Elétricos Hatches Lançamentos Nissan Preços

Nissan Leaf é lançado oficialmente e agora custa R$ 195.000

Nissan Leaf é lançado oficialmente e agora custa R$ 195.000

O Nissan Leaf foi apresentado oficialmente no Brasil, bem como Argentina, Colômbia e Chile. Com 20 exemplares vendidos desde novembro de 2018, quando se iniciou a pré-venda no Salão do Automóvel 2018, o hatch médio tinha preço de R$ 178.400 nessa condição, mas agora o valor sugerido é de R$ 195.000.


A Nissan justifica o aumento com a inclusão do carregador doméstico, que tem mais potência e é instalado na residência do cliente. Com ele, o tempo de recarga completa fica entre seis e oito horas. O pacote traz ainda um cabo a bordo para recarga em tomada comum, tendo adaptador de 20 amperes para isso. Nesse caso, o tempo de recarga é de 20 a 40 horas, dependendo da voltagem (220V/110V).

Nissan Leaf é lançado oficialmente e agora custa R$ 195.000

Em 2019, a Nissan já tem 200 pedidos do Leaf e aposta no apelo ambiental como argumento de compra, além da economia que se tem com combustível numa comparação com um carro comum. Com 240 km de autonomia, o hatch elétrico será comercializado por uma rede reduzida, que atenderá as cidades de São Paulo, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre e Brasília. Serão seis lojas, pois, a capital paulista terá duas unidades.


Importado de Sunderland, Reino Unido, o Nissan Leaf também é fabricado nos EUA (Smyrna, Tennessee) e no Japão (Yokosuka, Kanagawa). Além disso, existe uma variante chinesa com a marca Venucia. Medindo 4,490 m de comprimento, 1,788 m de largura, 1,530 m de altura e 2,700 m de entre eixos, essa é a segunda geração do compacto, que foi lançado mundialmente em 2010.

Nissan Leaf é lançado oficialmente e agora custa R$ 195.000

Agora com motor elétrico síncrono de 150 cavalos e 32,5 kgfm, o Nissan Leaf dispõe de baterias de lítio de 40 kWh. No Brasil, o pacote de equipamentos inclui monitoramento em 360 graus, controle de cruzeiro adaptativo, farol alto automático, detecção de pedestres com frenagem automática, ar condicionado automático, alerta de ponto cego e manutenção de faixa, alerta de colisão e fadiga, indicador de tráfego traseiro, entre outros.

[Fonte: UOL]

Nissan Leaf é lançado oficialmente e agora custa R$ 195.000
Nota média 4.2 de 6 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Jhonattan Da Silva Machado

    Sem os devidos incentivos, os elétricos continuarão a ser sonho distante da maioria da população do país, infelizmente…

  • Mr Tony

    240km de autonomia, só isso? É a versão mais recente?

    • F30FLORIPA

      Não, no Brasil será vendida a versão defasada.

      • Mr Tony

        Brasil, a latrina dos carros lançados no mundo….

  • Mr. Pereba

    Ainda que o preço da gasolina esteja acima de 5 reais na maior parte do país, a compra ainda fica muito longe de ser financeiramente racional. Os compradores (PF ou PJ) com certeza tem a intenção de demonstrar seu posicionamento ecologicamente correto e sua aderência à inovação.

    • El Gato!

      Exato. É para o nicho do nicho. Enquanto empresas como Petrobras, Exxon, Chevron, Petrochina, entre outras, mandarem no mundo… o preço do carro elétrico/híbrido é esse aí mesmo.

      • Wendel Cerutti

        O custo de fabricação / baterias ainda é muito alto .

    • leomix leo

      Aqui na Bahia, precisamente em Feira de Santana, está custando R$ 3,89(gasolina tipo C),com as reduções consecutivas, creio eu que haverá pra estar de R$ 3,49, mais a cartel aqui é forte…

  • José Castro Neto

    Eu truco. Esse nem carregando a bateria em painel de energia solar vai se pagar.
    Prius agradece.

  • LL

    Ainda acho que deveria ter incentivo para city car hibrido…muito mais proximo da realidade do Br.

  • 4lex5andro

    Um carro dos tempos atuais, para o futuro, ou seja, um carro de elite.

    O Brasil de sempre…

  • Gabriel

    Tem um pouco de Civic10 nessa frente ai.

  • Piston head

    Vamos tirar esse acento do ”e” por favor…

    • El Gato!

      É porque o lançamento “É” agora!! Hahaha!
      NA e seus rotineiros erros textuais…

    • Ananias Anacleto

      A “errografia” deu metástase e passou a se espalhar por tudo, agora apareceu até no título. Neste estágio avançado só a “corrigegrafia” vai dar alguma chance de sobrevida ao português.

  • F30FLORIPA

    Preço muito próximo do BMW i3

  • F30FLORIPA

    Lá fora já lançaram uma nova versão desse carro, no Brasil está sendo vendido a versão q já saiu de linha no exterior.

    • Flávio Ba

      Desova do estoque mundial antigo no Brazil, a preço do modelo novo!!!!

      • TchauQueridos

        “Exclusivo” para o mercado brasileiro.

      • Julio Alvarez

        Vendendo 20 unidades vai demorar para desolvar…

  • delvane sousa

    Parece que o caminho para a eletrificação passa pelos hibridos primeiro, vide o relativo sucesso do Prius, principalmente pela questão do valor mais acessível. Nesse aspecto a Toyota ta indo bem, tanto que vão lancar o Corolla hibrido também.

    • Edson Fernandes

      Mas sabe o que acontece? A Toyota foi inteligente e tem seu mercado a favor.

      As empresas andaram lançando modelos turbinados e a cada dia a escalada de preço é maior. Então como ela se deu por vencido em não ofertar o que o mercado em comum tem feito, já pulou para os hibridos.

      E o hibrido apesar de andar menos que um turbo de nosso mercaod, tem como seu apelo o consumo. E isso cai diretamente em voga ao que é esperado pelos produtos já que hoje isso é levado mto a sério. Eu acho que está sendo um acerto da Toyota em lançar no futuro a versão de topo do Corolla como hibrido. Mas tbm acredito que assim, não teremos mais opção ao Prius. (que é ruim de comercio aqui)

  • Eduardo

    Irei aqui iniciar uma discussão sobre os elétricos que ao meu ver não serão os carros do futuro, pelo menos a curto e médio prazo.
    1. Quem em perfeita consciência comprará um carro elétrico usado com 2 ou mais anos de uso? Imaginem qual vai ser a preocupação de quem compra, como está a bateria, se é original, etc.
    2. Esse carro são completamente geridos por computadores, após a garantia, quantas oficinas teriam capacidade em mexer em um carro desses e imaginem o custo.
    3. Não sei as novas gerações, mas eu particularmente tenho prazer em ouvir o ronco do carro, o balanço em uma acelerada, etc, vai ficar muito frio dirigir um carro elétrico.
    4. Qual a economia real, imaginando o custo do combustível que usamos hoje e o elétrico? O valor do carro comparado a um de mesma categoria movido a gas/etanol é compatível com economia?
    5. O valor de revenda, como será?
    6. O que farão com tantas baterias que não prestam mais? Será que o meio ambiente não será penalizado?

    Para mim, até agora não vejo motivos da indústria seguir o rumo da eletrificação, Acho que a Toyota apostando no híbrido, seja a decisão mais sensata e a Fiat que está jogando as fichas em um motor movido a etanol com consumo de gasolina, adorei essa notícia da Fiat.

    E vcs o que acham, qual será o futuro do elétrico?

    • Guilherme Gimenes

      se as pessoas tivessem esse seu pensamento anos atras, estariamos ainda com maquina de escrever ao inves de computadores

      • Eduardo

        Não se trata de evolução tecnológica amigo e sim de escolha do caminho a se seguir. Ja foram feitas muitas apostas erradas por grandes companhias e muitas chegaram a quebrar, e outras que saíram do nada e hoje são gigantes. Então amigo, não quer dizer que a eletrificação seja o melhor caminho.

      • Sonfav

        hehehe.

        Que dureza… o amigo acima coloca 6 excelentes pontos para uma discussão saudável.. e logo de cara aparece um cidadão resumindo tudo a uma máquina de escrever.

        Só que você se esqueceu de que a troca da máquina de escrever pelo computador era algo que fazia um baita sentido, principalmente econômico.

        Então… não foi desta vez.. continue tentando.

      • RPM

        Exato….o ser humano sempre lutando inconscientemente contra o moderno,o novo…

        • Edson Fernandes

          MAs é uma preocupação correta. O problema talvezseja, que hoje um carro elétrico seria no máximo imagem que a pessoa quer passar.

          Pq no Brasil ela ficará super limitada com esse produto. Eu ir e voltar de onde trabalho, e esse carro fica sem “combustivel”.

          Mas a realidade é que hoje ainda não dá para pensar como um bem de consumo comum em que a estrutura já esteja preparada para o uso do carro.

        • Rafaelprado

          não necessariamente, principalemente o mercado de tecnologia há muitos exemplos em apostas erradas…
          Super8, ZipDrive, MiniDisc, VideoCD e o famigerado flash.

          O tempo dirá quem está certo…

          Para nós brasileiros há uma enorme vantagem em se ter um motor como o o citado, que roda exclusivmente com etanol, com redimento igual ou superior aos motores a gasolina, aliado a uma nova geração de etanol que vai otimizar o volume por hectare.

          Por outro lado se tem a matriz energética majoritariamente renovável, porém exites um alto custo de produção de baterias paralela a necessário uma plataforma dpara descarte e desmonte das baterias.

    • 7. Com esse carro você não consegui nem fazer uma viagem de Brasilia/DF para Caldas Novas/GO, você fica no meio do caminho, um carro caro e praticamente urbano. Não faz muito sentido esse carro não.

      • Rafaelprado

        Mas faz:
        Brasilia-Goiania
        São Paulo-Satnos
        São Paulo-Campinas

    • Alexandre Monteiro

      Vou tentar responder, lembrando que esse é meu ponto de vista baseado em algumas informações da internet e experiências.
      1. Eu compraria sem problemas um carro elétrico ou hibrido com 2 anos de uso ou mais, minha preocupação com essa compra seria a mesma caso estivesse comprando um carro convencional. Semana passada pedi um Uber e o cara chega com um Fusion Hybrid da primeira geração, 2011 com 160.000 km, bateria original e segundo o motorista, estava fazendo 16km/l, consumo muito próximo do original. Informações da internet: mais de 80% dos Prius fabricados ainda usam as baterias originais, já existe empresas nos EUA que recebem sua bateria “velha” e lhe vendem uma remanufaturada com 36 meses de garantia por 1/3 do valor, no caso do Fusion Hybrid U$ 1200,00.
      2. Todos os carros atualmente são geridos por computador, um Ford Edge por exemplo tem nada menos que 8 módulos de controle, sendo assim não vejo grandes diferenças. Tende dar manutenção em uma LandRover RangerRover Vogue sem as ferramentas e manuais apropriados, você não troca nem as pastilhas de freio.
      3. Concordo 100% com você, também gosto da sensação de dirigir, carro para mim é e sempre será mais que um meio de transporte, tem emoção envolvida, de outra forma e usando somente a razão não compraríamos carros.
      4. Isso é extremamente relativo, na minha residência por exemplo tenho um sistema de geração distribuída, vulgo “energia solar”, fiz um sistema superdimensionado, consumo apenas 70% do que gero, dessa forma eu teria uma custo por KM rodado bem baixo, considerando apenas o custo do combustível/energia.
      5. Não muito pior do que o de qualquer outro carro de grande valor, você já deu uma olhada no valor dos Prius e Fusions usados ofertados no WebMotors? Valores proporcionalmente muito parecidos ao dos modelos convencionais. Claro não vamos comprar com o valor de revenda de um Onix ok!
      6. Vamos pegar o caso do nosso amigo do Uber que possui um Fusion Hybrid e que faz uma média de 16km/l, o Fusion convencional faz em média metade disso 8km/l, após os 160.000 km rodados o Hybrid consumiu 10.000 litros de combustível, o modelo convencional consumiria o dobro disso 20.000 litros de combustível, quase 20 toneladas de gases tóxicos no ar, de fato não sei o que pode ser pior.
      Antes que você me questione sobre ter citados exemplos de híbridos e não de puramente elétricos, acredito que as vantagens e desvantagens sejam proporcionalmente maiores no caso dos puramente elétricos e/ou nos elétricos plug-in.

      • Sonfav

        Interessante.
        Um ponto que gostaria de destacar.. já houve matéria aqui neste site falando sobre o Fusion Hybrid.
        A bateria é projetada pra durar durante toda a vida útil do carro ( não sei quanto tempo consideram )..
        Mas.. se precisar trocar fora da garantia, custa só 35k.
        É preciso coragem para comprar esse carro.

        • Edson Fernandes

          Atualmente cobram R$28000….rs

      • Sonfav

        Não sei dizer o custo do frete de algo tão pesado e caro.
        Serão 2, um pra você enviar a bateria usada, e outro para receber a bateria recondicionada, não é bateria nova.
        Na melhor das hipóteses estamos falando de 20 a 30% do valor do carro.
        Na pior, 60% do valor do carro.
        Continuo achando necessário ter pelo menos 3 bolas para comprar esse carro.

        • Alexandre Monteiro

          A bateria ter 8 anos de garantia, não significa que ela vá durar 8 anos e 1 dia, tenho um freezer aqui em casa que tinha 1 anos de garantia e já está me servindo a mais de 8 anos sem falhas. Claro, não acredito que uma bateria vá durar 8x mais que a garantia, mas acredito que exista um terror irracional sobre essa questão.

          Lhe proponho um exercício de observação: dá próxima vez que sair com seu carro, tente contar quantos carros com 20 anos ou mais estão rodando e rodando em boas condições, isso inclui, pneus dentro do limite de desgaste, lataria e pintura minimamente cuidadas sem amassados profundos, partes faltantes, corrosão perfurante entre outras, faróis, lanternas, retrovisores e vidros em boas condições entre outras coisas que tornam a condução segura e eficiente. Você vai ver que levara uma semana ou mais para preencher os dedos de 1 mão.
          Aí vem a questão: se carros convencionais não duram 20 anos, pq que híbridos e elétricos precisam durar tanto?
          É lamentável mais depois de 20 anos 90% de todos os carros que estão sendo vendidos como novos nesse exato momento irão virar sucatas, sejam sucatas literalmente ou pior, como sucatas ambulantes, prejudicando o trânsito e causando acidentes.

          • Sonfav

            Você comprou um?

            • Alexandre Monteiro

              Infelizmente a oferta de veículos híbridos hoje é muito limitada, aqui em casa só carro japonês e com tração 4×4/AWD (devido a casa de praia que temos, o AWD não faz milagre mas já ajuda bastante em um passeio na beira da praia), em Fevereiro desse ano comprei um Novo Vitara para minha esposa, na versão ForYou allgrip (versão essa que está fora de linha nos modelos 19/19, dessa forma consegui negociar um bom preço) é um carro muito econômico e é AWD e é Japa, logo atende todos os requisitos, meu carro atual é uma L200 triton Sport (troquei recentemente pela S10 HC que tinha), que também atende aos requisitos acima citados.
              Hoje os carros híbridos que atendem aos meus requisitos seria apenas o novo RAV4, porém esse foi lançado agora e os atuais veículos aqui de casa são praticamente 0km. Sem ser Japa temos o XC60/XC90 porém esses nas versões hibridas estão fora do meu orçamento.
              Mas se você me perguntar quais as possibilidades de eu ter um carro hibrido da próxima vez que for substituir algum carro aqui de casa (daqui uns 5 anos provavelmente) eu diria que são acima de 50%.

          • Sonfav

            Ele precisa durar muito tempo, porque custa muito caro, e a pessoa não vai ficar mais tempo no carro, que geralmente já fica. Ou seja.. considerando uma vida útil curta, a conta fica pior pro híbrido. E considerando uma manutenção cara no momento que o carro já tem pouco valor por n motivos, a compra fica inviável.

            E não sou eu que digo isso. É o mercado. Quantos Fusion Hybrid e Prius você viu, neste mesmo exercício de observação? Então todo mundo agora não faz conta e não sabe comprar carro?

            Por R$ 82.160, a Ford oferece o Fusion 2011 equipado com o motor 2.5 na versão “de entrada”, saltando para R$ 86.160 na versão completa. Equipado com o motor V6 de 3.0 litros, o Fusion 2011 chega com preços entre R$ 103.360 e R$ 107.360. Apresentado no Salão do Automóvel, o Fusion Hybrid, versão híbrida do modelo, tem preço sugerido de R$ 133.900.
            Preços hoje = Fipe = 2.5 SEL = R$ 39.730,00
            3.0 V6 = R$ 41.184,00
            Hybrid = R$ 54.500,00
            Quem comprou o 2.5 sofreu desvalorização de R$ 46.430,00
            3.0 = R$ 66.176,00
            Hybrid = R$ 79.400,00
            80k de perda, e se a garantia durar 8 anos e 1 dia, o que não é garantido nem prum lado nem pro outro, lá se vai uma fortuna pra arrumar um carro que ninguém quer.

            Trocando em miúdos.. o cara que comprou a versão completa 2.5 SEL, fez um ótimo negócio e ganhou R$ 33.000,00 pra gastar no posto de gasolina. Ele vende o carro com muito mais facilidade, e se precisar torrar o carro numa revenda, conseguirá com uma perda muito menor no preço de tabela. Provavelmente receberá um valor semelhante a quem tem o Hybrid… isso se algum lojista quiser comprar o Hybrid.

            Em todo caso não é proibido o comércio deles… se quiser comprar tem muita gente vendendo. Tem usado, tem seminovo e tem zero km. É só escolher e ser feliz.

            Mas ainda é um negócio pra poucos. Tem que ter coragem e desapego ao suor do rosto.

            • Alexandre Monteiro

              Seguindo sua lógica de que carro caro tem que durar muito, me fala pq não vemos BMW, Audi e outros carros premium com mais de 10 anos rodando por ai. O que você acha que dá mais manutenção: um Fusion Hybrid 2011 ou uma BMW X5 2011?
              O carro hibrido desvaloriza muito, pq custa mais caro e não pq necessariamente é hibrido.
              Uma BMW X5 zero km custa hoje na faixa de R$ 560.000,00 já uma 2011 custa na faixa de 90.000,00
              Desvalorizou 84%
              Um Fusion Hybrid zero km custa hoje R$ 180.000,00 já um 2011 custa na faixa de 49.000,00
              Desvalorizou 73%
              Pq a X5 que é um carro convencional desvalorizou bem mais que um hibrido, simples, pq custa mais caro.
              Carros mais caros sempre irão desvalorizar mais.

              • Sonfav

                Ué.. mas é isso mesmo.
                É preciso coragem pra comprar tanto um quanto o outro.
                Eu não compro. A imensa maioria não compra. E não é só uma questão de não possuir o total do dinheiro.. conheço alguns milionários com mais de 10M em dinheiro que se contentam com carros na faixa de 80 a 130k. Por motivos diversos. Uns não querem atenção, outros não se importam com isso..
                Só que uma BMW, um Audi.. desses caros.. entregam coisas diferentes pros donos.
                Entregam o topo disponível, entregam status.. é um gosto de alguém que atingiu um sucesso financeiro na vida e quer desfrutar de um sonho… sei lá. Jogador de futebol.. gente que ganha na loteria.. gente que ganha muito todo mês.
                Só que quem compra uma BMW X5 não o faz pensando em economia, e muito menos no meio ambiente, certo?
                O que o Fusion, o Prius ou o Leaf entrega a mais que os seus pares comuns? Na minha opinião… nada.. a não ser o compromisso de visitar a concessionária por 10 anos. E tem que lançar este custo também, que não é coisa pouca.
                O fato é que cada vez mais difícil de encontrar alguém disposto a manter os carros caros conforme ele fica velho. Porque o cidadão que tem grana pra comprar um carro de 90k não quer um carro com manutenção tão cara. E porque o cara rico que pode bancar não quer esse carro usado.
                Então não há falha nenhuma na lógica. Ou vai atender quem anda muito com carro.. e coloque aí qualquer coisa na faixa de 50mkm/ano, ou tem de durar muito para continuar sendo vantajoso para o terceiro e quarto donos em diante. E que tenha manutenção barata, do contrário, será um mico.

                • Alexandre Monteiro

                  Concordo que carros híbridos hoje ainda são carros de nicho, mas com o aumento da produção em escala a tendência são que os preços das variantes hibridas se aproximem bastante das versões convencionais.
                  Mas veja por exemplo a questão da isenção do rodizio veicular em São Paulo capital para os veículos híbridos e elétricos, já é um motivo bem relevante e olhe que não foi SP que inventou isso, vários países na Europa já criaram restrições a veículos convencionais, deixando os elétricos/híbridos de fora.
                  Sei não, se eu fosse apostar, apostaria que a montadora que ficar de fora dessa “onda de eletrificação” seja ela só uma onda ou não, perderá uma fatia boa do mercado para as próximas décadas.

        • Alexandre Monteiro

          Citei o exemplo das baterias a base de troca a venda nos EUA para ilustrar a possibilidade de alguma empresa brasileira fazer o mesmo. Acredito também que seja inviável, enviar a bateria velha e esperar a bateria “nova” chegar.

      • Eduardo

        Muito boa suas considerações. Acredito que no item de economia de combustível, as montadoras cobram de nos a economia adiantado, por isso a diferença de valor entre eles.

        • Alexandre Monteiro

          Existem vários fatores que determinam o preço de oferta de um produto, tem a questão da amortização dos investimentos em P&D, baixa produção em escala, a própria questão de ser “novidade” e principalmente a falta de outros players para competir. Mas acredito que no médio prazo essas diferenças sejam reduzidas.

      • Matthew

        Sim, sempre penso nessa possibilidade das pessoas que têm usina de energia solar instalada na residência. Melhor combo possível com o carro elétrico.

    • Edson Fernandes

      1 – A bateria do Prius (estou usando como referencia) tem garantia de 10 anos. Logo, ao menos o primeiro dono não se preocupa com uma possivel manutenção.
      2 – Se observar, os atuais carros tbm são assim. Não se engane em achar que um hibrido é mais computadorizado. Ele um motor elétrico que aciona um dos eixos do carro. As demais funções são iguais a outros carros.

      Até mesmo a ECU a depender do modo de condução analisa como irá carregar e descarregar as baterias.

      3 – Meu tio tem um Fusion hibrido. Eu tbm pensava assim até dirigir o Fusion na cidade. Curiosamente, é estranho em realidade o inverso, ou seja, quando liga o motor!

      O isolamento acustico dos carros(em especial do Fusion) é muito bom(do modelo turbo a gasolina). Te digo para quem está acostumado é que a versão hibrida amplia o conforto. Sabe o que vc estranha?Na hora de ligar.

      Não tem barulho, não tem NADA que indique fora o painel obviamente que o carro está ligado. Mas basta vc andar 5 minutos com o carro que vc percebe que não faz falta. Vale a consideração aqui para uma tocada de uso na cidade e/ou estrada , dirigindo numa boa, não faz falta. Talvez quem sabe numa condução esportiva, mas para uso urbano vc não sente falta de ronco não. E vc passa a notar como o carro é incrivel em isolamento acustico.

      É até engraçado pq qdo liga o motor a combustão, lembra de longe o funcionamento de uma geladeira qdo o compressor é ligado para gelar o refrigerador depois de uma compra…rs

      Claro que ele vai fazer ruido (contido) qdo ligado, mas pensa que Prius e Fusion usam um cambio CVT para o motor a combustão e isso tira boa parte de um comporamento comum de “trocas” de marcha. Simplesmente pq não existem.

      4 – A economia no do meu tio é simplesmente o dobro….rs

      Ele faz acima de 15km/l na cidade. No Eletrico? ao considerar o que é tido como informação? Gastariamos mais vendo 4 horas de TV do que carregando um carro hibrido por 6 horas. Ou seja, no meu caso euteria que carregar a cada 2 a 3 dias(pq eu rodo mto). Certamente gastaria pouco.

      Mas eu acho super limitada essa autonomia de 240km.

      5 – Atualmente incerto. É um carro de inicio de vendas, não dá para citar desvalorização por agora.

      6 – Eu entendo que deveriam ter o correto descarte. Como em pilhas e baterias de uso em produtos diversos, creio que para esse tipo também haverá o descarte adequado. Onde seria isso? Boa pergunt.

      • Eduardo

        Obrigado amigo pelo excelente comentário.

    • Ducar Carros

      Há um engano comum no seu texto: achar que a eletrificação é obrigatoriamente à bateria. A eletrificação pode ser também através de células de combustível, usando hidrogênio ou a tecnologia da Nissan (SOFC, usando etanol). Em todas essas rotas os carros são movidos por motores elétricos.

      Ainda não está claro qual eletrificação vai prevalecer, todas as três rotas têm seus desafios, mas a eletrificação é um caminho sem volta. Até ocorrer essa definição, o híbrido parece ser o caminho natural a ser seguido.

  • zekinha71

    Como custa caro economizar gasolina.

  • Klaus Nickel

    Complete a frase: Com essa grana dá pra comprar (______________________________)

    • Ananias Anacleto

      Um apartamento de 1 quarto em um bairro mal localizado….. opa, era pra ser somente veículo?

      • Klaus Nickel

        pelo valor, serve apto… eh eh

      • Edson Fernandes

        Com 230000 vc compra no predio onde eu moro no Jabaquara…. fica até perto do metrô…rs

    • Gustavo Pimenta

      Audi A5, Passat, Audi A4…

    • BuffyDawnSum

      Dá pra comprar um apartamento na alameda de árvores, região classe média bem localizada, em Aracaju. É o valor da entrada. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Leandro

    Com essa autonomia fica inviável fazer viagens curtas, tipo Campinas – São Paulo ida e volta, pois corre-se o risco de ficar no meio da estrada.

    • Matthew

      Tanto em Campinas quanto em São Paulo há bastante pontos de recarga. Concordo que seria melhor ir e voltar com uma carga só, mas não seria de todo impossível. 240 km de autonomia é praticamente a distância de ida e volta dos dois municípios.

      • Edson Fernandes

        Imagina que legal vc parar seu elétrico e ficar ali esperando 2 horas para ele ter carga o suficiente para continuar sua viagem. Seria totalmente inviavel ficar fazendo isso. Vc até pode dizer de fato enquanto se trabalha.

        Mas o problema é que esses pontos não são tão bem dispostos a ponto de encontrar com essa facilidade enquanto vc passa o dia trabalhando.

        Além do que, vai ficar ocupando o espao de quem poderia tbm carregar seu elétrico? Não dá simplesmente.

        • Matthew

          Em Campinas há pontos de recarga em shopping center. E outra, não precisa dar a carga completa. O carro tem 240 quilômetros de autonomia, até daria pra arriscar ir e voltar. Entretanto, 20 ou 30 minutos devem ser suficientes para dar boa margem na volta. Portanto, estão muito longe de ser algo “totalmente inviável”. Também tô considerando que a pessoa faça uma viagem dessas eventualmente, no máximo todo final de semana. As poucas pessoas que eu conheço que moram em Campinas e trabalham em São Paulo costumam ir de fretado, jamais com carro particular.
          De qualquer forma, é uma tecnologia incipiente em nosso mercado ainda. A tendência é aumentar cada vez mais os pontos de recarga, baratear o custo dos automóveis elétrico, bem como o aumento da autonomia. No mercado externo já tem versão do Leaf com mais de 360 km a cada recarga, já é um valor bem próximo de um veículo médio em cidade, como um Sentra por exemplo.

          • Edson Fernandes

            Estou te dando meu exemplo que vou toda semana para Indaiatuba e fico em Campinas. Só nesse caminho e rodar, no primeiro dia 180km rodados. Depois durante a semana são 100km e para voltar para SP considerando o transito mais estrada que sempre me preocupa. E pode existir situações onde eu vou e volto no mesmo dia.

            Pode parecer bobo esses 30 minutos que vc diz, mas é tempo pra caramba parado!

        • Creio que um casal que tenha um carro deste valor na garagem tenha uma segunda opção de veículo. Se for o único carro da família dificilmente a pessoa compraria um elétrico. Eu tô bem longe deste patamar de consumo, mas acho quase impossível um casal onde o marido tenha um carro de 200 mil ou mais a esposa andar de uber ou táxi. E se a mulher tiver um carro de 200 mil duvido que o marido ande de uber e não tenha seu próprio carro.

          • Edson Fernandes

            Concordo contigo. Não vejo mto sentido ainda para esse tipo de produto tbm.

  • Gustavo Pimenta

    Resumindo será um mico em vendas!

  • Emygdio Carlos

    Preço muito acessível!

    Parabéns!

  • BuffyDawnSum

    Vinda longo aos motores de combustão e combustíveis fósseis!

  • Ricardo

    Esse carro tem um problema na minha opinião. O carregador dele é do tipo 1, enquanto que a maioria dos carros e carregadores no país são do tipo 2.

  • Kleber Freitas

    “voltagem (220V/110V)”.
    Voltagem não existe, o termo correto é tensão.
    Voltage é em ingles, popularmente traduzida para voltagem.

    • Cesar

      Tem uns outros loucos por aqui que entendem muito de carro e falam “litragem” quando o correto é volume.

  • Diego G. de Lima

    Pessoal quer lutar contra a maré, vai acontecer, ponto. Essa é a tendência. Pessoal parece aquele povo antigo dizendo “esses automóveis nunca irão substituir a carroça de boi, com essa tal de gasolina não dar de ir nem na cidade vizinha”.
    Todas essas pendências como baterias, autonomia e etc… Serão superadas com a evolução da tecnologia.

  • Rodolfo Deo

    Se eu tivesse bala pra ter um carro de 200 mil, acho que gasolina não seria preocupação, então eu não cogitaria essa compra.

  • Fanjos

    Amo 20 mil de prosperidade sem motivos, não tem explicação S2!

  • Diogo Reis

    As vendas vão decolar….!!! Quase 200K, mais caro que um A4. É pra dar risada mesmo.

  • Felipe Cit

    No brasil… R$ 195.000,00 ou 195 salários mínimos… Nos Estados Unidos de 29.990,00 por 22.490,00 com incentivo de impostos cedidos pelo governo por ser 100% elétrico ou então 14 salários… Muito triste a realidade do consumidor Brasileiro, espero que um dia possamos valorizar os trabalhadores com boas condições de trabalho, saúde e segurança para todos.

  • Julio

    240 Km de autonomia é muito pouco, isto sem falar no preço abusivo só para entusiastas(com dinheiro) mesmo.

    • Rafaelprado

      Pouco? Mais que o suficiente para fazer campinas – sp todos os dias… Fora que o tempo de carga é suficiente para carregar durante o trabalho, ou em casa a noite..

  • Marcio Souza

    Infelizmente tenho que concordar com uma declaração dada neste ano pelo Ministro de Minas e Energia: a realidade do nosso país é o veículo híbrido.

    • Antonio Carlos Costa

      Ou motores 100% etanol com o mesmo consumo da gasolina. O novo motor turbo E4 da Fiat está mirando isso.

  • Emanuel

    Por esse preço já deixo meu descanse em paz

  • Wolfpack

    My God! Isso é sério ou piada? 195.000,00 cruzeiros por isso ai? É sério? Candidato fortíssimo a mico, maior mico de todos os tempos. Façam o seguinte cálculo, tempo de retorono do investimento mesmo que utilize podium, e opala vc não cosnegue recuperar essa grana. Quando eu ver ou se ver algum, vou reparar bem na cara do motorista. Só ministro do STF pra dirigir um carro desses.

  • Felipe Sousa Augusto

    Barato demais kkkk

  • leitor

    Não pode ser questão de incentivo. Existem poucas pessoas que podem comprar e querem. Se for pra tornar popular ou ao menos dobrar esse pequeno número será um privilégio diante da sociedade e de outros fábricas.
    Um Compass de uns $130mil mais $65mil de combustível, estará bem servido. Ou mesmo um Híbrido. Vejam então o tamanho do incentivo. Não pode ser questão disso.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email