Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

O Novo Corolla 2020 chegou e traz muitas novidades para o mercado nacional. Mais vendido entre os sedãs médios no Brasil e com mais de 47 milhões de unidades no mundo, o modelo ficou bem mais moderno para manter sua liderança dentro e fora do país.


A Toyota de cara eliminou os antigos motores 1.8 e 2.0, assim como a caixa CVT anterior. Trouxe a plataforma TNGA com 60% mais de rigidez torcional e, de quebra, deu ao produto o que ele merecia há muitas gerações, a suspensão traseira multilink.

Com isso, o Novo Corolla 2020 realmente deixa muita coisa para trás, mas ainda está de olho no cliente padrão do produto, o que vai exigir da Toyota a destreza em manter um carro com apelo bem mais jovem para um público mais conservador. E olha que o estilo é o Prestige, exatamente para um perfil de maior idade.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Para atingir a faixa desejada, a Toyota iniciou com preço inicial bem óbvio, dada a importância do produto e também sua escalada rumo aos R$ 100 mil. Partindo de R$ 99.990, o GLi deu um salto bem maior que as demais opções, já que igualou a tecnologia das versões XEi e Altis Premium.

Isso quer dizer que ele vem também com o Dynamic Force, o propulsor que a Toyota está fazendo no Brasil. Esse 2.0 de duplo comando no cabeçote e 16V, tem dupla injeção de combustível (direta e indireta) para atuar em alta e baixa rotação. Flex, ele tem 169 cavalos na gasolina e 177 cavalos no etanol, ambos em altos 6.600 rpm.

O torque é igual para os dois: 21,4 kgfm a 4.400 rpm. Pelo menos em números, chega perto do rival Honda Civic Touring, mas como é aspirado, sabemos que a luta seria desigual para o Toyota. A vantagem desse japonês é que o motor está disponível para todos.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Além disso, a GLi e as demais versões 2.0 Flex vem com o novo câmbio Direct Shift, que é um CVT dotado de engrenagem para saídas, que funciona como uma primeira marcha, enquanto polias e correias simulam nove marchas, trabalhando assim de forma linear e suave. A Toyota diz que essa solução evita a patinagem de saída dessa transmissão.

Ainda falando da GLi, não presente na apresentação, o Novo Corolla 2020 destaca a multimídia Toyota Play com tela de 8 polegadas e os necessários sistemas Google Android Auto e Apple Car Play. Também tem um espelhamento SDL, que poucos deverão usar. Ele tem rodas de liga leve aro 16 polegadas e ar condicionado manual, quando poderia vir com o digital.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Câmera de ré, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, Isofix, sete airbags, etc, são de série. Pulando para o XEi, que a versão “best seller do best seller”, a Toyota adicionou rodas aro 17, ar digital, piloto automático, faróis de neblina em LED, botão de partida, piloto automático, retrovisor eletrocrômico e câmbio CVT com paddle shifts no volante e modo Sport. Tudo por R$ 110.990 e com algo mais, que falaremos adiante.

O Novo Corolla 2020 na versão Altis Premium ainda mantém o propulsor 2.0 Dynamic Force e o Direct Shift, tendo a mais rodas aro 17 exclusivas, faróis de LED e o Toyota Safety Sense, que utiliza radar e câmera para monitorar veículos na via para o sistema pré-colisão, alerta de faixa, controle de cruzeiro adaptativo e farol alto automático.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Os itens acima não estão no chamado pacote Premium, por isso o Hybrid tem uma versão sem eles o conteúdo abaixo, apenas na Hybrid Premium. Eles são ar dual zone, teto solar elétrico, acabamento em preto ou bege, banco do motorista elétrico, sensor de chuva, retrovisores com rebatimento elétrico, faróis full LED e lanternas em LED.

Então, o Novo Corolla Hybrid 2020 vem sem e com o pacote Premium, custando assim os mesmos R$ 124.990 do Altis Premium e R$ 130.990 completo, respectivamente. Só que ele traz algumas coisas a mais. O cluster tem tela de 7 polegadas TFT no lugar do display de 4,2 polegadas do 2.0 Flex.

Os preços ficaram abaixo do esperado por muita gente, mas ainda bem altos. O Civic Touring ainda ficou mais caro por R$ 134.990.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

O propulsor do Corolla Hybrid é o 1.8 Dual VVT-i, agora abastecido com etanol e com 101 cavalos nesse combustível. Na gasolina, mantém os 98 cavalos, ambos a 5.200 rpm. O torque é o mesmo: 14,5 kgfm a 3.600 rpm, mesma estratégia do Dynamic Force. Além disso, vem com bateria de níquel-hidreto metálico de 201,6 volts de tensão nominal.

A Toyota então revelou o que o Prius sempre teve, mas não divulgado abertamente. Seu câmbio, dito Hybrid Transaxle CVT, não é a caixa continuamente variável que utiliza correias e polias, a exemplo do Direct Shift. Ele nem tem esses dois itens, mas um conjunto de engrenagens.

Dentro dessa caixa, que simula uma variação infinita, existem dois motores elétricos, chamados MG-1 e MG-2. O primeiro aciona as engrenagens durante a condução normal. Caso haja necessidade de mais força, entra o segundo. Sim, se você pensou que estes são o tal motor elétrico de 72 cavalos e 16,6 kgfm, acertou.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Trata-se de algo bem diferente daquele visto, por exemplo, no Golf GTE, que usa somente um propulsor elétrico dentro da caixa de câmbio. Fora isso, a Toyota diz que o Inmetro não definiu uma metodologia para medir consumo de híbridos com exatidão e, por isso, testou o carro com o Instituto Mauá, obtendo a média urbana de 20,8 km/l.

Com toda essa gama, a Toyota espera vender 4.500 unidades por mês, sendo 1.000 só do Hybrid. Embora pareça uma média baixa, de janeiro a agosto, o Corolla emplacou em média 4.580 exemplares mensalmente. Então, não está tão fora da realidade.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Com garantia de 5 anos no total e de 8 anos para o sistema híbrido, o sedã pretende quer continuar sendo vantagem para quem compra. Isso ainda ficou explícito na oferta de seis revisões por R$ 2.990. Quem já estiver interessado, embora as apresentações na revendas comecem em 12 de setembro, com distribuição no dia 15, pode já configura-lo no site da Toyota.

O Corolla 2020 vem nas cores Branco Polar, Cinza Celestial, Prata Supernova, Vermelho Granada, Marrom Urban, Preto Eclipse e Branco Pérola. Com exceção da primeira cor e da última, todas custam R$ 1.950. A perolizada sai por R$ 2.250.

Primeiras impressões

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Guarujá-SP – O Novo Corolla 2020 realmente é um carro de boa apresentação. Com 4,63 m de comprimento e 2,70 m de entre eixos, ele até poderia ser um pouco mais largo que seus 1,78 m, mas essa é uma característica do modelo. Apesar das novas linhas, ele não parece realmente maior que o anterior.

A frente com frisos cromados que se fundem com os faróis puxados dão um ar agressivo ao Novo Corolla 2020, que ainda reforça essa parte com uma moldura na cor do carro no centro do conjunto, deixando a grade inferior dominar quase por completo o restante do frontal.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Grandes vincos laterais em cinza e com faróis de neblina em LED, dão uma pegada mais interessante ao Novo Corolla 2020. A carroceria é bem equilibrada e mais volumosa no habitáculo, reduzindo mais o comprimento do porta-malas. Os retrovisores grandes em dupla moldura realçam o porte do sedã.

As lanternas traseiras têm bom aspecto e estão na medida certa em suas proporções. Mesmo as que não possuem LEDs, não ficam devendo em nada. O acabamento cromado sobre a tampa também ajuda a compor o visual, cujo para-choque é bem limpo.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Ainda por fora, uma coisa chama a atenção. A versão XEi reúne um conjunto que é visualmente melhor que a topo de linha Altis. As rodas de liga leve em uma tonalidade que lembra titânio, passa o ar de maior elegância e luxo que a Altis. Os faróis com luzes diurnas triplas em LED podem ser notados de longe, diferente do full LED do mais completo.

No Novo Corolla Altis, as rodas empregam acabamento preto brilhante e diamantado, algo já bem conhecido no mercado, mesmo com desenho elegante e atraente. Não surpreende. No final, até o carro principal para vídeos e entrevistas no evento era um XEi e não o Altis Premium.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Por dentro, o Novo Corolla 2020 traz um ambiente que não agrada a todos, conforme já notamos nos comentários, mas é o que tem para hoje. O cluster é bem pequeno e basicamente tem mostradores analógicos para velocímetro, nível de combustível, temperatura da água e conta-giros, além da tela de 4,2 polegadas lateral.

No Hybrid, a tela de 7 polegadas é centralizada, mas ainda tem mostradores analógicos para econômetro e recarga de bateria ao rodar, bem como medidor de combustível e temperatura da água.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

A multimídia tem tela bem destacada e com 8 polegadas para ninguém botar defeito. Avançado, o painel aposta em dois tons no Altis Premium com adição de bege ou preto. No XEi, ele é preto e cinza na parte central e portas. O revestimento é soft costurado e passa boa impressão. Mas, a parte inferior, em plástico duro, lembra que nem tudo são flores.

A multimídia tem uma base com ar condicionado digital ou dual zone (XEi, Altis ou Altis Premium) e com acabamento em preto brilhante. Estranhamente, o volante multifuncional não tem revestimento igual, apenas couro e acabamento padrão acinzentado. Ele tem boa empunhadura e comando para o “ACC” e outros sistemas do TSS. Adeus haste do piloto automático!

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

O console central tem um espaço bom para smartphone, mas sem indução. A alavanca também é bem posicionada e tem bom aspecto. Ela permite a mudança manual na base da versão 2.0, mas no XEi vem com a opção S de Sport num botão, assim como no Altis Premium 2.0 Flex, ambos com paddle shifts no volante.

No Hybrid existe o “B” de Brake Force, onde um dos motores elétricos é usado como freio-motor. O híbrido ainda tem os modos de condução para economia (Eco), dia a dia (Normal) e esportividade (Power) num botão separado, assim como o modo EV, totalmente elétrico, noutro comando.

O Novo Corolla 2020 deslizou ao não oferecer freio de estacionamento eletrônico. Da mesma forma, escorrega em não ter difusores de ar para quem vai atrás. Receita semelhante empregada pelo VW Jetta, por exemplo. O banco elétrico do motorista tem oito ajustes, mas sem memória.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

Já o teto solar é algo bem-vindo no Novo Corolla 2020. Os bancos parecem bem confortáveis e chamam atenção no Altis Premium, visto que possuem parte do encosto em bege e o restante em cinza escuro, tanto na frente quanto atrás. No XEi, tudo preto, conforme manda o figurino.

O espaço para quem vai atrás é bom, mesmo com ajuste generoso dos bancos dianteiros. A altura interna atrás poderia ser melhor, mas alguém com 1,90 m, raspa suavemente a cabeça no teto.

Novo Corolla 2020: Primeiras impressões do sedã médio da Toyota

O apoio de braço central cai sobre o banco, não dando uma boa impressão, apesar de cumprir sua tarefa. As portas têm desenho melhor e agradam visualmente. O porta-malas tem 470 litros e acionamento tanto por cabo interno quanto elétrico.

Por ora, essas foram as primeiras impressões do Novo Corolla 2020, que testaremos logo mais e publicaremos aqui no dia 5. O sedã japonês agradou nesse contato inicial e chamou mais atenção no exterior o XEi, com o acabamento diferenciado do Altis trazendo algo novo. Com esse conjunto, o sedã nipônico deve manter sua posição.

Toyota Corolla 2020 – Galeria de fotos

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.