*Destaque Linha 2018 Projeções Sedãs Volkswagen

Novo Voyage 2018: preço, fotos, versões, equipamentos, consumo e detalhes

volkswagen-voyage-2017-1024x690 Novo Voyage 2018: preço, fotos, versões, equipamentos, consumo e detalhes

O Voyage 2018 já está nas lojas, com pequenas mudanças feitas pela Volkswagen nos equipamentos em todas as versões. Veja abaixo os detalhes do Novo Voyage.



Voyage 2018 – detalhes

O Volkswagen Voyage 2018 tem preços a partir de R$ 49.280, esse preço é da versão de entrada Trendline 1.0. Abaixo dessa versão existe o Voyage City 1.0, mas esse é vendido somente para empresas, pois é uma versão muito simplificada.

O preço aumentou consideravelmente em todas as versões do Voyage 2018 pois agora ele tem ar-condicionado de série desde a versão básica. Os motores continuam sendo os já conhecidos 1.0 de três cilindros e até 82 cavalos e o velho 1.6 com 104 cavalos.

Em maio de 1981, nascia no mercado brasileiro o Voyage. O sedã compacto da Vokswagen era o segundo da família BX e era o primeiro sedã da marca alemã no país desde o finado VW 1600L de 1971. Logo o modelo começou a ganhar a simpatia do consumidor brasileiro, tendo inicialmente duas portas e depois com quatro portas. O motor era 1.5 e tinha 4 marchas, mas em 1983, surgira o MD 270 1.6.

Dois anos depois, surgiam os famosos motores AP 1.6 e 1.8. Em 1987 recebeu facelift e pouco depois começou a ser exportado para os EUA, recebendo o nome de Fox, junto com a perua Parati, batizada de Fox Wagon. Este tinha motor 1.6 com injeção eletrônica e mudanças no visual frontal. Com a Autolatina, o Voyage ganhou motor CHT 1.6 da Ford e perdeu o AP 1.6. Em 1991, o sedã passa por mais um facelift. Sempre feito em Taubaté, nesse ano teve unidades feitas na Anchieta. Três anos depois, o modelo sai de cena para dar lugar ao argentino Polo Classic.

volkswagen-voyage-trendline-10-avaliação-NA-37 Novo Voyage 2018: preço, fotos, versões, equipamentos, consumo e detalhes

Os anos se passaram a saudade do Voyage tomou muita gente. Para alegria de quem esperou tanto, a Volkswagen trouxe de volta o modelo já na quinta geração do Gol, lembrando que o sedã nunca passou pelas gerações anteriores, exceto a primeira. Em setembro de 2008, cerca de 14 anos depois, o modelo voltou ao mercado nacional e muito diferente do anterior. Agora motor e câmbio eram transversais e os AP ficaram na memória…

O sedã que um dia ostentou nomes diversos no exterior, incluindo o clássico Fox, agora não poderia se dar tanto ao luxo, voltando a ser o Voyage de sempre, o irmão mais próximo do Gol. O motor era EA111 1.0 ou 1.6, ambos com quatro cilindros e 8 válvulas. O modelo ficou bem equilibrado e ganhou até câmbio automatizado. Na sexta geração, o Voyage mantinha pretensão de ser o único sedã compacto da marca e chegou mesmo a ter uma versão premium com bancos em Alcantara, um luxo que poucos carros caros possuem.

Nessa altura, o Voyage começou a andar no salto e parecia querer mais, mas então a Volkswagen mudou sua estratégia de produto por conta de outro sedã de nome engraçado, que agora conhecemos como Virtus. Assim como o Gol, seu irmão de três volumes teve que ser reposicionado. Perdeu-se o luxo, o Alcantara e até a chance de ter motor EA211 1.6 16V. O sedã poderia ter ido bem longe e quem sabe até recebido um câmbio automático de verdade ao longo dos anos.

Mas agora, o Voyage 2018 é mesmo um carro de entrada com dois motores, mas o 1.0 é o MPI de três cilindros com até 82 cv, enquanto o 1.6 continua a ser o antigo quatro cilindros, mas com até 104 cv. O modelo teve redução no número de equipamentos opcionais, sendo criados pacotes mais enxutos para melhorar o custo-benefício a fim de não se equiparar ao próximo sedã compacto da Volkswagen.

O Voyage 2018 tem um visual bem equilibrado. O sedã compacto da Volkswagen mede somente 4,21 m de comprimento, 1,65 m de largura, 1,46 m de altura e 2,46 m de entre eixos. Pesando entre 950 kg e 1.050 kg, o modelo tem faróis monoparabola com lentes complexas, grade com frisos horizontais, para-choque com aspecto esportivo e faróis de neblina, lanternas traseiras bipartidas, porta-malas proeminente, linha de cintura média e janelas traseiras com abertura total.

Por dentro, o Voyage 2018 tem um novo painel com texturização injetada na parte central, acabamento em dois tons, quadro de instrumentos com computador de bordo, instrumentos analógicos, volante multifuncional, multimídia Discover com Android Auto, Car Play e MirrorLink, entre outros. O espaço interno é bom, enquanto o porta-malas apresenta 480 litros, suficientes para uma família pequena. Simples, o modelo tem vidros traseiros elétricos com comandos no painel e outras soluções para reduzir custos.

novo-voyage-2017-NA-34 Novo Voyage 2018: preço, fotos, versões, equipamentos, consumo e detalhes

Voyage 2018 – novidades

O Voyage 2018 não teve alterações em relação à linha 2018. O sedã compacto da Volkswagen continua com sua posição no segmento de entrada e espera a chegada do sedã Virtus 2018 para medir o impacto da novidade, mas possivelmente será ainda mais enxuto nos próximos anos, mantendo por enquanto o motor EA111 1.6 8V como opção mais potente até que esse motor não consiga mais passar pelas metas de eficiência energética do Rota 2030.

Assim, o Voyage deverá perder esse motor e ficar somente com o EA211 1.0 12V com seus até 82 cv, assim como o Gol em relação ao Polo. A dupla pode acabar migrando para a plataforma PQ12 do up!, que pode desaparecer no futuro, deixando sua base para a dupla de acesso da VW e ainda para um crossover compacto com até 4 metros para atender também o mercado indiano. Talvez para mostrar a força dos modelos brasileiros, a empresa venha a lançar – com ajuda da Skoda – essa nova geração também na Índia.

Outra alternativa é usar a plataforma modular MQB-A0 simplificada para assim corresponder ao mercado indiano que, assim como aqui, é suscetível aos preços. Assim, o Voyage pode acabar junto com o Gol na terra dos hindus, bem como um T-Track como crossover de acesso, abaixo do T-Cross, Tharu e Tiguan, por exemplo.

Voyage 2018 – versões

Veja as versões do Novo Voyage:

Voyage Trendline 1.0 2018
Voyage Comfortline 1.0 2018
Voyage Trendline 1.6 2018
Voyage Comfortline 1.6 2018
Voyage Comfortline 1.6 I-Motion 2018
Voyage Highline 1.6 2018
Voyage Highline 1.6 I-Motion 2018

novo-voyage-2017-NA-23 Novo Voyage 2018: preço, fotos, versões, equipamentos, consumo e detalhes

Voyage 2018 – equipamentos

  • Voyage Trendline 1.0/1.6 – Motor 1.0 MPI, direção hidráulica, airbag duplo, freios ABS com EDB, desembaçador traseiro, vidros dianteiros elétricos, travamento elétrico das portas, refletores no para-choque traseiro, painel completo, banco do motorista com ajuste de altura, cintos de segurança com ajuste de altura, alerta de frenagem de emergência, rodas de aço aro 14 polegadas com pneus 185/65 R14 com calotas Xisto, 2 apoios de cabeça traseiros, alerta sonoro e visual para cinto de segurança do motorista, banco traseiro com encosto rebatível, retrovisores e maçanetas na cor preta, faróis com máscara escurecida, para-sóis com espelhos de cortesia, retrovisores com comando interno manual, tomada 12V no console central, bancos em tecido, entre outros.

Opcionais: Ar-condicionado por R$ 3.040/R$ 3.006 (1.6). Interatividade Media (4 alto-falantes e 2 tweeters, multimídia “Media Plus” com Bluetooth, MP3, USB, SD e auxiliar) por R$ 918. Composition Touch (I-System com Eco-Comfort no painel, 4 alto-falantes e 2 tweeters, sistema de som “Composition Touch” com App-connect e volante multifuncional completo) por R$ 1.924.

  • Voyage Comfortline 1.0/1.6 – Motores 1.0 MPI/1.6 MSI, todos os itens acima, mais acabamento interno escurecido, painel claro com aplique preto e bancos com malharia Capri preta, rodas de aço aro 15 com pneus 195/55 R15 com calotas Gabro, faróis de neblina, retrovisores e maçanetas das portas na cor do carro, grade dianteira em preto brilhante com inserto cromado, porta-malas iluminado, espelhos iluminados nos para-sóis, multimídia Media Plus, chave canivete, porta-revistas nos encostos dos bancos dianteiros, frisos na cor do carro, colunas B com aplique preto, entre outros.

Opcionais: Urban (I-System com Eco-Comfort, sensor de estacionamento traseiro, retrovisores e vidros traseiros elétricos, luzes de leitura, chave com telecomando, rodas de liga leve aro 15 polegadas “Marga”, abertura elétrica do porta-malas, alarme na chave, retrovisor direito com função Tilt-Down, tapetes em carpete) por R$ 3.963/R$ 1.500 (1.6). Urban Completo (Itens do Urban, mais rodas de liga leve aro 16 polegadas “Varvito”) por R$ 1.821 (somente 1.6). Interatividade Composition Touch (I-System com Eco-Comfort, sistema de som Composition Touch com App-connect e volante multifuncional) por R$ 1.210. Interatividade com navegação (multimídia Discover Media com tela touchscreen, Android Auto, Car Play, MirrorLink, Bluetooth, comando de voz, navegação e App-Connect, mais volante multifuncional completo) por R$ 2.583. Suporte para celular por R$ 324.

  • Voyage Comfortline 1.6 i-Motion – Todos os itens acima, mais transmissão automatiza ASG (I-Motion) com paddle shifts. Os opcionais são os mesmos para a versão 1.6.

Voyage 2018 – preços

Voyage Trendline 1.0 – R$ 49.280
Voyage Comfortline 1.0 – R$ 51.860
Voyage Trendline 1.6 – R$ 52.750
Voyage Comfortline 1.6 – R$ 54.459
Voyage Comfortline 1.6 I-Motion – R$ 57.460
Voyage Highline 1.6 – R$ 56.910
Voyage Highline 1.6 I-Motion – R$ 60.310

volkswagen-voyage-trendline-10-avaliação-NA-34 Novo Voyage 2018: preço, fotos, versões, equipamentos, consumo e detalhes

Voyage 2018 – motor

O motor do Volkswagen Voyage pode ser 1.0 de três cilindros, o chamado EA211, que tem até 82 cavalos de potência e 10,4 kgfm de torque e também o 1.6 de quatro cilindros de até 104 cavalos e 16,6 kgfm de torque. O EA211 é uma evolução ao antigo EA111, que ainda equipa o sedã na forma do 1.6 MSI de oito válvulas. Esse pequeno propulsor tem três cilindros e cabeçote com 12 válvulas com comandos duplos variáveis. Ele possui sistema de partida E-Flex, que utiliza pré-aquecimento na partida a frio.

Com bloco e cabeçote em alumínio, o EA211 conta com sistema de refrigeração individual para essas duas partes do motor, assim como sistema de injeção eletrônica multiponto. O 1.0 MPI 12V entrega 75 cv com gasolina e 82 cv com etanol, ambos a 6.250 rpm. Já os torques são de 9,7 kgfm a 3.000 rpm e 10,4 kgfm a apenas 3.000 rpm, respectivamente com gasolina e etanol. O motor 1.0 MPI 12V pode ter apenas câmbio manual de cinco marchas.

No caso do 1.6, este é o velho EA111 do fim dos anos 90. Vetusto, porém, com bom torque em baixa e robustez mecânica, o propulsor ainda gera uma enorme carga de força para seu porte, garantindo boa performance. O bloco é de alumínio, assim como o cabeçote, mas só tem duas válvulas por cilindro, totalizando oito e sem comando com variação de abertura e fechamento de válvulas. O sistema de refrigeração cobre todas as partes do motor.

Este EA111 1.6 8V fornece 101 cv com gasolina e 104 cv com etanol, obtidos a 5.250 rpm. Já os torques são de 15,4 e 15,6 kgfm, respectivamente com gasolina e etanol, ambos conseguido a apenas 2.500 rpm. Note que a rotação é parecida com a do antigo 2.0 8V da Volkswagen, que equipava o Jetta. Ou seja, além de altos torques, estes aparecem em rotação bem baixa. Ele utiliza também utiliza pré-aquecimento na partida a frio, batizado de E-Flex. Já o motor 1.6 I-Motion tem também o câmbio automatizado i-Motion de cinco marchas.

Como já comentado mais acima, o Voyage 2018 tem um motor moderno nas versões mais baratas e um velho propulsor nas mais caras. É com essa dupla que o sedã da VW se oferece no mercado automotivo nacional, oferecendo características bem distintas entre eles e com vistas à economia.

Nesse caso, o Voyage 1.0 2018 faz 8,7 km/litro com etanol e 12,9 km/litro com gasolina. Com motor 1.6, ele entrega 7,5 km/litro com etanol e 11,1 km/litro com gasolina ou 7,8 km/litro com etanol e 11,2 km/litro com gasolina na versão I-Motion, sempre na cidade. Note que o automatizado ASG trabalha melhor com a eficiência energética.

Se o rendimento for na estrada, o Voyage 2018 entrega bons números, fazendo no 1.0 MPI 12V cerca de 10,5 km/litro com etanol e 15,4 km/litro com gasolina. Com motores 1.6 MSI 8V equipamentos com transmissão manual de cinco marchas ou automatizado com cinco também, ele oferece 9,4 km/litro com etanol e 13,3 km/litro com gasolina, mas o automatizado ASG (I-Motion) confere mais economia com 9,5 km/litro com etanol e 13,5 km/litro com gasolina.

Voyage 2018 – desempenho

Aceleração de 0 a 100 km/h e velocidade máxima final

  • Voyage 1.0 – 12,7 segundos e 175 km/h
  • Voyage 1.6 – 9,9 segundos e 192 km/h
  • Voyage 1.6 I-Motion – 9,9 segundos e 192 km/h

Como já citado acima, o Voyage 2018 tem dois motores e ambos apresentam boa performance, mas o EA211 1.0 MPI 12V é o mais eficiente. No trânsito urbano, o propulsor tem excelente resposta para um carro de sua categoria, sendo talvez o mais forte entre os 1.0 litro. O torque em baixa é bom e ele atende perfeitamente as necessidades urbanas de boa parte das pessoas. Com o câmbio de engates curtos, macios e precisos, o sedã compacto da Volkswagen tem boas saídas e retomadas, sempre considerando um 1.0. Ele facilmente aceita rodar abaixo de 2.000 rpm e sustenta bem 1.500 rpm.

O Voyage 1.0 2018 anda muito bem com esse conjunto motriz, subindo até a serra do Mar pela rodovia dos Imigrantes em quinta marcha sem sofrer. Ele roda em torno de 3.500 rpm em cruzeiro rodoviário. Mas, quando carregado, ele necessita de mais força no pedal e um giro mais alto, mas nada que vá prejudicar demais o consumo. O motor funciona de forma suave e com pouquíssima vibração.

No Voyage 1.6 2018, a força disponível também é boa, mesmo com a tendência de o quatro cilindros não ser tão eficiente em performance em baixa na comparação entre os números do teste. Ele tem excelente arrancada e retomadas que dão prazer ao volante, transformando o sedã simpático num pequeno esportivo e isso porque as alterações no modelo visam exclusivamente a economia. Ele sempre rode bem em 2.000 rpm, quando a maior parte do torque está. Entre essa e 2.500 rpm, o três volumes deslancha.

Na cidade, o conforto do motor silencioso – exceto na partida – e de funcionamento suave, dão ao Voyage 2018 uma performance urbana muito boa. Na estrada, ele sobra fácil, girando sempre na casa dos 3.000 rpm quando em quinta marcha. O sedã conta ainda com uma opção automatizada I-Motion (câmbio ASG), que sofre nas trocas de marcha, pois precisa acionar a embreagem de forma automática e isso acaba por matar a performance. Ainda assim, aceleração e velocidade final são iguais às do 1.6 manual.

Essa opção não traz muito conforto nas trocas por conta dessa pausa. Mas no manual, o Voyage 1.6 2018 é uma opção boa para quem quer um sedã simples, funcional, espaçoso e robusto. No geral, o sedã compacto tem um bom comportamento. A direção é hidráulica, porém, bem leve. A suspensão tem uma calibragem acertada para o conforto, sendo macia. No entanto, a arquitetura do sedã dá boa estabilidade. Os freios atuam muito bem também.

Voyage 2018 – consumo

Cidade

  • Voyage 1.0 – 8,7 km/litro com etanol e 12,9 km/litro com gasolina
  • Voyage 1.6 – 7,5 km/litro com etanol e 11,1 km/litro com gasolina
  • Voyage 1.6 I-Motion – 7,8 km/litro com etanol e 11,2 km/litro com gasolina

Estrada

  • Voyage 1.0 – 10,5 km/litro com etanol e 15,4 km/litro com gasolina
  • Voyage 1.6 – 9,4 km/litro com etanol e 13,3 km/litro com gasolina
  • Voyage 1.6 I-Motion – 9,5 km/litro com etanol e 13,5 km/litro com gasolina

Voyage 2018 – manutenção e revisão

Revisão

Custo

Quilometragem

Preços 1.0

Preços 1.6

10.000 km

R$ 258

R$ 258

20.000 km

R$ 258

R$ 258

30.000 km

R$ 540

R$ 540

40.000 km

R$ 544

R$ 544

50.000 km

R$ 412

R$ 412

60.000 km

R$ 672

R$ 672

Voyage 2018 – ficha técnica

Motor

1.0 MPI

1.6 MSI 8V

Tipo

Dianteiro transversal, Gasolina e Etanol

Dianteiro transversal, Gasolina e Etanol

Número de cilindros

3 em linha

4 em linha

Cilindrada em cm3

999

1598

Válvulas

12

8

Taxa de compressão

11,5:1

12,1:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Multiponto

Potência Máxima Líquida (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 75 cv @ 6250 rpm / Etanol: 82 cv @ 6250 rpm

Gasolina: 101 cv @ 5250 rpm / Etanol: 104 cv @ 5250 rpm

Torque Máximo Líquido (ABNT NBR 5484) 

Gasolina: 9,7 kgfm @ 3000 rpm / Etanol: 10,4 kgfm @ 3000 rpm

Gasolina: 15,4 kgfm @ 2500 rpm / Etanol: 15,6 kgfm @ 2500 rpm

Transmissão

Tipo

Manual 5 marchas

Manual 5 marchas ou Automatizado 5 marchas

Freios

Tipo

Disco ventilado / tambor

Disco ventilado / tambor

Direção

Tipo

Hidráulica

Hidráulica

Suspensão

Dianteira

McPherson, independente com barra estabilizadora

McPherson, independente com barra estabilizadora

Traseira

Eixo de torção

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Aço aro 14 polegadas

Aço aro 14 polegadas / Liga Leve aro 15 polegadas

Pneus

185/65 R14

185/65 R14 / 195/55 R15

Dimensões

Comprimento total (mm)

4218

4218

Largura sem retrovisores (mm)

1656

1656

Altura (mm)

1463

1463

Distância entre os eixos (mm)

2467

2467

Capacidades

Porta-malas (litros)

480

480

Tanque (litros)

55

55

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

440

400

Peso em ordem de marcha (kg)

947

1029 (MT) 994 (AMT)

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,317

0,317

Voyage 2018 – fotos

4.0

COMPARTILHAR:
  • Caio Oliva

    Só eu que senti um ar de Alfa 156 na coluna traseira? Rsrs

    • Osni Duarte

      Sim.

      • Caio Oliva

        not

  • Franco da Silva

    Vejo que em várias especulações de Gol, Voyage, etc, quando o 1.0 TSI é citado, logo é a variante do Golf. Entendo que, pelo porte maior, sempre se espera a versão com mais potência, mas é preciso considerar também que 105 cv não é pouco. Pelo contrário, é a potência dos 1.6 até pouco tempo atrás, contado ainda com o torque maior e em menor rotação. Além disso, o consumo é consideravelmente menor.

    • Silvio Fabricio Oliveira

      A VW brasil Quer desovar o restante dos motores E A 111 1.6 pra ampliar a produção dos E A 211, eu acho que se a volks for lançar um turbo numa linha de baixo custo especialmente se for Gol e Voiage sera o de 105 pelo fato de atender bem veiculo com até 1.1 T de peso levando se em consideração o custo de produção pelo fato de exigir uma turbina de diametro menor bielas e valvulas de mesmo aspirado e ate o mesmo coletor de admissão sendo que á pressão do turbo é baixa porem eficiente. O TSI do Golf poderá equipar o SUV e a pik-up nova que pode não se chamar de saveiro.

  • carroair30

    Vamos continuar tentando!!!…….

  • Saulo Parente

    Se vier ao menos parecido com essa projeção sera o Sedan compacto mais bonito da categoria, se vier com o 1.0 TSI então, não vai ter pra ninguem !

    • A projeção da 4R. Achei mais interessante… E segundo a revista o novo Gol chegaria até Abril… E o Voyage em seguida. Mas do jeito que a 4R vem errando. Nem me animo com essa novidade tão cedo.

    • Artur

      “Sedan compacto mais bonito da categoria”
      Para mim está muito parecido é com qualquer outro sedan VW. Se fosse assim, o Jetta é o sedan médio mais bonito da categoria, o atual Voyage também é o sedan compacto mais bonito da categoria (já que não difere muito disso daí) e por aí vai…

      • Saulo Parente

        Amigo não compare uma categoria com outra, nessa leva de sedans compactos só temos Prisma e HB20s que realmente são bonitos, e na minha opinião esse carrinho da projeção tem um design muito superior ao voyage atual, a linha de cintura, traseira, caimento do teto, totalmente diferente, e ja diria um ditado ne, gosto não se discute !!

        • Artur

          Pra mim tá igual a todo VW: insosso, sem graça. Não vi nenhuma revolução de design como você está pressupondo.

          • Saulo Parente

            Se você ler novamente vai ver que não digitei nada relacionado a revolução !! Mas como falei e acredito que você não leu, gosto não se discute !!

            • Artur

              Você não disse nada sobre revolução e é porque isso realmente não existiu! Como já mencionei, está exatamente igual a todos os designs anteriores da VW: insosso e sem graça. Se você gosta de insosso e sem graça, respeito sua opinião! :)

    • Hater x Haters

      Mais bonito? Continua um design insosso e sem inspiração nenhuma! Hahahaha

      • DevXav

        Cada um com seu gosto, Hater.

    • syfus

      Mas hein? hauehauheau… com esse designer batido? =z

  • th!nk.t4nk

    Senhores, apresento a vocês o novo sedã da VW a partir de 70 mil. Aproveitem, agora isso aí é “carro médio”.

    • Gusbar Kuati

      Cara, é muito triste isso. Imagine esse carro com preço próximo ao atual, motor andador e econômico 1.0 turbo… putz, seria um carro e tanto! Tenho uma Merc. C180 e olharia com vontade pra esse novo Voyage.
      O problema é que o preço fará o carro ficar pior e mais feio. A VW vai socar a faca, muita gente desejando esse carro.

      • Artur

        Peraí, deixa eu ver se entendi: você tem uma Mercedes e “olharia com vontade” para o novo Voyage? Ou seja, você trocaria sua Mercedes em um Voyage? o.O
        Tá certo. São da mesma categoria… Rsrs

        • visanpai

          Permanência em categoria não é fator determinante para troca de veículos, pois realidades, perspectivas e anseios mudam no decorrer do tempo. Eu tenho um Cruze Sport6, mas tenho “olhado com vontade” Golf Variant, Traillblazer e até Up TSI.

          • Artur

            É… Tem razão. Às vezes o cara tá quebrado, né? A crise tá fodis mesmo…

            • Angelo Lucca

              Nem sempre… Um C180 pode ser mais antigo e estar precisando de uma manutenção mais onerosa que o dono não quer bancar, fora consumo de combustível, a bem da verdade, nem todo mundo precisa andar de Mercedes, de repente pode-se comprar um carro mais simples com uma manutenção beeeem mais em conta e usar o dinheiro para outras coisas mais importantes, afinal um desses ai pode te levar onde a C180 levaria e às vezes com mais confiança de chegar ao destino.

              • Artur

                Ou às vezes o cara tá quebrado mesmo. Porque descer do céu (Mercedes) para o inferno (Voyaginho) é osso hein! Rsrs

          • Gusbar Kuati

            Exato. Tb olho com desejo para o Up TSi. Tem momentos da vida que o status fica em segundo plano e a gente quer curtir outras coisas, inclusive e pq não, um consumo de combustível bem baixo.
            Na verdade eu gostaria de um Up TSi como segundo carro. Tb ando enjoado de câmbio AT, quero voltar pra um bom câmbio manual.

            • Thiago Pessoa

              Passei por situação semelhante. Sempre fui fã de carro automático, inclusive utilizando de todos os recursos que o câmbio poderia dispor. Acontece que quando tive o meu carro automático, senti essa necessidade de voltar pra um Manual. Eu acharia que seria como ar e direção, uma opção irreversível. Mas agora quero de todo jeito um carro MT6, da mesma forma que em 2014 eu só queria se fosse AT.

      • Carroças S&A

        Aqui tem coragem! Entendedores entenderão rs.

    • invalid_pilot

      Ia postar isso… O preço vai ser proporcional a modernidade do projeto

    • DevXav

      Viajou porque?
      Up! já está praticamente nos 60..

      Qual seria sua surpresa? hahahaha

      • th!nk.t4nk

        Se for um “quase Polo”, o preço faz sentido sim. Mesmo na Europa esse carrinho é caro. No Brasil o Gol nunca teve nem sombra de sua qualidade, e agora querem deixá-lo bem próximo sem aumentar preços? Aham… Carro médio tá indo pra cima dos 100 mil, essa é a realidade. E vem mais uma paulada de inflação esse ano, pode apostar.

  • Luciano Barbosa

    Estão faltando as super calotas, frisos, e um adesivo. E esse vinco a lá HB20? rsrs

  • R1 o comentário no1

    Projeção: Como deve surgir o novo Voyage 2018: Feio

    • Ricardo

      Bonito são Etios e Ka sedam. Hahaha

      • invalid_pilot

        Ka+ tem uma traseira tosca demais mesmo kkk

      • Hater x Haters

        Bonito é HB20 e Prisma. E quando lançarem as novas gerações desses (que será logo após o Gol) só quero ver o que a VW fará. Acho melhor ela ousar mais.

        • Mario Souza

          Sério que acha HB20 e Prisma bonito??? Putz gosta é F mesmo! Por dentro então… com radio no painel ficam horrorosos

    • Artur

      Feio não. Diria mais do mesmo.

  • Renato

    Mais do mesmo.

  • Daniel dos Santos

    mais do mesmo!!!

  • Ricardo

    Esperança de relançarem a Parati.

  • Dudu Pimentel

    Nessa projeção está parecendo um misto de Gol com Passat…interessante.

  • Pedro Neto

    credo… kkkk quem fez essa projeção com essa traseira adaptada?

  • Artur

    Será que o AT6 virá com o 1.0 TSI ou com o 1.6 MSI? Porque se for com o 1.6 já sabemos que não será grande coisa (vide exemplo do Golf)…

  • RKK

    Será que finalmente o Voyage terá um desenho traseiro decente ?
    E motor 1.0 TSI com câmbio Tiptronic AT6, freios à disco nas 4 rodas (conforme projeção), iria bombar !

    • Hater x Haters

      Vamos rir do iludido…

  • FocusMan

    Santana Chines, é você?

  • Snoop Dogg

    Não sei o que o povo espera de um carro nessa categoria, analisando os concorrentes do Voyage no Brasil, se ele vier igual esta na imagem será muito bonito.

    • Saulo Parente

      Concordo, achei muito bem resolvido !!

  • HugoCT

    Daqui tres anos só teremos carros acima de 40 mil. Uma pena. Voyage, Prisma e etcc a partir de 50 mil kkkk.

    • Leonardo

      Abaixo desse valor so temos mobi e up

      • Angelo Lucca

        Acho que não demora 3 anos pra nem Mobi e Up estarem acima de 40 mil…. De repente se a Cherry ficar por aqui, talvez tenhamos um QQ por 39.990,00 e olhe lá…. :(

  • Gustavo Zoch

    mais feio que bater na mãe

    • Mario Souza

      Me diz onde você viu as fotos para eu também dizer que é feio. Acredito que nenhuma pessoa com um pouco de inteligência faria uma análise baseado nessa simples foto!

  • IRA

    Nem precisa renovar a linha! Quer vender? Baixa os preços e para com esses “combos” malucos de opcionais que a coisa muda de figura. Em qualquer comparativo os VW sempre são os mais caros e pelados.

  • Ricardo Blume

    Até o momento somente a VW (só com o Up! e Golf) e a Hyundai lançaram seus três cilindros turbo. Muitas promessas e especulações mas nada realmente acontecendo com as outras montadoras. Este tipo de motor realmente será uma tendência no mercado brasileiro ou só fogo de palha? Esta é a impressão que tenho.

  • pedro rt

    a picape nao vai se chamar saveiro, pq ela ficara num segmento acima, ja o gol atual nas versoes 1.0 e 1.6 alem do fox devem sair de linha pra dar lugar a nova geracao do gol, so quem deve continuar e o trendline 1.0

  • Alessandro Rodrigues

    Vi um A3, aí. Nada novo.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email