Nova Chevrolet Montana terá atualização remota OTA

A Nova Chevrolet Montana chegará ao mercado nacional em 2023 e com multimídia portando sistema operacional atualizado remotamente, na chamada Over-The-Air (OTA).


Derivada da plataforma VSS-F, a mesma dos modelos Onix, Onix Plus e Tracker, a Nova Montana está passando por um amplo programa de testes e validações no Campo de Provas da Cruz Alta, em Indaiatuba, interior de São Paulo.

Com 17 diferentes tipos de pistas, entre elas a de “tortura” e a “reta infinita”; além de sete laboratórios, como o de dinâmica veicular, o de eletroeletrônica e o de análise de emissões, de acordo com a GM.

Leandro Couto, diretor do CPCA, revela: “Ultrapassamos os 6 milhões de quilômetros rodados por ano entre os mais de mil testes que são realizados no Campo de Provas da GM. Com isso, em seis meses é possível simular o desgaste que um automóvel sofreria se rodasse por 15 anos em condições normais de trânsito – ou o equivalente a 240 mil quilômetros”.

A GM faz simulações diversas com a Nova Montana, inclusive variação de temperatura, indo de -30°C até 80°C, buscando atingir os extremos de uso da nova picape leve da marca, que terá uma missão importante.

Terceira geração da picape leve da Chevrolet, a Nova Montana terá um porte maior que a anterior e uma cabine mais agradável e espaçosa, além de uma caçamba com recursos para ampliar a versatilidade de uso.

Com design diferenciado em relação ao Tracker, com o qual compartilhará mais elementos, a Nova Montana pode trazer um painel com telas digitais como no Tracker RS, o que seria um grande diferencial para o produto.

Além de Android Auto e CarPlay, terá ainda sistema OnStar e conexão 4G com Wi-Fi, ampliando assim a gama da Chevrolet com tais recursos no mercado nacional.

Já em relação à mecânica, a Nova Chevrolet Montana ainda guarda segredo sobre o que a moverá, mas os motores 1.0 Turbo e/ou 1.2 Turbo podem ser opção numa proposta de desempenho mediano e comportado.

No caso de uma versão topo de linha para buscar a Renault Oroch e ser um incômodo para a Fiat Toro, o motor 1.5 Turbo de 183 cavalos e 25,5 kgfm chinês seria bem-vindo.

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.

Deixe um comentário