_Destaque Esportivos Europa Hatches Honda

Novo Civic Type S pode chegar a 200 cv no Reino Unido

novo-civic-hatch-2017-oficial-1

O Novo Civic Hatch 2017 já começou a despontar no horizonte dos mercados europeu e americano, devendo logo desembarcar também no japonês e quem sabe no chinês.

Com apenas o motor 1.5 Turbo de 174 cv confirmado até agora, o Novo Civic hatchback deve ampliar a gama com outros propulsores.

novo-civic-hatch-2017-oficial-2

O 1.0 i-VTEC Turbo é certo de fazer parte da gama de entrada na Europa, entregando em torno de 130 cv. Com potência próxima desse patamar, o diesel 1.6 i-DTEC vai garantir créditos extras de emissão para os consumidores ingleses.

Mas, rumores dizem que o hatch médio fabricado em Swindon, Reino Unido, deve estrear uma versão mais potente do motor 1.5 Turbo. A versão Type S está sendo cogitada para oferecer 200 cv ou mais para o Novo Civic.

novo-civic-hatch-2017-oficial-3

Esta opção já teria sido vista em testes no Japão, portando inclusive caixa CVT, o que deve ser oferecido no mercado europeu. Da mesma forma, o Type S poderia chegar aos EUA. Essa opção deve surgir como intermediário entre as versões comuns e a esportiva Type R.

[Fonte: Auto Express]





  • Rodrigo

    NA, faltou informar o torque desse fantástico motor 1.0 i-VTEC Turbo 3 cilindros, incríveis 20,4 kgfm.

    • Tango

      Mesmo valor do 1.0 Tsi do Golf Bluemotion e do 1.0 Evo de 125cv no overboost. Muito bom espero que venha para cá logo. O estranho é o 1.5T da Honda tet um torque tão próximo do 1.0T.

      • zebra

        Acho que a Honda, ao calibrar o torque baixo para o 1.5, deve ter pensando em priorizar o consumo, já que, mesmo com esse torque o sedan vai de 0 a 100 em pouco mais de 7 segundos, o que é excelente para um carro “familiar”.

        • Tango

          0-100 em 8 segundos é um excelente número para um familiar. Mas não é algo do outro mundo o Golf VII com 140cv fazia em 8,5. Sem dúvida existe um motivo para os valores de torque. Mas a diferença entre o 1.5 e o 1.0 é relativamente pequena. E esse 1.0 também terá como objetivo o consumo moderado já que esse é um dos objetivos do downsizing.

      • Compro Vidro de Perfume Vaziou

        1.5t chegou e pela poucas vendas graças ao preço eu não creio que a Honda tenha planos para lançar o 1.0t no BR

        • Tango

          O 1.0 deve chegar mais para o final da década.

      • Pietro_Turbo

        O 1.5T DOHC pode ter torque baixo, mas no balanço acerto do conjunto mecânico dá um banho em todos os 1.4T e 1.6T do mercado brasileiro seja em performance quanto no consumo invejável.E uma diferença que não é descrito na matéria está no VTEC.
        O 1.5T de 174 HP é apenas DOHC, enquanto o 1.5T é i-VTEC do Type-S gera bons 201 HP (204 cv) e 26,5 kgf.m de torque.

        • Thiago

          O motor B38 da BMW, 1.5 de apenas 3 cilindros tem 231cv e 32kgfm (lançado em 2013).
          O motor prince criado pela parceria BMW/MINI/PSA, 1.6 chega até 270cv e 33,65kgfm.
          O motor 1.4 da VW/AUDI com turbo e supercharger chega até 185cv e 25,5 kgfm usado no antigo A1 sport/ambition (hoje substituído por um 1.8 de 190cv).
          Os motores famosos da honda foram o B16 e o K20, ambos aspirados. A honda também anunciará um 2.0 turbo no R-TYPE, mas mais fraco que o do lancer evolution e que o MB AMG.
          Não basta apenas I-VTEC hoje em dia, já que esses motores possuem uma tecnologia mais avançada como turbina de duplo fluxo, injeção direta e indireta, duplo comando na admissão e no escape, isso sem falar no turbo de geometria variável existente no motor boxster da porsche.

          • Pietro_Turbo

            Boa explanação, mas nenhum deles estão DISPONÍVEIS NO BR.
            Leia com mais atenção pq citei explicitamente o nosso mercado.
            Potência nem sempre é sinônimo de desempenho.
            É mais válido um conjunto mecânico bem acertado do que simplesmente números que não traduzem a proposta.
            Seu descritivo te contradiz ao afirmar que não basta VTEC.
            A diferença do cabeçote dotado do VTEC está no controle do tempo de abertura de válvulas, sistema similar ao VANOS que equipa esse 1.5T de 230 HP da BMW, ou ao MIVEC do MIT Lancer EVO.
            O 2.0T da MB tem tudo que citou e seu respectivo lift eletronic control.
            O 1.4 TSI R4 foi aposentado pq embora tivesse boa cavalaria, bebia muito mais que a atual linha de motores mais modernos da VAG.
            Motores boxters são um caso a parte. Não há como colocá-los simplesmente entre os L4 Turbo-alimentados pq traz diferenciais e desvantagens que os limitam desse comparativo.
            O fato é que o Honda 1.5T + CVT ficou muito bem acertado para sua proposta, mesmo que não agrade a todos.

            • Thiago

              Talvez não tenha entendido corretamente o que você quis dizer com “mercado brasileiro”, se for apenas com relação a carros fabricados no Brasil, realmente “acho” que o civic ganha, inclusive do cruze, até pelo preço tem obrigação disso. Não vi ainda comparativo entre os dois. No consumo gosto de observar testes longos, e cito com exemplo aquela revista famosa quatro… que testou o golf 1.4 durante 60.000km e a média de consumo deu 11km/l e não 17/18km/l como muitos afirmavam e isso que na revista 75% da kilomtragem é em estradas.
              Com relação àqueles motores que eu citei, todos, com exceção apenas do prince de 270cv do 308GTI europeu, o resto é disponibilizado (ou foi, porque alguns sairam de linha) como importado no Brasil.
              O B38 1.5 BMW está disponível no I8.
              O prince mais potente no Brasil foi o MINI JCW com 211cv (substiuído pelo B48 de 231cv).
              O EVO saiu de linha e o cave foi substituído.
              Um outro motor bom não disponível no Brasil é o ecoboost 2.3 da ford de 400cv, mas ela traz apenas o 2.0 do fusion.
              Agora para quem quer gastar até 125 mil em um carro acho o civic a melhor pedida, embora o A3 seja de uma marca de luxo, acho que o custo benefício é bem ruim, porque com todos os opcionais o carro passa de 150 mil e nessa faixa de preço existem opções melhores.

        • Tango

          Não vi nada que mostre essa superioridade que você falou.

          • Pietro_Turbo

            Não saiu todos os números da versão brasileira do Civic Touring.
            Mas o primeiro quesito de consumo confirmou sua leve superioridade sobre o Cruze 1.4T.
            Nos EUA o 1.5T tem mostrado números bem melhores que o GM 1.4T tanto em termos de consumo quanto de performance.
            Se para você um motor maior aliar maior performance e melhor consumo que outros menores não significa evolução deixa para a imprensa especializada e melhor esclarecida, que tem premiado esse 1.5T em diversos mercados.

            • Tango

              Motor maior você quis dizer 100cm³ maior? Um motor não faz nada sozinho. É necessário um câmbio e o carro em si, coeficiente aerodinâmico e outras coisas. São inúmeros fatores determinam os números de um carro. Como disse não vejo nenhuma grande diferença nas características técnicas do motor do Honda acima doa outros.

        • Rmx

          Não esqueça do câmbio que alguns concorrentes possuem com 7 marchas ou mais com dupla embreagem E conseguem entregar a potência de maneira mais esportiva eficiente que um CVT.
          Motor sem um bom câmbio manual ou automático não adianta!

          • Pietro_Turbo

            É inegável reconhecer que os dupla embreagem seja sinônimo de rapidez e agilidade, mas o perfil tradicionalista busca por confiabilidade em primeiro lugar.
            Quando aparecer um dupla embreagem que consolide eficiência, consumo e confiabilidade adequados podemos dar continuidade ao assunto, porque atualmente está difícil alguém acertar a confiabilidade principalmente desses câmbios do tipo dry.

            • Rmx

              Não consigo imaginar um tradicionalista comprando uma Mercedes ou BMW ou VW / Audi que seja e reclamando que o câmbio não é CVT, por isso não é confiável e vai dar problema. E sendo assim vai na Honda comprar um Cívic !
              CVT bom de consumo! Só se for porque o carro fica tão sem graça que o feliz proprietário nem pisa pra sentir a força do motor capado.
              0 por 0 km todos têm garantia que pode chegar a uns 150.000 km ou 5 anos ! Deu problema a fábrica que troque e estude o defeito.
              Pelo menos fora do BR.

  • seichonoie

    eu queria 1 kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Codicilo

    Ainda não sei o que dizer do cupê. Essa traseira parece mesmo bastante carregada.

    Mas o sedã também gerou essa impressão quando foi apresentado, acostumando depois.

    Estou doido para por as mãos no meu sedã, by the way…

    Já o cupê provavelmente não será vendido aqui.

  • Jorge Osório Cortese Magalhães

    Merecedor de incontáveis elogios! Mas não posso ficar com isto travado na garganta, tenho que falar: que traseira horrorosa! Parece que a porta do porta-malas era de outro carro e foi enfiada ali!



Send this to friend