Brasil Combustíveis Híbridos Japão Nissan Tecnologia

Nissan revela que etanol para gerar hidrogênio em carros já é viável

Nissan revela que etanol para gerar hidrogênio em carros já é viável

No Japão, a Nissan do Brasil revelou que a tecnologia que utiliza etanol para obter o hidrogênio necessário para os carros movidos por células de combustível já é viável comercialmente, de acordo com o jornal O Estado de São Paulo. A ideia é usar o produto nacional, difundido no mercado desde o começo dos anos 80, como alternativa para o futuro.


De acordo com a empresa, que trabalha com universidades nacionais e a engenharia de outras unidades da montadora, serão necessários pelo menos mais cinco anos de pesquisas e testes para que os primeiros carros comecem a ajustar a tecnologia para homologação.

A Nissan atualmente trabalha com a Universidade de Campinas (Unicamp) e o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), sendo que este último está ligado à Universidade de São Paulo (USP). Além disso, as filiais dos EUA, Japão e China também participam do desenvolvimento.

Nissan revela que etanol para gerar hidrogênio em carros já é viável


Concluiu-se até agora que a cana-de-açúcar geneticamente modificada, produz um tipo de etanol (de segunda geração) que permite a exclusão do chamado reformador (cortado acima), um dispositivo que provoca a reação química necessária para geração de eletricidade nas células de combustível.

Dessa forma, esse etanol entra direto nas células e lá reage de forma a gerar a energia necessária para baterias e propulsor elétrico. Aliás, essa mudança na tecnologia chamada SOFC, permite ainda que se reduza o tamanho das células de energia para armazenamento de eletricidade e se aumente a eficiência, reduzindo naturalmente o custo.

A Nissan já acredita que essa é a melhor solução (econômica) para o futuro com carros movidos por hidrogênio. As vantagens do uso do etanol nas células de combustível é enorme, pois, o combustível já difundido em um mercado grande como o Brasil e é utilizado em alguns países, misturado com gasolina.

Nissan revela que etanol para gerar hidrogênio em carros já é viável

Além disso, sua manipulação é igual ao da gasolina e com efeitos ambientais muito menores. Bem diferente do hidrogênio puro, usado pela Toyota, Honda e Hyundai diretamente em seus carros. Eles precisam de volumosos tanques pressurizados de fibra de carbono (foto acima).

Para abastecimento, o hidrogênio requer uma estrutura cara e complexa para manter a segurança e o produto em temperaturas baixíssimas com pressão muito elevada. O risco de grande explosão é outra preocupação, como ocorreu há alguns meses na Noruega, onde um posto teve detonação com energia impressionante. Toyota e Hyundai tiveram de suspender o abastecimento no país em decorrência do incidente.

[Fonte: Estadão]

Nissan revela que etanol para gerar hidrogênio em carros já é viável
Nota média 5 de 4 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • cepereira2006

    É, o Brasil é o país do futuro…

  • Josimar Genm Tavares

    agora vai BRASIL IL IL IL IL IL

  • Claudio Franzoso

    Parabéns pela Nissan, e parabéns mais ainda para todos pesquisadores e universidades envolvidos nessa grande inovação tecnológica…Quando é para criticar aparecem vários, já para elogiar…rsrs

  • Magnamox

    Excelente projeto e parece ser promissor.

  • É viável, mas precisa de mais 5 anos de pesquisas… ???
    Não há muitos detalhes, mas imagino que o consumo seria muito menor transformando o etanol desta forma, pq senão… já existe o motor a etanol.

    • Imagine assim….

      Como o estudo é através de universidades e centro de pesquisa e desenvolvimento, então esse produto tem que ser mundial. Só que em testes aplicados em laboratório foi possível que o uso do etanol é seguro para a aplicabilidade. Então uma vez concluída essa fase, a proxima são os testes de campo onde se pensa em aplicabilidade junto de sistemas de proteção e como será desenhado o conjunto para os carros que equiparão o recurso. Lembrando ainda, que se é mundial, será necessário pensar se o uso de etanol é interessante nos mercados que ele irá atuar.

      Apesar de já ter um desenho técnico mostrando como funciona, esse precisa passar por mtos testes para depois ser lançado. E como se trata de uma tecnologia nova, do zero, não é simplesmente sair colocando e vendendo. E sim, pode parecer mto tempo 5 anos, mas com ajustes e mudanças mercadologicas, esse tempo é o que existe para se pensar em algo assim.

    • HEnrique

      Os carros fuel cell tem range de 600km, o problema é de onde tirar o Hidrogênio. As soluções da Hyundai e da Toyota, envolvem colocar tanques de hidrogênio nos carros, o que gera dois problemas: 1) o risco de explosão; 2) a necessidade de uma estrutura de abastecimento de alta pressão de hidrogênio.

      O que é inovador dessa tecnologia da Nissan é justamente retirar a necessidade do tanque de hidrogênio e da tecnologia que encarecia a produção (o reformador). Você não perde eficiência porque todo hidrogênio do etanol está sendo aproveitado na célula de combustível, mantendo a autonomia alta

      • A questão final é, quantos KM vai rodar com 1 litro de etanol?

        • Ducar Carros

          Isso vai variar de acordo com as especificações do carro e condições de rodagem. Como a eficiência do motor elétrico é maior, com certeza o carro fará mais km com menos combustível que os motores a combustão.

          A questão é que o carro será elétrico, com todas as vantagens do elétrico a bateria, sem as desvantagens (necessidade de infraestrutura de eletropostos, autonomia baixa, duração de carga demorada, preço das baterias, etc). E será mais limpo que o elétrico a bateria, pois os gases emitidos pelo escapamento serão quase todos reabsorvidos pelo crescimento da cana.

        • HEnrique

          Considerando as tecnologias atuais de Fuel Cell, o range é de 600km. Porém isso considerando os tanques de hidrogênio. Não sei qual o espaço que o tanque de etanol ocupará no carro e quanto de hidrogênio isso produzirá, para saber o range deste modelo específico. Se fosse chutar, pelo menos 400km para um tanque de 50l.
          Motores elétricos são bem mais eficientes que os de combustão

    • Ducar Carros

      É preciso fazer testes quanto a durabilidade dos equipamentos, forçando uso severo e testando todas as condições de clima e rodagem possíveis. Isso é demorado.

      Mas como a tecnologia não necessitará de infraestrutura para ser adotada (como os eletropostos do carro elétrico a bateria), sua adoção poderá ser bem rápida.

  • FrankTesl

    Ainda acho que HOJE a outra tecnologia da Nissan, a e-POWER, na qual o gerador de eletricidade é um motor a combustão comum que não traciona, apenas gera a energia para recarga contínua das baterias, já é plenamente viável para trazer a eletrificação dos motores no Brasil.

    Além de usar combustível disponível, acaba com o dilema da autonomia e permite um preço mais acessível para o veículo, pois as baterias são bem menores, o motor flex 1.0 já é produzido pela Nissan do Brasil, e o motor elétrico também ser feito pela própria Nissan segundo os projetos já consagrados na matriz japonesa.

    Sem falar que o motor a combustão funcionando em rotação ótima como gerador ser simplificado e requerer manutenção reduzida.
    A bateria do carro, sendo continuamente recarregada, teria muito mais durabilidade, pois o fator que prejudica as baterias tracionárias é a descarga até o fim e a posterior recarga rápida até a o total.

    A célula de etanol ficaria para o mercado pós 2030, e atenderia consumidores já acostumados com carros com motores elétricos e baterias recarregadas continuamente por um gerador integrado. No caso do bio fuel cell, deixaria de ser um motor a combustão e passaria a ser a célula de etanol.

  • Luiz Felipe S. Silva

    O carro eléctrico já é uma realidade.
    Acredito que investir nesse tipo de tecnologia é como investir no HDDVD.
    Não encaixa nos carros e motores atuais, como os híbridos e necessita carros e motores específicos

    • Jorge Castro

      nao e bem assim que as coisas funcionam , c vc tiver um produto que que cumpra com as leis mais barato que o concorrente e com economia semelhante quem vc acha que vende mais
      isso sem contar o tempo de recarga

    • Airplane

      Mas o hibrido é “eléctrico” também !
      SOFC é tecnologia do futuro de médio prazo, daqui a aproximadamente 5 anos ou mais.
      Os híbridos são de transição e também para países emergentes (sub-desenvolvidos) como o nosso e que não tem uma estrutura para abastecimento elétrico.

      • Ducar Carros

        Errado, o híbrido é um eletrificado, ele funciona com motores a combustão. O pessoal dos elétricos gosta de confundir os conceitos para mostrar que estão sendo vendidos muitos carros elétricos, mas quando você vê os números, a maior parte das vendas se refere aos híbridos.

        Nessa tecnologia da Nissan não, o carro é elétrico, não usa motores a combustão.

        • Airplane

          Ele tem motor elétrico e à combustão. Por isso é híbrido: tem os 2 tipos de motor.

          • Ducar Carros

            Então, por isso não é elétrico, é eletrificado. Ele precisa do motor à combustão para se movimentar. O elétrico se movimenta apenas com o motor elétrico (e tem muito menos peças no veículo que um à combustão/híbrido), a eficiência é muito maior.

    • Ducar Carros

      Na verdade, esse carro movido a célula de combustível usando etanol também é elétrico, pois todo o funcionamento do carro é elétrico.

      O que você está chamando de elétrico é elétrico a bateria, que tem os diversos problemas relacionados a essa tecnologia (necessidade de bilhões de dólares para criar eletropostos em todo o país, autonomia, tempo de recarga, preço das baterias, etc).

  • Lucas Silva

    A Nissan junto com essas universidades está tentando achar uma opção mais limpa e barata aos veículos a combustão sem serem completamente elétricos, e mesmo que demore tenho que admitir que parece promissor, parabéns a Nissan junto dessas universidades em pensar no Etanol como uma fonte de combustível limpa que pode ser usada não só por aqui, como em outros países.

    • Ducar Carros

      Esse carro é totalmente elétrico, ele apenas não precisa de uma grande bateria, pois gera a eletricidade que precisa a partir do etanol.

      • Lucas Silva

        Sim, erro meu, desculpe, mas o fato de não ter que usar uma grande bateria faz que ele seja até que bem mais limpo que um veículo elétrico com bateria maior, já que essa do qual é uma das partes mais importantes do carro elétrico, é uma das que gera mais poluentes na sua fabricação.

  • Lucio Adriano Mendonça

    Por mim começava essa tecnologia nós tratores e caminhões das usinas canavieiras. Deve ser mais fácil acomodar todo o sistema num espaço maior. E já teriam uma venda expressiva garantida.

    • Ducar Carros

      As usinas canavieiras vão usar biometano, produzido através de biodigestores usando vinhaça. Já estão sendo lançados caminhões a gás, e o trator a gás deve chegar em até três anos.

      O espaço não é o problema dessa tecnologia, o problema da tecnologia SOFC era relacionado às altas temperaturas para transformar o etanol em hidrogênio.

  • Comentarista

    Isso é uma grande inovação tecnológica! Parabéns a Nissan!
    Se realmente for viável economicamente vai ser muito bom pra nós, pois já existe infraestrutura de postos de combustível e não será necessário investir em infraestrutura de energia elétrica para esse fim e alocar eletricidade no que interessa: aumentar a produtividade industrial/agrária do país.

  • Cromo

    A volta dos exclusivamente a álcool. Mas tudo isso deixa alguns questionamentos: o que há de diferente no álcool de 2a geração q permite a exclusão do tal do reformador? A fórmula do etanol é C2H5OH, ou seja, há 2 carbonos para cada 6 hidrogênios. O que acontece com os 2 átomos de carbono no processo?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email