Combustíveis Híbridos Sedãs Toyota

Novo Corolla Hybrid terá 101 cavalos com etanol

Novo Corolla Hybrid terá 101 cavalos com etanol

O Novo Corolla está se aproximando do lançamento no Brasil e a Toyota libera mais detalhes do sedã médio em sua geração mais recente. Em um site dedicado a reservas (https://www.novocorolla.com.br/), a marca japonesa revela um pouco da versão que terá maior relevância na chegada do produto, a híbrida flex.


Primeiro carro híbrido do mundo com propulsor bicombustível, o Novo Corolla Hybrid ostentará o mesmo conjunto motriz do Prius, mas com uma diferença: abastecido também com o derivado da cana-de-açúcar.

Novo Corolla Hybrid terá 101 cavalos com etanol

Nesse caso, a Toyota revela que o motor 1.8 Dual VVT-i de 16V e 98 cavalos na gasolina, terá 101 cavalos com o combustível vegetal brasileiro. Ele trabalhará junto com um elétrico de 72 cavalos, que não teve sua força alterada.


A marca promete que o Novo Corolla Hybrid será o híbrido mais limpo do mundo com o uso do etanol. Enfatizando não só a baixa emissão de CO2, a Toyota também revela garantia de oito anos para o conjunto motriz híbrido, o que inclui a bateia de níquel-hidreto metálico (Ni-MH).

Novo Corolla Hybrid terá 101 cavalos com etanol

Com estreia nos próximos meses, o Novo Corolla Hybrid será uma alternativa aos motores convencionais usados atualmente pelo best seller nipônico, que deve ganhar também o Dynamic Force 2.0 de 170 cavalos nas versões mais caras. Devido ao custo elevado, pode ser que o híbrido flex fique acima disso em preço.

Sem alterações como câmbio eletrônico CVT ou mesmo no propulsor elétrico, o Novo Corolla Hybrid deve ganhar muito pouco em potência combinada, hoje em 123 cavalos no Prius. O ganho maior, no entanto, será em consumo com etanol na cidade, devendo ser superior a qualquer carro comum.

Novo Corolla Hybrid terá 101 cavalos com etanol

O Prius tem consumo urbano de 18,9 km/l de acordo com o Inmetro e com gasolina. Nos EUA, usando gasolina sem etanol, o Corolla Hybrid atual faz quase 23 km/l na cidade. Com uso do motor elétrico de forma quase constante, o sedã médio será bem frugal no dia a dia das cidades.

Novo Corolla Hybrid terá 101 cavalos com etanol
Nota média 4.3 de 16 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Vin_T

    O título leva a uma compreensão errônea. 101 cv com etanol terá o motor a combustão, mas a potência total combinada será maior.

    • Emanuel Schott

      125 cv.. baixa pra um segmento que tem de 140 pra cima.

      • Vin_T

        Sim, mas com um torque acima da média. Já dirigi Prius por um bom tempo, e nunca senti falta de torque ou potência. Isso sem falar no consumo, excepcional.

      • alemigav

        Mas o Prius não faz parte do segmento de gastões.

      • alemigav

        Nesse caso, nem o Corolla Hybrid, kkk.

      • O_Sabichão

        “125 cv.. baixa pra um segmento que tem de 140 pra cima.”

        Acabamos de ler uma conclusão completamente equivocada.

        Seria o mesmo que afirmar:

        “T-Cross 1.0 é fraco, porque é 1.0”.

        Ou seja, desprezando completamente os outros dados referentes a cada uma das tecnologias.

        Primeiro que o híbrido foca em consumo, mas, mesmo assim, o motor elétrico traz o torque pra 0 (zero) RPM.

        Eu pergunto: O Golf 1.0 TSI e o T-Cross 1.0 “são fraquinhos” com APENAS 116 cv na gasolina?
        Seria uma groselha monumental afirmar isso.

        Como eles têm 20 kgfm de torque a 1500 RPM, o desempenho é bom, cumprindo o 0-100 na casa dos 11s.

        Agora pegue o Prius (pesa 140 kg a mais que os citados) que tem 16,6 kgfm a 0 (zero) RPM (repito: não a 1500 RPM, a 0 RPM), pegue ainda o motor Flex de 101 cv e aprox. 14 kgfm… Resultado: 0-100 em 11,2s

        • Emanuel Schott

          Ta, mas o que isso tem a ver com o que eu disse?

          Vai ser o menos potente da categoria. Não importa se consegue desempenho de outra forma ou não.

          • Hugo Leonardo Dos Santos

            Sendo menos ou mais potente da categoria, ainda vai ser o mais vendido, mais valorizado e mais seguro do mundo. Não adianta fugir dos fatos.

            • Lauro Agrizzi

              Profeta. Me diga os núneros da mega.

              • Hugo Leonardo Dos Santos

                Até parece que vou falar

            • Vai ser o mais vendido da categoria… nas versões intermediárias de sempre.
              Essa versão híbrida vai ser modelo de portfólio, só mesmo para demonstrar tecnologia e catapultar vendas para a XE-I de sempre. Estimo uns 140 mil reais para a versão híbrida, fácil. Venderá pouco.
              Eu acho que esta será a última geração do Corolla que terá números realmente bons de vendas. A tendência é a Toyota emplacar um “SUV compacto” em um futuro próximo, o qual será o produto de volume da empresa. A categoria de sedãs médios como a conhecemos hoje tende a continuar minguando gradativamente.

              • Com certeza…

                Prius ta 117K

                • Aqui em Goiânia, 126 mil, sem choro. Ou seja, cerca de 8 mil acima do Corolla Altis com mecânica flex tradicional.

          • Eric PB

            E desde quando o público do corolla foi ávido por emoções? Vai andar mais que o atual (que vende horrores) e consumindo menos. Potência declarada não significa agilidade.

            • Emanuel Schott

              Você não anda em rodovia então. Corolla anda mais que o Satanás fugindo da cruz kkkk

            • what_the_hell??

              Acho que vai ser isso mesmo, vai acabar tendo preço interessante e vendendo bem!! Tem que ver tb o imposto reduzido para o híbrido! A própria Toyota consegue vender Lexus híbrido por 144mil (CT 200h), porque não venderia o Corolla nessa faixa???

          • Osni Duarte

            Se consegue o mesmo resultado sendo menos potente, onde está o problema? O nome disso não é eficiência?

            • Edson Fernandes

              Brasileiro ADORA numeros. O carro precisa ter 200cv se não é manco, mas ao mesmo tempo… quer 20km/l na cidade nesse motor. Deixou de ter um dos dois?

              É ruim.

          • Faheina

            Nesta versão.
            Ainda haverá a tradicional 2.0 com maior cavalaria aos q não preferirem evoluir

        • Mr Rafael

          E 0-100 em 11 segundos de carro que vai beirar ou ultrapassar os 150 mil reais é bom ?

          • O_Sabichão

            Depende.

            Toyota SW4 2.8GD 0-100 em 13s e preço de R$ 279 mil.
            Tiguan 1.4 Comfortline 0-100 em 9,9s e preço de R$ 158 mil.
            Equinox LT 2.0 0-100 em 7,6s e preço de R$ 149 mil.
            C4 Shine THP 0-100 em 7,3s e preço de R$ 99 mil.

            Então não existe nenhum tipo de lógica afirmando que o carro mais caro tenha que, necessariamente, acelerar mais rápido.
            Há outras variáveis, perfis de consumidor e assim por diante.

            • Mr Rafael

              Não disse que é uma lógica , só que não é um bom desempenho …

          • what_the_hell??

            O CT200h, da própria Toyota/Lexus, também é híbrido e custa 144k, sendo um carro efetivamente de luxo da marca! Acho que, pela diferença tributária, a Toyota vai vender esse carro na faixa de 120k!

        • O teu comentário é sensato e correto, mas na cabeça de boa parte dos potenciais consumidores esse número reduzido de cavalos pode fazê lo desistir da compra, mesmo que seja pela falta de conhecimento.

          • Ernesto

            Aí quando o consumidor, normalmente alguém que já vem de outro Corolla, vai fazer um test-drive ele percebe que o carro anda mais que o atual. Será que ele irá se preocupar com o número reduzido de cavalos?

        • Lauro Agrizzi

          Podia então colocar um motor 1.3 que já tem essa potência. 100 Cv num motor 1.8 é ridículo em qualquer situação.

          • TijucaBH

            Lauro, mas como o foco é economia, nem sempre um 1.3 girando mais alto pra gerar os 101 cv é mais economico que o 1.8 fornecendo essa mesma potencia e em rotação menor.
            No passado tínhamos motor AP 1.8 gastando menos que AP 1.6 e no Monza, o 2.0 sendo mais economico do que o mesmo carro com motor 1.8.

          • Edson Fernandes

            O ciclo de funcionamento desse 1.8 é atkinson. Ele aproveita mais a potencia e disperdiça menos energia para seu funcionamento. E esse ciclo permite um bom funcionamento e transição do eletrico para esse motor.

        • Guilherme Batista

          Só um detalhe, por mais que os TSI precisam chegar a 1500 RPM pra entregar o torque máximo e os elétricos conseguem entregar a 0 RPM, na prática essa diferença não é tão grande assim por dois motivos.
          Primeiro que o motor a combustão não está desligado, ele já começa no ponto morto que é entre 500 e 800 RPM, logo só precisa alcançar a diferença de rotação. Isso gasta um tempo mínimo.

          Em ambos os casos, não será entregue todo o torque de uma vez na roda (caso os veículos estejam parados) pois somente faria os dois derraparem. Esse é um dos fatores que ajudam a diferença entre os carros que você citou seja tão pequena.

          Não adianta o carro ter números maravilhosos de potência, torque e etc, se não consegue colocar isso no chão de forma apropriada, vide os carros da porsche que têm número de potência, torque e etc bem menores do que carros como AMG C63, Camaro, Mustang e mesmo assim tem desempenho superior

      • Pablo Sousa

        Não seriam 173cv de potência combinada? 101cv do motor a combustão mais 72cv do elétrico?

      • Guilherme Batista

        To contigo. pra mim é pouca potência para o seguimento.

        Podem dizer que é focado no consumo e está tudo bem, mas pra mim é um carro voltado para quem roda quase que totalmente na cidade ou é motorista de aplicativo/taxista.

        Não existe milagre, na estrada essa pouca cavalaria vai fazer falta e vai jogar o consumo lá embaixo pra se manter próximo dos 100 km/h. E ainda tem as retomadas e ultrapassagens, vai ficar devendo de qualquer jeito.

  • Rodolfo Deo

    vai ter gente aqui falando: só isso????

  • Marcos Megda

    Legal que os vovôs de corolla vão andar ainda mais devagar empacando ainda mais o trânsito kkkk.
    Porém o consumo é fantástico e traz muito conforto aos seus ocupantes.
    Foda vai ser o preço. Chuto que vem una 150mil

    • alemigav

      De Corolla só vejo idiota querendo ultrapassar onde não pode.
      Acho que é até benéfico XD

    • O_Sabichão

      “Legal que os vovôs de corolla vão andar ainda mais devagar empacando ainda mais o trânsito”

      Geralmente eu vejo Corolla e Hilux SW4 empurrando o trânsito, não empacando.

    • Emanuel Schott

      De onde vocês tão tirando que corollistas não andam? Andam e andam absurdamente. Só vejo doido acima de 150Km/h.

      • Ernesto

        Eu tenho um e não ando desse jeito não. Até porque a minha família é muito importante.

    • Paulo Lustosa

      o que mais vejo é dono de toyota empurrando a naba nos carros pra andar sem piedade

      • Nada contra o conceito dos carros Toyota, onde confiabilidade e o conforto de rodagem são premissas preponderantes, a despeito de eu achar um tanto quanto exagerado o preço dos modelos da marca quando observado o seu conteúdo.
        Mas convenhamos que a marca nunca buscou a primazia em desempenho, sempre deixando aos concorrentes a busca de melhores números de desempenho e dando mais valor ao que procura o seu público cativo, que preza pelo conforto de rodagem e o atendimento diferenciado em pós-venda. Não atoa a Toyota mantém em operação o já muito datado mas confiável 2.0 velho de guerra.
        Quanto a “empurrar a naba” dos outros, vai muito da “burrice” do motorista que se propõe a este tipo de bobagem. Quando se está propenso a uma direção agressiva, se faz isso mesmo com um carro popular 1.0 tradicional. Não é questão da potência do carro, e sim da idiotice do condutor. E devo pontuar que não é comum ver donos de Corolla se propondo a isso. É uma conduta que não combina com o perfil médio de consumidores do modelo nipônico.

        • Edson Fernandes

          Mas te digo… a Toyota não costuma mudar o seu comportamento qto a seus carros, pq sabe que na pratica eles não são os piores naquilo que se propoem.

          O pessoal critica, mas esse 2.0 junto do cambio CVT anda mto bem, o Etios com seus motores 1.3 e 1.5 andam bem. Mas vai olhar a potencia especifica.

          • Eu concordo totalmente. O 2.0 aspirado aliado ao peso relativamente baico do Corolla garantem um desempenho totalmente adequado.
            Só pontuei que essa nunca foi a tônica da Toyota em seu sedã médio. O desempenho de ponta fica para concorrentes como Jetta e Cruze, além do C4, apesar de seu peso exagerado.

            • Edson Fernandes

              Fico pensando que a sacada de ofertar uma versão hibrida pode dar muito certo. O pessoal desdenha qto a potencia, mas será um carro que não faltará potencia ou necessidade dela em nenhum momento.

              Pode andar abaixo dos concorrentes de potencia maior? sim.

              Mas o fator consumo pode ser o principal fator de interesse. E acredito mto no que vc disse: Eu acho que a proxima geração será a ultima de grandes vendagens.

              A Toyota chegou em um ponto que ela deverá trazer mais itens de conforto no Corolla. E isso vai ter um custo, seja ela precificado ou retirado itens. As japonesas, ainda que sejam do tipo de incluir itens a conta gotas, ao menos não costumam retirar itens dos seus carros pensando em pulo de gerações.

              Então eu acredito que esse Corolla deve vir com mais atrativos e se adequar aos rivais diretos. Mas a chegada de um compacto altinho, irá fazer ele perder vendas pq o publico tem se atraido mais por eles.

              • A penetração do híbrido vai depender demais do valor que a Toyota vai cobrar pela novidade. Sou bem pouco otimista quanto a isso.
                Já no que tange à chegada do SUV compacto da Toyota, tenho a impressão de que o movimento do cliente Toyota será muito semelhante ao da Honda quando esta lançou o H-RV: sucesso obtido limando o potencial do Civic, que nem com troca de geração acelera venadas, mais.

                • Edson Fernandes

                  Eu já acho que a Toyota errou na estrategia forçando as filiais de países menos desenvolvidos a trazer um produto simples demais sendo que essa é a dificuldade no Brasil: O carro pode ser mega simples, mas só não pode ter cara de simples.

                  Muito dos carros no Brasil que se vende é visual e nem tanto seus aspectos funcionais.

                  E o Yaris ainda que venda bem para o que é, é um produto defasado perante algusn rivais e isso pode cobrar o valor para a Toyota depois.

                  A Toyota para substituir o Corolla, terá que trazer um carro a altura do HRV. Não enxergo outra forma.

                  • O Yaris me passa a sensação de ser um “Etios metido a besta”, nada mais que isso. Um grande amigo meu adquiriu um hatch na faixa de 80 mil reais. Andei com ele no carro, e ele realmente me pareceu uma versão moderninha do Etios sedã.
                    Quanto ao SUV da Toyota, há fortes rumores sobre um modelo bem mais simples que o C-HR, que seria o concorrente natural para o H-RV. Vamos ver o que acontece.

  • Emanuel Schott

    Alguém sabe dizer por que esse 1.8 é tão fraco e por que não usam o 1.8 de 140cv da própria Toyota?

    • Vin_T

      O motor opera em ciclo Atkinson, que se difere do Otto pela duração da fase de compressão. A potência nesse tipo de motor geralmente é menor, mas seu rendimento é melhor. Como o objetivo principal é consumo, faz-se a opção por este tipo de motor (ou Miller) em híbridos.

      • José

        👏

    • heliofig

      Provavelmente, será um de ciclo Atkinson, ao invés do Otto convencional. Dizem os entendidos que o Atkinson é mais eficiente, mas com essa menor potência, eu realmente não entendo…

      • Vin_T

        De fato ele tem consumo melhor do que os motores de ciclo Otto, porém com potência menor. Nesse caso, quando se precisar de mais potência ou torque, entra o motor elétrico para operar em conjunto.

      • mjprio

        Ele tem um pequeno detalhe que faz a diferença: no tempo 2, compressão, ele mantem a válvula parcialmente aberta . Apesar disso reduzir a compressão no cilindro e por conseguinte a potência, o efeito amortecedor durante a subida do
        Pistão é sensivelmente reduzido. Assim o motor gira mais leve e solto e o consumo fica bem contido, o que reduz a emissão também. Isso somado ao motor elétrico em sinergia traz uma performance satisfatória com um consumo extremamente baixo. Mas nao adianta nada se só pensarmos em números de potência e torque em termos absolutos.

        • Mário Leonardo Pires

          Esse tipo de motor é mais durável por conta desse tipo de funcionamento?

          • mjprio

            Nao sei te responder. Mas acredito que não deve prejudicar

    • Mr. Pereba

      Creio que seja por conta dos custos de produção, visto que esse 1.8 mais fraco é também mais antigo e já tem os custos de projeto mais do que pagos, até porque o Prius usa esse conjunto há um bom tempo. Acredito que a Toyota pense (e eu concordaria) que essa versão híbrida -apesar do alarde inicial – será pouco vendida e não valha o investimento para modificar o projeto. Lembrando que o Fusion Hybrid eh praticamente o mesmo preço do Titanium e vende muito menos, e o consumidor do Corolla é ainda mais conservador e se preocupa muito com a desvalorização, que é justamente o ponto fraco dos híbridos por conta dos custos de substituição da bateria.

      • Paulo Lustosa

        o motor na verdade é o 1.8 ZR já usado na atual geração no GLi, mas rodando com ciclo Akintson pra menor consumo, como fazem em todos os híbridos

    • Compro Vidro de Perfume Vaziou

      Baixo consumo, simples assim, por isso aliado elétrico também fraco, o conjunto unido varia entre 118/130cv não a soma dos 2 que é 98/101cv + 72cv do elétrico

    • alemigav

      Não tem nada a ver por ser mais antigo, é pelo fato de ser mais econômico, apenas.

    • Cesar

      Porque ele é focado em eficiência e não em desempenho.

      • Emanuel Schott

        Então poderiam usar um motor de menor cilindrada, como o 1.5 do Yaris.

        • mjprio

          O lance não é só a cilindrada e sim o tipo de funcionamento (atkinson), que visa a eficiência energética. Outra opção seria um motor turbo de baixa cilindrada, tipo um 1.0 3 cilindros. Mas acho que nao caberia no cofre com o elétrico junto

          • Edson Fernandes

            O problema é o ciclo atkinson num motor turbo.

            • mjprio

              Acho que não, pois na verdade, um motor de ciclo Atkinson com turbo ou compressor rotativo passa a se chamar ciclo Miller ( a compressão compensa o menor enchimento dos cilindros)

              • Edson Fernandes

                Mas aí mudam-se componentes e outras coisas…

                E aí foge da proposta inicial da Toyota com seu hibrido.

    • Leonardo

      em um site alemão o hybrid 2.0 vai de 0 a 100 em 8.05 segundos enquanto o 1.8 leva 11.4 segundos, já o consumo(gasolina deles) fica em 18km/l contra 24km/l. Então acredito que a Toyota optou pelo 1.8 por causa da mijolina que a gente usa aqui(eficiência maior).
      Se a aceitação do carro for boa nada impede deles trazerem a versão 2.0 para cá no ano que vem…

  • El Gato!

    Alguém tem alguma informação “de bastidores” quanto aos valores da nova geração?

    • Edu

      Eu tenho: Beeeem mais caro! hehehe

    • Leonardo

      parece que o GLi parte de 99k, EXL 110k e Altis Hybrid vai ter duas versões125k(sem pacote sense) e 140k(com pacote sense).

      • El Gato!

        “EXL” é Civic. Corolla intermediário é XEi.
        Quero muito que você esteja certo, mas acho que o valor do intermediário vai ser parelho com o Civic Touring. E o Hybrid emparelha com o valor do GLi (mais ou menos como você disse).

        • Leonardo

          ops!

  • Japa palio adventure

    Minha palio weekend anda mais

    • alemigav

      Tenho dó de quem anda de E.Porq.

      • Mr Rafael

        Eu tenho dó de quem anda a pé , de ônibus …

      • Lauro Agrizzi

        Isso com 139 Cv imagina um com 101Cv. Mas bobo tem em todo lugar

        • Giovane Araujo

          Esqueceu o motor elétrico amigo

        • Ernesto

          Pois é, esqueceu do motor elétrico.

    • Osni Duarte

      Como se uma cadeira elétrica que chega a 100 km/h mais rápido que um Corolla fosse algo vantajoso. Motorista de Corolla quer conforto, economia, durabilidade e previsibilidade. A Toyota só vai lançar esse carro no momento em que tiver certeza de que está em condições de manter as percepções de qualidade e durabilidade inerentes ao modelo. Esse novo Corolla vai virar mito, pode escrever.

    • Leonardo

      mas o corolla vai mais longe…

  • Rodrigo Santos

    Gasolina americana tem 10% de etanol. Corrige aí. Ainda há projeto para aumentar para 15%…

  • Andre Cupertino

    Prius já não sobe ladeira de ré, esse Corolla não será diferente.

    • Emanuel Schott

      Simplesmente por conta de uma limitação que pode ser resolvida por software. O Prius não usa o motor a combustão de ré. Mas podem mudar isso com uma reprogramação.

      • Sério? Não sabia disso. Tenho um Prius a 3 anos e moro num bairro com muitas ladeiras e nunca tive problema. Ao contrário, descer de ré sempre me pareceu mais problemático que subir, pois fica dando uns soluços no freio bem estranhos quando a ladeira é muito íngreme. Quem não conhece pode bater no carro estacionado atrás. Por outro lado é o único carro do prédio que sobe sem esforço na rampa de saída da garagem, mesmo partindo parado no meio desta.

        • Luiz

          Magia do alto torque a 0 RPM do motor elétrico.

        • Edson Fernandes

          Mas isso é o fato dos freios regenerativos usando energia para carregar a bateria. No atual prius, isso é configuravel.

  • Guilherme Martins

    O corolla novo, parace o Civic velho kkk

  • sigma7777777

    Quero saber o consumo na estrada, tanto do híbrido quanto do novo motor 2.0.

  • Wanderson Pereira

    Seu por uns 150.000 “mitos”.

    • daneloi

      mais negocio que um HR-V por 140.000,00…hehehehe

  • Maximum_Prime

    E a coragem de comprar um desse usado com 8 anos de uso como fazemos hoje? Eu não tenho coragem. Essa manutenção da bateria vai ficar para o coitado que comprar depois da garantia.

    • Com certeza…

      Compra UNO com 8 anos

  • 1945_DE

    O fato é que em condução apenas com o motor a combustão vai acelerar como um carro 1,0L aspirado.

    • Luiz

      Por isso que o carro híbrido não é pro seu perfil de consumo. Ou vc acha que o motor elétrico tá ali só de enfeite?

    • Ernesto

      E por que o carro não acionaria o motor elétrico? Cada uma…Rsrsrsrs.

  • João Senff

    Chuto em dizer que a Toyota vai achar que tá com o melhor carro do mundo mundial e vai colocar o Corolla a preço de Mercedes C180 ou seja 180 mil . Capaz deles chamarem o locutor da CAOA com sua voz aveludada. Kkkklkk

  • Guilherme Batista

    Ainda vejo muitas dúvidas e conceitos equivocados por parte da comunidade então vou tentar elucidar alguns para a melhor compreensão.

    1 – Eficiência do motor e consumo não é a mesma coisa e nem sempre é uma ligação direta. Um motor eficiente (ou com bom rendimento) é aquele que transforma bem a energia de combustão na energia de saída. Se pegarmos por exemplo o motor de um gerador, ele é feito de forma em que ele transforme a energia da combustão em energia elétrica, no caso de um veículo, ele tem que transformar a energia da combustão em energia cinética. Se um motor X consegue transformar 60% da energia da combustão em energia cinética e um motor Y consegue transformar 55%, o motor X será sempre mais eficiente, independente do consumo.

    2 – Faz sentido utilizar um motor Atinkson em um carro híbrido pois esse tipo de motor é “mais fraco” em baixas rotações porém entregam eficiência termal melhor. Como nos hibridos o motor elétrico atua em baixas rotações, isso não é um problema para esses veículos. Os motores Atinkson também tem menor potência se comparados com os motores Otto, porém consomem menos combustível em cada ciclo. Outra vantagem de se utilizar esse tipo de motor, é para o carregamento das baterias, uma vez que não precisa de grande potência.

    3 – Existe diferença entre o consumo de combustível do motor e a medida de consumo que a gente utiliza.
    Nós medimos consumo através da razão de Quilômetros percorridos divido pela quantidade de litros de combustível consumida em litros (km/l), logo se eu deixar o veículo ligado parado durante um dia inteiro e depois andar 1 km o consumo será altíssimo, pois terá gasto vários litros e percorrido somente 1 km.
    Parece óbvio mas muitas pessoas não pensam nisso. É por isso que o consumo na cidade é pior do que da estrada nos carros de ciclo Otto. O motor não fica “mais econômico” na estrada, você só percorre uma distância maior no mesmo período de tempo.
    Já o consumo do motor é a quantidade de mistura ar-combustível injetado nos cilindros para manter determinada rotação.
    Logo o consumo que a gente mede, sempre será influenciado pelos fatores externos, sendo impossível todos obterem os mesmos dados, por isso os dados do inmetro são bons parâmetros de comparação.

  • Leonardo

    Uma pena é não vir para cá a versão 2.0 Hybrid(faz de 0 a 100 em 8.0 segundos)

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email