Fiat Hatches Lançamentos

Novo Fiat Bravo 2013, com câmbio Dualogic Plus: avaliação completa

fiat-bravo-dualogic-plus-avaliacao-1 Novo Fiat Bravo 2013, com câmbio Dualogic Plus: avaliação completa

Bravo Sporting – O lançamento da versão Bravo Sporting é uma prova que a Fiat não está satisfeita com o desempenho do Bravo. O carro da marca italiana ocupa apenas a sexta posição entre os hatches médios, com vendas pouco abaixo das 700 unidades mensais – algo como 8% de um segmento que vende quase 9 mil veículos por mês.



Mas a montadora espera mudar isso com a nova configuração através de dois bons argumentos, que costumam funcionar com o consumidor brasileiro: um visual mais agressivo e uma relação custo/benefício melhor. A versão Sporting chega R$ 58.140 com câmbio manual e R$ 60.600 com a transmissão Dualogic. E vem de série com com teto solar duplo, rodas de liga aro 17, suspensão e bancos esportivos, spoiler e sais laterais, entre outros. O preço é exatos R$ 5 mil maior que o da versão Essence, que recebe como opcional teto solar por R$ 4.500 e rodas por R$ 2 mil.

Com isso, a Fiat espera chegar às mil unidades mensais, ou 11% do segmento. O que significaria ampliar em 40% as vendas médias dos cinco primeiros meses deste ano. Parece muito, mas foi exatamente esta média que o Bravo obteve em 2011. Mas, a cada ano, a concorrência se amplia no segmento. Somente em 2012, chegaram ao mercado dois novos rivais diretos: Peugeot 308 e Chevrolet Cruze Sport6. Além dos já estabelecidos Volksvagen Golf, Hyundai i30 e Ford Focus. No caso, a Fiat conta com a personalidade “novidadeira” do consumidor brasileiro e caprichou no Bravo Sporting.

fiat-bravo-dualogic-plus-avaliacao-2 Novo Fiat Bravo 2013, com câmbio Dualogic Plus: avaliação completa

Para isso, tratou de ir um pouco além das aparências. Um pouco mais que o friso vermelho em torno da grade “black piano”, os pespontos também vermelhos no volante e as faixas nas portas e na tampa traseira. O Bravo Sporting traz recursos que efetivamente melhoram na condução mais esportiva. Caso dos bancos e da suspensão, importadas da versão mais apimentada T-Jet, e também borboletas para trocas no volante, quando tem o câmbio automatizado. Outro ganho dinâmico, aí extensivo à toda linha Fiat, foi o software desenvolvido pela Magnetti Marelli para o sistema Dualogic, que lhe valeu o sobrenome de “Plus”.

O novo sistema, porém, não ajuda a aumentar a esportividade do modelo. E o propulsor sob o capô, também não. É o mesmo E.torQ 1.8 16V, que rende 130/132 cv de potência a 5.400 giros e 18,4/18,9 kgfm de torque a 4.500 rpm, queimando gasolina e etanol, respectivamente. A Fiat repete aqui a mesma tática adotada em relação à versão Sporting de outros carros de sua linha. Aplica um visual agressivo, tenta adicionar um “felling” mais esportivo, sem investir em mudanças substanciais no trem de força, que tornariam o modelo menos acessível. Além do mais, esta função já pertence à versão verdadeiramente esportiva T-Jet.

fiat-bravo-dualogic-plus-avaliacao-3 Novo Fiat Bravo 2013, com câmbio Dualogic Plus: avaliação completa

Mudança notável

O principal objetivo da Fiat ao “encomendar” um novo software para seu câmbio automatizado foi melhorar a sensação e o controle de quem dirige. No Dualogic Plus foram atacados precisamente os três pontos que mais incomodavam. O primeiro era falta de controle e as constantes hesitações do conjunto câmbio/embreagem em baixas velocidades, como em manobras de estacionamento, em arrancadas em aclives ou na hora de superar um degrau de meio-fio, por exemplo. Sem a embreagem, o motorista fica sem meios para subir o giro do motor e manter a velocidade baixa ao mesmo tempo. A solução foi adicionar o recurso Creeping – rastejamento, em inglês. Assim que o motorista alivia o pé do freio, o sistema movimenta o carro a até 7,5 km/h ou em rampas de até 8%. Exatamente como ocorre com um câmbio automático tradicional.

O segundo foco de reclamação em relação ao Dualogic era em relação à falta de suavidade na passagem de marcha – característica que foi até foco de piada em um comercial da Volkswagen, que comparava os trancos de passagem a alguém com soluço. A solução vem com o Parabolic Gear Shift, ou passagem de marcha parabólica. Todos os algoritmos da central eletrônica que controla a mudança de marchas foram recalculados para gerar um acionamento mais progressiva da embreagem quando o acelerador é acionado de forma leve. Quando o pé do motorista é mais pesado, as mudanças são mais marcadas para aumentar a sensação de esportividade.

fiat-bravo-dualogic-plus-avaliacao-4 Novo Fiat Bravo 2013, com câmbio Dualogic Plus: avaliação completa

A terceira novidade no câmbio Dualogic é em relação ao comportamento do sistema quando o motorista deseja um ganho de velocidade rápido, como na hora de iniciar um ultrapassagem. A primeira reação do câmbio ao aumento de pressão no acelerador no software antigo era subir uma marcha, o que baixava ainda mais o torque do motor. Levava um tempo para entender que o desejo era de aumento de velocidade para então reduzir duas marchas, uma de cada vez. E só chegar numa rotação com mais torque. Toda esta operação poderia levar até 0,5 s, que se transforma numa eternidade para quem aperta o acelerador. O novo sistema se chama “Auto-up Shift Abort”, algo como cancelamento da subida automática de marcha. Com este programa, a central mede a velocidade com que se altera a pressão sobre o acelerador. Se for alta, ele entente que o desejo é obter maior velocidade e reduz a marcha. Se for baixa, a interpretação é que é um simples ganho de velocidade, sem qualquer urgência. E aí a marcha superior é engatada.

fiat-bravo-dualogic-plus-avaliacao-5 Novo Fiat Bravo 2013, com câmbio Dualogic Plus: avaliação completa

Primeiras impressões

Teste vocacional

Araxá/MG – A receita das versões Sporting já virou tradição na Fiat: detalhes bem chamativos, alguma alteração mecânica sutil, que não encareça o carro mas que amplie a sensação de esportividade e cores bem festivas. O Bravo Sporting manteve os mesmos ingredientes. Houve, porém, algumas mudanças nas doses. Há detalhes que aterstam a “esportividade” do carro, mas são discretos. Um friso vermelho na grade, pespontos vermelhos nas costuras de bancos e volante e pequenas faixas nas portas e tampa do porta-malas. E, claro, o indefectível kit aerodinâmico, composto de aerofólio e saias laterais.

fiat-bravo-dualogic-plus-avaliacao-6 Novo Fiat Bravo 2013, com câmbio Dualogic Plus: avaliação completa

Outros revisão de dose foi no “felling” esportivo. Principalmente pela diferença foi na suspensão, oriunda da versão T-Jet. Como ela, a versão Sporting é 2 cm mais baixa que as “normais”. Na verdade, é exatamente a mesma suspensão usada no modelo europeu, sem o aumento de altura que serve de salvaguarda para os abusivos buracos das estradas nacionais. Outro detalhe que ajuda nessa sensação é o desenho dos bancos, também compartilhado com a versão mais esportiva. Eles têm abas mais pronunciadas, que ajundam a apoiar melhor o corpo na curvas e são um pouco mais rígidos que os das demais versões. Em relação às cores, a tática das versões Sporting se manteve: apenas cores mais embrutecidas: branca, preta, vermelha e amarela.

fiat-bravo-dualogic-plus-avaliacao-7 Novo Fiat Bravo 2013, com câmbio Dualogic Plus: avaliação completa

Em movimento, o Bravo exibe as antigas características. E algumas novas. O motor 1.8 16V, de 132 cv e 18,9 kgfm com etanol, não acorda cedo. Só mostra alguma disposição depois de 2.200, 2.300 giros. A partir daí, o Bravo passa a merecer o nome de batismo e pode mostrar outras qualidades, como a solidez do conjunto – impressão ampliada pelo aumento de rigidez da suspensão. Nas curvas, essa diferença é um pouco mais sentida e reduz o balanço lateral. Por outro lado, a filtragem das irregularidades é menos presente.

fiat-bravo-dualogic-plus-avaliacao-8 Novo Fiat Bravo 2013, com câmbio Dualogic Plus: avaliação completa

O grande ganho do Bravo, porém, não está restrito à versão Sporting. O Dualogic Plus entrega, de fato, o que promete. Numa condução mais calma, como em trânsito na cidade, pode-se até esquecer que se trata de um câmbio automatizado, tal a suavidade nas trocas de marcha. Na condução mais esportiva, os ganhos de velocidade são mais decididos, pois o carro parece interpretar melhor o movimento do pé do motorista. E nas manobras, o aumento de eficiência é também sensível, pois os movimentos lentos são dosados apenas pelo freio, sem que seja preciso acelerar. Nenhuma dessas características equalizam perfeitamente o Bravo Sporting com a imagem que os adornos emprestam. Mas certamente tornaram o carro mais prazeroso de dirigir.

Por Auto Press.

4.0

  • Pedro Evandro

    A Fiat enche o carro com adesivos ridículos, não abaixa o preço e ainda quer aumentar as vendas em 40%?

    To vendo que vai vender muito…

    • duduguazzi

      Só achei interessante em vista de já vir com o teto solar e bancos mais esportivos. Por 58k não vejo nenhum concorrente com um teto destes.

      • marcelofalves

        e convenhamos, esse teto é show de bola, achei uma boa sacada da fiat colocar de serie

      • nexus_brz

        peugeot 308 allure 2.0 151cv , com teto cielo, custa a partir de R$58300. Pra mim, escolha MUITO MELHOR e o carro vem bem mais recheado e mais novo. (ainda dá pra arrancar uns R$2000 de desconto da concessionária)

        • Filipe_GTS

          particularmente acho o Peugeot feio demais… uma pena, porque realmente é completo e tem boa dirigibilidade.. só que tem de ser o câmbio manual…

    • tiards

      É só tirar essa m… de cambio dualogic que as vendas disparam.
      deixa esse cambio para carros abaixo dos 50 mil dona FAILT!!!!

      • Jaaggg
        • Alex_JW

          Aqui o teste do Dualogic Plus.

          [youtube T1J8hNm0gCs http://m.youtube.com/watch?v=T1J8hNm0gCs youtube]

          • tiards

            Alex, eu sei que as mudanças foram feitas, irei fazer um novo test drive em um para eu realmente ver a diferença. Sei que cumprem o que promete, porém não é um cambio para um carro de porte acima de 50 mil, merecia algo melhor.

            • bedotRJ

              A questão é meramente lógica: se os automatizados fossem a melhor opção, seriam eles, e não os automáticos multimarchas ou CVT, a equipar os carros mais sofisticados do mercado. Mas a realidade é outra: os automatizados sempre foram a solução buscada para os segmentos mais populares do mercado. E aí o Bravo sai perdendo, pois ele não é popular, mas é o único de sua faixa que usa câmbio de popular.

              • Cristiano_RJ

                Pois é, é igual a um plano de saúde com internação em enfermaria e outro com direito a quarto individual. Todos os dois funcionam e cumprem o que prometem. Mas são para públicos e bolsos diferentes. Para carros médios em diante, câmbio automatizado só se for de dupla embreagem.

                • AutoIng

                  Exatamente. Existe Cruze com duplo teto solar e câmbio automático pelo mesmo preço desse Bravo? Não. É simples assim, são propostas pra bolsos diferentes. E sem querer ser polêmico, mas tem um monte de críticas a respeito de câmbios automáticos com conversor de torque também, como os da PSA e até esse do Cruze.

                  • Cristiano_RJ

                    O Cruze LT com câmbio automático fica em R$ 65.039 e não tem o teto solar, mas já vem com um pacote bem recheado que, se adicionado ao Bravo, somam um valor considerável ao seu valor básico que é de R$ 60.600 com câmbio Dualogic, tornando ambos os modelos próximos em preço. Voltando ao ponto em questão, o câmbio do Cruze, ainda que sujeito a críticas é incomparavelmente superior ao Dualogic, assim como o seu motor. Se seu desempenho deixa a desejar, isso se deve ao peso excessivo do modelo Chevrolet e não a incompetência do seu conjunto mecânico. Mas vale frisar que ainda que inferior ao desempenho do líderes do segmento (i30 e Focus), ainda assim o Cruze Sport6 supera o Bravo 1.8. Já o câmio automático do 308, é muito ruim mesmo. Tanto que eu nunca compraria um 308 com esse câmbio, assim como nunca compraria um Bravo Dualogic.

                    • vitimsl

                      Kra, o preço do cruze já caiu… de uma olhada no site. Em relação a desempenho, o cruze perde pro t-jet, mas pra esse sporting nao perde nao…

              • oliveirajc

                Tipo de caixa não tem nada haver com carro ser "popular" ou não. O 308 europeu tem opção de caixa CVT, manual, automática de conversor e automatizada monoembreagem. O consumidor, lá, identifica suas prioridades e faz a escolha: quem quer um carro de dois pedais sem perder desempenho e não ter maior consumo, escolhe o automatizado. Aqui ainda não entenderam isso… Aqui acham que automatizado é um câmbio que imita um automático, tem que funcionar igual, nada haver.

                • bedotRJ

                  Como estamos falando do Bravo, essa lógica seria inquestionável se a Fiat fizesse a mesma coisa, ou seja, oferecesse diversos tipos de câmbio para seu consumidor. O problema é o oposto: a Fiat SÓ oferece esse Dualogic. E cobra por ele o que as outras cobram por câmbios melhores. Por isso que sai perdendo nesse segmento.

                  Sobre o 308 europeu, os diferentes tipos de câmbio não manuais são para diferentes versões e motorizações. Adivinhem qual é o tipo que as versões mais caras usam… (dica: não é o automatizado).

                  • TDRamos

                    A Fiat cobra menos pelo Automatizado do as outras pelas caixas automaticas, o Automatizada da Fiat sai em media 2000/2500 reais a mais, enquanto em qualquer uma das outras o automatico sai por 4/5 mil reais o que da uma grande diferença

                    • Cristiano_RJ

                      Na verdade os automatizados populares (Dualogic, Easytronic e i-Motion), de uma forma geral custam nessa faixa de preço que você citou; enquanto os automáticos convencionais são mais caros sim, por possuírem maior custo. Aí está a razão deste tipo de solução ser uma mão-na-roda para os segmentos populares. Porém, pelas razões já espostas, não se justifica em segmentos onde as exigências técnicas são maiores que essa diferença de valor.

                    • Edson Roberto

                      Depende Cristiano.

                      Não podemos dizer que um cambio é mais caro porque o mercado assim o faz.

                      Como pode então um CVT do Sentra custar R$3000 a mais que o manual? (R$51000~R$54000 entre um e outro). A grande verdade é que o mercado aceitou tais valores…. e a curiosidade é ver carros como o 500 sendo vendido a preços até melhores no automatico… e a saida do carrinho não é grande. Ou seja, quem regula é o consumidor que acha que o automatico é equipamento de luxo ou conforto auixliar perante um manual.

                    • bedotRJ

                      Ok, me explicando melhor: vc não paga menos por um "sem embreagem" da Fiat do que pagaria por um automático concorrente. Ou: sempre haverá um concorrente automático de verdade custando o mesmo ou menos do que o automatizado da Fiat. Esse é o ponto.

                    • Cristiano_RJ

                      Sim. Mas equipando um carro popular, como um Sandero, um C3 ou um 207. Quando estamos falando de hatches e sedans médios, só a Fiat "entra na briga" com o dualogic, ótimo para enfrentar os adversários do "andar de baixo", mas insuficiente para enfrentar Cruze, Civic, Corolla, Fluence e cia. O resultado? Bem, as vendas do Linea e do Bravo falam por si.

                • Cristiano_RJ

                  Oliveira, você entendeu a argumentação. O problema é que câmbios automatizados tipo Dualogic, Easytronic e i-Motion, possuem funcionamento aquém de um automático convencional. O seu uso se justifica em segmentos de carros populares por promover o conforto ao motorista a um baixo custo, em que pese suas deficiências. É justamente este o ponto ao oferecer tal solução em segmentos mais caros. I-N-A-C-E-I-T-Á-V-E-L.! Então o câmbio automatizado é uma solução condenável? De jeito nenhum, é perfeitamente aceitável e com vantagem em uma configuração do tipo "dupla embreagem", como no DSG da VW.

                  • fredggp

                    Olá Cristiano, poderias explicar o funcionamento aquém citado abaixo?
                    "O problema é que câmbios automatizados tipo Dualogic, Easytronic e i-Motion, possuem funcionamento aquém de um automático convencional".
                    Realmente não tenho ainda argumentos técnicos deste desfavorecimento.. grato.

                    • Cristiano_RJ

                      Bicho, vou ser sincero. Já estou cansado de responder às mesmas perguntas o dia inteiro, mas você perguntou de forma tão educada que me sinto na obrigação de copiar parte de outra resposta que postei mais abaixo:

                      " (…) suavidade de funcionamento (trocas praticamente imperceptíveis), interpretação correta das situações emergenciais mais diversas com atuação a contento, reduzindo ou aumentando as marchas conforme necessidade, velocidade com que as trocas são feitas (sem indecisão) e porque não citar, facilidade em manobras (problema que parece ter sido corrigido nesta versão) (…)"

                      Enfim, a Fiat parece ter conseguido melhorias significativas com esse Dualogic plus, mas ainda assim, continua sendo uma solução de baixo custo para segmentos inferiores (não existe almoço de graça). O "pulo do gato" virá com a introdução do câmbio automatizado de dupla embreagem, como o DSG da Volkswagen, utilizado no Jetta, Passat e nos Audi.

                    • fredggp

                      Pois é Cristiano, sem querer ser birrento apenas discutindo tecnicamente (estou na defensiva pois tenho um i-motion). Como falei também abaixo, o câmbio de dupla embreagem foi projetado (assim li a respeito) para reduzir o tempo entre as trocas de marcha, inclusive em tempos inferiores as do câmbio manual e mais ainda de câmbios automáticos com conversor. Com estas pretensões esportivas é de se esperar que somente equipe carros de um segmento específico, notadamente mais caros. Esta característica técnica de tempos menores favoreceu o conforto por consequência….O que quero afirmar é que técnicamente não falamos até agora nenhum argumento mais forte a não ser financeiro. Os que você citou particularmente NÃO observei (ainda) no imotion (interpretação INcorreta das situações emergenciais, redução ou aumento das marchas conforme necessidade, velocidade com que as trocas são feitas (sem indecisão)). Existem câmbios automáticos que exibem comportamentos parecidos como estes que citastes, como é o caso do antigo câmbio da Hilux bastante indeciso por sinal. Um exemplo que quero dizer de argumento técnico foi rumores sobre o não uso do imotion na saveiro, segundo qual não trabalhava bem com a caçamba carregada no máximo. Fora isso para mim só há argumentos financeiros para o uso em carros abaixo dos médios. Valeu mesmo pela conversa.

                    • Edson Roberto

                      Fred,
                      Isso depende. Acho que o ponto é…. o pessoal adora colocar a comparação de automatizados com cambios que realmente não são dos melhores. Sempre vem a comparação de um dualogic com um AL4. Esse AL4 está desde o Xsara Picasso lá proximo do ano de 2000. Quer ver outro automatizado ruim? da Mercedes. É tão ruim que os donos reclamavam do excesso de trancos do mesmo.

                      Outro ruim de origem Mercedes ? O cambio do antigo 300C. Além de lerdo da tranco. E pior: Não tem kick down.

                      Ou seja… é sacanagem argumentar. Quer ver outra coisa? Qual é o cambio do Corolla? Aisin. Esse cambio está presente desde a geração anterior do modelo. Cambio automatico de Vectra e Zafira? Aisin (de modelo diferente do Corolla).

                      Se reparar, nosso mercado carece de automaticos mais recentes, porém alguns deles ganham qdo falamos de powertrain. Eles secombinam. Caso do proprio Corolla, Zafira, Vectra… ainda que esses dois dificultem na realidade pelo motor. (não na potencia mas na forma de entrega, é sem trancos, mas o ajuste privilegia rotação baixa e gosta de jogar a marcha para frente). Quer ver uma coisa que sempre é discutido aqui? Golf GT. Ele tem um cambio tão bom, que mesmo o motor 2.0 de 120cv nele, faz muitos modelos 1.8 e 2.0 mais potentes andarem em ficha tecnica menos.

                      Só que claro, vamos colocar realmente os automatizados em comparação aos automaticos em um geral? Opa, ai vemos que ainda os automaticos mesmo de 4 marchas são mais confortaveis e respondem a contento perante os automatizados. E é isso que o pessoal não pensa qdo quer comparar. Eles pegam um cambio e não um geralzão e por isso, fica nessa discussão. Mas eu mesmo estou muito curioso nesse cambio do Bravo pois parece resolver aquilo que eu achei justamente ruim nele.

                      Abraços

                • O_Corsario

                  Isso que falei acima. As pessoas no Brasil não querem abrir mão de nada. Mas falar o que de um país onde em resenha de carro 1,0 ainda se fala em "comportamento esportivo"? Depois reclamam que o consumo é alto… Difícil!

                  • Edson Roberto

                    Sem contar o custo maior de se manter um carro com motor maior (e eu só falo do motor sem contar a mecanica que é alterada para suportar o novo motor…)

              • danieldourado_2

                Ou, fala pra Nissan que o câmbio automatizado do Nissan GTR que custa R$640.000,00 é coisa de carro popular!

                • Cristiano_RJ

                  Então você quer dizer que o GT-R usa câmbio automatizado de uma única embreagem? É mesmo? Ou você não leu tudo o que eu escrevi a respeito de câmbios de dupla embreagem?

                  • danieldourado_2

                    Sim ele é dupla embreagem. Eu não li o que você escreveu sobre os de dupla… Foi mal.

                    • Cristiano_RJ

                      Falou!

                    • thales_sr

                      Ué, muda o argumento pro Lamborghini Gallardo, rs… Esse sim é popular!

                  • TDRamos

                    O Aventador usa cambio automatizado de uma embreagem

              • Punto

                A comparação é injusta: afinal, os dualogic custam beeeeeeeeem menos que os automáticos. Se ao menos fossem iguais aos automáticos, nem precisaria ser melhores, já que custam a metade. Não há lanche grátis…

          • KTA

            Essa interação do câmbio no modo automático com as borboletas no volante é uma sacada muito boa da Fiat. Sempre li nos sites automotivos e diversos comentários dos leitores que o calcanhar de aquiles desses automatizados era o modo automático (que é mais indicado para o uso urbano). Mas me surpreendi uma vez que peguei um táxi (Idea dualogic) com o motorista andando sempre no modo automático, e não percebi nenhum tranco digno de nota. Até comentei isso com ele, pois tenho um Focus Sedan Automático 2009, e para mim foi como se estivesse no interior de um carro automático. Sempre li muitas críticas aos câmbios automatizados, mas os câmbios automáticos também tem suas críticas, como a questão do consumo, por exemplo. Acho que foi até mesmo aqui no NA que o Cruze automático recebeu críticas na avaliação em função de a 6ª marcha não ter funcionado adequadamente como overdriver na estrada. Espero com muita ansiedade o lançamento do Focus 2013, pois a expectativa é que a mesma traga o câmbio Powershift (automatizado de seis marchas com dupla embreagem), que promete o melhor dos dois mundos. Valeu!

            • GuiKiev

              O problema é que muita gente que mete o pau aqui, nunca sequer entrou, muito menos andou num carro automatizado. Aí, criticar sem ter argumentos, só para falar e aparecer é fácil.
              Infelizmente nem todos testam algo para elogiar ou criticar depois, simplesmente se acham os entendidos do assunto e pronto. Eu tenho um carro dualogic e gosto. Ele atende as minhas expectativas.

              • allysson13

                Eu tive um Siena Dualogic 2010 e o carro era excelente, realmente o cambio dá uns trancos até a terceira marcha mas acabei me acostumando, pra mim o importante era não ter que pisar na embreagem, então o cambio cumpre perfeitamente a função. Se eu fosse comprar outro carro da Fiat com certeza seria outro Dualogic.

                • Cristiano_RJ

                  Aí? Tão vendo só! O seu relato corrobora exatamente com os meus argumentos:

                  "(…) é igual a um plano de saúde com internação em enfermaria e outro com direito a quarto individual. Todos os dois funcionam e cumprem o que prometem. Mas são para públicos e bolsos diferentes. (…)"

                  "(…) deste tipo de solução ser uma mão-na-roda para os segmentos populares. Porém, pelas razões já expostas, não se justifica em segmentos onde as exigências técnicas são maiores (…)"

                  E quando você for comprar um Fiat de segmento superior? Por exemplo, um Freemont? Sequer tem Dualogic disponível. Digamos que a Fiat lance o Dodge Dart com seu emblema. Será que traria com câmbio Dualogic? Duvido! E se trouxesse com a opção Dualogic e também um automático de 6 velocidades, qual você iria preferir? Mesmo pagando uns R$ 3 mil a menos pelo Dualogic, estamos falando de um carro que provavelmente superará os R$ 80 ou até mesmo os R$ 90 mil! Veja outro exemplo "em casa": por que o Fiat 500 top, com motor Multiair vem com câmbio automático de 6 marchas e só o Cult, mais barato e com motor mais simples e tecnologicamente atrasado (1.4 8V) vem com Dualogic? É porque ele é melhor?

                  • fredggp

                    No Caso do Freemont, me corrija mas a FIAT deu só uma Garibada, pois o projeto com o câmbio com conversor já existia (DODGE). Outra nem todas as montadoras possuem ou investiram nesta tecnologia (AUTOMATIZADOS) a exemplo da Ford ou da Renault (BRASIL) que dispõe em seus carros populares um câmbio mais caro com conversor quando pela lógica financeira, e se esta dispusesse, deveria ser um câmbio mais barato ou automatizado. Só conheço argumentos financeiros para desconsiderar os Automatizados em carros de segmento superior. O cambio automatizado de dupla embreagem valoriza o tempo de troca de marcha para uma tocada mais esportiva, lado este que não é muito enfatizado nos câmbios com conversor cuja pretenção seria proporcionar mais conforto. Ainda não possuo argumentos técnicos que motivem a inclusão ou não do atomatizado nos carros de segmentos médios para cima. Se tiver favor compartilhar. Valeu, Fred.

                    • Edson Roberto

                      Peraí então Fred.

                      Se for pensar nessa linha de raciocinio, então a Fiat sacaneou mais ainda. Sabe porque? Porque tal modelo já receberia um cambio de 6 Marchas… mas segundo a Fiat, ela mesma optou por um cmabio inferior por conta de diferenciar o Journey do Freemont.

                      Alguns vão dizer que o motor era o do PT Cruiser… mas lembrando que esse mesmo motor já equipa o Dart que usa? Cambio de 6 velocidades. Ou seja…. corte de custos para lucrar mais mesmo. Mesmo no produto top de linha ela usou o criterio que ela faz com seus carros (assim como as demais), maximizar o lucro.

                      E sabe porque a Fiat fez isso? Porque brasileiro novamente, não diferencia modelos de cambios. Isso porque para ele, automatico é automatico e pronto.

                    • fredggp

                      Pois é, para o nosso mercado não tendo o pedal da esquerda é automático e já basta. Realmente falta um estudo mais apurado do mercado automotivo brasileiro, se tem não é divulgado. Os automatizados estão evoluindo, vai ver que os primeiros que você citou no outro post que deram problema foram os primeiros com alcance de vendas maior sendo então apuradas maiores reclamações. Essa evolução do Dualogic plus foi bastante interessante e como esses câmbios estão vendendo bem a tendência é que eles melhorem. Valeu Edson.

              • thales_sr

                Rapaz, o que mais tem é papagaio de pirata, lê uma bobagem aqui e ali, e sai bradando sem nunca ter andado. O mais engraçado é, querem pagar de inteligente pra quem? Ninguém conhece eles… Só pode ser masturbação do ego.

                • O_Corsario

                  São os caçadores de "pontuação"!

                  • Rods

                    Teria um mesmo com o "suposto" tranco… Não sei falar porque nunca dirigi um….

                    Mas o câmbio é feito pra ser automatizado… Uma ajuda… Não vem escrito automático….

                    É o que você falou acima…. Querem 1.0 esportivo…. Querem colocar preço nas coisas, querem automatizado CVT, etc…etc…

                    As pessoas querem o que não pode, não dá…. E o que tem, nunca é suficiente….

                    O suficiente é suficiente???

                    Lógico… Os critérios de fulano, são deles… Os meus, são meus…

                    Se não concordo, não compro…. Vejo um ódio quando se fala "automatizado"….

                    E aí descem a lenha…. "lixo… merda… porcaria…" e por aí vai….

                    • Edson Roberto

                      Opa… isso é legal SE a Fiat não comercializasse o Bravo dizendo que ele TEM um cambio automatico. Sabemos muito bem que a saida da Fiat para isso é dizer que o uso da palavra automatico se refere a não ter a necessidade de utilizar embreagem… mas se fossemos um mercado realmente sério, não aceitariamos isso.

                      Pois se apregoa quando um cambio como o DSG é superior, acho que quando esse pode identificar sendo possivelmente inferior (ou não) ele deveria informar qual o tipo de cambio.

                      No mundo inteiro é assim e aqui no Brasil, quando falamos a respeito disso, além de discussões acaloradas os defensores vem com essa justificativa achando que eu odeio a empresa mas na verdade, defendo meu interesse, aquele de não ser enganado.

                      É o mesmo que falar dos motores… porque não falar quando é 1.3? (JAC, Honda, entre outras) porque sempre para cima? Isso é o ponto, o consumidor deveria ter mais transparencia e ao rodar ele decidir o que quer de forma correta.

                      Só que tudo é ludibriado de forma que se um item seja mais superior baseado em informações erroneas. E antes que me critiquem, falar de um motor 1.3 mais potente que um motor 1.4 seria um ponto a favor e não o inverso. Mas claro que eu olho ficha tecnica, quem é leigo vai olhar realmente o "litro".

                    • Rods

                      Pura verdade…. Como o povo é ignorante, burro e preguiçoso, fica nessa "enganação"….

                      Realmente é vendido com a ideia de automático… E fica por isso mesmo….

                      Quanto a história do motor, não precisa falar nada… Né D. Honda???!!!….

                    • O_Corsario

                      "mas se fossemos um mercado realmente sério, não aceitariamos isso."
                      E pelo visto não aceitamos mesmo, visto as baixas vendas do Bravo.
                      Eu concordo com vc e ainda acho que o pior para qualquer empresa é vender gato por lebre. Se a Fiat fizesse jogo aberto e mostrasse que seu cambio é automatizado e quais as vantagens do sistema, talvez vendesse mais. Mas dizer que é "automático" complica e afasta sim muita gente que vai esperando uma coisa e encontra outra.

              • kikofar

                Cara, parece o povo metendo pau na épóca dos motores 16v aqui no Brasil… Caboclo falando mal… aí eu perguntava: já teve algum carro 16v? "Deus me livre… nunca tive nem quero ter". kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • KTA

        O câmbio é opcional, ou seja, compra quem quer….

        • arianoneves

          Acho até que ficou bom o câmbio, tenho um automático, nunca andei num automatizado, mas acho que eles evoluíram sim, mas visando mais a "parecer" um automático, porém como fica o desgaste do sistema? Esse recurso de andar a 7,5 km/h quando tira o pé do freio, o sistema fica a toda hora acoplando/desacoplando a embreagem, diferente do conversor de torque dos automatizados em que o atrito ocorre entreo óleo e o aço (muito menor atrito), a embreagem/platô é aço com aço, comprometendo assim a durabilidade do sistema duallogic plus! os automáticos depois de 200.000km é que muitos fabricantes recomendam a revisão do conversor (a ford com o cambio da ecosport).

          • AutoIng

            Embreagem é um componente barato, e com certeza estão usando uma bem reforçada nesse sistema. Mesmo que precise trocar o kit a cada 100 mil km, digamos, será algo fácil de mexer por qualquer mecânico. Já um automático convencional quando dá problema, pode sentar antes de ouvir a conta… Ah e sim, conheço muita gente que já teve sérios problemas com automáticos convencionais (o que é normal, não estou criticando o câmbio em si, apenas apontando que não está livre de problemas como muita gente imagina).

            • jcesarcbr

              Trocar a embreagem desse aí não sai por menos de 2 mil. Se o atuador e o volante forem juntos – o que é comum -passa de 5 mil reais. Pode orçar.

            • Edson Roberto

              Auto, vc está bem enganado.

              Tanto que a GM inclusive parou de comercializar o Easytronic para os taxistas. Esse conjunto usado como taxi, não dura nem 50000km e o Jcesar está certo, o custo é bem alto. E como muita gente desconhece isso, acha que sai mais barato, mas já disse e repito: É mais caro de manter devido a robotização do sistema.

              Os I-Motion tem apresentado travamento do cambio em terceira marcha. O mais resistente é o da Fiat que até agora tem agradado seus donos. Mas muitos migraram para a Livina por conta do cambio ser automatico. e ter a durabilidade desejada por eles. E quando falo isso, é de taxistas que tiveram que trocar por 2 a 3 vezes o sistema e por gastar cerca de R$3000 por manutenção do cambio (Meriva), acabaram por voltar o cambio manual.

          • Edson Roberto

            Isso é verdade. Porém o automatico serve para evitar mudanças na operação. Então voltamos ao funcionamento do auotmatico: O que muitas pessoas fazem em cambios automaticos que utilizam como prioridade a lubrificação do sistema? Chegou em um semaforo, colocam o cambio no Neutro. O que acontece? Isso para a lubrificação e ainda desgasta prematuramente o sistema.

            A utilização desses itens é extremamente importante para evitar o desgaste. Assim como usar o automatico em aclives. Se for para segurar o carro, que aperte ou puxe o freio de mão, isso evita o deslizamento e force o conversor. Noi automatizado, se a pessoa começar a usar de forma errada, vai gerar o mesmo problema. Esse sistema permite usar de forma correta, mas muitos vão forçar e desgastar a embreagem desnecessariamente.

      • Tripa-Seca

        Mas tenho a impressão que o câmbio é opcional, não de série.

    • umbraz

      Pois é… quer vender mais, baixa o preço. O problema é que se fizer isto, o cartel retalia. Daí ficamos todos ali na mesma faixa de preço mesmo, e o Bravo continua sem vender nada. Estas notícias são engraçadas, em nenhum outro produto a não ser automóveis uma empresa iria querer alavancar as vendas de um produto deste tipo (tecnologicamente inferior e com fama de mico) sem baixar o preço. Talvez eles assumam com convicção que somos todos burros, e uns adesivos horrendos e um teto solar legal vão fazer uma diferença gigantesca.

    • AndersonDak

      prefere um focus titanium que não tem nada de especial, um golf de 1997 mais caro e que não chega nem aos pes do Bravo ou um hyundai i30 4marchas so com 2 airbags e cinto 2 pontos traseiro…. o cardápio está aberto…… fico com o Bravo na certeza… todos o criticam sem analisar seus concorrentes….. (se é que pode se chamar de concorrente a respeito do golf…)

      • Cristiano_RJ

        Focus não tem nada de especial? NO COMMENTS!

        Engraçado você citar que o i30 só tem 2 air bags, o Bravo tem quanto? Ah tá, os outros são opcionais? Então saiba que nas versões intermediária e top o i30 não só tem 6 air bags, como ESP/ASR. Câmbio de 4 marchas, tanto o i30 atual quanto o Focus também tem, mas é melhor que o Dualogic, sem dúvidas. Mas com as novas gerações chegando, todos passarão a contar com câmbios de 6 marchas. Aí, haja marketing para convencer que o Dualogic plus é a mesma coisa (se bem que se depender da torcida que aqui escreve, não precisa convencer de nada, até Lamborghini perde).

        • Rafa_el

          Ford Focus – vamos lá:

          Motor Duratec 2.0 ou Sigma 1.6 em alumínio. Funcionam de maneira super suave e, na versão 1.6 é bem econômico e o 2.0 acelera com bastante vigor, motorzão. Falo isso, pois testei os dois motores. O 1.6 foi em pista fechada podendo pisar tudo.

          Carro confortável, sóbrio (isso agrada muita gente), equilibradíssimo dinâmicamente. Suspensão traseira multilink. Acho o Bravo mais bonito por dentro e por fora, principalmente a versão T-JET.

          Acontece que o "nada de especial" parte de uma análise um tanto incompleta.

          Dizer que a tocada daquele 2.0 Duratec não tem nada de especial é um ultraje.

          • Matheus_P

            acho que ele quis dizer mimos… Os opcionais são os mesmos de 2009… só mudou o farol com bloco elipitico só na titanium, e sem xenon ainda por cima…

        • hiperleo

          Sem contar que o consumidor dessa faixa de preços é antenado e já sabe da chegada da nova geração de Focus e i30. A maioria pesará se vale a pena esperar ou comprar já um Bravo. Pra mim parece evidente que é melhor esperar.

    • afonso200

      achei interessante essas modificaçoes no cambio automatizado, mas não na minha garagem. que loucura o cara pisava e a marcha subia, uahsuahsuahs só os nacionais mesmo… vou ter que fazer um teste no cambio velho e no cambio nbovo p/ ver como é um automatizado, pois só ando de automatico…. p/ ultrapassagens, com o azera 2011 , taco o pé lá no fundo, sai de 6° para 3° em 80km/h e vai disparando na ultrapassagem…. hehe

  • Jaaggg

    Quem é a VW pra zuar alguma montadora??? kkk a Fiat podia revidar mostrando a diferença de motores dela nacional com os Ap da vida kk

    • JonathanAbud

      Era só fazer uma propaganda estilo parque dos dinossauros. Ps: Volksvagen Golf… Vagen matou…

      • Marcus

        golf é novo é de 98, muito pior a Kombi.

        • AutoIng

          1998 não faz tanto tempo assim… quem não se lembra do "É o Tchan"? Até parece que foi ontem… cof cof…

        • Filipe_GTS

          ainda se fosse vendido por R$ 45.000 completo seria uma boa

  • Alex_JW

    O Bravo merecia vendas melhores, pois se comparado aos rivais de segmento não fica atrás, pelo contrario, tem um bom pacote de equipamentos e preços na faixa ou abaixo da concorrência. O Essence por exemplo vem sendo anunciado na faixa de 49 mil no RJ após a queda do IPI.

    Já o Sporting, apesar de não ser propriamente um esportivo, tem ótimo pacote de equipamentos e um teto solar decente, o skydome, não uns basculantes como se vê em outros modelos. Alias é justamente a versão Sporting q traz o melhor acerto de suspensão da linha, igual a do T-Jet.

    Muitos virão com o mi mi mi sobre o Dualogic, até entendo pois há uns anos quando este câmbio foi lançado, deixava a desejar, entretanto hj cumpre bem o seu papel e se assemelha cada vez mais aos tradicionais automáticos.

    Mas esperar o que de um mercado que compra mais Dino-Golfs do que Bravos?

    • Filipe_GTS

      É essa cabeça dura dos consumidores da época do Fiat 147 que não mudaram de raciocínio.
      Pra eles, Tempra era uma b*sta, Tipo era uma b*sta, 16v são uma b*sta, turbo é uma b*sta…
      Acostumados em Fusca e Gol AP que não evoluíram com o tempo.
      Esse carro é lindo, por dentro e por fora. O teto solar é um espetáculo. O câmbio, pelo que estão dizendo, melhorou muito.
      O Sporting é rebaixado em relação ao Essence (altura de rodagem igual a da Europa), milagre em país de jipes “erguidos” pra rodar no nosso solo.

      • Alex_JW

        Tem razão Filipe,

        Eu citei o Golf, que apesar de ser um bom carro, está a anos luz do verdadeiro Golf q roda lá fora, este sim um espetáculo, lamentavelmente a VW prefere nos insultar com essa geração 4,5 aqui oferecida.

        A Fiat pode até ter domoradona trazer o Bravo, mas ele finalmente chegou, antes ainda q o 308 por exemplo, q demorou 4 anos pra chegar aqui.

    • Leandro1978

      Olá Alex. Infelizmente ainda não tive tempo de fazer o test drive deste novo câmbio. Mas de ver o vídeo que me indicou anteriormente, parece muito claro que a Fiat foi bem feliz nesta "segunda geração" deste tipo de cambio. Inclusive já li que a VW está preparando algo semelhante na sua linha (se não me engano, a mesma empresa desenvolve o cambio para as duas montadoras). Agora, quem insiste em afirmar que o cambio é o ponto fraco, deve ser por falta de conhecimento ou má fé mesmo (algo muito comum por estas bandas). Quanto à versão, inicialmente torci o nariz, pois achava que era mais um "pseudo-esportivo" e por que, até então, havia dois kits esportivos disponíveis como opcionais nas versões "normais". Porém, pensando um pouco e com calma, esta nova versão é bem interessante. Sendo bem equipada a preço competitivo. Além disso, para quem quer desempenho esportivo, há a versão TJet, embora tenha uma grande diferença de preço (em torno de R$ 8.000). Sinceramente, hoje, seria minha opção, caso pensasse em hatches médios abaixo dos R$ 60.000.

      • Alex_JW

        Coeh Leandro, como sempre com posts sensatos e imparciais.

        Estou sem carro há meses, priorizei a compra da casa própria, uma ótima compra por sinal, mas mesmo assim vou tentar fazer um TD no Bavo Dual Plus, só pra ver colé e conhecer o carro melhor, mesmo sem a intenção de levar o carango. Por meus planos ficarei anos sem carro, cansei de ser tratado como Terceiro Mundo ou, como nos chamam hj, de mercado emergente…

        Mas vou te dizer q fecho com a sua opinião, HOJE tbm iria de Bravo Sporting (só pintaria essa grade dianteira pra ficar toda preta, hehehe), de resto o carro me atenderia bem! Ah, tbm sumiria com esses adesivos pseudo-esportivos…

      • Quem fabrica o mecanismo de automação dos cambios i-motion e dualogic é a Magneti Marelli, que pertence a Fiat.
        Mas a VW conseguiu um ajuste melhor de software na primeira geração, por isso era menos pior que os da Fiat.

        Espero que tenha conseguido melhorar a manutençao, pois pelo menos da Meriva é um absurdo, o desgaste de embreagem é bem maior e o custo da manutenção, 3x maior segundo a 4R.

        Se esse novo cambio for tão bom, ainda vai ajudar no pós-venda. Pois modelos Stilo e Linea com o Dualogic tem desvalorização acentuada frente ao manual. Eu mesmo quando fui comprar o Stilo, comumente encontrava o Dualogic 1 ano mais novo com preço melhor.

      • MM_

        Leandro, não é falta de conhecimento. Quando fui trocar o Tiida, fiz test drive no Linea e achei o cambio terrível. Só pra vc ter uma idéia de como não gostei, ao invés do Linea comprei um C4 com o famigerado AL4, que pra mim ainda era melhor que o Dualogic.

        Não andei nesse novo e realmente fiquei curioso, pois a característica que menos gostei do Dualogic foi o fato de ter que acelerar para ele andar, diferentemente do automático que vc manobra só controlando no freio mas parece que eles resolveram esse problema.

    • aprs

      Eu também fiquei curioso pra saber se essa versão do bobotizado presta. Se era tão bom porque tantas melhorias? Manutenção e ajuste pior que o tranco-motion mostravam bem que a Fiat errou feio até então(?).

  • DiMais

    até a chegada – um dia quem sabe – dos câmbios de dupla embreagem a Fiat ainda vai gastar uma nota melhorando o Dualogic, bom para os modelos menores que continuarão com essa opção mesmo com a chegada dos DDCT.

  • marcelofalves

    fiquei curioso de fazer um test drive com esse novo cambio "plus", se realmente funcionar como foi descrito, as mudanças foram otimas, continua a ser um automatizado, mas essas melhoras para comentar só usando ele, só nao deixaram claro sobres os equipamentos de serie, é um essence com + teto e o kit esportivo? foi o que deu para entender, 50 mil nesse carro com teto de serie seria perfeito, ia vender bem, mas pelo menos nao jogaram ele entre o tjet e absolute

    • rodolffho

      Sim, Marcelo. Ele é um Essence com kit esportivo e teto de série. E suspensão mais baixa, cerca de 2,5 cm em relação a Essence.

  • MatheusCampos

    A se eu pudesse e meu dinheiro desse!!!
    .
    Simplesmente um dos melhores da categoria, pena que não é tão valorizado pelo publico alvo.- Caro todos da categoria são, só que o Bravo tem um melhor C/B.

  • Jaaggg

    Acho que por 58 mil não melhor custo beneficio??? alem dos equipamento de segurança, vem com teto de verdade, roda 17.

    • luidlh

      poxa, por 60 mil, eu pego um sentra 2.0 cambio CVT. nem marcha tem! tu nem sente trocando de marcha, e faz de 0 a 100km/h em 10,6 segundos
      fora o conforto do carro e espaço interno (dane-se o segmento, gente inteligente vai pelo custo x benefício)

      • Tripa-Seca

        hahah…Olhem o Sentra aí, amigos! Vocês achavam que ele tinha morrido? Claro que não!
        Vou comprar um AP? Que idiotice! Por esse valor, dá para comprar 4 Sentras!
        Fox a 50 mil? Absurdo! Tem o Sentra! Manuntenção, rede de concessionária, consumo? Isso é mito..
        Camaro tinha que custar 45 mil. que por 49, já tem o Sentra, e aí coitado do Chevrolet…

        • Alex_JW

          Sensacional…hahaahahaha…..

          A galera confunde os segmentos direto.

          Bravo é hatch, Sentra é sedã.

          Claro que se pode comparar os carros pela faixa de preços, mas se um consumidor está procurando um hatch e não precisa de mala, ele vai comprar um hatch e ponto final.

          Ontem o Fluence, hoje o Sentra…hehehe… é o novo queridinho da galera do NA!

      • SonataRio

        Por acaso o Sentra tem teto-solar. E mais, poucos sabem, mas a manutenção do Bravo é de longe a mais barata do segmento. A cesta de peças do Bravo é R$2.663, contra R$3.754,00 do Focus, R$3.128,00 do i30, e o Sentra adorado R$3.480,00. Fora a desvalorização do Nissan que em média chega a 20%, passando facilmente disso na vida real, ao passo que o Fiat fica na faixa dos 15% junto ao Focus e atrás do i30. A pessoal, quem quiser pode pedir a cesta de peça de qualquer veículo vendido no Brasil, que eu tenho todas, assim caso esteja interessado em alguns veículos, pode analisar a manutenção.

        • Alex_JW

          Muito bem lembrado, Sonata!

          Mas a galera não quer saber, pois vestem a camisa das montadoras.

          Afinal o Bravo é Fiat (odiada pela maioria) e o Sentra é Nissan (adorado pela maioria).

          Fora que esquecem que a compra de um veículo pode não ser um investimento, mas há de se levar em questões situações como pós-venda (número de CCS´s), pacote de peças (como vc observou), manutenção, etc…

          Eu até acho que o Sentra é um ótimo carro, sem dúvidas, no segmento de sedãs eu ficaria entre ele e o Fluence numa primeira avaliação, mas o tópico aqui é sobre o Bravo, um hatch.

          • Cristiano_RJ

            "Afinal o Bravo é Fiat (odiada pela maioria)"

            Não aqui. Por aqui, a "torcida organizada FIAT" é grande!

  • Mateus_007

    Não gosto da FIAT.
    Mas se fosse para escolher entre esse Bravo e o Golfssauro 4. Eu pegaria o Bravo sem pensar duas vezes.

    • Pedro Evandro

      Eu também não gosto da Fiat, mas pegaria o Bravo com certeza!

    • Cristiano_RJ

      Mas o Golfssauro é cachorro morto. Pra que chutar? Na mesma faixa desse Bravo Sporting tem o Cruze Sport6 LT e o 308 Allure 2.0; isso só para ficar nos mais novos lançamentos do segmento. Eu ficaria com o Chevrolet.

      • Mateus_007

        Eu tambem ficaria com o Cruze.
        Mas citei como exemplo o Golfssauro, porque ele vende mais que o Bravo.(infelismente)
        VLw

        • marcelofalves

          tive numa ccs vw pra ver o jetta e conversando com vendedor conhecido, comentei sobre golf com ele por nao mudarem e vender tanto, ele me disse que golf vende muito para frotista, se é real num sei, mas é uma boa explicação, eu tb pegaria um bravo, jamais um golfssauro

          • Tejolo

            VW no geral vende bem para frotista. O banco VW faz milagres com os preços, prazos e taxas. E depois descontam tudo na PF e compras pequenas PJ, com preços abusivos comparados com a concorrência.

      • marcelofalves

        eu prefiro o cruze tb, achei bonito o carro, porem analisando, o custo beneficio o bravo ganha do cruze, pra pegar um cruze com teto completo é mais de 72 mil, a diferença é grande, pra quem nao se importa de ter um belo teto solar, um cruze basico é uma boa pedida, é frescura pra uns, mas para outros é um item importante

        • Cristiano_RJ

          Pois é, depende das prioridades de cada um. Eu também acho o teto solar um equipamento bem interessante e que valoriza o usado na hora da troca, mas se por um lado o Cruze LT vem sem teto solar, por outro ele já vem de série com air bags laterais, ESP e ASR. Se segurança for uma prioridade, o Chevrolet dá um banho no Fiat. Além do mais, apesar do motor de ambos ser 1.8, a concepção do Ecotec é muito mais moderna, com comandos de válvulas variáveis, o que lhe confere maior potência e curva de desemepnho mais elástica, além de vir com o câmbio manual de 6 marchas (superior ao do Bravo) e automático também de 6 marchas (sem comentários quanto ao DUALOGIC). Enfim, considerando prós e contras, o Cruze Sport6 é mais carro e eu ficaria com ele. Aliás, fiz o test drive na versão LTZ manual e me surpreendi com a dirigibilidade do modelo.

          • Punto

            Então pegue um Essence manual, com rodas 17" e packet-safe, que o preço sairá por 57.963,00. Quanto ao motor, confesso que na prática ainda não testei, mas todas as publicações são unânimes em dizer que o consumo decepciona demais, sem que haja contrapartida no desempenho.

          • Tejolo

            Quanto ao motor, o do Cruze não é esse espetáculo todo… o fiat com 10cv à menos oferece maior torque. Acho que a GM extrai muitos cv´s por questão de marketing. Quanto ao câmbio, vai do gosto de cada um. No meu caso o do Cruze parece ser melhor, por ser um auto de verdade, porém pela reportagem, o novo sistema fiat parece ser muito bom. Só testando.

      • Tripa-Seca

        Na mesma faixa? Mas o Chevrolet não é 7 mil reais mais caro?
        Eu acho muita coisa! A não ser que algum equipamento compense essa diferença.

        • Cristiano_RJ

          Se você for no site da Chevrolet e clicar no botão "monte o seu" verá que o Cruze Sport6 LT manual começa nos R$ 60.094. Isso não é a mesma faixa que um carro que custa R$ 58.140?

          • Tripa-Seca

            Valeu Cristiano. Não sei de onde tirei que ele era 65 mil!

          • Punto

            Sem teto-solar, certo? ;)

            • Cristiano_RJ

              Certo!

          • AutoIng

            Só o teto vale quase 5 mil. Ou seja, o Cruze é bem mais caro sim.

            • Cristiano_RJ

              O teto não vale "quase R$ 5 mil". Este é o preço, muito salgado por sinal, que a Fiat cobra para equipar a versão Essence. Na versão Sporting, ele já está incluso, juntamente com as rodas por este mesmo valor. Se teto solar é uma prioridade, o Bravo nessa nova configuração passa a ser a opção mais barata do segmento ao lado do 308. Mas o Cruze supera o Bravo em outros aspectos que já citei. Gosto de teto solar (tanto que meu atual carro tem e meu antigo também tinha), mas abriria mão dele neste caso específico.

          • Jaaggg

            Sem teto mesmo assim vai ficar devendo um teto de verdade

      • Jaaggg

        Cruze pelado??? ainda mais caro?? fico com o T-jet

        • Cristiano_RJ

          Cruze pelado? Bicho, vai me desculpar, mas não é mexxxxxxmo! Agora, se for para ir para o T-Jet, a comparação seria com a versão LTZ e não a LT. Equipe um Bravo T-Jet ao mesmo nível do Cruze Sport6 LTZ e você verá a conta da "brincadeira". É absurdamente e injustificavelmente caro! Se eu optaria pelo Bravo T-Jet? Talvez… porque gosto de desempenho, mas como ele fica muito caro quando equipado, é melhor partir para um modelo que tenha esportividade de fato e não apenas uma "meia-esportividade". Por isso que acabei optando pelo Jetta TSI.

          PS. Cheguei até a ir a uma ccs Fiat conhecer e fazer um TD no T-Jet. Mas eles não tinham nem no salão…

    • Alex_JW

      Eu tbm não gostava da Fiat, sem nenhum motivo, simplesmente pq todo mundo falava que era ruim. O que é a falta de experiência na vida de um homem…. a idade definitivamente tbm traz coisas boas!

      Minha mulher tbm não gostava de mim, todo mundo na faculdade falava que eu era mulherengo. Mas ela pagou pra ver e hoje é muito feliz, e em outubro completaremos 16 anos juntos!

      Com a Fiat foi quase a mesma coisa… vinha de um New Civic e peguei um Punto EtorQ 1,8 depois, e não é que o carro me surpreendeu positivamente?

      Enfim, vivendo e aprendendo, basear uma compra, ainda mais de um bem como um carro, bem caro, em palpites e opiniões sem qualquer embasamento de pessoas que odeiam por odiar, não vale a pena.

      Hoje estou sem carro e ficarei assim por um bom tempo (usei a grana pra amortizar o saldo devedor de um imóvel q comprei), mas na próxima vez que tiver um carango, considerarei a Fiat sem nenhum preconceito, nenhum mesmo.

      • PauloECosta

        O Alex é só honestidade, abre o coração pro mundo!

  • Cristiano_RJ

    Percebo que o longo debate da notícia anterior sobre esse Bravo Sporting se repete, com dúzias de admiradores da Fiat rebatendo com unhas e dentes as críticas. Mas vejam bem, não se trata de "mi mi mi", utilizando a expressão já usada por uns aqui mesmo, muito menos de preconceito de marca, mas o fato é que o câmbio DUALOGIC é sim um produto aquém das exigências deste segmento em diante. É louvável o esforço da Fiat no sentido de melhorar a usabilidade do DUALOGIC (o segmento de populares agradece), mas por mais "semelhante" que ele seja a um câmbio automático convencional, ele ainda é inferior. Se por um lado a Fiat está conseguindo avançar tecnologicamente, a concorrência está abandonando os antiquados câmbios de 4 marchas e progressivamente migrando para os câmbios de 6 marchas. Aí fica ainda mais difícil…

    A única solução que me parece adequada em termos de câmbio automatizado é a utilização de dupla embreagem, como no DSG. É nisso que a Fiat deve investir. E ela sabe disso. Tanto sabe que no caso do Freemont, não arriscou o DUALOGIC, e preferiu um automático, mesmo que de 4 marchas.

    • TDRamos

      Automatico de 4 marchas já era casado com o Motor, porque os dois faziam parte do conjunto Motriz do PT cruizer, e a ordem no Freemont vendido aqui era reduzir custos, já que aqui é o unico lugar no mundo onde Freemont e Journey convivem

      Então rap não ter que gastar dinheiro adaptando qualquer outra caixa de marcha foi usada logo a que já estava a mão

      Não sei se passou pela cabeça da FIAT alguma vez colocar um Dualogic no Freemont, mas o cambio é automatico por isso

    • CyborgPilot

      Bem coerente teu comentário. É exatamente o que eu penso.

      • Cristiano_RJ

        Pois é. Valeu pelo comentário favorável. Não imaginei o quão grande era a torcida da Fiat aqui neste blog. E olha que chega a ser até esdrúxula a discussão: querem fazer crer que o Dualogic não deve nada a um automático! Querem fazer vista grossa ao fato de que é apenas mais uma versão esportivada fake! Será que as mesmas pessoas que agora defendem não criticaram o Corolla XRS ou o Veloster?

        • Tripa-Seca

          A questão é outra, Cristiano: Em que exatamente o automatizado não atende o público como o automático? Faltou isso na sua explanação. Falar que é melhor e pronto, sem falar no que exatamente, é que é esdrúxulo.
          Eu por exemplo: Minha mulher está com problema de LER,e por isso desejo adquirir um carro com troca de marchas automáticas. Porque o automatizado não nos atenderia? No que o automático seria melhor. Falar que ele traz mais conforto de operação é uma boa, desde que se explique o que seria esse conforto adicional. Isso de "tal coisa é melhor", sem explicar o porque, que é coisa de torcida. Porque um Focus desse valor me atenderia melhor que o Bravo? Isso que quero saber.

          • Cristiano_RJ

            Cara, é indiscutível que o funcionamento de um "bom" câmbio automático (ainda que de 4 marchas) supera o Dualogic. Isso é um fato. Se não fosse, porque a Fiat estaria fazendo tanto alarde assim com esse Dualogic plus? Supera em quê? Em suavidade de funcionamento (trocas praticamente imperceptíveis), interpretação correta das situações emergenciais mais diversas com atuação a contento, reduzindo ou aumentando as marchas conforme necessidade, velocidade com que as trocas são feitas (sem indecisão) e porque não citar, facilidade em manobras (problema que parece ter sido corrigido nesta versão).

            Enfim, Dualogic, Easy-Tronic e i-Motion cumprem bem sua finalidade devido ao menor custo e menor consumo, além de se darem melhor com motores pequenos. Por isso são ideais para dar ao público consumidor de carros populares (Fox, Grandsiena, etc.) a possibilidade de usufruir do conforto de não ter que "cambiar" no trânsito pesado das grandes metrópoles, sem ter que gastar o dinheiro que eles não possuem.

          • Cristiano_RJ

            O problema é quando essa solução "não ideal", por apresentar usabilidade inferior, é extendida para carros de segmento superior: Bravo e Linea. Neste caso, o nível de exigência do público é maior, assim como sua capacidade de gastos. Isso sem falar que a concorrência está à frente da Fiat. É como eu citei lá em cima, um plano de saúde de uma empresa de ótima reputação (ex. Unimed) porém, com internação em enfermaria ao invés de quarto individual é uma solução excelente para quem não tem recursos, mas para um público mais exigente, não atenderá…

    • Jaaggg

      Melhor que os Automático de 4 velocidade, prova que o Automatizado é melhor só comparar o 408 manual com o automático defasado de 4 marchas

      • Cristiano_RJ

        Assim como existem boas suspensões por eixo de torção (como a do próprio Bravo e do Cruze Sport6) e más suspensões por eixo de torção (JAC J5), também existem bons câmbios automáticos de 4 marchas, em que pesem as limitações tecnológicas, como o Corolla e o i30, e câmbios de 4 marchas medíocres (o utilizado nos carros da PSA). Mas o fato é que os bons câmbios automáticos de 4 marchas superam câmbios automatizados de concepção simples, como Dualogic, Easy-tronic e i-Motion. Fato! Não faz sentido ficar prolongando essa discussão. É insano. E não é porque o câmbio do 308/408 é ruim (e é mesmo) que eu tenho que me contentar com o dualogic (que também fica aquém das exigências de segmentos superiores). Se te atende, ótimo, vá em frente. Já eu, nunca compraria um Bravo nessa configuração. Se fosse para ir de Bravo, optaria por uma versão manual.

    • marciors01

      Não sou admirador da fiat, nunca tive fiat, acho que o fire 1.4 é o pior motor do pais, o 1.8 de origem gm também era um lixo.
      De toda a linha nacional da fiat prestam apenas punto e este bravo, na minha opinião o resto é lixo.
      Dito isto o bravo é excelente, tem o melhor interior entre os hatches feitos no pais, ótimos bancos, um bom motor e por 601k entrega muito, 7 airbags, encostos de cabeça com sistema anti chicote para proteção do pescoço, som com sub, espelhos com rebatimento elétrico entre outro mimos, é um ótimo carro.

      • Cristiano_RJ

        Também não sou admirador da Fiat, mas também tenho ojeriza a preconceitos. Por isso, também não tenho preconceito. Meus dois primeiros carros foram Fiat (Palio 1.0 2P e Palio 1.3 4P). Hoje, minha esposa tem um Fiat (Punto 1.4). Portanto, conheço a marca bem. Se você reparar, em momento algum disse que o Bravo é um carro ruim, pelo contrário, eu o acho um bom hatch médio. Uma opção a ser considerada para os que querem um câmbio manual (não considero o Dualogic em hipótese nenhuma). O problema dele é que ele não se destaca em nenhum quesito e os concorrentes são tecnicamente melhores. Simples assim.

        PS. Ao contrário de você, não considero o Punto um carro tão bom assim. Já o Fiat 500, eu gosto bastante. Até sugeri à minha esposa, mas ela quer um carro maior. Do mesmo modo, não considero os demais Fiat lixo. Acho que cumprem bem suas funções dentro de seus segmentos. Por exemplo, o novo Palio eu achei uma opção interessante para quem procura um popular compacto. Enfim, as avaliações tem que resguardar a faixa de preço de cada automóvel. Por isso minha exigência maior com o Bravo.

    • Alex_JW

      Pq o cambio é aquem do segmento, Cristiano?

      Já dirigi Dualogic e i-Motion e se não é tão "linear" como o automático, não deixa de entregar conforto a quem o usa. E olha que estes test-drives que fiz foram há quase dois anos atrás, lapso temporal em que Fiat e VW melhoraram o desempenho de seus câmbios automatizados.

      Fora que o automatizado custa menos que o automático, o que por si só já justifica a diferença de "comportamento" entre ambos, o qual reitere-se, está cada vez menor, pois o automatizado vem cumprindo o seu propósito que é o de livrar o consumidor de ficar usando a embreagem no anda e para de nossas cidades

      Veja o TD que postei num link mais acima e verá vc mesmo.

      Enfim, os test-drives do dualogic plus vêm sendo publiados por aí, vi o daqui do NA e do AutoEntusiastas (ou coisa que o valha), e a evolução do sistema está aí clara, testada por profissionais que vivem disso ou amam carros tanto quanto nós.

      • Cristiano_RJ

        Cara, estou o dia inteiro respondendo a essa pergunta. Já postei todos os meus argumentos. Acho que não adianta ficar prolongando ainda mais essa discussão. Sinceramente ainda não acredito que tantas linhas sejam necessárias para explicar o óbvio. Enfim, volto a afirmar que é louvável o esforço da Fiat em aprimorar sua tecnologia Dualogic, mas continuo achando que ela cai como uma luva em segmentos inferiores. Para o Bravo e cia, ou ela corre logo com o automatizado de dupla embreagem ou trata de conciliar o E.TorQ ao automático de 6 marchas que ela emprega no Fiat 500. É isso ou continuará patinando em vendas. Bem, essa é minha opinião. O tempo dirá se estou certo ou completamente enganado.

    • absoares

      Esse "mi mi mi" contra cambio automatizado novamente! eta povinho atrevido é o brasileiro. Não tem dinherio nem pra abastecer com gasolina aditivada mas mesmo assim só quer carro se for automatico, com dupla embreagem e o escambau. E ainda reclama que o carro é caro. Dá mais não….tô fora

      • Cristiano_RJ

        Acho é muita graça de comentários como este. Quer dizer que tenho que ser um conformado e aceitar qualquer coisa só porque você quer? E ainda me chama de "povinho atrveido" e faz suposições sobre minha condição financeira, sobre o tipo de combustível que utilizo em meu carro… Pois bem, reafirmo tudo que disse. NUNCA COMPRAREI UM CARRO COM CÂMBIO DUALOGIC. Antes atrevido do que conformado. Pronto!!!

        PS. Já possuo carro com câmbio de dupla embreagem.

  • Cristiano_RJ

    No mais, minhas críticas para essa versão Sporting se devem ao fato do produto vender uma imagem de algo que ele não entrega verdadeiramente. "Ah, mas tem a suspensão rebaixada"… rebaixada que nada, só não é elevada como nas demais versões. E isso por si só não dá o "direito" a usar a alcunha de esportivo. Considero isso uma enganação. Estratégia marketeira do tipo "pega trouxa", como no caso do Veloster ou do Corolla XRS. Sua única razão de ser é ter agregado os opcionais teto skydome e rodas 17" por um valor abaixo da tabela, tornando o modelo mais atrativo que a versão Essence com tais equipamentos… e só!

    • Punto

      Não sei porque os "críticos" teimam em queimar um modelo com visual esportivo, quando TODAS as marcas assim o fazem. E olha que a Fiat oferece também o esportivo de verdade (obviamente considerando o preço e custo-benefício do produto), aliás dois esportivos.

      • thales_sr

        Eu também preferia que chamassem de outro nome, apesar de ele ter alguma coisa de esportivo. Porém, existe o esportivo de verdade na linha, que é o T-Jet. Então tá tudo bem, tem opção pra todo mundo.
        E o principal: Esportividade não significa potência alta.

    • Jaaggg

      Compara ele com o Golf Gt com motor de 116cv que custa 70 mil ou Cruze que não tem nada de esportivo e custa 65 mil

    • Educhs

      Depende. Se você equipar um Bravo essence com os opcionais desse Sporting vai ver que ele fica mais caro. Então o objetivo dessa versão (como era na versão Spoting do Stilo) é oferecer um novo preço melhor sem baixar de imediato o preço das outras versões (ou deixar de oferecer) o que seria muito ruim pra quem já tem ou recém comprou uma delas. No fim o visual esportivo foi só um modo de reposicionar o carro no mercado e não propriamente vender um carro esportivo até porque o preço continua na faixa dos concorrentes.

      Agora você pega o Corolla XRS e já não pode fazer essa analogia. Você pega o Veloster e a situação é pior: tentaram vender carro comum por preço de esportivo. É uma questão de preço. Teria sido muito ruim e inútil se a Fiat tivesse colocado o preço deste Sporting entre o Absolute e o T-jet.

  • CharlesAle

    O Bravo é um bom carro,nada de excepcional,apesar de sua carroceria moderna,tem suspensão traseira convencional,seu motor é de ferro fundido,enquanto que seus concorrentes usam liga de aluminio,bem mais leve,quanto ao câmbio,nunca dirigi,então não vou criticar,o que posso dizer é que a fiat deveria oferecer câmbio automático como opcional,para satisfazer os "inimigos do câmbio automatizado"não acredito que suas vendas vão melhorar justamente pela insistência no câmbio dualógic….

    • Tripa-Seca

      Charles, motores modernos estão "voltando" ao bloco de ferro fundido, por questões térmicas (A parte inferior do motor tem que aquecer mais rápido, para uma maior eficiência. E isso é conseguido com o bloco de ferro fundido). Acho que o Ecoboost é assim.
      Isso parece a discussão de ouvia quando era biker: Alumínio é melhor que aço-cromo? Depende (Obviamente, fibra de carbono e titânio estava fora de discussão para meu nível!). Quadros de aço-cromo podiam ser tão bons quanto de alumínio, inclusive na leveza. Mas nesse último caso, seriam mais caros.

      • thales_sr

        Esse pessoal "especialista de ficha técnica" é fogo… rs
        O motor é de ferro fundido? É. Isso traz algum problema pro carro? Não. Então, qual o problema? É só pra aparecer bonito na ficha técnica?
        Suspensão traseira independente é melhor que barra de torção? Teoricamente sim. Pergunta pra quem anda no banco de trás de Civic e Corolla e pergunta qual eles preferem… Civic é um pedaço de pau.

        • AutoIng

          Outra coisa que pouca gente sabe: ferro fundido não é tudo igual. É um material que evoluiu muito, por incrível que pareça, e hoje tem até vantagens sobre o alumínio (exceto no peso). O mesmo ocorreu com a correia dentada, ela melhorou muito e voltou com força total pra substituir a corrente. Como aqui no Brasil temos um considerável atraso tecnológico, as pessoas ouvem muita bobagem da imprensa e ficam com uma ideia errada sobre a evolução das coisas.

        • CharlesAle

          Não se trata de ser de especialista em ficha-técnica,mas é fato que seu motor é de ferro fundido,enquanto que i30 e focus possuem motores de aluminio,o que destaquei é que aluminio é mais leve,portanto melhor,mas lógico que a técnologia do ferro evolue!!quanto a suspensão,é fato também que seus concorrentes tem multi-link,enquanto o bravo tem barra de torção,portanto,mais simples,mas para o uso normal,nada de ruim,mas para quem gosta de alta performance,pode fazer a diferença….

          • thales_sr

            "mas é fato que seu motor é de ferro fundido,enquanto que i30 e focus possuem motores de aluminio,o que destaquei é que aluminio é mais leve,portanto melhor"
            Ou seja, analista de ficha técnica. Faltou analisar se isso fez alguma importância real no carro. Tira 15 kg do peso total do carro, e aí..? BMW M3 saiu do bloco de alumínio pra o de ferro fundido quando foi pra 321 cv…

            "quanto a suspensão,é fato também que seus concorrentes tem multi-link,enquanto o bravo tem barra de torção,portanto,mais simples,mas para o uso normal,nada de ruim,mas para quem gosta de alta performance,pode fazer a diferença…."
            Você consegue comprovar isso, seja analiticamente, ou por tempo de volta…? Gostaria de algum parâmetro pra falar que ela é melhor. Principalmente porque você citou a alta performance…

            • Tripa-Seca

              Por esse raciocínio, papel é melhor para fazer bloco de motor que titânio… heheh
              Será que essas pessoas conhecem a história de um argentino que corria na europa com um Alfa Romeo? Será que essas pessoas sabem o quanto de cilindros tinha o carro dele, e quanto tinham os do concorrentes?
              Vai uma dica: Essa competição começou na Inglaterra. E desde essa época, tinha uma empresa do grupo Fiat concorrendo (Hoje, 3 dessas empresas são do grupo Fiat).

            • CharlesAle

              Como disse,citei um fato,o motor do bravo é de ferro fundido,melhor ou não,só o tempo dirá,mas nos comparativo da 4rodas,que não posso colar aqui,(bravo,i30,focus)seu desempenho foi inferior,na questão da suspensão,é citado lá que sua suspensão é inferior aos demais,é "molão",em alta performance,o carro pode deixar a desejar,a do T_JET é bem melhor,mas não é do t jet,e sim do bravo comum o foco da discussão aqui,voltando a falar do motor,a fiat usa ferro não em virtude dos concorrentes,mas por questões de custo com certeza,pois ferro é muito mais barato,volto a repetir,não dirigi o bravo,tudo que me baseio são minhas leituras nos comparativos de revistas consagradas,e umas nem tanto,portanto,é dai que tiro minhas conclusões…………

              • thales_sr

                Bom, não vi nem análise técnica nem tempo de volta… Então fico a pensar que você está querendo transformar opiniões em fatos.

                • CharlesAle

                  Não,o que citei em fatos,que vc carinhosamente me apelidou de "analista de ficha técnica"foi que o bravo tem motor de ferro fundido e suspensão mais simples que seus concorrentes diretos,e de fato tem mesmo,só isso que citei ,não entrei no mérito do melhor nem pior porquê,como disse,nunca dirigi o bravo,então não seria leviano de julga-lo ruim ou bom,pelo que li nos comparativos,o bravo comum sofre do mal do palio,suspensão mole demais,que com ventos laterais,da a sensação de insegurança,mas li na revista impressa os números,se não me engano tem na casa do meu irmão,e depois posto os números aqui,tá corrido aqui na firma agora para pesquisar,,mas não são "empolgantes" não……

          • Cristiano_RJ

            Pois é Charles. Ainda estou pasmo com a quantidade de defensores do indefensável. Para tudo quanto é ponto fraco apontado existe um argumento justificando. Os caras tem resposta para tudo! E quando não tem, começam a desqualificar quem critica dando adjetivos pejorativos (só aqui já vi "hater", "caçador de pontos" e agora "especialista em ficha técnica"). Sabe, querem fazer crer que o pior é melhor. "Ferro fundido evoluiu", "câmbio dualogic é melhor que automático de 4 marchas", "prove que suspensão multilink é melhor que barra de torção". Sabe do mais? Estou começando a achar que é melhor ser ignorante e não saber de nada. Pelo menos aí eu ia ser feliz ao comprar um Bravo Sporting e achar que estava levando pra casa o estado-da-arte em automóvel!

            • Tripa-Seca

              Novamente, reitero: O Thales lá em cima disse porque a suspensão do Corolla é superior ao do Civic: Ela é mais confortável que a do rival, para quem vai atrás. E não acredito que o comportamento dinâmico do Toyota seja pior que do Honda. E esse argumento foi rebatido? Não. O que você crítica, é exatamente o que você estava fazendo. O Thales citou a BMW que voltou ao ferro fundido. Eu citei o Ecoboost, em relação ao Sigma/Duratec/Zetec. E não li nenhum argumento de vocês contra atacando isso. Como alguém que não argumenta sua posição pode reclamar da argumentação de outros?
              Melhor argumentos fracos do que nenhum argumento. E melhor defender o que pensa com esses argumentos, do que acreditar nas verdade pré-estabelecidas: Multilink é melhor que eixo de torção, alumínio é melhor que ferro fundido…
              A Ford chegou a conclusão que o bloco de ferro fundido era melhor para o Ecoboost que o alumínio, por eficiência técnica. Aí você diz que o alumínio é melhor. Melhor em que? Desculpa, o trabalho dos engenheiros, meus argumentos, do Thales e do AutoLng. Quem defende o indefensável?

              • Cristiano_RJ

                Tripa-Seca (porr.. cara, não tinha um nome pior não? kkkk, brincadeira!), olha bicho, essa questão de suspensão confortável x suspensão mais firme é questionável. Sinceramente, acho que é mais questão de gosto pessoal e uso. Meu caso, por exemplo, tive um 307 (duro), um i30 (ainda mais duro) e agora, acabo de comprar um TSI (suspensão dura). Me habituei e aprendi a apreciar as vantagens desse tipo de suspensão. Não tenho filhos e ando a maior parte do tempo só ou com minha esposa. Quando levo caronas atrás, que aguentem a "dureza" da suspensão. Não abro mais mão de uma suspensão mais firme (pelo menos hoje é essa minha realidade). Assim como não abro mais mão de uma suspensão multilink (o i30 conseguiu devolver a mim o prazer de dirigir). Nas avaliações NA o Eber afirma que a suspensão do TSI é muito firme, mais que o COmfortline. Pois bem, para mim isso é qualidade, não defeito. O que não gosto é quando isso torna-se excessivo, como é o caso de carros realmente esportivos, como o Lancer Evo, por exemplo.

              • Cristiano_RJ

                Ainda sobre suspensão: portanto, um dos motivos de eu nunca optar por um Corolla é justamente o seu ajuste de suspensão. Pode até ser uma maravilha para seu público alvo, mas para mim, sou muito mais a do Civic. Ah sim, lembrando que a atual geração do Honda possui acerto menos firme, e que só agora ele possui multilink (antes era suspensão independente do tipo "Double Wishbone", muito mais dura).

              • Cristiano_RJ

                No mais, quanto a essa tendência de uso de ferro fundido, eu não posso argumentar, pois não tenho maiores informações. O que sei, e isso é inegável, é que o motor E.TorQ, longe de ser um motor ruim, ainda mais considerando nossa realidade, é um motor de concepção mais antiga e que possui menos recursos que o Duratec, Beta II ou o Ecotec. Se usa ferro fundido (assim como o Ecotec) não é mérito de um posicionamento visionário da Fiat que optou por uma solução que seria a vanguarda no futuro. É porque é; porque quando a Tritec o fabricava, utilizava este material. O motor do Bravo é sim mais limitado. E isso não se traduz apenas no número absoluto da potência (comparando ao Ecotec, que é 1.8), mas também no desempenho (o Bravo manual fica atrás de seus "arquirivais", de todos eles).

              • Cristiano_RJ

                No mais, o que eu critiquei foram as críticas não aos comentários em si, afinal estamos em um blog cujo objetivo maior é a troca de informações e o debate. O que eu critiquei foram os inconformados com a divergência de opiniões, que passam a focar seus argumentos nas pessoas com quem debatem. Foi isso.

                • Macaws

                  Divergência de opiniões é saudável, o que não é saudável são pontos de vista radicais sustentados por pseudo-argumentos…

            • thales_sr

              Ué, leva um Focus 1.6 e seu motor de alumínio e suspensão multilink, arroubo de desempenho, esportividade e tecnologia… rs
              Veja bem, tecnologia é uma ótima coisa que serve para nos levar a nossos objetivos. Mas tecnologia por tecnologia, se não trouxer vantagens, é só pra enfeitar ficha técnica e fazer comercial.

              • CharlesAle

                Então vc concorda que,mesmo sendo um 1.6,o focus ofereçe atributos que conseguem fazer dele um bom carro 1.6!!!!sua suspensão moderna e seu motor leve e eficiente,não disse que o bravo é inferior aos seus concorrentes disse??disse que sua suspensão traseira é simples perante os concorrentes e seu motor é de ferro fundido,isso é fato,é fato,ou não é,e para uso comum,tudo bem,para quem gosta de alta performance,PODE sentir uma certa deficiência,o que eu citei são fatos,não quis criticar um carro que nunca andei,espero que desta vez tenha entendido!!!!

                • thales_sr

                  Acho que você não entendeu… O Focus 1.6 é lindo de ficha técnica, mas na hora de dirigir… Total decepção.
                  Meu carro tem motor SOHC, 8 válvulas, 15 cv a menos, bloco de ferro, suspensão com barra de torção, em "firula" de ficha técnica toma pau de uno (que tem suspensão independente atrás), mas no que importa (na hora de dirigir), achei muito melhor do que a bigorna da Ford.
                  E fato é isso.

                  • CharlesAle

                    Ai que tá,do focus posso falar pois já o dirigi,e achei só fraco de saída e retomada,o que é normal,pois sua carroceria é grande pra um 1.6,mas para um uso normal,tá ótimo,mas fora esses detalhes,além dos plásticos na porta,infelizmente padrão na maioria das montadoras,mas gostei do consumo,e melhor que o golfssauro que meu irmão já teve,duratec não sei,não dirigi,mas dizem ter um ótimo desempenho,mas um pouco gastão,é o preço do desempenho ao meu ver,trabalho aqui na logistica da Mercedes brasil,aqui em SBC,e já manobrei carros muito bons,e tomando por base o que conheço,digo que seu desempenho para um 1.6 não está tão ruim não….

                    • thales_sr

                      O Focus 2.0 deve ser muito bom, acho que ele tem motor pra empurrar aquele peso todo. Mas o 1.6 eu achei manco pra caramba. Quem não se incomoda com isso, ok, mas o lance é que carros muito menos desenvolvidos tecnicamente conseguem resultados (que é o que importa) muito melhores. E dos 1.6 que eu conheço, acho que ele toma pau de todos…

    • Punto

      Apenas confirmando o comentário do Tripa-seca, o motor da VW que é considerado dos melhores tem bloco de ferro fundido ;)

    • Jaaggg

      ?? o 1.4 Turbo fiat é todo em alumínio !!! não venha falar de preço pq esta na mesma faixa do Focus, Cruze, etc
      Agora não sei aonde o AP é feito em aluminio ou 2.0 da PSA

  • Felix_S

    O que é pior, um bom hatch médio com faixas imitando um esportivo, ou uma perua compacta cheia de plástico imitando uma fora-de-estrada??? Pelo menos o Bravo é uma proposta mais honesta.

    • Cristiano_RJ

      Para mim não há pior ou melhor. Ambos prometem o que não cumprem. Entregam apenas a imagem daquilo que supostamente são. A honestidade fica por conta da campanha de marketing de cada um. No caso do Aircross, por exemplo, é dito explicitamente que o carro é um aventureiro, o que não é honesto. Vejamos como a Fiat conduzirá a divulgação desse Bravo Sporting.

      • Punto

        No caso do Bravo, há o T-Jet, se quiserem mais desempenho, Não entendo essa bronca. Eu particularmente fico feliz com os 132 cv e a opção de automatizado com paddle-shift, especialmente neste plus, com simulação de automático quando se tira o pé do acelerador, tudo com visual esportivo, vindo até na suspensão (nenhuma outra fábrica "rebaixa" o carro em uma versão esportiva).

        • Cristiano_RJ

          A "bronca", é a ""falta de honestidade" da proposta (usando as palavras do colega). A existência do T-Jet, no meu ponto de vista não justifica esse erro. Sim, erro, porque considero até aceitável falsos esportivos na faixa do Ka, Uno, Idea… vá lá, mas nesse segmento? Bem, é minha oopinião. Não quero te convencer do contrário. Estou apenas expondo o que eu penso. Pode ser que o mercado mostre que não, que estou errado e que é assim que o "povo" quer, como fez com o Crossfox e cia. Aí, ponto para a Fiat. E eu queimo minha língua.

          Saudações.

          • Punto

            Bem, eu não me importo com isso, e muita gente também não. Se fosse assim, não sairiam BMW de 100 mil com 120cv vendendo a rodo… Idem aos Mercedes mais baratos. Se não são esportivos, ao menos a BMW tem este "caráter" de luxo esporte.

            Particularmente eu busco exatamente um carro com visual esportivo e cambio com paddle-shift. Não suporto o modo automático normal, é extremamente sonolento, especialmente na estrada, e na cidade acaba distraindo demais. Também não me dou bem com pedal de embreagem, até porque tal "peça" é anacrônica, exigindo DUAS ações para acionar apenas uma coisa. Como não vou andar em autódromo, e ainda sou solteiro, o carro tá até sobrando. Se andar igual ao meu Punto Sporting (1.8 GM), já tá valendo, mas sei que anda até mais…

            • Filipe_GTS

              Vai sentir diferença em baixa rotação. Mas quando se parte pras 16v na estrada nunca mais se pensa em 8v… Foi o que aconteceu comigo :D Depois que fui pro 1.8 16v, no começo senti falta do carro 1.6 8v que tinha antes na cidade, mas após acostumar, penso que a tocada fica bem mais prazerosa..

              • Punto

                Tive 2 gols 1.0 16v – pior na cidade, impossível, não? Mas não era ruim, sempre gostei da subida de giros e maciez desse motor. O 1.8 GM do Punto tem muito torque, destraciona com facilidade, mas parece motor de camionete antiga. Prefiro a lerdeza de um multiválvulas e a alegria depois que se passa dos baixos giros. ;)

          • GuilhermeTucson

            O mercado já aceita essas coisas cara, é a realidade do Brasil, não tem o que discutir, penso do seu mesmo modo, que as empresas manipulam as pessoas pelo marketing, vide todos os aventureiros e vide a hipnotização que a hyundai faz pela televisão! (São exemplos) Mais que pelo preço é um carro honesto é sim.

      • Jaaggg

        Se tiver um HAtch que ande mais que o T-jet me fale, o Sporting na verdade compete com os 1.6 da vida, nem considero o "motor" da VW com 103cv

        • Cristiano_RJ

          Hatch não tem mesmo não… ainda. Quando a Peugeot trouxer o 308 THP essa situação muda, pois todos os demais são espirados e não conseguem ter o mesmo desempenho que o T-Jet. Ainda assim, isso não significa que ele seja barato. Basta equipa-lo como um 408 THP, por exemplo e seu preço ultrapassará o do Peugeot! Um absurdo!!! Mas veja bem, o assunto em questão não é o T-Jet, é o Bravo Sporting!

          • Punto

            Mas, Cristiano, o que importa é o "pra já", não? O Peugeot ainda é promessa, tal qual o C4 turbo para o ano que vem. Quando sair, aí voltará a discussão, mas vai saber se a Fiat não está com o 1.6 turbo prontinho…

            • Cristiano_RJ

              Mas se a Fiat tem o 1.6 turbo, o que está esperando pra lançar? A morte da bezerra? Olha, fiquei uns dois anos babando no Bravo, comprando revista européia e sonhando com o dia em que eu trocaria meu 307 nele… aí veio a crise de 2008 e a Fiat "brochou", "roeu a corda!". Foi quando a Ford lançou o Focus, a Citroën o C4 e a Hyundai o i30, nessa sequência. Cansado de esperar, acabei comprando um i30 em agosto de 2009. Se não fosse isso, provavelmente eu seria (ou teria sido) o proprietário de um Bravo. Agora, eu queria um carro com desempenho mais, digamos, diferenciado. Depois de analisar as opções no mercado, optei pelo Jetta TSI. Ou seja, se o T-Jet viesse com esse 1.6 turbo, quem sabe a decisão seria outra? Moral da história: se é verdade que ela possui essa "arma secreta", então que a use logo antes que a guerra acabe!

          • Jaaggg

            O T-jet já vem completo , Teto Solar. Airbag, Abs, EBD, ESP,Ar Digital, agora fica vontade sua colocar, Xenon, Parafuso anti furto, Subwoofer entre outros

          • GuilhermeTucson

            Não confunda segmento com faixa de preço, se nao poderia até entrar na briga dum T-JET uma hilux flex.

            • Cristiano_RJ

              Concordo em parte com você. Além da questão da faixa de preço, tem a questão do uso. Por exemplo, na Europa, um Focus e um Jetta, por exemplo, são classificados como "familiares compactos", independente da carroceria ser hatch ou sedan, pois o uso e o porte é semelhante. Do mesmo modo, Punto e Fit são "superminis" (traduzo livremente como subcompactos). Portanto, estando na mesma faixa de preço e sendo ambos carros familiares, o Fluence pode sim ser comparado a um Bravo, pois há uma finalidade comum de uso, o que torna ambos atraentes para um grupo comum importante.

  • PKuster

    A Fiat repetiu com o Bravo o mesmo êrro que cometeu com o Stilo: lançou ambos no Brasil quando já estavam se despedindo na Itália e ambos chegaram ao nosso mercadp meio que "mofados". No caso do Bravo, o pecado maior é a Fiat não dotá-lo de um verdadeiro e bom câmbio automático, depreciando seu produto com o irregular "dualogic", que por mais melhorado que seja, não será a solução para um veículo do seu porte. Mas ainda é um bom e belo carro, com um belo desenho, embora ache a sua frente meio "sem graça" em relação à ousadia da traseira.

    • Filippeyke

      Cara, o Stilo foi lançado no brasil menos de um ano depois de lançado na itália. não viaja.

      • PKuster

        Correto, mas não se trata de "viagem" : o Stilo foi lançado na Itália em 2001 e no Brasil, no final de 2002 como modelo 2003, mas ambos – Stilo e Bravo – foram lançados no Brasil quando já estavam com vendas fracas na Itália e com seus substitutos já anunciados – quis apenas enfatizar este fato.

    • Jaaggg

      kkk o Stilo vendeu bem em primeiro, segunda foi vendido depois de um Ano aqui no Brasil..ainda é boato isso de sair de linha na Italia!! engraçado o focus, i30, c4 já mudarão lá fora agora o Bravo que é defasado???

  • Louis

    Será que o consumo de um automatizado é parecido com um carro MT?

    • Cristiano_RJ

      Sim.

    • Punto

      Não. É menor, inclusive que um câmbio manual, já que a central sempre otimizará o rendimento, enquanto que com a embreagem o motorista muitas vezes abusará sem necessidade.

      • thales_sr

        Tecnicamente, é igual. A diferença vai depender do pé do motorista.

        • Cristiano_RJ

          Pois é, esse pequeno detalhe faz toda a diferença.

    • Rodrigoww

      A melhor resposta pra você é a seguinte:

      Se você quiser dirigir visando baixo consumo, com o cambio manual você obtem melhores resultados ou até mesmo usando a opção manual do dualogic. Mas se não liga para isso e pisa no acelerador e quer que o carro ande e pronto, mesmo que não seja esticando as marchas, com o cambio dualogic o consumo será menor, pois ele passa sempre para a marcha mais alta de forma otimizada visando o consumo mais baixo possível.

  • eethom

    Agora o Bravo está com um excelente custo-benefício! Pelo custo do teto, o modelo já é bem vindo.

  • Rafael_rec

    O carro é bom, mas o que mata é esse câmbio lixo. Quando a Fiat acordar e colocar um automático de verdade ele começa a vender bem, antes disso vai continuar vendendo menos que Golf.

    • Alex_JW

      Rafael,

      Acho que o Dualogic (Plus) vem evoluindo bastante deesde o seu lançamento, há alguns anos.

      Veja esse TD e tire suas conclusões: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embed…!

      No vídeo vc verá que este câmbio automatizado não dá trancos, ao contrário do que acontecia no passado, e ele entrega o mesmo que um câmbio AT convencional, ea ainda tem borboletas para troca atrás do volante… e ainda custa menos.

    • Filipe_GTS

      puts.. "automático de verdade" denovo essa expressão esquisita
      e o Golf não vende mais por que tem um excelente automático.. Golf automático quase nem vende, o que sai mais é o Sportline 1.6 peladão, que até pouco tempo não tinha nem airbags e abs

  • Jack_Nicholson

    UPGRADE….. tenho um Linea 2011 e um upgrade seria ótimo, sera que é possível?

    • Euzi0

      Jack.

      NÃO é possível fazer o upgrade. Eles mudaram a Centralina ou outra peça do cambio, só se fosse comprar a peça, porem acredito que iria custar bem caro.

      No clube do bravo tem mais a respeito.

      Abraços

      • Jack_Nicholson

        Euzi0, obrigado rapaz….

  • crisburatto

    Vou remar um pouco contra a maré, mas se a diferença entre o Sporting e o Essence for apenas o visual, bancos esportivos, rodas 17 e suspensão rebaixada, sendo os demais equipamentos interessantes também opcionais, eu preferiria o Essence com o teto opcional, economizaria os 500 reais e mais uma bolada do seguro, já que essas versões costumam ter custo de seguro maior. Na minha cidade pneus com perfil baixo, suspensão rebaixada e bancos esportivos seriam muito desconfortáveis pelo asfalto que se anda. Por outro lado, quem sabe agora esse dualogic deslanche no mercado, embora um DCT fosse ainda melhor.
    Só espero que o "creeping" não seja mais uma causa de problemas, como era nos sistemas de embreagem automática do Palio Citymatic, Corsa Autoclutch e Mercedes Classe A AKS, e até uns Fit CVT (que usava embreagem em vez de conversor de torque).

  • edkite

    Eu gosto da versão sporting do punto e também aprovo essa do bravo, só não gostei desses adesivos na lataria.

  • pauloestevinho

    Rapaziada que tá esculachando o carro… o que vcs compram por 60.000 e 0km? Não sou fã de marca alguma, mas vamos ser coerentes que para o Brasil o carro tem um custo/beneficio bom com essa versão.

    • Cristiano_RJ

      Chevrolet Cruze Sport6 M/T (R$ 60.094), Peugeot 308 Allure 2.0 M/T com teto Cielo (R$ 58.800), Renault Fluence Dynamique 2.0 M/T com teto solar (R$ 59.640), só para ficar em três exemplos…

      • pauloestevinho

        Então, mas são carros que não oferecem nada a mais que o bravo, e sem cambio automático. Quero dizer que pessoal aqui reclama pra kct…

        • Cristiano_RJ

          Bem, eu estava pensando na versão manual mesmo, porque esse câmbio Dualogic eu desconsidero completamente, principalmente frente ao A6 do Cruze Sportback ou do CVT do Fluence. Então, como eu ia dizendo, esses modelos oferecem algo a mais sim. A começar, por motores melhores, mais modernos e que resultam em melhor desempenho. Desempenho este que também é resultado dos ótimos câmbios manuais de 6 marchas, superiores ao do Bravo. No caso do Cruze, há air bags laterais, ESP e ASR. No caso do Fluence, air abags laterais e de cortina. Ambos também são mais espaçosos que o Bravo. O Cruze e o Fluence contam com mimos de série que são opcionais no Bravo, encarecendo seu preço final. Finalmente, pelo menos no caso do Cruze, a dirigibilidade é surpreendente (o Fluence eu nunca dirigi, mas dizem que é um carro mais para o confortável). Enfim, os dois exemplos citados estariam em minha lista de compra prioritariamente que o Bravo. Isso para não citar outros trocentos exemplos. Essa versão de fato tem um custo/ benefício melhor que a versão Essence. E o Bravo não é um carro ruim. Mas nada disso invalida as críticas feitas.

          • pauloestevinho

            Que os automatizados são inferiores aos automaticos está ok, mas não podemos desconsiderar também.
            Concordo com seus argumentos. Eu mesmo estou fechando um 308 Aut, justamente por alguns mimos que oferece a mais. Mas acho que o Bravo tem seu espaço nessa versão Dualogic e com o teto

        • caiobrandao

          Reclamam mesmo chega a encher o saco .

      • pauloestevinho

        Falam, falam… e no fim das contas quando vão comprar um carro: "Senhora Volkswagen, por favor me veja um Gol, quero ele por que é um carro que não quebra e não desvaloriza"

        • Cristiano_RJ

          Cara, não sei se você está dando essa resposta se referindo a mim. Mas meu atual carro não é um Gol não. É um VW, mas não um Gol. Meus dois últimos carros foram: i30 A/T com teto e 307 M/T.

          • pauloestevinho

            Não sei seu carro, digo por que é uma idéia comum no brasileiro, mas está mudando essa entalidade, e pra melhor.

            • Tripa-Seca

              Acho que você que está comparando coisa diferente: Quem você conhece que tem dinheiro para comprar um Bravo e comprou um Gol?
              O fato dele ser o mais vendido, é porque o acham melhor na faixa de preço que ele concorrem (Que não coincidentemente, saem os carros mais vendidos). Isso não significa que todo mundo compra o Gol. Compra quem não tem condição de comprar algo melhor.

              • pauloestevinho

                Gol foi só um exemplo ok? Pode colocar ali Golf, Jetta, Passat…..

  • Rods

    O mimimi continua….. Ô Zé-Povin….. Brasil não muda.

    O carro é muito bonito…. Também acho que esses "sporting" da vida é balela, mas o preço tá bom….

    E oferece muito… Bom é o Golfssauro de um amigo… Sem ab2 nem abs… Mas as mina pira!

  • O_Corsario

    Não gostei do visual "esportivo", apelaram para o óbvio: frisinho vermelho na grade que não combinou (ficou parecendo que está mandando um beijinho de batom) e um monte de adesivos bem cafonas.
    Porém, abaixaram a suspensão, o que já é um pró, pois é uma alteração importante que normalmente fica de fora.
    Bom, na verdade a versão sporting vai cumprir sua função que é agradar a quem tem medo de turbo e quer um visual esportivo, com rodas enormes e teto solar (não sei pq cismaram que teto solar é o ápice do esportivo no Brasil). Nada contra, quem quer visual ou não tem muita grana vai de sporting, quem quer mais vai de T-Jet. Mais uma vez a Fiat dá opções ao consumidor.
    De resto, para mim, o Bravo não vende porque sua divulgação é muito, mas muito ruim e desencontrada. No começo queriam fazer dele u hatch maduro e sério, onde o "Bravo" seria o grito da platéia ao fim da ópera (lembram do tiozinho tocando violoncelo?), depois resolveram apelar com o slogan manolo de "a bravura está de volta" (referência ao Brava?) enfim, cada hora tenta atingir um público e no fim não agrada ninguém. Faltou planejamento a meu ver.

  • O_Corsario

    POis é, nunca dirigi mas já andei num Punto dualogic e não senti nenhum tranco nem nada.
    ENfim, acho que o problema é que as pessoas no Brasil compram uma coisa querendo outra: compram automatizado querendo automático, compram 1,0 querendo esportivo, e assim por diante!

    • Ground_Zero

      Esses câmbios automatizados são tão bons quanto os automáticos, custam menos e normalmente tem mais marchas que muitos carros automáticos com conversor de torque (vide Corola e i30 de quatro marchas). O ponto aqui é a preferência individual. Eu, por exemplo, moro em SP, vivo preso no trânsito e nem por isso abro mão da embreagem. Já experimentei câmbios automáticos de todo tipo, inclusive o dupla embreagem do A4, o CVT da Honda e Renault, mas nenhum fez minha cabeça. Gosto de dirigir carros manuais e pronto. Adoro controlar as marchas com a embreagem em viagens a tal ponto de me resignar a pisar o pedal esquerdo milhares de vezes no congestionamento.

      Esse câmbio duallogic já era bom antes de ser revisado pela Fiat, não acho que piorou, então é recomendável para quem gosta desse tipo de carro, assim como o imotion da Volks e os demais concorrentes.

      • Filippeyke

        falar que cambio automatizado é tão bom quanto automático é forçar a barra amigo… a menos que tenha dupla embreagem como o do jetta, não tem comparação

        é uma opção interessante pra quem tem um orçamento mais restrito, mas a fiat peca por não ter um câmbio automático de verdade

        • AutoIng

          Você testou esse Dualogic Plus então, é isso? Ou é mais uma generalização?

        • MM_

          Exatamente. Esse cambio é muito bom pra Palio, Fox, etc. A Fiat insiste em colocar isso aí em carro médio e depois não sabe pq não consegue vender. Aí depois falam que é "preconceito".

          • fredggp

            Acho que não MM_. A FIAT padece de preconceito com qualquer carro que deixe a faixa dos populares. Se fosse câmbio com conversor as vendas estariam patinando também. Minha opinião…

            • MM_

              Não sei, eu particularmente nunca tive preconceito com isso. Tive muitos Fiats, inclusive 2 Tipos, o primeiro 1.6 e depois um Sedicivalvole. Acontece que chegou uma hora que queria automático, então comprei um Civic. Depois um Tiida, então um C4 e agora um Cruze.

              Quando fui trocar o Tiida inclusive fui ver um Linea, que no início estava mal posicionado, mas é um carro que eu sempre gostei. Fiz test drive nele e achei o cambio terrível. Bem pior que o "famigerado" AL4 do C4 que comprei então.

              Diga-se de passagem q a Freemont é um caso interessante. Duvido que a grande maioria das pessoas compre sabendo que é um Dodge. E se ela tivesse cambio Dualogic. Será q estaria vendendo tão bem?

        • xam72

          Concordo. Digo isso porque já dirigí o Jetta TSi e é fantástico, um automatizado muito bom, mas com dupla empreagem. Estou comprando um Cruze sport6 AT que tambem testei e achei o cambio excelente. e tambem acho muito bom o cambio 4marchas da fielder ( minha mae tem um). Digo isso porque já dirigí o stilo dualogic e o Polo I-motion….. funcionam bem, mas para mim é no mínimo estranho.

      • Rafa_el

        Também sou fâ de câmbio manual. Na estrada, no congestionamento, na garagem da minha casa, hehehe.

        Meu negócio é dirigir.

    • 430scuderia

      Isso ja é propaganda né amigo, as pessoas veem, acham que é automatico, vai e compra, sem pesquisar, sem testar e sem andar no carro, tipico coisa de brasileiro.

    • WorthWRT

      Eu posso dizer que o I-motion é suave a ponto de não perceber a troca de marcha. Comparando a um AT4 aqui em casa, prefiro o imotion por incrivel que pareça, pois tem uma resposta mais direta e é mais econômico :)

      Claro, não estou comparando DSG, CVT e outros que já são mais avançados.

      • TecoPadaratz

        Outro dia andei em uma Space Fox I-motion………..pra mim foi decepção total……..achei muuuito ruim………

        Reduções de marcha levam uma eternidade……….

        • Edson Roberto

          E pelo menos no Space que eu andei também essa redução veio acompanhada de um tranco…

    • Rafa_el

      Isso é preconceito desinformado.

      Antes de falar qualquer coisa tem que dar uma conferida no sistema ou então ouvir alguém que conhece para se basear.

      Isso é formar opinião. E opinião é diferente de preconcentio.

    • Alex_JW

      " ENfim, acho que o problema é que as pessoas no Brasil compram uma coisa querendo outra: compram automatizado querendo automático, compram 1,0 querendo esportivo, e assim por diante!".

      Perfeito o seu raciocínio.

      • Edson Roberto

        Bem… mas o problema é que geralmente o pessoal aqui gosta de colocar um automatizado comparando com cambio manual. Sem duvida que ele é muito bom, mas esse Bravo com essa atualização merece um test drive para ver. Pois já dirigi o Bravo com o dualogic "anterior" e além de segurar marchas, pelo menos para mim, o funcionamento do cambio perdia e muito para um automatico.

        O problema não é livrar o pé esquerdo que ele faz sem duvida, mas sim a demora nas trocas, para entender os comandos que deseja e por ai vai. Caso de uma situação onde estava em uma descida leve, queria apenas que ele passasse para a proxima marcha e amarrou. Não feliz, fiz o mesmo teste acelerando sem muita pressão e ele foi a quase 5000rpm (de segunda) para trocar.

        Para finalizar, fiz esse mesmo teste pisando fundo, ao que ele faz? troca a marcha para a proxima… pelo menos para mim… ele deveria ter mantido e ir com vigor a aceleração que eu fiz… mas não ele fez o inverso do queeu queria. Eu disse de um ponto, mas conseguiria colocar outros que tive problema com o dualogic no Bravo. Esse merece ver como ficou.

        Vc esta bem meu amigo?

        Abraços!

  • Punto

    Realmente NÃO HÁ ALMOÇO GRÁTIS. Tava bom demais o Sporting custar menos que a Absolute – no mínimo estranho… Então, o ar dual zone virou opcional (até suspeitava, pois a apresentação do branco e do vermelho à imprensa sempre se apontava a diferença para o Essence). Ou seja, lá vai mais R$ 2.263,00. Bom, tendo em vista que as paddle-shift são de série, imagino que o blue&me também seja, senão tem mais 860,00. Sensor de estacionamento traseiro: + 604,00. Não sei se terá descansa-braço traseiro com porta-copos, mas se tiver, + 285,00. Então, na real, para se igualar em equipamentos ao Absolute, precisaria de mais R$ 4.012,00, ou seja, o Dualogic atingiria R$ 64.012,00.

    Ainda não deixa de ser uma opção válida pra mim, por enquanto a melhor, uma vez que comprando um vou instalar um multimídia com câmera de ré (dispensaria o sensor), e de opcionais o xenon (assim espero!) por 2.742,00 e rebatimento dos retrovisores por 322,00, além de alarme, rede no porta-malas e ponteira esportiva, e mesmo assim vai ficar em 65.927,00.

  • JPaulo10

    E até que enfim a Fiat lançou a Strada com motor 1.6. A Trecking, depois de baixar a poeira (preços se assentarem), vai ser uma boa opção para quem não quer os peduricalhos da Adventure (que, aliás, oferece agora pneus 16").

  • JulienAvril

    58MIL por um motorzinho de 132cv ?! não .. obrigado !!!
    prefiro um 308 por 55mil, e seus 151cv ….

    • Cristiano_RJ

      Cara, não diga isso por aqui não! Logo logo vão te chamar de "zé povin", mimimi, e por aí vai. Tem é que falar que é bacanão! :o)

      • JulienAvril

        hahaha, eles ja chegaram !!

      • Jaaggg

        MIMIMI lembrando que nessa versão não tem teto entre outros e pos venda da PUG to fora mesmo assim concordo 308=Bravo>Focus>i30>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Gorf

        • Snoop

          Está advertido por apologia excessiva à marca (Fiat). Mais duas advertências e será banido.

          • Filipe_GTS

            Isso aí cara! Já nos encrencamos, mas agora to de acordo… Pau nos comentários chatos

        • Cristiano_RJ

          Bem, minha opinião:

          Cruze Sport6 > 308 = Bravo >>>>>>> Golf

          Isso porque i30 está às vésperas de mudar de geração e o Focus mudará ano que vem. Mas se alguém não leva isso em consideração:

          Focus = i30 > Cruze Sport6 > 308 = Bravo >>>>>>> Golf

          • Filipe_GTS

            coitado do Golf.. como disseram por aí nos comentários, xingar o Golf é chutar cachorro morto! heaueahuhea

    • Rodrigoww

      151cv no alcool que não é vantagem em canto nenhum do Brasil.. Na gasolina 142cv, que no final vai andar a mesma coisa do bravo, pois essa potencia chega aos 6250 rpm e no Bravo chega aos 5250 rpm.

      E o 307 não tem um teto solar de série e mesmo que tivesse nao se compara ao do Bravo.

      • Nurburgring

        Ele disse 308 amigo, dá uma passadinha na Peugeot , pede pra ver um Feline Branco…vc vai entender o que ele quis dizer…

      • JulienAvril

        corrigindo, gasolina 143/151cv, e o bravo 130/132cv… ainda são 13cv a mais na gasolina….
        fora o torque 20/22kgfm, contra 18,4/18,9kgfm ….
        e o torque aparece 500 rpm antes do bravo, ou seja, o bravo nem atingiu seu toque maximo e o PUG ja esta liberando 20/22kgfm ….

        é possivel equipar o 308 com o teto cielo, por 2.5mil … e ainda fica mais barato que o bravo..

        • Filipe_GTS

          São apenas números. Lembro qdo lançaram o Pallas flex, fiquei impressionado com esses 151cv e 22kgf.m de torque
          Só que todos os testes dizem que o carro anda na média dos concorrentes com 140e poucos cv e 20kgf.m ou pouco menos que isso… Talvez seja problema no escalonamento de câmbio ou peso excessivo

          • JulienAvril

            não da pra esperar um desempenho bom de uma barca igual o C4 pallas . com aquele maldito cambio de 4 marchas da PSA …..
            esse motor combinado com um cambio manual tem um desempenho bem interessante, visto que seu 0 a 100 é feito em 8.9s … para efeito de comparação o Audi A1 faz 0 a 100 no mesmo tempo.. com seu peso pena e o cambio S-tronic… vale ressaltar que o A1 tem 122cv tbm né ….

    • caiobrandao

      308 não vem com teto solar dupla, aro 17, bancos esportivos..etc

      • JulienAvril

        não tem o solar duplo, mas tem o cielo….

        como assim não tem aro 17 ?! acho que vc nem se quer entrou no site da peugeot !

        bancos esportivos ?! o Bravo vem com algum Recaro por acaso ?!

        • caiobrandao

          Eu estou dizendo que no Bravo ja vem de série, na versão de entrada do Peugeot que custa R$ 56.020 é aro 16 e sem teto, que no Bravo como disse ja vem de série.

          • JulienAvril

            entra de novo no site da peugeot…
            o 308 de entrada custa 50mil… e o allure 2.0 custa 55mil ….. e o teto cielo é opcional por 2.5mil …

            • caiobrandao

              Ata cara desculpe, eu vi no site o carro errado, é verdade.

    • Arnaldobsb

      Julien. Estou para comprar um Hatch Médio. De todos que olhei. Deizei na lista só Bravo e 308. E lhe digo para ir fazer um test-drive. Eu achei q o 308 andava muito mais. Mas não, o câmbio automático de 4 marchas faz com que o ótimo 2.0 16v de 151cv não ande como deveria. Não medi tempo claro, mas achei q o bravo acelera melhor. Incrivel.
      Pra vc ter uma idéia. Isso foi no sábado. E no Domingo fui a outra concessionária Peugeot, pra novamente fazer um test-drive, pois realemente não acreditei q ele pudesse ser tão fraco. E constatei q realmente ele não parece ter 151cv. Sábado vou lá fechar o Bravo. Pena os 60 dias q me pediram de prazo.

      • JulienAvril

        concordo com você, o cambio automatico do 308 é um porcaria…
        no caso de um cambio automatico, eu esperaria lançar a versão THP… que tem um cambio bom !!

        o cambio automatico do pug segura tanto o motor.. que ele perde 1s no 0 a 100 ( 8,9s contra 9,9s)…

        mas se vc olhar bem, nos comentarios acima estou me referindo ao 308 2.0 allure … e esta versão é manual ….

    • yurimarrocos

      Do que adianta ter 151cv no motor, e 112cv na roda ? O 308 faz 0-100 em 10 segundos, e o bravo em 9. O motor 1.8 e-TorQ no bravo tem 125 cv na roda. Sem contar que pelo preço, o bravo é muito mais carro. Esse dinossauro 2.0 16v da peugeot e da citroen está em produção desde 2001. Os motores e-TorQ ganharam ao total 9 prêmios mundiais de melhor motor. Com um simples kit turbo com 0,5 de pressão, o motor 1.8 gera 260cv e o 1.6 210cv, que custa ao total 2,800 reais.

  • fabioalisson

    O carro é muito bonito, mas carece de um motor melhor, suspensão melhor e um câmbio melhor. A concorrência oferece melhores opções. Não compro.

    • AutoIng

      Na verdade de motor ele anda junto com vários concorrentes (contra alguns fica um pouquinho atrás sim, mas compensa tendo funcionamento menos áspero, o que pra mim é uma boa troca). Suspensão idem, é bem firme e faz curvas com competência. O câmbio como foi dito melhorou muito, olha o vídeo ali em cima, mas obviamente que só fazendo o test-drive pra saber. De resto que outro médio tem teto solar duplo por 58 mil?

      • fabioalisson

        Não acho que o 1.8 do Bravo seja pareo para os bons 2.0 de i30 e Focus. Cruze Sport6 oferece um bom 1.8 com comando variável. Quanto à suspensão, i30 e Focus oferecem suspensão traseira independente, que é "outro mundo" quando se fala em comportamento. Quanto ao câmbio, prefiro não opinar sobre esse novo Dualogic, mas ano passado eu tive a oportunidade de dirigir um Punto Sporting Dualogic e achei o câmbio muito ruim e aquem de um automático.

        Agora numa coisa eu concordo: o teto do Bravo não tem igual e o carro é bem bonito e equipado. Contudo eu o acho tecnicamente inferior à alguns concorrentes.

        • AutoIng

          Lembrando que números e dados enganam muito. Nos comparativos o Bravo andou bem pouco atrás destes aí, diferença pouco perceptível mesmo. O motor do Cruze é bastante áspero, anda menos que o Bravo e mesmo com o comando variável é um tanto lento em baixas rotações. A suspensão independente não é exatamente "outro mundo" sempre, prova disso é que no i30 ela é muito seca e não agrada à maioria (no Focus sim ela é muito acertada). Só estou querendo dizer que as coisas não são tão óbvias quanto parecem no papel, e só dirigindo mesmo pra saber dos pontos fortes e fracos. Tem gente por exemplo que escreveu aqui no NA mesmo ter desistido do Cruze pelo motor barulhento, sendo que isso não se lê nesses dados técnicos todos. Agora concordo que pra quem faz questão absoluta do automático é melhor ver outras opções (recomendaria o Focus sem dúvidas).

          • Cristiano_RJ

            "A suspensão independente não é exatamente "outro mundo" sempre, prova disso é que no i30 ela é muito seca e não agrada à maioria "

            Engraçado. Foi justamente o i30 que me devolveu o prazer de dirigir. O carro é excelente, super estável em curvas e prazeroso ao volante. De fato tem ajuste firme, tanto que não o recomendo para quem passa regularmente em ruas muito "judiadas", mas ainda assim supera modelos com suspensão convencional. Não tem como explicar. Só dirigindo mesmo. e não estou falando de test drive. Estou falando de usar por muito kilômetros e em diferentes situações, como eu fiz com o meu ex-i30 por 64.100 (felizes) km.

            • fabioalisson

              Concordo. Tenho um Civic que também tem suspensão traseira independente que alguns acham muito seca. De fato é em pistas ruins. Mas a estabilidade do carro é algo invejável, bom de curva, mudanças rápidas de direção sem fazer a carroceria balançar, e prazer em dirigir.

              Pelo visto acerto de suspensão vai do gosto mesmo.

        • AutoIng

          Ah mais um detalhe, de todos os carros citados o único que tem motor fabricado no Brasil é o Bravo. Não é coincidência ele ter o menor custo de manutenção da categoria, e não depender da logística de importação de peças, nem de variação cambial. Pode parecer detalhe, mas em vista dos últimos acontecimentos nessa área eu levaria o fator em consideração.

    • Jaaggg

      A concorrência oferece motor 1.6 103cv e no máximo um 1.6 16v

      • Cristiano_RJ

        E desde quando o Golf é concorrência? O Golf é cachorro morto! Ah, tá… ia esqquecendo… o Bravo tá tomando chocolate até mesmo do Golf, não é mesmo?

      • fabioalisson

        E o que me diz do Focus e do i30 com seus bons 2.0 16v? E o Cruze Sport6 e seu bom 1.8 16v com comando variável?

        • AutoIng

          O Cruze mesmo tendo comando variável anda menos. Ou seja, dados jogados assim não dizem tudo.

          • Cristiano_RJ

            Só não anda menos que o Bravo. Esse, só supera as versões 1.6 do Focus e C4.

  • MM_

    Já falaram mil vezes que o cambio melhorou e tal, mas vai continuar um Automatizado. Bom para Palio e Fox, não para carros médios, a não ser que seja de dupla embreagem.

    A Fiat já tem dificuldades de emplacar carros médios e ainda coloca um cambio inferior aos seus concorrentes, como fez a Peugeot com o 308, aí só vai vender mesmo para:
    – Fãs da marca
    – Desavisados
    – Compradores provenientes de carros pequenos, que não costumavam usar automáticos.

    A Fiat tem um belo produto nas mãos e seria muito mais barato colocar um cambio da Chrysler/Dodge do que ficar tentando fazer "melhorias" nesse cambio.

    • fabioalisson

      Falou tudo! Bravo é um belo carro, mas carece de mais refinamentos tecnicos em motor, câmbio e suspensão. Continuará carregando o estigma ruim dos carros grandes da Fiat.

    • Filipe_GTS

      Eu acho que vc tá muito preconceituoso com o automatizado.
      Eu comparei um Punto Sporting 1.8 16v automatizado com i30 2.0 automático (de apenas 4 marchas) e me diverti mais no Punto.
      O i30 anda mais, é mais confortável, tem a suspensão melhor, só que as trocas não me agradaram pro jeito que eu costumo dirigir.
      Optaria por um Bravo com borboletas no volante (acho o máximo) ao invés de um i30 4 marchas. É meu gosto pessoal…
      Se for pra falar em Jetta DSG, claro que não tem nem conversa.

      • MM_

        Não é preconceito, Filipe. É conceito mesmo. rs.

        Como disse para o Alex, não andei nesse Dualogic Plus, então não estou me referindo exatamente a ele, mas cogitei a compra de um Linea Dualogic em 2009, pois achei que talvez o cambio fosse a mesma coisa. Fiz um test drive e achei terrível. Aí desisti de tentar qualquer automatizado.

        • MM_, realmente os primeiros automatizados não foram lá aquelas coisas.
          Mas acredite, esse Dualogic Plus evoluiu bastante! Ande pra conferir :)

    • forestoeduardo

      Este e o mais novo mico da fiat, assim como o tipo, tempra, brava, marea, e etc… Assim sera com linea, bravo e etc… nao compro fiat….

  • Absinthe666

    O que estraga o carro é esse cambio automatizado, é uma tremenda porcaria, fiz o teste drive no Grand Siena e não andei 100m e passei logo para o modo manual, os trancos são insuportáveis, ainda mais com o motor 16v o carro demora muito para responder em uma arrancada ou tentativa de ultrapassagem.
    Agora a versão manual apresenta um custo beneficio bom, se eu tivesse dinheiro para um carro dessa categoria ficaria em dúvida entre o Focus e o Bravo, nas versões MT mesmo.

    • Esse não é o mesmo câmbio do Grand Siena (embora futuramente sim).

  • Turbo_Car

    “felling” tá errado. O certo é "feeling"
    Abs!

    • dadobordini

      Já estava me preparando pra mandar uma mensagem os alertando quando vi seu comentário. Essa mania de usar estrangeirismos sem domínio da escrita é terrível mesmo. Já vi esse erro crasso em vários blogs, sites e até mesmo publicações.
      Então vai a dica:
      Felling: derrubada (de árvores, em geral)
      Feeling: sentido, sentimento, tato, sensação, percepção, impressão.

      A respeito do carro, acho que a Fiat acertou em cheio ao lançar essa versão do Bravo, já que nós brasileiros geralmente damos mais valor à aparência de esportividade que à um carro esportivo de verdade, e é essa leitura que as montadoras fazem do mercado. Torço para que agora o Bravo venda mais, já que é um belo carro, cheio de atributos. Que embeleze mais nossa ruas até o momento que possa embelezar de vez minha garagem.

  • Rud

    Sério que esses caras da FIAT acham bonito esses adesivos no carros?

    • Punto

      Também não gostei. Quando eu comprar o meu, vou mandar tirar.

    • llrubbo

      Pior que devem achar o máximo!

    • Os da Ford também acham.

  • Rodrigoww

    Eu acho que esse bravo agora sim vai vender muito. 58.000 por um carro super completo com teto solar skydome.

    Eu já vi um rodando aqui em Salvador, branquinho. O carro mal lançou. Normalmente, qualquer lançamento para eu ver um na rua, demora pelo menos 1 mês.

    • Punto

      Nem tanto. Pode-se dizer até completo, mas não passa disso. Super completo para médio seria com botão start/stop, xenon, multimídia com tele touchscreen, air bags laterais e de joelho, todos itens oferecidos em outros hatchs concorrentes.

      • PONCIO PILATOS

        mas não por esse preço, amigo.

  • radiobrasilcombr

    Será que tem pra vender a grade sem a feiura vermelha? Um cromado ou preto mesmo ficariam bem melhores…

    • O_Corsario

      POderiam fazer algo um pouco mais elegante, este friso preto fosco em volta de uma grade preta brilhante… Ficaria discreto, mas não teria aquele atributo que o pessoal adora "chama muito a atenção".
      O mesmo vale para rodas, vide o caso do i30, adoraria ter um i30 sem aquelas rodas enormes e cromadas.

  • Lucasetnop

    no site da fiat não existe essa verção para montar =//

    • rdcotta

      Versão com "ç" amigo??!! Ai não da para não reparar.

  • Nurburgring

    Deveriam obrigar a FIAT a devolver o dinheiro de quem comprou os primeiros câmbio Dual-Tranco…

    • AutoIng

      Deveriam devolver também o dinheiro de quem comprou Astra de 140 cv com cabeçote problemático, de quem comprou Gol e precisou trocar até motor, etc… Concordo que deve ser frustrante ver seu carro ser atualizado e você ficar pra trás, mas pelo menos não é uma surpresa em relação ao que comprou (não quebrou, nem está com defeito, a pessoa já sabia como era o produto quando pagou por ele).

    • Ilovecar

      Compraram porque quiseram….digo isso como proprietário de um Dualogic. Infelizmente estamos sempre sujeitos a esse tipo de coisa. Já fiquei bastante satisfeito com a última atualização feita no meu, esse Plus deve ser uma maravilha perto das primeiras versões.

      • dougkmt

        Será que não rola essa atualização do Dualogic Plus para as versões antigas?!

        • Mjscaruaru

          não sei esse plus, mas o trancologic pode ser atualizado.

        • msouza91

          a diferença é só software, dizem que pode ser atualizado, mas que primeiro vamos ter que esperar os lançamentos da fiat virem com ele, e ai sim liberam pra atualizar.

  • MuriloSoares

    Dispensável o adesivo, de resto o carro é show, carro automático é para os "mais velhos", eu ainda vou de câmbio manual, para os críticos arrumem grana primeiro para comprar, pois a maioria aqui não deve ter além de um popular!

    • MajorAutomotivo

      Qual a sua idade Murilo?
      Eu comprei o meu primeiro carro automático aos 37 anos e não quero nem pensar em voltar a guiar um carro com câmbio mecânico.

    • Cristiano_RJ

      Para os mais velhos? Então tá bom. Não sei onde você mora, mas certamente não dirige 3 a 4 horas por dia em engarrafamentos intermináveis. Se dirigisse, não diria isso. Se dirige e ainda pensa assim, é porque não teve a oportunidade de sair do inferno, dirigindo um automático em um dia infernal no trânsito de uma grande metrópole. Depois dessa experiência, dificilmente você escreveria o que escreveu.

      • PONCIO PILATOS

        pura verdade. experimentei meu primeiro automático (embora tardiamente, por puro preconceito de falar sem conhecer) as 40 anos, e não quero outro tipo de cambio. tenho um vovorolla automatico. é tudo que quero.

    • andreHHX

      Câmbio automático é um caminho sem volta.

      Até super esportivos estão deixando de fabricar versões com câmbio manual.

      Engarrafamento e anda-e-para é o que nos espera no futuro.

      OBS: apesar de que na Europa o câmbio manual ainda tem muita força no mercado.

    • msouza91

      automático coisa de velho??? eu comprei meu primeiro automático com 18 anos, passei por outro automático, comprei um manual e hoje com 21 voltei pra um automático. Minha esposa tem 18 e o primeiro carro dela foi um quase automatico (dualogic). O Conforto que um carro automático trás e inegável, quer passar marcha? desconheço algum câmbio moderno sem sequencial, o foda é ficar pisando sempre na embreagem…

  • FiuzaLima

    Acho o Bravo um carro interessante, principalmente com os descontos praticados em cima do preço de tabela. Ele e o 308 são as melhores opções do segmento. São bonitos, têm porte médio, bom nível de equipamentos e estão numa faixa de preços que é cheia de compactos premium. Pelos preços dos dois dá pra levar Fit LX, Sonic LTZ, Fiesta SE TOP…

    Fora que os dois têm ótimos porta-malas, ficando na média de muitos sedans por aí.

  • pririmarvil

    58 a 60k é bom custo/benefício?
    AAAAAAAAAAAAAAAAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHH…
    Só tem piadista na Fiat, ou eles acham que só tem trouxa no braçil mesmo, o que acho mais provável.

    • GuilhermeTucson

      Troxa que é bom mesmo paga 65 no Cruze hatch né? falo nada não

      • pririmarvil

        Trouxa somos todos nós, afinal o braçil é um país de tolos mesmo.
        A verdade é que custo/benefício no braçil… Non Ecziste!

        Custo/benefício tem nos EUA, BMW na Alemanha, Vauxhall na Inglaterra, carros japoneses no japão, qualquer carro no Chile, mas aqui?
        Custo/benefício é igual a político honesto, papai noel, mula sem cabeça, etc…

        • GuilhermeTucson

          Então não confunda as coisas, carro com páis, já que estamos na m…, vamos ver a m… que oferece mais por menos!

          • pririmarvil

            O problema é que a crise na Europa é mais grave do que querem que nós pensemos, então enquanto aceitarmos pagar mais caro para cobrir o prejuízo das montadoras nos outros países, nunca vamos sair da merda, e o pior é que nem o favor de nos mandarem o que eles tem de melhor para justificar os preços absurdos eles fazem, continuam vendendo lixo pré-histórico a preço de ouro, vide Golfssauro, Trágile com plataforma de corsa da década de 90, Fiat Uno, Ford Ka remendo, só citando exemplos das 4 grandes "merdas", ainda tem clio, chines que entorta pedal, enferruja, etc…
            Estamos num beco sem saída!

      • vitimsl

        Meu caro… entra la na GM e veja q o cruze com rodas 17, viva-voz, 4 bags, controle de tracao e estabilidade, ar digital e mais algumas coisinhas ta 60 mil… isso no site… prefiro um controle de tracao e estabilidade mais 2 bags do q um teto solar…

  • caiobrandao

    Com teto solar duplo de série, aro 17… na minha opinião até que ta barato. 58 Mil…

  • topb0y

    Duas perguntas idiotas:

    Pq a Fiat não lança logo um motor E.torq 2.0 Flex para substituir o T-Jet? Imagino que com 250cc a mais de cilindrada, um E.torq 2.0 teria potencia e torque parecidos com do T.Jet, com a vantagem de ser 'frex'.

    Não seria possível adaptar o Dualogic Plus a um cambio de seis marchas como do Bravo T-Jet? A marcha extra não ajudaria a tornar o sistema ainda mais eficiente(e prazeroso)?

    Alguém?

    • AutoIng

      Esse motor não tem como aumentar a cilindrada mais, e mesmo que dessem um jeito seria aumentando a altura, daí ficaria áspero demais (como o 1.8 do Cruze, que deveria ter parado no 1.6). O que podem fazer é usar um comando variável nele (como o MultiAir). Outra coisa é que não dá pra comparar a potência de um atmosférico com um turbo, pois um carro normal com 152 cv sempre vai andar bem menos que um turbo com os mesmos 152 cv (em razão da curva de torque mais plana do motor turbo). Já o câmbio de 6 marchas pode receber o Dualogic sem dúvida nenhuma, o único impedimento é a má vontade da Fiat de fabricar essa caixa por aqui. Na Itália até o minúsculo Panda tem câmbio de 6 marchas há muitos anos.

    • YoOdEx

      Com certeza um 2.0 não andaria como o T-JET. O T-Jet possui 152 cavalos (que é tranquilo de atingir num 2.0), o motor da Peugeot, e Toyota tem praticamente isso. E 23 kgfm de torque, que também é possível conseguir como o próprio motor PSA chega perto no álcool.

      A questão é que o motor T-JET (e demais turbos modernos) consegue uma faixa de torque elevado durante um maior tempo, no caso do T-Jet, entre 2000 – 4000 rpms (entre que eu digo, é todo o intervalo e, NÃO quero dizer "mais ou menos por ali"). Já o motor Peugeot/Citroen chega aos 22kgfm de torque a 4000 rpms.. antes disso ele é inferior.

      Assim, o Bravo já mostra força máxima e disposição a apenas 2000 rpms, faixa que demais motores aspirados 16v ainda são "fracos" ou meio frouxos como dizem. Alem do mais 2000-4000 giros é a rotação que usamos no carro em 95% do tempo. Ou seja, o T-JET tem folego ou força máxima na maior parte do seu uso, isso dá a sensação de o motor ser muito mais potente e forte do que realmente é. E tem mais, como o motor está numa faixa de torque alta, você precisa acelerar muito pouco, e de leve para o motor responder, ou seja, melhor consumo!

      Esses motores pequenos turbos são sensacionais! Infelizmente brasileiro é preconceituoso e nem experimenta. Diz "o que? pegar um motor 1.4, mesmo que seja turbo? Muito melhor pegar o 2.0 que anda muito mais". Espero que mais motores turbos cheguem ao mercado. É puro prazer de dirigir! É experimentar e ficar de boca aberta!

    • Punto

      Pra ir na contramão? Pode mandar cartinhas pra BMW e Mercedes, que estão retirando 2 cilindros de seus modelos e aumentando os turbos… A nova M3 vai voltar pro 6cil, a M5 voltou pro V8, e por aí vai.

  • doug_bc

    Acho louvável o esforço da Fiat em transformar essa transmissão em algo mais próximo a um carro automático…
    Sinal que sabe ouvir as reclamações dos clientes… Ponto pra Fiat…
    E o custo X beneficio melhorou um bocado apesar do atraso em trazer esse veiculo…
    Acho até que bonito… Mas acho que ainda falta algo pra deslanchar nas vendas…
    Talvez mais propagandas, um preço menos que o da concorrência (já que o fator novidade já passou)…
    Torço pelo carro mas sei não viu…

  • Jason

    "Mas a montadora espera mudar isso com a nova configuração através de dois bons argumentos, que costumam funcionar com o consumidor brasileiro: um visual mais agressivo e uma relação custo/benefício melhor. "

    Ou eu sou muito simplório, ou realmente não consegui ver nenhuma das duas coisas no carro. Está se mostrando um sucessor pro Stilo, a fiat cometendo os mesmos erros do anterior nele.

  • MarcioBeninca

    As montadoras estão esquecendo do pós-venda. Não querem saber se vc está satisfeito com o carro, se está sendo atendido pela concessionária. Comecei a rodar em Dezembro/2011 e estou desistindo 5 meses após idas e vindas a concessionária para consertar um problema de mau cheiro (parece quimico ou borracha queimada) no interior do veículo. Quem comprou reze p/não dar problema senão ….

  • Marciomaster

    Um carro de desenho interessante, para mim o mais agradavel da linha fiat, mas os pecados vão para o cambio, que é horrivel e tenho certeza que as mudanças não surtirão efeito desejado, pois o filme já esta queimado, e o motor, fraco e beberão.

    • YoOdEx

      Um grande problema do Bravo na minha opnião também, é o espaço limitado na traseira. É impressionante com o a Fiat apostou somente no design e esqueceu que as pessoas andam la dentro! Fora isso, acho um ótimo carro. Muito bonito, equipamentos legais, motor eficiente, confortável. Peca no espaço e cambio (tanto manual como automático).

    • Macaws

      Marcio, concordo com alguns aspectos do seu comentário, mas gostaria de saber quais são os seus referenciais quando diz que o motor é "fraco e beberrão"

      • Marciomaster

        Macaws, meus referenciais sobre esse motor são diarios. trabalho com um palio 1.6 16v, que esta substituindo um palio 2009 1.8 8v. Então ando com os dois carros, praticamente o dia todo e como abasteço os mesmos, faço as médias rigorosas de consumo de ambos e posso afirmar com certeza que o motor 1.6 16v é 1Km\L mais beberrão que o antigo 1.8 8v, e que o desempenho do 8v é bem superior. O nosso outro carro é uma doblo 1.8 8v 2010 com GNV e 200.000 Km, foi substituida por uma nova 1.8 16v, que não vai receber GNV, segundo o motorista dela (nesse caso não sou eu), a nova anda menos que a antiga que tinha gás. Tinha uma expectativa boa com esses motores e foi uma decepção geral aqui na empresa onde trabalho.

  • diogo_rs6

    Um carro "All Show e No Go!", perfeito para pessoas que pensam que esportividade é banco em couro e teto solar. E pra com o "narizão" vermelho completa a receita de um carro que merece um verdadeiro "selo de aprovação"

    <img src="http://www.hdtvexpert.com/wp-content/uploads/2011/07/Bozo-Image.jpg"&gt;

    • yurimarrocos

      Você está muito enganado amigo. O motor 1.8 e-TorQ ganhou 4 prêmios de melhor motor do mundo até 2.0. 0-100 do bravo essence 1.8 é feito em 9 segundos. Vá fazer um test drive e depois exponha sua opinião, pois falar sem saber, é muito feio.

      • TecoPadaratz

        Melhor do mundo ? Esse motor é de uma montadora que começa com "H" ?

  • edsontak

    Dentro do segmento ficou bem competitivo. O líder i30 usa a mesma fórmula: bem equipado, com preço "razoável", teto, rodas 17, motor competente, mesmo para um projeto que já não é tão moderno. Um Cruze ou 308 com estes equipamentos ficam bem mais caros.

  • GuilhermeTucson

    Será que quem tem carros com o dualogic antes dessa atualização vão receber uma cartinha para ir na autorizada atualizar seu câmbio? Bem provável que não né!

  • rdcotta

    Esta muito caro ainda, por isso nao vende. Prefiro um 308 que começa por R$ 50 mil. Fiat baixa isso que o brasileiro esta começando a abrir o olho e nao vai pagar mais qualquer valor em um carro. Estou na torcida para que as vendas de carro zero continuem caindo, quem sabe assim estas montadoras diminuem um pouco os precos abusivos de seus produtos.

    • Alex_JW

      O Bravo começa em iguais 50 mil aqui no Rio, se chorar sai menos.

  • YoOdEx

    Parece que o Dualogic evoluiu, mas acho aidna que deveriam equipar os carros mais simples da Fiat. Os médios deveriam receber um cambio melhor, principalmente pela falta de presença da Fiat nesse mercado. Ela precisa chamar a atenção com algum "plus"!

    Eu esperava que o novo Dualogic viria com dupla embreagem. Ai sim, seria uma referência de cambio! Andei em um único carro com dupla embreagem, o Jetta Tsi, e é um espetáculo! Trocas absurdamente rápidas e sem sentir nenhum tranco. Achei bem superior aos automáticos convencionais que conheço do mercado nacional.

    • marcelofalves

      tb comparar o cambio do tsi com esse cambio da fiat é covardia

    • Cristiano_RJ

      YoOdEx disse: "(…) falta de presença da Fiat nesse mercado. Ela precisa chamar a atenção com algum "plus"! "

      Então, a Fiat criou o Dualogic… plus!

  • jcesarcbr

    Já tive um automatizado. A economia é só pra o fabricantek. Trocar a embreagem – que dura igual ao de um carro dirigido por um bom motorista – custa de 2 a 5 mil reais.

  • aventator_lp

    Vendo esses precos de hoje em dia deste segmento até que eu me animo, pois em 2008 comprei um Vectra-Gtx, arecém lancado, com um potente motor de monza (ironic), por ''apenas'' 72 dilmas a vistinha! Isso sem ser automatico. kkkkkkk Haaaaja coragem amigos!

    • guihounter

      que mico em!!!

  • ericmon

    não sei como o Bravo não vende bem. tem vários atributos que o faria ser líder de vendas, mas o apzão do golf 2.0 ainda chama mais atenção. acho que o Bravo ficou queimado porque é substituto do Stilo, que, já sabem, teve o recall gigantesco dos cubos de roda. eu compraria um Bravo sim, só me falta a grana.

    • ericmon: eu concordo que seja um bom carro. Mas a FIAT ainda não tem boa fama no segmento. Se quiser concorrer com os carros "estabelecidos", teria que dar mais descontos ainda.

  • andreHHX

    Gostei da primeira foto, que retrata bem como o brasileiro compreende um carro esportivo: um carro branco com farol de neblina (desnecessariamente) ligado.

    :)

    • O_Corsario

      hahaha bem isso, e com o teto solar basculado!
      Engraçado essa coisa do branco, é incrível como o brasileiro age como gado! Alguns carros ficam muito bonitos nesta cor, outros não, mas agora TODO mundo que quer aparecer surge com um carro branco! Fico imaginando daqui a uns cinco ou dez anos, os carros brancos serão motivo de riso como hoje rimos dos outrora desejados carros beges ou, melhor dizendo, carro-cor-de-pão.

  • danielowner

    Muito bonito o Bravo, só não gostei dessa grade vermelha e do câmbio dualogic. De resto é um carro muito bonito…

  • kikofar

    A Fiat erra em alguma coisa no marketing desse bom carro viu! Posso estar enganado, mas o Stilo tinha um desenho mais "agressivo", mais inconfundível, além do que ele foi um dos carros que possuía vários lindos jogos de rodas 16 e 17 (coisa que o "boy" trintão que subiu na vida e que compra o carro "pro vizinho" gosta e faz questão). Nesse sentido, o Bravo não tem um desenho tão agressivo e marcante assim. Pra começar, parece com o Punto! Pra minha esposa, qualquer Bravo é Punto. rs E ainda não vi um jogo de rodas do Bravo que me fizesse virar o pescoço pra olhar esse carro.

    Se bem que nosso mercado é imaturo e quando elege i30/Focus como padrão, é como empurrar uma mula empacada pra ir em frente! hehehehe

    • Cristiano_RJ

      hehehehe… [ironic] só não entendi ainda qual seria então um bom padrão para o segmento em sua opinião, o Bravo? Faz-me rir!

      • kikofar

        Ora Cristiano, isso chama-se opinião e cada um tem a sua. Mas eu não falei em Bravo como padrão não. Interpretação de texto sua e somente sua. hehehehe

        • Cristiano_RJ

          Diz aí qual é o padrão então.

          • kikofar

            Audi A3. hehehehehe

            • Cristiano_RJ

              Orra! Se o Audi A3 é o padrão, então ferrou, porque ele custa quase R$ 110 mil na versão sport, de duas portas. convenhamos, R$ 110 mil para um hatch médio? (compacto para os cidadãos do 1° mundo). É isso que é o padrão? Ferrou!

  • guihounter

    sinceramente muito caro. eu com 60mil não compraria um bravo dual!!! pode baixar uns 3 mil no preço de tabela da linha. vai chamar muito mais clientes!!! mais ainda preferem vender 100un do que 500un…faze oq

  • fioduma

    No meu caso, se tivesse todo esse dinheiro pra investir num carro, pegaria um Sentra, que é melhor em tudo e com preço mais em conta. É questão de gosto.

    • Mjscaruaru

      SEntra e Bravo são propostas totalmente diferente.

  • mademg

    Pessoal fica comparando Bravo com Peugeot. O conceiro da PSA é tão bom, que se a FIAT produzisse para a Peugeot e Citroën uma picape idêntica a Strada, com os emblemas das francesas, como faz com as vans em Sete Lagoas, venderia menos que a Courier…

  • batendobiela

    Muita sigla e muito nome em ingles para impressionar.
    O carro ja está morto igual ao linea, não adianta melhorar mais nada que não vende. Daqui para frente sá vão baixar o preço.
    Cambios Dualogic, easytronic, e-motion, para mim nada presta.

    • hal_cwb

      O carro está morto porque brasileiro só compra o Golf, devido gerações passadas que diziam VW é o melhor do mundo

  • xam72

    Até acho um carro bonito. Mas tou esperando meu Sport6 LT

    • Cristiano_RJ

      Faz bem.

  • Leandro_SP

    Testei o i-motion e se ele era usado para criticar o dualogic não imagino como era a versão anterior do mesmo.

    Eita negocio ruim.

    Mas se é só uma atualização no software acho sacanagem a Fiat só lançar isso na versão 2013…. tinha que atualizar de graça pra todo mundo !

  • jp_na

    Por que a Fiat não coloca no Bravo o excelente câmbio automático de verdade de seis marchas utilizado nos Fiat 500 Sport e Lounge?????????????????????????????????????

  • car_fan

    Está muito caro, mas está muito bonito! Agora que merecia um automático de verdade, isto sim!

  • msouza91

    pq é um cambio importado, e encareceria o carro, como a Fiat não tem tradição no segmento, venderia ainda menos.

  • marcello7007

    merecia um bom cambio automatico, triste é ouvir na propria revenda que se vc quer um carro automatico tem que procurar em outra marca. Fiat acorda cambio automatizado é coisa para carro popular demite logo esse engenheiro que teve essa ideia de so fazer cambios automatizados.

  • marcello7007

    nao entendo pq a fiat e tao resistente a cambios automaticos e vem querer enfiar goela abaixo esses cambios automatizados que nem a concessionaria aceita o carro de volta, duro e ouvir de vendedor q agora o cambio é automatico mesmo nao tem mais trancos tem uns q sao mais sinceros se vc quer um carro automatico mude de marca, pelo menos foi honesto agora dizer q cambio automatizado virou automatico agora é duro em.

  • Daniel

    Comprei um Bravo Sporting 2013 0km, o carro é sensacional, o câmbio dualogic plus realmente deixa o carro mais esperto, a suspensão também é muito firme, deixa o carro na mão do motorista. O acabamento e o design do carro é senssacional, arranca muitos olhares por onde passa.
    Fiz apenas duas alterações nele, coloquei uma suspensão fixa da Castor e levei em uma oficina especializada em reprogramações de centrais conseguimos um ganho 10% de potência/torque passando dos 130cv para (143cv gasolina e 145cv alcool). Não tenho do que reclamar, já tive carros da Volkswagem (Gol Gti, Gol Turbo e Golf) da Chevrolet (Opala e Corsa Hatch) e ultimamente eu e meus familiares só temos comprado Fiat (Uno, Palio Weekend, Strada Adventure, Punto Essence) e agora como disse adquiri um Bravo Sporting e realmente não sinto falta de nenhum dos outros que já tive, Fiat está a frente em tecnologia, não é a toa que é lider de mercado por 11 anos.

  • Bruno JF

    Já que a Fiat não quer investir em um novo cambio automatico no seu hatch médio que aproveite então o cambio automático de 4 marchas do freemont do que ficar tentando melhorar o cambio dualogic que já ficou queimado no Brasil desde seu lançamento com o stilo.
    Uma pena pois o BRAVO é um ótimo carro.
    Att

  • luis

    No cambio dualogic plus Quando o motorista alivia o pé do freio, o sistema movimenta o carro a até 7,5 km/h ou em rampas de até 8%. Exatamente como ocorre com um câmbio automático tradicional. __Gostaria de saber se em uma subida se ele estiver parado quando eu tirar o pe do freio o carro vai vir para tras?

    • pompilio

      pegue seu carro coloque mais três pessoas dentro dele ,pegue uma subida um pouco mais íngreme saia no automatico ve se ele troca de marcha para 2" vc vai se decepcionar

  • guparana

    Cambio Dualogic, Imotion, Easytronic, todos esses nomezinos tecnologicos são uma verdadeira BOMBA.
    O unico que presta é o que tem "embreagem dupla" não estou citando nomes…
    Conselho.. JAMAIS COMPREM UM AUTOMATIZADO quem avisa amigo é..

    Quem quiser aposentar a perna esquerda prefiram um automatico de verdade
    Nada como o BOM E VELHO conversor de torque….

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend