EUA Honda Sedãs Segredos-Flagras

Novo Honda Civic é visto novamente nos EUA

civic-novo-texas-1

O Novo Honda Civic apareceu novamente nos EUA, sendo desta vez no Texas. Com lançamento previsto para Los Angeles, no final do ano, o sedã nipônico e sua versão cupê devem chegar às garagens americanas somente em 2016.

Aqui, podemos esperar ele para o fim do ano que vem ou mais tarde início de 2017. Como se trata de um modelo global, a Honda nunca demora muito para atualizar seu lineup nos vários mercados que atua.

civic-novo-texas-2

O destaque do Novo Honda Civic é seu perfil muito mais agressivo que o atual, destacando-se uma carroceria com estilo mais próximo ao de um cupê, mas perdendo o para-brisa bastante inclinado. Outra mudança é o fim do cluster análogo-digital em dois níveis, voltando a ser um quadro de instrumentos convencional.

civic-novo-texas-3

A plataforma será uma nova arquitetura global, que receberá motores i-VTEC Earth Dream Turbo. O principal será um propulsor de quatro cilindros 1.5 com turbo e injeção direta de combustível. Ele deve entregar 150 cv e 20,6 kgfm para o sedã, o mesmo já oferecido nas minivans Step-WGN e Jade RS no Japão. Outra opção será o mesmo motor, mas com 200 cv para o Si.

A eficiência energética será um ponto de destaque nas versões comuns do Novo Honda Civic, fazendo-o perder as variantes híbrida e GNV no mercado americano. Start&Stop e transmissão de dupla embreagem devem fazer parte do pacote. Comenta-se que o objetivo é ter média de 17 km/litro na estrada.

civic-novo-texas-4

No Brasil, o Novo Honda Civic pode chegar com motor 1.5 i-VTEC Turbo FlexOne, que poderia adicionar mais 5 cv com etanol, mantendo assim as potências atuais do 2.0 FlexOne, que seria retirado da gama. Já o 1.8 poderia ser preservado por mais algum tempo e então substituído pelo 1.0 i-VTEC Turbo FlexOne com 130 ou 140 cv, a fim de manter os preços junto ao dos concorrentes.

[Fonte: Fórum Civic X]





  • Assuero Queiroz

    Se honda esperar para lançar aqui em 2017, como ficarão as vendas do CIvic diante de iminente nova geração?
    Se hoje já são baixas, imaginem em 2016…

    Corolla vai reinar ainda mais.

    • Fábio

      Baixas? Só porque perde pro Corolla? Vende até demais!
      E pelo histórico, tanto o Civic quanto o Corolla não perdem vendas quando uma nova geração se aproxima.
      Pelo histórico, quando uma nova geração do Civic chega, vende mais que o Corolla. Quando uma nova geração do Corolla chega, vende mais que o Civic, e assim vai…

      • Marcos Lopes

        exato parece pelos comentários que as pessoas só estão enxergando o ultimo ano e até parece que o corolla é lider desde que foi lançado … sempre se alternaram na primeira posição o civic ficou quase 8 anos liderando depois do new civic em 2006 só agora em 2014 o corola voltou a ficar em primeiro…(liderança em series anuais )

      • FocusMan

        Bem assim mesmo. A briga nipônica é sempre boa. Como o consumidor desses carros tendem a ser conservadores, muitas vezes eles compram as unidades antigas antes do lançamento por preços mais em conta, mesmo sabendo da mudança.

    • Freaky Boss

      Boa pergunta.
      Eu também acho que a Honda pensa sobre isso. MAs a única coisa que podem fazer é acelerar o novo. 2017 me parece tarde. Lançar em agosto/setembro do ano que vem como modelo 2017 seria uma melhora.

    • pedro rt

      ele chega no final do proximo ano no br

    • Rodrigo

      Sendo bem realista (dado o comportamento da Honda com seus últimos lançamentos aqui), acho que só chega no Brasil no final do ano que vem, já como modelo 2017. O Cruze certamente deverá chegar antes.
      Mesmo sabendo da vinda da nova geração em médio prazo, não me importei com isso e comprei este ano um Civic LXR 2016, porque dos 4 principais (Corolla, Civic, Cruze e Sentra) era o que mais me atraia.

  • SDS SP

    Esse segmento necessita de um concorrente de peso e o Civic é o que tem a maior chance de fazer frente ao Corolla. O resto são meros coadjuvantes no que diz respeito volume de vendas.

    • Maycon Farias

      Mas para ele chegar em volume de vendas com Corolla ele ainda vai ter que passar o Elantra e Focus. Não será uma tarefa fácil, mas só o tempo dirá se essa renovação vai ser o suficiente.

      • SDS SP

        Esqueci de mencionar em meu comentário de que estou me referindo ao mercado brasileiro.

        • Maycon Farias

          Ata… entendido então vlw.

      • FocusMan

        Ele vende atualmente mais que o Elantra e Focus Juntos. Não entendi sua afirmação.

        • Maycon Farias

          Ele não tinha mencionado se era vendas nacionais. Mas já foi explicado.

  • Roger Rosato

    Dupla-embreagem ao invés de CVT, PELO AMOR DE DELS!!!
    Honda, não mate o Civic!

    • FocusMan

      Se você ja teve um cambio dupla embreagem, seja ele de qualquer marca, o que vai querer mesmo é um Automático convencional.

      • Roger Rosato

        Não MESMO. Já dirigi automáticos várias vezes e quero distância deles, com excessão para o ZF AT8 e AT9.

        • FocusMan

          O problema é que vc gosta de cambio manual, como eu. Entre um Automatizado de dupla embreagem e um automático epicicloidal, prefeiro um bom cambio manual. Foi o que fiz. Vendi meu powershift e comprei um manual.

          • RED883

            É que o DCT da Ford está bastante problemático, mas o mais evoluído “dual clutch” da VW é muito bom, estou gostando.
            Ademais, não creio que a Honda iria colocar açodadamente um cambio defeituoso e/ou problemático em seu “best seler” para arruinar a boa fama que fez em sua estada no BR.

            • FocusMan

              O problema é que nos testes de campo tudo sempre vai bem! Você testa tudo e sempre funciona. Cria situações absurdas e funciona.

              Ai o carro cai na mão do usuário e mostra a realidade! kkk

              Toyota teve sérios problemas com caixa de direção na geração passada do Corolla.

              Conheço gente que teve 9 caixas trocada. O problema todo é que eles geralmente não estressão o sistema quando isso ocorre, eles trocam todas as vezes que o cliente reclamar, afinal um carro zero não deveria ter um sistema de direção com folgas que causem ruídos. Já outras marcas tentam fazer o cara acreditar que aquilo é característica do veículo, o que pode até ser mesmo, mas para ser, o carro deve apresentar desde 0 km e o cliente tem que ter o direito de perceber o problema fazendo um test drive, como por exemplo qualquer cliente AUDI/VW pode fazer ao testar um carro com cambio DSG.

        • Thiago

          Assino embaixo

        • Rodrigo

          Olha, falando especificamente do câmbio AT de cinco marchas do Civic atual, não tenho do que reclamar. O fato de não precisar usar embreagem (no trânsito de São Paulo), já é o maior alívio. Não noto trancos em mudanças de marcha (nem perto do AT6 do Cruze, que é bem expressivo nesse caso); Em termos de desempenho e consumo, considero-o dentro das expectativas, fazendo média de 7,0 km/l com ar ligado no trânsito urbano e 10 km/l em estrada, ambos com etanol. O único “senão” desse câmbio é o ruído elevado ao realizar manobras de kick-down, mas a resposta é imediata!

          • GPE

            O ruído é do motor e não do câmbio. E quase todo carro faz barulho qnd reduz marchas. Isso é natural

            • Rodrigo

              Desculpe, me coloquei mal. O ruído sim é do motor, mas o que quis dizer é que o câmbio reduz 2 marchas de uma só vez e a rotação vai lá pra cima, aumentando o giro. Talvez se a caixa possuísse mais marchas essa situação não ocorreria (ou seria em menor grau).

              • GPE

                Ia girar do mesmo jeito, ainda que tivesse 30 marchas. Sempre q vc enfiar o pé no acelerador qualquer carro AT vai colocar a marcha mais baixa possível.

          • Roger Rosato

            O câmbio AT5 da Honda é um dos que mais contribuíram para essa má impressão que tenho dos automáticos. Sinto muito, não quero fazer pouco caso do carro que comprou, mas não há comparação entre um Civic manual e um automático. Desempenho e consumo são MUITO superiores, chega a ser absurdo. Acho que a única saída para impedir as mudanças excessivamente constantes em rodovia, talvez seja colocar em modo manual “S”.
            Um carro tão bom, com um câmbio tão ruim, chega a ser triste.

            • SDS SP

              Situação similar ao do Cruze. Tenho um automático, mas quando dirigi um manual, me deu aquela angustia…

            • Rodrigo

              Será que estamos falando do mesmo carro (sem desmerecer sua experiência)? O meu é um LXR 2.0… Desconheço que haja uma versão 2.0 com câmbio manual (só a Si, mas essa é outra estória), mas sei que muitos reclamam do motor 1.8 que é manso e consome o mesmo que o 2.0, inclusive foi esse um dos motivos de ter pego a LXR e não a LXL…

              • Fred Fuchs

                Bom, escolhi o 1.8 manual, porque, alem de gostar de caixas manuais, ele consome menos que o 2.0, e anda quase o mesmo. Andando com pe leve, ele é muito econômico (fiz 15.5km/l este fim de semana, e não andei a menos de 110Km/h, tendo vários trechos a 130). Não sei se com o 2.0 da para fazer essa media, pelo menos pelo que tenho visto. Penso que o LXR 2.0 manual seria magnifico… mas não existe.

                • Rodrigo

                  Bom faz muito tempo que não abasteço com gasolina, mas da ultima vez que abasteci (e estava amaciando ainda) fez 14,5 km/l na estrada.
                  E até o INMETRO demonstrou essa diferença em seus testes:

                  • Charlis

                    Eu andei 2 vezes com gasolina no meu LXS mecanico.
                    A primeira, na primeira viagem, em 04/2013 mais ou menos
                    Fez essa média abaixo (econ ligado, e a 100km/h no cruise), algo inacreditável pra mim.
                    A segunda (há uns 3 meses atras) fez 16,5km/l, pois a gasolina aumentou o nivel de Etanol.
                    Todas as outras vezes que eu abasteci, rs, foram com Etanol.
                    Consigo fazer 12,5km/l na estrada, tambem com Econ ligado, e 100 a 110km/h.

                    • GPE

                      Excelente consumo. Qual foi a velocidade média do percurso?

                    • Charlis

                      Ritmo completamente comportado… 100km/h, sem acelerar fundo em nenhum momento, econ ligado… Neste ritmo fica no etanol 12,5km/l e na gas 16,5km/l.
                      Mas, se dirigir em ritmo “curtindo”, 120km/h, 140km/h, acelerando nas saidas do pedagio, reduzindo, e afins… com etanol fica perto de 10km/l…

                    • GPE

                      Perfeito. O 2.0 AT faz igual na gasolina e um pouco melhor no álcool (13km/l) em situação idêntica. Obviamente, isso varia de pista pra pista (se tem mais reta, mais subida ou descida)

                    • Charlis

                      Essa viagem foi no interior de SP, muita subida e descida…
                      Creio que em linha reta… passo dos 13km/l tranquilo tambem.
                      No geral, um carro muito economico.

                    • Rodrigo

                      Aluguei um Civic LXL mecânico em 2011 (versão anterior) quando estive na Flórida, lembro de ter registrado marcas em torno de 20 km/l andando de boa na rodovia que liga Miami a Orlando (com gasolina de lá obviamente).
                      É um motor muito econômico e a diferença para o 2.0 é realmente pequena;

                    • Charlis

                      Por favor… não me lembre da Florida, eu entro em depressão na hora. Aquilo é um sonho pra mim.
                      Enfim, a gasolina de lá, além de melhor qualidade tem menos de 10% de etanol… então o consumo é muito superior.
                      Ano passado eu aluguei um Corolla lá, tambem muito economico, mas não troco pelo Civic, rs.
                      Antes do Corolla, alugamos um Stingray por 2 dias. Se você tiver a oportunidade, faça!

                • Charlis

                  Ele anda pouca coisa mais que o 2.0.
                  Logo quando lançaram os modelos 2014 no começo de 2013 (quando a Honda f* algumas pessoas), a 4R fez um teste com o LXS 1.8 MT6 x LXR 2.0 auto.
                  Ficou assim:
                  LXS x LXR
                  0-100 km/h(s): 10,2 x 10,9
                  0-1000 m(s): 31,3 x 32,1

                  • GPE

                    Provavelmente numa retomada o 1.8 manual perde do 2.0. O fato do desempenho ter sido superior nesse teste da 4rodas é quase certo que é pelo fato do carro sair do zero. Aí pq a primeira é longa demais e não tem como queimar pneu e embreagem, o 1.8 sai na frente.
                    MAs supondo uma saída em movimento ( em 40 km/h, por exemplo) o 2.0 vai passar

                    • Charlis

                      Tenho minhas dúvidas por conta do câmbio cara… mas creio que você esteja certo.
                      Eu considero o câmbio da Honda excelente, mas ele rouba uma potenciazinha boa do motor, assim como todo cambio com conversor de torque.
                      E o Civic mecanico com 6 marchas (eu tive o modelo anterior com 5 marchas), é uma diferença pra lá de interessante.
                      Agora… se a Dona Honda tivesse feito o 2.0 mecanico, ai seria coisa linda… mas conhecendo a Dona Honda, ela iria colocar como um modelo sport, e o preço …
                      Alias, por falar em preço, foi outra coisa positiva, pois ninguem compra Civic manual, então eu consegui descontos pra lá de excelentes.

                • GPE

                  Na estrada o automático consome igual ou menos pelo fato de girar bem mais baixo que o AT.
                  A 120km/h gira a 2500rpm.
                  A 160km/h gira a 3400rpm.

              • Roger Rosato

                Falo do 1.8 e comparo as duas versões com esse motor. Ele é um motor muito competente, mas que o AT5 estrangula e ocorre a falta de força que vc mencionou. Quanto ao consumo, digamos que nunca ouvi falar do consumo do 2.0 como sendo um destaque, no 1.8 manual, por outro lado, já consegui marcas de até 16,5 km/l (a 120 km/h) e 10 km/l na cidade.
                Pra se ter uma ideia, os números de desempenho do 1.8 MT são iguais ou melhores que o do 2.0 AT. Se isso não é prova de que o câmbio é ruim, não sei o que é.

                • Rodrigo

                  Perto do consumo dos outros 2.0 (e 1.8 Ecotec do Cruze), o 2.0 do Civic não faz feio… Com a vantagem de ter mais potência e torque quando se precisa, em relação ao 1.8.

                • GPE

                  Nem é tanto culpa do funcionamento do câmbio, mas sim de suas relações longas nas primeiras marchas. Como falei acima, supondo uma saída em movimento ( em 40 km/h, por exemplo) o 2.0 vai passar do 1.8 MT. E qualquer carro AT anda menos que um idêntico MT (não é exatamente o presente caso, visto que o 1.8 tem um pouco menos de potência e é mais leve uns 15kg, mas serve para ilustrar).

                  • Rodrigo

                    Pois é, por isso reitero que se talvez o câmbio tivesse mais marchas (6 no mínimo) o consumo e o desempenho seriam favorecidos. Mas para um câmbio que estreou por aqui em 2007 (acho que é o mesmo câmbio da geração anterior) até que não faz feio. Lembrando que à época a maioria dos carros ainda tinha câmbio AT de 4 marchas… Mas sim está na hora de mudar.

            • Ailton

              Se você acha at5 da honda ruim, dirija um fluence CVT. Já tive os 2 e o CVT é incrivelmente beberrão, lento na resposta e sem graça! O at5 perto dele é um oásis.

            • FocusMan

              O problema do cambio automático epicicloidal sempre vai ser a perda por bombeamento. Em qualquer carro que a gente rodar com esse tipo de cambio, vamos sentir aquela sensação de estamos com um carro que tem embreagem patinando e isso tira todo o brilho do conjunto mecânico do carro. Entretanto é um comportamento esperado do tipo de cambio e por isso não critico o cambio do Honda, pois ele consegue escolher uma marcha sem dar trancos nos passageiros, o que para mim deveria ser a premissa de qualquer sistema automático.

              Falo isso comparando com cambios bastante ruins como o AL4 da PSA que é o prior caso ao meu ver.

              Tenho outro caso bom de cambio. O de 4 marchas do Corolla. Nunca vi um cambio simples conversar tão bem com um motor como ele faz. Ótima calibração.

            • Charlis

              Cara, “Tão ruim” eu acho você exagerou.
              Eu concordo com você em partes, pois ele deixa o Civic nitidamente mais lento e mais gastão, mas tão ruim, não exagere.
              Um cambio que nunca quebra, aquenta centenas de milhares de km, super confiàvel e confortavel, e um projeto não tão novo assim, não podemos dizer “tão ruim”.

            • GPE

              Rapaz, já andei em tudo que é tipo de automático e com carros de potências variadas, e o “defeito” que eu acho desse câmbio do Civic é o fato da primeira e da segunda serem longas demais. Somente isso. No mais, o câmbio responde muito bem junto com o motor 2.0.

              Poderia ter 6 ou 7 marchas? Poderia sim e provavelmente resolveria o problema da 1ª e da 2ª longas. Mas do jeito que tá o carro anda bem e é bastante econômico (mais de 12 no álcool e algo entre 14,8 e 15,3 na gasolina com ar ligado a 110km/h).
              Já esse AT5 no 1.8 fica bem monótono. Mas a culpa é da falta de torque do 1.8 e não problema no câmbio.

    • Pedro Henrique

      eu deixaria o dupla embreagem pro Si já que é um cambio focado em performance, o normal ficaria com um bom CVT que pra mim, é o melhor cambio já criado (pro dia dia)

      • Guilherme Eduardo

        Acredito que será CVT aqui no Brasil para ganhar em escala de produção. Posso estar enganado, mas se o motor aqui é diferente do resto (flex), por que não o câmbio? Seria câmbio CVT no City, Fit, HR-V e Civic.

    • Jackson A

      Deixa o CVT mesmo, vai ser mais econômico e a manutenção vai ser mais barata tbm, sem contar que os dct no brasil um é barulhento outro vive dando problema, deixa pra la.

      • Thiago

        Manutenção de CVT é bem cara também, não se engane, pois as polias se desgastam rapidinho e logo começa a patinar as marchas. Se a correia arrebentar (e ela arrebenta, exceto no CVT da audi e subaru que é por corrente) se prepare para o pesadelo.

        • Jackson A

          Em comparação ao DCT… a manutenção de um CVT é ótima.

          • FocusMan

            Sei não viu. Já quebrou a caixa CVT do deu FIT’?

      • FocusMan

        De onde tirou a ideia de manutenção mais barata?

        Cambio automático se operado dentro da normalidade deve operar sem manutenção durante toda a sua vida.

        CVT é problemático também. Palavras de quem teve um Fit CVT.

    • Rodrigo

      Eu já acho o contrário: a Honda deveria deixar o dupla-embreagem para o modelo esportivo (Si), deixando o modelo “civil” com um CVT ou Automático convencional.

      • Pedro Henrique

        queima esse automático convencional pelos poderes do lado negro da força, queima chessus

        • Roger Rosato

          queima!!!

      • Roger Rosato

        Nossa, não MESMO!
        CVT vai transformar o Civic em outro cortador de gramas, ao lado de City e Fit;
        Automático convencional vai perpetuar o defeito do Civic atual que é um conjunto que não casa com o câmbio.
        Civic é carro de quem gosta de dirigir! DCT pra ele!!!

        • Rodrigo

          Pois é, aí é que está… Quem compra sedã médio não está nem aí pra sair queimando pneu na saída do semáforo, muito menos sair esmerilhando nas estradas atrás de racha. Mesmo a esmagadora maioria de Jetta 2.0 TSI que vejo rodando por aí, dificilmente anda acima dos limites, mesmo tendo “conjunto mecânico” para isso.
          Talvez seja mesmo pelo câmbio de cortador de grama que o Corolla esteja vendendo tanto atualmente, seguido pelo “insosso” Civic e seu câmbio de enceradeira! Opa, quem aparecem em terceiro e quarto? Cruze AT6 e Sentra CVT de dentista…
          Ué, cadê Focus sedã Powershift? Cadê Jetta DSG? Só pra vc ter uma dimensão da preferência desse tipo de consumidor…
          Não digo que não precisa ter (até pq há o público que prefere mesmo andar rápido), mas que fique restrito ao modelo de topo (normalmente o mais caro e de apelo esportivo).

          • Thiago

            Acho um equívoco colocar o jetta TSI junto, primeiro porque ele é mais rápido que o civic SI, que é esportivo, ou seja, ele é um verdadeiro lobo em pele de cordeiro, depois porque ele começa em mais de 90k e é muito raro ver um na rua sem teto (pelo menos por aqui). Depois, ele tem a concorrência do A3 sedan 1.4, que anda menos mas possui muito mais status pelo mesmo preço praticamente. Agora, se comparar as vendas do civic si com o jetta TSI (como 4rodas já comparou), o jetta massacra.

          • Roger Rosato

            Não é pq um carro tem um conjunto mecânico que privilegie a dirigibilidade que ele tem de ser dirigido de forma inconsequente.
            Quanto a questão do câmbio, discordo. O Jetta TSi só não vendeu mais quando custava menos de 90K, pois havia limitação de importação e filas de espera absurdas. Se a Honda trouxesse o Civic com DCT, ia ser um massacre ao Corolla, o qual vende mais pois é o que tem conjunto mais moderno (dentre as japonesas) e, principalmente, design de ~maior impacto~.
            Me diga, QUEM não gostou quando a VW trouxe o Golf TSi com DSG de 7 marchas? QUEM ficou triste com o fim do Multitronic no Audi A4? Por que o Focus, referência em dirigibilidade, vende tão mais que o Cruze?

            • FocusMan

              O Cara que compra Corolla n está nem ai para carro… Ele quer uma porcaria que o leve a traga dos lugares e que lhe dê algum status.

              • Roger Rosato

                E.X.A.T.O.
                Por que se importariam com agilidade do câmbio ou ESP?! Têm o sonho de consumo de qualquer tiozão brasileiro, um sedã “bunitu, maciu e cum cambiú hidramáticu”.

            • Rodrigo

              Ainda bem que a esmagadora maioria dos consumidores de sedã médio não pensa como vc… Tomara que a Honda no Brasil escute a voz dessa maioria é não queira popularizar câmbio DCT.
              O novo Cruze, que deve chegar antes e com câmbio de dupla embreagem, será um bom termômetro do mercado. Quem viver verá…

              • Roger Rosato

                Diria que o gosto do mercado brasileiro é um meio termo entre o americano e o europeu. Na Europa câmbio AT dificilmente vinga, nos Estados Unidos o mesmo ocorre com os DCT e CVT convencionais (a história tá sendo diferente com esses novos que simulam marchas). No mercado brasileiro, as montadoras geralmente seguem uma receita mais voltada para Europa em modelos mais jovens e Estados Unidos para modelos mais ~tiozões~.
                O Golf nos EUA, por exemplo, é equipado com câmbio AT, algo que não seria bem visto pelo público alvo do Golf no Brasil. Quanto ao Cruze e o Civic, acho que seria uma estratégia de mercado não bater de frente com o Corolla, pois este sempre foi amado incondicionalmente pelo público mais maduro. Há mercado para os dois câmbios, não tem nada dessa de “a maioria quer”. A maioria compra Palio e Onix manuais. Fim.

                • FocusMan

                  Olha que o Corolla vem vendendo sistematicamente todos os meses mais de 5 mil unidade… rs É muita gente querendo o formato insoso de transporte que ele oferece.

                  • Roger Rosato

                    Mesma razão pela qual Mercedes e Audi batem record atrás de record de vendas: a crise não atinge os que têm $$$.

                    • FocusMan

                      Mas explique todos os outros concorrentes perderem no mínimo 30% das vendas.

                      Acho que sabe o que aconteceu?

                      Muita gente migrando de carros “populares” para carros mais caros. Todos esses migrando para o Corolla.

                      Muita gente migrando de carros médios para carros Premium e isso explica o crescimento da venda de Audi, Mercedese e BMW.

                      Muita gente não se firmou como classe média e está deixando de ter carro não consegue trocar de carro tão rapido quanto antes, ou investiu a renda em planos para ganhar mais no futuro como em educação ou mesmo em moradia, comprometendo uma parte significativa da renda.

                      Sei que VW, GM e FIAT foram as que mais perderam em 2015. A Ford perdeu menos por ter investido em uma faixa de consumidores menos propensa a problemas, mas tem sofrido com a concorrência da Honda e Jeep, mas no frigir dos ovos não perdeu tanto. O resto pelo jeito não está em crise.

                • Rodrigo

                  Em definitivo, a maioria compra Palio e Onix manuais, mas se tivesse observado meu texto com atenção, teria lido que eu disse: “a esmagadora maioria dos consumidores de sedã médio não pensa como vc…”

                  Mas isso é irrelevante. Há pessoas que no calor da emoção escreve sem ler; ato falho, faz parte!

                  O único ponto quanto a transmissão de dupla embreagem é o binômio “confiabilidade x custos de reparação”. Isso pode ser decisivo na opção por um modelo. Levando em conta que as japonesas geralmente presam pela confiabilidade (não que isso seja a verdade absoluta, mas não deixa de ser uma premissa), é provável que caso a Honda lance aqui deverá levar isso em consideração. Do contrário, será um tremendo tiro no pé… Haja visto a quantidade de reclamações (procedentes ou não) que rondam os modelos que usam esse tipo de transmissão (principalmente Ford 1.6 e VW no caso do Golf 1.4T, esta última mais relacionado a barulhos apenas).

                  • Roger Rosato

                    Meu caríssimo, tenha a mais absoluta certeza que li cada palavra do seu texto com atenção. Se vc, por sua vez, tivesse tido a sensibilidade, teria percebido que o que disse sobre os populares foi apenas uma contextualização sobre o nosso mercado, no qual se inclui o dos sedãs médios. Tenha certeza que o Corolla vende mais pela modernidade do câmbio aliada ao design, não ao funcionamento do primeiro. Se não fosse essa a razão, veríamos um Golf, um Focus e um Jetta TSi totalmente micados, o que não verifica-se.
                    Quanto à confiabilidade, digamos que as japonesas já foram cautelosas quanto às DCT, pois só estão investindo pesado nelas agora. A Honda já aplica a sua em larga escala no Japão. Não tem como negar que é o futuro.

                    • Rodrigo

                      Primeiramente, texto (escrito) não dá pra ter “sensibilidade”. O que existe é interpretação. No máximo dá pra se fazer alguma inferência em algo que esteja implícito (o que não me parece que foi o caso). Mas como eu disse, isso é irrelevante.
                      Atendo-nos ao fato (e também para pôr fim a esse debate), se será bom ou ruim câmbio de dupla embreagem só o tempo dirá. Até essa tecnologia se consolidar (ou não), haverão aqueles que preferirão o automático convencional, o CVT, o câmbio manual, o automatizado de embreagem simples e qualquer outro que por ventura venha a ser inventado. Faço votos que a Honda seja tradicional por aqui e não pense em enfiar goela abaixo o câmbio de dupla embreagem em todas as versões. Essa é minha opinião, somente isso. Se vc pensa diferente, ótimo pra vc, mas não vai conseguir me convencer a ter um carro com esse câmbio a curto ou médio prazo. Simples assim…

                    • Roger Rosato

                      1. Para interpretar é necessário sensibilidade interpretativa, não deturpe o uso da palavra;
                      2. Tenha a mais absoluta certeza que a minha opinião é apenas minha opinião, em nenhum momento foi mais que isso;
                      3. Realmente não sei o que faz vc pensar que a Honda fazer a escolha que mais agrada a você faria a decisão dela ser mais sensata ou justa que se escolhesse diferente. Como vc mesmo disse, é lamentável tentar enfiar goela abaixo qualquer coisa, por isso sou a favor da existência de opção manual SEMPRE.

        • FocusMan

          Se colocarem DCT nele, será um carro a menos na minha lista de futura compra :-(

          • Roger Rosato

            Se colocarem CVT nele, será um carro a menos na minha lista, tbm.
            Valorizo carros que valorizam o motorista e a condução.

  • Charlis

    Muito provavelmente este será o meu quarto Civic, se a Dona Honda não estragar demais seus preços.

    • 4lex5andro

      ja que os segmentos de carros medios e grandes tem resistido á recessao, é capaz da honda (e tb concorrentes) aumentar bem os preços ao lançar o novo civic.. como de praxe..

  • Rodrigo

    Dá pra ver que ficou bem maior que a geração atual (ao lado, na foto), principalmente em altura. Agora é esperar e ver se a dirigibilidade continua excelente, ainda mais com o downsize. Se a Honda conseguir equacionar bom torque em baixa, acredito que deverá extrair um bom desempenho desse sedã maior.

  • FocusMan

    Acredito que este será um belo carro. Quem sabe desta vez eu vire cliente honda. Quando houve o lançamento do New Civic em 2006 eu não podia ter um. Quando eu já pude ter umV Civic, ele já era um carro cansado.

  • Pedro Henrique

    se o foco é eficiência, devia ter um cvt né? deixa o dupla embreagem pro Si…

  • daneloi

    O que me chamava atenção nos dois últimos Civics( além da mecânica confiável e o bom pós venda) era justamente o para brisas bastante inclinado (aumentando a sensação de espaço interno), o painel de dois andares e o tamanho compacto em relação aos concorrentes diretos. A honda matou tudo isso de uma vez. Já tive 3 civics e não sei se teria mais um. Alguns de vocês podem achar estes argumentos bobos…gosto é muito subjetivo e este carro com frente grande demais não me atraiu…

    • Alfredo Araujo

      Concordo totalmente com o comentário… Estão “Corolizando” o Civic…

      Quando vi esse novo Corolla, me apaixonei pelo carro…. mas ao entrar no mesmo…. todo amor virou rejeição ao perceber o quão curto e vertical era o painel !!

      • André Flandres

        Isso que o painel do Corolla daqui é bem maquiado, para atingir um status de carro mais caro. Nos EUA, em que o Corolla é um carro bem popular, o painel e o acabamento do habitáculo em geral é podre. Constatei isso ao alugar um em Miami.

    • Rodrigo

      Também concordo totalmente!
      Apesar de ser meu primeiro Civic, o que me chama a atenção na versão atual é justamente o perfil esguio da frente, além do interior diferenciado dos demais modelos. Se essa nova geração apresenta essas “involuções” (ao meu ver), possivelmente quando for trocar de carro não trocarei por um Civic…

  • EJ

    Não é crítica, mesmo porque é detalhe estético e priorizo detalhes técnicos, mas acho que pela primeira vez, uma atualização do Civic Sedan não chegará ao Brasil (a atualização da traseira da versão norte-americana).

    • GPE

      O Civic já foi atualizado e a traseira não mudou. Isso faz 1 ano. O que vem agora é o carro novo

      • EJ

        A lanterna da versão norte-americana foi alterada juntamente com a grade dianteira…etc. Mas aqui ficou pela metade o facelift. Acho que ambos estamos falando a mesma coisa, todavia.

        • GPE

          É pq foi o modo que vc falou. Qnd vc disse ” acho que pela primeira vez, uma atualização do Civic Sedan não chegará ao Brasil”, eu entendi como se vc tivesse achando algo futuro, que talvez não fosse acontecer, quando, na verdade, já ocorreu o facelift e não houve a mudança igual ao teve no americano.

          Lendo sua resposta agora, entendi o que vc quis. Na verdade, foi meio que uma afirmação no sentido de que vc acha que esse foi o único facelift que não chegou e o “acho” foi no sentido de que vc tem quase certeza de que todos os outros chegaram.

    • FocusMan

      Não atualizaram aqui porque Brasileiro fica chateado se o carro muda de um ano para o outro.

  • Cesar Mora

    Apenas uma pena perder o Painel em 2 andares com o velocímetro digital ( embora eu ache a primeira versão – 2006/20012 – mais bonita) se tornou uma marca registrada do carro, como a extensão das lanternas traseiras na tampa…

    • Louis

      Eu até concordo que a traseira do 2006 é mais bonita que a do 2012, mas o painel atual melhorou bastante em relação ao 2006. A disposição dos instrumentos é semelhante, mas o painel atual do Civic é muito mais sofisticado, quanto você olha o “econômetro”(as barrinhas ao lado do velocímetro digital, que mudam me cor de acordo com o consumo) parece que tem um efeito tridimensional.

      • Cesar Mora

        talvez o que eu goste mais no primeiro painel do New Civic seja o conta-giros, mais limpo… mas ambos são lindos e deveriam continuar evoluindo, não voltar ao tradicional… assim como entendo que a Citroën errou com o C3 atual ao colocar o painel analógio, esse mix conta giro analógico + velocímetro digital me agrada muito!

    • GPE

      O painel atual é mais acertado que o anterior, principalmente a iluminação

  • DTF

    Vai ser uma briga entre CIVIC e Novo CRUZE…..se mesmo com esses dois modelos atualizados a Toyota continuar a vender muito seu Corolla e sem ESP, que continue a lhe dar a liderança, jogo a toalha, brasileiro não entende nada de carro…

  • Marco

    Pena que pelo que já pude apurar, essa nova geração perderá o painel duplo, com parte superior digital, retornando ao painel simples, em apenas um nílvel. Uma pena. A Honda inclusive, já patenteou aqui no Brasil o formato do novo painel. Já foi divulgado aqui no site.



Send this to friend