Nissan Kicks 2022 muda cara e parte de R$ 90.390

Nissan Kicks 2022 muda cara e parte de R$ 90.390

O Nissan Kicks 2022 chegou de cara, partindo agora de R$ 90.390. Oferecido em quatro versões, ele chega até R$ 116.390 (sem o Pack Tech, cujo preço não foi divulgado).


Oferecido nas versões Sense manual, Sense CVT, Advance CVT e Exclusive CVT, o crossover nipônico apresenta faróis full LED com luzes diurnas em LED, bem como grade V-Motion ampliada. O para-choque também ganhou vincos mais pronunciados.

Nissan Kicks 2022 muda cara e parte de R$ 90.390

Neste, os faróis de neblina são em LED, assim como os repetidores de direção nos retrovisores e nas lanternas traseiras, agora com layout que une as duas lentes. O protetor traseiro também foi atualizado, assim como as rodas de liga leve aro 17 polegadas, disponíveis nas versões Advance e Exclusive. A antena agora é tipo barbatana.

Por dentro, a novidade é a multimídia com tela de 8 polegadas, mas o interessante é o sistema de som Bose UltraNearfield com alto-falantes de 2,5 polegadas no apoio de cabeça do motorista, além de experiência de som em 360 graus e o Personal Plus, para reduzir distorções de áudio.

Nissan Kicks 2022 muda cara e parte de R$ 90.390

O Kicks 2022 tem entrada USB e a nova USB-C, além de cluster análogo-digital a partir da versão Advance. No crossover da Nissan são oferecidos ainda alerta de colisão com frenagem automática de emergência, detector de objetos esquecidos no interior, alerta de ponto cego, monitoramento em 360 graus, alerta de tráfego traseiro, alerta de faixa e faróis HID.

Nissan Kicks 2022 muda cara e parte de R$ 90.390

Além disso, vem com controle dinâmico de chassi, bancos dianteiros Zero Gravity, chave presencial com partida por botão, ar-condicionado digital, direção elétrica, entre outros.

O motor permanece o mesmo HR16DE 1.6 com 114 cavalos e 15,5 kgfm. O câmbio pode ser manual de cinco marchas ou CVT com modo Sport. Abaixo, preços e conteúdo das versões:

Nissan Kicks 2022 – Conteúdo e preços

Nissan Kicks 2022 muda cara e parte de R$ 90.390

Sense Manual (R$ 90.390)

  • Abertura e fechamento das portas através de controle remoto
  • Acabamento dos bancos em tecido
  • Acendimento inteligente dos faróis
  • Aerofólio integrado na cor do veículo
  • Airbags duplos frontais, laterais e de cortina (total de 6)
  • Alarme perimétrico
  • Alerta de cinto de segurança destravado – frontal e traseiros
  • Antena estilo barbatana de tubarão
  • Apoios de cabeça dianteiros e traseiros separados e ajustáveis (5)
  • Ar-condicionado
  • Bancos do motorista com ajuste de altura
  • Banco traseiro rebatível e bipartido 60/40
  • Bancos dianteiros com tecnologia Gravidade Zero
  • Comandos de áudio e telefone no volante
  • Cintos de segurança de três pontos para todos os passageiros (5)
  • Controle de Tração e Estabilidade (VDC – Vehicle Dynamic Control)
  • Desembaçador de vidro traseiro com temporizador
  • Direção elétrica
  • Faróis dianteiros com sistema Follow me Home
  • Fixadores traseiros para cadeiras de crianças (ISOFIX)
  • Freios ABS com controle eletrônico (EBD) e assistência de frenagem (BA)
  • Grade frontal com acabamento cromado
  • Lanternas traseiras em LED
  • Limpador de para-brisa dianteiro e traseiro com controle intermitente variável
  • Luz de freio em LED
  • Maçanetas externas na cor do veículo e internas cromadas
  • Para-sol com espelhos para motorista e passageiro
  • Porta-copos no console central e nas portas
  • Porta-malas com iluminação interna
  • Porta-objetos na lateral das portas dianteiras e traseiras
  • Rack de teto longitudinal na cor prata
  • Retrovisores externos com regulagem elétrica e na cor da carroceria
  • Rodas de aço 16″ e pneus 205/60 R16
  • Sistema Inteligente de Partida em Rampa (HSA)
  • Sistema de áudio com display sensível ao toque, colorido de 7 polegadas, com rádio AM/FM, Bluetooth, Apple CarPlay® e Android Auto® e 4 alto-falantes
  • Tag SEM PARAR
  • Tomada 12V (2)
  • Travamento central automático das portas e do porta-malas com o veículo em movimento
  • Vidros dianteiros e traseiros elétricos com sistema um toque para baixo somente para o motorista
  • Volante com regulagem de altura e profundidade

Sense CVT (R$ 98.390)

Todos os itens da versão Sense com câmbio manual adicionados de:

  • Câmbio XTRONIC® CVT com função Overdrive
  • Câmera traseira de estacionamento
  • Controle de velocidade automática no volante
  • Luzes de condução diurna (DTRL)
  • Rodas de liga leve 16” e pneus 205/60 R16
  • Sensor de estacionamento traseiro

Advance CVT (R$ 106.390)

Todos os itens da versão Sense CVT adicionados de:

  • Bancos com revestimento sintético
  • Chave inteligente presencial (I-Key)
  • Controle do computador de bordo no volante
  • Espelho retrovisor eletrocrômico
  • Fechamento dos vidros por meio de controle remoto
  • Multimídia Nissan Connect com tela sensível ao toque colorida de 8 polegadas, 2 portas USB (Tipo A e tipo C) BluetoothApple CarPlay® e Android Auto®
  • Painel multifuncional em TFT de 7”
  • Retrovisores externos com regulagem elétrica e indicador de direção
  • Rodas de liga leve de 17″ e pneus 205/55 R17
  • Sistema eletrônico de ignição (botão Push Start)
  • Vidros dianteiros e traseiros elétricos com sistema um toque e antiesmagamento
  • Volante com acabamento revestimento sintético

Pack Plus

  • Bancos com revestimento sintético

Exclusive CVT (R$ 116.390)

Todos os itens da versão Advance CVT adicionados de:

  • Ar-condicionado automático digital
  • Apoio de braço frontal
  • Controle Inteligente de Freio Motor (Active Engine Brake)
  • Controle Inteligente em Curvas (Active Trace Control)
  • Detector de objetos em movimento (MOD)
  • Estabilizador Inteligente de Carroceria (Active Ride Control)
  • Faróis dianteiros e de neblina em Full LED
  • Maçanetas externas cromadas
  • Retrovisores externos rebatíveis automaticamente
  • Sistema premium de som BOSE® Personal Plus com alto-falante no apoio de cabeça do motorista com oito alto-falantes
  • Visão 360° Inteligente

Pack Tech

  • Acendimento Inteligente dos faróis com ajuste de altura e intensidade (HBA)
  • Alerta de Colisão Frontal com assistente inteligente de frenagem (FCW/FEB)
  • Alerta Inteligente de mudanças de faixa (LDW)
  • Alerta de tráfego cruzado traseiro (RCTA)
  • Monitoramento de ponto cego (BSW)

Nissan Kicks 2022 – Galeria de fotos

 

Ricardo de Oliveira
Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

161 comentários em “Nissan Kicks 2022 muda cara e parte de R$ 90.390”

    • Quem tem gosta, nunca vi reclamação de falta de potencia. realmente tem apenas potencia suficiente para o dia a dia, longe de ser um canhão, mas atende bem a maioria das pessoas. É um conjunto muito acertado. Em todo caso, anda mais e gasta muito menos que o Renegade 1.8.

        • É isso que falo, os carros tudo chegam a 500 mil km fácil se o motor for durável. Óbvio que não vemos carros com essa km porque os lojistas tudo, e até alguns particulares, baixam a km pra vender. Nenhum carro no Brasil a venda passa dos 120 mil km… mesmo tendo 20 anos de uso!

          E aí é que vai entrar a saga dos turbo + injeção direta. A tendência será o dono gastar mais em manutenção e perder em valor de revenda e liquidez.

          • Hahahahahaa. Foi indireta? Meu uno mille 96 tem só 112.000km no painel.

            Falando sério, lógico que foi mexido até dizer chega ou o painel já deve ter dado uma volta, mas eu já comprei bem abaixo do preço por conta disso.

            E falando mais sério ainda, é uma prática infelizmente muito comum. Ora, maqueiam até carro zero (os acidentados).

            • Ñ amigão, ñ foi não. E sim, maqueiam até carro 0km.

              Um carro com 25 anos de uso e 250 mil km dá pra considerar com baixa km. São só 10 mil km por ano, menos de mil por mês. Até seria normal 350 mil km o que daria 14 mil km por ano.

              • Não sei se deixei claro, mas foi só uma brincadeira. O uno em questão, embora esteja com o motor em boas condições, apresenta indícios claros de muito uso, como desgaste acentuado de pedais, volante e banco do motorista principalmente. Ainda não tentei buscar mais informações de quilometragem com um scanner de injeção (sequer sei se essa injeção antiga faz o registro e se o mesmo foi alterado).

                Em relação ao tema, em 2016 deixei meu então palio sporting 12/12 com quase 80.000 em uma concessionária Peugeot na troca por um 208.

                A concessionária na época não trabalhava com usados, os repassando para agências da cidade.

                Duas semamas depois, vi meu carro (sei que era meu pelas “feridas”) anunciado na internet. O painel marcava 45.000km.

                • Sim, sim! Deu pra entender que foi brincadeira.

                  Esse teu Palio Sporting rodou até uns 80 a 90 mil km no novo proprietário. Devem ter voltado pra uns 60 mil km. E assim vai a vida. Por isso dificilmente algum carro chega a 100 mil km. Até 10 a 12 anos de uso não chegam a isso jamais. Ficam até 80 mil km. Km real? De 150 a 200 mil km…

          • Problema hoje acho que nem é tanto motor. Motor bem cuidado dura muito mesmo.
            Mas suspensão, com nossas estradas, tá cada vez pior.
            O que tem de carro que acaba com problemas de motor por causa de coxins estragados que acabam por soltar mangueiras, afrouxar parafusos…

      • São só comentaristas de sites automotivos que não gostam. Como grande parte não deve ter dirigido o carro acabam falando bobagens mesmo. Mas eu relevo.

    • O motor é OK, pois o carro é leve. Anda bem sim. Não é aquilo tudo, mas está longe (bem longe por sinal) de ser ruim. Com a vantagem de ser durável e ter manutenção barata.

      Quanto ao câmbio, eu tb o acho OK. Pra proposta familiar do carro, de tocada urbana light e simples viagens dá conta. Em que pese EU, repito EU, preferir um automático convencional, com marchas bem definidas, acredito que o CVT faz bonito no dia a dia em conforto e vá agradar seus proprietários.

      • Exato, quem roda muito e vai ficar muito tempo com carro a compra do Kicks é a mais racional, mas os entendidos aqui trocam de carro todo e rodam no máximo 40k km!

      • Ah Eduardo, eu tive o meu SL 2017, ainda Mexicano, fiquei um ano com ele e troquei porque não aguentava ele na estrada. Minha esposa que não entende nada de carros achava ele uma porcaria. Olha, se fosse um motor de 140 cavalos ele seria perfeito, sem dúvida.

        • De fato longe de ser um show de performance, mas ele bate de frente em retomada com toda concorrência 1.6
          O que atrapalha muito a sensação é que o CVT não tem progressão sonora do aumento de RPM. Tanto que um colega meu jurava de pé junto que o Renegade 1.8 dele fazia uma retomada melhor que o Kicks, sendo que ele tinha os dois. Só foi arredar quando fomos juntos, comigo cronometrando o 60-100 e o 80-120..

              • Tem que pisar acima de 60% do acelerador e aí ele começa a fazer essa ação de simular marchas. Ele não faz apenas para ganho de potencia caso não pise forte. Mas o recurso existe desde que o Kicks é vendido em nosso mercado.

    • É o único que me dá algum trabalho a bordo de um Polo TSI. Os concorrentes de mesma cilindrada ou próxima (Creta, HR-V, Renegade) logo somem no retrovisor. Se fosse trocar num “SUV” aspirado, hoje optaria por Kicks, já que os turbo (T-Cross e Tracker) estão com preços proibitivos.

        • Pois é um absurdo mesmo. Pessoal parou e comprar Golf pra comprar T-Cross. Parou de comprar Cruze pra comprar Tracker. E agora, na Nissan, vai parar de comprar Sentra pra comprar Kicks…

          Só pra lembrar, o Cerato top, com ar dual zone, aquecimento dos bancos, muito mais silencioso e confortavel, de rodar suave e etc e tal, custa 110 mil. E é capaz de ter negociação ainda. Além de EU achar lindo. Bom, eu adoro cupês, hatchs e sedans.

      • É moda….

        Vc acha mesmo que não tem pessoas dois para comprar carros nessa faixa de valor sendo altinhos?

        O proprio kwid se fosse mais alto e tlavez sua posição de dirigir com visual “altinho” não teria atraido mais gente? Ele foi decepção para muita gente que esperava isso. Pensa nele como um altinho…. é isso que querem. E terão aquele que pagam sim.

        Assim como pagam quase R$50000 num Kwid outsider, pagam sim num Nissan altinho.

        • Eu realmente sou cético quanto o sucesso desse carro nesse preço. Talvez seja que fui no vídeo esperando demais do Renault e me decepcionei, mas me parece que é um carro de 60 mil e nao 75 mil, como preço inicial. É um carro com mais potencial de substituir o Sandero, que aparentemente ficou sofisticado demais para o mercado brasileiro, que inaugurar um subsegmento no qual, há alguns meses, evoluiam os SUV compactos.

          • Eu concordo contigo. Deveria partir disso, mas tá mto claro que o ticket médio é aceito pelo consumidor pelo produto que é. E por isso vende. Vamos ver como será.

    • Mas isso já está sendo feito por todas as montadoras, pois os preços dos suvs compactos, antes pertenciam aos suvs médios, da mesma maneira aconteceu com os sedans médios, que hj custam o que custam os sedans grandes, e os compactos custam o que custavam os médios. Infelizmente os consumidores aceitaram isso, e as montadoras que não são bobas, continuam a sua escalada de preços.

    • Você ainda duvida da imbecilidade do consumidor brasileiro? Custar caro é só mais um argumento de auto afirmação social da classe média. Vão encher a boca pra dizer que pagaram 116k nesse lixo (lixo considerando esse valor, claro, é um bom carro, mas não por quase 120k).

      • Conheço quem enche a boca pra falar que deu 90 mil num Etios maquiado, um March de tamanco por mais de 120 mil é tudo que o Brasileiro quer pra dizer que ta numa boa rasgando dinheiro.

      • Cara, vou ter que concordar contigo. Acabei de entrar no site da Nissan. Está lá!

        Sentra 2.0 S R$ 91.090.
        Sentra 2.0 SV R$ 96.990.
        Sentra 2.0 SL R$ 108.990.

        Tem que ser IMBECIL mesmo. Porque na mesma concessionária tem opção MUITO melhor para se comprar. O Sentra é muito mais carro. Mais bem acabado, mais silencioso, rodar mais macio, mais motor, mais “classudo” (minha subjetiva opinião) … nossa, fora o quesito facilidade de estacionar e consumo (pouco) menor, qual a justificativa o povo se atirar em um Kicks ao invés do Sentra? Ou até mesmo do “new” versa?

        • Muitos clientes que partiram para os suvs, alegam que fizeram essa troca por três motivos: primeiro: posição de dirigir elevada, segundo: maior altura do solo e terceiro: suvs dão mais “status” que um sedan.

          • Explicação do primeiro: Já vi mais de uma pessoa falando que é porque “olha tudo por cima”, porque “fica por cima”. Quanto complexo de inferioridade… (não justificável).

            Explicação do segundo: buraqueira das cidades (justificável).

            Explicação do terceiro: Tá na moda… (não justificável).

            • Não conheço e nem vi notícia de que algum carro deixou seu dono na mão porque ouviu aquela raspada no chão ou diminuiu a vida útil do mesmo. Tenso viu.

          • Eu tenho um sedan, mas a dificuldade de manobra em estacionamentos apertados como onde eu moro está enchendo o saco. Com certeza o próximo carro não vai ser sedan, ainda mais que esses SUVs conseguem ter mais espaço para passageiros do que o sedan médio que eu tenho.

  1. Eis um carro que não vale nem perto da etiqueta. A concorrência quase toda com motores eficientes e essa coisa de cento e tantos mil usando motor de Nissan March…

    • Olha eu até concordo com você, e como disse em outros lugares, não seria nem minha terceira escolha.
      No entanto pra mim, ele vale bem mais os 122k cobrados do que o tcross vale os 143k+ dele.
      Vale menos no entanto que os 126 da tracker, primariamente pelo teto solar e motorização. O creta principalmente em promoções me parece ter um custo benefício melhor também.

      • Um T-Cross ou Tracker 1.0T na minha opinião já seriam escolhas melhores que o Kicks em qualquer versão. O T-Cross 1.4T está absurdo de caro, realmente, mas eu preferiria dar os 143 mil nele completo do que 122 num carro de 114 cv com câmbio CVT, por mais econômico e completo que seja. No meu critério, um Peugeot 208 de 95 mil não é opção, pelo motor 1.6 fraco, então o Kicks por 122 mil é pior ainda.

        • Ainda acho que o 208 1.6 deve oferecer um desempenho melhor que um Tracker 1.0T, é um carro menor e mais leve. O motor turbo não pode fazer milagres numa cilindrada baixa dessas para carregar um carro familiar.

          • O Tracker tem uma relação de marchas bem fechadinha. Então a performance dele é interessante por isso. E a Chevrolet conseguiu encontrar um meio termo entre performance e consumo. Talvez nem tanto o T-Cross.

          • E os comentaristas de teclado falando mal a bessa do motor do Kicks. É um primor? Não. Todavia é muito bom, dando conta do recado, sendo econômico, durável e de manutenção comedida. Quer saber? Acho que a Nissan mais acertou do que errou mantendo esse motor.

              • A questão não é o preço amigo. É o conjunto mecânico. Podemos e creio que devemos criticar o preço. Agora a motorização ñ é nem de longe a vilã que estão a apontar.

                • Meu uso de carro é em estrada. Pago 122 mil num Cerato 2.0 mas não pago neste carro compacto com motor 1.6 CVT, motor de March. Eu gosto de carro e pego estrada, pro meu uso e gosto o Kicks é manco. Se fosse um carro de 70 mil, ok, mas custa de 90 a 122. Muito dinheiro pra pouco carro. É mais gadget do que carro, assim como ocorre no caso do 208.

            • Que manutenção? Montadora faz o carro pro primeiro dono. Como tem gente que troca bastante muitas vezes o segundo e terceiro se beneficiam também, no entanto elas estão se lixando pro duro que pega o carro com 10+ anos.

            • Eu só acho que ela poderia ter dado opção de mais motores a sua linha. O motor 1.8/2.0 que a Nissan tem (um que é irmão HR do motor 1.6 e o outro sendo a familia MR 2.0) que poderia ser uma solução para dizer que teria um motor mais forte.

              O Creta faz isso e se dá bem para quem reclama da performance do motor 1.6(só conheço o HB20 com esse motor e o Veloster)

                    • Na verdade depende do que tem de recurso no motor. O motor do Tiida por exemplo(que teve melhorias aplicada ao Sentra americano) seria um interessante motor na falta de um downsizing. (ele é voltado a economia e teria boa performance em modelos como o Kicks)

          • Na ficha técnica pode até ser, mas no mundo real com o carro carregado ou em retomadas, a potência e torque extra do 1.0 TSI se sobressaem muito ao 1.6 aspirado do Kicks.

                • 122 mil numa moeda desvalorizada não significa muita coisa num cenário internacionalizado. Então, respondendo sua pergunta…sim. 1.6 eh mais que ideal. Mesmo pq um 1.0 turbo não seria nada la tão superior.

                  • 1.6 é “mais que ideal” pra cidade e olhe lá. Eu uso carro pra viajar e pra mim não dá. Pode comparar com os principais do SUVs segmento. Pra efeito de comparação, o T-Cross 1.0T faz 0-100 em 9,6s e o Kicks 12s. É muita diferença. E o consumo do T-Cross é melhor. O Tracker 1.0T também anda mais (10,5s) e consome menos que o Kicks. E todos eles custam a mesma coisa. É questão de tecnologia, eficiência, não tem o que discutir. Lembrando que estamos falando de carros 0km, usado é outra história. Preferível um HR-V 1.8 usado do que um T-Cross TSI usado. Carro turbo e principalmente com injeção direta, a longo prazo tende a dar mais problemas.

                    Mas carro 0km, com garantia de 3, 5 anos, 1.0T é muito melhor opção em tudo.

              • Entendo, o 1.6 do kicks não faz tão feio, porém, já dirigi um em estrada e hoje tenho um Golf 1.0 tsi automático. Mesmo o Golf sendo um pouco mais pesado que o T-Cross e cia, o desempenho em estrada é bem superior ao do Kicks, o torque superior em baixa rotação faz muita diferença.

                • É o que é sempre falado tbm sobre o motor 1.0 TSI com o cambio aisin. Veja… o problema aqui não é critica ao 1.0 tsi, mas que se vc pisar, o Kicks não será tão ruim para os donos desses carros.

                  Se ele seria ideal pra mim? Não, iria preferir outros produtos. Como a exemplo do renegade, hoje somente no 2.0 diesel, mas talvez quem sabe o 1.3 turbo seja interessante.

                  Tbm não gostei do Ecosport 1.5 automatico.

                  • O Renegade em versão turbo flex tbm seria minha opção, só não comprei um Renegade por causa do desempenho abaixo da média e consumo alto do motor 1.8, o diesel quando olhei tinha um c/b péssimo e pouca margem de negociação.

                    • Concorod contigo qto a preços do Renegade. Eu aluguei um e gostei mto de le como produto. Em relação ao motor 1.8, nem acho que para cidade ele compromete, mas na estrada a coisa é realmente triste. Para minha forma de andar, ele não foi beberrão, mas senti sim falta de força na estrada, a ponto de algumas situações de estrada que tenha lombadas(Maceio), sai de lombada numa boa e o 1.0 ir no mesmo ritmo. Para que eu andasse mais rapido, apenas esticando as marchas… o que foi pessimo.

                      Principalmente comparando com o meu carro atual em que sendo CVT, vai levando gradualmente a velocidade em 2000rpm.

        • Veja o que é o consumidor. Eu jamais pagaria 20.000 a mais em um carro apenas porque é um motor 1.4T, considerando ainda que a proposta do kicks exclusive está ótima. Tem muita gente que dá um enorme valor ao motor. Até entendo e respeito. Mas a grande maioria quer um carro que dê conta e não os deixem endividados além da conta (o famoso bbb)

            • Baseado nas circunstancias do mercado atual do “malware humano”. 122 ta lindo amigo! Vá ver quanto está custando os concorrentes “turbinados” e de grande depreciação.

              • Tracker e T-Cross 1.0T custam a mesma coisa que o Kicks. E não, não desvalorizam mais por serem turbo. Se o problema for o turbo, então ainda prefiro o Creta 2.0 do que o Kicks pelo mesmo preço. É um compacto 1.6 CVT, que pra efeito de comparação faz 0 a 100 em 12s enquanto os concorrentes 1.0 turbo fazem na casa dos 10s, até o Renegade 1.8 que todos chamam de manco faz em 11s (bebe bastante, mas é mais carro que o Kicks em diversos pontos).
                O Kicks valia a pena até 90 mil. Agora 90 mil é o preço da versão MT (que custava 75 mil até ontem) que ninguém quer, chegando agora a 122 mil. Sinto muito para os defensores do motor 1.6, mas o Kicks simplesmente não vale o preço, porque os concorrentes custam a mesma coisa e oferecem mais do que apenas gadgets. Nesse segmento, em termos de carro, o Kicks só é melhor opção que o Captur na minha opinião.

            • Está caro, mas qual o SUV completo que não está?
              O T-cross 1.0T confortline está 121k (site vw), a tracker 1.0T premier 118k (site gm), enquanto o kicks exclusive 1.6 aspirado 116k. A diferença do kicks para o T-cross 1.0T é de 5k, ou seja, dá para levar o kicks completo, pagar o seguro, emplacamento e encher o tanque!

      • Meu amigo, as peças desse Nissan são muito mais caras que Tracker e T-Cross, ambos 1.0T. Pode comparar. E estamos falando de carro 0km. Um carro Turbo dentro da garantia não vai dar problema algum. Usado, blz, outra história. Mas aqui é sobre 0km. Confiabilidade é a mesma no período de garantia.

          • Então liga lá na Renault e procura as peças de suspensão e freio do Kicks. Se achar me fala… Peças de motor também não são todas iguais. Na hora de pagar 1000 reais em pastilhas de freio, o filho chora e a mãe não vê. Mais um comentário com mentiras e/ou meias-verdades. Vamos ver qual será o próximo.

            • Suspensão, pastilha, disco….essas coisas vc compra de marcas terceiras genuínas. Não precisa ser original nissan. Muito mais em conta. Peças de motor e câmbio…basta pegar o part number, ir na renault e comprar muito mais em conta. A única coisa q difere no motor nissan pro renault é a caixa de admissão e a centralina da ecu.

              Pra comprar nissan tem q ter as malandragens meu velho. Sem falar q em aliexpress da vida vc acha tudo. Absolutamente tudo!

      • Como usado, realmente. Mas 0km, não existe argumento para comprar um 1.6 versus um 1.0T. Dentro da garantia, a confiabilidade é a mesma. E o 1.0T é muito mais eficiente, anda mais e bebe menos, só comparar os números do Kicks com os de Tracker e T-Cross. É uma disparidade imensa, principalmente pra quem usa carro em estrada como eu. E na cidade também há alguma vantagem dos 1.0T em consumo. Além disso tudo, o Kicks é CVT e eu acho a sensação deste tipo de câmbio péssima. Eu prefiro até um Renegade 1.8 AT do que o Kicks com câmbio CVT, mesmo bebendo mais, porque pelo menos o Renegade é bem construído. O Kicks sequer é 5 estrelas no Latin NCAP. Um carro muito inferior tecnicamente ao segmento, assim como todo produto da Renault-Nissan no mercado brasileiro.

        • Ernesto, o cara q compra carro 0km também pensa na desvalorização do mesmo! Quando ele for vender esses carros com projetos novos, mais conhecidos como “BOMBAS” pelos bons mecânicos….ai vai descobrir o tamanho do problema no qual se meteu!

          • Na falta de argumentos, apelou para mentiras. Me aponte quais carros turbo atuais têm maior desvalorização por serem turbo. Tracker e T-Cross são micos no mercado de usados? Não e nem vão ser.

            • Os carros nem envelheceram para vc falar de mercado de usados. vamos falar dessas bombas daqui a 3 anos meu amigo. Ai vc verá q os aspirados tradicionais valerão muito mais. A desvalorização é alta e o custo virá. Vc só fala que eu digo mentiras, mas não traz argumentos para provar o contrário. Decepcionante.

              • Se ainda não envelheceram e não tem como provar, como você afirma que irão desvalorizar daqui a 3 anos se ainda não chegou tbm? Qual sentido tem sua afirmação? O mesmo argumento que você usa pra negar a tese dele também nega a sua, maluco.

                • Não tem como afirmar. Mas com base na sugestão dos mecânicos que dão manutenção e suporte a esses veículos, a única coisa q a gente escuta deles é: fuja dessa bomba! Principalmente se for usado. Se vc não sabe, diversos fatores influenciam no fator desvalorização de um veículo. Uma delas é o custo de manutenção. Se conselho fosse bom, ngm dava de presente. Eu pulei fora dessa moda.

    • Mas qual era a diferença antes? Sempre foi dessa forma.

      Não indo mto longe… mas qdo o T-Cross veio ao mercado, ainda tinha Golf 1.4 (incluso Variant) e GTI. Qual foi o modelo que trás melhores vendagens? E estou falando do T-Cross 1.0.

      Todos os médios sem excessão tem preço desses compactos esbarrando. O fato é que o consumidor tem a preferencia pelos altinhos. Mesmo mtas vezes sem uma razão, apenas emocional.

      Mtas vezes a pessoa quer sentir que o carro “vai andar bem” num reta, maioria dos test-drives (isso qdo o faz…), diante disso, não espero que a pessoa saiba qdo pisar forte, o carro responda bem. E essa pessoa na maioria do tempo será aquela que andará abaixo de 3000rpm achando que acima disso explodirá o motor.

        • Eu iria citar isso, eu tenho plena certeza disso.

          Mas se vc reparar…. se esse Kicks oferta por exemplo… ar digital, central multimidia mais inteligente, sensores de estacionamento…. e o T-Cross de versão similar não tem, isso pode ser o efeito “visivel” para a compra. E aí esquece os freios a disco, entre outros bons itens do T-Cross.

    • Mas dai vc negocia na css, pegamos uma versão SL a 2 anos com R$ 9,200,00 de desconto.
      Vai muito de css e cliente.
      A Nissan está igual a chevrolet o preço de tabela nunca é o mesmo praticado, sempre tem os super descontos que eles dão na css, mas na vdd é o preço correto do carro.

      • Fui ver aqui em Porto Alegre e não tinha 1 real de desconto. Acabamento achei péssimo na versão de entrada a 91 mil. E isso foi final do ano passado,em Setembro ou Outubro mais precisamente.

  2. 90k num carro manual e com calota tão de sacanagem, mais caro que um Renegade AT6 de entrada. 99k no Exclusive ainda seria caro mas seria menos pior.

  3. Pq os fabricantes japóneses como Honda e Toyota e tb a Nissan continua com motores aspirados? será qeu não tem uma lógica para as outras montadoras adorarem tanto o motores Turbo.

        • Com certeza o turbo por ter peças novas e mais caras (com reforços) com aplicação de tecnologia. Vc até pode citar que o imposto em cima de uim motor acima de 1.0 paga mais…. mas o que é mais caro? A produção do motor turbo ou o imposto que ele paga?

          Além do que…. quantos consumidores estão dispostos a ter um carro turbinado? Hoje é uma coisa curiosa que muita gente fica com o pé atrás(não é meu caso).

    • Entre tantas outras razões, pois são montadores cujo planejamente depende muito dos Estados Unidos, onde o motor turbo ainda nao tem todo esse fanatismo europeu e, hoje, brasileiro. O Kicks é vendido, por exemplo, com este mesmo motor em EUA e Canadá. Mazda3 e Toyota Corolla continuam sendo vendidos com motores aspirados (apesar das opções turbo em versões topo de linha, que poucos compram).

  4. O carro ta bonito, curti o esquema do som no encosto de cabeça, meu audi 2001 tem som bose e realmente é de outro mundo até hoje.. Pessoal reclama do motor, tinha que ouvir o mercado, coisa que a peugeot nao fez no novo 208 e que ta fazendo o carro afundar… merecia um motor mais bacana, os 2.0 de sentra tao ai pra isso..

    Eu, particularmente, odeio cambio CVT. Acho que nunca vou ter um carro com esse cambio.

    Quanto ao preço, caro como qualquer carro zero no Brasil. Aliás, essa bolha automotiva surreal que estamos vivendo, não da vontade de comprar mais nada zero km.

  5. Negativo: Bem caro pra variar e roda de liga deveria constar na versão de entrada também.

    Nem mais nem menos: É minimamente equipado na versão de entrada, 6 AB, ABS, Controles de Tração e Estabilidade, ISOFIX, cintos 3p nos 5 assentos, embora que, mesmo nessa versão um assistente de partida em rampa ou um freio de estacionamento eletrônico não seriam demais também.

    Positivo: Ficou muito bonito, tal como o Versa, e ainda mais com leds diurnos em todas as versões.

    Enfim, com relação ao mercado, esse novo Kicks deve impulsionar as vendas da Nissan no segmento, julgando pela impressão de que está vendendo bem, pela frequência com que é encontrado nas ruas, em estados como Es e Rj..

Deixe um comentário