EUA Mercado Nissan Sedãs

Nissan fala do próximo Sentra nos EUA

nissan-sentra-s-cvt-2017 Nissan fala do próximo Sentra nos EUA

A Nissan lançou o belo Altima 2019 nos EUA, mas já sabemos que o sedã grande da marca japonesa não retornará ao mercado brasileiro, conforme dito pelo presidente da filial brasileira, Marcos Silva, durante o Salão de Buenos Aires, em 2017. Mas, se o modelo não vem, ainda mais agora que ficou mais expressivo e sofisticado, outro membro da gama de sedãs da empresa virá e este em nova geração.



Falamos do Sentra, que em 2019 finalmente ganhará sua próxima geração. O sedã médio (aqui) foi muito criticado no mercado americano por seu estilo pouco atraente, ainda mais em relação aos rivais Honda Civic e Toyota Corolla. Ainda assim, o comprador desse tipo de carro nos EUA viu vantagens nele e fez com que mais de 218 mil unidades fossem emplacadas só em 2017, por exemplo. A dupla rival, no entanto, vende bem mais, alcançando acima de 377 mil e 308 mil, respectivamente.

De qualquer forma, para a Nissan, o número não é ruim, apesar do mercado de sedãs estar ruindo. Porém, de acordo com Michael Bunce, CEO da Nissan nos EUA, o mercado não ficará sem sedãs e ele acredita que a mesma onda que hoje impulsiona os crossovers e SUVs mudará novamente para os sedãs. Bunce se apoia numa pesquisa de mercado onde os clientes Millennials e Centennials não são influenciados pelo formato dos carros, mas por detalhes de estilo.

Para eles, segundo Bunce, não é a forma, mas as linhas que atraem. A pesquisa teria revelado que quando eles se identificam, compram. Para a Nissan, o levantamento ainda apontou que os sedãs são os preferidos. O motivo pode estar na maior liberdade de criação em relação aos SUVs, por exemplo.



Por conta disso, podemos esperar um Nissan Sentra 2019 mais expressivo, talvez seguindo a linha do Altima, que por sua vez foi influenciado pelo Maxima e o sedã chinês Lannia, feito para o consumidor jovem daquele país. Bunce não dá detalhes sobre esse modelo, mas avisa: “O Sentra é provavelmente o veículo onde temos mais oportunidades”. Sem se apressar em dar pistas, o executivo apenas diz: “Temos muito chão para andar até lá”.

No mercado americano, o Nissan Sentra usa um motor 1.8 de 126 cavalos na versão com câmbio CVT Xtronic e 132 cavalos com câmbio manual de seis marchas. Já na versão SR Turbo, o motor é o 1.6 DIG-T com 190 cavalos. Por aqui, o motor é o 2.0 aspirado flex de 140 cavalos com CVT Xtronic. Em 2017, ele vendeu 3.861 unidades, ficando em sexto entre os sedãs médios. No primeiro bimestre, manteve a posição com 581 emplacados.

[Fonte: Road Show]

COMPARTILHAR:
  • Bourgelat Marinho

    Tenho um SL 2014/15 e estou satisfeito com o carro e principalmente com o pós venda. CCS Jangada Fortaleza-CE dão show de atenção e competência. Alguns problemas e todos solucionados. Na espera da geração de carros eletrificados pra mudar.

  • Mario Souza

    O Sentra novo custa o mesmo preço que qualquer suv compacto
    e até mais barato que HRV e o Compass de entrada com o dobro do conforto e
    itens tecnológicos e de segurança. Se trocar o freio de mão por eletrônico e por
    park assist nem tem conversa.

    • Edson Fernandes

      Seria otimo mesmo. O motor 1.6 turbo ou então o 1.3 da Renault cairiam bem para redução de consumo.

  • Erivelton Freitas

    Tudo o que eu peço é LED nas lanternas traseiras, só isso! Só Lanternas FULL LED!

    • RRodrigo Souza

      se for lançado agora em 2018 ou 2019 com as lanternas full led voce irá comprar ?

      • Erivelton Freitas

        Não, não iria, mas a exemplo de outros carros, que nós sempre cobramos melhorias, mesmo já tendo um na garagem ou não tendo a intenção de comprá-los, seria essa uma adição muito bem vinda!

        • RRodrigo Souza

          as lanternas full led pode ser boas visualmente e na economia de bateria, mas para trocar fica mais cara muitas vezes, fazendo um desenho interno que imite o led já iria ajudar muito, mas a iluminação dianteira isso sim tem que ser obrigatoria led.

          • Edson Fernandes

            Poxa, mas o Fluence recebe isso desde 2015. Poderiam ter colocado no Sentra tbm.

            • RRodrigo Souza

              deveria colocar mais itens de segurança, eu não vou me importar muito em colocar uma lanterna em full led , do que colocar por exemplo mais airbag,algum sistema melhor de frenagem ,

              • Edson Fernandes

                Eu concordo. Prefiro sempre segurança em detrimento desses tipos de detalhes. Tanto que meu Fluence é da leva sem LEd e não faço questão dela (ainda que visualmente eu ache o efeito muito interessante).

                Na funcionalidade, a lanterna do meu já cumpre muito bem sua função.

                • RRodrigo Souza

                  o importante é funcionar e a lâmpada não estar queimada.

  • Roberto

    Já tive um Sentra 2012.
    Comprei ele quando estava oferecendo por um preço bastante atraente comparado com a concorrência.
    Esse meu Sentra era um ótimo carro, espaçoso, silencioso, confiável e confortável.
    Vendi quando ele chegou perto dos 100.000 km, sem nunca ter tido qualquer problema mecânico ou elétrico (foram só revisões e 1 jogo de pneus trocado perto dos 80.000 km).
    Não troquei por outro Sentra porque as suas revisões eram extremamente caros. Quando decidi vender, optei por trocar de marca porque sentia me enganado pelas concessionárias. Até cheguei a escrever várias vezes para a fábrica para reclamar dos preços, mas nunca recebi uma resposta da Nissan.
    Estou satisfeito com meu novo carro que não é Nissan (até com os custos das revisões bem mais em conta).
    Por essa experiência com os custos das revisões, não sei se um dia voltarei a comprar um Nissan.

  • sigma7777777

    A Nissan deveria ter nacionalizado quando estava vendendo 1 mil unidades/mês, mas cometeu o mesmo erro da Kia com o Cerato, e se manteve importando. Se continuar vindo do México poderá se manter em um patamar comoetitico. Estou de olho na vinda do novo porque poderá gerar bons descontos na atual geração.

  • Jean Lehn

    Nissan não estraga e tão boa ou até melhor que Honda e Toyota !

  • hinotory O

    Tenho um kicks e posso dizer que a Nissan não assume seus problemas. “Acostume com o barulho”, foi a resposta que me deram mais de uma vez.

    • Edson Fernandes

      Ou “caracteristica” como tenho lido no clube do Kicks.

      Já sobre o Sentra: É incrivel como reclamam da suspensão dele.

      • Renan

        Eu tenho um Sentra 2012,e eu vou te falar uma coisa: é só problema!
        Problemas na suspensão é mato! Batentes, bieletas, bucha de balança, amortecedores, até as buchas do agregado já tive que trocar. Parece que a suspensão não foi projetada para o nosso tipo de asfalto.
        Suspensão é direto dando problemas. Por fim, o problema agora é no módulo do ABS.
        Enfim, Nissan nunca mais!

        • Edson Fernandes

          Então, eu optei pelo Fluence por isso. O Fluence sofre com buchas e bieleta. Mal comum de médios por aí.

          Mas vejo dos donos reclamarem no grupo sobre isso e quem comprou 0km teve que solicitar a troca em garantia. Isso me chama atenção.

          O C4 Lounge que é outro que tbm sofre com esse mesmo tipo de problema, ao menos é o unico ponto. Ou seja, é a maior reclamaçaõ, mas percebe-se que não é uma unanimidade ainda que os donos façam parecer que seja.

          Tem gente ali com mais de 80000km que sequer mexeu em suspensão do carro e fica queimando o filme do carro, não consigo entender isso.

          Mas te confesso que minha escolha não ter sido o Sentra tbm foi outra: Eu acho ele duro para ruas esburacadas e queria de fato um carro confortavel.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email