Europa Opel PSA Tecnologia

Opel deve perder motores e plataformas atuais sob gestão da PSA

Opel-Insignia-GSi-Sports-Tourer-2018-1 Opel deve perder motores e plataformas atuais sob gestão da PSA

A Opel deverá perder os atuais motores e plataformas. A decisão é da PSA e visa ampliar a sinergia entre as duas empresas. De acordo com declarações de Gilles Le Borgne, chefe de desenvolvimento de produto do grupo francês, a mudança não ocorrerá “da noite para o dia”, devendo levar bons anos para que haja uma transição não tão impactante tanto para o fabricante quanto para clientes.



Adquirida completamente em 12 de agosto, a Opel – e a divisão inglesa Vauxhall – agora passam a pagar pelo uso de tecnologia da GM, o que a PSA quer evitar ao máximo. Por enquanto isso não será possível, mas um dos objetivos do grupo é reduzir essa dependência e então corta-la completamente. Le Borgne diz:  “Queremos dispensar qualquer pagamento de taxas de licenciamento o mais rápido possível”.

Ainda assim, não há uma previsão para que a atual gama de motores da Opel seja colocada de lado em detrimento de tecnologias da PSA. Para Peter Fintl, diretor de engenharia dos serviços de desenvolvimento da Altran, que trabalha junto ao grupo francês,”a PSA não precisa da tecnologia convencional da Opel”. Ele completa: “Uma vez que ambos os fabricantes estão ativos na mesma classe, é provável que as plataformas da Opel sejam gradualmente desativadas e que as tecnologias PSA sejam introduzidas”.

Mas, muitos veem essa sinergia como um risco maior para a Opel. A primeira questão é sobre elétricos e células de combustível. A GM atualmente fornece a tecnologia para a Opel, que vende o Ampera-E. No entanto, ainda não se sabe como essa relação continuará mais adiante. A PSA tem seus próprios projetos de carros elétricos, mas a eletrificação de modo amplo na empresa segue um cronograma próprio e não se sabe quando haverá sinergia nesse caso.

Outra preocupação, mais urgente, é a engenharia. Como Peter Fintl menciona acima, a PSA não precisa da engenharia da Opel. Mas, o fabricante germânico tem quatro centros de pesquisa e desenvolvimento de motores na Europa, localizados na Alemanha, Polônia, Hungria e Áustria.

Recentemente, a montadora investiu 210 milhões de euros em seu centro de Rüsselsheim, sede da empresa, onde trabalham 800 engenheiros. Ao todo, a Opel tem 3 mil engenheiros. Na PSA, Carlos Tavares diz que a decisão de usar ou não esse corpo técnico não depende dele, mas ressaltou que se o governo decidir pelo fim do motor a combustão interna, então irá cumprir o regulamento. Ainda assim, o CEO da PSA diz também que a adaptação de tecnologias da empresa na Opel necessitará de um quadro técnico para realizar a tarefa.

[Fonte: Auto News Europe]

 

 

 

  • Rbs

    O sistema de suspensão GM tem que ficar ate que a PSA prove o contrário. Por hora não quero pensar em carros autônomos ou elétricos.

    • João Cagnoni

      Você quer um sistema bom ou durável? Cada marca oferece um tipo, mas apenas um… rsrsrs

      • Rbs

        Como estou no braziu . . . Durável! Gosto das francesas, tenho Renault e sonho com Peugeot e Citroen. Sei que a coisa ta mudando para melhor mas dentro do padrão do que posso comprar, o calcanhar de Aquiles das citadas na minha opinião é o sistema de suspensão.

        • Fernando

          Eu não vejo nenhum problema no sistema de suspensão dos carros da psa. pra mim isso é tão mito quanto a tal durabilidade de motores com turbo. a questão é saber oque vc tem nas mãos e o uso correto disso. Quanto a suspensão, se a suspensão é “firme” ou “dura”, isso é muito bom para rodar em alta velocidade em estradas bem pavimentadas. Entretanto se vc quiser rodar em alta velocidade na buraqueira, é obvio que pagará o preço por isso. Sendo um tanto ridículo numa comparação, coloque uma lamborghini numa estrada de chão batido pra ver se a suspensão vai durar. Ai vc vai dizer que as lambo tem suspensão ruim? é questão de saber o que vc tem na mão e como fazer o uso correto do seu veículo. E já que eu falei do turbo, só pq toda hora aparece alguém dizendo que “não compra turbo por conta da durabilidade do motor.” vou dizer que isso é besteira pura e só mostra falta de conhecimento. Se antigamente até isso tinha um fundo de verdade, hj não faz nenhum sentido. A questão é que tem muita gente que gosta de tunar o carro e procurar remapear motor, alterar pressão do turbo etc etc etc. Ai muitos desses caras vão em qualquer esquina fazer esses serviços. Ai um carro que era pra gerar digamos uns 100cv sai do tuning gerando 200cv sem qualquer outro cuidado as demais peças. Então vc acha que isso vai durar mesmo? certo que não. Ou também outro tipo de pessoa que resolve turbinar o carro e compra um sistema de turbina recondicionado e tal de segunda mão etc,.. porque é mais barato. Cara essas coisas não tem como dar certo. e depois alguém lê na internet relatos desses caras e sai repetindo que carro turbo não tem durabilidade. é tudo questão de bom senso e não abusar das coisas.

          • Rbs

            Não é mito! Das tradicionais marcas existentes, as francesas são as que sofreram mais quando o assunto é suspensão! Eu sei que a coisa ta mudando para melhor, mas daqui para trás é só pesquisar com quem faz manutenção. A que sofre menos com o nosso piso é Renault.

            • Fernando

              o que eu estou dizendo que a questão de “sofrer mais” ou “sofrer menos” com o piso, não desqualifica a suspensão. acontece que a suspensão de muitos peugeot não eram CALIBRADAS para serem macias. obviamente isso causará um desgaste maior em pisos irregulares. Então nem por isso da pra dizer que a suspensão do peugeot é ruim e do renault é boa. Depende do uso que se faz.

              • Rbs

                Pesquise sobre o sistema de suspensão traseira e rolamento dos modelos 206/207.

            • Aristarco Pederneiras

              Cara, os carros 2012+ não são mais assim.

              • Rbs

                Se o 207 não mudou o sistema de suspensão traseira ainda é um problema. Pelo que sei o 208 não é mais assim.

          • Abdallah

            Eu já discordo de vc, pois tive um c4 thp, e o que mais me incomodou foi a suspensão!

        • O que o Cagnoni quis dizer é que o sistema de suspensão é sempre o mesmo para praticamente todos os modelos disponíveis no Brasil: Mc Person na frente, eixo semi-rígido atrás. Os carros da PSA andaram apresentando uns bons anos atrás alguma fragilidade no topo de colunas dianteiras. mas isso não é realidade a muitos anos. Vale a pena dar uma checada.

          • Rbs

            Eu entendi! Das tradicionais ja tive todas e a que mais fiz manutenção tem sido no Logan. Das francesas a que tem a suspensão mais resistente é justamente a Renault, to vendendo o meu Logan e futuramente pretendo comprar outro ou um Sandero.

            • Eu estou pela primeira vez na vida com dois franceses em casa: um 208 e um C4 Lounge. Ambos contam hoje com pouco mais de 50 mil km. O Citroen teve uma espécie de recall aos 20 mil km que implicou na troca de amortecedores dianteiros. Mas depois disso, nada mais a declarar sobre a suspensão.
              Já o 208, zero de detalhes até o momento.
              Confesso que, apesar da resistência que acomete boa parte do mercado brasileiro com relação aos fabricantes de origem francesa (eu mesmo demorei para romper o preconceito), estou com grau de satisfação bastante elevado com relação aos dois que estão na minha garagem atualmente. Não há nada que eu possa relatar no sentido de desencorajar alguém a ter um.

              • Rbs

                Então . . os dois que foram citados por você já sofreram melhorias em relação aos modelos anteriores.

              • Edson Fernandes

                E pensar que tive um C3 por 7 anos e 112000km rodados que sequer troquei peças da suspensão…

                • Minha irmã está com um C3 Exclusive automático a pouco mais de um ano, Edson. Carrinho bacana (ainda hoje eu dirigi o danadinho). O dela nunca teve nada, também, mas é um caso a parte: rodou menos de 7 mil km até agora. Mas dá pra ver alguns detalhes comparando com o 208:
                  – o C3 passa uma sensação maior de robustez que que o 208 no aspecto do “funcionamento” da carroceria: o 208 faz um pouco de barulho ali na região da tampa traseira, o que não se vê no C3;
                  – a PSA claramente colocou o 208 um degrau acima do C3 em termos de percepção de requinte do produto. O acabamento do C3 passa uma forte sensação de mais simplicidade que no Peugeot, em especial nas portas, onde o C3 sequer possui forração revestida nos apoios de braço: é tudo plástico (com variações de textura, é verdade) rígido mesmo. Nota-se ainda alguns cromados a mais no 208, como nos paddle shifts;
                  – o C3 é significativamente mais acanhado que o 208 no espaço interno;
                  – o arranjo de comando de som é melhor no 208: no C3 ele vem na alavanca telescópica e no 208 vem no volante, ficando só o comando do piloto automático para uma alavanca
                  No mais, o parabrisa Zenith é bacana, no meio dele há uma faixa plástica fina que ostenta três pontos de led: as mulheres vão ao delírio com aquilo, parecem estrelinhas quando se abre o teto para exibir o grande para-brisas. Mas o teto panorâmico do 208 ainda é mais impactante visualmente.

                  • Edson Fernandes

                    Sabe qual o problema do C3 na parte de forração? É que o anterior tinha um recorte ridiculo que colocavam apenas “a capa” do tecido ali instalado. Ou seja, não tinha nada macio. E eu até tentei ver de revestir com tecido mas não foi possível, pois a peça da porta tinham 2 partes grandes e que me obrigaria a cortar o local do tecido o que poderia não ficar bom.

                    Segundo dois locais no qual levei o carro para analisarem. E eu imagino que quiseram dar continuidade nisso. Algo que sempre me admirou no C3 é o incrivel isolamento acustico dele. Ouso dizer que ele tem um isolamento superior a alguns produtos superiores de nosso mercado. Dito isso, o resto eu mesmo gosto mais do 208. Gostaria de rodar em um para ver como é o conforto.

                    • A característica do isolamento acústico se mantém. É um carrinho muito silencioso, realmente.
                      O 208 tem uma excelente relação estabilidade x conforto. Eu só acho que ele “quica” um pouco em curvas com piso mais irregular, característica que também noto nos carros Citroen.

                    • Edson Fernandes

                      E caracteristica que acontece no Renault tbm…rs

                      É um pouco estranho o arrasto lateral levando o carro e não apenas um dos eixos…. isso é algo meio curioso e eu noto bem em costelas de vaca no Fluence.

              • Orizon Jr

                Grande Mestre Ubaldir!. Li ontem seu “Opinião do Dono” no NA sobre o C4 THP. Excelente! Muito bem escrito, preciso e isento, como sempre.

                Valeu por compartilhar sua experiência de modo tão claro.

                Forte C4braço ;)

        • João Cagnoni

          Depende do ponto de vista… São os carros com mais “chão” e referência em suspensão no mundo inteiro, mas não aguenta os nossos buracos. A Renault foi esperta e colocou o carro lá nas alturas, mas matou a estabilidade do carro.

        • Gomes

          Acho que já foi na época do 207 que tinha aquele eixo traseiro à la suspensão dianteria de fusca, creio que os carros atuais não tem mais problema (digo problemas crônicos, não que seja isento de problemas).

          • Rbs

            Exatamente, estou querendo dizer que essa fama não é atoa e reconheço a evolução.

            • Burnout

              Rbs, já se foi o tempo que Peugeot e Citroen tinham suspensão ruim e mal adaptada.

              Isso é mal passado do Peugeot 206/207 que tinha aquele eixo traseiro sem molas e que com o tempo quebrava e custava horrores pra arrumar. Mesma coisa no eixo da frente. Buchas de bandeja e bieletas não aguentavam os pisos rojão.

              A coisa muda a partir do 307, que empresta a base para os 307/408/c4/c4 lounge. Os engenheiros realmente pensaram: vamos projetar uma suspensão para aguentar. E não é que aguenta bem? Eu tenho um 307 e posso dizer que o carro não da problema de suspensão. Tanto a dianteira quanto a traseira são reforçadas. O único problema fica por conta do ruído em pisos irregulares, mas isso é devido a calibragem. Da pra amenizar colocando pneus macios Foi corrigido no C4 lounge.

              Quanto ao 208, zero problemas também. É só olhar na comunidade do Facebook e você vai ver só elogios quanto a durabilidade de suspensão do carro. Se teve problema, foram pontuais e que envolveram recalls e que já foram sanados.

              Entao, esse problema de suspensão acho já é página virada. Infelizmente manchou muito a imagem da Peugeot principalmente e dos carros franceses em geral. Quem tem, sabe que são excelentes carros. O Renault Logan por exemplo tem uma calibragem de suspensão excelente.

              Com o tempo o povo vai descobrindo isso… É só ver o crescimento da Renault no mercado. Quanto a PSA, desejo sorte.

              • Rbs

                Entendido!

  • Zé Mundico

    Plataformas automotivas, como todo tipo de tecnologia, podem ser vendidas.
    É só oferecer e achar quem esteja disposto a comprar, inclusive oferecendo participação nos lucros ou outro tipo de parceria.

    • No_Name

      Sim. Seria interessante alguém do Brasil licenciar uma GSV ou D2XX e tentar criar um bom carro nacional. Já seria um começo.

    • th!nk.t4nk

      Teoricamente sim, mas na prática a tecnologia fica ultrapassada. Algo que já é usado há uns 10 anos, vale bem pouco. Mas como foi dito, talvez pra Índia e Brasil tenha alguma vantagem. Mas quem iria comprar? Investidor brasileiro nao tem coragem, nessa crise atual.

      • 4lex5andro

        O Brasil por tradição, é um país de commodities e não criador/exportador de tecnologia, desde a época do império.

  • V12 for life

    Apenas o óbvio.

  • WASHINGTON

    Aos poucos a indústria automotiva vai se tornando uma só…

  • Paulo Fonseca

    Moral da história a Opel perderá sua “originalidade” como era de se esperar. Quem está na Europa e gosta da marca, esse é o momento de ter um dos seus últimos modelos genuínos, depois serão todos modelos psa genéricos com emblemas diferentes em suas grades.

    • joao vicente da costa

      Não sei se a Opel tem exatamente um “público cativo”. Quando morei na Alemanha, o que me diziam é que a Opel fazia “carros de operários e fazendeiros”… ou seja, nada que se pudesse levar a sério em termos de requinte ou classe, como Mercedes ou BMWs.

      • th!nk.t4nk

        Aqui na Alemanha a Opel nao tem uma fama muito boa não. Depois do escândalo da polícia de Berlin entao, nem se fala (compraram milhares de modelos da Opel e os carros viviam mais tempo na oficina do que rodando). A Opel era forte na Europa até os anos 90, mas depois disso foi ladeira abaixo. Atualmente é evitada por muitos. Acho até estranho que no Brasil muita gente ainda pense que a Opel seja uma marca forte.

        • Ernesto

          Saudosismo dos primeiros Vectra’s.

  • Schack Bauer

    Mais que esperado. Os franceses em geral são extremamente bairristas e protecionistas. Querem levar tudo pra lá. Foi a mesma coisa com a fusão da Siemens e da Alstom: a sede fica em Paris.

    • th!nk.t4nk

      São o extremo oposto dos ingleses, que já venderam quase todas suas grandes empresas pra chineses e indianos. No UK sinceramente dá até pena ver que o patriotismo é zero, se pudessem eles vendiam a ilha toda.

      • Schack Bauer

        Pois é… Mas os franceses fazem essa política há décadas e na comparação com os outros países desenvolvidos com a própria UK e a Alemanha, estão ficando pra trás. Tanto que precisam de umas boas rodadas de reforma pra colocar a economia em forma novamente. Pode ser que a política britânica não seja a ideal, mas esse bairrismo total dos franceses também não tem dado certo.

  • Erasmo Artur

    Um tanto quanto óbvio. Não faz sentido a PSA ficar pagando direitos à GM tendo produtos de qualidade similar dentro de casa.
    Outra questão é que a Opel gerava prejuízos mesmo usando tecnologia intern(“gratuita”), imagine tendo que pagar pelo uso da tecnologia de (agora) terceiros.

  • Jean Lehn

    Preparem-se para o fim da OPEL, pois o unico motor e o tal de THP 1.6 que nem e PSA e sim BMW ja aposentado ou 1.2 simples ou Turbo, tecnologia PSA meu Deus fujam para as colinas , que pena o Fim de uma marca !

    • Erasmo Artur

      Só para esclarecer, o THP é o motor mais premiado da história na categoria 1.6 a 1.8.

      O puretech 1.2 é o atual vencedor da categoria 1.0 a 1.4 (terceiro ano consecutivo).

      Não são bem esses lixos que transparece no seu comentário.

      A propósito, os ecotec adotados pela GM andaram longe de serem premiados.

      • Jean Lehn

        Onde que eu disse que são lixos ? Apenas disse que esse 1,6 daqui a pouco vão equipar até uma linha de enceradeiras se eles lançarem , além desses só 1.2 turbo é aspirado bem longe da variedade da Opel, alia esse 1.6 já é bem defasado perante a concorrência ainda mais os 1.5 turbos da concorrência !

        • Erasmo Artur

          Puro achismo.

          A gama de motores adotada pela Opel é muito semelhante a da PSA. E sim, nas entrelinhas vc tentou transparecer que seria uma decadência para opel adotar a gama PSA.

          Basicamente usam 1.0T, 1.4 aspirado, 1.4T e 1.6T à gasolina, enquanto a PSA emprega o 1.2 aspirado, 1.2T, e 1.6T (variando de 165 à 270 cv), em algum países existe o THP 1.8 de 206cv e 28kg de torque. Em relação ao Diesel a Opel usa 1.6 e 2.0, tal como a PSA. Todos turbo alimentados.

    • Carlos

      Mas Jean, o THP realmente foi uma parceria com a PSA. Pq ele é mais alemão do que frances? A BMW tem outro perfil de cliente, e precisa inovar e oferecer o melhor mais rápido que a PSA. E o 1.2 puretech é premiadíssimo. E a PSA tem outros motores turbo, 1.8 por exemplo, e excelentes motores diesel… e por que ela continuaria desenvolvendo se os motores a combustão parecem estar na UTI? Fugindo pras colinas brasileiras vc encontra coisa melhor do que o THP? Nao entendo este odio contra a engenharia francesa.

      • Jean Lehn

        Ódio ? Onde cadê ? Estou apenas falando a real só tem essas 3 opções de motores a gasolina diesel na Europa acabou elétricos realidade distante !!!

    • Vitor C

      A PSA já está com conjuntos híbridos e elétricos, além de um motor 1.8 THP, pesquise antes de falar.

      • Jean Lehn

        1.8 THP menos bem menos aliás pesquise vc antes de passar vergonha amigão

        • Vitor C

          Caso você não saiba o grupo PSA além dos motores 1.2 e 1.6 THP também tem um motor 1.8 THP usado em diversos modelos no mercado asiático, principalmente o chinês nos modelos DS.
          Como eu disse PESQUISE ANTES DE FALAR.

          • Edson Fernandes

            É que ele quis dizer que esse 1.8 não é exatamente PSA. Ele usa parceria com outra fabricante aplicando sua tecnologia.

            • Vitor C

              Mas está em uso nos seus produtos, Creio que a origem não importa hoje.

              • Edson Fernandes

                É que é um motor regado a um mercado: O chines. Eles não usariam em outros por conta disso.

  • Ricardo Blume

    Eu não acredito na extinção da marca como muitos estão dizendo e sim em uma segmentação específica. Algo como toda a sua linha voltada a ser elétrica ou híbrida, carros de baixo custo… enfim, as opções são muitas.

  • Edson Fernandes

    O enxugamento de motores e plataforma é claro. O que me preocupa é o fato da fabricante ter bons motores mas serem muito enxutos.

    Acho que a PSA precisa de ter um pouco mais de motorização para encaixar mais de uma versão nos produtos.

    É legal ter um 1.6 THP que tem uma gama de potencia gigante, porém ainda acho que não é suficiente e o mercado pode cobrar isso.

  • FocusMan

    Que texto confuso…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend