Combustíveis Europa Híbridos Hyundai Nissan Segurança Tecnologia Toyota

Noruega: Explosão em posto de hidrogênio – Toyota e Hyundai cancelam

Noruega: Explosão em posto de hidrogênio - Toyota e Hyundai cancelam

Algumas marcas de automóveis estão apostando muito dinheiro no hidrogênio. O gás presente na atmosfera é usado em células de combustível como reagente num processo químico com o oxigênio, gerando assim eletricidade para alimenta baterias de lítio e então o motor elétrico, que vai movimentar o carro.


Porém, a segurança e o alto custo logístico são os entraves por traz dessa tecnologia. No primeiro caso, uma explosão na Noruega, levanta a questão sobre a viabilidade do uso deste combustível em automóveis. Na cidade de Sandvika, localizada a 15 km à oeste de Oslo, capital do país, um posto de abastecimento de hidrogênio simplesmente explodiu no início da semana.

Em decorrência da explosão, duas pessoas ficaram feridas por causa do impacto provocado pela detonação, que acionou os airbags dos carros em que estavam. Os bombeiros isolaram uma área de 500 m ao redor do local, que ficou completamente destruído.

Noruega: Explosão em posto de hidrogênio - Toyota e Hyundai cancelam


O posto é da bandeira Uno-X, operada pela empresa norueguesa Nel Hydrogen, que após o ocorrido, fechou toda a rede de 20 postos no país e mais outros na Dinamarca como medida preventiva. As investigações estão em curso, mas ainda não se tem ideia do que poderia ter ocorrido no local.

Como se trata da única rede de postos de hidrogênio na Noruega, as marcas Toyota e Hyundai cancelaram as vendas dos modelos Mirai e Nexo, respectivamente. Não há como abastecer esse tipo de carro e os proprietários dos modelos já vendidos terão de aguardar a reabertura da rede Uno-X. As marcas também querem saber qual foi a causa.

Alternativa sem hidrogênio

Noruega: Explosão em posto de hidrogênio - Toyota e Hyundai cancelam

Pressurizado e mantido em temperaturas baixíssimas, o hidrogênio precisa de uma infraestrutura especial para evitar vazamentos e explosões, demandando assim investimentos altos em logística. O custo elevado dessa tecnologia tem levado a alternativas como a tecnologia SOFC da Nissan.

Nesse caso, em vez de usar o hidrogênio, como Toyota, Honda e Hyundai, ela usa o etanol, de onde é extraído o hidrogênio que reagirá com o oxigênio nas células de combustível. O álcool oferece risco muito menor e sua infraestrutura é bem mais simples e já difundida em países como o Brasil, por exemplo. Isso sem contar o preço por litro.

Outra vantagem é que o combustível pode ter até 55% de água na composição, o que reduz ainda mais seu custo. Porém, a tecnologia da Nissan ainda não está no mercado, diferente do hidrogênio já estabelecido em regiões como dos EUA, Europa e Japão.

[Fonte: UOL]

Noruega: Explosão em posto de hidrogênio – Toyota e Hyundai cancelam
Nota média 3.8 de 6 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • 4lex5andro

    Incidentes com uso de hidrogênio como combustível, o Lz 129 Hindenburg mandou lembranças.

    Melhor, talvez, se fosse usado gás hélio.

    • Victor Freire

      quero ver você extrair elétrons de um átomo de hélio tão facilmente quanto é possível extrair do átomo de hidrogênio.

    • Felipe

      O Hélio por ser inerte não tem como ser usado como combustível.

    • Emanuel

      A quantidade de energia necessária pra reagir hélio é enorme. É possível mas definitivamente não vale a pena

  • T1000

    Tava demorando pra alguém abrir os olhos da complexidade logística que é lidar com H2.
    Desde quando começaram a falar em usar H2 em automóveis fiquei com a pulga atrás da orelha.

  • Robinho

    fecharam toda a rede por prevenção…se fosse aqui no Brasil…

    • Jr

      Ia esperar uma tragédia acontecer para fechar, isso é de lei por aqui

  • Elver

    Se na matéria diz que a célula de Etanol pode ter até 50% de água, no Brasil vai ter no mínimo 75%!

    • Cesar

      Com uma variação de +25%

      • Francisco Helio

        Um litro de água e algumas gotas de etanol…kkkk

    • Airplane

      A Nissan já testou com sucesso essa tecnologia SFOC no Brasil. Os novos testes estão ocorrendo agora nos EUA (E85).

  • Cromo

    A tecnologia da Nissan é super interessante para países q já tem carros a álcool como EUA (E85) e principalmente Brasil, e cai como uma luva para os produtores de álcool, talvez expandindo a nível mundial. Só precisa tirar a gasolina do álcool, acho q até nosso álcool tbém tem gasolina, bem menos mas tem.

  • Alvarenga

    Bom mesmo é o diesel, e de preferencia aquele antigo que nem pegava fogo !

    • Airplane

      Explodia !

    • T1000

      E o biodiesel outra porcaria que nao pega fogo e corrói até plásticos.

      • leitor

        Tem que colocar um componente que estraga mais para ajustar mais ou menos ao que é produzido para o Brasil. Assim ninguém pode importar por conta própria que o combustível estraga bem mais.

  • leitor

    Com qual combustível usado em escala não houve acidentes? O que precisa é investigar o que houve e buscar uma solução. Outra coisa não entendi. Se o hidrogênio causa uma explosão limpa de poluentes porque os motores não podem ser movidos pelo próprio gás? Por que gerar energia elétrica com o gás? Tem mais rendimento?

    • th!nk.t4nk

      Existem motores à combustao que usam H2, mas a eficiência energética é bem menor do que no sistema de célula de combustível. E claro, além disso o risco de explosão é bem maior quando se faz a queima direta. Enfim, é um misto da questao da segurança e do rendimento.

      • leitor

        Beleza se tem rendimento melhor. A questão que fica então é a explosão que em todo caso o armazenamento deve ser bastante seguro.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email