*Destaque *Featured Honda Sedãs Test Drive

Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

novo-honda-civic-sport-2017-impressões-NA-8 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

O Novo Honda Civic 2017 chegou ao mercado nacional com múltiplas propostas e já está caindo nas graças do consumidor. No fechamento de setembro, o sedã médio da marca japonesa elevou as vendas para 2.820 unidades e passou a ocupar a 14ª posição no ranking dos automóveis mais vendidos no mês.



Ele ainda está distante do líder do segmento, o Toyota Corolla, mas parece ter fôlego para ir em busca do arquirrival. Mas antes de chegar no sedã conterrâneo, o Novo Honda Civic 2017 se arma com versões para múltiplas finalidades, entre elas a captação de clientes que estão vindo de segmentos abaixo.

A estratégia da Honda com o Novo Civic 2017 foi ter três frentes de ação, sendo que a primeira é conhecida pelas versões EX e EXL, destinadas a atender quem está migrando da antiga geração – a nona – do Civic para a décima. Em estilo e proposta, se encaixam no perfil de quem já tem ou teve o modelo na garagem

novo-honda-civic-sport-2017-impressões-NA-30 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

A Honda também quer pegar quem já está nos sedãs médios e quer mudar de marca. Já o topo de linha do Novo Civic 2017, a versão Touring, tem como função atender aqueles que desejam subir de segmento, oferecendo assim uma opção mais premium com performance correspondente.

Por fim, eis que entra uma opção diferenciada no lineup do Novo Honda Civic 2017, a versão Sport. Custando R$ 87.900 com transmissão manual e R$ 94.900 quando dotada de câmbio CVT, o Novo Civic Sport é a porta de entrada para quem está migrando do City ou Fit para o segmento médio. Também tem a mesma proposta em relação aos clientes de outras marcas. O Sport será responsável por 24% do mix, enquanto o Touring por 28% e os EX e EXL pelos 48% restantes.

novo-honda-civic-sport-2017-impressões-NA-18 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

Novo Civic Sport 2017 – Estilo

Para cumprir essa tarefa, o Novo Civic Sport apresenta um belo pacote visual com apelo esportivo, algo bem diferente do visto até então no modelo da Honda e buscando atender os desejos de consumidores mais jovens ou que deseja esportividade no estilo.

O destaque fica para a tonalidade preto brilhante nos detalhes do Novo Civic Sport, que integra o acabamento superior dos faróis e grade (cromados nas demais versões). A nova tonalidade confere ao sedã um olhar agressivo e invocado, que chama bastante atenção. Os faróis duplos apresentam projetor tipo canhão no facho baixo e LEDs diurnos.

novo-honda-civic-sport-2017-impressões-NA-11 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

As rodas de liga leve aro 17 polegadas também são pretas e deixam o ambiente do Novo Civic Sport ainda mais “sinistro”. Retrovisores e molduras também são pretos, tendo apenas um friso cromado sobre as janelas para quebrar um pouco o visual escurecido do sedã da Honda.

O visual ainda é completado pelas luzes de posição “americanas” dotadas de lentes claras, bem como as vistosas lanternas traseiras em LED e com formato de bumerangue. São envolventes e bipartidas pela pequena tampa do porta-malas. Por não ter acabamento nos famosos pescoços de ganso, o volume interno do bagageiro é de 525 litros contra 519 das demais versões.

novo-honda-civic-sport-2017-impressões-NA-24 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

Se tudo é preto por fora, por dentro não deveria ser diferente. O Novo Civic Sport chama atenção logo de cara pelas colunas e teto em tecido preto, que harmonizam-se com o painel e bancos em tecido, igualmente pretos. O conjunto frontal conta com aplique central em tonalidade cinza e alguns detalhes prateados.

Não há opção de couro e nem pode ser instalado nos concessionários. A Honda não recomenda sua colocação por conta dos airbags laterais. O tecido preto também recobre o túnel central elevado entre os bancos dianteiros e as portas. O banco traseiro tem apoio de braço central e três apoios de cabeça.

novo-honda-civic-sport-2017-impressões-NA-25 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

Novo Civic Sport 2017 – Conteúdo

O Novo Civic Sport oferece também painel análogo-digital mais simples que o visto em outras opções do Novo Civic, tendo velocímetro digital e conta-giros analógico, assim como nível de combustível e temperatura da água. Há também luzes de orientação de consumo (Econ) e computador de bordo.

Bastante completo, o Novo Civic Sport vem com ar-condicionado digital, freio de estacionamento eletrônico com função Brake-Hold, controle de cruzeiro, botão ECON de modo de condução econômico, vidros elétricos com função “um toque” para subida/descida em todas as posições, sistema de som com quatro alto-falantes, conexões bluetooth e USB e comandos no volante, câmera para manobras em ré, entre muitos outros. A versão Sport com transmissão CVT traz paddle shifters para trocas de marcha atrás do volante.

O Novo Civic Sport também oferece airbags frontais, laterais e de cortina, controle de tração e estabilidade (VSA), sistema de partida em aclive (HSA), sistema de vetorização de torque baseado em frenagem Agile Handling Assist (AHA), luz de frenagem de emergência (ESS, que pisca de forma intermitente em frenagens emergenciais), além de freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD), faróis de neblina, sistema ISOFIX para fixação de cadeirinhas e aviso de esquecimento dos cintos dianteiros.

novo-honda-civic-sport-2017-impressões-NA-28 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

Novo Civic Sport 2017 – Impressões ao dirigir

Luís Carlos-Guararema/SP – A Honda deixou de lado o motor 1.8 da geração nove e manteve o 2.0 anterior, que também faz parte do pacote do Novo Civic Sport. O propulsor tem tecnologia i-VTEC 16V SOHC StartFlex com 150/155 cv a 6.300 rpm e 19,3/19,5 kgfm a 4.700/4.800 rpm, respectivamente com gasolina e etanol.

Longe da performance e verdadeira esportividade da versão Touring, o Novo Civic Sport tem proposta de bom desempenho e mais apelo visual. Única opção com transmissão manual de seis marchas, a versão de acesso mostra boa dirigibilidade e prazer ao conduzir.

O motor tem boas respostas, especialmente em baixas rotações, conferindo agilidade no trânsito urbano e também em estrada, especialmente sinuosa, onde é necessária sempre melhor resposta do motor. Tanto nas acelerações, quanto nas retomadas, o conjunto do Novo Civic Sport se mostrou bem adequado para a proposta.

novo-honda-civic-sport-2017-impressões-NA-41 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

O câmbio com engates curtos, justos e precisos é muito bom e tem relações bem otimizadas para o 2.0. Se fosse o motor 1.5 Turbo do Touring, o casamento com a transmissão faria verdadeiramente jus ao nome Sport. A alavanca é pequena e elevada, por conta do console alto.

Durante a condução, notamos que o ideal no Novo Civic Sport é usar mais o pulso para as mudanças de marcha, já que o braço fica bem mais apoiado sobre o revestimento de tecido do túnel entre os bancos. A posição de dirigir deixa o condutor em uma posição relaxada e até esportiva, se fizer os ajustes necessários no assento e direção.

Elogiado desde as versões EXL e Touring, já testadas em evento pelo NA, o bom handling do Novo Civic 2017 se repetiu nesta versão Sport, permitindo contornar curvas com excelente estabilidade e controle dinâmico, não deixando a traseira escapar e mantendo-se bem neutro de forma geral.

novo-honda-civic-sport-2017-impressões-NA-62 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

O ajuste de direção, suspensão e freios (tecnologia AHA que permite aplicação de frenagem nas rodas internas), o Novo Civic Sport comporta-se muito bem, inclusive em termos de ruído e filtragem de vibrações oriundas do asfalto ou de pisos com outros tipos de pavimentos. Os coxins dos subframes dianteiro e traseiro são hidráulicos, por exemplo.

Rodando a 110 km/h, o ponteiro marca 2.500 rpm, o que se traduz e conforto a bordo, além de economia. Pesando 1.275 kg, o Novo Civic Sport manual faz 10,2 km/litro na cidade e 13,4 km/litro na estrada, quando abastecido com gasolina, de acordo com o Inmetro. Com etanol, os números são de 7,1/9,3 km/litro, respectivamente.

Andamos também no Novo Civic Sport com câmbio CVT, que reproduziu as mesmas condições da experimentação da versão EXL, que também compartilha o motor 2.0 Flex. Esta opção garante mais conforto e consumo melhor na cidade, tanto com gasolina quanto com etanol: 10,6/7,2 km/litro, respectivamente.

novo-honda-civic-sport-2017-impressões-NA-19 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

 

No geral, o Novo Civic Sport com transmissão manual agradou pela boa dirigibilidade, além de oferecer muito conforto e espaço a bordo, especialmente para quem vai atrás. Uma pena não ter multimídia, assim como acabamento em couro preto. Já a versão CVT foca mais no conforto, apresentando igualmente um bom resultado.

O conjunto tem bom nível de equipamentos e, acima de tudo, tem um belo visual na pintura Preto Cristal (perolizada). A Honda ainda oferece as cores Branco Estelar (perolizada), Branco Tafetá (sólida), Prata Platinum (metálica).

honda-civic-73 Novo Civic Sport tem bom desempenho e apelo visual

Honda Civic – História

Próximo de alcançar 20 milhões de unidades vendidas, o Honda Civic chega à décima geração. O sedã médio da marca japonesa surgiu em 11 de julho de 1972, tendo como destaque a carroceria hatchback, que quatro anos depois, teriam uma variante alongada e batizada de Accord, dando assim origem a outro best seller da marca.

De lá para cá, o Honda Civic ganhou gerações em 1979, 1983 (que chegou a ser especulada para o Brasil ainda na era de regime fechado), 1987, 1991 (geração que fez sucesso por aqui e chegou importada), 1995 (geração que passou a ser fabricada no Brasil), 2000, 2005 (geração do famoso New Civic), 2011 e 2015, a atual décima geração.

Novo Civic Sport 2017 Manual – Ficha Técnica

Motor/Transmissão

Número de cilindros – 4 em linha Flex
Cilindrada – 1997 cm³
Potência – 150/155 cv a 6.300 rpm (gasolina/etanol)
Torque – 19,3/19,5 kgfm a 4.700/4.800 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão – Manual de seis marchas

Desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h – 10,9 segundos (etanol)
Velocidade máxima – 190 km/h (etanol)
Rotação a 110 km/h – 2.500 rpm
Consumo urbano – 7,1 km/litro (etanol) – 10,2 km/litro (gasolina)
Consumo rodoviário – 9,3 km/litro (etanol) – 13,4 km/litro (gasolina)

Suspensão/Direção

Dianteira – McPherson/Traseira – Multilink
Elétrica

Freios

Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus

Liga leve aro 17 com pneus 215/50 R17

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 4.637 mm
Largura – 2.076 mm (com retrovisores)
Altura – 1.433 mm
Entre eixos – 2.700 mm
Peso em ordem de marcha – 1.275 kg
Tanque – 56 litros
Porta-malas – 525 litros
Preço: R$ 87.900

Novo Civic Sport 2017 – Galeria de fotos:

  • André M

    Por esse preço, tinha que ser automático.

    • Fanjos

      Faltou os números 2.0 em vermelho em letras garrafais tipo outdoor

      • Gabriel

        O 2.0 do Civic 9 é engraçado o quanto tenta passar a ideia de “UAU 2.0 BITCHES DOIS PONTO ZERO!!”

        • Fanjos

          Kkkkkkk dessa eu ri

          Tipo 2 PONTO F. U. C. K ZEROOOOO BITCH

          KKKKKKKKK

          • fschulz84

            Twooooo f…cking ZEROOOO m0f0!

      • É… e faltou também o “líndio” adesivo “flexone” que parece ter saído dos carros dos anos 80. A dupla formada pelo 2.0 vermelho e o “flexone” é imbatível em termos de mal gosto em adesivos de carros. Juntando com aqueles prolongamentos em faixas horizontais das lanternas refletivos instalados na tampa do porta-malas, formavam um conjunto traseiro devidamente destruído por simples detalhes que a Honda nunca quis resolver na geração 9.

      • Jáder Bezerra

        Por falar em emblemas, a tampa do cruze ficou ridícula com os emblemas…poluição total! Prestem atenção e percebam!

    • Yuri Lima

      A proposta é “Sport”. Foi acertada a decisão da Honda em ofertar pelo menos o cambio manual e o automatico como opcional.
      O problema é que o carro é muito caro em qualquer versão.

    • dallebu

      Pelo menos tem um acabamento ótimo, com materiais emborrachados no painel e nas portas, montagem precisa e materiais de bom gosto.
      Segunda-feira fui ver o Cruze novo, e fiquei de boca aberta de ver a baixa qualidade do acabamento interno, com folga entre o painel e o console central, gaps enormes no apoio de braço no forro da porta, assim como na moldura cromada que contorna os comandos dos vidros, entre outras coisas, falhas grotescas de montagem pra um carro de quase 100.000 Reais, sem contar o mau gosto (minha opinião) da combinação da cor bege, com elementos pintados de bege brilhante e perfis cromados estranhos.

      • Lucas de Lucca

        Concordo com você. Também achei o Cruze bem porco no acabamento. Fora aqueles tons bege de gosto bem duvidoso. Mas, apesar disso, entre ele e o Civic, pelo custo x benefício, eu ficaria com o Cruze.

        • Serkot

          Ja eu fui conhecer hoje e achei o acabamento desse New Civic bem pior que os outros 2 civics anteriores…
          E olha que entrei no de 125k!!!

          • Lucas de Lucca

            Você não é o primeiro que vejo falando isso. Pelo visto realmente a Honda deslizou.

      • predadordemarea .

        Fui ver o novo Civic e também fiquei pasmado com o acabamento porco da solda nas colunas e outros pontos do carro.
        E olha que era um Civic 1.5T.
        Absurdo.

        • cepereira2006

          Como vai o seu Cruze? Faz um balanço.

          • predadordemarea .

            Pontos positivos até agora com 3 mil km rodados.
            1) Desempenho, esse carro arranca e retoma com muita força.
            2) Consumo, bem melhor em relação ao Cruze anterior.
            3) Silêncio a bordo,mesmo acelerando forte o carro é silencioso.
            4) Bom espaço interno
            5) conforto
            Pontos negativos
            1) Material do painel poderia ser macio ao toque.
            2) Encaixe de algumas peças no painel poderia ser melhor.
            O pessoa da GM me ligou perguntando o que eu não gostei no carro e eu disse essas duas coisas.
            Para quem gosta, o carro e muito macio, eu já não gosto muito de carro macio e preferia o acerto da suspensão mais durinha do Cruze anterior.
            No geral, estou gostando muito do carro.

      • Daniel

        O mais cômico é o video comercial da chevrolet, que rola na internet, comparando o cruze com a mercedes c180… quando vi comecei a rir sozinho.

        • GPE

          A intenção ali é comparar somente o desempenho e algum item q ele tem q um carro que custa 50% a mais nao tem, tudo com o foco de dizer “olha, custo menos e tenho alguns equipamentos exclusivos”, mas nunca com o intuito de se achar melhor que um Classe C

          • beto

            A intenção é justamente essa. Ainda falta muita maturidade ao brasileiro para saber interpretar o que se vê.

          • Alfredo Araujo

            Falou tudo…
            10… nota 10 !!! …. em interpretação… rs

  • Compro Vidro de Perfume Vaziou

    Só faltou os adesivos em vermelho pra realmente ser um Esportivo no Brasil, tem que aprender com a Fiat Honda

    • Matthew

      E os cintos de segurança vermelhos também pra fazer o contraste com o interior preto hahahahahahaha Mais cafona impossível

  • Danilo

    O que vai vender de grade cromada no mercado paralelo, não está no gibi. Kkkkk. Pra quem tem $ pra investir, é só comprar um contêiner delas é dobrar $. Kkkk

    • Fanjos

      A preta é bem mais bonita que aquele bigodão de tiozinho

      • Louis

        Realmente este Civic todo preto ficou muito invocado. E outra cor que ficaria muito bonita neste Sport seria um vermelho (que não sei se é disponível no Civic).

        • Fanjos

          Se o preço dele tivesse o motor turbo, com esse câmbio mecânico eu faria um esforço para comprar.
          E como vc falou, de preferência vermelho, é a minha cor favorita xD

          Meu Cruze é vermelho s2

          • everton nogueira

            Fanjos sempre acompanho seus comentários (com sarcasmo mas coerentes) mas gostaria de saber sua opinião sobre o seu cruze, pois também tenho um e queria muito que vc desse um breve relato do seu carro em si. Vejo muitas pessoas que criticam o cruze da geração anterior. Vc poderia falar do seu convívio com o carro?

            • Fanjos

              Meu Cruze que alias em breve não sera mais meu, vendi para um amigo e em breve vou entregar-lo.

              Nesses e anos que passei com ele não tenho nenhuma reclamação, ou algo grave a acrescentar e nem elogios rasgados para fazer.

              Uma palavra para descrever o Cruze é honestidade. Foi um carro que não me deu nenhuma dor de cabeça,claro que teve umas coisinhas, como algumas partes plasticas que quebraram, na parte do bancos, e o quebra sol direito (muito devido minha mulher abaixa-lo o tempo todo e abrir a tampa do espelho o tempo todo -__-), sempre arrumados em garantia sem custos.

              O desempenho dele nunca foi um problema para mim que tenho a versão mecânica, com aquele cambio ele anda bem e não faz feio para nenhum “piloto de farol” que adora arrancar na frente, foi também um carro confiável, que me passava segurança e com um bom conforto, sempre me senti muito bem dentro dele.
              Eu nunca consegui fazer os números milagrosos de consumo que tantos dizem por ai, os primeiros tanques foram assustadores, chegando a fazer 3… 4 km/l, mas depois de uns mil km ele foi melhorando e hoje faz a media entre 7.5 e 8.5 na gasolina na cidade e de 12 a 13.5 na estrada, não é nenhum Prius, mas também não é nenhum absurdo, sempre na gasolina, álcool tentei uma vez para nunca mais, ficava na casa dos 4 e 5 km/l e não gostei da “aspereza” que o motor ficava com esse combustível.

              Já o atendimento da GM foi satisfatório, em uma nota de 0 a 10 eu daria um 7.5, porque a pontos a melhorar, mas sempre se esforçam para resolver qualquer problema e sempre fui bem tratado, bem diferente da VW que é medíocre nessa parte (tinha um Fox e também tenho um Up!).

              Como palavra final digo que o carro foi aprovado com louvor, supriu minhas necessidades, meu deu segurança e conforto sem dores de cabeça, tanto com o carro como o pós venda, e recomendaria tranquilamente para um amigo sem medo de perder a amizade, estou passado o carro para meu amigo e tenho certeza que ele ficará muito satisfeito como eu fiquei todo esse tempo

              • everton nogueira

                Olha, tudo que vc relatou aconteceu comigo, sem dúvidas é um carro muito honesto, estou com meu desde zero (90 mil km) com todas as manutenções em dia e afirmo o que vc acabou de relatar, não é um supra sumo, mas para mim não deve em nada para os seus concorrentes de outrora ditos inquebráveis. Um carro compatível com seu preço na época. Pretendo ficar com o meu mais um ano exatamente, pois quero pegar o novo, mas quero ver a reação do mercado em relação ao mesmo. Obrigado por responder e um abraço.

        • what_the_hell??

          Tb achei bacana essa versão “Darth Vader” do civic!
          Infelizmente, a “força” mesmo está apenas com o Touring!

          • Louis

            Mas para mim, esse 2.0 já atenderia muito bem. Está longe de ser fraco.

      • Danilo

        Também acho, mas o brasileiro tem mania de querer levar vantagem em tudo, daí compra um carro mais barato e faz alterações pra parecer o topo de linha. Kkkkk

  • Mauro Schramm

    Nem tão bom desempenho. A revista QR conseguiu 1,2 segundos a menos no 0-100 Km/h com um Corolla 1.8 MT.

    http://quatrorodas.abril.com.br/materia/toyota-corolla-gli-1-8-783149

  • zekinha71

    Podiam ter tirado fotos das soldas das portas, pra ver se melhoraram ou se continua sendo feitas de qualquer jeito.

    • Fanjos

      Resposta na sua pergunta

      “continua sendo feitas de qualquer jeito.”

      • what_the_hell??

        kkkkkkkkkkk

  • Daniel

    Achei meio estranho não poder ter bancos em couro por conta do airbag lateral… pq então não oferece isso como item de série? Acredito que num carro que parte desse valor, bancos em couro é um item meio que obrigatório. Mudando de assunto, já vi alguns civics dessa nova geração nas ruas e não achei bonito, mas gosto é algo subjetivo… acredito que a maioria vai achar bonito.

    • Gabriel

      Vi um Touring a noite esses dias e achei o visual bem “futurista”, acaba chamando bastante atenção (o que pra mim não é exatamente uma qualidade rs).

      • everton nogueira

        Moro no Rio de Janeiro e ainda não vi um sequer na rua, e olha que dirijo todo santo dia. Acho que para eu ver um terei que ir numa concessionária mesmo.

  • Chen

    Se a Honda fosse inteligente,venderia o carro por um valor menor,e assim seria o lider da categoria em poucos meses.Na estrategia atual,apenas no final de 2017.

    • Hendel Marques

      Pois eu penso o contrario. Eles estão no limite da capacidade produtiva e tem fila de espera. Eu aumentava o preço a cada dois meses e assim aumentaria o meu lucro! Tem quem compre!!!

  • Gabriel

    Me parece que essa versão serve mais pra poder usar o famoso “Novo Civic disponível a partir de…” do que qualquer pretensão esportiva, ainda que de visual. Mas pelo jeito ta virando tendência lançar versões mais simples e dar o nome de Sport.

    • dallebu

      Depende, se fosse pra mim eu não cogitaria comprar um Civic 10 que não fosse o Sport Manual… CVT só em outra vida

    • Matthew

      Eu achei a saída encontrada legal. Ao invés de vender uma versão de entrada depenada como a do Corolla GLi, fizeram essa de proposta mais esportiva e jovial. Agrega valor ao produto no sentido de não parecer apenas uma versão de entrada como você diz. Eu particularmente não gosto do interior todo preto, o ambiente fica muito pesado e o ar condicionado tem que trabalhar mais pra baixar a temperatura.

  • rogeriuslima

    Sinceramente não gostei, muito caro pra um carro manual e com desempenho moderado (esse tempo de 0 a 100 tá acima da média dos concorrentes 2.0).
    Pontos positivos: 6 airbags, controle de estabilidade e camera de ré.

  • Jeremias Flores

    o visual me agradou, e achei uma saída interessante da Honda vender a versão de entrada como “sport” tendo um visual com menos cromados.

    o civic ficou muito acertado a sua proposta, o problema é a versão 1.5 t

  • Yuri Lima

    “Não há opção de couro e nem pode ser instalado nos concessionários. A Honda não recomenda sua colocação por conta dos airbags laterais”.
    Em outras palavras, a Honda quer te convencer de que, se você quiser banco de couro, terá de pagar mais $$ para subir às outras versões.
    Existem hoje muitas tapeçarias automotivas que trabalham com veículos dotados de airbags laterais, inclusive dando manutenção em veículos já com couro ABLat. sem problema algum.
    A questão é a garantia do carro, que a Honda certamente vai implicar com quem quiser colocar couro.

    • Rudi S Junior

      A maior piada até hoje contada pela Honda que eu já ouvi.

      • Yuri Lima

        Pode crer, amigo!
        Um verdadeiro Migué da Honda!

  • Wolfpack

    Infelizmente a estratégia de marketing da Honda não dará certo comigo. Estou no meu segundo Civic comprado zero quilometro, a versão atual é a oitava e não vejo como migrar para um EX e EXR com câmbio CVT e mesmo motor. Não ganharia nada em troca, somente a fatura gorda para Honda. Logo, minha tendência é optar por um usado que entrega mais motor e câmbio além de sistemas como start-stop. Bola fora da Honda em lançar o motor turbo somente na versão touring. Os gênios do marketing deverão propor a adoção do mesmo motor nas versões EX e EXR, mas ai será tarde para quem já pediu o divórcio.

    • Lucas de Lucca

      Eu acho que se as vendas não forem como o esperado, as versões EX e EXR ganharão o 1.5T no próximo ano-modelo, e claro, com um aumento de uns 5 mil reais pro Fanjos ficar feliz.

      • Ernesto

        Mas se aumentar esses 5 mil que você fala, será que as vendas não empacarão?

        • Lucas de Lucca

          Acredito que nem tanto. Honda sempre foi mais caro e vendeu bem, e temos que levar em conta que os concorrentes também irão “valorizar” nesse meio tempo. O ideal era manter os preços e só atualizar a motorização, mas sabemos que isso é praticamente impossível.

  • Convenhamos que o pacote de equipamentos pelo Honda é superior ao do Corolla. Os dois são bem caros quando avaliados conteúdo x preço.

  • Bruno Silva

    Podem cair de pau, mas o Civic está certamente um nível acima dos concorrentes em geral. O acerto dessa geração foi tão alto que não duvido ser referencia daqui pra frente para os rivais. Pena que a Honda sabe disso e cobra caro.

    • Linkera

      Fale por você. Não sei aonde um carro com um motor 2.0 aspirado pode estar um nível acima de concorrentes que oferecem motor turbo com muito mais potencia e eficiencia energética pelo mesmo preço, tal como C4 Lounge, Jetta e Cruze
      Você está se deixando confundir pelo design, que é um gosto pessoal seu. O que realmente faz um carro ser referencia para os rivais é o conjunto do todo (motor, preço, design, custos de manutençao e, consequente, volume de vendas)

      • Bruno Silva

        Mimimi. Todo as revistas de vários lugares do mundo apontam o Civic como nova referencia da categoria. Carro não é só potência não, senão colocava motor turbo nos chineses e seriam excelentes. Faça um test drive no Civic aspirado e depois em qualquer rival aspirado e tire suas conclusões. Se quiser faça Turbo x Turbo também.

        • Linkera

          Nesses “varios lugares do mundo” eles tem o Civic 1.5T a preços justos, por isso a tal da “referencia” que você menciona. Na contramão da evolução, nós temos um motor defasado para a categoria e só temos o motor turbo na versão top de linha, que ultrapassa os preços praticados pela categoria.
          E se você reparar no meu comentário anterior, verás que eu não me referi ao turbo apenas como potência, mas também como eficiencia energética. O turbo é tendencia no mundo todo e aqui inclusive, se a Honda decidiu ficar de fora com o Civic 10 [pq oferecer só na versão top é sim ficar de fora], esta foi uma estratégia dela, agora falar que o carro é referencia na categoria só porque tem um design diferenciado, ai já não da.

          • Ernesto

            C4 Lounge tem um belo motor turbo, mas o carro em si, plataforma antiga, carro pesado…não tem como falar que é melhor que esse Civic.

            • Linkera

              Se comparar por preço, ainda acho que o C4 se sobressai, mesmo a plataforma não sendo tão nova quanto a da Civic, na hora de por custo x beneficio na ponta do lápis o motor turbo acaba fazendo sim a diferença. Eu tenho carro 2.0 aspirado e sei o quanto é sofrível para o bolso em questão de consumo e o desempenho fica bem aquém de um subdimensionado turbo.
              Mas o que vai pesar no final é sempre o gosto pessoal, nisso a Honda pode se valer de sua boa fama no nosso mercado, o que acho lastimável pois se o consumidor fosse um pouco mais perspicaz nós teríamos melhores ofertas no nosso mercado, mas o Corolla figurando sempre no top trending mostra que o brasileiro tem uma exigência baixíssima quando o assunto é tecnologia (tecnologia de verdade, que resulte em maior segurança, maior eficiencia energética, e não uma central multimidia high-tech).

          • Wolfpack

            Exatamente, por isso eu que sou fã do Civic estou abrndo mão de continuar na linha Honda. Exageraram na mão quando foram colocar a etiqueta de preço e entregaram um conjunto mecânico pior que o atual, pois o CVT não empolga ninguém. Qem pegar a chumbada do motor aspirado 2.0 e CVT irá lamentar quando a Honda adotar o 1.5 turbo em toda linha. Mico!

        • kravmaga

          Faça você o teste do Jetta 2.0 TSI depois do Civic (mesmo o touring) e me diga depois quem ainda é referência de esportividade em sedãs médios não premium.

          • Edson Fernandes

            Mas aí ele vai te dizer que o todo iluminado Civic tem mais itens de série…

            Ou seja… isso vale para o Honda quando é para dizer sobre o mesmo (que já sabemos que é um bom produto) mas isso vai se inverter nessa situação.

            • Matthew

              Pessoal, vamos lá! Em qualquer mercado isso acontece. Estive pesquisando smartphones esses tempos pra trocar o meu e é igual ou pior que o setor automotivo. Sempre vai ter o modelo xing-ling ou de uma marca menos prestigiada muito mais possante que o modelo de uma marca tradicional pelo mesmo preço. Enquanto o Motorola G4 Play é Quad-Core, o Lenovo Vibe K5 é Octa-Core, assim como a sua câmera traseira tem 13 MP enquanto a do concorrente tem apenas 8. Mas no frigir dos ovos o Motorola é um aparelho mais acertado e transmite muito mais confiabilidade, apesar de serem a mesma empresa hoje. Carros é a mesma coisa. Citroen sempre vai trazer umas firulas a mais e motor turbo pelo mesmo preço de um Civic intermediário. Mas leva pau em pós-vendas, confiabilidade, problemas crônicos, dirigibilidade, etc, etc

              • Edson Fernandes

                Cara vc falou para a pessoa errada.

                Porque com a Citroen, eu sempre tive um OTIMO atendimento. E o pós venda foi espetacular.

                Com direito a ter correções gratuitas. Então o fato de falar em generalizar, não se aplica ao meu caso que reconheço sim o bom atendimento da Honda, mas desconheço no meu meio de comunicação concessionarias Citroen que eu usaria que seria ruim também.

                Problemas cronicos? Quais? Meu C3 em 7 anos, sequer trocou peças de suspensão. Se isso é ser cronico, quero ter mais carros assim!

                Dirigibilidade? Será que todos mesmo precisam de ter um carro duro para converter em estabilidade? Me desculpe… o Civic é um otimo carro, mas está bem longe de dizer que o C4 Lounge não é um carro também muito de dirigir e a tal dirigibilidade… é outro carro voltado para conforto.

                E repare que hoje, tudo que é voltado para conforto perde o brilho, porque parece que a midia coloca carros voltados a conforto como se fosse absurdo isso. Será que todos na cidade querem e estão dispostos a ficar enfrentando a buraqueira pagando com dureza de suspensão? E já citando para mim pelo rodar… eu gosto muito do Focus que nessa atual geração ficou ligeiramente mais macio que suas versões anteriores.

                • Gabriel

                  Só como observação, dos sedãs médios disponíveis atualmente o Civic na minha opinião é o que está melhor conciliando estabilidade e conforto apesar da maioria só dar destaque ao primeiro ponto. Mesmo em ruas ruins achei bastante confortável de rodar.
                  Eu gostava muito do acerto do Focus nesse balanço mas acredito que agora foi superado.

      • Lucas de Lucca

        Detalhe, motor 2.0 aspirado que leva pau dos outros 2.0 aspirados, vide desempenho de Corolla e Focus, realmente, “um nível acima dos rivais” kkkkkkk… Enfim, os fanboys da Honda não enxergam isso, e a Honda sabe, por isso os preços nas alturas.

        • Bruno Silva

          Nível acima em handing, dirigibilidade é bem acima dos rivais. O Focus que chega mais perto com multilink tem uma péssima transmissão (problemática).

          • Linkera

            Nossa, “handling” vc forçou hein!

            • Alexandre Cheveau Paes

              O termo que ele usou esta perfeito

          • Lucas de Lucca

            O Focus é tão bom quanto esse Civic em dirigibilidade. Quanto a transmissão, concordo. O Corolla de fato não empolga nisso, é bem mais pacato, mas é bem confortável em compensação. Enfim, todos tem seus méritos, agora falar que o Civic nessas versões aspiradas está um nível acima dos demais eu não concordo. Para mim todos se equivalem. Ganham em algo, e perdem em outra coisa.

        • Leo

          Focus é superior em acerto de suspensão. Como de costume na Ford…

          • Alexandre Cheveau Paes

            Focus é bem pior, 100kg a mais, centro de gravidade alto. só assistir qualquer review feito em pista como o do Acelerados

        • Alexandre Cheveau Paes

          Só assistir o tira teima do acelerados, onde esse civic manual meteu mais de 1 segundo no focus injeção direta e mais de meio segundo no corola. Só perdeu para os Turbos que se vc comparar com o turbo da honda, meteu mais de 1,5s em cruze e nos thp

      • Lucas086

        Perfeito, o visual não gostei, meio hatch, largo, sedan tem que ter bunda, esse civic parece um notchback “acho que assim que se escreve”

      • Alexandre Cheveau Paes

        Em nenhum momento ele disse “motor”. Acerto é dirigibilidade: suspensão, centro de gravidade, rolagem, etc

    • Louis

      Concordo, toda publicação elogia demais o comportamento dinâmico e acabamento. Para mim também é referência. Para quem faz questão de desempenho, tem o 1.5. Para quem não faz tanta questão assim (eu por exemplo), pode ir de 2.0 mesmo.
      Coxins hidráulicos na suspensão é um exemplo do refinamento na qualidade construtiva.

      • Linkera

        Não é só questão de desempenho, mas de eficiência energética (consumo). Brasileiro (não me refiro a você em específico, mas o mercado em geral) tem mania de achar que turbo é potencia, quando na verdade esse não é o principal propósito destes motores subdimensionados turbo. O intuito é fazer mais com menos = eficiência.

      • Edson Fernandes

        Se for pensar assim… eu tenho um carro que não é da Honda mas que tem os tais coxins hidraulicos e é um sedan médio!

        Só uma coisa… esses coxins são caros pra kct!

        • Matthew

          Não entendi seu comentário, Edson. Qualquer carro nesse patamar tudo será muito mais caro. No caso do Civic Touring eu esperaria lançar a versão flex, não boto fé em motor de injeção direta mais a qualidade da nossa gasolina. E imagina quanto não custará o farol dianteiro Full Led desse carro, uma peça razoavelmente vulnerável. Uma manobra errada na garagem do condomínio ou na rua mesmo já vai um baita prejú. Se fôssemos por esse lógica, é melhor andar de Onix mesmo.

          • Edson Fernandes

            O que eu quis dizer é que nosso mercado é engraçado: Se encontra um novo messias, ou melhor um produto que também trás como referencia sua estabilidade, e as pessoas focam que os demais se tornam inseguros e não apenas que são menos estáveis.

            Sobre a questão da versão touring e seus itens… se a pessoa se dispos a pagar R$124900 num carro, ela estará disposta a ter uma manutenção mais salgada. Se ela se propos a ter uma modernidade, ela pagará por isso.

            Por isso que quando fiz o seguro de meu carro, inclui a franquia de farois, para não se tornar refem de peças carissimas. E do meu carro é Xenon… que custa “só” R$4100 na concessionaria (era R$3800).

            • kravmaga

              O Civic Touring usa faróis de led, que são ainda bem mais caros do que os faróis bi-xenon.

              Se quebrar um farol desses, pode custar mais do que o dobro de um de xenon.

        • Louis

          Foi um exemplo, mas podemos citar outros. Suspensão multilink, por exemplo, até o Golf foi capado, mas o Civic mantém. Vedação tripla nas portas, qual concorrente tem ?

          • Edson Fernandes

            Aí pergunto: justificam os preços cobrados? A dupla vedação é eficiente? A medição em decibeis mostram uma vantagem tão superior para essa vedação?

            Eu prefiro pensar que o conjunto e PREÇO tem que conviver juntos. Se vc quer colocar um produto como melhor, vamos colocar TUDO sendo superior. Assim se cobra um preço valido pela superioridade de projeto.

            Agora… o Civic como qualquer outro produto que tem coisas muito boas (economia de combustivel, estabilidade, entre outros detalhes), mas tem a que falta para as versões de entrada: Ar dual zone, detalhes do interior que são simplorios, um motor 2.0 que deveria responder muito melhor pelas descrições técnicas….. ou seja… tem coisas muito boas e coisas ruins a serem consideradas.

            E o preço isoladamente é um ponto contra perante alguns players do mercado em minha opinião.

    • kravmaga

      Tão superior que nem mesmo com câmbio manual consegue acelerar mais rápido do que o Corolla, que não é nenhuma referência em esportividade…

      10,9 s no 0-100 km/h, ainda por cima com álcool é um número frustrante. Tanto Focus quanto Corolla fazem abaixo de 10 s falando só dos aspirados.

      O Civic sempre teve uma boa dinâmica de condução graças à suspensão mais firme e direção mais direta mas essas versões 2.0, ainda mais no preço que estão cobrando, são bem frustrantes.

      • Edson Fernandes

        E coloque um detalhe importante: O Focus com o seu cambio dito problematico e lerdo, faz em numero menor. Já pensou se o cambio então fosse mais decidido e rapido nas trocas?

        EDIT: E é aí que impressiono que criticam carros 2.0 “lerdos” por andar menos que o Civic. O meu por exemplo faz essa mesma “prova” em 0,6 acima.

        • Lucas de Lucca

          As trocas do Powershift pra cima são bem boas eu acho, claro que não chega aos pés de um DSG mas são melhores que um AT6 convencional. O problema maior do PS que eu acho é a burrice dele em algumas situações, que fazem ele ser desconfortável com alguns solavancos até e outro ponto crítico são as reduções extremamente lerdas, o câmbio pensa horrores pra por a marcha e soltar o carro. Palavra de quem convive com um PS todo santo dia hahaha
          Mas realmente, o Focus 2.0 com um câmbio MT6 ou algo próximo de um DSG ficaria bem interessante, mesmo tendo um motor não tão eficiente quanto um TSI, EcoBoost ou THP Prince da vida.

          • Edson Fernandes

            Interessante. Eu não tenho essa convivencia mas percebo o quanto o CVT nessas situações é responsivo. Ele é ruim de arranque (até pq o travamento do conversor só acontece acmia de 30km/h) mas muito eficiente em retomadas.

            Entretanto, o cambio do Focus oferta economia de combustivel porque nao rouba potencia do motor… e sem contar o rodar exemplar dele. Pena que pra mim considero ele pequeno por dentro… um dos pontos contra.

            Penso que o motor do Focus é interessante e o carro não desaponta qdo se fala de extração máxima de potencia. E isso é um ponto muito elogiado. Pena que existam detalhes que precisam ser ajustados (penso eu que poderiam deixar o ajuste do cambio para uma resposta mais rapida).

    • Lucas086

      Não vi nada demais, andei nessa sport e na Exl e digo, se o Cruze melhorar um pouquinho o acabamento, passa o Civic. Comparo o Civic a mesma coisa que dizem do hb20, que é o melhor popular, só se for em preço, pq só andar que não verás nada demais que justifique o preço.

    • Rudi S Junior

      Realmente vão cair de pau em cima de vc. Comentário sem noção.

  • Luciano Assunção

    Para um carro com apelo esportivo e com pretensões de atender a um público mais jovem deveria ter o teto-solar como opcional mesmo que alguns não gostem.

  • Iuri Farias

    Cruze LTZ mandou um abraço

    • Lucas086

      O LT já manda um abraço e um bjo

  • Alexandre Maciel

    Por 88 a 95, definitivamente ela não está mirando quem sai de Fit e City (fit com bunda). E digo isso porque as versões top de linha de Fit e City não são as mais procuradas. E ainda que fossem, por exemplo, o Fit EXL, automático, custa absurdos 79 mil reais, quase 20 mil a menos do que o Civic Sport AT.

    Então, honestamente, esse é o tipo de argumento que não convence nem a um fiel consumidor da Honda. De forma alguma!

    • Matthew

      Concordo! Não sei da onde os caras tiram essas ideias. Meu tio teve dois Honda Fit da geração dois, um 2010 e outro 2012, se não me engano, pagando no máximo uns 54 mil por eles. Quando foi comprar o terceiro não aguentou o aumentou da terceira geração e partiu pra um HB20S kkkkkkkkk

  • Lucas de Lucca

    Um carro levar praticamente 11s pra acelerar de 0 a 100 km/h com câmbio manual (!!) definitivamente não pode ser chamado de Sport. Piada pronta isso. Parece que a Honda aprendeu mais um truque para zombar do brasileiro (só faltou uns colantes vermelhos ‘SPORT’ a lá FIAT), além dos seus preços ridículos. Pior que há quem compra e bate palmas ainda, afinal aquele H na grade frontal faz toda diferença.

  • raphaela1

    Considerações das fotos:
    – Pelo jeito a foto foi tirada de um Celular, o que no caso tinha que ser no mínimo uma DSLR, ainda mais com as luzes estouradas nas fotos
    – O cenário interiorzão no fundo não tem nada a ver com o estilo esportivo do carro

    Abs

    • Edson Fernandes

      É porque essa versão não é de fato esportiva. Essa alusão ao “sport” é relacionado aos detalhes do carro serem sem cromados.

  • Pedro M.

    Infelizmente vai corresponder a 1% do mix de vendas. Será que só um 1% dos compradores gostam câmbio manual?? Sei lá ein

    • cepereira2006

      Se bobear até encalha.

      • Fanjos

        Tomara, aí é só me vender por 78k que eu compro xD

        • Victor Porto

          Comprei por 78k meu 9a geração EXR (intermediário), agora em agosto.. essa geração subiu demaaais o preço

  • Fábio A.

    Tira uns R$ 15 mil no valor de cada versão que talvez o preço fique justo. Estou no segundo Civic, mas com essa política de preços da Honda, dificilmente terei o terceiro.

  • Charlis

    Desculpe o palavrão, logo iniciando meu comentário.
    Mas que M****** que é ser fan de um carro, numa época maldita do nosso país, e somando o desespero por lucros da japonesa.
    Poutz… eu tive Civic desde 2003 (2003, 2006, 2014), todos cuidei absurdamente bem, e fui muito feliz com todos eles.
    Sempre pagamos preços justos.
    O primeiro em 2003, jamais era pra ter sido um Civic, mas na época, ainda da casa dos 40 mil, conseguimos um preço abaixo de Astra, Vectra, Golf, Stilo, entre várias outros da época.
    E ai, o bichinho dos japoneses, a famosa e maldita confiabilidade fez sentido.
    Compramos o 2006 (New Civic, manual, ainda a gasolina) por 62 mil reais.
    E 7 anos depois, compramos o 2014 pelos menos 62 mil reais, ambos os mais básicos, e manuais.
    Mas ainda neste 2014, o preço estava muito dentro dos padrões, um excelente custo beneficio.

    Infelizmente, já percebi que este Civic X iria entrar com um preço surreal, tive que mudar de marca e de estrategia, entrar no mercado dos seminovos.

    Acompanhei o lançamento deste Civic desde o video oficial nos Estados Unidos, por streamming, fiquei apaixonado.
    Acompanhei todos os posts do forum civic x.
    Quando fui pros US, a primeira coisa que eu quis ver foi este Civic, e me apaixonei ao vivo novamente, rs…

    Mas ai, a Honda me lança esse carro, por quase 90 mil reais, a versão de entrada.
    Com um motor sem evolução alguma (ao menos nos US ele tem injeção direta), com várias soldas mal feitas, inexistente nos modelos antigos, com essa multimidia safada, que até os populares estão na frente.
    É muito ruim para um fan acompanhar isso.

    Se essa versão custasse 10 mil reais a menos no mínimo, era de se pensar, ou se ao menos, viesse com menos economia.
    Mas, a Honda perdeu um cliente de 13 anos.

  • Cleidson

    Todos os civic tem ESP. Abraços!

    • GPE

      Além de 6 airbags

    • Alfredo Araujo

      O que adianta ter ESP e 6 air bags e não ter bancos em couro ?
      A segurança que o couro proporciona é muito superior !!!

  • Edson Fernandes

    Pra mim é curioso ler donos atuais de Civic que trocaram por outro civic 0km, dizerem abrir mão desse novo modelo.

    Parece que realmente a Honda salgou a mão. E de fato devo dizer que ela poderia ter feito uma escala de crescimento em conteudo que pudesse não assustar dessa forma o publico. Acredito que se viesse Civic novo a R$80000 porém mais capado de itnes de serie, venderia mais que ele considerando os itens agregados desde a versão de entrada.

    Pelo menos eu sinceramente por questão de preço desconsideraria. Mas eu sou o tipo de pessoa que me atraio aos carros ditos “micos de mercado” ou que “todo mundo indica mas ninguem compra” porque são esses que agregam os itens que me trzem prazer. Em especifico e principal: Conforto.

    Essa coisa que todo carro principalmente médio precisa passar esportividade e estabilidade absurda acima de tudo, me faz questionar QUEM espera toda essa estabilidade? E a que custo?

    Sinceramente, é bem dificil dizer que hoje há sedans principalmente os médios que tenham dirigibilidade ruim ou, que sejam instaveis. Uns mais confortaveis e macios (meu gosto) e outros duros e voltado para essa tal esportividade. O que eu percebo é que a migração para carros confortaveis é maior que aqueles ditos esportivos. Isso é bom para dizer sobre um limite e segurança, mas isso não tira que os demais também possam ser seguros.

    Por fim eu com certeza preciso andar para tirar minhas conclusões, mas a dizer do valor, me faz eu me afastar dele.

    • Leo

      Edson, acredito que os conceitos de “esportividade” e “estabilidade” no segmento dos médios seja mais importante para os hatches do que para os sedans, porque os poucos consumidores que ainda não fugiram para os SUVs permaneceram com Focus, Golf, Cruze Sport6, 308 etc, justamente pelo prazer de dirigir. Eu sou um desses e pretendo ter outro hatch médio. No caso do Civic há o agravante de que a Honda não possui um hatch na categoria à venda no Brasil; daí o sedan com jeitão de “notchback” acaba ocupando os dois nichos.

      • Edson Fernandes

        E eu concordo. O hatch médio pode te dar prazer, mais espaço, certa esportividade e mais qualidade de rodagem.

        O que me chateia é que ultimamente vejo uma batalha para ver qual carro é mais “esportivo” sendo que não necessariamente quando alguem procura um produto para sua compra, quer só esportividade acima de tudo.

        Prazer pode ser feito de diversas formas. Eu não reclamaria de um hatch pedindo para ser mais mole ainda que considere o Focus disparado o melhor hatch de rodagem, sendo o Golf referencia nos demais itens e mesmo no eixo de torção o Golf também é muito bom.

  • marcgtsr

    Qual anda mais, esse ou o golf 1.0?

    • kravmaga

      Golf 1.0 TSI acelera um pouco mais e bebe bem menos. Mas deve ter velocidade final um pouco menor por ter menos potência.

      O problema dos motores aspirados da Honda é ter pouco torque e só render melhor em altas rotações.

    • Lucas de Lucca

      De final, o Civic provavelmente leva, afinal, mesmo sendo turbinado e injeção direta não há milagres, continua sendo um 1 litro. Mas no uso convencional o Golf será mais agradável e o melhor bebendo menos.

  • Wolfpack

    Acredito que a ficha já caiu na Honda. A versão que eles colocaram nas propagandas de revistas é o 2.0 CVT, e não a touring, Logo já sacaram que o negócio é desovar os aspirados. Um marketing errado destroi um produto. Enquanto eles discutem isso o Cruze e logo logo Corolla e os demais se armam pra enfrentaram e aprenderão com os erros da Honda.

    • kravmaga

      Se a Toyota finalmente colocar o controle de estabilidade em todas as versões do Corolla, a Honda vai ter sérias dificuldades para venderem os Civic aspirados por esse preço.

      Aí ela vai ser obrigada a colocar o motor 1.5 turbo nas versões intermediárias pelo menos. Por isso que eu digo para não se apavorarem para comprar nem Civic e nem Corolla enquanto eles não fizerem o que eu falei acima.

      • Lucas de Lucca

        Se sem já vende horrores, imagine com. Realmente a Honda está viajando.

  • ‘Eduardo Oliveira

    Sport com o motor 2.0, aí fica ruim, Honda. Achava que ele era o 1.5 turbo.

  • Audi A3 e seja feliz.

  • Alvaro Guatura

    Que máquina linda

  • Douglas

    Parabéns à Honda por oferecer câmbio manual em um segmento que o está matando.

  • Fernando

    bela propaganda. deu ate vontade de comprar. sqn

  • Igor

    Sempre me pergunto: quão mais caro é o motor 1.5 turbo em relação ao 2.0 para a Honda não adota-lo em todas as versões? Será que uma produção em maior escala não baixaria o custo? O preço do Civic é a maior crítica. A Honda poddia calar a boca de todos disponibilizando o motor turbo para todas as versões e o cliente só optaria pelos modelo de acordo com os itens de série desejados.

    • kravmaga

      O problema é que a Honda e a Toyota sabem de sua imagem perante os consumidores brasileiros e ficam fazendo os lançamentos como se estivessem jogando cartas. Só usam algum trunfo quando precisam.

      A Toyota só vai colocar agora ESP no Corolla por causa do novo Civic e a Honda só deve colocar mais versões com motor turbo na hora em que começar a perder muitas vendas para o Corolla por causa da oferta do ESP, a principal desvantage do Corolla em relação ao Civic.

      Bobo é o consumidor que fica comprando só o que a Toyota e Honda ditam por causa de lealdade boba a marcas.

  • Raul Pereira

    Não duvido que o carro deve ser ótimo, mas que a Honda faz no Brasil é falta de respeito. Primeiro pelo preço exorbitante e fora do praticado (que já é absurdo), segundo por só colocar Android Auto e Car Play na versão Touring, sendo que meu carro, que é compacto, já tem isso por um preço muito mais baixo, é um conforto básico hoje em dia que eles ficam regulando sem motivo nenhum. Pior é cobrar 95 conto em um carro sem faróis de LED. Fora as taxas de financiamento do banco deles, que todo vendedor diz serem as ‘mais em conta’, bem mais caras do que qualquer outra concessionária.

  • Paulo De Bellis

    Pelo amor da decência….fazer um carro destes com 150 cv de potência e chamar de “sport” é demais para minha cabeça, aliás este invento foi feito por cabeças de bagre…..só no Brasil que esta porcaria é aceita como sport. Motor ultrapassado, fraco e beberrão, afora o peso da carroça….putz tenham dó…..qualquer motor volkswagen bem chipado dá isto de potència……é surreal, tanta ignorância…..

  • Vendo pessoalmente, eu achei o interior dessa versão Sport (de entrada) bem vagabundo. Esses tecidos, com essa “multimídia” vagabunda, não passam requinte nenhum. Pelas fotos ainda parece que enganam um pouco.

  • Rudi S Junior

    Tentando procurar na publicação o que torna este carro SPORT, pois o desempenho não é.

  • Leo

    Tento gostar da traseira, mas não consigo. De resto, concordo com você.

  • syfus

    bonito, mas ordinário… Preço inviável pro povao, mas vai ter nego em 60x parcelando ai rs

  • Wolfpack

    Sou do o um Civic 2 ponto 0 flex1, e pergunto porque trocaria o atual por um 2.0 com CVT? Justifica pagar mais 40.000 temers pela casca, mais ESP e mais dois airbags? Os caras da Honda exageraram desta vez. Em menos de um ano teremos o motor 1.5 turbo nas versões EX e EXR, podem acreditar. O marketing da Honda está entregando seus clientes pra concorrência.

  • beto

    Seria uma boa opção, mas existe o Cruze.

  • Hiboria

    Olha, acho que a honda está pisando na bola, está se achando marca de luxo.
    Estava verificando os números do novo Civic 2.0, seu 0-100 km/h está em 10.9s, o Corolla faz em 9,6s, a máxima também é maior.
    Muita casaca e badulaques “tecnológicos” para um preço exorbitante. Para se ter uma ideia o Corolla 1.8 faz 0 a 100 Km/h em 11s.
    O que realmente sinto vantagem são os controles de estabilidade e aceleração, que deveriam ser de série para qualquer médio.
    Porém não justifica os mais de 20 MIL reais de diferença de preço!

  • José Caio

    Ao vivo é muito mais bonito. Parece que ficou mais encorpado, amei as linhas aos olhos, mas em fotos é meio esquisitão.

  • Vinicius

    Alguém comprou está versão em 2017? Como está a negociação?

    • Alexandre Cheveau Paes

      Fui na css aqui em sp ver o que tinha no pátio para garimpar descontos, não tinha nada! tudo vendido….
      fila de espera para qualquer civic

      • Vinicius

        É Alexandre, acho que não vou de Civic(pela terceira vez). Vou esperar final de ano e talvez até pegar um Jetta 1.4t por uns R$80.000, ou um Elantra.

        • Alexandre Cheveau Paes

          Andei no Elantra usado e não gostei, painel todo batendo cheio de grilo. Me deixou a impressão que é bonito mas com o tempo não tem qualidade. O Jetta tbm me interesso, o que mata é o pósvenda da VW. Ja tive um Voyage zero e foi de chorar

      • Vinicius

        Vc que é de SP, já deu uma olhada naqueles anúncios de civic a 82k, 83k? De revendedores autorizados?

        • Alexandre Cheveau Paes

          Mandei msg para 2 desses anúncios, nenhum respondeu…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend