Novo Citroën C3: argentinos conhecem primeiro o hatch brasileiro

Novo Citroën C3: argentinos conhecem primeiro o hatch brasileiro

O Novo Citroën C3 será fabricado em Porto Real, no Rio de Janeiro, sendo esperado ainda para este trimestre. O hatch com visual de crossover, será a principal arma da marca parisiense para voltar a emplacar bem por aqui.

Enquanto ainda aguardamos, os argentinos conhecem em primeira mão o Novo C3, em Cariló, uma estância balneária entre Buenos Aires e Mar Del Plata.

Fruto do projeto C-Cube, o Novo C3 aparece aos hermanos em sua forma completa, que deverá ser a topo de linha. O hatch substitui a antiga geração, que saiu de linha há dois anos.

Novo Citroën C3: argentinos conhecem primeiro o hatch brasileiro

O Citroën C3 ainda é uma incógnita em muitos aspectos, especialmente em preço, dado que a proposta é ser um produto mais simples e “popular” que o C4 Cactus e, pelo visto, abaixo do Fiat Pulse.

Com forte apelo em conectividade, o Novo C3 deverá reforçar a gama de entrada da Stellantis, hoje dependente dos modelos Argo e 208. Num mercado praticamente sem populares, o hatch-crossover quer brilhar.

Para isso, sua mecânica pode incluir versões de acesso partindo de 1.0 litro e aspirado, mas isso o deixaria muito abaixo do C3 antigo, que teve o importado EB 1.2 de até 90 cavalos e muita economia.

Nesse caso, pelo que vimos no Fiat Pulse, o Firefly 1.3 8V atualizado pode ajudar o Novo C3 a ser um carro eficiente em consumo e ainda dispor da transmissão CVT para mais conforto.

Novo Citroën C3: argentinos conhecem primeiro o hatch brasileiro

Já o velho TU5, mais conhecido como EC5M, não deve sair de cena por ora, sendo usado como nos 208 e 2008, além do C4 Cactus. Este tem 115 cavalos na gasolina e 118 cavalos no etanol, usando câmbio automático de seis marchas.

Existe ainda a possibilidade de o Novo C3 dispor do 1.0 Turbo de 125 cavalos na gasolina e 130 cavalos com álcool, mas ao fazer dupla com o Cactus, o novo carro deve dar espaço ao irmão maior, que trocaria o EC5M pelo GSE.

Isso daria ao Cactus a valorização para se afastar do C3 em preço. Esperemos para ver.

[Fonte: 16Valvulas]

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.