Crossovers História Matérias NA Peugeot SUVs

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do “SUV”

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

O Peugeot 2008 Allure é a versão de entrada do SUV compacto da marca francesa, permitindo assim que o modelo tenha um preço de acesso menor e mais adequado a muitos consumidores.


Lançado em abril de 2015, o 2008 chegou logo de cara com a versão Allure, que até hoje é a proposta de acesso, com exceção da versão Business, que foca no público PCD e a Griffe, que é para um cliente de maior poder de compra.

Mesmo com o facelift, o Peugeot 2008 Allure manteve sua posição, sendo uma versão com pacote de equipamentos menor, para atingir um custo-benefício mais atraente ao consumidor.

Equipado unicamente com motor 1.6 16V, o 2008 Allure pode ter transmissão manual ou automática, esta inicialmente era de quatro marchas, mas agora já possui seis velocidades. Ele é irmão do Peugeot 208.

Peugeot 2008 Allure

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

O Peugeot 2008 Allure é uma versão de entrada tradicional do SUV compacto com preço a partir de R$ 69.990, um preço que coloca o produto na faixa de acesso do consumidor PCD, cujo limite para isenção plena é de R$ 70.000.

Essa versão se desdobrou em Allure e Allure Pack, que acrescentou alguns itens visuais e de conforto a mais. A segurança também é levemente ampliada nessa opção.

No modelo atual, com atualização visual de 2018, o Peugeot 2008 Allure só está disponível com câmbio automático de seis marchas, chamado EAT6.

O crossover compacto teve alterações no visual exterior e pequenas mudanças internas, deixando o 2008 pronto para ficar um pouco mais no mercado até a chegada da nova geração do 2008, que deve chegar em 2021.

Peugeot 2008 Allure – Estilo

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

Visualmente, o Peugeot 2008 Allure vem com estilo inspirado no 3008, tendo faróis duplos com desenho chanfrado e projetor de faixo baixo, bem como repetidor de direção e luzes diurnas em LED.

A grade hexagonal tem acabamento preto com elementos estéticos de mesma cor na grelha, bem como logotipo do leão cromado. Duas “alças” estilizadas no para-choque dão fluidez ao crossover.

O 2008 Allure tem ainda molduras laterais pretas com imitação de grade e faróis de neblina (apenas no Pack), bem como grade central com frisos horizontais. Um protetor inferior preto é integrado à base do para-choque.

Já o capô curto tem poucos vincos. Nas laterais, o Peugeot 2008 Allure tem saias de rodas pretas, assim como molduras na base das portas. Os retrovisores com repetidores de direção e barras no teto são pretos também.

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

Na tampa traseira, o defletor de ar tem a mesma tonalidade, bem como lanternas duplas em LED com lentes escurecidas. O para-choque é preto e bem pronunciado, tendo ainda luzes de neblina.

Já as rodas de liga leve aro 16 polegadas com acabamento diamantado estão presentes apenas no Peugeot 2008 Allure Pack, enquanto a versão abaixo traz somente rodas de aço aro 16 polegadas com calotas.

Por dentro, o Peugeot 2008 Allure tem seu visual baseado no conceito i-Cockpit, que dá ao condutor uma visão da instrumentação sobre o volante, que nesse caso é bem pequeno.

O cluster é elevado e bem espaçado, tendo dois mostradores analógicos grandes e indicadores digitais gráficos para nível de combustível e temperatura da água. Ao centro, o display do computador de bordo.

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

Diante dele, um volante ovalizado com couro (Pack), detalhe cromado e comandos de mídia e telefonia, tendo ainda haste com controlador e limitador de velocidade. A direção é elétrica e tem ajustes em altura e profundidade.

O Peugeot 2008 Allure vem ainda com multimídia dotada de tela elevada de 7 polegadas com sistema Google Android Auto e Apple CarPlay, podendo assim serem usados os apps Waze, Google Maps, Spotify, entre outros.

Na Allure Pack, traz ainda câmera de ré integrada ao display, o que amplia a segurança durante as manobras. O SUV compacto vem com ar condicionado, mas apenas com ajustes manuais nessa versão.

A chave é tipo canivete e o seletor de marchas do câmbio automático é cromada, enquanto um slot abaixo do ar condicionado traz entrada USB e auxiliar, além de fonte de 12V.

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

O painel tem acabamento em dois tons, sendo um de marrom, que também reveste os puxadores das portas. As demais partes são em cinza, sendo que o painel tem ainda porta-luvas bem profundo e espaçoso, com iluminação e ventilação.

Os difusores de ar laterais possuem acabamento cromado e as portas apresentam revestimento em plástico com textura diferenciada. Já os assentos possuem acabamento em tecido com malharia personalizada.

Além disso, empregam ainda revestimento parcialmente premium, o que dá mais requinte ao ambiente. O SUV compacto traz ainda banco traseiro bipartido, assim como assento do motorista com ajuste de altura.

O habitáculo conta ainda cintos de segurança completos e apoios de cabeça para todos os ocupantes. Atrás, ainda há sistema Isofix para cadeirinhas infantis e sua ancoragem traseira se necessário.

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

No Peugeot 2008 Allure, as quatro portas possuem vidros elétricos com one touch, enquanto os retrovisores possuem ajustes elétricos, bem como as travas, que podem ser acionadas pela chave-canivete, tal como o porta-malas.

O teto e as colunas possuem revestimento em tecido claro, sendo que o 2008 Allure não dispõe de teto panorâmico, só disponível na versão Griffe. Os para-sóis possuem espelhos iluminados.

No bagageiro, cujo volume é de 402 litros, o estepe é temporário e a cobertura interna é móvel. A tampa tem acesso fácil e possui travamento elétrico. O utilitário esportivo tem ainda alarme perimétrico na Allure Pack.

Origem

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

Quando surgiu em 2016, o Peugeot 2008 Allure tinha uma aspecto mais elegante. Tendo mais cromados que agora, a versão de entrada do SUV compacto mostrava um visual mais elaborado que o atual, que ficou descolado.

O logotipo do leão, por exemplo, ia sobre o capô. Além disso, o a grade era mais elaborada e toda cromada, tendo ainda o nome Peugeot em baixo relevo mais visível que o modelo atual.

Já o para-choque tinha detalhes em cinza nas extremidades e na parte central, onde fica o protetor. Outro item que contribuía para um visual mais premium do 2008 Allure antigo eram as rodas de liga leve aro 16 polegadas.

Elas tinham seis raios largos e diamantados, que davam um ar mais próximo do Peugeot 3008 antigo, que tinha rodas parecidas. Além disso, ainda trazia aplique cromado nos arcos do teto, na parte elevada, além do defletor traseiro.

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

O Allure antigo tinha ainda opção de vidro panorâmico no teto. Por dentro, o 2008 de acesso tinha ainda ar condicionado dual zone e multimídia, mas sem Android Auto e CarPlay.

A versão automática vinha com paddle shifts, enquanto o freio de estacionamento era tipo manete, algo que se perdeu no modelo atual, cuja alavanca é comum.

O banco traseiro tinha apenas dois apoios de cabeça, sem Isofix no banco. Apesar disso, tinha airbags laterais. A cobertura do bagageiro era dobrável.

Percebe-se que a mudança para a linha atual cortou muitos itens da Allure, que acabou sendo canibalizada em prol da Griffe e para reduzir o preço para a faixa entre R$ 70.000 e R$ 80.000.

Peugeot 2008 Allure – Motor

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

O motor EC5M é o propulsor que equipa o Peugeot 2008 Allure, que fora atualizado há alguns anos. Esse motor de quatro cilindros já tem muitos anos de mercado na Europa e aqui também.

Com duplo comando de válvulas no cabeçote e quatro por cilindro, sendo que as de admissão possuem sistema eletrônico de variação de abertura e fechamento.

Tendo 1.587 cm3, o EC5M teve modificações importantes em relação ao EC5 do lançamento do Peugeot 2008 em 2016. Ele tem taxa de compressão de 12,5:1.

Na gasolina, ele entrega 115 cavalos, enquanto no etanol, são 118 cavalos. Ambos são obtidos a 5.750 rpm. Já o torque é o mesmo para os dois combustíveis, sendo 16,1 kgfm a 4.750 rpm (4.000 rpm com etanol).

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

Com isso, o Peugeot 2008 Allure vai de 0 a 100 km/h em 12,4 segundos no etanol e com máxima de 186 km/h no mesmo combustível. O consumo com álcool é de 7,5 km/l na cidade e 9,2 km/l na estrada.

Já abastecido com o derivado de petróleo, o crossover tem consumo de 10,7 km/l e 13,0 km/l, respectivamente cidade e estrada. Com tanque de 55 litros, pode ter autonomia teórica de 715 km. Vai até 100 km/h em 12,7 segundos e final de 185 km/h.

O câmbio automático é da Aisin e tem seis marchas. Ele dispõe de quatro modos de condução: Eco, Normal, Sport e Sequencial, onde as trocas podem ser feitas manualmente na alavanca de câmbio.

Com 4,159 m de comprimento, 1,739 m de largura, 1,583 m de altura e 2,542 m de entre eixos, o 2008 Allure pesa 1.212 kg e vem com suspensão dianteira McPherson, enquanto a traseira é por eixo de torção.

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

Os freios são ABS e o crossover vem ainda com discos traseiros, além dos dianteiros ventilados. Os pneus são 205/60 R16. No modelo antigo, algumas coisas eram diferentes na parte mecânica.

A começar pelo motor, que ainda não havia recebido alterações. Com os mesmos 1.587 cm3 e 12,5:1 de taxa de compressão, o EC5 1.6 16V entregava também 115 cavalos na gasolina, mas 122 cavalos no etanol.

Esses números eram a 6.000 rpm e 5.800 rpm, respectivamente. Os torques também eram diferentes, sendo 15,5 kgfm na gasolina e 16,4 kgfm no etanol, mas ambos a 4.000 rpm.

Com álcool, o Peugeot 2008 Allure antigo, ia de 0 a 100 km/h em 11,9 segundos e tinha máxima de 177 km/h. Seu câmbio Aisin era o conhecido AL8, que tinha quatro marchas e uma série de defeitos.

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

Ele limitava muito o desempenho do 2008 e por isso precisou ser trocado pelo EAT6 atual. Na época, o Allure fazia 6,8 km/l na cidade e 7,9 km/l na estrada, isso com etanol. Na gasolina, ele rendia melhor.

No ciclo urbano era 9,4 km/l, o que não era de todo ruim, mas fazia 11 km/l, o que ainda era muito pouco. O crossover ainda tinha a opção manual de cinco marchas.

Nesse caso, o 2008 chega a 190 km/h no álcool e 183 km/h na gasolina, tendo aceleração de 0 a 100 km/h em 10,2 segundos. O consumo era melhor também, fazendo 7,3 km/l e 8,2 km/l, respectivamente cidade e estrada.

Com gasolina, o Allure manual fazia 10,2 km/l no circuito urbano de 11,6 km/l no rodoviário. Em 2015, até a Griffe tinha opção de câmbio manual, assim como a Griffe THP, que não tinha câmbio automático compatível.

Conteúdo

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

O Peugeot 2008 Allure tem um bom pacote de equipamentos, sendo uma proposta mais elaborada na Allure Pack. Por conta disso, traz alguns itens de conforto, conectividade e segurança que dão ao crossover um bom apelo.

Por fora, rodas de liga leve aro 16 e faróis de neblina vem no Pack, enquanto o restante vem no Allure inicial. Por dentro, ar condicionado, direção elétrica, vidros elétricos, travas elétricas e retrovisores elétricos estão presentes.

Também conta com computador de bordo, multimídia com tela de 7 polegadas, Android Auto e Car Play, câmera de ré (Pack), Bluetooth, USB (1), entrada auxiliar, volante multifuncional e controle de cruzeiro com limitador de velocidade.

O 2008 Allure traz ainda interior em dois tons, bancos com padronagem diferenciada, banco traseiro bipartido, cintos de segurança de três pontos para todos, apoios de cabeça para todos e sistema Isofix com ancoragem.

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

O sistema de som tem quatro alto-falantes e o porta-luvas é iluminado e refrigerado. Essa versão traz ainda porta-objetos nas portas e entre os bancos dianteiros. Vem ainda com iluminação interna e luzes de leitura.

Espelhos nos para-sóis são iluminados, enquanto os faróis possuem temporizadores. Os bancos dianteiros possuem airbags laterais, tendo ainda os airbags do motorista e do passageiro.

Apesar dos freios a disco nas quatro rodas, não possuem controles de tração ou estabilidade, nem mesmo assistente de partida em rampa.

O ambiente ainda possui espelho interno dia e noite, bem como chave canivete, alarme perimétrico (Pack), estepe temporário, rodas de aço com calotas (Allure), repetidores de direção nos espelhos retrovisores, entre outros.

Peugeot 2008 Allure: detalhes da versão de entrada do "SUV"

O Peugeot 2008 Allure é uma opção interessante para os consumidores que procuram um SUV compacto com design moderno e espaço interno razoável.

Sob o capô, o motor EC5M 1.6 16V atualizado apenas melhorou um pouco em relação ao anterior, já devendo muito em eficiência e performance diante do Puretech 1.2 Turbo, que traria grandes benefícios ao modelo.

Isso só deve acontecer na próxima geração, que será maior e precisará de um propulsor mais forte. Dessa forma, o Peugeot 2008 Allure não deve seguir muito adiante, embora ainda vá conviver com o modelo novo.

Pode ser que essa versão Allure continue, mas não deve ir muito além dos R$ 80 mil do Allure Pack, dando assim espaço para o Novo 2008. A opção PCD com preço na casa de R$ 56 mil será prioritária.

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Peuooo

    Acho este carro bem acertado no design. Gosto muito dele.
    Creio que só não incomodou muito seus concorrentes, por falta das transmissões modernas e por ter um tamanho acanhado…
    Fora isso, um belo carro.

    • Ubaldir

      Realmente um bom pacote, e com preço relativamente interessante frente à concorrência e a lista de equipamentos apresentada, além do bom nível de acabamento.
      Problema mesmo que vejo no 2008 é seu perfil “perua”, bem distinto do que o consumidor tem corrido atrás, que é o estilo mais “parrudo” dos SUV’s.
      Isso sem falar em seu espaço interno, que o torna um bom segundo carro de uma família. Para atendimento a uma família média de 4 pessoas em viagens, ele já fica bem acanhado.

      • oscar.fr

        Tá aí algo que alguém falou no lançamento, que não é objetivamente verdade, mas que colou no 2008: a fama de perua. Talvez por não termos peruas no Brasil que o 2008 ganhou esta fama, pois não lembra uma perua. É claramente um crossover, assim como seus concorrentes mais imediatos. O maior problema do 2008 no Brasil é oferecer algo que menos gente quer, um SUV pequeno com preço mais baixo em troca de um espaço interno menor e uma tocada mais próxima a de um hatch, que, no entanto, são coisas bem vistas no mercado europeu. O brasileiro está disposto a pagar mais, mas quer um carro maior e não necessariamente um projeto europeu (o sucesso de Creta e HRV que o prove). O 2008 oferece apenas um pouco a mais que o 208 e isso foi percebido por muitos antigos clientes da linha 208, eu tive um por mais de 5 anos, mas acabei indo para a irmã Citroen, pois o 2008 não me pareceu interessante. Infelizmente, quando a Peugeot acertou a proposta comercial do 2008 já era tarde mais. O novo modelo tem tudo para ser bem sucedido, é mais parrudo e virá bem mais caro, ao gosto do cliente brasileiro.

        • Ubaldir

          O que mais aproxima o 2008 de uma perua é o fato de ser exatamente um 208 com porta-malas um pouco maior e poucos centímetros a mais na altura livre do solo.
          Eu mesmo fui um potencial comprador de um 2008 logo no seu lançamento, em 2015. Quando estava pronto para fechar o negócio, a Peugeot lançou o 208 Griffe linha 2016, com sensor de estacionamento dianteiro e 6 airbags (acessórios que a linha 2015 não possuía), praticamente igualando o pacote de equipamentos ao do 2008 Griffe.
          Acaba que ao entrar dentro de um e de outro, constata-se que se trata exatamente do mesmo carro. Diferença mesmo só no controle elétrico da persiana do teto panorâmico, no banco parcialmente em couro e no manche de acionamento do freio de estacionamento “descolado” do 2008 (que no fim só tem visual, porque é muito chato de operar no dia-a-dia).
          Com a diferença de 14 mil reais na época (paguei 60 mil no 208 frente aos 74 mil pedidos no 2008) e sem uso prático para os centímetros a mais na altura da suspensão e para o volume maior do porta-malas (o carro era para a esposa), acaba que as pequenas diferenças que narrei acima não tinham o menor atrativo para que eu escolhesse o 2008 em lugar do hatch.
          No fim, mandei instalar por R$1.500 os bancos de couro integrais na concessionária mesmo, ficando ainda com o saldo de R$12.500,00 da diferença entre os dois modelos.
          Acho o 2008 pequeno para o consumidor brasileiro, que em sua maioria procura um SUV para ser o principal ou único carro da família. Me parece que o próximo 2008 vai corrigir esse pecado.
          Agora, quanto à questão perua, não adianta. Por mais que eu goste do perfil do 2008 desde seu lançamento, não há como negar que ele se parece mesmo com uma versão Escapade do 208.

  • Franco

    Tenho um 2008 Allure PCD e, sinceramente, o carro me surpreendeu positivamente. O câmbio tem um funcionamento excepcional e o acerto da suspensão também me chamou a atenção. Prazeroso de dirigir, o carro filtra muito bem as irregularidades do piso sem ser molengão nas curvas, passando muita segurança (talvez por ser mais uma “perua altinha” que um suv). Gostei muito disso. O motor não empolga mas também não decepciona. Pra minha tocada tiozão dá e sobra – e ainda fica econômico. Freios são excelentes, mérito em parte dos discos traseiros. Sim, não temos auxílios eletrônicos de segurança, mas no geral, o carrinho tem me agradado muito!

    • Ubaldir

      Em casa estamos no segundo 208 como carro da esposa. Acaba que é um veículo com o ambiente interno idêntico ao do 2008, tendo apenas alguns poucos centímetros a menos na altura livre do solo e um porta-malas menor.
      O primeiro nos atendeu por 85 mil km, e o segundo está com 30 mil. O primeiro foi uma versão Griffe, ainda com câmbio de 4 marchas, e o segundo é um da versão especial Urbantech (lançamento do câmbio de 6 marchas), que é um “Griffe melhorado”, contando com alguns melhoramentos em termos de acabamento e rodas 17″ iguais às do GT, só que sem o acabamento diamantado.
      Dito isso, não há o que reclamar dos carros. Somados os dois, a única ocorrência fora das manutenções rotineiras foi a troca de uma buzina no primeiro, a custo de R$ 85,00, por volta dos 70 mil km.
      Carros com acabamento diferenciado no interior, bem robustos e muito bons de guiar. Acho que o 208 tem um comportamento dinâmico um pouco mais “assentado” que o do 2008.

      • Franco

        Pois é, Ubaldir, eu também não tenho o que reclamar da Peugeot. Aliás, a ideia de comprar um 2008 pra esposa foi justamente por conta de uma experiência excepcional com um 308 Allure 2012, comigo desde zero e hoje com 200 mil km rodados… Nesse tempo todo, só manutenção preventiva. Interessante é que você olha o interior do carro e está tudo em estado de novo! Isso prova a qualidade dos materiais, e a robustez que você comentou.

  • Baetatrip

    Acho carro bem legal…..
    Principalmente a tração…. Apesar de 4×2, cumpre as tarefas muito bem
    Tem episódio que o Grand Tour testou o Citroen C3 cubo com esse tipo de tração…
    Pensei no inicio: esse carro nao vai dar certo no caminho cheio de pedras na divisa da FR/ IT que tinha 1 forte no alto da montanha (lindo), passando e fui prestando atenção, quando botou no modo lama/ecorregadio, e vi que funcionava muito bem e subindo tranquilamente e sem usar muita força, chegou no forte inteiro!
    Esse tipo de tração acho muito interessante que quebra bom galho (Se piorar muito claro que tem que usar 1 4×4 fora isso nem precisa…)

  • oscar.fr

    Atualmente, o principal obstáculo do 2008 é o fogo amigo do irmão Cactus. Mais novo, com mais espaço interno e boa proposta comercial, o modelo da Citroën roubou muito clientes da Peugeot, que, além de tudo, demorou para acertar a proposta do 2008. Em nada isso tira méritos do 2008 que é um carro bonito, com bom preço na versão Allure e gostoso de dirigir.

  • Ricardo Silva

    E eu aqui pensando em pegar um THP usado kkk O que me atraiu no carro foi a altura do solo, que chega a ser maior que alguns “SUVs”, porta-malas de tamanho razoável (Os hatchs atuais estão com o porta-malas cada vez menores), a quantidade de equipamento, e esse motor THP que faz o carro vir com controle de tração e estabilidade, sem contar que parece ser um carro confortável pra andar na cidade, problema deve ser o custo das peças e uma possível revenda mais pra frente … mas ele continua no topo da minha lista kkk

  • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

    Não entendi muito em relação ao motor revisado, ele melhorou e ao mesmo tempo piorou, antes com um AT4 rendia melhor do que agora um AT6 mais moderno, quando deveria ser o contrário.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email