Kia Sedãs Segredos-Flagras

Novo Cerato é flagrado em Itu – Sedã coreano chega no fim de setembro

Novo Cerato é flagrado em Itu - Sedã coreano chega no fim de setembro

O Novo Cerato está chegando. O sedã médio da Kia Motors será apresentado à imprensa automotiva nacional no final de  setembro. Antes do lançamento, porém, o modelo já roda sem camuflagem pela região de Itu-SP, onde fica a sede do grupo Gandini, que representa a marca no Brasil.


O modelo já se apresenta com a tecnologia Flex, provavelmente mantendo o motor Gamma II 1.6 aspirado com até 128 ou 130 cavalos no etanol. A transmissão automática de seis marchas deve permanecer também, já que a nova IVT (CVT) só está sendo usada pelo propulsor Nu 2.0 atualizado.

Novo Cerato é flagrado em Itu - Sedã coreano chega no fim de setembro

Conhecido como Forte nos EUA e agora produzido em Pesquería, México, o Novo Cerato chegará sem imposto de importação e poderá manter o preço numa faixa competitiva. O modelo ganhou uma estrutura de aço de alta resistência com 54% desse material, que torna a plataforma rígida, leve e resistente aos impactos.


Com 4,640 m de comprimento, 1,800 m de largura, 1,440 m de altura e 2,700 m de entre eixos, o Novo Cerato tem visual mais expressivo, especialmente com os faróis de LED dotados de luzes diurnas em forma de “X”. Também chama atenção pelas molduras triangulares na frente e atrás.

Novo Cerato é flagrado em Itu - Sedã coreano chega no fim de setembro

Na traseira, o Novo Cerato incorpora lanternas em LED com layout diferenciado e unidas por uma lente sobre a tampa do porta-malas. O modelo agora valoriza mais as colunas C, que engrossaram e avançaram mais para o porta-malas.

Por dentro, o ambiente fica mais sofisticado com o uso de material melhores. O quadro de instrumentos ficou maior e ganhou novo display digital centralizado, tendo ainda multimídia com Google Android Auto e Apple Car Play. O dispositivo tem tela de 8 polegadas.

Novo Cerato é flagrado em Itu - Sedã coreano chega no fim de setembro

Nos EUA, o Cerato tem agora controle de cruzeiro adaptativo, frenagem automática de emergência, alerta de colisão, alerta de mudança de faixa e ponto cego, entre outros. Aqui, ainda não se sabe qual será o pacote de equipamentos.

Agradecimentos ao Fernando Noronha.

Novo Cerato é flagrado em Itu – Sedã coreano chega no fim de setembro
Nota média 4.1 de 14 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • afonso200

    10 anos esse 1.6 e nunca trazem outra coisa

    • vicegag

      Cerato no Brasil = 1.6

    • Eu andei num HB20S 1.6 esse fds, e já achei o carro bem lerdo. Fico imaginando esse Cerato.

      • Whering Filho

        Já eu achei bem esperto (e olhe que era automático!!!). Talvez, por estar acostumado com a má vontade do meu Fit (1.4 AT) qualquer carro mais ligeirinho do que ele já me pareça rápido kkk

        • Pra cidade achei ele tranquilo, mas na estrada (onde usei), cada ultrapassagem era um susto.

      • André Luis Versiani

        HB20S 1.6 anda muito bem, se achou lerdo é porque deve ter um carro bem forte, fico impressionado com a arrancada dele, mesmo sendo A/T.

      • Gran RS 78

        Como assim bem lerdo? O Hb20 1.6 é um foguete.

        • ViniciusVS

          Piloto de teclado da atual geração Nutella…

          “Cada ultrapassagem era um susto…”

          Depois de ler esse absurdo ou ele quer ultrapassar onde não da ou quer ultrapassar de quinta… Não sei, de verdade não entra na minha cabeça, ainda mais com os limites de velocidade atuais, qualquer milzinho hoje em dia coloca 120/ 130 km sem tanta dificuldade, um HB20 1.6 sobra motor para 90% das situações.

          • Edson Fernandes

            Vou te falar que eu aluguei um Renegade para provar dele…. e na estrada ele realmente é bem lerdo. Contudo tem uma sobra de potencia para uma ultrapssagem simples, mas qdo fui ultrapassar um treminhão…. foi assustador como é fraco usando tudo que pode dele.

            O HB20 1.6 que eu tbm já aluguei é mto mais agil e realmente concordo contigo, não tem surpresa não. É só pisar que ele vai. Ele não é um exemplo de foguete, mas está mto longe de ser ruim e ter pouca sobra de potencia.

      • Vitor

        Eu tenho um automático e acho que anda muito, carro muito esperto!

      • Marco

        Compartilho com tua opinião. Por incrível que pareça, acho o HB20S turbo muito mais divertido que esse 1.6.

      • Eric PB

        Fico imaginando qual o foguete o amigo possui, um jetta 211cv? mb c250, m3? O hb20 1.6 anda muito bem para a categoria a qual é proposto. Não é referencia em velocidade mas seu baixo peso e o motor dão conta do recado.

        • Marco

          Concordo, mas o Turbo anda mais e bebe menos. Resumindo, é mais eficiente energeticamente falando e mais econômico. Simples assim.

        • Um CX-5 2.5 turbo, 250 CV, e antes dele um Fusion Ecoboost. Concordo que minha referência é bem diferente, mas isso não muda a insegurança ao ultrapassar numa estrada de mão dupla. Obvio que comparado a um carro 1.0, o HB20 1.6 é rápido, mas eu hj teria um bom receio em colocar minha família numa estrada com esse carro. Se tivesse de comprar algo nesse valor, buscaria um 2.0 mais usado.

          • Eric PB

            Excelentes carros! minha cunhada possui um hb1.6 manual e descendo para a praia estrada dupla senti o carro bom para seu proposito e concorrência (onix1.4, gol 1.6, argo 1.3) e por aí vai. Tem pessoas que preferem um hb1.6 zero km do que pagar em um 2.0 usado as vezes já perto dos 60,70milkm na mão de 2º3º dono. Vai das prioridades de cada um.

    • 4lex5andro

      Se bem que a cilindrada por si só não é o problema né. No caso, se a Kia adotasse um 1,5 ou 1,6 turbo, ou 16v, renderia bem pra o porte do Cerato.

    • Cláudio Modesto

      Virtus tsi manda lembranças.
      Esse cerato tem que vir num preço bem competitivo.

      • Thiago Lima

        Virtus é pareo pro HB20, Cerato tem proporções de uma categoria acima

        • Marco

          O Cerato, a princípio, é para ser da mesma categoria de Honda Civic e Toyota Corolla. O HB20S é da mesma categoria do Virtus, Cocôbált, Honda City e Nissan Versa. Só que o Virtus TSi anda muito, muito mais que estes aí. E é bem mais econômico. Palavra de quem já teve todos estes aí.

          • João Silva

            O problema do Cerato sempre foi posicionamento. É menor que os médios que dominam o mercado (Corolla, Civic, Cruze, Jetta) e com motor 1.6 de baixo desempenho para o porte do carro e a categoria.

            Quando entrou para briga em preço vendeu relativamente pelo custo x benefício. É aí que tem que brigar!

            Descer o nível e brigar em preço com Virtus, City, Yaris, se estiver bem equipado e com preço competitivo em relação a estes pode vender bem. Vindo do México se mantiver os valores proximos do atual que já estava “vencido” pode incomodar!

        • Cláudio Modesto

          O HB20 é bem menor que o Virtus, este está no meio do caminho. Por isso que eu digo que o preço do Cerato será determinante, como sempre foi.

          HB20S 4.230 mm C x 1.680 mm L x 1.470 mm A
          Virtus 4.482 mm C x 1.751 mm L x 1.472 mm A
          Cerato 4.560 mm C x 1.780 mm L x 1.460 mm A
          Corolla 4.620 mm C x 1.775 mm L x 1.475-1.485 mm A

      • Sobre Rodas

        Entra num Virtus depois em um Cerato daí você me diz… Sem comparação… Cerato está na mesma categoria do Jetta amigo

        • Mr. Pennybags

          Só por curiosidade, vc tem um Cerato?

        • Vitor C

          Só ganha em acabamento, porque de resto do cerato está bem aquém da categoria dele.

        • MarcosGojira

          Povo não entende! Tentam a todo custo enfiar Virtus na categoria dos médios, a qual ele não faz parte, nunca fez e nunca fará.

          • Marco

            Não faz em preço e proposta, mas em espaço interno e porta-malas, com certeza deixa muito “médio” no chinelo.

            • Ernesto

              Tenho um Corolla 13/14 e já andei no Virtus. A minha percepção é que o Corolla internamente tem mais espaço por ser mais largo. Quanto ao porta-malas, o Virtus ganha.

            • ViniciusVS

              Seguindo sua lógica o Cobalt é um médio? Afinal tem o mesmo espaço interno além do porta malas maior que todos os médios…

              Tamanho é bem diferente de conforto e sofisticação, coisa que passa bem longe do Virtus.

        • Cláudio Modesto

          Com motor 1.6? Tá não, na boa.

    • Whering Filho

      Mentira que até “Marina Silva” (com foto e tudo) curtiu o teu comentário kkkkkkkk

      • zebedeu

        Hahahahahahaha. Voltou do mar para dar like! hahahahahahahq

    • Gran RS 78

      A única vez que a Kia fez a coisa certa foi quando a marca trouxe o Cerato coup, com motor 2.0 de 156cv, que cairia como uma luva para essa nova geração.

      • Dudu Pimentel

        Descobri recentemente que a primeira geração do Cerato tinha motor 2.0 16V…são 141 cv e 19,8 kgfm…pena que é acoplado um câmbio AT4.

        • Gran RS 78

          Vc está enganado, pois o Cerato vendido no Brasil sempre teve motor 1.6, o único Cerato com motor 2.0 era o Coup.

          • Dudu Pimentel

            Vc quem está enganado…o fato de a maioria dos Ceratos de primeira geração ser 1.6 16V, não significa que TODOS sejam…e não é Coup e sim Koup…pode faze uma pesquisa mais a fundo que vc verá que eu estou certo.

  • Jônatas Abreu

    Não adianta falar que o problema é o motor 1.6 …. o Sentra está aí com um 2.0 e não decola! Ou vem agressivo no mercado ou povo só fica no CIVIC X COROLLA

    • Peter Bishop

      Sentra tem o preço e o CVT lerdo contra ele. Além do que o 2.0 é beberrão

      • Cesar

        Mas esse 1.6 no HB20 dizem que bebe mais que o Lula.

        • EdiSoares

          Não bebe muito, tenho um cerato 2019 e faz 12.5 km/l na cidade (grande capital) e em torno 14,7 na rodovia
          Carro muito confortável e acabamento decente.

          • Cesar

            Só se for no Cerato porque HB20 e Creta, o que mais reclamam é o consumo.

            • EdiSoares

              Sim, imagino que isso aconteça porquê o Creta é mais pesado e no hb20 os donos pensam que estão em um super esportivo em uma rodovia (mesmo estando na realidade no para e anda da cidade) hehehe.Aí não tem jeito, qualquer carro vai beber muito se dirigido de forma errada.

          • Edson Fernandes

            Pra vc ver… hoje um Jetta 1.4 TSI faz isso… só que a diferença é ter 25,5kgmf de torque e 150cv. A kia precisa melhorar isso.

        • Tenho um 2016 e o conjunto é o mesmo. Na cidade fica em torno de 6Km/l no álcool. Meus trajetos são bons. Na estrada, ando sem correr geralmente nos limites, fica entre 11Km/l e 12km/l ( 2 adultos e 2 crianças sempre ). Acho adequado.

      • Dudu Pimentel

        Vdd…público dos sedans médios é mais exigente…não adianta colocar um motor pequeno prá deixar o preço mais baixo e achar isso será suficiente para o carro vender…tanto é vdd, que há o Cerato com motor 1.6 aspirado apenas (a Hyundai foi a penúltima a ter um médio com motor 1.6 aspirado, mas ela aprendeu que o público desse segmento não aceita isso, e colocou o motor 1.8 16V do Elantra) essas características negativas matam o carro…lá fora ele tem o 1.6 TCe, com quase 200 cv…aqui poderiam pelo menos ter colocado o 1.3 TCe…iria dar um fôlego extra ao Sentra e como ele não é muito pesado, se tivesse 160 cv e uns 23 kgfm no etanol já seria muito bom prá ele, pois além de melhorar consideralmente o desempenho do carro, iria deixar o motor em dia com a tendência atual nesse quesito: downsizing.

        Basta a Kia trocar pelo 2.0 do Elantra e colocar injeção direta ou colocar o 1.6 16V Turbo do Tucson e Veloster Turbo, que seria ainda melhor, que ele terá mais participação no mercado automotivo brasileiro…só ignorante compra Cerato hj em dia…

        • Edson Fernandes

          Na verdade o Elantra hoje é apenas 2.0. Antes chegou a vir 1.8. Já o i30 da ultima geração, veio com o motor 1.6 e foi fortemente rejeitado. Colocaram tardiamente o motor 1.8 que não ajudou devido a seu preço esbarrar no preço do Golf 1.4 TSI(mto mais equipado)

    • d59

      O problema não é a cilindrada, mas sim a eficiência.

      • carnero

        Parabens d59! Até que enfim alguem que sai desse papo de cilindrada… Só brasileiro mesmo

        A volks ja meteu o numero do torque do motor no modelo do carro pros “anfibios” pararem de ficar falando de 2.0, 1.6, etc…
        Cilindrada não quer dizer nada!!!!

        • A maioria já sabe disso. O que pega nesse 1.6, é o fato de ser aspirado. O que no Cerato, transforma o carro em uma bela tartaruga.

        • Cláudio Modesto

          O que eu mais curto hj é torque, é o que faz diferença em trânsito na cidade. Esses Tsi 1.0 com 20Kgfm são uns monstrinhos, só o turbo lag que osso. Se vc pisa fundo numa saída de cruzamento o carro falta morrer e depois sai pulando feito um cabrito hehe.

    • Tendendo a ficar só no “Corolla contra ele mesmo”. O Civic já está relegado ao segundo plano a muito tempo, disputando segundo e terceiro lugar com o Cruze, vendendo bem menos da metade do sedã da Toyota.
      A verdade é que esse segmento dá claras mostras de estar desaparecendo. O Civic perdeu espaço para o H-RV dentro da Honda. O mesmo tende a ocorrer na concorrente assim que a Toyota lançar um SUV compacto em sua linha.
      É um arranjo que agrada muito as montadoras, pois os SUV’s compactos custam bem menos na fabricação que os sedãs médios, e o público tem se sujeitado a pagar por eles o mesmo que paga por um Civic ou um Corolla. Como o consumidor parece estar ávido unicamente pelos altinhos de cidade… o caminho não tem volta.
      Os sedãs médios estão dando lugar a uma categoria “inferior” em tremos construtivos, representada hoje por Virtus e cia. A GM mesmo está preparando um Prisma com dimensões mais avantajadas para entrar nesse nicho e abandonar o Cruze. Honda em breve deve fazer o mesmo, com o lançamento de um City maior. A Toyota foi de “Yaris tupiniquim”, mas parece que vai ter que caprichar mais para entrar em pé de igualdade nessa briga: o “Etios” camuflado que soltaram utilizando o nome do famoso sedã fabricado em outros mercados não parece ter convencido o público em geral.

      • Dudu Pimentel

        Não, o Onix Sedan será é um carro e o Prisma é outro carro totalmente diferente…na primeira geração a versão sedan do Onix se chamava Prisma, mas a geração de Onix que virá não se chamará Prisma a versão sedan, mas sim apenas Onix Sedan.

        Isso para desvincular a imagem de Prisma como a versão sedan do Onix, já que é um carro totalmente novo, como o Onix 2020/2021 e que sei que vai levar um tempo, pois são 6 anos de Onix sedan como Prisma.

        • A analogia que eu quis passar foi: você tem dúvidas que o Prisma acabará caindo no ostracismo? A GM vai tentar emplacar outro “Classic”, alongando a produção do Prisma por tempo indeterminado sem nenhuma evolução digna de nota, mas não vejo espaço para que ele dure muito.
          Os sedãs como Siena (o original), Fiesta, o próprio Voyage ou mesmo o Cronos (que convenhamos, tentou se encaixar como oponente do Virtus, mas acabou vindo muito pequeno para tanto), visivelmente perderam espaço no mercado. As montadoras enxergaram a partir do sucesso de carros como o Logan, o Cobalt, o Versa e o Grand Siena que o consumidor de sedãs quer espaço em primeiro lugar, o que você não tinha nas adaptações simples de hatches compactos, os quais nem possuem custo de produção tão mais barato que o dos “sedãs de entrada alongados” que estão em alta no mercado.
          Portanto, não precisa ter dúvidas: o dito “Onix sedã” vem para “substituir” Cruze, Cobalt e Prisma em uma só tacada na linha da GM. Teremos abaixo o mercado dito de entrada (de volume), com o Onix hatch, e acima caminho livre para os SUV’s “nadarem de braçada”, sendo este o filão que mais interessa às montadoras atualmente pelo lucro acima da média que propicia. O rumo do mercado para os próximos anos é esse.

    • MarcosGojira

      Mas o Sentra usa o mesmo CVT do Fluence, é característica desse câmbio ser “manso”.

  • Donald Acap Acap

    Magina esse carro com um motor thp…

  • Anderson Trajano

    A Kia poderia ousar um pouco e trazer esse carro com o motor 2.0, mesmo concorrendo com os compactos.

    Aqui no Brasil ela não te credibilidade. Se não ousar, será mais uma geração que passará desapercebida.

    • Marcus Mendes

      O 1.6 turbo do Creta já ajudaria. Com 160 cv, um torque de 25,4 kgfm.

      • Dudu Pimentel

        Que Creta tem esse motor aqui? Que eu saiba, esse motor é do Tucson Turbo.
        Aqui, o Creta usa um 2.0 16V flex, com 166 cv e uns 21 kgfm no etanol e não tem injeção direta.

  • Mayck Colares

    Vi lá nos eua e o carro tem presença, porém se não mudarem o motor não acredito q vá pra frente. Poderiam sim trazer o novo motor, câmbio e o pacote sense e já concorrer onde sempre deveria.

  • RicardoVW

    A cada nova geração o Cerato vai enfeiando!

    • Hodney Fortuna

      Verdade! Achei o design desse meio sem graça. O da geração passada é bem melhor em termos de design. Tem estilo mais esportivo.

      • RicardoVW

        E o antes dessa passada é melhor ainda!

  • Marcus Vinicius

    A filial brasileira da coreana ainda não pescou de Pesqueria no mexico o Hatch Rio para o mercado nacional

  • Diego Lip

    E o Kia Rio? Não gostei da posição das setas e da luz de ré, no parachoque.

    • Felippe2010

      Esse carro é igual a inocência do Lula, só mais uma lenda

      • Samuel Jesus de Sousa

        Mas eu acredito no Kia Rio

      • Se bobear o Lula cumpre todas as penas integralmente, e sai da cadeia antes do Rio chegar.

      • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

        Kkkkkkk.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    1.6 130 cv ? Tão de brincadeira?

    • Mr. Pereba

      Eu diria que o limite para ele seria 90 mil. Tanto o Virtus quanto o Yaris mais recheados já se aproximam de 90 mil, e esse Cerato seria de uma categoria superior, tendo melhor acabamento, medidas maiores e talvez mais equipamentos e tecnologia. A motorização 1.6 sempre será criticada, mas o Yaris oferece algo similar, e o Virtus oferece a mesma potência (com muito mais torque). Eu tenho um Virtus completão, e digo que pelo mesmo preço ficaria muito balançado a pegar um Cerato desses, mesmo se fosse pra sofrer com a falta de torque.

      • Cláudio Modesto

        Difícil é sair desses motores Tsi. Depois que a gente se acostuma com a força deles.

        • Baetatrip

          Ja tive 2.0 TSI por 5 anos (10 a 15)
          Tinha bela força de torque….. Porem nao dava confiança pois a gasolina antiga so dava pau!
          VW nunca +…. so me deu problemas atras de outras!
          Agora uso o J20A…… Sei que é ultrapassado (desde 1997) porem só me da confiança e rubustez (nunca deu problema qualquer!) e me leva a qualquer lugar mau caminho melhor que o TSI…!

          • Cláudio Modesto

            Puts, tive um Golf TSi1.4 e agora um Polo TSi1.0, nunca tive problema com gasolina. Que pena que vc não teve a mesma experiência.
            Nossa gasolina é uma surpresa mesmo.

            • Baetatrip

              Claudio……
              A minha ex- TIG era 0km em 10/11 e a gasolina era 200ppm contra 50ppm hj em dia…
              Isso vivia entupindo os bicos…….. E outras causa colaterais etc

        • mariostefa

          aí vc muda para o THP. Vai gostar

          • Cláudio Modesto

            Puta motor tmb. Tô esperando o 308 europeu até hj. Podia ser o Puretec 1.2T mesmo. Já tá na hora de matar o THP aqui tmb, agora é só puretech na zoropa, né?
            Eu adoro PSA, tive 2 307 e 1 C4 exclusive, bons tempos… Os carros no Brasil estão ultrapassados, exceto pelo 3008 e 5008, queria a ver a coragem na America Latina.

          • Dudu Pimentel

            O pessoal reclama de Peugeot, mas muitos não sabem que o motor THP 1.6 16V é de origem BMW…eu mesmo teria um Peugeot ou Citroen 0 km se eu dirigisse e gostasse. Se fosse usado, de fato teria ter mais cuidados quanto à escolha do carro (pois tem mtos proprietários que não cuidam do carro e acumulam tanto problema que fica caro consertar e ai querem se livrar por isso vendem a um preço menor de mercado)

      • Hugo Leonardo Dos Santos

        Se vier pelo menos com o que falta no atual (esp, 4 airbags, hill holder e central multmidia com espelhamento) por no máximo 89 mil, digamos que esse 1.6 130 cv até passa batido, problema que acho que não vai vender muito pois o povo prefere pior acabamento e levar um carro de marca “confiável”

        • Danilo

          Eu já sou o contrário, até por isso comprei o C4 Cactus, prefiro um carro mais completo e com acabamento um pouco melhor, do que uma marca como a Volkswagen com seus motores legais, mas com um interior triste até de se olhar, quanto mais sentir. Penso assim, a maior parte do tempo passo dentro do carro, então priorizo a parte de dentro, depois motor, depois design externo, depois a marca.

      • A maior diferença do Ceratto com relação a estes “novos médios” do nosso mercado está na sofisticação construtiva. É bem claro no coreano o nível construtivo compatível com os bons sedãs médios do mercado, o que inclui maior largura e mais refinamento interno.
        Entretanto, a mecânica muito aquém do que seria esperado para o porte do carro e o corte na lista de equipamentos para trazê-lo para preços mais aceitáveis, acabam por relegar o modelo aos ostracismo, sendo preterido em favor de modelos como Virtus e Yaris.

    • O que poucos sabem é que a Kia tem um motivo judicial fortíssimo para não entrar “de sola” no Brasil: a empresa que a representou aqui em tempos passados tem uma dívida monumental com a União e outros credores, a qual, no entendimento jurídico, é de responsabilidade da montadora coreana. Isso tem impedido que eles construam sua fábrica por aqui, pois os custos envolvidos inviabilizam a operação.

      • Essa questão judicial já foi resolvida faz tempo, tanto que a Hyundai, sendo dona da Kia, conseguiu abrir sua fábrica aqui, graças a solução do imbróglio. O Grupo Gandini é que não tem capital para introduzir uma fábrica, e a Hyundai decidiu relegar a fábrica da Kia para o México, onde o custo de produção é quase tão baixo quanto o da Coréia do Sul.

        • Esta informação é “meia-verdade”. A Kia tinha planos concretos para a montagem da fábrica no Brasil no começo da década. Entretanto, esta questão judicial envolvendo o Ministério da Fazenda e uma dívida de R$2 bilhões de reais simplesmente impedia a operação por aqui. Sem opções, o grupo Kia acabou sendo obrigado a montar operação no México, e isso acabou por quase inviabilizar o renascimento do plano de se montar fábrica no Brasil, mesmo após resolução do STF isentando a coreana da dívida remanescente, fato que acaba por tornar a marca “marginal” por aqui, sempre sendo vista como importadora de um portfólio de produtos de nicho.
          A tempo, apesar de fazerem parte de um mesmo grupo empresarial, Kia e Hyundai são empresas distintas. No Brasil a Hyundai fez parceria com o grupo CAOA, enquanto a Kia se aliou ao grupo Gandini, da Asia Motors, sendo que esta última foi adquirida pelo grupo coreano após sua derrocada. O que a Kia não contava era com essa pendência judicial, que se arrastou por anos e solapou os planos de acesso ao país com montagem de fábrica e tudo mais. A Hyundai, como empresa, nunca teve nada a ver com o imbróglio do grupo Gandini. Até por isso conseguiu seguir um caminho natural de crescimento em nosso mercado.

          • Não há grupo Kia. Há Hyundai Group, antigo Hyundai Kia Group, que detém ambas as marcas desde 1998. A Kia é apenas uma subsidiária que, em alguns mercados atua junto e em outros separadamente, por questões de estratégia comercial. Ambas compartilham plataforma, motores e etc. É algo similar ao que a Seat é para Volkswagen. A fabricação de ambas as marcas na Coréia do Sul ocorre no mesmo lugar, na maior fábrica automotiva do mundo, assim como nos EUA também dividem fábrica.

            Como empresa, ambas são parte de um mesmo grupo, tanto que a Hyundai só pode desenvolver sua fábrica por aqui, após o final do imbróglio judicial. Por estratégia comercial, diante da crise econômica que chegava ao Brasil, que optaram por levar a fábrica da Kia ao México, tanto que a da Hyundai no Brasil saiu em 2012, enquanto a da Kia no México, só em 2016 (e começou a ser construída em 2014, quando nosso mercado já estava em crise).

            • Kia e Hyundai são duas montadoras diferentes sob a tutela do mesmo grupo, mais ou menos nos moldes do que ocorre com Citroen e Peugeot (PSA). Apesar de dividirem plataformas e muitos componentes, são empresas distintas, com concessionários distintos e demandas judiciais distintas. Dá pra citar mais um monte de exemplos, como FCA (Fiat + Jeep). Os cuidados judiciais para que diferentes marcas de um mesmo grupo não tenham impacto sobre outras em demandas judiciais são enormes, e fruto de exaustivo trabalho em grandes corporações, até porque não há como se submeter ao risco de que um selo de seu grupo contamine outros em caso de problemas.
              Quanto ao Brasil em si, há um sem fim de matérias na internet explicando o problema Kia – Asia Motors, inclusive com análises bem profundas sobre como a Kia perdeu as janelas de oportunidade para se firmar em nosso país. Não tem muito porque discutir isso.
              A tempo, a decisão do STF a respeito da isenção da Kia com relação à dívida da AMB saiu em 2013 (14 de agosto), quando a Hyundai já tinha fábrica em plena operação por aqui. Mas há que se considerar que ainda há demandas no supremo que podem reverter a decisão, o que ainda coloca muita insegurança jurídica sobre a viabilidade da fábrica por aqui. Some-se a isso o fato que depois de 2013, não há ambiente no Brasil para investimentos pesados no ramo automobilístico. Isso acaba por colocar a Kia em uma posição complicada com relação ao nosso mercado, em especial com a existência do acordo de livre comércio com os mexicanos, o que coloca um empecilho na questão quando se analisa que o país asteca já conta com unidade fabril da montadora.
              Não adianta eu colocar links aqui, pois o site veta as mensagens. Pesquise no Google com palavras-chave do tipo “Dívida Asia Motors” ou “problemas dívida Kia”. Há material muito interessante sobre a quase inviabilidade de podermos ter uma fábrica da co-irmã da Hyundai aqui no Brasil em médio prazo. Essas mesmas matérias muitas vezes explicam o não envolvimento da Hyundai com a questão.
              Abraço.

              • Na verdade, a Hyundai só fez a fábrica pois em 2011, ela e a Kia ganharam a causa no TRF (http:// revistaautoesporte. globo. com/Revista/Autoesporte/0,,EMI281285-10142,00-BRASIL+TRF+LIBERA+KIA+DE+DIVIDA+BILIONARIA+DA+ASIA+MOTORS.html). Na ocasião, a Hyundai foi plenamente excluída, por ter sido considerada personalidade jurídica distinta no Brasil. Em seguida o Governo recorreu em relação a Kia, mas não acionou a Hyundai (que em 2008 já queria abrir fábrica, e teve que deixar a cargo da CAOA a primeira, por conta do imbróglio, vindo a construir só em 2011), justamente pelo acordo que fizeram e o fato da Hyundai de fato ter começado a construção de sua unidade. Em 2014, o Governo perdeu no STF, mas recentemente em 2018 tentou reverter a decisão (https:// www. jota. info/tributos-e-empresas/tributario/stj-kia-motors-divida-2-bi-23042018), pois mesmo isenta da dívida, a Kia optou por abrir fábrica somente no México, e o Gandini não quis abrir unidade própria de montagem no Brasil, então o Governo considerou que o ganho de causa por parte da Kia não gerou benefícios ao país, tal qual a sentença de 2013 afirmava.

  • DTF

    Além do defasado motor, para ser o Certato de sempre, deverá vir tb sem ESP, apenas com 2 airbags, rodas de 16″…..viva o Brasil brasileiro….

    • matheus

      E o cinto de fusca no banco de trás.

  • Natán Barreto

    Todos os concorrentes atualizados tem motor turbo. Jetta, Civic e la vem o novo Corolla. Sentra ta morto e não conta. Até os carros da Chery tem turbo.

    É questão de economia e desempenho

    • Cesar

      Corolla também não tem turbo. Terá um sistema hibrido mas aí é outra história.

      • Yuri Lima

        Corolla é um caso à parte. Sempre foi atrasado em suas respectivas gerações em comparação à concorrência, mas sempre vendeu MUITO bem.
        Quando quase todos da categoria tinham ESP, o Toyota nem planejava ter.
        Quando quase toda a concorrência tinha multilink, o Corolla vem com eixo de torção.
        Quando quase todos vêm com motor de injeção direta, o Corolla vem com multiponto tradicional.
        Quase todos vêm com turbo agora, o Toyota traz um tradicional 2.0 aspirado (embora com a novidade do híbrido).
        Mesmo assim, faz sucesso e vende pra caramba.

        • carnero

          Amigo, só para refrescar a mente. O turbo e a injeção direta tão lá por causa da economia e não por causa dos fanboys. Rota 2030
          Hibrido >>>>>> Turbo

    • Nem mesmo a Kia coloca o Ceratto como concorrente de Corolla, Jetta ou Civic. O sedã coreano vem operando em uma faixa de preços ao redor de 80 mil reais a muito tempo, ficando bem mais em conta que os ditos sedãs médios do mercado.
      Apesar de ser um modelo pretensamente “encaixável” na categoria dos médios, acaba por ter lista de equipamentos relativamente modesta e motorização “parca” em números de torque e potência, trazendo-o para o meio de modelos como Virtus, Yaris e City quando analisado o preço de aquisição.

      • Mr. Pennybags

        Se colocar pra competir com essa turma pode fechar a tampa do caixão!

        • Exato. Com menos conteúdo e motorização inadequada, acaba se colocando em um patamar de mercado mais baixo para ainda conseguir obter vendas que justifiquem a operação brasileira.

  • Claudio

    A Kia no Brasil já morreu. Não tem mais o que fazer a não ser arrumar as malas e picar a mula.

    • Discordo. Ela tinha tudo para ser protagonista, mas o importador prefere mantê-la como está. Vende de forma lucrativa, e as concessionárias conseguem se manter, então, que fique. Espero que resolvam dar maior protagonismo a ela.

  • G E O

    Vão trazer com dois air-bags, sem controle de estabilidade e tração rsrsrsrs.

  • El Gato!

    A única versão que vendeu relativamente bem foi a geração anterior, quando oferecia um pacote razoável por R$ 49 mil. Depois, não vendeu nada. Sempre foi um carro com acabamento honesto, preço honesto, equipamentos honestos… e um motorzinho porcaria. Agora vem a nova geração e a única coisa que tinham que mexer, permanece a mesma. Já vai tarde, Kia.

    • Vinícius Sza

      Ele e o I30 tiveram um auge em vendas nessa época

    • Depois do aumento dos impostos de importação, passou a ter vida difícil em nosso mercado. A geração passada concorria com Polo sedã, City e Fiesta sedã oferecendo “mais por menos”.
      Após o advento da nova tributação, ficou caro frente ao mercado em geral, perdendo apelo.

  • Vinícius Sza

    Nem sabia que tinha mudado de geração

  • Gustavo Adriano

    Lá nos EUA o Cerato oferece um atkinson 2.0 que possui torque melhor que o 1.6 e potência um pouco mais elevada também, não sei por que não o trazem pra cá. Lógico, também existe o 1.6 turbo, mas acredito que não seja viável, pois nunca foi disponível, nem na época do antigo Cerato hatch (o de segunda geração já trazia essa opção em dada época).

  • Paulo

    Kia vender Cerato no Brasil é só para quem liga somente para a aparência. Não dá pra negar que é um carro bonito, só que ficar nessa tara de ganhar o máximo possível com esse motorzinho é fogo, até a Toyota desistiu de por 1.6 no Corolla faz muito tempo.

  • MonHoe

    Poderiam ao menos usar o 1.0T do HB20 nele

  • Pedrov154 #BATDAT

    Não sei vcs, mas eu não gosto dessas luzes de ré no para-choque…

  • Geraldo Xavier

    Cada atualização que fazem eles pioram essa frente

  • Bruno

    Com esse 1.6 não venderá quase nada. Isso é totalmente sem sentido.

  • Hodney Fortuna

    O atual era possível ainda ser encontrado na faixa dos 72 mil reais como vi há alguns dias numa css Kia aqui de Fortaleza. Esse daí vai ser cobrado no mínimo uns 95 mil. É esperar pra ver. Afinal, esse carro nunca foi muito visado em vendas, uma pena. Até o Elantra é raro de se encontrar por aqui, quanto mais um Cerato.
    Pensando bem eu achava o atual mais belo no desenho, design mais esportivo. Esse puxa muito pro lado do Nissan Sentra atual. Ficou com um aspecto mais conservador.

    • Ewerton Tavares

      Amigo, Fortaleza não é referência de vendas para nenhum sedã, principalmente sedãs médios (exceto corolla).

      • Toyo_Highlander fan

        Concordo c vc.

  • Hodney Fortuna

    Achei a traseira e a lateral no Cerato da cor branca parecido o Jetta atual.

    • RED883

      Achou o Cerato feio então? Eu gostei, o unico problema é o motor fraco.
      O jetta é o contrario. O motor é ok, mas é feio e mal acabado demais.

      • Luis Fernando Pozas

        É como eu vejo TB

      • Hodney Fortuna

        Pessoalmente falando só achei bonito nesse carro foi a “frenteira”. De resto ele ficou sem graça mesmo. O de geração atual é bem mais bonito que esse daí.

  • ocampi

    Corolla 2.0 pode colocar o preço que quiser ….o povo vai comprar.

  • 4lex5andro

    Citação do texto da reportagem:

    Conhecido como Forte nos EUA e agora produzido em Pesquería, México, o Novo Cerato chegará sem imposto de importação e poderá manter o preço numa faixa competitiva. O modelo ganhou uma estrutura de aço de alta resistência com 54% desse material, que torna a plataforma rígida, leve e resistente aos impactos.

    Finalmente, parece que o Cerato vai voltar ao segmento dos médios. Pode melhorar a competição no setor, Corolla e Civic terão que dar seus pulos.

    • Cláudio Modesto

      Cara, acho difícil, vai concorrer com virtus dependendo do preço.

    • mariostefa

      gozação né?

  • Guilherme Ramos

    É uma marca que me transmite confiança. Já tive dois Picantos, um 2010 e outro 2013, não tive espécie nenhuma de problema. Moro no centro de Florianópolis onde as vagas de estacionamento são escassas e também não me importo com potencia, o modelo me atendia muito bem e o acabamento era superior aos outros do mesmo seguimento.

    • Hugo Leonardo Dos Santos

      Tenho muita saudade do Picanto 2016 manual que tivemos, foi sem sombra de dúvidas o melhor popular que saiu. A Kia deveria seguir a receita e manter a nova geração mesmo que fosse simples como o 2016 MT por uns R$ 47 mil e o AT4 mais completo por uns R$ 55 mil. Estratégia erradíssimo tirar de linha e até agora nada do Rio pra fica no lugar

      • Guilherme Ramos

        Hugo, realmente sinto saudades dos meus dois. O modelo 2010 ainda era mais econômico e ágil que o 2013. Pensando seriamente em comprar um novamente, o carrinho era um mini tanque.

  • Cláudio Modesto

    Meu povo, nós reclamamos do motor pq gostamos de dirigir e sabemos que pelo preço do carro deveria ter algo melhor debaixo do capô. Acontece que os compradores de carro no Brasil não sabem o que estão comprando, todo mundo tem exemplos na família de pessoas que compram carro pela fama da marca ou moda ou sei o quê. Como a concorrência aqui é pífia, as montadoras vendem coisas como o kicks, Captur com motores de 100cv.
    Esse Cerato tem a boa potência, só deveria ter um motor super eficiente e mais torcudo, mas o público alvo não se importa.
    É o nosso mercado, infelizmente.

    • Não tem Kicks ou Captur com 100 cv. Ambos possuem 116 cv e 120 cv, e a motorização do Kicks é a mesma no mundo todo, exceto EUA, onde tem o motor com a configuração do Captur.

      • Cláudio Modesto

        É claro que não tem 100cv, só olhar a ficha técnica, eu generalizei, pra carros de 100mil esse motores são ridículos. Já testei os dois e achei ambos fracos. Pra estrada principalmente. Os carros no Brasil não vale o que pedem, mas alguns valem menos ainda. Os carros não são ruins, só são sacanagem.
        Pelo preço deles acho mais interessante uma Tracker 1.4T ou um T-cross até 1.0Tsi, o torque faz toda a diferença nesses carros. Cadê os motores e câmbios modernos na Europa?
        Mas como o publico alvo não tá nem aí e compra qq coisa, as montadoras fazem a festa vendendo motores de March por 100mil.

  • Whering Filho

    Parece bom, mas faltou eliminar o travão.

  • RKK

    Traseira bonitona. Agora a manutenção do motor Gamma II 1.6 aspirado com até 128 ou 130 cavalos no etanol é ponto fora (até o HB20 está o aposentando) !

  • RED883

    Espinhento que fica dando opinião em site automotivo é irrelevante para o mercado, não tem dinheiro para comprar carro. Caso contrário, se a opinião de comentadores fosse relevante Jetta era campeão de vendas e Corolla não vendia nada. Quem assina o cheque não está aqui.

    • Vinícius Sza

      Nossa, você é um sheik árabe que nada em petróleo

    • Benny Blanco

      Vou encarar como um elogio, se bobear sou mais velho que você rsrs.

    • Dudu Pimentel

      O Corolla vende mais pela fama da marca do que outra…nunca andei em Corolla, mas não acho que seja um carro tão bom assim.

  • Thiago Lima

    Não sei porque estão reclamando tanto do motor. Com exceção do virtus TSI, o 1.6MSI tem 120cv enquanto o cerato tem 130. É um motor com bloco de alumínio, comando variável que faz ótimas médias na cidade e na estrada, só não tem turbo nem injeção direta.

  • EArtur

    Vi uns vídeos desse novo cerato, achei bacana

    Tivesse um motor legal seria um puta carro

  • carnero

    Belo carro…. Esses asiáticos sempre surpreendendo

  • Carlos

    Tá de brincadeira!!!

    Vamos chegar no ano de 2080 e a Hyundai insistindo com esse motor. Basta comparar com Cruze, Jetta ou Corolla.

    • Kia Cerato no mundo tem várias opções de motores. Desde o clássico 1.6 Gamma, ao 2.0 Nu, e mesmo o 1.6 Turbo, todos já flexibilizados pela Hyundai. O Grupo Gandini é que opta pelo motor mais fraco.

  • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

    A Kia poderia usar esse 1.0 T-GDi do futuro Hyundai do HB20 nele, no fim teria um motor mais moderno, eficiente e econômico que esse 1.6 e ainda poderia enquadrar em uma faixa menor de IPI e “talvez” ter um preço mais competitivo, mas não dá pra saber se eles querem que o carro faça apenas figuração no mercado.

  • Mr. On The Road 77

    Pessoal reclama do motor 1.6, mas o carro pesa só 1205 kg.
    Dependendo do preço, mesmo com motor 1.6, pode vir a vender bem sim. Ainda mais se vier um pouco mais equipado que o modelo atual (vir com ESC/ESP, mais airbags, central multimídia…)

    • EdiSoares

      Exato, se fosse me guiar por opiniões da internet (99% nem conhecem o carro de perto e ficam só criticando) não teria adquirido um cerato. Após fazer testes em concorrentes, fui ver de perto, analisei com cuidado, fiz teste drive e amei o carro. Além de muito bonito, me atende muito bem no meu dia a dia casa/trabalho 70 km e algumas viagens de 200 km. Se essa versão vier com mais segurança, tecnologia e preço competitivo com certeza merece uma chance no mercado apesar de não ser tão potente.
      Obs.: Para que ter um motor de fórmula 1 se na grande maioria das vezes estamos em engarrafamentos ou na média de 60-100 km por hora? rsrsrs o povo está se esquecendo que carro é apenas um meio de locomoção.

  • Gran RS 78

    Como a Kia pode ser tão cabeça dura! Ela vende lá fora esse modelo com um 2.0 , e aqui insiste nesse 1.6. O mesmo vale para o Sportage, que é um suv belíssimo, com um motor 2.0 aspirado que não condiz com o modelo. Lá fora o Sportage usa o mesmo 1.6 turbo do Tucson no Brasil. A Kia tinha que colocar o motor 2.0 flex no Cerato e colocar o 1.6 turbo no Sportage, que iria aumentar bastante suas vendas.

    • Dudu Pimentel

      A resposta é bem simples: pq há demanda e quando tiver demanda, haverá oferta.

      • Gran RS 78

        Demanda? O Cerato vende no máximo 120 unidades mês. Número irrisório perante os concorrentes, lembrando que o modelo sempre vendeu bem até 2012, quando a Kia aumentou demais os preços dele, acabando justamente com o bom custo beneficio, sem contar que antes, os concorrentes diretos não se diferenciavam tanto na motorização e potência.

        • Dudu Pimentel

          Sim, demanda…se ele tivesse dando prejuízo, a Kia já tinha mudado a estratégia…nenhuma marca joga prá perder kra, é burrice…eles sabem bem o quanto é o mínimo que precisam vender prá ter lucro.

  • Saymon Erickson

    O carro ficou muito bonito!
    Mas a Kia não poderia trazer também uma versão com o motor 2.0?
    A vantagem do 1.6 é ser, basicamente, o mesmo do HB20 (maior disponibilidade de peças e manutenção mais fácil). Mas, fiz um test-drive num Cerato atual, e achei o carro meio lento. Outra: vendo a etiqueta do INMETRO, achei o consumo alto.

  • Jorge Luiz C. Marinho

    o interior e igual do jac t50 ou e impressão minha ???

  • Davi Millan

    Nos EUA é Forte, aqui é fraco… piada ruim a parte.
    O problema do Cerato nem é o seu motor 1.6 (mas que poderiam ter versões com outros motores também né Kia), mas sim o preço e os equipamentos, que muitas vezes vem pelado, com o mínimo de segurança somente, se tornando um péssimo custo benefício quando comparado a outros.

    Eu já tive um Cerato (2013 SX MT) e foi o melhor carro que já tive (qualidade mesmo, não desempenho).
    Mas se esse carro não chegar com no mínimo de segurança, sendo 6 airbags e controle de estabilidade e tração, com uma central multimídia com Apple CarPlay e Android Auto, nem adianta e sem falar que não tem margem para mexer no preço, deveriam manter o preço e só atualizar o carro. Fora isso, poderiam também ter versões com motor 2.0 e 1.6 Turbo também.

  • Giuseppe

    Bacaninha, mas não vinga.

  • Eric PB

    A kia é lenta e pensa sem estratégia. Esse carro por mais que tenha um bom custo beneficio vai vender pouco. está numa categoria com baixos volumes de vendas (sedans medios). Deveriam repensar melhor e trazer para cá um concorrente de suv compacto e um carro no alinhamento dos hatches médios.
    Brigar em uma categoria no qual apenas corolla, civic e cruze vendem (expressivamente só o corolla) é sofrer pra tentar vender uns 500-800 unidades/mês.

  • brunoxeca

    Moro na NZ e tenho um Koup 1.6T 2014 que comprei tem dois anos. O motor eh bem bacana, 200cv, um pouco beberrao, faco 9 na cidade e 15 na estrada, mas tem um torque bacana que ajuda nas ultrapassagens. Ate o momento nao tenho o que reclamar do carro, ta com 23mil km, muito chao ainda…quanto esse modelo novo ai ta bem sem graca, parece que perderam a mao, uma pena…

  • Já tem um 2.0 andando por aqui. Motor de pouco mais que 160 cv. Em outro site falava de duas versões de acabamento. Vamos ver.

  • Realmente fábrica da Kia não teremos, mas, com os novos acordos comerciais que foram implementados, a do México atenderá com maestria, tal qual a Nissan era anteriormente.

    Ninguém despreza marca que está na mídia, e que oferece bom custo-benefício. A Kia por si só, não é uma marca desprezada. Falta nela opções interessantes ao consumidor, o que pode mudar com os modelos vindos do México, a depender do Gandini.

    • Problema maior é que sem produtos nacionais, você fica a mercê de regras de importação que vão e vem, o que limita absurdamente a sua capacidade em oferecer pontos de revenda e manutenção. No Brasil, isso pesa muito, tornando quase impossível a possibilidade de que a marca consiga se tornar sucesso em termos de vendas.
      Nesse cenário, a Kia continuará a vender pouco, se sujeitando a um nicho limitadíssimo do nosso mercado. Uma pena. São boa opção.

  • Edson Fernandes

    Ué…. se tem Creta com motor 2.0 e Elantra (ambos flex) porque o Cerato tbm não seria equipado por ele?

    Na minha opinião, melhor ainda seria se fosse o motor 1.6 turbo, mas acho improvavel vindo do Gandini.

  • Peppa Pica

    Pode enfiar na bud@ esse motor jurássico… vai continuar na lanterna dos sedans…..

  • Vinicius

    Já tive Cerato, é uma condução tranquila, quase “geriátrica”. O seguro é caro, acima da média para a categoria. O carro é bom mecanicamente, fiz 50000km, só óleo e filtros.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email