Opel Sedãs

Novo Opel Insignia deve ganhar motores 1.0 Turbo e 1.6 Biturbodiesel

opel-insignia-2016

O próximo Opel Insignia vai focar na eficiência energética ao extremo, a fim de conseguir atender as normas de emissão Euro 6 e manter-se na vanguarda tecnológica.

Para obter isso, a Opel deve focar no downsizing, oferecendo motores de três e quatro cilindros compactos, começando pelo 1.0 Ecotec Turbo, que hoje entrega 115 cv. Além desse, o Novo Insignia deve receber também um novo 1.6 diesel com duas turbinas, gerando 160 cv.

Na outra ponta, comenta-se que o sedã germânico terá o esportivo OPC com nada menos que 400 cv. A Opel não deverá fazer uso de caixa de dupla embreagem, apostando em uma automática com conversor de torque.

Com tração dianteira ou integral, o Novo Insignia será maior, crescendo até 15 cm, enquanto o entre-eixos terá mais 9 cm. O luxuoso da Opel terá versões sedã, perua e cupê, que deve receber o nome Monza.

[Fonte: Auto Bild]





  • Leandro

    Desse Insignia no Brasil só o motor e olhe lá….

  • Chevrolet

    Tinha que vir logo esse 1.0T pra cá! E carros a Diesel aqui só sonho :/

    • Leandro

      Poderia vir a Opel de uma vez….

  • BorisAWD

    E com traçao integral.

  • O pessoal reclamou esses dias do motor fraco do Tipo na Europa. Mas se vcs repararem, todas as marcas lançam motores “fracos” na Europa, lá eles aceitam esse tipo de motor. Se o Cruze fosse lançado aqui com esse motor de 115 cv todo mundo ia cair matando em cima!

    • Rmx

      Já tive um Peugeot 508 SW com um 1.6 Diesel 120 cv mas um bom torque. Se anda tranquilo na EU, um dos motivos disso são as ruas e estradas sem obstaculos com curvas imensas, limite de 50 km/h na cidades etc.
      No BR sempre vai haver buracos, obstáculos, curvas etc. Forçando sempre retomar velocidade. Motores muito fracos em carros grandes são um problema mesmo.

      • Concordo que aqui no Br precisamos de mais retomadas que na UE, por exemplo. Mas seria ótimo ter sedãs médios com motores mais fracos e consequentemente mais econômicos. Aliaria o melhor acabamento e mais recheio de equipamentos com um consumo menor, claro para aqueles que preferem isso. Poderia se manter a oferta dos motores atuais e acrescentar um motor de menor cilindrada para o consumidor optar.

      • Concordo que aqui no Br precisamos de mais retomadas que na UE, por exemplo. Mas seria ótimo ter sedãs médios com motores mais fracos e consequentemente mais econômicos. Aliaria o melhor acabamento e mais recheio de equipamentos com um consumo menor, claro para aqueles que preferem isso. Poderia se manter a oferta dos motores atuais e acrescentar um motor de menor cilindrada para o consumidor optar, assim como já se faz lá fora. Os carros europeus são lançados com 4, 5 opções de potência, aqui temos no máximo 2.

        • Wellington Myph13

          Mas tem que ser Turbo pra ser econômico.
          Não adianta nada trazer o novo Tipo com motor 1.4 Evo, vai ficar uma carroça e além de tudo gastão.
          Um 1.0T com 120cv e 18kgfm de Torque já da conta de um médio, e com certeza trás consumo excelente…
          Depois um 1.4T com 150cv e 25kgfm de Torque já vira quase um esportivo… Pra carros familiares, não “precisa” mais que isso, desde que sejam turbo, com Torque aos 1500~1800rpm, trazem segurança em retomadas e marchas mais longas pra economia de combustível…

          • Romulo Moreira

            EXATO, pros compactos, motores de 800, 900cc com turbo, gerando na casa dos 90~100cv e com uns 14~16k de torque já estaria ótimo, se for subindo (1.0T) já fica muito mais interessante e pros médios, configurações entre 1.4 e 1.6T já é muito mais que qualquer 1.8, 2.0, 2.2 aspro pode entregar….já passou da hora da adoção do turbo pras pequenas e médias cc….

          • shdn2010

            Cara comentei outro dia…. se colocarem um motor 1.0 em uma hr-v o povo do brasil compra… tem gente q fica feliz so de saber que o carro aguenta sair do lugar e se fazer de 0 a 100 em 1 milhao de horas está bom de mais..!!!kkkkkkkkkk,

          • Edson Fernandes

            Vai me desculpar, por mais que o downsizing seja muito economico, uma retomada mesmo em motores desse tipo podem exigir redução.

            Só no Brasil mesmo que as pessaso pensam em retomada mantendo a marcha mais alta. Aqui isso serviria para manter a velocidade de cruzeiro, mas a retomada em casos de re-aceleração serve é prudente reduzir uma ou duas marchas.

            • Wellington Myph13

              Mas tem que pensar na massa. Eu sei que precisa de redução, você sabe, muitos aqui do blog sabem, mas grande parcela dos compradores não, eles tem medo de elevar a rotação do motor, fazem ultrapassagens na marcha errada, correndo risco e colocando outros em risco…
              Com motores turbo não que isso vá zerar, ainda vai ter o infeliz achando que agora que é turbo tinha que sair em quinta de lombada, mas já deve reduzir bem os problemas em estradas…

              • Edson Fernandes

                Na minha opinião isso é ligado a cultura que a pessoa está habituada. Meu pai antes de ter os carros 1.0, sempre realizava redução se necessário. Já algumas pessoas do meu convivio que antes tiveram carros 1.6, 1.8 e até 2.0, estão com carros 1.0 e não reduzem qdo necessário. E então vemos situações na estrada onde o cidadão seja o carro que for, entra na tua frente a 60km/h e vc estando a 120km/h tem que fazer uma frenagem forte e aguardar o cidadão ganhar força para conseguir sair, ou então esperar ele lembrar que existe educação e sair da frente.

                Um carro turbo em uma situação de estrada em rotação baixissma pode dar como acontece no up tsi: se rodar abaixo de 1500rpm o carro vai trepidar com possiblidade de morrer, portanto, que use de forma correta.

                O carro turbinado dá sim uma ajuda muito boa na extração de potencia e até retomada, desd eque corretamente utilizado. Se for para fazer o que as pessaos fazem, vai continuar a mesma historia. Nem mesmo o Astra 2.0 com todo seu torque em baixa rotação em epocas antes de downsizing fazem milagres.

                Mas te digo mais: Eu acho que brasileiro nãoquer trocar de marcha por preguiça mesmo e como aqui ninguem pensa no proximo, vc que espere ele fazer o que ele quer. Eu vejo muito em estrada pessoas entrando na frente de carros mais rapidos e achando que elas por estarem dentro do limite é permitido ficar a frente. Portanto, citei carros 1.0 porque já peguei muitos na minha frente, mas isso pode acontece com qualquer modelo, ainda que os mais caros e “motores maiores” já sejam automaticos.

                • Wellington Myph13

                  Infelizmente isso vai ser difícil de mudar, eu trabalho com representação, rodo o dia todo somente em cidade, em média 50km por dia, e na cidade já tem MUITOS que são assim, e eles levam isso pra estrada, só atrapalhando…

        • Romulo Moreira

          Em boa parte pela política de impostos que eles empregam por lá….carros econômicos e eficientes são sinônimo de pouco imposto, que é onde os europeus se agarram….totalmente diferente daqui….

  • FerSaccon

    Aluguei um este fds. Aqui é chamado de Buick Regal. Mas usa motor 2.0T. Anda demais!

  • Wagner Lopes

    Bobagem. Devem estar com inveja de nós. Aqui a chevrolata nos oferece os ultra modernos monzatech 1.0 e 1.4 projetados na década de 70 com incríveis 8 válvulas e ainda por cima, frex….kkkkkk.

  • Christian Balzano

    Ele seria um Vectra nosso se a GM Brasil acompanhasse a evolução da Opel. Por outro lado o Novo Cruze que foi lançado nos EUA está mais bonito.



Send this to friend