Etc Mercado

O “kit da mentira” dos vendedores de concessionárias (detalhes)

O "kit da mentira" dos vendedores de concessionárias (detalhes) Sinceramente, ao procurar um carro novo, 90% de chance de você ser colocado no centro do circo da Rede de Concessionários. Se você tem algum conhecimento automotivo e de negociações, até saberá lidar com a situação e pular fora quando o “leão” atacar.

Mas se você é um leigo, com o intuito de adquirir um bem, um veículo dos sonhos, então muito cuidado meu amigo, pois é aí que o domador te laça, e te faz de “gatinho”, mais precisamente de palhaço… literalmente palhaço.


Estou muito indignado. E olhe que nem fui para comprar, fui apenas para pesquisar. Mas o que eu vou relatar aqui é a pura realidade que esses números que são apresentados todo mês pela Fenabrave, e o anual, mais precisamente o consumidor comum, idosos, novos, e leigos. Todos viram parte do circo, todos na sua grande maioria serão ou já foram vítimas do “simpático” (nem sempre) vendedor.

Visitando a concessionária, uns percebem a sua presença, outros não. As que percebem anotam seu nome e telefone, e chamam um vendedor. Ao visitar a Ford, nem me notaram. Tive que chamar a atenção do vendedor, que veio sorridente e aparentemente simpático. Mas eu já sabia o que queria. Então perguntei logo o preço do veículo, o top da linha, e seus principais equipamentos de série.

Na Ford perguntando sobre o Focus

VEJA TAMBÉM:

Na Ford SMAFF do SIA – BSB, o valor estava R$ 54.500,00. O vendedor sabia de quase todos os itens. “Desculpe-me senhor, mas não me lembro se tem ESP (Controle de Estabilidade) que a Ford e outras marcas chamam de VSA”.

Ok, detalhes à parte, o conhecimento do vendedor sobre a estrutura do carro até que foi mediano, não disse nenhuma besteira, confirmou que o motor é bloco de alumínio, e que é do tipo de Correia Dentada, e informou que sua troca é a cada 160.000 km.

“É correia de avião senhor” (acho que ele quis dizer tecnologia usada em aviões) – acrescentou o sorridente vendedor. Como eu não sei, fiquei na minha. Disse que a revisão é feita a cada 10.000 km ou 6 meses e tem preços fechados (fixos).

Elogiei o carro, gostei do acabamento (o melhor da categoria), mas podia ter ESP (VSA)… e freios traseiros a tambor? Pelo amor de Deus né Ford. Sacanagem. Freio a disco traseiro nem como opcional.

A Ford esqueceu o farol de milha também! Critiquei ao vendedor e ele nem relutou em se defender (ia dizer o que?). Perguntei sobre a taxa de financiamento com entrada de R$ 10.000,00 e ele disse que está em torno de 1,35 %. Omitiu a taxa de abertura de crédito, mas também eu não sentei pra negociar. Disse que eu estava em dúvida entre o New Fiesta, e o City, e até mesmo o Focus, mas ele nem entrou em questão.

Lembrou-me que o New Fiesta tem 3 anos de garantia total, e disse confiante que vai arrasar no mercado (até concordo). Peguei o cartão, e segui em frente. O valor da 1ª Revisão é R$ 176,0 da 2ª R$ 224,00 da 3ª R$ 308,00 da 4ª R$ 628,00 da 5ª R$ 328,00 e da 6ª R$ 608,00.

Ou seja, gastarei até os 60.000 km na manutenção de rotina R$ 2.272,00. Se comparar que com o Cerato na revisão de 60.000 km se gasta R$ 1.300,00 fora as outras, então a Ford está com vantagem. O vendedor nem me disse que o carro tirou a nota máxima no Crash-Test.

Concessionária Honda

Visitando a concessionária da Honda, olhei o CR-V, City e o Civic. Ninguém pegou nome ou telefone, mas a vendedora foi atenciosa. Eu queria saciar a minha curiosidade, do porque que um SUV 4×2 com acabamento de plástico (de boa qualidade), que custa R$ 88.910,00 na versão básica e R$ 102.910,00 na versão completa, está vendendo mais que o VW Tiguan, que custa R$ 99.000,00 tem tração integral, 6 Air Bags, motor 2.0 Turbo e Injeção Direta com 200 cv, câmbio automático de 6 marchas Tiptronic, com ESP e assistente de descida, e com acabamento invejável, emborrachado e macio ao toque, e vende meros 350 por mês.

Tá certo que a maior diferença além do design é o motor, o câmbio, a tração integral, o assistente de descida e o acabamento. Mas enfim, eu fiz a comparação com a vendedora, mas ela apenas citou: “esse é um Honda, está bastante tempo no mercado, e é líder de vendas ‘depois que baixou o preço’”. Deixei esse carro de lado e fui ver o City, completo, que custa absurdos R$ 73.860,00 e oferece apenas 2 Air Bags e ABS com EBD, e pelo menos freio a disco traseiro. Analisei o acabamento e saí fora, direto para o irmão maior.

O preço do Civic completo é absurdos R$ 88.750,00 (dá para comprar Fusion, Azera…), tem bom acabamento, mas é apenas plástico emborrachado, nada de uma espuma em nenhum acabamento. Só oferece 2 Air Bags, VSA (ESP), e só. Seu motor tem 140 cv e 17,7 kg/f de torque. Ao menos passa uma sensação de esportividade ao entrar no carro. Em nenhum momento a vendedora tentou me convencer de algum modelo, mesmo eu mencionando que minha esposa gosta do SUV e eu do Sedan.

Apenas deu o cartão, perguntei sobre o financiamento com entrada de R$ 10.000,00 e ela disse que a taxa é aproximadamente 1,35 %, na média do mercado, mas não disse nada da taxa de abertura de crédito.

Toyota Corolla

Visitando a Toyota, logo a recepcionista me atendeu, e perguntou qual o modelo de meu interesse. Encaminhou-me um vendedor específico para me mostrar o Corolla. Eu disse que queria o modelo top de linha, que no caso seria o 2.0, mas o vendedor me questionou se eu tinha preferência por um automático ou manual. Gostei da abordagem, e disse: “lógico que é manual”.

O vendedor disse que o modelo disponível seria somente o 1.8. Aceitei, e fui conhecer o carro. O acabamento eu achei melhor do que o Civic, com plástico emborrachado e com parte macia ao toque. O Corolla 1.8 top de linha está R$ 66.950 (bem abaixo que o Civic, fala sério). O Corolla 1.8 tem 136 cv e 17,5 kg/f de torque (nada mau) e o 2.0 tem 153 cv e 20,7 kg/f de torque.

Mas custa R$ 89.000,00 e só tem câmbio automático. Agora o Corolla passou uma imagem de mais requinte, na versão top, e com ajustes do banco elétrico. Nossa, pirei. O Civic não tem nem como opcional. Eu disse ao vendedor que estava em dúvida sobre o Civic, mas ele se sentiu seguro, e apenas mencionou que o Corolla tem mais a oferecer.

Mencionei o financiamento, 1,42% e nada de mencionar a taxa de crédito. Disse que iria decidir com minha esposa os carros, e fui embora. Eu saí da Toyota convicto do porque que o Corolla vende mais que o Civic. Nem precisei andar nos carros para saber.

Hyundai e sua garantia de “5 anos”

Agora fui visitar uma marca coreana. A Hyundai. Disseram-me: “sinta-se em casa”. Pegaram o nome e telefone e o vendedor veio até mim. Disse que queria o Azera, e quando ele disse o preço, eu quase caí! R$ 99.000,00 senhor. “O que? Mas eu vi a propaganda dizer R$ 75.000,00”.

O vendedor disse: “só um instante que vou verificar o que eu tenho disponível”. Enquanto isso eu fiquei apreciando o belo motor, e o bom acabamento do carro, e belo design. O vendedor voltou dizendo que tinha apenas uma unidade com valor de R$ 83.000,00.

Aí me aliviei… “Do modelo novo né!” – eu disse. “Não, do antigo!” – respondeu o vendedor. Desanimei-me, e disse: “desculpe, mas pra mim não compensa, entre o design eu prefiro o novo, o antigo nem dá para fazer frente ao Fusion”. O vendedor tentou me convencer. Questionei sobre a garantia de 5 anos, e o vendedor disse que era 5 anos total sem limite de quilometragem.

Perguntei se ele tinha certeza, de que eram todos os componentes do carro, e ele confirmou que eram todos exceto os de desgaste natural. Lembrei-me do anúncio dos Air Bags dado pelo Notícias Automotivas, e questionei quantos o Azera possuía. O vendedor disse convicto: “são dez air bags senhor”! Eu questionei e pedi pra ele me mostrar. “São 2 frontais, 2 laterais, e 6 no teto”, ou seja 2 na coluna A, 2 na coluna B, e 2 na coluna C! Somente perguntei sobre a taxa, disse que estava em torno de 1,49 %. Saí me sentindo um palhaço.

Aí vem a minha indignação pesquisando no site da Hyundai, veja o que diz:

Garantia de 1 ano ou 20.000 km, desde que o componente venha a apresentar defeito de fabricação, para:
· Componentes como buchas de borracha, bieletas, amortecedores, batentes e bandejas;
· Coxins de motor e câmbio;
· Lonas, pastilhas, tambores e discos de freio;
· Platô, disco e rolamento de embreagem;
· Sistema de escapamento, catalisador, silencioso e coxins;
· Palhetas do limpador de para-brisa;
· Lâmpadas em geral;
· Bateria;
· Velas e fusíveis em geral;
· Correias (dentada, distribuição, alternador e direção hidráulica);
· Elementos filtrantes;
· Defeitos de pintura;
· Estofados e revestimentos internos.
· Vidros
· Para-brisa.
· Carga de gás.

E olha que nem era a CAOA. Foi no SMAFF. Dá para acreditar. O cara me sacaneou na cara dura. Me fez de palhaço. E se eu sou leigo e compro o carro? Para você ver, é assim que a Hyundai vende seus produtos aqui no Brasil. Diz que é 5 anos de garantia total sem limite de quilometragem, quando na verdade é 1 ano ou 20.000 km.

Me desculpe, mas a Hyundai está cegando a todos. É um absurdo. Imagina eu ter o carro dessa marca sabendo que aos 20.000 km não terei mais garantia de uma lista enorme de itens, ah, fala sério!!!

Vendedor da Kia: “vai comprar o New Fiesta, então”

Bom, para finalizar fui à Kia. Fui bem atendido, pegaram o nome e telefone, e o vendedor simpático e jovem. Eu disse que vi o Cerato na promoção, e ele confirmou. Disse que o básico está R$ 49.900,00 com Air Bag duplo, mas sem ABS, sem freio a disco traseiro. Motor 1.6 16V com 126 cv (do New Fiesta são meros 115 cv). O Cerato completo R$ 56.900,00 com ABS e EBD, freio a disco nas quatro rodas, bancos de couro e tudo mais. Não vem ESP.

Fiz a comparação com o New Fiesta, dizendo que o carro da Ford era mais completo. O vendedor veio me confrontando que deveria ser mais caro. Eu disse que era R$ 54.500,00 e o vendedor retrucou que o carro não deveria ser completo. Eu disse que vinha com 7 air bags, aí o vendedor retrucou que era apenas preço de lançamento. Aí eu disse que era aí que eu deveria aproveitar a oportunidade.

Vê se pode? Toda hora o vendedor batendo de frente… Fala sério meu! Fiz mais comparativos com o New Fiesta, dizendo que a vantagem do Cerato era o freio a disco nas quatro rodas, o motor mais potente, a garantia de 5 anos, e que eu gostava mais do design do Cerato. Perguntei sobre o financiamento e ele disse 1,52 % incluindo a taxa de crédito. Pelo menos esse vendedor foi sincero. Eu disse que as empresas não podem cobrar essa taxa, e o vendedor mais uma vez bateu de frente dizendo que seria impossível eu conseguir deixar de pagar essa taxa.

Falou que o único que conseguiu era um cara muito rico, e que o gerente fez uma graça para esse cliente. Isso é coisa que se diz? Quanta falta de ética meu! Eu disse que no banco não cobra, e ele retrucou citando um cliente premium do Bradesco que não conseguiu abolir a taxa, e que as parcelas ainda ficaram mais altas. O vendedor para tentar me convencer a comprar o Cerato, disse que foi melhor no comparativo da Quatro Rodas.

Ele me disse três vezes isso, fazendo referência à revista, até que eu disse que sou assinante e que tinha visto a matéria. E acrescentei que pra mim o que mais importa é a segurança, e o New Fiesta tinha de sobra. Aí vocês não vão acreditar no que o vendedor disse. O cara simplesmente falou: “então vá à Ford comprar o New Fiesta poxa”.

Cara, não acredito que ouvi isso, sério mesmo, essa frase não sai da minha cabeça. O cara na cara de pau me disse pra eu ir à Ford, kkkkkkkkk. Eu ainda insisti em ficar, e disse que eu gostava mais do design do Cerato. O vendedor disse que está vendendo mais que o City, e que o New Fiesta será muito imprevisto nas vendas.

Eu retruquei e disse que ele estava completamente enganado. O cara bate de frente e diz que recebeu da Kia que vendeu mais que City. Eu retruquei e disse que olhei pelo Fenabrave. Mas deixei quieto, disse que vai depender da minha esposa também, e fui embora. Isso foi na KIA-NASA.

Só concluindo, fui feito de palhaço novamente. Informações que não batem mentiras, enganações. É assim que os coreanos vendem? (Sem generalizar também?) Mas a maioria dos vendedores, não só das marcas coreanas, ou não tem conhecimento (como foi na concessionária da Nissan, essa eu nem vou contar) ou querem tanto vender que te empurram informações enganosas, ou o cara é analisador de cliente, e age com cautela. Nesse ponto as japonesas estão mais preparadas.

Mas e agora? Que garantia eu tenho de comprar um Kia, e saber que essa garantia de 5 anos é furada assim como na Hyundai? Digo isso, pois não achei nenhuma informação sobre a garantia da Kia. Peço perdão pelo post longo, mas estou muito indignado com a ação dos vendedores que me atenderam. Também não posso generalizar dizendo que todo lugar é assim. Mas deu para perceber a diferença das concessionárias da Honda e Toyota, para as coreanas Hyundai e Kia.

Mas a verdade é que as montadoras estão nos fazendo de palhaço, estão nos sacaneando. Peço perdão se eu ofendi alguém, não foi a intenção, mas espero que você fique de olho aberto. Não sei se toda essa informação será útil, pois quem segue o Notícias Automotivas já tem informação. O problema são aquelas pessoas que não seguem sites, não leem revistas… Mas fazer o que, devemos ajudar na medida do possível. Quero agradecer ao Eber pelo espaço. Obrigado por me deixar desabafar. E espero ter ajudado a vocês.

Qualquer coisa só entrar em contato @metalomega. Por favor, não julguem antes de lerem. Foque minha análise em equipamentos de segurança e acabamento do carro. Não fiz test-drive em nenhum, e muito menos andei em algum carro. Ainda espero uma oportunidade. Abraços a todos.

Texto de MetalOmega

Eber do Carmo

Eber do Carmo

Formado em marketing, tem mais de 13 anos de experiência escrevendo sobre o mercado automotivo no Notícias Automotivas, desde que fundou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio. Também teve por três anos uma empresa de criação de sites e catálogos eletrônicos.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

Notícias por email