Brasil Coréia Governamental/Legal Hyundai Mercado Montadoras/Fábricas

Para manter contrato com Hyundai, CAOA entra na justiça

hyundai-i30-2016-3

O grupo CAOA entrou na justiça para assegurar a manutenção do contrato de produção e distribuição de parte da gama de automóveis da Hyundai no Brasil. A empresa tem planta de produção em Anápolis-GO, onde fabrica os caminhões HR e HD, além dos automóveis Tucson Flex, ix35 e Tucson Turbo.


O motivo da ação é que a CAOA recebera da Hyundai, no último dia 12, uma notificação indicando a não renovação do contrato em vigência. O mesmo documento também indicaria que a empresa brasileira teria de renegociar um novo contrato com o fabricante sul-coreano. Mas, o contrato originalmente firmado em 1 de maio de 2008, com vigência de 10 anos, previa sua renovação automática mediante o cumprimento de metas, tais como vendas e compras mínimas junto ao fabricante, por exemplo.

No entendimento da CAOA, a empresa cumpriu com os requisitos estabelecidos em contrato e diante do comunicado da Hyundai, decidiu entrar com ação na 2ª Vara Empresarial de Conflitos e Arbitragem de São Paulo, que concedeu ao grupo liderado por Carlos Alberto de Oliveira Andrade uma liminar que mantém temporariamente o contrato de importação, produção e distribuição de veículos da Hyundai no Brasil.

Hyundai-Tucson-GLS-1024x662


Este tipo de operação envolvendo a Hyundai não é exclusiva da CAOA, visto que a Hyundai Motor do Brasil (HMB) possui os direitos de produção e distribuição dos modelos HB20, HB20S e Creta no mercado brasileiro. A empresa, que é subsidiária da própria Hyundai, possui uma planta de produção localizada em Piracicaba, interior de São Paulo.

A partir de agora, será formada uma corte de arbitragem entre as partes, que será realizada em um tribunal de Frankfurt, Alemanha, por decisão tanto da CAOA quanto da Hyundai. A montadora sul-coreana não se pronunciou sobre o assunto, mas a empresa sediada em São Paulo afirmou que a “a Hyundai tomou a medida drástica para compelir a Caoa a estabelecer um novo contrato, com prazo de 2 anos, liberando a exclusividade de importar os carros da Hyundai para o Brasil”, segundo o advogado da CAOA.

Ou seja, nesse caso, a HMB assumiria a importação dos modelos Santa Fé, Elantra e Azera, pois o i30 acabou de ter a importação encerrada e não se sabe se voltará a ocorrer novamente. Estranhamente, o protocolo de segurança do site da CAOA foi desativado em nossas consultas e a imagem do i30 no site da HMB leva para uma página não existente.

hyundai-hr-2018-10-1024x593

Nos últimos meses, a CAOA vem chamando a atenção do mercado, dentro e fora do país, por conta da aquisição do controle da operação local da Chery, formando inclusive uma nova empresa, a CaoaChery. O grupo brasileiro anunciou um investimento de US$2 bilhões nos próximos cinco anos e já confirmou cinco novos modelos da marca chinesa, bem como iniciou a produção do crossover Tiggo 2 em Jacareí-SP. Além disso, a empresa revelou oficialmente que fará a produção de parte da gama Chery em Anápolis, onde produz os carros da Hyundai.

Não sabemos se o contrato entre CAOA e Hyundai limita ou proíbe a produção de carros de outras marcas dentro do complexo industrial goiano, que na verdade pertence ao grupo brasileiro. Coincidência ou não, os fatos – desde a compra e a divulgação da produção da Chery em Goiás até o comunicado da Hyundai – ocorreram em datas muito próximas.

No mercado, rumores de que a concessão da Hyundai à CAOA estaria no fim sempre foram frequentes e o acordo com a Chery só reforçou o pensamento de que a montadora brasileira estarei apostando nos chineses devido ao fato de que logo perderia o contrato com os coreanos. Agora é esperar para ver que será acordado em Frankfurt. Mas, uma coisa é certa, se perder a briga, a CAOA terá na Chery a oportunidade de se manter e fazer crescer novamente uma marca asiática no Brasil.

[Fonte: G1]

 

COMPARTILHAR:
  • rkimwb

    Independente dos vários escândalos em que a CAOA esteve envolvida, não dá para negar o feito que ela conseguiu com a Hyundai. Elevou a imagem da marca coreana para o patamar das japonesas em poucos anos.

    • Marcio Almeida

      Esse e um processo normal, pra quem conhece modelos de internacionalização, as joint venture, distrbiuição exclusiva, so tem valor quando as marcas enxergam que aquilo esta bom para ambas, o grupo CAOA sabe disso, so quer barganhar algo maior com a detentora da marca, não sabemos o que preve o contrato, mas qlq quebra de contrato é assim mesmo, acredito que tudo vai se acertar a Hyundai vai favorecer a CAOA de alguma maneira, principalmente por causa da rede de revendas e para naõ gerar mais desacordos mas é obvio que se a CAOA não reclamar não vai levar nada, vejo vitoria da Hyundai com alguma compensação para a CAOA.

      • what_the_hell??

        E tem um detalhe mercadológico importante nessa negociação: o grupo CAOA é, no Brasil, quem detém a maior parte das ccs da HMB! Ou seja, a simbiose ultrapassa a linha de importados. Certamente deve sair algum acordo entre as empresas!

    • Ⓜ️arcelo

      Ironia do destino, mas eu já ví Chery sendo vendido em css da caoa hyundai indicando que eles já não estão nem ai mais para a hyundai.

  • Maycon Farias

    Não sou advogado, mas acho que o que previa no contrato realmente foi atingido e estão dentro do direito.

    • Uranium

      Não somos advogados nem sabemos nada sobre o contrato. Portanto, qualquer opinião é um mero tiro no escuro.

      • Alexandre

        This.

    • Gio

      Opinar em relação a um contrato destes é impossível.. Primeiro porque não sabemos o teor do contrato..

      Mas também porque não deve ser nada tão simples assim. Se o direito da CAOA de renovar o contrato fosse tão claro e direto, os advogados da Hyundai obviamente não tentariam desfazer a parceria..

      • Maycon Farias

        As vezes pode ser simples sim. A verdade está com um dos dois, e como eu disse parece ser da CAOA. Estou entrando em um processo judicial porque a pessoa que comprou meu carro anterior quer me exigir o pagamento de um concerto/peça que não está coberto pela garantia que fiz mesmo como pessoa física. Meu advogado atesta tudo favorável a mim, porem terei que ir assim mesmo porque segundo ele até as partes erradas entram com ações achando que estão certas. Tenho certeza que mesmo estando errados se for o caso eles entram da mesma forma.

        • João Carlos

          Nossa, Maycon. Vc descobriu a pólvora. Serio mesmo?!hahagw

          • Kkkkkk. Esse NA surgem pérolas incríveis.

            Só não entendi a parte do “concerto”. Ele não quis pagar a entrada ou estacionamento do carro na sala São Paulo, é isso? 🤔

            • Maycon Farias

              Você também sabe que ‘kkkkkkk’ não existe no dicionário brasileiro. Já que adora corrigir os outros sugiro que comesse a ser bastante fiel a língua.

              • Meu jovem, todos aqui sabem que “kkkk” é um significado para gargalhada.

                Não corrijo ninguém, mas no seu caso, quis ser pomposo com a ação entre você e o ex-proprietário do seu carro, como se fosse ao pé da letra aplicável com o da Hyundai.

                Acho que ao invés da câmara arbitral alemã, deveriam procurar você para esse conflito, graças ao seu notório saber jurídico.

                E não é “comesse”, é “começasse”.

                Bom domingo e feriado jovem

                • Maycon Farias

                  Já pensou em se inscrever para algum programa de professores voluntários para países pobres?. Não imagina o quanto seria útil seu dicionário. Pense com carinho na dica. Boa Semana

  • Thiago André

    Normalmente a renovação automática se firma se ambas as partes estao satisfeitas.

  • No_Name

    No Brasil ninguém aceita um não ou o fim das coisas, né…
    Homem ou mulher não aceita o fim de relacionamento, juizeco não aceita determinação da mais alta corte judiciária, empresas não aceitam término de contratos, trabalhadores não aceitam demissão… E por aí vai! Desse jeito seremos sempre um paiseco de quinta para o resto do mundo, pois aqui não há segurança jurídica, obediência as leis e respeito das pessoas umas com as outras. Triste!

    • invalid_pilot

      Se o contrato prevê renovação automatica mediante condições claras, a CAOA tem direito de entrar na justiça pra cumprir o contrato.

      • No_Name

        As partes precisam estar satisfeitas. Todo contrato que prevê prorrogação automática isso é especificado. Senão vira algo arbitrário…

        • invalid_pilot

          Tem que ver o contrato e as cláusulas.

          Briga de advogados, mas a CAOA certamente sabe que pode perder a representação.

      • Paulo Lustosa

        Não necessariamente, as duas partes têm que estarem satisfeitas com o contrato, caso uma das partes não estejam satisfeitas, o dever de dar e cumprir a obrigação contratual passa a não existir mais.

      • Claudio Fiorini

        Todo contrato tem cláusulas que preveem o seu término. Senão, não seria contrato, seria casamento.

        • invalid_pilot

          Ta cheio de ADEVOGADO de teclado aqui kkkk

          Só falei que se existe clausula que protege a CAOA, ela está no direito de reclamar.

          Tem que analisar o contrato antes de falar m…

          • Francisco Santos Filho

            Kkkkkkkk. Tens razão.

      • A minha dúvida é a seguinte, por envolver uma empresa coreana e uma brasileira, as leis de qual país se aplicam? E vamos supor, no maior chute meu, que a lei de um determinado país considere que qualquer contrato possa ser desfeito a qualquer momento mesmo que o contrato diga o contrário. É como um funcionário assinar um documento se comprometendo a não acionar a empresa na justiça do trabalho por estar trabalhando sem o regime de CLT, sabemos que mesmo que um funcionário assine um documento assim caso ele entre na justiça do trabalho vai ganhar a causa e ter os seus direitos trabalhistas.

        • invalid_pilot

          No caso, todo contrato está escrito em qual foro ele corre, com certeza é o Brasil (acrescente uma cidade brasileira). Logo está sujeito às nossas regras.

          • Além disso, a competência está aqui. O contrato foi feito com uma empresa Brasileira, para operações no Brasil.

          • Unknown

            Olha os doutores em Direito Internacional… Isso aí!

            • invalid_pilot

              Se não sabe isso, volte a puxar carroça.

              • Unknown

                Caramba, eu faço um elogio e você vem com este tom ofensivo… Me desculpe Mr. sapienza.

  • Ricardo

    A super estimativa está matando a Hyundai.

  • Marcus Vinicius

    Acho que o prejuízo maior vai ser da Coreana pelo fato da caoa produzir alguns dos seus veículos !

  • CÁSSIO

    nesta história não tem nem um santo , mas acredito que ja deu pra CAOA e ela mesmo ja sabe disso , então ta partindo pra outro rumo e tenho certeza que ira crescer com o grupo chines .

  • Natán Barreto

    A Hyundai tem mesmo que tomar de volta da Caoa a importação dos carros. A Caoa tá metida em tudo quanto é sujeira, elevou o preço dos carros a ponto das vendas minguarem, mentia descaradamente pro consumidor dentre outras coisas.

    A Hyundai Brasil por sua vez fez uma excelente campanha pro HB20 e está no topo com o modelo. Creta também vende suficientemente. Ou seja, a Caoa trouxe a Hyundai numa boa estratégia, depois desandou.

    • tech76

      Nunca entendi a estratégia que utilizaram com i30 e Azera, dois carros que conseguiram seu espaço no mercado brasileiro, mas que a CAOA matou na geração seguinte, devido a preços fora da realidade do mercado, motorização fraca, dentre outros.

      • afonso200

        primeiro azera e primeiro 130 tinham preços matadores, azera a preto de corolla e civic top, e i30 mais barato que focus e golf e com teto solar…….vendia 4mil i30 mes la em 2009 ,,,o azera teve o auge em 2011 onde tinha o preço do fusion 4 cilindros

        • what_the_hell??

          Sem querer defender as malandragens da CAOA, mas, como já dito abaixo, quem acabou com o custoxbenefício dos carros importados (não só Hyundai) foi o governo com o protecionismo exagerado e desorganizado do inovarauto. O que ultrapassasse 4.800 carros por ano (400 por mês) pagava o famoso super-ipi! Isso destruiu qualquer pretensão das importadoras. Acho q na Kia o baque foi até maior!

      • Anderson

        Eu acho que foi por causa do Inovar Auto que aumentou muito o custo de importar.

  • No_Name

    Se antes os coreanos já torciam o nariz com essa relação, imagina agora com o CAOA se associando a fabricante chinês e dizendo que em breve fará um carro “100% nacional”…
    Está certa a Hyundai, quer ficar longe deles para não permitir que tenham acesso as tecnologias da empresa e assim prevenir uma possível pirataria do CAOA para esse carro “nacional”.

    • Tosca16

      Vocês falam como se a Chery International quisesse plagiar projetos, CAOA tem ido na China conferir a tecnologia e lançamentos da marca chinesa, com o intuito de trazer os novos produtos da marca ao mercado brasileiro. A questão com a Hyundai vem de muito antes da CHERY, a Caoa negociou 18 meses com a chinesa porque sabe que no fundo perderá a parceria e exclusividade dos importados da coreana, e precisava ter uma carta na manga.

      • No_Name

        O problema é que produzindo Hyundai, o CAOA (e agora a Chery por tabela) tem acesso a todo o processo fabril da empresa, as tecnologias, automações, inovações, peças dos automóveis, os fornecedores, metodologia de trabalho, enfim, tem envolvimento em praticamente tudo, apenas não participa do desenvolvimento dos projetos, mas faz uso de tudo quando são colocados na fábrica e isso é um risco totalmente desnecessário para a Hyundai agora que o CAOA está produzindo carros de competidores no mercado.

        • Tosca16

          A CAOA sabe que perderá a parceria, por isso além de assumir a CHERY colocou abertamente, tem até em entrevista do AutoData, que ele fez questão de por com os chineses de utilizarem ambas as fábricas, pra tirar a CAOA de Anápolis da ociosidade, pois a fábrica de Jacareí da antiga Chery Brasil tem facilmente como chegar a 150 mil unidades ano sem muitos investimentos, é moderna, modular, amplia-se fácil.

        • Tosca16

          E segundo o senhor CAOA só conviveriam juntas no setor de pintura, o restante não seria compartilhado; fora que os executivos de ambas, CAOA CHERY e Hyundai-CAOA não são os mesmos… isso nas palavras dele, que chegou a afirmar que os coreanos não fizeram sequer objeção, nessa parte. Mas tudo não se passava de conversa, pois nos bastidores todos já sabíamos que a CHERY será a nova vedete do grupo; que largará a Hyundai cedo ou mais tarde. Interessante que nesse imbróglio lançou-se o novo caminhão HD-80, com novos fornecedores nacionais e ampliação do índice de nacionalização que faltou no antecessor HD-70.

      • Unknown

        Plagiar não digo, mas absorver tecnologias, com certeza!

        • Tosca16

          Discordo, mas sei que se tiverem possibilidade nenhum rejeitaria, entretanto em entrevista a AutoData o senhor CAOA quase não fechava a assinatura de contrato porque partiu dele a obrigação de utilizarem ambas as plantas, CHERY queria usar apenas sua fábrica, então ficaria distante da Hyundai.

    • Anderson

      Mesmo que a Caoa não tivesse feito o acordo com a Chery, ia acontecer o mesmo. Agora que a Hyundai está estabelecida com o HB20 e Creta ela quer tirar a Caoa da jogada. O acordo com a Chery aconteceu pq o Caoa sabia disso.

  • Tosca16

    Hyundai abriu os olhos e viu a mina de $$$ que deixou nas mãos da CAOA, depois de consolidada é natural que qualquer empresa de porte mundial como a Hyundai queira o controle de suas operações, especialmente em mercados como o nosso… CHERY também fez isso no passado, quando tirou na Venko e assumiu as operações, construindo até fábrica no país… No caso dos chineses a incompetência fez o sonho virá pesadelo, e tiveram que apelar a novamente uma parceria, e pior agora com direito a participação na fábrica e tudo mais. Mas pra quem aposta na CHERY é uma informação até que interessante, assim os investimentos na chinesa aumentam ainda mais, e a rede expandirá o mais breve possível.

  • Tosca16

    Eu imagino como ficará se o Rota 2030 não for essa maravilha toda e tiver novas sanções aos importados com a fábrica da Hyundai em sua capacidade máxima… fora a rede de distribuição, pois pelo que sei, 20% da linha HMB é vendida nas Caoa HMB.

  • Alvarenga

    Eu sabia que ia dar zica !

  • Erivelton Freitas

    Se essa CAOA tem US$ 2 Bilhões para investir em carros da Chery, porque eles simplesmente não pegam esse dinheiro em criam carros próprios, sobre a marca própria, com design e tecnologia própria (leia-se, nacional)?

    Seria muito mais vantagem do que ficar dependendo da Hyundai. Foram quase 10 anos estudando a tecnologia Hyundai e fabricando carros da Sul-Coreana, será que eles não conseguiriam desenvolver seus próprios carros?

    O Brasil tem faculdades de Engenharia Automotiva, Design, Engenharia Mecânica, Mecatrônica, Elétrica e afins na grande maior parte das Universidades, em especial, no Sudeste/Sul. Profissionais existem aos montes e a CAOA poderia se tornar, enfim, a ‘primeira’ montadora Brasileira com portfólio próprio e exclusivo, podendo, quem sabe, expandir suas operações para a América Latina nos próximos anos.

    Mas não, ela insiste em se associar a terceiros e passar por perrengues.

    Pois é, os livros de história não mentem mesmo. O Capitalista Brasileiro só olha para o que vem de fora, mas querer construir algo nosso, algo Brasileiro kkkk, mas nem ferrando!

    • Tosca16

      US$ 2 Bilhões é muito pra criar e ter tecnologia própria? NÃO. A CAOA tá fazendo o mesmo que as chinesas fizeram, associar-se com uma montadora, depois criar em conjunto com a mesma, para somente num futuro quem sabe um dia ter algo digamos que próprio.

      • Erivelton Freitas

        Boa Parte da história da tecnologia se baseia no ‘roubo’. O USA construiu seu império roubando tecnologia da Inglaterra após a sua independência, assim como a Alemanha. No mundo Automotivo, a coisa é da mesma forma. O Japão copiou o modelo de negócios da Ford (Fordismo) e o adaptou, melhorou, tornou-o ainda melhor, com o Toyotismo, que logo foi assimilado pela indústria americana.

        A China criou a obrigatoriedade do compartilhamento de tecnologia com suas ‘parceiras’, e assim, Chery, JAC, Dongfeng e outras surgiram por lá.

        A CAOA passou 10 anos fabricando carros da Hyundai, principalmente SUVs e Sedãs de grande porte, e será que os Engenheiros, os trabalhadores da fábrica, todos os responsáveis pela fiscalização e monitoramento da linha de montagem não aprenderam nada em 10 anos?! Quem disse que a CAOA tinha que pedir permissão para a Hyundai para observar a motorização, mecânica e materiais usados por ela na construção de seus carros?! Claro, eles não irão plagiar ou mesmo ‘roubar’ tecnologia. Mas aprender como se faz e fazer diferente, nem que seja pouco diferente, é mais do que necessário.

        Pois se grandes indústrias ao decorrer de décadas se ergueram através do roubo de tecnologia, não seria a CAOA a grande vilã da história por fazer o mesmo.

        E só para mostrar que é má vontade, vou dar um exemplo bem peculiar. Aqui no meu Estado, o Rio Grande do Norte, existe uma empresa chamada ‘Lexicar Brasil’, que fabrica VEÍCULOS ELÉTRICOS. Ela está localizada na BR 101, bem na Área que divide a capital Natal com a cidade de Parnamirim, a 3ª maior do estado.

        Em uma entrevista com o Presidente da Empresa, foi abordada a possibilidade da empresa fabricar carros de passeio elétricos, como hatches compactos, sedãs compactos e até SUVs. Sendo que a única experiência que a empresa tinha com esse tipo de veículo, era na produção de veículos elétricos de pequeno porte, como carrinhos de golfe e carros que foram usados na Copa, para levar os jogadores feridos do gramado até a área de atendimento.

        A Resposta dele foi bem direta: “Sim, temos toda a tecnologia e pessoal capacitado para produzir um hatch compacto ou subcompacto totalmente elétrico em apenas 1 ano”. Então ele foi questionado do porquê não fez isso, e a resposta foi simples: “Falta de apoio financeiro”.

        O Brasil poderia ter uma fabricante nacional de carros elétricos, sendo a primeira montadora realmente Brasileira atuante no mercado. E porque não tem? Porque o empresário, que tem vontade de fazer, não recebe apoio.

        Já a CAOA, que tem o dinheiro, prefere não fazer e sim se juntar a uma estrangeira. Vê se pode!

        • Cosi fan Tutti

          É interessante também que teve um certo governo de um certo partido ae que ficou alguns anos no poder e inclusive criou os tais “campeãs nacionais”, empresas em vários ramos com aporte do estado e BNDEs e sabemos hoje a base de muita propina e falcatruas, e incrivelmente, mesmo com varios incentivos às montadoras de carros, inclusive o tal Inovar Auto que fechou o mercado, ainda assim não surgiu nenhuma marca de carros nacional. Mas ate nisso a CAOA teve um escandalo, o da compra de MPs. Agora pq nada vingou, ninguem sabe!

    • Renato Duarte

      Para se desenvolver um carro,, R$2 bilhões é suficiente, porém é muito pouco para surgimento de uma nova marca automotiva nos dias de hoje. O fato do brasil ter todos esses profissionais que englobam a cadeia de produção e desenvolvimento não ficaria por menos de R$10 Bilhões de reais só pra começar a brincadeira. A Marcopolo que é uma “gigante” no mercado de carrocerias de ônibus poderia muito bem desenvolver chassi e motores próprios mas fica muito mais caro do que imaginamos.

      • Erivelton Freitas

        Só lembrando, que de acordo com a notícia, o cifrão usado é US$, ou seja, são US$ 2 Bilhões de DÓLARES. E considerando que o Dólar hoje, está na casa dos R$ 3,46, então seria algo próximo de R$ 7 Bilhões de reais.

        • Tosca16

          Acho que daria pra criar uma plataforma modular ou um motor novo, não mais que isso kkk.

          • Erivelton Freitas

            Acho que vocês estão superfaturando a construção desses periféricos, sério mesmo. Tem empresa prometendo de 5 a 7 novos carros para a Argentina/Brasil até 2022 e os investimentos estão em números menores de US$ 1 Bilhão.

            • Tosca16

              Lavagem de $$$.

            • Anderson

              Isso é o investido aqui, o grosso do desenvolvimento vem de fora.

        • Renato Duarte

          fora os gastos extras né,, energia elétrica, insumos, salários de funcionários, gastos com logística, tudo isso “ainda” vai entrar na conta de uma montadora para só depois contar os gastos com o projeto

      • Marcopolo só faz a carroceria. O principal que é o chassis, ainda vem de MB, Volvo, Scania…

        • Tosca16

          Tem muito da Agrale, especialmente na linha Volare.

          • Isso é ínfimo e básico perto da tecnologia e escala de produção da linha Paradiso seja 1200, 1350, 1600 LD ou 1800 DD 6×2 ou 8×2.

            • Tosca16

              Tô só dizendo que tem, e não são poucos, pra linha Volare que tem um nicho de mercado bom em alguns usos intermunicipais.

  • Wellington Myph13

    HMB assumindo total controle, pode esperar que toda linha receberá um banho de tecnologia, manterão os preços e investirão em propagandas… Vamos ver se terão resultados…
    Old Tucson morreria, ix35 dava pra manter melhorando os itens de série da versão de entrada, assim como Elantra e voltar com o i30, até mesmo com o 1.6 como versão de entrada como faz o Focus, lembrando que o problema do 1.6 foi que veio a preço de 1.8/2.0 com poucos itens de série pra recompensar o motor menor…

    Vamos aguardar os próximos capítulos…

  • Wolfpack

    #ficaadica pense bem quando for firmar uma sociedade, seu sócio vai entrar pra família. Depois é tarde pra chorar. Isso já tinha ocorrido anteriormente com a Renault então o Carlos Alberto amarrou bem o contrato com o próximo inocente da lista.

    • Tosca16

      Não existe inocentes nesta história, a Hyundai veio pras mãos da Caoa porque sozinha tinha fracassado…

      • Estreptomicildo Márcio Vargas

        Errado.
        A prosperidade da Hyundai no Brasil deve-se a HMB.
        Incrível que você não saiba disso.

  • Mr Tony

    Se rolar divórcio, como ficam os carros que a Huyndai/Caoa produz?

    • Anderson

      A Hyundai vai ter que produzí-los ou importá-los.

  • Me lembro que lá pelo ano de 1998 (ou próximo) a CAOA representava a Renault do Brasil, e foi até reportagem da Veja a questão do imbróglio judicial.

  • Jorge

    Não sei nem como a CAOA continua a atuar depois de tantos problemas que teve.

  • RIP Brazil

    Não entendi, quem passou a perna em quem?
    :|

  • Romeu Silva

    Hahaha…basta uma indenização pra CAOA e esta tudo resolvido….alguém acha que a CAOA vai querer fica numa sociedade que não e recíproca??? Esta usando a arbitragem pra sair com algum…

  • Luis Burro

    Q contrato q é este q uma das partes não pode renegociar independente do cumprimento de regras preestabelecidas?

  • Mario Nobile

    Em uma concessionéria Hyundai aqui em guarulhos, há produtos Chery sendo vendido.

  • Estreptomicildo Márcio Vargas

    A CAOA matou os importados da Hyundai.
    Carros como o Azera que chegaram a vender 800, 900 carros por mês, simplesmente foram mortos pelo goianos… O Sonata (lindíssimo) o I30 e etc., desapareceram.
    A CAOA colocou o preço destes produtos nas alturas inviabilizando-os, seja por ganância, seja para vender mais TUCSON (o antigo) e o IX35, cujas linhas de montagens foram totalmente transferidas para Anápolis.
    Se a Hyundai não abrir o Olho, a CAOA vai matar a marca no Brasil – Inclusive a HMB.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email