*Destaque Brasil Finanças Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

Oligopólio é a origem do preço alto no Brasil, segundo economista

mercado-1 Oligopólio é a origem do preço alto no Brasil, segundo economista

De acordo com o economista Antônio Delfim Netto, a origem dos preços altos dos carros e demais produtos no Brasil é resultado do oligopólio e da ineficiência da economia.



Segundo o também ex-ministro, “é importante considerar que o Brasil é um país no qual o imposto em geral é a maior justificativa para as coisas custarem mais, mas quando você desce aos detalhes, vai que ver que existem realmente coisas que são muito mais caras no Brasil porque nós somos muito menos eficientes. Normalmente, a taxa de retorno é maior do que nos demais países, não nesses últimos meses, nesses últimos dois ou três anos, mas ela é seguramente maior do que no mundo.”

Delfim Netto continua: “Isso basicamente, se deve ao fato do Brasil ser uma economia oligopolizada. Não há competição, quando há competição, ela tem restrições muito grandes, de forma que você não tem realmente um processo competitivo funcionando como funciona em quase todas as economias do mundo.”

O economista explica que o Brasil é uma economia fechada, onde quem produz geralmente tem um monopólio. No setor automobilístico, por exemplo, foram criados mecanismos de proteção que impedem a competição, mesmo com novos fabricantes entrando no país.

Delfim diz ainda que as empresas sobrevivem neste cenário porque pedem ajuda ao governo, buscando redução de impostos ou processos para ajudar no aumento da produção e vendas. Até vendem a ideia da fabricação de novos carros nacionais com esse objetivo.

“São paliativos que não resolvem. Na verdade, essa indústria foi protegida desde o início. A proteção era correta, tanto é verdade que o país teve um sucesso enorme, ainda que ela tivesse bons lucros como continua tendo”, segundo Netto, que conclui:

“O correto seria submeter as empresas a um processo de competição, obviamente você tem uma capacidade muito superior à aquela que você pode consumir internamente e exportar. O Brasil detesta competição, só finge que compete, não há um setor no Brasil que seja autenticamente competitivo e isso significa que tem gente se apropriando de recursos.”

[Fonte: Auto Informe]

Agradecimentos ao Samuel de Oliveira Cursini.

COMPARTILHAR:
  • Ovo com Fundo Roxo

    O Sr. Delfim Netto foi um dos principais responsáveis por isso. Quando foi Ministro de quase todos os governos ditatoriais, foi o responsável por fechar ainda mais a economia nacional e criar essa cultura protecionista. Até hoje, o povo pensa que o Brasil é livre mercado, pois tem umas indústrias estrangeiras funcionando aqui.

    Provavelmente, Brasil é o único país industrializado, desde a década de 50, que não cresce e é todo desorganizado. O eterno emergente.

    • Cincinato

      ” O eterno emergente ”
      É seu esse aforismo ?
      Se for muito bom parabéns.
      Esse aforismo tem que ser compartilhado. Para todoa saberem.
      Quem sabe a população volta as ruas. Mas dessa vez pedindo medidas que acordem esse eterno emergente.

      • Luis Burro

        O povo não tem só q pedir tem q fazer tbm!O governo é formado por pessoas e não um sistema automatizado e autonomo.Aliás somo nós q fazemos e controlamos estes sistemas e depende de nós usarmos a nosso favor.

        • Luis Burro

          O mais idiota é q em catastrofes(depois q perdemos a ilusão do materialismo e percebemos o q é mais importante) ou em certas épocas do ano,as pessoas não se importam em se ajudar e compartilhar.

      • Marco Antônio

        Também gostei, vou me apropriar. Para o desespero dos comunistas. kkkkk

    • Jackson

      Concordo contigo, pois quando ele era ministro só fez porcaria, e agora vem com esse papo de que não somos competitivos.

    • Marco Antônio

      Pode me chamar de doido. Mas o brasil já foi potência. A nossa república que não deu muito certo. (Não o conceito republicano, mas sim nossa experiência republicana.)

  • Diogo Augusto

    Coisas que causam preços altos dos carros e das outras coisas no Brasil:
    *Imposto
    *Mais Imposto
    *Jeitinho Brasileiro
    *Margens de lucro absurdas
    *Mais imposto que gera um efeito cascata
    *Nosso país é emergente
    *A Economia tá falida
    *Corrupção

    • DougSampaNA

      Solução.. Pena de morte ao corrupto, sem direito a nenhum recurso, a partir daí as demais coisas naturalmente caem e o país cresce.

      • Silvio Fabricio Oliveira

        Mataria 90% da população brasileira! se você não sabe nos tabem fazemos politica. Quando você suborna um guarda de tranzito ou aceita extorsão mediante a suborno você não se diferencia em nada de um politico corrupito.

        • Matheus_P

          Tranzito e corrupito. É, nao ta fácil nao…

          • Osni Duarte

            Corrupito deve ser o nome de um passarinho…

            • fschulz84

              E a fêmea é a Corrupicita

          • Leo

            Ele é vítima do sistema que está denunciando, com muita razão.

            • Matheus_P

              E nem da pra colocar a culpa no corretor automatico

      • Diogo Augusto

        Pena de morte não, só prisão já era o suficiente, não podemos desejar ódio uns aos outros, exceto daquelas pessoas que matam a sangue frio e nem se importam…

        • Tosoobservando

          Prisão custa caro kkk ae o estado vai ter de manter o sistema carcerario , e outra, eles conseguem comandar as quadrilhas de dentro das prisões, mesmo com toda tecnologia pra tentar impedir. Pena de morte sim, melhor remedio!

          • Mauricio Ferrari

            Nem prisão, nem morte. A melhor pena para vagabundo de qualquer espécie é pena de trabalho. 8 horas por dia, 6 dias por semana.Direitos nos horários de descanso…Leitura de clássicos, filmes clássicos, tv cultura. Tempo livre para realizar artes, etc. Presídios administrados por empresas, e fiscalizados por parentes dos enjaulados e pessoas do povo em geral, devidamente cadastrados.
            Trabalho paga despesas dos meliantes, indeniza vítimas, não deixa tempo para aprender e meditar em mais crimes. Claro, acessos a internet, celulares, zero. Bom, voltando ao mundo real em 3,2,1…

            • Tosoobservando

              ahah kra, as empresas sao corruptas, os presos vao ficar a toa, vao fugir, nao vao render, e pensa no esquema de segurança pra manter isso ae, pq pra trabalhar precisa de ferramentas, e é tudo que eles querem pra matar uns aos outros ou pra fugir.

              • Mauricio Ferrari

                Sabe, você tem razão! A verdade é que não tem solução nenhuma mesmo. Os humanos são realmente corruptos demais, e toda solução sempre terá furos. Nem a pena de morte dá certo, porque logo vão inverter o sistema e vão morrer mais inocentes do que culpados, isso sem contar a provável burocracia que vai envolver o julgamento de alguém até resolverem que é caso de pena capital. Somente Deus que é 100% incorruptível poderá dar fim a esse sistema sem futuro. Ainda bem que posso crer Nele.

                • Tosoobservando

                  Ja morrem mais inocentes que culpados, entao ficara praticamente igual, a diferença é que os bandidos realmente irao morrer. Mas nao so pena de morte, tem de liberar armas tambem, temos de ter o direito de nos defender dos bandidos e nao so depender da policia e da justiça falha.
                  E sobre Deus…. bom o estado é laico, não tem como fazer leis baseado em entidades sobrenaturais que não sabemos se existem ou não.

                  • Mauricio Ferrari

                    Eu sei que o estado é laico. Minha resposta não tem nada a ver com a laicidade do estado, nem com opiniões. Nem obrigo outros a terem a mesma opinião que eu. As leis de Deus (em quem não obrigo você a acreditar) em nada se sujeitam as leis humanas. Apenas comentei que é melhor eu continuar acreditando que Ele fará as mudanças, não em governos humanos que vem e vão..
                    Quanto à liberação das armas, também não desejo impor minha vontade num estado falido. Mas raciocinando a respeito, o que sempre enxergo é…Mais armas nas mãos de mais pessoas…Pessoas que hoje são confiáveis, amanhã não.Pessoas que de um momento para outro entram em depressão, síndromes, problemas graves, brigas, etc. Não, não me parece boa idéia. Melhor trabalhar em prol do Reino de Deus mesmo…pra quem tem fé, é claro.

                    • Tosoobservando

                      Ahaa mas temos de ter o direito de nos defender nao acha? Ou vc prefere depender do estado pra sua defesa, que vc mesmo vem criticando que é falho? E outra coisa vou te dizer, pena de morte ja existe, so que nas maos dos bandidos, eles matam vc se der na telha, mesmo por uma nota de 2 reais, e matam uns aos outros so por serem de facções rivais. Se Deus realmente existe, ele esta de olhos fechados para os seres humanos e para o nosso planeta a seculos…

                    • Mauricio Ferrari

                      Verdade, os bandidos nos condenam à morte num instante, e estamos todos sujeitos, a qualquer momento. Também me dói ver isso. Quanto à questão de Deus, para não estendermos demais, e se você tiver a curiosidade, sinta-se à vontade para pesquisar neste link…https://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/wp20130701/deus-se-importa/#?insight%5Bsearch_id%5D=907ff35d-c7a1-4dfd-abac-e1998dca9a48&insight%5Bsearch_result_index%5D=6

                    • Tosoobservando

                      Ja começou errado pq o nome de Deus em hebraico nem era Jeova. Vcs adoram um Deus que nao existe nem mesmo nos textos originais.

                    • Mauricio Ferrari

                      Não existem textos originais já há séculos. O que existem são fragmentos de textos das escrituras mais antigos e menos antigos. Em TODOS (desculpe, só para realçar) o nome de Jeová (tetragrama) aparece ao todo mais de 7 mil vezes, quando você soma todos os fragmentos para formar a Bíblia inteira. Interessante notar que apesar de separados por séculos de diferença, distâncias enormes e diferentes escritores, os textos apresentam variações contextuais tão mínimas, que você poderia começar lendo fragmentos de diferentes localizações e terminar entendendo tudo igualzinho. É a palavra de Deus. Do Deus Jeová, cujo nome significa “Ele Causa que venha a ser”, Ele faz o que deseja, e se transforma no que for preciso para que seus propósitos se cumpram.
                      Mais detalhes no site, ou quando uma Testemunha de Jeová bater à sua porta cumprindo o evangelho.
                      Obrigado pela oportunidade, tenha um ótimo dia!

        • DougSampaNA

          Amigo, não é ódio..pena de morte é juiz o Divino ordenado, E QUEM DEVE PRATICA_LO SAO AS AUTORIDADES DA LEI, não matarás é diferente de não assinarás, quem derramar sangue terá o sangue derramado, a ordem de matar era pra qualquer que premeditasse morte de 3os, então quando um político rouba ou desvia recursos que são pra salvar vidas e pessoas morrem, é assassinato, direto ou indireto a responsabilidade é a mesma, o cara sabe das consequências. Outra coisa, JAMAIS dei dinheiro pra qualquer guarda na vida, e seja como for jamais darei. JAMAIS.

        • Marcos Drawer

          O crime que a maioria dos políticos comete é financeiro, gerando inúmeros prejuízos em várias áreas. Já que o político tem o objetivo de enriquecer por meios ilegais, então uma boa punição não seria a prisão (que geralmente é pouca, 6, 8 anos e transformada em domiciliar, o que faz com que ele a cumpra nas suas mansões), mas sim transformá-lo no que ele mais não quer ser: um indigente. Tomar todas as suas propriedades (casas, fazendas, carros, aviões, etc), mesmo que estejam em nome de parentes, destruir seus diplomas caso tenha (universitário, mestrado, etc), apagar seus registros profissionais, inseri-lo em todos os serviços de proteção ao crédito de modo permanente. Proibi-lo de ter título de eleitor, passaporte, etc. ou seja, anular a sua existência, transformando-o num ser fantasma, inexistente. Talvez virando um morador de rua, indigente, o político aprenda na carne que ele é obrigado a ser alguém que preste.

      • Artur

        Para mim, uma reforma tributária profunda e a abertura de verdade do mercado já serviria a diminuir bastante os preços dos veículos.
        Até Paraguai já tem IVA, que é um imposto único que substitui vários outros. O nosso sistema tributário é da década de 1960 e é tão complexo e mal feito que existem empresas com departamentos inteiros que só servem para apurar e recolher tributo!
        Pode perguntar pra qualquer tributarista brasileiro que ele não vai saber te responder quais são todos os tributos vigentes em um determinado período. O cara no mínimo vai ter de dar uma bela pesquisada…

        • Dead Lock

          Enquanto o Brasil anda pra trás, o Paraguai bomba. Sorte deles que eles tiraram o Lugo rapidinho… Aqui foi tarde…

        • DougSampaNA

          A solução para o brasileiro é deixar o Brasil.

        • DevXav

          Vai sonhando que reforma tributária nesse lix0 aqui vai ter foco em ajudar em algo… espera deitado viu..

          Se rolar reforma tributária vai ser pra afundar ainda mais o que já está no fundo do poço!

          Vide “reforma” da previdência simplesmente AFUNDANDO e ANIQUILANDO qualquer perspectiva mínima de aposentadoria do trabalhador com falaceas e mentiras de rombo na previdência só pra forçar todos a morrerem com 49 anos de trabalho nas costas..

          • Artur

            Tem razão. É meio que utópico esperar por uma reforma tributária “de verdade”. Mas a esperança é a última que morre! Rsrs
            Pra vc ver: nossos governantes são tão fdps que existe previsão expressa na Constituição Federal de um imposto sobre grandes riquezas. Imagina se existe lei regulamentando esse imposto? Óbvio que não…

            • DevXav

              Se instituírem o IGF (Imposto sobre Grandes Fortunas), eles, políticos e seus comparças, seriam os PRIMEIROS alcançados pelo fato gerador, com todos os bilhões que eles desviam para suas contas pessoais advindos do bolo quase infinito de impostos pagos pela população daqui, juntamente com seus cúmplices e falsos empresários (vide caso Eike Batista) que os auxiliam a desviar todo esse dinheiro.

              Fora o fato de que no Brasil existem pequenos grupos (eu diria 1%) que controla toda a riqueza do país, enquanto 99% tem que se matar pra viver com o restante. Não que eu seja a favor de comunismo, mas o extremismo inverso também é sacanagem né?

              Ou seja, perceba que isso aqui é fim de mundo mesmo e eu queria ter seu otimismo pra achar que algo realmente vai melhorar por aqui viu..

              Sinceramente só consigo ver o cenário piorar. Muita corrupção, egoísmo, avareza, ostentação, ignorância, falta de indulgência com o próximo.

              Veja bem o tipo de representante que chega no poder disso aqui. Quando não é gente sem formação é gente com formação que quer beneficiar só que já é rico e afundar a população de volta na escravidão.

              Se tivéssemos um governante com 50% da força de vontade que o louco do Donald Trump tem (apesar desse também não servir de base porque é extremista demais para o lado do protecionismo), talvez teríamos alguma chance de virar algo pra daqui uns 50 anos.

              Enfim, o que os EUA tem de “protecionismo demais” o Brasil tem de “solto demais”.

              Brasil não tem dono e a população não tem educação suficiente pra se importar com o país, várzea purinha isso aqui.

              • Artur

                Tem toda a razão. Eles não têm interesse algum em instituir esse imposto, mas só em ferrar cada vez mais a população. Nós é que sempre pagamos a conta.

    • Silvio Fabricio Oliveira

      Tem que exonerar o ICMS e PIS CONFINS e Criar um imposto unico de 30% Já resolveria boa parte do problema. As fabricas teriam que povar por a + b o custo de produção e agregar uma margem de lucro de no maximo 10% e a revendedora com mais 20% e frete. Queria ver se não teriamos corola de 50 á 70 mil e o gol de 30 á 45 mil no maximo.

      • Marcio Almeida

        Que economia de mercado e essa onde vc controla o lucro ? O que controla o lucro é demanda x oferta temos demanda reprimida , mas sem poder de compra, o que faz o empresário aumenta o preço pois a demanda não é suficiente em parte porque a distribuição de renda nesse país e pífia, 90 porcento da população tem renda muito baixa, para sustentar uma elite e a máquina pública muito cara, ou muda ou ficaremos na eterna reclamação. Não adianta aumentar o bolo se a partilha e controlada, e ai que o governo deve entrar, onde está o imposto sobre grandes fortunas, onde está o imposto sobre a terra usada apenas com efeito de grilagem e especulação imobiliária, cortar subsídios e perdão de dividas ? mas, não ocorre isso entao e como dar murro em ponta de faca. Concordo que a tributação elevada e um problema mas, paises de 1 mundo também as tem, a diferença é que lá não se tributa consumo, lá não se tem tanta corrupção, lá existe mecanismo que força o peão a ser produtivo, aqui nao, tudo e no jeitinho. Paciência enquanto nós colocarmos desta maneira seremos sempre isto

        • PEDAORM

          Considero importante ressaltar que, apesar da alta tributação em países desenvolvidos, a apuração é eficiente, simples e rápida, a confusão aqui é tamanha que alocamos diversos recursos, desperdiçando tempo e dinheiro, só para saber quanto se deve pagar.

      • Verdades sobre o mercado

        A margem BRUTA(já considerando os incentivos) dos css sobre o preço de tabela varia de 8 a 12% para veículos de marcas não premium.

    • saosao

      Vc citou 3 vezes “impostos”. Compare esses “impostos” com os de outros países. Verá que tem países mais desenvolvidos que cobram bem mais que o nosso.
      O nosso problema, com o ex-ministro falou, é a ineficiência da gestão pública.
      Eu não ligo de pagar impostos, mas ligo de não ver o retorno dos impostos que eu pago.

      • 4lex5andro

        Em vez de impostos pra bancar educação e previdência que são compulsórios, por exemplo, melhor seria que não existissem e poder ser responsável em bancar isso, e aliado a abertura do mercado interno para empresas do exterior.

        O peso da carga tributária seria menor, os salários ganhariam poder de barganha e os preços poderiam diminuir.

      • Tosoobservando

        Mas tem uma diferença grande, estes países cobram mais na renda e herança que no consumo, por isso vc tem na Europa taxas de impostos na faixa dos 49% da renda, e carros que custam menos de 10 mil euros. No Brasil é o contrario, temos uma das mais baixas taxas de impostos em heranças do mundo (para comparação, os Eua cobram 30%, nos nem 8%) e a aliquota do imposto de renda aqui so vai ate 27%, mesmo pra milionarios, bilionarios etc.. pagam proporcionalmente o mesmo que a classe media. Ae recai tudo sobre o consumo, e como compensa muito mais comprar la fora que aqui, eles fecham entao o mercado e criam taxas e leis pra te impedir de comprar de fora. Uma cadeia de erros que leva a situação atual.

        • DevXav

          Claro.. os políticos daqui querem garantir que suas proles vão herdar o dinheiro roubado na íntegra.

          Roubam a vida inteira, garantem 20 gerações deles pra frente sem trabalhar com milhões e milhões e assim a várzea continua.

  • Hugo

    Quem falou que no Brasil não tem competição?
    Vai la em alcaçuz no Rio Grande do Norte e sente do drama .

  • Zé Mundico

    O Delfim está certo. A indústria automotiva brasileira é altamente cartelizada e o governo permitiu essa aberração seja com benefícios fiscais, seja com crédito subsidiado ao consumidor.
    Alimentou o filhote e agora não sabe como se livrar da fera gorda que quer comer mais e mais.
    O capitalismo brasileiro é o pior tipo de capitalismo praticado. É o capitalismo de compadrio, onde tudo se acerta e se resolve em casa. Capitalismo onde ninguém corre risco nem tem prejuízo.

    • invalid_pilot

      Quando tem prejuizo sempre arranjam uma brecha pra cobrir o rombo.

      • 4lex5andro

        Crony capitalism define o sistema econômico brasileiro.

        • Uau!

          E o sistema político como Kleptocracy

    • Silvio Fabricio Oliveira

      O cartel brasileiro funcionada de seguinte forma 50,50,50, montadora, governo e distribuidor, e assim é só o povo quem ganha ” na bunda” !

    • Dead Lock

      Na época do Delfim o carro era mais caro que hoje, e olha que eram carros pelados, sem abs, sem airbag, sem direção hidráulica, sem ar-caondicionado, etc.

    • Verdades sobre o mercado

      O cartel existe, mas já perdeu muita força nos últimos 10 anos. Quando eram apenas 4 marcas era fácil chegar a um acordo, com tantas marcas é mais difícil, mesmo com uma associação forte como a dos fabricantes. Sempre tem alguém que fura em alguma coisa para ganhar mercado. Há cerca de 12 anos quando era gerente de uma css VW participei de uma reunião de alguns gerentes de vendas com o então gerente nacional de vendas da VW (hoje vice-presidente de vendas da Renault) e citei ao mesmo a situação do Fox que era um produto competitivo na versão básica, mas quando equipado com ar/dh/trio aumentava o preço em R$ 9.000,00 (há 12 anos atrás !) e comparei a situação com o Peugeot 206 que tinha preço semelhante ao Fox na versão básica e ficava bem mais barato na versão completa. Cerca de 2 anos depois a VW mudou sua política de preços e o Fox completo ficou “apenas” R$ 5.500,00 mais caro que o básico e assim passou a competir melhor. Esta situação aconteceu também com a Fiat. Ficou claro neste episódio que os fabricantes mais antigos tinham margem de contribuição altíssima nos opcionais e as novas marcas para ganhar espaço trabalhavam com margem menor. Outro exemplo de enfraquecimento do cartel por aumento de players foi o período de 2008 a 2013 em que o preço dos veículos ficaram praticamente congelados, lembrando que este período o mercado estava em expansão, ou seja, comprador, o que dentro da teoria econômica seria momento propício para aumento de preços, mas que não aconteceram pois os novos players queriam ganhar mercado durante aquele momento de expansão. Obviamente que o valor baixo do dólar contribui para isso pois ainda importamos muitos componentes de alto valor agregado(principalmente eletrônicos) e também a concorrência com veículos importados (depois enfraquecida com o aumento do IPI para os não fabricantes locais). Ajudou também o fato de com o aumento da demanda o custo fixo por unidade reduziu, mas de qualquer forma é uma demonstração inequívoca de que o cartel não é mais tão forte, caso contrário os veículos teriam aumentado durante o período citado, pois o mercado absorveria facilmente. Outra forma fácil de observar que os veículos tiveram redução de valor nos últimos 20 anos é observar o preço dos sedans médios macionais(Monza SL/E, Santana GL, Vectra GLS) que na década de 90 girava em US$ 30.000,00. Se considerarmos que há inflação também em dólar o valor atualizado seria de pelo menos US$ 35.000,00 o que equivale a R$ 110.000,00, sendo que hoje um sedan médio tem valor de R$ 90.000,00 (Cruze LT, Corolla, Civic) e com muito mais valor agregado que na década de 90 (ainda que a tecnologia tenha ficado mais barata).

      • Matheus_P

        Sobre a ultima parte, nao basta saber o valor do carro em dolar, mas sim em relacao ao salario minimo da epoca, e do salario medio de cada categoria da epoca tb. De resto, perfeito comentario

        • Verdades sobre o mercado

          Se for comparar com salario mínimo a diferença é absurda pois na década de 90 o salario mínimo girava na casa dos US$ 80,00 a US$ 100,00, e hoje são quase US$ 300,00, ou seja 3x mais valor em US$.

      • Tosoobservando

        Esse comentario é inutil, é obvio que o cartel esta poderossimo, dentro do governo e da Anfavea, tanto que conseguiram o tal Inovar Auto e o IPI majorado, que alias eles proprios se arrependem pois foi o que fud**u o mercado inteiro. Eles tem muita força sim, controlam e dominam, os coreanos e chineses nao tiveram escolha a nao ser aceitar os termos do “cartel”, eles estavam vindo com toda força com seus modelos, mesmo com dolar alto, pois as moedas asiaticas geralmente sao mantidas baixas numa manobra cambial que fazem pra ganhar exportações. E se pensas que a Anfavea e as empresas dominantes desisitiram, ja estao negociando um novo acordo para quando esse acabar, e pode ter certeza que nao vao largar osso, torçamos para o acordo que vier ser menos letal que esse atual, algo dificil em tempos de Trump e protecionismo irresponsavel americano.

        • Verdades sobre o mercado

          Talvez você não tenha lido com atenção, pois em nenhum momento citei que não existe cartel, apenas citei que ele não é mais tão forte quanto foi um dia, quando a competição praticamente não existia, e os preços eram ditados pelos produtores. Hoje o cartel está mais atuante na defesa de seus interesses junto ao governo (lobby) através da associação. Como você explica que as 4 grandes marcas (Chevrolet, Fiat, Ford e VW) tinham 82% do mercado com 1.106.000 de veículos em 2003 e em 2016 estas mesmas montadoras fecharam com 53% de participação de mercado e 1.059.000 veículos vendidos ? Se fosse tão forte o cartel de preços a Hyundai, Toyota, Honda e Renault não teriam crescido tanto(tinham um pouco menos de 10% do mercado em 2003 e fecharam 2016 com quase 33% do mercado). É claro que o protecionismo atrapalha, mas também é difícil acertar a dose, pois a abertura total também pode fazer com que estes mesmos fabricantes reduzam sua atuação como produtores e passem a importar seus produtos, assim como tem acontecido com muitos segmentos que transferiram suas linhas de produção para China e isto não seria nada bom para nossa economia.

          • Tosoobservando

            Elas continuam do mesmo jeito claro que nao igual da epoca pre-Collor que o lucro era gigantesco pq era proibido importar, mas hoje o lucro é muito alto, vide que toda semana sobem preços e mesmo assim vende, a Honda pode por ex. reposicionar o Civic aumentando nada mais nada menos que mais de 15 mil em cada versão!! Eles continuam firme e forte, so deram espaço para mais marcas entrarem no bolo, contanto que participem tambem.

      • Mauricio Ferrari

        Excelente comentário, bem abalizado. De quem esteve lá dentro do negócio.

      • Guilherme Batista

        Pra mim ao ler isso tudo só significa que carro no Brasil sempre foi caro e continua caro até hoje, esses carros citados sempre custaram na faixa de 150 a 20 mil dólares nos estados unidos e lá os carros sempre foram mais recheados, seguros e etc.
        Então pra mim ainda continua tudo sendo uma combinação de cartel + imposto + ganância que deixam os veículos aqui com preços sem noção

        • Verdades sobre o mercado

          A força do cartel reduziu bastante nos ultimos 10, 15 anos no tocante à preços e o automóveis são “menos caros” que há 15 anos. O próprio presidente na Renault-Nissan afirmou que a margem aqui é maior que nos países desenvolvidos, mas o nível de competição aumentou bastante comparado ao passado, ou seja, a margem já foi MUITO maior. Ganância faz parte da essência do capitalismo e vivemos em um país capitalista. Automóvel é paixão para muitos brasileiros e como é fácil fazer a comparação de preços com outros países acaba sendo mais fácil termos este tipo de discussão, mas não discutimos situações de grandes multinacionais que dominam segmentos importantes de alimentação, higiene pessoal, material de limpeza, onde elas fazem jogo de cena com diferentes produtos de um mesmo fabricante com margens de lucro extratoféricas, aí sim com pouquíssima concorrência relevante. Hoje pagamos caro praticamente tudo que consumimos, do alimento ao automóvel onde os preços são no mínimo equivalentes aos dos países desenvolvidos porém com renda média muito inferior à destes mesmos países.

    • Junoba

      Aqui no Brasil ocorre o meta-capitalismo, onde algumas empresas estão acima do mercado, eles se unem ao governo para criar o monopólio e impedir o livre-mercado. Desde o setor automotivo ao de telecomunicações isso ocorre.

      • Thiago Silva Lima

        Perfeito comentário…. Sintetizou a situação mercadológica do país.

    • Thiago Silva Lima

      E essas empresas ainda tem a cara de pau de dizer que o Brasil é um país paternalista para consumidores e trabalhadores….

  • invalid_pilot

    Delfim Netto apenas falou o óbvio. Tem espaço na mídia por ser ex ministro

  • André

    Não quero tirar a razão de Delfim Neto, mas ainda fico com a teoria do presidente da Toyota do Brasil: “Brasileiro gosta de pagar caro”. Esta postura gera um monte de ineficiência e comodismo na economia, tanto por parte dos empresários como do estado.

    • Cincinato

      Isso que ele disse teria que ser mais divulgado. Quem sabe o povo acorda.

    • DougSampaNA

      O presidente da Toyota se fez completo estúpido ao fazer tal afirmação genericamente. Eu quero comprar corolla no mesmo preço dos americanos. E se não for possível, que seja preço mais próximo possível deles.

      • Matthew

        Acho que quis dizer que culturalmente o brasileiro dá muito valor ao carro, pois eh uma peça de ascensão social. O pessoal aqui faz verdadeiras loucuras pra comprar um carro. Um amigo meu usou o nome da mãe pra financiar um Golf mexicano na época. Depois de pegar o carro descobriu a pedrada que ia ficar o seguro o nome dele, mais de 10 mil. E ainda tem um outro cara que anda de BMW Z4 só deus sabe como ela foi comprada. De duas uma: ou o cara tem uma fonte de renda ilícita ou eh um tremendo dum inconsequente que torra tudo em carro. Esse comportamento eh bem peculiar do consumidor brasileiro. Pode tá passando fome que o cara dá um jeito de comprar o carro.

        • zekinha71

          O cara da Z4 pode estar com o porta luvas lotado de boletos vencidos, só esperando a busca e apreensão.
          Conheço vários nessa situação, tem um que a cada 4 ou 5 meses “troca” de carro, alega que não gostou do banco, da cor, do som do motor, e só pega o trio alemão, ou seja “compra” o carro, paga no máximo 2 parcelas, fica rodando uns meses até apreenderem.
          Depois vai lá e “compra” outro e fica se mostrando.

          • Guedes

            Sim, mas como consegue fazer isso, sem pagar? uma hora o crédito é negado

            • zekinha71

              Deve pôr no nome da mãe, vô, vó, tios, laranja, cachorro.

    • saosao

      Isso que o executivo disse é a consequência do que o Delfim Netto disse. Os dois estão certos.

  • Maycon Farias

    Falou verdades, mas no fim das contas o consumidor aceitar pagar, olhe para os valores norte americanos, se custar caro encalha, quando lança um modelo novo costuma até ficar mais barato. As montadoras e fabricantes aqui exploram porque sabem que aceitam.

    • Matthew

      Tem um veículo de imprensa aí na praça, cujo o nome eu não vou citar, justificando o preço de 60 mil reais do Uno por ele avaliado com a seguinte frase: “tecnologia custa”. E como custa hein. Brasil eh uma piada pronta. Pior de tudo que esses preços estratosféricos no mercado de novos puxa junto o de usados. Esses dias eu tava pesquisando Classic usado na web, ano entre 2011 e 2013, média de 22 mil reais pra carro com mais de 80 mil km rodados e sem ar condicionado! Carro vale ouro nessas terras. E estamos falando de um modelo montado na Argentina com peças chinesas e projetado há mais de 20 anos.

      • Maycon Farias

        E anos atras teve gente dizendo que carro não era investimento! kkkkk. Garanto que um Classic como o que você pesquisou algum pais desenvolvido não custaria mais que U$ 500,00.

        • Matthew

          Com certeza! Assim como num país minimamente sério um Fiat Uno do mais completo não passaria de 45 mil com todos os opcionais.

        • Guedes

          isso foi ironia, né? carro é invesitmento para consumidor? tá certo.

  • Celso

    As distorções da economia brasileiras são muito grandes. Aqui se odeia empresários. Penso que a pior distorção que existe, a mais disparate, são os juros cobrados dos bancos, muito, muito, muito, muito superior a de outros países (é muito pior ainda q o caso citado). Isso se reflete na falta de competitividade de nossa economia, dos preços altos de tudo, na pobreza de todos nós. O capitalismo é o menos pior sistema q há, e é muitíssimo melhor que a aberração que vivemos. Brasil = distorciolândia.

  • Na minha humilde opinião, um dos grandes motivos dos altos custos dos produtos se deve ao fator intermediação. Imaginem o custo em manter uma concessionária (ou qualquer outra loja). Falamos de aluguel, estoque, treinamento, mão de obra, imposto. O ideal seria poder eliminar essa parte, criando assistência técnica ao invés de concessionárias, como nos eletrônicos. A venda também deveria ser mais direta, tipo fabricante consumidor. Não acredito que uma concessionária de grande porte custe menos de 200 mil mês, considerando salário e o alto custo de locação de imóveis comerciais nos grandes centros, apesar disso ser um chute meu. É como comprar um imóvel, além dos altos custos que o governo cobra referente a emissão da nova escritura tem imposto (e lucro óbvio ) até no financiamento. E ainda temos comissão de corretor. Na minha humilde opinião a tributação devia existir na fabricação de um produto (e na importação, se for o caso), mas nunca na compra por parte do consumidor e nos meios de compra (financiamento ). O governo deveria facilitar o simples ato de vender qualquer produto.

    • Tosoobservando

      No mundo todo tem concessionario e os custos pra manter tambem sao altos, algumas sao em shoppings etc.. e nem por isso o carro é caro. Em contrapartida, o Tesla tem venda direta, pela internet, e é carissimo heeh

      • Silvio Fabricio Oliveira

        Tesla é carissimo! Mas á carroceria é 90% em aluminium e o conjunto baterias de litium custa 40% do valor do carro.

      • Matthew

        Mas a rede de concessionárias eh tão oligolozida quanto o resto do setor. O grupo que atua na minha cidade opera bandeira de umas 5 fabricantes diferentes.

    • Silvio Fabricio Oliveira

      É mais ou menos assim que funciona mundo afora ! contrata se uma rede de oficinas como assistencia tecnica e desvincula u onus do revendedor! Sem contar que acabaria com a robalheira das concessionarias que cobram trez veses mais que uma autopeças pelo mesmo produto.

      Tem que exonerar o ICMS e PIS CONFINS e Criar um imposto unico de 30% Já
      resolveria boa parte do problema. As fabricas teriam que povar por a +
      b o custo de produção e agregar uma margem de lucro de no maximo 10% e a
      revendedora com mais 20% e frete. Queria ver se não teriamos corola de
      50 á 70 mil e o gol de 30 á 45 mil no maximo.

    • Verdades sobre o mercado

      A margem de lucro bruto sobre o preço de tabela de uma css é de 8 a 12% para veículos nacionais. As despesas de uma concessionária de capital das maiores marcas (Chevrolet, Fiat, VW e Ford) passa fácil de R$ 500.000,00, algumas passando de R$ 1.000.000,00

      • João Cagnoni

        E qual é a margem de lucro da fábrica?

        • Verdades sobre o mercado

          É um segredo guardado a 7 chaves. Eu tambem gostaria de saber. Normalmente qualquer indústria tem uma margem de contribuição gorda, mas lucro depende de como esta o mercado. Baixo volume de vendas faz com que a margem de contribuição seja engolida pelos custos fixos(aumenta o custo por unidade) e descontos. Mas da para ter uma ideia do quão gorda é esta margem com o exemplo da Renault que em dezembro vendia o Sandero de entrada com desconto de R$ 4.000,00(provavelmente 50% bancado pelos CSS) e taxa Zero em 36 meses para 40% do valor do veiculo, o que representa mais um desconto indireto de R$ 3.000,00, ou seja, entre desconto direto e indireto são R$ 5.000,00 em um veiculo de R$ 42.000,00, cujo valor liquido para fabrica (descontada margem do CSS e impostos) é de aprox R$ 26.500,00. Ainda tem os custos de marketing que no caso da Renault não são pequenos. R$ 5.000,00 em R$ 26.500,00 são quase 20% de margem que em um situação de mercado forte fica quase integralmente no lucro da montadora.

  • Ricardo Blume

    Em um país governado por ladrões e corruptos nós devemos esperar o que? Desde criança ouço essa ladainha de país emergente, bola da vez e de que devemos acreditar e trabalhar muito para termos um futuro melhor. De que adianta trabalhar, pagar as contas e NÃO ROUBAR se no final do dia passa alguém e leva tudo? Esse blá blá blá de político bem vestido e com carinha de santo a mim não cola mais. Nunca sairemos desta situação se não fizermos uma grande mudança política. E não é só de carros que estou reclamando. TUDO neste país envolve politicagem. Do automóvel que parcelamos em 200 x até o alimento e medicamentos ao qual necessitamos para sobreviver. País governado por vagabundos!

    • Guedes

      Lembrando que quem vota nos ladrões somos nós, eleitores.

  • Fanjos

    “O Brasil não corre o menor risco de dar certo. ” (Roberto Campos)

  • Freaky Boss

    P mim:
    -Impostos altos
    -Custo Brasil (fora imposto , ainda tem muita coisa: logística, etc)
    -Mercado fechado: pra que fabricar aqui tem que ser otimizado se não compete com nenhum lugar do mundo??)
    – anfavea: associação é associação

    No resumo é o comum no Brasil: para salvar emprego de uns milhares você ferra milhões. Ferra o país inteiro.
    O Brasil não precisa de menos capitalismo. Precisa é de mais!!!

  • Washigton Luís Ribeiro Shitão

    Parem de falar mentiras e expliquem logo pro povão ignorante que todo esses impostos que pagamos é na verdade mandado pra várias instituições internacionais, muitas das quais são donas de várias dessas empresas aí que cobram esses valores absurdos nas coisas que compramos neste país!

  • Alvarenga

    Puxa, que novidade descobriram a america !!!! Não é somente na automobilistica queridos. Quantas marcas diferentes de supermercado, telefonia, produtos alimenticios, shoppings, etc…, etc….. aqui é tudo oligopolio !

  • zeh

    identificada a doença…vamos ao remédio ou cura????…uma hora isso mata ou morre…

  • Lorenzo Frigerio

    Bons tempos foram os do começo do Real, quando as importações estavam liberadas, até de carros usados. Mas o próprio FHC fechou a porteira.

  • Nicolas97

    Como competir se cada brasileiro tem um governo que suga metade do seu sangue todo mês?

  • Wolfpack

    Nada de novo. Tdos sabemos em que país vivemos. Basta ir ao supermercado e verificar as marcas existentes de cada produto. Acredito que pra cada item deve ter uma ou duas marcas. E vc observa isso do posto de gasolina, refrigerante, até bancos e companhias aéreas. Não temos concorrência, e isso é algo bom para o Governo e para os empresários, claro. Vivemos um faz de conta capitalista, onde todo mundo fala sobre o custo Brasil, mas poucos falam do Lucro Brasil. E digo mais, não temos solução no horizonte. Não temos uma população capaz de pensar em competição. E isso está na casa de cada um, somos mediocres, e mediocridade não faz uma nação se tornar competitiva e rica.

    • Snaro

      Exato!

      O cara vai ao mercado, vê 6 ou 7 marcas diferentes de sabão em pó e acha que há concorrência, mas se pesquisar por quem detém as marcas, vai ver que são uma ou duas mega multinacionais.

    • Vivemos em um país onde se vende carne por marca e até cueca, e o mais impressionante que tem quem queira exibir a marca da cueca kkkkk. Do jeito que funciona nossa publicidade, se eu tivesse dinheiro , iria criar uma marca de guarda chuva, investir alguns milhões em propaganda e com isso convencer a população a usar guarda chuva em dias de sol. E olha que acho que isso funciona kkkk.

      • Guedes

        Marcas só existem no Brasil? o problema são as marcas?

  • Yuri Lima

    Há muito tempo que venho cantando essa pedra.
    Essa de imposto (claro que conta muito) mas não é sozinho o grande vilão.

    Basta observar a linha de preços de alguns veículos nos ultimos anos.
    – O Novo Picanto chegou aqui em 2012 custando absurdos 45mil reais para um carro 1.0. (Hoje 45mil num 1.0 é quase o preço padrão, e o Picanto “quase” não teve aumento, os outros que subiram para acompanha-lo)

    – Corolla atingiu absurdos 100 mil para um sedan médio versão topo anos atrás. Hoje 100 já é ultrapassado por quase todos os seus concorrentes.

    Jogar a culpa so no imposto é esperteza das fabricantes para sairem de coitadas na história.
    O mesmo vale para o preço da gasolina e os donos de postos.

  • Alberdogam

    As raízes desse problema, que vindica a gênese de tantos outros, é a mesma. O oligopólio é uma cultura imanente. Veja-se o recente embate Táxis x Uber. Quando esses últimos se sentirem “seguros” (porque em grande número) uma auto-coordenação surgirá naturalmente e combaterão sós, ou ao lado de velhos rivais (ex.: taxistas e vans) o compartilhamento público, por exemplo. É CULTURAL em nosso pais. Simples assim.

  • João Cagnoni

    Falou tudo o que eu já sabia. O texto inteiro se resume a uma palavra: CARTEL

  • Vinicius Maciel

    Esse delfim é um hipocrita! Ele é um dos grandes responsáveis por esse capitalismo de compadres e agora vem pagar de liberal! Qual é, meu ?

  • RKK

    Vê-se uma íntima relação entre número de vendas internas e a facilitação de importação (redução de impostos de importação). Ou seja, sem concorrência externas as multinacionais aqui instaladas neste mercados protegido aproveitam para lucrar mais em menos unidades vendidas (aumento da margem de lucro unitário), e como consequência tem-se o aumento do desemprego interno. Logo percebe-se que a alegação de proteção ao emprego pela barreira alfandegária é uma falácia.

  • RKK

    Por que “Noticias Automotivas” não permite mais anexar figuras ?

  • Tosoobservando

    Margareth Thatcher sobre o Brasil: “O Brasil é o país do futuro, mas para tanto é preciso decidir que o “futuro” é amanhã. E, como bem sabem, isto significa que as decisões difíceis têm que ser tomadas hoje”
    “Também estou ciente de que vocês pretendem dar um novo impulso ao seu programa de privatizações. A privatização das indústrias estatais é uma parte essencial na criação da estrutura de uma bem sucedida economia de empresas livres”
    “Mas otimismo também tem seus perigos. Ele pode impedir a adoção de medidas dolorosas. Acho até que muitos preferiam acreditar que a
    imensidão deste país e seu dinamismo seriam suficientes para se produzir sucesso duradouro”
    “Na Grã-Bretanha há 15 anos havia um cinismo em relação ao futuro do nosso país. Nós já começávamos a aceitar nossa decadência. Sentimentos desse tipo não existem no Brasil”
    “Defendo um Estado pequeno e forte e o que me parece é que o que vocês têm no Brasil é exatamente o inverso, ou seja, um Estado grande e fraco”
    “O Brasil e o mundo sabem que este país é uma superpotência econômica em potencial”
    “Parece-me bem claro que o Brasil não teve ainda um bom governo, capaz de atuar com base em princípios, na defesa da liberdade, sob o império da lei e com uma administração profissional”
    “Por que nunca me contaram que existia isso aqui?”(antes de aterrizar em São Paulo)”

  • Marco Antônio

    MU HAHAHAHAHA MIHAAAHAHAHAHA MU HAHAHAHAHA MUIHAIAHAHA

    UM BUROCRATA CULPANDO A SI MESMO INDIRETAMENTE.

    MU HAHHAH MUHHAHHAHA

    VIVI PRA LER ISSO.

    MU HAHAHAH MUHAHHAAH

  • alemãoVP

    Esse maluco aí já passou da hora… foi ministro dos milicas e afundou o brazil na histórica década perdida de 80 (em termos econômicos)…. agora que tá da arquibancada, quer ficar jogando amendoim sai fora…

  • Wolfpack

    O grande problema aqui é a calibração da mão,emtre incentivos, impostos e facilidade na importação. A Austrália abandonou sua indústria automobilística. As grandes marcas estão indo embora do solo Australiano. A Suécia caminhava para isso com a venda da Volvo para Geely as coisas se equacionaram, mas sem incentivo do Governo. A pergunta que fica poderiamos abrir mão da indústria automobilística? E o que fazer com os milhões de empregos gerados por estas empresas? Como incentivar a concorrência?

    • Acho que você chegou no ponto mais delicado dessa equação: o que é melhor, pagar caro para ter uma indústria automobilística, ou ter carros baratos e não ter emprego nenhum?

  • Thiago Silva Lima

    O Brasil é todo assim, na industria, na imprensa, nas telecomunicações, na aviação….O ex-ministro tem razão.

  • NaoFaloComBandeirantes

    Chover no molhado…

    Eu já aceitei que não compro carro mais. Vou ficar com o meu velhão, infelizmente.

  • azardo

    Isso é assim não só com os carros, mas também com as Comunicações… Porque uma Verizon, Uma AT&T, uma Sprint, ou uma Vodafone, dentre tantas outras não entram aqui?

  • Andre Henrique Melo

    Inovar-Auto e maior exemplo de protecionismo condenado pela OMC que termina em 2017 segundo o governo federal.

  • Erick

    Esse mesmo oligopolio quer que a gente pague 47 mil num Onix 1.0, 50 mil num Up, 65 mil num Voyage 1.6…
    Esse mesmo oligopolio que quer a JAC, Chery e Lifan bem longe do Brasil.
    Mas ao inves de pagar 50 mil num Up, vou de JAC J3 15/15 completao!!!!

  • Marcelo Henrique

    Governo, cartel e sindicatos.
    Por isso que a lei de oferta e demanda não funciona como deveria.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email