Finanças Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

Para a Abeifa, Rota 2030 só sai em 2019

vw-up-exportação Para a Abeifa, Rota 2030 só sai em 2019

José Luiz Gandini, presidente da Abeifa e da Kia Motors no Brasil, revela que troca de ministros e eleições devem empurrar o Rota 2030, novo regime automotivo brasileiro, para 2019. O empresário de Itu-SP, diz que a disputa atual entre os ministérios da Fazenda e de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, está dificultando a aprovação da nova política para o setor automotivo.



Gandini diz que a briga atualmente não tem relação com os importadores, setor que defende, pois são as montadoras que querem incentivos fiscais para poder investirem em pesquisa e desenvolvimento no Brasil. O empresário fala que Henrique Meirelles – ministro da Fazenda – é contra incentivos para a indústria automobilística, pois eles já ganharam “o que tinha que ganhar de subsídios”.

De acordo com Gandini, a visão de Meirelles é que agora cada empresa ande com suas próprias pernas. Ou melhor dizendo, rodas… Com essa divergência entre ministros, já que o interino do MDIC é favorável aos incentivos, acaba por só empurrar o Rota 2030 para a próxima gestão. Meirelles é presidenciável e deve sair da pasta da economia até 7 de abril, deixando para o sucessor (interino) a questão ao novo regime, mas o chefe da Abeifa ressalta que até este tomar uma posição, as eleições já estarão às portas.

Assim, ninguém deve assumir o risco e aprovar o Rota 2030 em plena campanha eleitoral. O Rota 2030 foi atrasado primeiramente pela Reforma da Previdência, depois pela questão da Segurança no Rio e agora as eleições devem empurrar o programa para mais adiante. Dessa forma, na visão de Gandini, o programa vai para a próxima gestão, mas salienta que existe risco ainda maior, o de não aprovação em definitivo. O temor do executivo é que alguma nova medida possa atrapalhar as vendas de carros importados, justamente agora que IPI majorado e cotas foram extintos com o Inovar-Auto.



Apesar de o Brasil estar consciente de que terá de jogar conforme o jogo comercial internacional, por conta da OMC, da qual é signatário, o governo pode acabar encontrando uma forma de beneficiar os fabricantes de veículos e reduzir a entrada de importados. O país já foi penalizado pela OMC e recorreu para ganhar tempo e manter o Inovar-Auto até 31 de dezembro. Mesmo assim, Gandini vê mudanças no panorama político-econômico do Brasil, onde a separação de ambos parece cada vez mais evidente. Ele cita a quebra do sigilo presidencial e a queda do dólar em decorrência. Em outros países, exemplifica, o câmbio subiria imediatamente.

[Fonte: Estado de Minas]

Agradecimentos ao Luiz Carlos.

COMPARTILHAR:
  • afonso200

    quero saber do super IPI pra importados

    • nãotemjornalistajapa.

      ainda tem?

    • Wellington Myph13

      Não existe mais por enquanto.
      Passat é um exemplo. Ganhou itens novos e baixou de preço.

      No rota 2030 eles estão tentando embutir uma cota ou coisa do tipo, mas não devem conseguir…

      • Renan

        Não tem mais quota, estão entrando normalmente no País, a Kia por exemplo já tá roçando nas 1000 unidades mensais (perto de PSA e mitsubishi).
        Estão é tentando chorar subsídio pra manter o lucro nas alturas, por enquanto esqueceram dos importados , Jajá quando os importados voltarem a vender razoavelmente bem como era em 2009/2010/2011 vão correndo chorar para colocar quota , aí vai ser difícil já que tem processo já julgado e condenado pela OMC , vão tentar dar um jeito de continuar mamando com lucros grandes e sem concorrencia de importados, por isso que essa maldição do rota 2030 tá empacado por enquanto , vai depender de quem vai governar essa bagaça a partir de 2019.

        • ObservadorCWB

          E vão vender….NhécoSport passando de 100k ??? Outro absurdo sem tamanho é um CRV da Honda nos mesmo patamar de 180k de veículos bem melhores como Equinox e até mesmo do Santa Fé….. nosso mercado já ultrapassou o surreal.

        • Cosi fan Tutti

          Estao fazendo a maracutaia no STF para que o 9 dedos volte, e ele tende a beneficiar e fazer tudo que os pelegos do sindicatos metalúrgicos pedem, como protecionismo exagerado pra protege-los da concorrencia desleal de outros países com parque industrial mais enxuto e tecnologico.

  • SK15

    Então veremos 1 ano sem NADA o que ocorre, até agora nada mudou na minha visão tudo carroça e preços astronômicos.

  • Maycon Farias

    Jurava que só sairia em 2090.

  • Cardoso (não aquele)

    Mas essas montadoras precisam tanto desses incentivos? Os carros aqui já custam uma fortuna, com versões capadas do que tem no exterior, os direitos dos trabalhadores da indústria estão sendo cortados, os sindicatos estão perdendo poder também e logo não terão mais tanto poder de barganha, o que significa menos custos trabalhistas, ao mesmo tempo o país está aos poucos voltando a crescer e a venda de carros novos está melhorando também…

    Se essas montadoras não conseguem se manter com as próprias pernas, talvez seja hora de mandar elas pastarem.

    • Luiz Romeu

      Nosso setor auto não é competitivo na medida que um simples carregador de fabrica sindicalizado ganha 5x mais que um professor.
      Esse mesmo professor paga através de impostos o privilégio dos braçais organizados na máfia do ABC
      A conta não fecha.

  • Luiz Pereira

    Por que só a indústria automotiva tem benefícios tributários? E os demais empresários? O Brasil precisa de uma reforma tributária que ajude todas as indústrias instaladas no país a tornarem-se mais competitivas, e não um “regime” que beneficie apenas um setor.

    • Wellington Myph13

      Não que eu não concorde com vc, mas a indústria automobilística representa uma parcela enorme em renda de uma forma geral no país… Se elas decidirem sair, apenas importar e etc, nos estaríamos perdidos, ainda mais atualmente…

      Pelo quanto pagamos de imposto, dá pra ter incentivo pra tudo que pode e ainda cuidar da educação, saúde e transporte público com folga, mas como bem sabemos, se fizerem isso, não dá pra manter as maracutaias e as mordomias deles…

      • Dherik

        Não dá para acabar com os incentivos de uma vez, mas precisa ser diminuído aos poucos até se igualar as regras das outras indústrias. É ridículo favorecer um setor e prejudicar os demais. O equilíbrio do mercado é estabelecido com regras iguais para todos.

        O governo criou um problema nacional favorecendo a indústria automotiva. Agora temos um mercado todo apoiado em um setor manipulado pelo governo e familias apoiadas nisto. Um absurdo este cenario. Se o Brasil é burocratico e cheio de impostos, ate isto deve ser igual para todos.

      • Danillo Santos

        Concordo parcialmente, a indústria automobilística representa parcela significativa do PIB, entretanto não creio que as marcas com fábrica no país possam se dar ao luxo de sair de um mercado tão lucrativo como o nosso. Em outros países o couro come, as margens são ínfimas e muitas vezes não há incentivo algum. Aqui há grandes volumes de venda, com margens gordas e relativamente poucos concorrentes.

      • Unknown

        E você acha mesmo que todas as montadoras com fábricas instaladas no Brasil irão abandonar a produção aqui? O Brasil é o oitavo maior mercado mundial de veículos, isto não irá acontecer. São apenas pressões para que mais vantagens lhes sejam concedidas…

    • ObservadorCWB

      Porque é fonte de renda para governo…….. brasileiro aceita pagar 180k numa CRV…. mais de 100k num Ecosport… em que lugar do mundo isto ocorre e comais de 50% de participação estatal no valor cobrado ???

  • Rota 2031

  • Ronald

    Que fique exatamente como está! Aliás, me parece jogo de cena para manter isso, viu! Pois se o governo anunciasse que não iria fazer nada, as tais indústrias iam pressionar para voltar a ter proteção. Sei não, nada de incentivo e nada de proteção. Pode ter algum problema?! Talvez, mas penso que o Brasil deveria arriscar dar esse passo…

  • Offshore LLC

    “Assim, ninguém deve assumir o risco e aprovar o Rota 2030 em plena campanha eleitoral.”
    Por Gandini.

    (“ler”: proteção do mercado e consequentemente proteção aos preços).

    Existe alguma dúvida de que o Rota 2030 não atingirá os consumidores e favorecerá as montadoras em detrimento dos primeiros?

  • Gran RS 78

    Até agora não vi nenhuma diferença com o fim do inovar auto, pois os preços continuam subindo e os lançamentos continuam ficando na promessa, como no caso do Kia Rio, Q2, e os novos suvs da Chery e da Lifan.

    • Luciano RC

      O que aconteceu, é que acabou as exigências para se investir em tecnologia e eficiência. Então, sem qualquer incentivo aliado a uma exigência de melhorias, vamos ter motor Família I por mais uns 15 anos.

  • Cincinato

    Ele está otimista, isso aí só sai em 2020.

    • Luciano RC

      Eu acho que esse negócio já está pronto. Só não vão lançar agora porque o Vampirão quer a reeleição.

      • Unknown

        Reeleição? Por acaso ele foi eleito alguma vez? E você realmente acha que ele teria alguma chance de ganhar?

        • Luciano RC

          Ele foi eleito sim… ele foi candidato a Vice pela chapa da Dilma e foi eleito por aqueles que votaram no 13. Está ai agora… pra mim, já deveria ter arrancado ele desde o primeiro processo que ele pagou para o Congresso Liberar.
          Ele acha que tem chance… por isso está jogando algumas coisas.

          • Unknown

            Concordo que ele deveria ter saído assim que ocorreu o escando das malas ou depois, com a compra de votos descarada! Mas em um País sério como o Brasil isto é exceção!

            • Luciano RC

              Mas está chegando a campanha e em Outubro teremos eleições. Ora de mudar isso… falta pouco.

              • Unknown

                Infelizmente não acredito que é possível mudar um País tão atrasado e cheio de ignorantes apenas nas urnas…

                • Luciano RC

                  Eu acredito… caso contrário, melhor ir embora.

                  • Unknown

                    Para quem tem esta possibilidade, com certeza é a melhor escolha.

                    • Luciano RC

                      E pra quem não tem, resta lutar e acreditar… desistir é exatamente o que esse bando de pilantra quer.

                    • Unknown

                      Sim, o problema é que o povo brasileiro não sabe o que é lutar! Acha que só a urna é o suficiente? Acha que bater panelas é o suficiente? O brasileiro engatinha ainda na sua compreensão de resistência e poder das massas.

                    • Luciano RC

                      O que precisamos é ter novamente a população nas ruas como foi em 2013, quando tudo começou a andar e melhorar. O problema foi que passou a festa e voltou a normalidade.
                      Olha o que a cidade de Bagé fez com o ladrão. Expulsou o cara de lá… se fizesse isso com toda classe politica corrupta, as coisas estavam diferente.

                    • Unknown

                      É justamente este o problema. O povo, massa de manobra, é guiado pela opinião pública formada pela mídia. Portanto vai sempre se manifestar de forma direcionada e contra os que são apresentados como anti-heróis. O restante passa desapercebido, inclusive os que compram deputados para se manter no poder…

  • FocusMan

    Desenvolver um carro e construir uma fábrica para produzir modelos em solo brasileiro é muito caro.

    Quando falamos sobre caro, devemos entender que não é o custo de produção do produto, mas todo o custo envolvido para o modelo existir até chegar nas mãos do consumidor, mais o custo de existir um novo modelo em alguns anos.

    O lucro líquido desse mercado gira em torno de 5% em média ao redor do mundo e o Brazil oferece lucratividade em geral em números dobrados, ou seja cerca de 10%. Óbvio que alguns produtos lucram mais, outros menos, mas essa é a média.

    O problema todo é o risco que envolve esse negócio em países como o Brasil com economia instável. Você investe milhoes numa fábrica pensando em produzir carros durante 10 anos e no segundo ano a politica muda completamente e você perde o investimento.

    Os incentivos fiscais dados pelo governo são na verdade uma espécie de seguro. É uma maneira de fazer o governo se comprometer de alguma forma com o futuro.

    Ainda assim, todos os anos fabricantes fecham fábricas no Brasil, pelos mesmos motivos supra-citados.

    • Anderson Trajano

      Eu trabalho em instituição financeira e na minha carreira, sempre tive contato com clientes PJ. Apesar de ser um grande entusiasta do mercado automotivo, sempre achei o risco de investir no Brasil muito alto, principalmente nesse ramo onde os custos são altíssimos, a mão de obra não é qualificada e o mercado instável. Claro, a margem de lucro aqui é mais alto que em outros países, mas em partes isso é necessário para cobrir o risco embutido na operação. É como se o Brasil fosse um fundo de ações. Quem aplica nesse produto aceita correr riscos, desde que haja um retorno acima da média. A única maneira de sermos menos explorados é a importação, mas a quantidade de riqueza e empregos seriam infinitamente menores.

      • Edson Fernandes

        Por isso somente com uma reforma real e sem enganações que fazem o contribuinte a contribuir mais que iria dar certo. O Brasil em certos pontos quer atuar como em países com uma economia melhor, mas pegando o de pior tbm. Assim fica dificil.

      • FocusMan

        Justamente. Por esse motivo empresas como Ford e GM apesar de sua imensidão valem menos na bolsa que empresas de tecnologia que tem ativos fisicos bem pequenos e quase todo seu capital é intelectual e intangível.

      • Comentarista

        Corretíssimo, o risco de investir no Brasil é muito alto. Todos concordam que é necessário uma reforma tributária decente mas para que isso aconteça devemos começar a desaparelhar nosso país que está totalmente escorado e sustentado na arrecadação de impostos. Se o país deixar de cobrar 1 ou 2 impostos hoje, ele quebra no mesmo dia, simples assim… agradeçamos aos nossos políticos que pensam bastante na gente e que fazem questão de continuarmos assim… mas alguém colocou eles lá.. Acho que é mais fácil culpar a indústria.

  • Danillo Santos

    Opa, fechei com o Meirelles! Já está na hora de as montadoras andarem com as próprias pernas, se não houver mais incentivos elas vão fazer o quê? Botar a viola no saco e se mandar daqui? Duvido! Nosso mercado é muito lucrativo, o máximo que essas montadoras fariam, na minha opinião, é cancelar alguns lançamentos, otimizar seu line-up retirando algumas versões e modelos, trabalhar com descontos (Chevrolet tá aí mostrando que é possível) e observar sempre o mercado, planejando suas ações de acordo com o que a concorrência oferece (o que já ocorre).
    Outra ação possível seria reduzir a produção local (fabricando aqui modelos estratégicos) e importar mais modelos ( de países com menor custo de produção).

  • REDDINGTON

    Pra um governo que está no final tem sentido. O novo que assuma essa responsabilidade, enquanto isso a própria Kia está lavando a égua, fazendo propaganda a rodo e importando como se não houvesse o amanhã. Aproveitem, a hora é agora!

  • Jefferson Ferreira

    Olha duas coisas q eu queria ter nascido aqui no huezil ou dono de Usina ou de montadora… aqui no brasil, é dinheiro fácil demais, praticamente só imprimir.. Os caras mandam e desmando

  • Luiz Romeu

    O inovarauto deixou o BR pra trás, enquanto no resto do mundo até 30% são autos eletricos, hibridos e autonomos, aqui ainda estamos vendo injeção direta como novidade. Refazer um plano desses pra “proteger” a industria nacional será um tiro no pé, no curto prazo até funciona mas no longo seremos massacrados, hoje já perdemos em qualidade pra China e até a India está nos alcançando. Lamentável

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email