Nissan Renault

Nissan estuda separação da Renault, diz Financial Times

Nissan estuda separação da Renault, diz Financial Times

Executivos da Nissan estão estudando uma forma de se separar da Renault, revelou o jornal britânico Financial Times. As empresas fazem parte de um grupo há mais de 20 anos. Caso haja a separação, haverá a divisão de produção, das áreas de engenharia, bem como uma mudança no conselho que administra a Nissan.


A notícia vem num momento conturbado para o grupo, com a prisão do ex-CEO, Carlos Ghosn. Uma semana após a fuga do executivo, a Nissan se pronunciou classificando como “extremamente lamentável” Ghosn ter ido para o Líbano. “A Nissan continuará fazendo a coisa certa, cooperando com as autoridades judiciais e reguladoras sempre que necessário”, ressaltou.

Nissan estuda separação da Renault, diz Financial Times

De acordo com a própria reportagem do Financial Times, a fuga do brasileiro Carlos Ghosn teria aumentado as chances de separação entre Nissan e Renault. Fontes ouvidas pelo jornal disseram que a parceria “se tornou tóxica já que muitos executivos da Nissan creem que a empresa francesa põe para baixo o grupo japonês”.


Ainda segundo a reportagem, o descontentamento é antigo. Durante a administração Ghosn, com tudo funcionando bem para ambas as marcas, engenheiros da Nissan estavam insatisfeitos com a proposta do ex-CEO de combinar engenharia e produção de Nissan/Renault.

Com a mudança do setor para os eletrificados, as vendas em queda, o aumento de custo, entre outros empecilhos do setor automotivo, a possível separação poderia fazer com que as montadoras buscassem novos parceiros. Vale lembrar que isso já uma tendência, tendo em vista que Chrysler e PSA se fundiram recentemente e Ford e Volkswagen formaram uma aliança.

Nissan estuda separação da Renault, diz Financial Times

Em dezembro, Jean-Dominique Senard, presidente do conselho de administração da Renault, disse ao Financial Times: “não podemos sobreviver se não agirmos rapidamente, agora, para compartilhar de verdade”.

Procuradas, as duas empresas não quiseram comentar sobre o assunto. Agora, teremos que aguardar para ver se a separação de fato será concretizada.

[Fontes: UOL e O Globo]

Darlan Helder

Darlan Helder

Darlan Helder, natural de São Paulo, é jornalista e fotógrafo. Escreve na internet sobre o universo automotivo desde 2011. Além disso, atua com produção de conteúdo para plataformas digitais em agências de comunicação.

  • Natán Barreto

    Não gosto do Ghosn e nem dos políticos que ele apoia, mas ele apresentou provas robustas de que o Ministério Público e governo japonês estavam mancomunados com a Nissan pra que a aliança com a Renault fosse dissolvida e não aprofundada. Ele foi o responsável pelo tamanho que a francesa e japonesa tem hoje.
    Os japoneses são muito fechados com seus negócios e não deixariam uma gigante japonesa tão facilmente cair nas mãos de estrangeiros.
    Tanto que praticamente não existe marca japonesa em aliança ou grandes grupos automotivos. Só a Nissan e Infiniti que a acompanha, além da Mitsubishi que está quase morta. Ademais, apenas acordos regionais ou pontuais, jamais estrangeiros vão dominar o que é deles. Vejam se surgiu algum dia rumor de que Honda ou Toyota estariam procurando parceiros. Jamais. Ou até mesmo Subaru, que GM tinha 20%, mas Toyota comprou e aprofundou a parceria. Isuzu praticamente morta tbm pelas mãos da GM.

    Ou seja, a prisão do Ghosn e essa notícia é resultado disso.

    • Peter Bishop

      Exatamente isso! só que a Nissan vai virar uma MIT se isso acontecer. Aliás, o japão hoje é uma nulidade na Ásia já.

      • Aristênio Catanduva

        “uma nulidade na Asia” o 2 maior exportador da Asia é uma nulidade???? Agora conta a piada do papagaio

    • Quais políticos que o Ghosn apoia? Não sabia que ele era envolvido em tretas políticas…

    • PinPortal ✔️

      Talvez sim, talvez não. Se você for ver na bolsa, as ações da Nissan valem mais de 21 bilhões de euros e da Renault algo em torno de 12 bilhões de euros. Pode até ser que no Brasil a Renault tenha mais relevância, porém no mundo a Nissan acaba tendo mais.

      E não sabemos como é a relação da Nissan e da Renault, provavelmente está havendo choque de cultura lá. Se de fato querem separar a aliança, sozinha a Nissan e Mitsubishi não vão ficar. Ou a dupla vai ser incorporada pela Toyota, Honda ou alguma outra japonesa.

      Já a Renault vai ter que procurar uma boa aliança. A Fiat vai se juntar com a Peugeot Citroen. A Opel atuava principalmente na Europa e agora é da Peugeot.

      Provavelmente a Renault vai se aliar a alguma alemã (BMW, Mercedes ou a mais provável Volkswagen). Dificilmente o governo francês deixaria a Renault se aliar a uma empresa americana (Lembrando que a Fiat Chrysler tem sede no Reino Unido, então é europeia também). Mas é aquilo, passar o controle só se for para uma europeia (como VW). Fazer parceria e troca de ações pode até ser com alguma americana, agora uma chinesa, por exemplo, só se for para comprar participação minoritária na empresa (como a Dongfeng fez na Peugeot).

      • FocusMan

        Exato, a Nissan vende bem demais nos EUA e anda vendendo bem na China, os dois maiores mercados do mundo. O novo Sentra está vendendo bem demais na china, passando Corolla e Civic no ranking.

    • Tom Costa

      Com isso fica cristalino o golpe dos japoneses.

    • Samluzbh

      A questão maior é que ela se tornou gigante graças a aliança.

  • Cesar

    Agora só falta a Nissan combinar com os russos.
    Tudo muito bonito. Porém, a Renault é dona de 43% da Nissan.

    • Samluzbh

      Vair dar certo não, a maior fabrica russa é da Renault.

  • Andre Studart

    Tem teorias da conspiração que afirmam que toda a história contra Ghosn foi premeditada por que ele tava derrubando a tradição japonesa e o orgulho deles..

    Vendo tal novela se desenrolar e essa notícia logo em seguida após sua queda, não me surpreenderia nem um pouco caso fosse verdade.

    • Natán Barreto

      acabei de comentar algo parecido abaixo. Os japoneses não são ossos fáceis de roer

      • Andre Studart

        Pois é Natán, desde que esse acordo de fusão foi anunciado já havia rumores sobre uma ala dentro da empresa se roendo por conta disso..

        O Ghosn sempre fui muito eficiente e como um imigrante que seria umas das figuras mais poderosas do japao, logo foi visto como alguem que nao poderia representar o japao e sua cultura.. O resultado vemos ai, eu sinceramente to mais do lado do Ghosn do que do japao no jogo, principalmente quando voce para pra analisar a industria “bairrista” deles

        • Cromo

          Vc usou a palavra correta: BAIRRISMO levado às últimas consequências. Nacionalismo é bairrismo, sectarismo. O oposto de tudo isso se chama UNIVERSALISMO.

          • Andre Studart

            Sem dúvidas, e o Japão tem diversos motivos para querer ser bairrista, principalmente por ser um país autônomo e símbolo automobilístico..

            Então de repente ter um terceiro que cuida dos negocios mais poderosos deles pode soar estranho.. Mas pra mim o dano de ter uma figura poderosa dessa fugindo do proprio pais é muito pior, mas talvez é isso o que o Japão queira passar, a idéia do Japão para japoneses.

            Lembrando que o novo presidente da nissan é 100% japones.

    • Cesar

      Não vou dizer que seja tudo uma armação mas no mínimo tem muita coisa errada aí.
      O cara fugiu e o que eles fizeram? Mandaram prender a mulher do cara. Se isso não é perseguição…

      • Andre Studart

        Pois é, quando uma queda grande dessa é previsivel sempre tem uns lobos na espera.. tem muito mais coisa do que ta sendo revelado

      • Daniel Deichmann

        Virou Coréia do Norte, um da família comete um crime, vai o resto da família presa kkkkkkkk

        • Cesar

          Vai que cola. kkkkk

    • Murilo Soares de O. Filho

      Mas os caras não sabem administrar.

    • Roberto

      E você tinha dúvidas?
      A aliança era muito fraca, fizeram vários investimentos conflitantes.
      Se o objetivo de uma aliança é reduzir custos com a tal da sinergia, eles passaram longe disso.
      Recentemente, a Nissan lançou o E-Power… que é um elétrico com gerador acoplado.
      Já a Renault, acabou de lançar outra solução, E-tech, mais complexa.
      Agora, com a separação, a Renault vai se lascar… vai se arrepender amargamente de não ter se juntado com a FCA…

      • Cesar

        Não vai ser tão fácil assim.
        A Nissan vai ter de convencer a Renault de vender os cerca de 43% que ela possui da Nissan.
        A Renault pode barganhar com isto.

      • Andre Studart

        A aliança era muito fraca entre aspas.. A aliança foi considerada um sucesso e salvou a nissan da falência e na época botou o Ghosn como um dos melhores admnistradores do mundo..

        A aliança está fracassando hoje em dia simplesmente pelo puro preconceito e dificuldade entre os integrantes em se lidarem com nacionalidades diferentes..

        A decorracada da aliança começou com a queda de Ghosn, que era o responsável por criar e manter a aliança.

        • Roberto

          Você concordou comigo rs.
          A aliança era fraca, só se mantinha pelos bons resultados do Ghosn.
          Quando a Nissan decidiu chutar ele, mostrou que não queria avançar na “sinergia” (junção de processos produtivos) e por isto ele foi chutado.
          Veja PSA + FCA: em 3 ou 4 anos, muitos carros terão a mesma plataforma, economizarão muitos recursos e deixarão às marcas individuais apenas o trabalho de adequar a plataforma ao gosto de seus consumidores, seja visual, seja acerto.
          A Nissan, no máximo fez um Duster próprio em alguns mercados e só agora está cedendo o CVT a Renault.

        • FocusMan

          Acho que o “fraca” foi no sentido político. Comercialmente foi um sucesso e salvou ambas companhias do encolhimento.

      • Luke

        Acho que quem vai sair na pior vai ser a Nissan, a Renault ate que ta bem em vários mercados que ela está, já a Nissan não acho que tenha muitos países que ela faça sucesso, os melhores são Estados Unidos e México, do qual a Renault está ausente, mas vamos lembrar que a Nissan quase faliu se não fosse pela Renault, e eles são meio cabeça dura em usar tecnologias novas que tem na parceria, só ver que eles nem quiseram por o TCE 1.3 no Sentra e no lugar botaram um 2.0 Aspirado, por causa desse orgulho da Nissan, acho que seus veículos vão acabar tomando pau das concorrentes por serem desatualizado e tem o risco de ir a falência novamente, agora não sei se a Renault vai vir salvar eles, mas se alguém salvar, eles vão ter que aceitar serem comprados por uma empresa de outro pais (talvez até uma chinesa provavelmente).

        • FrankTesl

          Já era para a Nissan estar usando e-power em toda linha, de SUV compactos a sedas pequenos, médios e grandes. E até mesmo lançar uma versão e-power da Frontier, cujo gerador inclusive pudesse ser usado, com a caminhonete estacionada, como um gerador para máquinas de trabalho.

          • Luke

            Ela nem trouxe o novo march pra cá, imagina isso, acho que isso ela só deve trazer lá pra 2030 (se ainda estiver viva até lá).

      • FrankTesl

        O e-power já é vendido no Japão desde 2016, equipando o Nissan Note, um monovolume similar ao Honda Fit.
        O e-tech é uma evolução dos híbridos, que permite híbrido simples (sem carregamento) e plug-in (carregado na tomada)

  • omaisbanidodona

    A NISSAN foi salva pela RENAULT senao ja estaria com as portas fechadas,devia agradecer,se sou a RENAULT eu que nao queria ter essa nissan empresa ZICA do Ca@$#O

  • th!nk.t4nk

    Meus conhecidos que trabalham em posiçoes de liderança na Renault sempre comentam como é terrível pra lidar com os japoneses da Nissan. Pode ter certeza de que essas dificuldades apontadas pela Nissan são mútuas nesse caso. Considerando tudo, até acho que a parceria durou mais do que se poderia prever.

    • Marcelo A.

      O povo japonês em sí é um povo difícil de lidar, eles gostam mais de ficarem isolados na ilha deles lá, até na internet eles costumam ter as próprias redes sociais, os próprios sites de vídeo, blogs,etc..

      Já vi relatos de estrangeiros de várias nacionalidades comentando sobre as complicações de se viver lá sendo estrangeiro e até mesmo de alguns japoneses que preferem conviver com estrangeiros porque eles se sentem mais livres para conviver e se expressar entre os estrangeiros do que com os próprios japoneses já que a própria sociedade japonesa é muito massacrante e cheia de regras, não se pode sair do padrão (o japonês raramente fala o que pensa, eles falam sempre aquilo que vai agradar, que vai passar uma imagem de aprovação, eles tem até um termo próprio para chamar esse tipo de comportamento).

      Enfim, “O que acontece no micro, também acontece no macro” !!!

      • Samluzbh

        É a cultura do “Honne” e do “Tatemae”, acho que é o termo que vc se referiu.

        • Marcelo A.

          Tatemae, é isso mesmo!

    • FocusMan

      Lidar com Japoneses de qualquer montadora é terrível….

  • Cesar

    Só lembrando que desde que o Goshn foi preso, a Nissan já perdeu 40% do valor de mercado.
    Nesse ritmo, logo logo vai precisar de outro salvador da pátria.

    • Duvido que a Nissan se junte a outra empresa não japonesa antes disso. Periga esperarem o barco estar quase afundando pra pedirem ajuda de novo.

      • Cesar

        Não vai.
        Conhecendo o histórico, nenhuma empresa ocidental vai topar entrar nesta barca de novo.
        Li em uma reportagem que nenhum executivo ocidental quer mais dirigir empresas japonesas.

    • Dario Lemos

      Se isso acontecer provavelmente somente alguma montadora japonesa para comprar ou “se associar” à Nissan.

      • Cesar

        Exatamente.

      • Ducar Carros

        Talvez fizesse sentido a Honda comprar a Nissan, já que ela possui porte muito inferior à Toyota.

      • Armando Figueirêdo

        Mas pelo andar da carruagem, acredito que com o novo CEO japonês, é isso que eles querem: preferir estar nas mãos das gigantes Honda ou Toyota do que marcas estrangeiras. Basta observar que a Ford já deteve 34% da Mazda e hoje nem passa de 3%…

    • FocusMan

      Daqui a pouco a FCA aparece dando a mão para eles… rs

  • Fabrício Sanches

    A Chrysler ainda existe mesmo?!

    • Luis Antonio

      Ele quis dizer FCA, grupo do qual a Chrysler faz parte.

      • Fabrício Sanches

        Quis não, ele tá no passado mesmo… kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Murilo Soares de O. Filho

    Renault, tem um belo abacaxi nas mãos, simples pede uma boa grana e vai fazer uma parceria com alguém confiável.

    • Luke

      A pergunta fica com quem ela poderia fazer parceria, a FCA acabou de fazer fusão com a PSA, o Grupo VW acho meio difícil quererem fundir com os Franceses, fica meio difícil imaginar outros grupos do qual a Renault possa fazer uma aliança, o mais provável pode ser alguma chinesa, mas não da pra saber qual, tirando ela acho que tem o Grupo Tata (da Índia) e o grupo Hyundai, mas não sei se poderia existir fusão entre ela e alguma dessas (apesar que a Renault tem uma boa presença na Índia).

      • Murilo Soares de O. Filho

        Justamente, perderam a oportunidade com a FCA.

        • Luke

          Isso foi culpa do Governo francês que queria que a Nissan aceita-se a fusão, adiantou nada querer ter a aprovação dos Japoneses, agora além de perder a fusão com a FCA pra concorrente vai perder a “aliada” japonesa.

  • Luís Paulo

    Está meio esquisito esse trecho: “..engenheiros da Nissan não estavam insatisfeitos com a proposta…”

  • Cromo

    A Renault tem caminho aberto pra se associar a outro grupo mundo afora, como uma Ford, Jaguar-LandRover, Volvo, BMW e Mercedes por exemplo, a Nissan não, só pode se unir a grupos japoneses.

  • Cromo

    Criei antipatia da Nissan, não compraria um carro deles se fosse o caso.

  • Miguel

    A FCA se livrou de um belo abacaxi, hein!?
    Agora a Renault e a Nissan vão ter muuuita dor de cabeça até o divórcio.

    • Cromo

      Separação pode ser um inferno.

    • Cesar

      Não necessariamente.
      A FCA queria ´parceria somente com a Renault.
      A Renault queria levar a Nissan junto no baile por isso não rolou.

      • FocusMan

        Ainda acho que a FCA volta ao jogo…

      • Luke

        Na verdade quem queria levar a Nissan junto ao Baile foi o Governo Francês, a Nissan Recusou, o Governo Pediu mais tempo e a FCA desistiu, até pq temos que ser honestos, tempo é dinheiro, e na situação que a FCA tava ela precisava achar um grupo para fusão o quanto antes.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Complicado. Sem a Nissan a Renault regrediria à condição de fabricante regional, visto que ficaria restrita ao mercado Europeu e a América Latina. Como a empresa ficaria muito enfraquecida os franceses só aceitariam um acordo de cavalheiros se os japoneses pagarem muito caro pelas ações da Nissan pertencentes a Renault e além disto os franceses já precisariam costrurar uma nova parceria coim urgência. Eu apostaria na Daimler, que já tem muitas parcerias técnicas com a Renautt.

    • Mas hj ela já está assim. Não vendem na América do Norte e a presença na China também não é lá grandes coisas. A associação com a Nissan serve pra dividir custos de produção, mas nunca conseguiu ampliar mercados pra Renault.

      • Fernando Bento Chaves Santana

        Realmente não houve ampliação do alcance da marca Renault. Mas como empresa haverá um encolhimento, visto que a Renault detém mais de 40% das ações da Renault.

    • Luke

      Será que a Daimler iria aceitar a parceria após o fracasso do Classe X? Eu não sei, mas levando em conta o sucesso que a Renault tem na Índia, acho que seria possível eles tentarem uma parceria ou fusão com a Tata, a Tata como marca nacional tem certa presença na Índia e poderia ajudar as duas e terem mais sucesso naquele mercado, sem falar que ela é dona da Jaguar e da Land Rover, essas duas marcas premium também poderiam se aproveitar de algum expertise dos franceses e vice-versa, mas isso só o tempo dirá, mas realmente as coisas parecem complicado pras duas agora.

      • Fernando Bento Chaves Santana

        Acho que em uma aliança/fusão/aquisição da Renault a Daimler consolidaria sua posição no mercado Europeu e poderia fazer da Renault sua marca de volume em outros mercados a Mercedes-Benz poderia voltar seu foco para os segmentos mais luxuosos. A Daimler também também sairia fortalecida nos furgões. Mas neste cenário não seria uma fusão entre iguais. Uma Renault enfraquecida teria pouco poder em relação a Daimler.

        • Luke

          Eu não sei se a Renault iria querer uma fusão com a Daimler, acho que se levarmos em conta o Resultado da classe X, a Mercedes desistir de desenvolver outro motor a combustão com a Renault para fazer um com a Volvo, e o resultado que deu a parceria entre a Daimler e a Chrysler antes junto a isso que você falou de criar uma Renault enfraquecida, acho que o franceses iriam ficar com um pé atras para uma parceria com a Daimler. O que vejo parecer ter mais sentido talvez possa ser com a Tata, a Renault tem uma boa presença na Índia e a Tata também, sem falar que ela é dona da Jaguar e Land Rover, se pensar-mos nesse pontos, isso poderia ser vantajoso pra duas, a Tata poderia aproveitar tecnologia, expertise (e também os centros de Design) da Renault para produzir carros melhores, a Renault poderia aproveitar a presença da Tata no mercado indiano para se consolidar ainda mais por lá e a Jaguar e Land Rover poderiam reduzir custos de fabricação usando tecnologias compartilhadas da Renault, mas também tem a possibilidade de a Renault assim como a PSA e Volvo achar uma parceira Chinesa, mas ai só o tempo poderá dizer quem e os resultados se isso ocorrer.

          • Fernando Bento Chaves Santana

            Acho que sozinha a Renault não sobrevivará. Egora ela corre o risco de morrer engasgada com uma presa muito grande e que ela não conseguiu engolir. E se Nissan conseguir escapar talvez a Renault fique restrita a se sujeitar um parceiro muito maior que ela mesma. Não acho que a Tata tenha peso para ser sócia, parceira ou dona da Renault e não sei se o Estado francês aprovaria a sociedade ou a fusão com empresas não européias. Assim as possibilidades seriam Daimler, com.quem.ja dispõe de parcerias tecnicas ou VW. Se os franceses se virarem para os EUA minha aposta seria venda para a GM.

            • Luke

              Eu acho que ela ainda pode sobreviver, pra mim quem está em risco de ir a falência é a Nissan, mesmo com a parceria os produtos dela não estavam no mesmo nível da “ex-parceira” francesa, após a separação e o cancelamento de uso de peças, acho que os modelos da Nissan vão ficar ainda mais defasado em comparação as concorrentes e ai vai perder vendas, já sobre uma fusão com a Tata não sei, ele conseguiram dar conta da Jaguar e da Land Rover, acho que ele podem dar conta ou trabalhar junto com a Renault, sobre o Governo francês, eles parece que queriam uma fusão com a Nissan, mas a história não andou, então acho que eles talvez possam aceitar uma fusão com um grupo não Europeu, não posso dizer se com um Indianos poderia, mas entre as possibilidades de fusões que posso imaginar para a Renault, o Grupo Tata parece um dos mais adequados.

    • Paulo Lustosa

      Não, na verdade se desmanchar esse acordo a Nissan vai a falência, pois a Nissan é o que é hoje graças a Renault, e os carros mais icônicos da Nissan só surgiu graças ao dedo da Renault no meio pra aperfeiçoar.

      • Fernando Bento Chaves Santana

        A Renault foi importante por financiar, porém a expertise por trás dos novos modelos é majoritariamente Nissan. Separadas a Renault tem como principal mercado a União Européia, leste Europeu Améruca Latina. Ja a Nissan permanecerá com presença importante em toda a Eurásia e permanecerá relevante nos EUA.

  • Valdek Waslan

    SIM, MAS E DAÍ???
    A Renault vai continuar a vida dela…
    A NISSAN vai continuar também e qualquer coisa tem o governo de lá para aliviar e alguém para jogar a culpa.
    O mundo automotivo também vai continuar…
    Quem vai perder? As duas!!!
    Quem vai ganhar? As duas!!!
    Parcerias são feitas e desfeitas mas o grande caso aí, não é a provável separação e sim CARLOS GHOSN e a tal armação.
    Se provado… ficará muito feio a nível mundial e acho que o mundo ficará com um pé atrás para pensar em qualquer parceria com eles em se provando essa armação.
    Inocente? Culpado? Armação?
    Você vai ver hoje no Globo Repórter de amanhã que será filmado futuramente, a incrível história da montadora que montou, desmontou e agora perdeu as rédeas do cavalo.

    • Luke

      Pode ser meio arriscado o fim de fusão com certas marcas, a Nissan quase foi a falência antes se não fosse pela Renault, esse bairrismo deles pode acabar fazendo eles encontrarem seu fim, podemos lembrar de outra parceria que existia que era da Daimler com a Chrysler e que depois que acabou e junto a Crise, quase fez a Chrysler ir a Falência, ela tava ao ponto de vender o Nissan Tiida como Dodge, só não teve que chegar a esse ponto porquê a Fiat veio salvar ela, mas levando em conta o orgulho dos Japoneses, não acho que vai ter alguém pra salvar eles se chegarem perto da falência (bom os Japoneses rezarem pra que se isso acontecer a Mazda querer se fundir ou comprar eles, caso contrário eles vão sumir do mapa que nem AMC e Gurgel).

      • Paulo Lustosa

        AMC foi incorporada a Chrysler

        • Luke

          Perdão, erro meu.

      • Armando Figueirêdo

        Eu não descarto a Mazda querer comprar a Nissan, mas acho que o que os japoneses querem mesmo é chamar atenção de Honda e Toyota.

        • Fernando Bento Chaves Santana

          A Mazda quer indenpendência, operações enxutas e operar apenas em mercados e nichos lucrativos. Sem gigantismo. Sem passos ousados.

        • Luke

          A pergunta fica… Será que a Honda e Toyota querem comprar a Nissan? Na parte da Toyota acho difícil porquê pelo visto ela quer comprar a Suzuki, já a Honda não sei se iria querer comprar outra marca.

  • Rogério R.

    Eh, dona Nissan! Após a Renault ter tirado você da falência agora quer zarpar fora. Vai perder os lucros que a parceira Renault tem na Europa, no Leste Europeu, na Rússia, na América do Sul, na Coreia do Sul e na Africa. Só quero ver o rombo que ficará no caixa da Nissan para poder recomprar os 43,5% das ações que pertencem a Renault e com certeza a marca francesa não venderá barato. Se separar a Nissan irá se lascar muito… Além de queimar o filme da marca japonesa para possíveis parcerias. Se houver a separação. Dona Nissan, pode colocar a plaquina na frente da sede de VENDE-SE.

    • Armando Figueirêdo

      Mas você já pensou se não é isso que os executivos da Nissan querem? Às vezes já tem um “meio acordo” com as duas gigantes japonesas e compram o os 43% a Renault e o sonho de voltarem ser “100% de japoneses” de novo se torna realidade. O primeiro passo é querer se separar…

      • Rogério R.

        Pode ser, e quem tem mais cacife para isso é a Toyota, mas não sei não se esta topará facilmente compartilhar mercado principalmente nas 3 regiões do continente americano onde a Toyota tem uma baita força. Eu até acho que poderia ficar pior a disputa interna. Na verdade, eu estou achando que a Nissan quer mesmo é ficar como ponta da pirâmide com a Mitsubishi abaixo dela. Mas só quero ver onde vão arrumar dinheiro para pagar a Renault e que não é pouco como citei acima, pois em 1999 teve duas montadoras de caminhões vendidas nessa jogada.

  • RKK

    ” Fontes ouvidas pelo jornal disseram que a parceria “se tornou tóxica já que muitos executivos da Nissan creem que a empresa francesa põe para baixo o grupo japonês”.”

    -> Isso que é cuspir no prato que comeu…

  • RKK

    Com a aliança sendo desfeita, a Renault vai perder o acesso ao motor 1.6 16v SCe e câmbio Jatco CVT7 (muito usado aqui no Brasil). Ainda bem que a Renault agora terá a disposição o motor 1.3 TGDi que desenvolveu com a Mercedes.
    Acredito que a nova plataforma CMF seja de propriedade de ambas empresas.

    • Rogério R.

      O motor 1;6 SCe também foi desenvolvido pelas duas marcas, ou seja, teve dinheiro da Renault investido nele. Além do mais a Renault fabrica o 1.6 SCe em São José dos Pinhais, incluindo o bloco e o cabeçote, este componente que também teve a ajuda da Renault que deverá ser um problema, pois segundo a própria Renault essa nova fábrica é a única que produz cabeçotes do grupo e os cabeçotes para os outros mercados do grupo devem ser feitos por unidades da Nissan. Agora o câmbio CVT acho que realmente será um problema maior, mas existe o automático da marca francesa de dupla embreagem usado na Europa. Mas para mim quem vai mais se lascar com essa separação será a Nissan, pois terá que tirar muuuuuito dinheiro do bolso para que haja tal separação. Se os japoneses colocarem a cabeça no lugar essa aliança não termina.

    • Paulo Lustosa

      O motor HR foi co-desenvolvido pela Renault para matar de uma vez só a linha SR da Nissan e os Renault K-Type que remontam a 1962 quando tinham comando no bloco.

  • awatenor

    Melhor notícia do dia!

  • Quando ele foi preso eu disse que tinha muita coisa abaixo, para se desvendar

  • FocusMan

    Não consigo entender isso…

    Pelo que eu sei, Nissan e Renault não são a mesma empresa. Eles formam uma aliança o que teóricamente me faz entender que operam de maneira independente e se unem quando necessário.

    O Ghosn se ferrou na história por querer transformar essa aliança em fusão e fez com que os japas da Nissan ficassem chateados.

  • M.W.

    Vi uma entrevista que o Carlos Ghosn dizia que ele depois que repassou a direção da Nissan para ela andar com as próprias pernas e que o novo CEO japonês não estava dando conta do recado ele teve que voltar e isso que a nova direção não gostou e por isso que aconteceu toda essa confusão e que ele provaria e divulgaria toda a verdade.

  • Ubaldir

    As coisas vão ficar complexas para as duas montadoras em caso de separação. O mundo automotivo de hoje anda apostando alto nas fusões para possibilitar queda de custos. E qual parceria está sobrando atualmente? O futuro se tornará nebuloso, em especial para a Nissan, que terá extrema dificuldade em encontrar outro parceiro ocidental.
    A situação caminha para que, cedo ou tarde, a montadora japonesa acabe sendo absorvida por alguma co-irmã do próprio país.

  • Luis Mello

    Vai que melhora a Nissan, hoje não compro porque sei que compartilha soluções Renault, que só tive dor de cabeça.

  • Rogério R.

    A Nissan desmentiu a notícia de possível separação, já saiu no Estadão Economia e no Isto é – dinheiro.
    Sabia que não haveria separação, pois tal fato seria bem prejudicial para ambas, principalmente para a Nissan.

  • Fábio Cézar

    A Nissan se juntará á Honda.

  • Comentarista

    Tem muita gente comentando que o governo japonês e a Nissan estavam mancomunados mas se o cara não cometeu crime e ele conseguia provar que é inocente então porque não o fez ao invés de fugir?

    Talvez o que ele considera correto possa não ser em determinados países, assim como eu não posso apostar em um Casino no Brasil mas em Las Vegas eu poderia faze-lo sem ser preso.

    Agora fugir e se fazer vítima de teoria da conspiração foi ridículo!
    Tenho a impressão de que se a gente analisar o processo que o acusa, teríamos uma ideia mais clara do pq ele está fugindo.

  • Carlos Tnk

    Eu morei por 17 anos no Japão,morava 7 km de distanciada Matriz da Toyota na cidade de Toyota e montava a parte de ECU de modelos da Lexus, vivi essa época em que

  • Bom, agora está explicado por que os Nissan começaram a ficar excepcionalmente belos de uns tempos para cá…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email