*Destaque Hatches Nissan Sedãs

Novo Nissan March deve ser feito na Índia em 2019, pode vir ao Brasil

Novo Nissan March deve ser feito na Índia em 2019, pode vir ao Brasil

De acordo com a revista Autocar Índia, o Novo Nissan Micra 2019 – geração nova do March – está sendo planejado para chegar ao mercado indiano em 2019. O compacto premium atualmente é feito na França e sobre a plataforma do Renault Clio europeu. Comenta-se que o estilo será o mesmo, mas já com atualização de meia vida, que deve chegar também ao modelo vendido na Europa.


Mas, a principal e mais importante mudança é a plataforma. Sai a base “V” do Clio europeu e entra da CMF A+. Essa plataforma modular é muito mais econômica em termos de produção e desenvolvimento que a atual. No entanto, o Novo Nissan March 2019 não será vendido sozinho no mercado indiano.

Junto com o hatchback, a Nissan pretende colocar naquele mercado o Novo Sunny 2019, também compartilhando a CMF A+ com o Novo March 2019. O sedã compacto será a nova geração do atual Versa. A dupla deve gerar, a partir de 2018, enorme economia em escala de produção na Índia, mercado bastante sensível aos preços.

Tanto o Novo Nissan March 2019 quanto o Novo Nissan Sunny 2019, receberão dois novos motores 1.5 litro com gasolina e diesel, bem como opção de transmissão CVT X-Tronic e câmbio manual de cinco marchas. A receita parece muito boa para o mercado indiano, mas não deve se limitar apenas ao país da Ásia. China, Brasil e Rússia poderão se beneficiar desse projeto.


Novo Nissan March deve ser feito na Índia em 2019, pode vir ao Brasil

Como se sabe, a possibilidade de mudanças de plataforma para um mesmo modelo nas gamas da Renault-Nissan é possível e já é vista no Captur, por exemplo. No caso de March e Versa, essa possibilidade agora é direcionada para a nova plataforma modular CMF A, que já sustenta o Kwid, subcompacto inicialmente lançado na Índia e que agora chega ao mercado brasileiro.

Com essa base global, os Novos Nissan March e Versa 2019 poderão ser fabricados no Brasil, México, Japão, Índia, Tailândia, China e Indonésia, mantendo assim a atuação global da dupla que, no entanto, não deve ser explorada no mercado americano e muito menos na Europa.

Quanto à motorização, tudo dependerá das políticas locais de cada mercado. Por aqui, ainda não se sabe o quanto exigirá o Rota 2030 em termos de eficiência energética. Os atuais motores 1.0 12V e 1.6 16V podem ser mantidos se o panorama não alterar demais as exigências. A produção da CMF A na Nissan em Resende-RJ resultaria em grande redução de custos ao longo do tempo, que incluiria também a próxima geração do Kicks após 2020.

[Fonte: Autocar Índia]

Novo Nissan March deve ser feito na Índia em 2019, pode vir ao Brasil
Este texto lhe foi útil??

50 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

    • Mas a plataforma do Kwid é a mesma usada nesse March na Europa tb. Qual é o problema? É uma plataforma módular, e moderna, pode-se trocar todas as peças e ter a resistência necessária para atender o objetivo pretendido.

    • Vim pra comentar a mesma coisa, pega um March com boa plataforma da Europa e coloca uma plataforma do kwid (que ganhou ZERO estrelas)…e ainda fala que a plataforma é mais econômica…mas será tão segura quanto a da Europa? Ou só importa a casca bonita por fora?

      • Olha só os carros que são feitos na plataforma do Kwid:
        Nissan Qashqai , Nissan X-Trail , Nissan Rogue, Nissan Pulsar, Renault Espace V, Renault Kadjar, Renault Kwid, Renault Talisman, Mégane, Renault Koleos II, Renault Scénic IV.
        Todos Europeus, ou seja, simplesmente se está trocando a plataforma por uma mais nova.

  • “Como se sabe, a possibilidade de mudanças de plataforma para um mesmo modelo nas gamas da Renault-Nissan é possível e já é vista no Captur, por exemplo.” Mas isso não aconteceu no caso da Captur. A nossa Captur só mantém o nome, já que não é igual a européia apesar de ser parecida. A nossa é bem maior, 7 cm a mais no entre-eixos e 20 cm a mais no comprimento.

      • Bem diferente, o Up usa exatamente a mesma plataforma a NSF/PQ12 do modelo europeu. Tem o mesmo entre-eixos, sendo 6 cm maior apartir do eixo traseiro para ter mala e tanque de combustível maior. A Captur europeia usa a plataforma do Clio IV enquanto a Kaptur russa renomeada aqui de Captur usam a plataforma do Duster. Esse March/Micra na Índia seria igual ao europeu usando uma plataforma diferente. Enquanto o nosso Captur apesar das semelhanças é o Kaptur russo maior e mais alto. Se o nosso Up usasse por exemplo a PQ24 do Polo/Fox/Gol aí sim seria poderia ter alguma relação.

  • Estava lendo… ai cheguei na parte “Compacto Premium” e parei de ler.

    Imprensa, por favor parem de criar esses mitos horríveis. Isso gera um valor percebido sobre esses produtos que não condizem com a realidade da marca que os vende.

    Compacto premium é BMW série 1, Mini Cooper, Mercedes Classe A… Não existe carro compacto premium.

    • Essa bobagem de Compacto Premium foi a VW quem inventou com o Polo em 2002 pra justificar o seu preço alto na época.
      As outras marcas pegaram carona.

      • As marcas chamaram e Premiun pq eles trazem requinte e equipamentos que eram disponíveis somente nos modelos de luxo.

        Para quem precisa e gosta de um modelo compacto, você tem a opção de ter luxos de carros grandes. Hoje, eu prefiro um carro pequeno luxuoso do que um grande. Isso por que rodo muito e busco algo menor para a cidade.

        Se meu dinheiro desse, claro que andaria de Cayenne. KKKKK

      • Seria um compacto muito bem construído de uma marca não premium.

        Tipo, eu posso chamar um camisa Hering feita com tecido especial de premium se a marca é popular? Deu tilt na minha cabeça agora, mas entendi o que vc quis dizer…

        • hahaha, foi mais pelo lado de qualidade de construção e acabamento mesmo, acho que é até válido chamar um carro de premium por conta disso. Não esses populares…

          • Então quando a JAC lançou o J3 no Br a gente deveria chamar ele de premium tb kkkk era muito melhor que os carros da mesma faixa de preço. Mas como era Chines, ainda tinha quer vendido mais barato que os concorrentes nacionais.

  • Não sei se dá para manter a produção das duas, mas se eu fosse a Nissan, manteria o March e o Versa antigos como porta de entrada e traria os mais novos no lugar das versões mais caras (e hoje absurdas) dos dois.
    O March 1.0 a 42k e o Versa 1.0 a 48 são produtos bons, mas este preço dificilmente seria mantido nos novos carros.
    Agora se for possível vender o Novo March a 45k e o Novo Versa a 50k, passa a régua.

  • Quanto a plataforma não vejo problemas já que a plataforma B0 do Captur fez bonito no teste do agora rigoroso Latin NCAP recebendo 4 estrelas. A plataforma CMF é bem mais moderna que a B0 e portanto se a Renault-Nissan caprichar será um carro de qualidade sim. Acho que a ampliação da fábrica de motores da Renault pode já estar indicando novos carros feitos aqui e até mesmo a produção do novo 1.3 TCe. A plataforma M0 é tão elogiada por sua robustez que ela será usada no Duster 2 e talvez ela continue lado a lado com a CMF por um bom tempo aqui.

  • Me deixa louco da vida ver em pleno ano de 2017, com notícias rápidas a nível global, montadora querendo trazer só em 2019 caro que já circula na Europa agora, 2 anos antes. E quando chega aqui ainda tem a pachorra de chamar de novidade trazer um modelo que apesar de eu gostar muito, vai estar ultrapassado.

    • Raul … a questão de isso acontecer em países como o nosso é simples: Todo maquinário da linha de produção terá vida longeva e as indústrias poderão faturar mais. Afinal, houve um baita custo de investimento de um modelo e dessa “laranja” querem sugar até o bagaço. É ruim para nós? É. Mas, se o nosso governo governasse para o cidadão brasileiro e não para as indústrias automobilísticas, isso deixaria de acontecer rapidamente. Onde a máxima teria como expressão : Quem não tem competência que se estabeleça. Sou a favor que no país possa ser comercializado e fabricado TODO tipo de marcas e modelos como acontece em outros países. Mas, aqui, o governo com seu discursinho para o povo provinciano(do qual faço parte) é que não pode porque tem que defender os interesses das indústrias automobilísticas brasileiras.O que? Onde? Como? …Desde quando a Gurgel voltou ao mercado e não me avisaram ? ..srrsrsr

  • TAKIUUUPARIUUUUU !!!! Sempre o mesmo blá, blá, blá de que bateu, morreu ! Nego morre em Range Rover Evoque que oferece, segundo a entidade, 86% de proteção a adulto, 75% a criança, 41% a pedestres e 86% de segurança assistida. Amigos(as) usem o CINTO, respeitem o LIMITE de VELOCIDADE das vias, NÃO beba antes de dirigir, NÃO consuma drogas antes de dirigir, NÃO dirija após ter ingerido certos medicamentos, USE COM FREQUÊNCIA o item que muitos acham que é OPCIONAL mas, não é ! A simples SETA ok ? Ao precisar mudar de faixa use-a ! E o mais importante : Ao adentrarem em vossos veículos, enfiem o bendito CELULAR no “ORIFÍCIO” que mais lhe agradar … eu sugiro o seu bolso. Sejam responsáveis com você, com os ocupantes do seu veículo e com os demais nas vias que assim, esse quesito SEGURANÇA será no mínimo 99%, SEJA O VEÍCULO QUE FOR. Claro que é ÓTIMO e DEVER das indústrias se esforçarem para oferecer um veículo com o máximo de segurança. Mas, se NÃO FIZERMOS NOSSA PARTE que é seguir as regras BÁSICAS de condução de um veículo e RESPEITAR AS LEIS DE TRÂNSITO, pode-se conduzir um TANQUE DE GUERRA que jamais você estará seguro e oferecendo segurança aos outros. No mais, fiquem todos na paz.

  • Realmente um salto considerável no design. Se a Nissan manter a boa qualidade dos atuais num preço ao menos no patamar da concorrência poderão ganhar um bom mercado.

  • Caramba! Vai ficar bonito hein!!! Tomara que venha logo, pois o que pega nas vendas do Versa é o design que não é unanimidade, muito embora seja bem melhor que aquele monstro do Cobált.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email