só de manual, por pura preferência, mesmo nas regioes mais ricas do continente. Entre numa concessionária BMW e veja, a maioria no show-room é manual. Eu sou o “esquisito” que pegou um automático, mas a diferença no preço do carro é irrisória (e meu automático bebe menos que o manual ainda por cima!).

          • cepereira2006

            O conversor de torque perde energia. Me desculpe, mas não tem como o AT consumir menos que o MT, só se for DCT. Veja Portugal, Espanha e sul da Itália, o que mais tem é carro beeem velho e minúsculo com câmbio MT. A média de idade dos carros inclusive é maior do que a brasileira. A diferença é que eles conservam. E não tem mal nenhum nisso. Tenho certeza de que vivem melhor e com uma qualidade de vida muito superior à brasileira. Mas que a gasolina lá é cara, isso é, e as escolhas dos carros são nitidamente voltadas para o menor consumo. Ter carro AT na Europa ainda é um luxo para poucos. Você está na Alemanha, onde a realidade é outra, tem riqueza por todos os lados que olhar. Mas “o grosso” do continente não é assim.
            .

        • Zé Mundico

          Olha, não é bem por aí. Estou sempre indo a Europa e posso garantir que a vida lá é mais fácil para o “povão”, embora problemas existam em todo lugar do mundo. Mas entre ser pobre no Brasil e ser pobre na Europa, é melhor ser pobre lá.
          Os salários são honestos mas o principal é que a população conta com toda uma impecável rede social, desde educação pública até sistema de saúde decente, sem falar no tranporte público que te leva a qualquer lugar por um preço justo. Muita gente lá usa carro apenas no fim de semana para sair com a patroa e a garotada.
          Quanto a gasolina, pode até ser cara em alguns países, mas rende muito mais que a nossa “cachaça”, e o trânsito flui bem melhor. Mas o diesel facilita muito a vida, embora já esteja em vias de extinção por lá, parece que até 2030 ou 2040 não vai ter mais carro diesel na Europa.

          • cepereira2006

            Não tenho dúvida nenhuma que é melhor ser pobre na Europa do que aqui. Lá os serviços públicos funcionam, o povo segue as regras, em sua maioria, tudo é melhor. Mas que câmbio AT ainda é um luxo para poucos europeus, isso é, e a escolha tanto pelo MT como pelo diesel é porque sai mais barato de manter. A gasolina é cara mesmo para os padrões europeus.

        • Hodney Fortuna

          Relevando o custo per capta a gasolina brasileira é muito mais cara para o cidadão nativo que na Europa. Não é brincadeira vc tirar uns 3 mil reais por mês, possuir um carro 1.0 e este fazendo uns 9 km/l o que é uma média de consumo padrão hoje no brasil graças a péssima qualidade do combustível vendido. Na Europa os carros mais novos já estão consumindo a média de 25 km/l ao passo que no brasil isso é um sonho mais distante que média de carro hibrido.

  • sigma7777777

    Nissan parece estar em câmera lenta, enquanto suas colegas japonesas estão entregando produtos mais atualizados. Quem sabe esteja planejando uma plataforma modular com as demais da alianças, como Renault, Mitsubishi e Mercedes. Se for isso ao menos poderiam avisar, né?

    • Cesar

      Já existe uma plataforma modular na Aliança. Inclusive ela já é usada no Brasil.

      • sigma7777777

        A da Frontier, não é? Estou me referindo a veículo leves, como hatchs e sedans.

        • Cesar

          Estamos falando da mesma coisa: Veículos leves.
          A Nissan já tem em conjunto com a Renault uma plataforma modular que se chama CMF. Está possui variações para veículos pequenos , compactos e médios grandes (CMF-A, CMF-B, CMF-C/D). A Renault já usa a variação A no Brasil (Kwid) e prevê-se que o novo Sandero seja feito sobre esta plataforma.
          Em outros mercados a Nissan já usa esta plataforma nos automóveis: Nissan Qashqai Nissan X-Trail Nissan Pulsar.
          A Renault no Espace V, Kadjar, Talisman, Mégane IV, Koleos II, Scénic IV.

  • th!nk.t4nk

    Hoje só louco pra investir no UK. O país tá virado do avesso. Triste que tenham se metido nessa enrascada.

    • fschulz84

      E por estas e outras que a Eslováquia vai ganhando várias plantas novas de montadoras. Não duvido nada aparecer uma planta da Nissan (se é que já não tem) nos arredores de Bratislava.

      • Zé Mundico

        Realmente, Eslováquia, Polônia e Hungria já tem várias plantas de diversas marcas e a tendência é sempre ir atraindo mais, pois oferecem excelente mão de obra e logística impecável.

        • fschulz84

          E o que me parece que anda acontecendo nesta parte da Europa é que os atuais governos estão providenciando segurança para que se invista.

          Rep. Checa, Eslováquia e Polônia viraram grandes centros para as empresas de TI. A Eslováquia possui diversas montadoras com plantas produtivas por lá.

          A Magna Steyr abriu recentemente uma planta em Maribor, na Eslovênia, que é outro país que, apesar de ser majoritariamente agrícola, possui algumas “grandes” cidades que vêm atraindo plantas.

          Essa me parece a região da Europa que mais vem se desenvolvendo (proporcionalmente) nos últimos anos.

          • th!nk.t4nk

            O desenvolvimento dessas regioes tem pouco ver com o governo local em si, mas com a existência da Uniao Européia, que propiciou poder fabricar em qualquer lugar do bloco como se estivesse “em casa”. Se dependesse do governo dos países do leste europeu, muitos estariam lascados. Acompanho os jornais da Polônia e Eslováquia, é escândalo e burrada todo dia, nao muito diferente do que vemos no Brasil. Eles deram é muita sorte em fazerem parte da UE.

            • fschulz84

              E acredito que o custo de países “mais desenvolvidos” do bloco colabora para isso né…

              Eu fico pasmo com a diferença de custos entre Viena e Bratislava, separadas por 1 hora de viagem…

              Sei que são realidades totalmente diferentes entre os dois países, mas ver diferenças tão grandes entre países com a mesma moeda e tão próximos geograficamente chama a atenção.

              Eu trabalho como consultor de SAP e tenho visto muitas vagas para Rep. Checa, Eslováquia e Polônia, inclusive uma colega que trabalhava comigo está há 1 ano em Gdansk e está gostando bastante.

              Eu só conheço esta região como turista, sei que a realidade para quem mora é totalmente diferente, mas por relatos e até mesmo por pesquisas que realizei, me parece que morar em Bratislava, por exemplo, atualmente, me parece um negócio melhor do que a atual situação aqui onde moro :(

          • Hodney Fortuna

            O problema da estagnação da Europa Ocidental está localizada nas políticas progressistas e de fins multiculturais na região o que está levando muitos bons profissionais europeus assim como empresas a buscar outros lugares da região para crescer. E a linha ideológica da Europa Oriental é bem mais conservadora o que deixa o empreendedor e competente europeu mais seguro.

    • cepereira2006

      E o que me dá raiva é que nem assim a moeda deles cai para valer. Hoje, para fazer uma boa viagem para lá o cara gasta um carro popular. Não vejo a hora de afundarem na lama do separatismo para ver aquela moeda da rainha cair e poder fazer uma boa viagem para lá.

  • Nicolas

    Brexit e saída sem coordenação, pode paralisar o país por alguns meses, pois tudo terá que passar por um processo de importação formal, hoje a entrada é livre. Já perderam 1 Trilhao Euros por conta disso. Ninguém quer ser pego pela transição desordenada.

  • Gambixx

    Excelente carro, o melhor que dirigi nos eua.

  • 4lex5andro

    “Não há produção no México o que ajudaria na sua comercialização no Brasil…”

    Isso mesmo, tá serto, o importante é proteger a indústria nacional dos carros produzidos em países imperialistas.

  • Hodney Fortuna

    Na minha opinião a Europa é como um todo imprevisível! Existe duas vertentes que querem tomar a região de forma ditatorial com imposição ideológica centrada na Alemanha e França por mãos de seus governantes progressistas! E isso está gerando incertezas como um todo em outros países. A Europa Oriental já praticamente abandonou as diretrizes impostas pelo centro da região que fica na Bélgica por políticos não eleitos pelo povo europeu. Por causa disso a Europa Ocidental vive num mar de incertezas para o Futuro.
    Mas creio que a Nissan tenha percebido também que está havendo uma mudança no hábito na venda de carros por lá! Como se sabe a Europa importa todo o petróleo para refino da gasolina e isso gera valores altíssimos para o cidadão europeu. O litro da gasolina em Portugal por exemplo custa 1.44 euro e isso para eles é tão insuportável quanto pagamos pelo litro aqui no Brasil. A diferença que na Europa a gasolina é praticamente pura, ao passo que a nossa é um composto lixo de péssima qualidade, altamente poluente e ineficiente.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email