*Featured Fiat Pickups Segredos-Flagras

Nova Strada: picape leve da Fiat parece uma mini Toro em flagrante

Nova Strada: picape leve da Fiat parece uma mini Toro em flagrante

A Nova Strada vai chegar em 2020 e será o mais importante lançamento de comerciais da Fiat desde a picape Toro. Porém, no caso de sua picape leve, a marca italiana trabalha para manter a liderança de anos do produto, que existe desde os anos 90 na mesma geração, atualizada diversas vezes.


Com variantes de cabine simples e dupla, a nova geração roda com pesada camuflagem em Minas Gerais. Em recente flagrante, divulgado nas redes sociais, a próxima Strada aparece com cabine dupla e quatro portas, mas impressiona mesmo é pelo tamanho.

Nova Strada: picape leve da Fiat parece uma mini Toro em flagrante

Observando o modelo de lado, nota-se como a próxima geração da Fiat Strada é realmente grande, quase como uma mini Toro. A plataforma é bem longa e possui entre eixos suficiente para que a porta traseira não tenha influência da saia de roda traseira.

Com suspensão bem elevada, a futura Strada 2021 tem uma cabine não tão alta, mantendo um porte de carro compacto, como o modelo atual. Tendo uma caçamba maior que a existente hoje, a futura picape leve da Fiat estava portando uma cobertura que nos faz lembrar da Tesla Cybertruck.

Nova Strada: picape leve da Fiat parece uma mini Toro em flagrante

A tampa da caçamba será bem maior, assim como a altura da frente da Nova Strada. O modelo deverá chegar com motorização Firefly com motor 1.3 de até 101 cavalos, bem como opção da versão turbinada em versões mais completas. A picape ainda terá opção de transmissão automática para reforçar a proposta.

Nova Strada: picape leve da Fiat parece uma mini Toro em flagrante

Não sabemos como será a resposta da Volkswagen, mas a Saveiro atual não teria problemas em adotar o câmbio automático Tiptronic de seis marchas. No entanto, apenas a Saveiro NG – provavelmente feita sobre a plataforma modular MQB-A0 (ou A00) – poderia bater de frente com essa nova picape da Fiat.

Além da Saveiro, a Nova Strada também deverá ter a companhia de uma rival da GM, que colocará um fim a atual Chevrolet Montana.

[Reprodução: Instagram]

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • vi.22

    o maior erro da concorrência e não enxergar q as picapinhas dependem de algumas coisas não ta complicadas,
    uma boa altura livre do solo, para-choques resistentes, e um motor que não tenha o consumo elevado. esse e o tripe do sucesso para elas, características principais da strada em relação as outras. a fiat enxergou isso a anos e ta ai o grande sucesso da strada. o consumidor principal delas procura resistência,robustez,baixo consumo e manutenção barata.

    • Tosca16

      O caso da FIAT foi, suspensão com feixe de molas. De resto, é um carro jurássico, com motorização antiga e interior datado.

      • vi.22

        mas e ai q esta a receita para esse tipo de carro, feiche de molas deixa mais robusta e resistente, motor antigo e sinal de pecas baratas, ser jurassico e grande volume de vendas as pecas de reposicao sao faceis e baratas, interior datado nesse caso nao faz mta diferenca pelo fato de a finalidade ser mais para tarabalho..

        • Vítor Lins

          Concordo plenamente, creio que a questão de atualizá-la seja mais pela segurança, a Strada estruturalmente é de 96, então o que ela pode oferecer em seguranã são itens que dá pra colocar na plataforma, como os airbags e ESP… Já a estrutura, acho que só com algo novo.

          • Danilo Vieira

            Verdade, de agora em diante os carros terão de oferecer mais equipamentos de segurança, devido a legislação, então, acredito que a atual geração da Strada não consiga atender esses requisitos, portanto, teriam de aposentá-la, mas uma nova geração já resolve este problema.

          • FocusMan

            Não é tão direta assim a comparação. Antes de eu virar engenheiro automotivo e trabalhar na indúsitra eu ficava repetindo essas coisas na internet… alias eu já tive até um site que foi bem conhecido por ai.

            Você pode pegar um carro antigo e reforçar ele ao ponto dele se tornar seguro. A física que envolve isso é até simples.

            Repetir que a Strada é a mesma de 1996 é tão verdadeiro quanto afirmar que todo japonês é igual porque todos tem os olhos puxados.

            • Vítor Lins

              Realmente falei como leigo, não sabia que uma plataforma era tão volátil assim, acreditava que oferecer mudanças nela comprometeria a eficiência do projeto como um todo. Obrigado pela correção!

              • FocusMan

                Opa é uma plataforma modular como a MQB

            • MarcosGojira

              Qual seu site? Jalopnik?

      • Gabriel

        Produtor rural e dono de firma não se importa com isso, apenas que seja barato e resistente.

      • Renato Duarte

        mecânica antiga é o sonho de todo patrão que quer economizar na manutenção,, já que não é ele que vai utilizar e sim seus funcionários.

    • Nelson Oliveira

      A strada é praticamente a melhor pro trampo bem pesado mesmo, feita pra sujar. Enquanto isso, as pickups medias (que essas sim deveriam ser pra trabalho) São usadas em 99% do tempo pra subir rampa de shopping

      • Fábio Peres – Conta Prof.

        Campeã nas zonas rurais, que é onde picape tem que estar.

      • MarcosGojira

        As da Mitsubishi são mais vistas em zona rural

    • Edson Fernandes

      O consumo da strada 1.4 é alto, o que é bom nesse motor é o custo de manutenção baixo.

      • Danilo

        Tinha uma strada cabine simples e depois tive uma cabine dupla pra uso recreativo e achava o consumo dela normal. Elas faziam em torno de 10 km/L de etanol na rodovia e uns 7 a 8 na cidade com trânsito ruim, tanto o consumo era bom que troquei essa strada cabine simples num palio economy e não senti tanta diferença no consumo assim. Lógico, com o carro vazio. O único ruim que eu achava desse motor era que ele morria após 100 km/h, andava igual 1.0.

        • Edson Fernandes

          Nossa que dificuldade de manter ele andando bem e economizando…rs

          E pensar que faço isso com certa facilidade num Fluence CVT…rs

          • Danilo

            Aí não tem comparação né. Comparar um carro de passeio ( e bom) com carro de carga. Carro de carga tem as relações de marcha muito mais curtas e um coeficiente de arrasto muito mais prejudicado que um carro de passeio. E esse Fluence cvt é o único carro Renault da geração passada que presta, e presta porque ele é um sentra com casca de fluence, ou seja, um japonês com roupa francesa. Vai fazer esse consumo numa scenic automática, ou num duster automático?! kkkkk

            • Edson Fernandes

              Eu discordo que seja um Sentra, já que a plataforma do carro é de Megane III. Logo, tem mta coisa tbm que o Sentra usa que é Renault.

              Na verdade o Fluence é um carro literalmente globalizado, mtas coisas vem de diversos paises e isso é interessante pq no brasil mtas vezes se fabrica algo que poderia obter diretamente de fora.

              • Danilo

                Resumindo: Fluence foi o único Renault de geração anterior (Geração Renault e não Dacia) que presta pro nosso mercado. kkkk

      • Porto Velho

        Consumo das picapes em geral é alto. Isso se deve a aerodinâmica ruim devido a altura e a caçamba. A Saveiro Cross é pouca coisa mais pesada que o Polo e é mais leve que o Virtus, bebe muito mais que os dois usando o mesmo motor (1.6 MSI 16V).

  • Pipo pipo

    Parece a tesla kkkkk

  • Será que a versão “mini-Toro” pode abocanhar parte das vendas do Siena?

    • Tosca16

      Siena e Grand Siena aqui só taxista, vão por as malas na caçamba? kkkk

    • PAULO ROBERTO DOS SANTOS

      O Siena já está morto , só falta o sepultamento

    • Danilo

      Acho que vai roubar vendas é da Toro de entrada mesmo. Quem já teve a Toro flex gostou do carro e odiou o consumo, se essa caminhonete cabine dupla vier com bom consumo de combustível e com espaços decentes na cabine e carroceria, a Toro Flex terá uma concorrente dentro de casa.

  • Daniel

    Ainda prefiro uma Ford Pampa… Kkkk

    • Tosca16

      Pampa não era pra ter morrido, aliás, tanto a Pampa quando a Courier poderiam se manter no mercado, logicamente com seus nomes.

    • Marcos Carvalho

      Dava pra fazer uma usando o Ka ou eco como base…

    • Luiz Schuchter

      Pois é, tanto a Pampa, quanto a Courrier e a saveiro quadrada são carros muito disputados no mercado de usados. Deixou muita saudade realmente, pelo lado da Ford poderia ter dado a continuidade nessa nicho.

  • Tosca16

    Acho que se a capacidade volumétrica aumentar, numa versão cabine simples, realmente será uma evolução das picapes de entrada no mercado. Aqui muita gente pegou o Foison da Lifan por simplesmente ter uma caçamba maior, vejo nos food trucks e ramos como o de vidraçarias aos montes.

    • André Luis Versiani

      Não conheço esta, vou dar uma olhada.Nunca vi aqui em Natal-RN.

      • Tosca16

        Foison é o vuc, aquele caminhãozinho 1.3 que a Lifan importou pra cá… similar aos Changan (Chana), Effa, Shineray e similares.

        • Eduardo 1981

          Menor ainda que VUC. VUC são os HR e K2700. PBT até 3.500kg.

  • 😎.

    A concorrência da GM será do segmento da Toro , a das picapes compactas a GM vai abandonar mesmo.

    • Gran RS 78

      Tbm acho difícil a GM lançar uma nova geração da Montana, pois esse segmento só existe no Brasil, e é dominado pela Fiat.

      • Danilo Vieira

        Realmente, não há nenhum menção atualmente de que a GM vai lançar uma pick-up compacta, mas para concorrer com a Toro sim.

  • Natán Barreto

    Ainda continuo achando que vai virar um Frankenstein com esse tamanho todo e frente de Mobi

    • Tosca16

      Pensei que ia ser frente de Argo hehe.

      • Natán Barreto

        DEVERIA ser a frente do Argo, mas a base, frente e interior são oriundos do Mobi. Fiat sendo Fiat né amigo

        • Tosca16

          Fiat sendo Fiat, pode ser bom hehe; vê que a Strada só é sucesso porque a Fiat deixou um modelo antiquado até hj em linha. Brincadeiras à parte, este modelo deveria ter base Argo, e motorização Firefly em todas as versões.

          • Vae Victis

            a base é derivada do Fiorino

      • Renato Duarte

        Fica caro o projeto. É melhor com a base e mecânica do mobi,, pra ficar mais barato a manutenção.

        • Tosca16

          Cara, tanto Argo quanto Mobi são projetos baratos, fora que o Mobi também se utiliza dos motores Firefly, ou vc’s querem o 1.0/1.4 Fire na nova Strada?

          • Edson Fernandes

            Mas ela vai ter duas versoes da picape com motor 1.4 fire…

            • Tosca16

              1.4 fire é fod*, mas vende né? Eu empurrava só firefly 1.3 nesta bagaça.

              • Edson Fernandes

                Penso igual, mas é aquela velha de quem confia e quer pagar barato em manutenção vai preferir. Não importa inclusive o consumo, já que é alto desse 1.4. (não acreditei qdo eu só fiz 8km/l na estrada com alcool… me deu desespero… e estava andando a 80km/h)

                • Tosca16

                  Put’s; mais beberrão que o 1.5T sem injeção direta da Chery kkk

                  • Edson Fernandes

                    De longe é mais beberrão! A diferença é que se pisar o Arrizo5 anda…rsrsrs

                    Esse nem para isso serve. Sério, eu já andei em Grand Siena, Uno Sporting e Palio (“novo”) com esse 1.4 (anteiror tbm), me parecia um motor bem disposto em medias rotações, não posso dizer o mesmo na Strada que parece um motor enforcado.

                    Não consegui entender pq o alto consumo mesmo sem exigir do motor andando em baixa rotação.

                    • Hammer

                      Edson, acho que seu carro estava desregulado… Não digo aqui que o fire 1.4 é econômico, mas nessas condições ate o meu ex punto 1.4 fazia 10 ou 11 km/l com alcool, e olha que o punto foi o carro mais pesado que usou o motor Fire 1.4.

                      No mais, acredito que por ser um motor de baixo rendimento (consome muito e anda pouco), o grande trunfo seja a durabilidade.

                    • Edson Fernandes

                      Olha, era de locadora. Tinha 21000km rodados.

                      Ele até a terceira marcha parecia ser bem agil, mas depois… era duro.

                      Na estrada eu fiquei impressionado com a perda de velocidade a 80km/h. Eu só transportei duas camas box(com seus box) na caçamba. Não teria tido um ganho absurdo de peso ou arrasto. (mas mesmo sem o peso eu percebia dificuldade, mas vazia e andando numa boa, ela mantinha um consumo alto)

                      Eu tive um C3 antes que para vc precisar reduzir, vc precisava mesmo estar numa condição de regime baixissimo de rotação. (cerca de 1900rpm ou menos)

                      Por isso estranhei consumo e performance. Sendo que já andei em Palio, Grand Siena que não percebi essa carencia de potencia.

                    • Dan RF

                      Estou na terceira Stradinha (segunda com motor fire 1.4). A sensação que tenho é que devido a ser destinada a transportar peso, a relação das marchas da Stradinha 1.4 é um tanto pesada, o que resulta nesse comportamento beberrão.

                      Penso sinceramente que uma sexta marcha ajudaria e muito o consumo quando o carro roda sem carga.

                      Com a minha faço também 8 km/l etanol cidade, e 10 km/l etanol nas rodovias,andando a 80 km/h com ar ligado.

                    • Edson Fernandes

                      Olha tenho minhas duvidas se o motor comportaria rodar em baixo giro mantendo velocidade, isso porque em quinta marcha já era dificil para eu manter rodando a 80km/h o que me assustou.

    • Danilo

      Acho até q a única coisa que presta do mobi foi aproveitado que é a frente. Deve ficar um veículo interessante. A strada cabine dupla working é um dos veículos mais interessantes que existe e peca no tamanho da caçamba, do banco traseiro e de não ter portas convencionais traseiras, se tivesse melhorias nesse ponto seria um veículo quase perfeito pra quem quer um carro popular com caçamba e essa caminhonete nova deve resolver isso. Será um sucesso de vendas pois trará a solução da Toro com um motor econômico flex.

      • Natán Barreto

        Sucesso de vendas acredito que será sim pq o público é fiel.
        Mas eu e toda a mídia automotiva nacional acha a mesma coisa: que é um erro a Strada ser derivada do Mobi e não do Argo.
        Mobi é o carro mais barato do Brasil. O Argo é o atual Palio, de quem nasceu a Strada. Foi canalhice de corte de custo mesmo.

        A Fiat é expert fazer essas canalhices. O Mobi era pra ser o Uno. Se aproveitassem o design e motores do Mobi com o tamanho do Uno, teríamos um modelo menos pior como carro de entrada. Mas a Fiat preferiu matar o Uno e deixar um ainda mais porco no lugar.
        Tirou Palio, Punto e Bravo e colocou o Argo que não consegue cumprir essa promessa.
        O cliente da Fiat só tem três opções atualmente pra escolher: Argo, Cronos e Mobi. Toro é carro de 100 mil reais e não conta.
        Dobló, Palio Weekend, Grand Siena, Uno já estão enterrados e não contam.
        O Gol tá com mais de 10 anos aí, mas ganhou câmbio automático de verdade, deram um tapa no interior e tá se segurando pelas tabelas com o mínimo necessário pra se vender em 2020. A Fiat nem isso consegue.

        Uma pena, porque Fiat sempre os carros da Fiat sempre foram bons, quando não eram tão defasados.

      • Natán Barreto

        Acho que foi erro mesmo ter derivado do Mobi e não do Argo que era o mais óbvio. Fiz um comentário acima mais elaborado sobre o que acho, mas o Mobi é erro

        • Vae Victis

          A base é do Fiorino

        • Danilo

          Sinceramente a Fiat sempre baseou a caminhonete pequena no carro mais popular sendo o 147, o uno e o palio. Como o Argo é encarado como um carro acima do uno e do mobi deveria ser de um dos dois a nova geração se a lógica fosse mantida, como já existe a Fiorino do uno, então a strada poderia ser mesmo do mobi ( só uma questão de costume, sem fundamento algum), acho que estragaria as pretenções do Argo de se firmar um degrau acima de uno e mobi tendo um carro de serviço derivado dele, mas mesmo assim, pelo que se fala ele herdará parte da suspensão dianteira do Argo.

      • Edson Fernandes

        Toda essa seção que vc disse, será aproveitado do Mobi. Isso porque as portas do Mobi são as menores dentro os modelos compactos (ou subcompactos) da Fiat.

        • Danilo

          Quando eu comprei uma strada cabine dupla eu tive a impressão que tinha descoberto da onde tiraram a ideia do mobi, pensaram o seguinte: Se as pessoas se apertam pra ir nesse espaço ridículo numa pick-up, porque não passar isso pra um carro e “criar” um novo modelo de entrada. Agora a criatura retornou ao criador com a pergunta: porque não aproveitar essa ideia e adicionar portas convencionais na strada usando um mobi com carroceria, e pronto, surgiu a nova strada. Pra quem tinha uma strada cabine dupla sem portas traseiras ou com aquela porta ridícula suicida, será uma novidade e tanto, e assim o produto será o sucesso que se espera.

          • Edson Fernandes

            Na verdade, a criação do Mobi foi mais facil: Havia up e o kwid que viriam, com o Uno em declinio a marca sabe que precisaria de um produto com relativo numero bons de venda. E já existindo o Uno, mudaram o visual numa tentativa (porque ele foi um tiro de sorte para manter a Fiat com vendas) e então temos o Mobi. Complicado do brasileiro que ele é ávido por novidade. Nem sempre de soluções boas, mas sendo novo é o que importa.

            Minha irmã que tem um Grand Siena, queria trocar num Mobi. Pq? Pq ela teve um Corsa roxo no passado e tinha essa cor pro Mobi(e eu to falando sério). Ela iria pegar a versão com motor fire… o que eu disse que seria uma pessima compra. Pq além dela perder conforto, iria perder mtos itens entgre eles.

            E ter um motor fire arcaico pra mim é inaceitavel.

            Nesse caso o Mobi ajudou a Strada para possibilitar ter 4 portas convencionais do que aquele apetrecho criado pela Fiat que até hoje faz as pessoas baterem a cabeça no dispositivo de ancoragem e depois entrarem no aperto.

            E pensar que eu fiquei apertado numa Strada cabine simples.. não quero me imaginar numa cabine dupla dessa.

    • Luke

      Ao que dizem não vai ser de mobi, o capô sim, mas para-choque e faróis serão diferentes do compacto, só não sabemos como vai ser até lançar ou ter flagras sem tanta cobertura do veículo.

    • Danilo

      Acho que não visto que, pra mim, o Argo é desproporcional devido a frente muito grande e ao “corpo” pequeno, Algo maior da coluna B pra trás trará proporcionalidade ao conjunto.

  • Natán Barreto

    Vai ser bom de vendas sem dúvida pq o público é fiel.
    Mas eu e toda a mídia automotiva nacional acha a mesma coisa: que é um erro a Strada ser derivada do Mobi e não do Argo.
    Mobi é o carro mais barato do Brasil. O Argo é o atual Palio, de quem nasceu a Strada. Foi canalhice de corte de custo mesmo.

    A Fiat é expert fazer essas canalhices. O Mobi era pra ser o Uno. Se aproveitassem o design e motores do Mobi com o tamanho do Uno, teríamos um modelo menos pior como carro de entrada. Mas a Fiat preferiu matar o Uno e deixar um ainda mais porco no lugar.
    Tirou Palio, Punto e Bravo e colocou o Argo que não consegue cumprir essa promessa.
    O cliente da Fiat só tem três opções atualmente pra escolher: Argo, Cronos e Mobi. Toro é carro de 100 mil reais e não conta.
    Dobló, Palio Weekend, Grand Siena, Uno já estão enterrados e não contam.
    O Gol tá com mais de 10 anos aí, mas ganhou câmbio automático de verdade, deram um tapa no interior e tá se segurando pelas tabelas com o mínimo necessário pra se vender em 2020. A Fiat nem isso consegue.

    Uma pena, porque os carros da Fiat sempre foram bons, quando não eram tão defasados.

    • Guilherme Lima

      sim com ctz, O punto era tão bonito quanto o argo, o Palio então da uma surra em termos de design e originalidade no argo, se ele junto com o irmão siena tivesse os 4 airbags, ESP, TC, Hill Holder, e uma central multimídia ele sim poderia brigar cabeça a cabeça com os primeiros lugares, e o Mobi nem deveria existir.

      • Eduardo 1981

        Também acho que o Mobi não deveria existir. Um uno pé de boi já seria melhor produto.

      • Vítor Lins

        Concordo, Mobi não era para existir, a Fiat era para trazer o Panda para substituir o Uno, e mantê-lo como subcompacto e o Argo como compacto. Não tem sentido algum o Uno ser minúsculo e do preço do Argo. Quanto ao Palio e ao Siena, concordo em partes, foram carros lendários e acredito que mereciam ganhar uma nova geração ou ao menos uma restilização, são nomes de peso, essa geração nova do Palio não ganhou nada além do cockpit do Grand Siena. O Argo consegue substituir bem o Palio e o Punto pelo espaço, itens, segurança e até mesmo em design, confesso que acho ele bem bonito ainda mais com esse pacote S-Design, o Cronos eu acho lindo também e consegue substituir bem o Siena que apesar de ser um excelente carro, econômico, bonito e com um porta-malas grande, ele tinha o espaço traseiro pequeno, por justamente ser a versão sedã do Palio, enquanto o Cronos é um pouco diferente nesta solução.

        • Guilherme Lima

          era isso que eu quis dizer, mas o que me incomoda muito mesmo e os opcionais da fiat, e uma salada de frutas confusa do argo e do Cronos que eu acho bonito mas merecia um motor melhor, cara e tão confusas as versões e os opcionais, que me deixa louco, não dá pra entender o pq as versões Trekking não ter o ESP e o TC, já a versão drive e HGT tem, da pra entender essa confusão que ela faz.

          • Danilo Vieira

            Enquanto as exigências da nova legislação não se estender a todos os carros fabricados no Brasil, sempre vai ter montadora que vai enrolar para colocar, pra não ter custos adicionais.

        • Edson Fernandes

          Depende. Nosso Punto podia ter até 6 air bags.

          O Argo? até 4. O Punto tinha uma versão turbo, que até agora no Argo, nada só o motor 1.8 numa versão pra lá de sacanagem com o Argo: HGT. não deveria nunca chmar de HGT um carro esportivado.

          As vezes as coisas não são o que parece e o Punto por uma questão de escolha não tinha ESP, mas tinha condição de ter.

    • Fábio Peres – Conta Prof.

      Coisas de divisão brasileira das montadoras, que precisam de um carro para chamar de seu.

    • Edson Fernandes

      Só colocando um contra ponto que Uno consegue vender pelos grandes descontos em cima de seu valor.

      E sobre a Strada: Ela vai ganhar balanço, suspensão e tbm capô do Mobi. Só que ela será mais larga pq será um compacto e não subcompacto. Ela terá uma leve semelhança com o desenho do Mobi, porém com interiro de mobi/uno e espaço para uma central multimidia.

      Já se fala da nova versão já vir com ESP de fabrica até por legislação, o que no caso da Strada, isso irá beneficiar o produto falando de itens de série. Só que voltado aos itens de série, novamente a Fiat vai manter a picape sem ar condicionado de série.

      Dito isso, as laterais terão portas de mobi para finalmente ser uma picape cabine dupla(nessa versão é claro) e permitir um espaço superior ao atual. Para essa versão ela conseguirá ainda manter uma caçamba maior. A triste para as versões cabine simples é ter duas versões que irão ofertar o motor 1.4 fire.

  • Licergico

    a toro já é uma mni picape e iram fazer um micro- mini pickup ?! ?!?!

    • Arthur

      É surreal alguém chamar um carro de 5m de comprimento de “mini” alguma coisa. A visão de vocês sobre tamanho é muito distorcida.

    • Raimundo A.

      O Toro é uma média com as medidas das antigas médias, de 1990 até 2005. Já viu a Hilux na primeira geração ofertada aqui no Brasil usando suspensão dependente nas quatros rodas? A cabine é tão apertada quanto a de uma Strada CD e isso tendo quatro portas. Faz o Oroch parecer espaçoso comparado a essa geração da Toyota.
      Por conta dessa diferença, ela é uma média compacta, maior que outra, Duster Oroch.
      Outra, esses termos compacto, médio, dependem do mercado. O Civic, por exemplo, é compacto nos EUA. Aqui e na Europa é médio. O Accord é médio nos EUA.

    • Vítor Lins

      A Toro é um crossover de utilitário com picape média, a Strada é uma picape compacta.

  • Raimundo A.

    Embora digam que essa nova Strada terá portas, parte da frente e interior do Mobi, a largura não parece ser deste. Ou é da Strada atual, pouco mais largo que o Mobi, ou é do Argo. Este, por sinal, parece um Mobi maior por conta de semelhanças no design frontal, mas não é a mesma estrutura e nisso a Fiat sabe mesclar bastante.
    Tende a nova Strada a parecer, sim, uma espécie de Mobi por conta do compartilhamento de peças, mas o espaço interno pode ser do Argo e numa versão bem equipada, lembrar como algumas fontes disseram a certas mídias, uma mini Toro. E se realmente parecer um Toro menor em estilo, vai vender e muito, porque quem não puder comprar o Toro, vai mirar na Strada NG CD.

    • Luconces

      Torço para não ter nada do Mobi em termos visuais…

      Fica a esperança da Fiat surpreender no lançamento com um visual realmente Mini-Toro. Lembrando que depois da compra da FCA, a marca sempre foi boa em manter os lançamentos bem escondidos, haja visto que Toro, Compass e Argo só foram mostrados mesmo mais perto do lançamento oficial. Havia muita especulação em cima destes.

  • Miguel

    Mas a Fiat não vai matar a strada antiga, né?
    Pq teremos Strada, Nova Strada e Toro, daqui a pouco a linha de picapes da fiat vai estar mais completa que a linha de carros de passeio! Rss

  • Toyo_Highlander fan

    Enquanto isso a Strada cabine simples mais barata em uma concessionária Fiat daqui de Fortaleza custando 64 mil. Tá achando ruim? Tá caro?

    • Porto Velho

      95% das Stradas são vendidas com ate 26% de desconto pra PJ e produtor rural. Comprar isso como PF não faz nem sentido.

      • cepereira2006

        Não entendo o porquê desta discriminação com as PF.

        • Edson Fernandes

          Hj praticamente quem compra picape compacta é para trabalho. Então focam nas vendas para esse publico citado. Poe uma tabela num valor absurdo onde no desconto chega no patamar de valor de tabela de antigamente…

  • David Diniz

    “Além da Saveiro, a Nova Strada também deverá ter a companhia de uma rival da GM, que colocará um fim a atual Chevrolet Montana.”

    Eu pensei que a Monstrana 1990 já estava morta e sepultada a tempos…

  • G. de F.

    “Mini Toro”? Aonde? Comparação um tom acima, não? Com um disfarce bem carregado, qualquer afirmativa no sentido de parecer com este ou aquele modelo é meramente um dedução de que a Nova Strada seguirá uma espécie de “family face” da Toro, é só!

    Quanto ao entre eixos, aparentemente, é mais longo do que a jurássica Strada…

  • Gabriel Parachen

    “Mini Toro”? Se vendesse exatamente assim, com a camuflagem, faria frente com a Cybertruck.

  • Ricardo Blume

    Para o serviço pesado a Strada é a melhor. Se a Fiat manter a fórmula robustez x confiabilidade, o mercado continuará sendo dela.

  • Sílvia

    Se é uma mini-Toro , o nome correto era pra ser: “Garrote” , o filho de Toro! Não percam…

  • Edson Fernandes

    E ela chegará infelizmente como opção de entrada com motor fire 1.4 tbm.

  • ChalMust

    Design inspirado na Cybertruck da Tesla … Elon Musk fazendo escola heim!!!

  • FocusMan

    Requer muita imaginação para dizer que ela se parece com algo usando essa camuflagem pesada hein…

  • David Targino

    mais alta e mais estreita , vai ser campeã. Campeã de capotamento.

  • JFaria

    Pela primeira foto, vejo que usa a mesma porta e vidro que o Uno/Fiorino (ultimas versões).

  • PAULO ROBERTO DOS SANTOS

    A pick up Strada não tem feixe de molas, são molas parabólicas de uma lâmina apenas

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email