Avaliações Hatches Peugeot

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada

O Peugeot 208 é uma atraente opção no segmento de compactos “premium” no mercado brasileiro. O modelo substitui o longevo 207, que aqui ainda é o 206 com facelift e renomeado como se fosse o sucessor europeu. Disponível nas versões Active, Allure e Griffe, o hatch é oferecido com preços a partir de R$ 39.990. A versão avaliada – Griffe com câmbio automático – custa R$ 54.990.


Além de substituir no Brasil o hatch duas gerações mais velho, o Peugeot 208 também traz uma nova identidade visual para a marca francesa no Brasil, inaugurada pelo sedã de luxo 508. Fabricado em Porto Real (RJ), o compacto promete muito e logo terá a companhia da variante crossover 2008 e, quem sabe, do sedã 301.

Bonito por fora e por dentro, o Peugeot 208 não apresenta apenas um belo rostinho, mas amplia a oferta de tecnologia e sofisticação em um segmento que busca levar algo melhor ao consumidor, que não pode ou não deseja entrar no mercado de carros médios. Faltam algumas coisas que poderiam melhorar o desempenho do modelo, mas o tempo se encarregará de introduzir mudanças significativas para deixar o hatch de origem francesa ainda melhor.

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada


Por fora…

O Peugeot 208 decretou o fim do “sapão”, conforme alguns consumidores se referem ao 207 (206). Aqueles grandes faróis em elipse do anterior (ainda presentes nas gamas 308, 3008 e 408 no Brasil), deram lugar a um conjunto mais compacto e dinâmico, dotado de LEDs integrados com iluminação perfeita, diferente de alguns outros diodos, cujos emissores de luz podem até ser contados. Dá até para entrar na garagem de casa durante a noite sem o uso dos faróis, tal sua eficiência. A chave tipo canivete possui comando para acionamento dos LEDs diurnos e lanternas por alguns segundos.

A grade – com o nome Peugeot em uma pequena plaqueta – possui frisos cromados e filetes pretos, sendo posicionada mais abaixo e criando um visual interessante. O para-choque liso possui spoiler integrado, grade inferior e faróis de neblina com molduras cromadas. O capô pequeno possui vincos centrais e o logotipo do leão. O conjunto é bem mais acertado que o do Citroën C3, por exemplo.

O para-brisa é bastante inclinado e, logo acima, uma barra cromada separa a vigia dianteira do teto de vidro panorâmico, que é um item de série desde a versão Allure. A lateral tem porta dianteira com quebra-vento falso, frisos cromados envolvendo as janelas e colunas B e parte da C em cor preto brilhante. A linha de cintura é limpa e a base dos vidros se eleva junto à coluna A, criando um perfil mais dinâmico, um pouco quebrado com o desenho arredondado na porta traseira.

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada

As rodas de liga leve aro 16 “Helium” com pneus 195/55 R16 são pintadas de cor grafite diamante, apresentando visual atraente. Os retrovisores incorporam repetidores de direção, mas não oferecem rebatimento elétrico. Quem sabe esse seja um item para o futuro. A traseira mantém as colunas C e a vigia fortemente inclinadas, conforme estilo presente desde o antigo 205. As lanternas contam com LEDs na parte superior e nota-se o desenho das “garras do leão”, já vistas em outros modelos da Peugeot.

O chanfro na extremidade exterior das lanternas reforça a identidade do 208. O para-choque traseiro é limpo e possui apenas uma luz de neblina incorporada, além do sensor de estacionamento e aplique preto na parte inferior. A tampa também possui uma plaqueta com o nome da marca e o leão. Uma câmera de ré nesta peça seria um item desejável em um carro que tem tela multimídia com navegação GPS. Antena no teto e escape cromado fecham o visual exterior.

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada

Por dentro…

Se, por fora, o Peugeot 208 agrada, por dentro ele trata os olhos da mesma forma. O ambiente é sofisticado e apresenta boa qualidade em montagem e materiais empregados, apesar de não ter plástico emborrachado, algo que poderia realçar ainda mais o interior. Além disso, o teto panorâmico deixa o espaço ainda mais claro e agradável, o que é reforçado pelo teto e colunas em tons claros. Até o conjunto de luzes de leitura e iluminação interna possuem acabamento nesta cor e usam somente LEDs, deixando o interior mais iluminado e interessante.

O painel tem como destaques o conjunto de instrumentos bem espaçados e de ótima visibilidade, contando com display digital e iluminação dos grafismos nas cores branca e vermelha. Ele só pode ser visualizado acima do volante, que é bem pequeno (provavelmente é o menor do mercado) e revestido em couro. O aro de direção não é redondo, mas ovalado. Tem ótima empunhadura e pode ser regulado em altura e profundidade. Acabamento e visual são superiores aos do volante de três raios da maioria dos Peugeot.

Também com três raios, o volante do Peugeot 208 Griffe tem acabamento cromado na parte inferior, além de comandos de áudio e telefonia. Logo atrás, comandos de mudanças de marchas (paddle shifts), com acabamento também cromado, reforçam o visual “premium” do conjunto. Na coluna de direção há ainda o limitador/controlador de velocidade, os comandos de setas e faróis (incluindo modo automático) e limpadores/lavadores (também automáticos).

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada

O painel dispõe de um display de LCD de 7 polegadas em posição elevada e emoldurado com frisos cromados e acabamento interno em preto brilhante, o mesmo que envolve o ar-condicionado automático de duas zonas de aspecto sofisticado. Abaixo estão conexões auxiliar e USB, além de fonte 12V. Os difusores laterais possuem acabamento cromado e a parte superior do painel tem textura agradável, mas é feita em plástico duro e em cor preta.

A parte frontal do conjunto possui cor cinza escuro, a mesma dos puxadores das portas. O porta-luvas tem bom tamanho e refrigeração. Abaixo e à esquerda da coluna de direção existem comandos para desligar o alarme e o sensor de estacionamento, cujo gráfico pode ser visualizado no display central.

As portas têm desenho moderno e acabamento em plástico preto e tecido, além de aplique em cinza escuro. Possui bons comandos dos vidros elétricos e retrovisores, além de alto-falantes e tweeters. As maçanetas são cromadas e há porta-copos/garrafas. O console central possui alavanca de transmissão automática com modos Sport e Inverno, além de acabamento cromado.

O apoio de braço central é retrátil e inclui um pequeno porta-objetos interno. Os porta-copos centrais são muito pequenos e ficam à frente do câmbio. Em posição “P” é impossível colocar ou retirar um copo ou lata. Os bancos têm acabamento firme, porém com tecido macio e agradável. Seguram bem o corpo, mas não há opção de couro. Os cintos e o assento do motorista contam com regulagem de altura.

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada

Na parte traseira, o banco bipartido possui cinto de três pontos e apoio de cabeça centrais. Porém, o ambiente traseiro não oferece luzes de leitura ou no mínimo iluminação geral, o que faz falta em um carro de R$ 55.000. A persiana do teto é rígida e em dois estágios, mas acionada manualmente. Não é pesada, mas necessita de bom exercício do braço direito (ou esquerdo, se for o passageiro da frente).

O espaço para quem vai na frente é bom, mas o volante pequeno e o painel elevado, assim como a distância do banco para os pedais vai exigir um tempo de adaptação para quem tem estatura alta. Os comandos estão próximos das mãos e a visibilidade é muito boa para quase todos os lados. Atrás, o espaço é bem mais reduzido, mas na média do segmento. O teto mais baixo nesta parte não vai agradar quem mede acima de 1,80 metro. O porta-malas tem 285 litros, mas parece menor por causa da inclinação da traseira. Cabe o suficiente para uma família pequena.

Mas o que agrada mesmo é o display multimídia com navegador MyWay e tela sensível ao toque. O sistema possui mapas com vários modos de visualização, assim como informações de desempenho do veículo, imagens e mídia, incluindo também conexão bluetooth e ligações com mãos livres. Imagens de uma câmera de ré seriam bem-vindas se o equipamento fosse oferecido no Peugeot 208 Griffe.

Falando no que falta, o modelo poderia oferecer também airbags laterais e de cortina, acabamento em couro dos bancos e controles de estabilidade e tração, bem como assistente de partida em aclive, que são itens presentes em alguns concorrentes. Mas o que falta mesmo na versão automática são duas marchas a mais.

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada

Por ruas e estradas…

O motor 1.6 16V VVT Flex Start tem sistema de partida a frio sem uso de tanque extra de gasolina, o que facilita muito as partidas em dias muito frios. Ele entrega 122 cv a 5.800 rpm e 16,4 kgfm de torque a 4.000 rpm. O desempenho geral é bom, mas a transmissão automática de quatro marchas limita muito sua performance, elevando o ruído interno (já que o bloco não é dos mais silenciosos) e o consumo, outra crítica ao modelo, mais especificamente no uso urbano.

O Peugeot 208 Griffe deveria usar a mesma caixa AT6 do Peugeot 408, o que ajudaria a reduzir consumo e ruído, bem como ofereceria maior prazer ao dirigir e um desempenho geral superior, usando o mesmo motor. As opções de mudança de marchas feitas de forma manual ajudam pouco, já que a programação impede melhor condução das marchas.

Rodando em velocidade de cruzeiro de 110 km/h, o Peugeot 208 Griffe atinge 3.000 rpm, o que não é ruim, mas a progressão até esse patamar é acompanhada de ruído elevado do motor. O giro sobe demais nas saídas normais e provoca desconforto. Ele trabalharia melhor, sem dúvida, com uma caixa de seis marchas. Nas retomadas o ronco volta a aparecer e a disposição não parece a mesma de um propulsor com 122 cv.

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada

Rodando de modo moderado, o nível de ruído interno é bom, ainda mais com o bom acerto da suspensão, que fica entre conforto e esportividade. As rodas aro 16” com pneus 195/55 R16 ajudam muito nesse sentido. Nas curvas, o Peugeot 208 Griffe tem bom comportamento. Os freios atuam de forma progressiva e a direção elétrica é extremamente leve e confortável.

O Peugeot 208 Griffe pode ir de 0 a 100 km/h em 10,7 segundos e tem máxima de 191 km/h. O consumo urbano com etanol e gasolina foi 6,5/9,5 km/litro, respectivamente. Na estrada, o compacto naturalmente é bem mais frugal e conseguimos médias de 10,6/13,2 km/litro, na mesma ordem. Todos medidos com ar-condicionado ligado e em estradas planas do litoral paulista. O Inmetro informa emissão de CO2 de 116 g/km.

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada

Por você…

O Peugeot 208 Griffe é um bom carro. Tem visual atraente no exterior e sofisticado no interior. Poderia oferecer mais itens de segurança e a transmissão automática de seis marchas, tornando o equipamento um item padrão em todos os modelos da marca, assim como fazem alguns concorrentes.

O valor de R$ 54.990 é alto se comparado a alguns rivais e também em relação ao segmento superior, no qual recentemente o sedã 408 2014 automático com seis marchas estava sendo vendido por praticamente o mesmo preço. O 308 é outro que produz “fogo amigo” dentro da marca.

Felizmente para o Peugeot 208 Griffe e infelizmente para o consumidor, o preço elevado é uma tendência ruim do segmento de compactos “premium”, que acaba por invadir a faixa de preço dos médios, concorrendo com eles. Ainda assim, o compacto é uma opção para quem não quer o “grande salão” ou o hatch médio, seja por falta de espaço na garagem ou pelo estilo já com sinais de cansaço dos modelos maiores.

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada

Nesse caso, o Peugeot 208 Griffe oferece ar-condicionado automático de duas zonas, rodas de liga leve aro 16”, faróis com excelentes LEDs diurnos, faróis e lanterna de neblina, sensores de estacionamento/faróis/chuva, multimídia com navegador e bluetooth, paddle shifts, direção elétrica, alarme perimétrico e volumétrico, chave canivete com acendimentos dos LEDs, trio elétrico, teto de vidro panorâmico, apoio de braço central, ABS/EBD, airbag duplo, LEDs internos, limitador/controlador de velocidade, computador de bordo, entre outros.

A garantia é de três anos sem limite de quilometragem e o modelo está disponível nas cores vermelho Aden, vermelho Ruby, preto Perla Nera, marrom Dark Carmin, cinza Aluminium e branco Blanc Nacré. Com exceção da primeira, as demais são metálicas e custam R$ 1.100. A cor branca é perolizada e custa R$ 1.500. O custo de manutenção (revisões) até 60.000 km é de R$ 2.350.

Medidas e números…

Ficha Técnica do Peugeot 208 Griffe 1.6 Automático

Motor/Transmissão
Número de cilindros – 4 em linha Flex
Cilindrada – 1587 cm³
Potência – 115/122 cv a 5.800 rpm (gasolina/etanol)
Torque – 15,5/16,4 kgfm a 4.000 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão – Automática de quatro velocidades com modos Inverno e Sport, além de mudanças sequenciais de marchas na alavanca e nos paddle shifts.

Desempenho
Aceleração de 0 a 100 km/h – 10,7 segundos
Velocidade máxima – 191 km/h

Suspensão/Direção
Dianteira – McPherson/Traseira – Barra deformável
Elétrica variável

Freios
Discos nas quatro rodas com ABS e EDB

Rodas/Pneus
Liga leve aro 16 com pneus 195/55 R16

Dimensões/Pesos/Capacidades

Comprimento – 3.966 mm
Largura – 1.702 mm
Altura – 1.472 mm
Entre-eixos – 2.541 mm
Peso em ordem de marcha – 1.153 kg
Tanque – 55 litros
Porta-malas – 285 litros

Cesta Básica de Peças

• Pneu (cada) – R$ 379,16
• Roda (cada) – R$ 437,37
• Farol (dir) – R$ 1.090,00
• Lanterna (dir) – R$ 196,94
• Retrovisor (esq) – R$ 210,00
• Sonda Lambda – R$ 92,00
• Bico injetor (cada) – R$ 49,14
• Pastilha da Freio (par) – R$ 226,57
• Palheta do limp. (par) – R$ 80,00
• Para-choque (tras) – R$ 537,17
• Amortecedores (4) – R$ 740,00

Total = R$ 4.038,35

Galeria de fotos do Peugeot 208 Griffe Automático:

Peugeot 208 Griffe automático: seis marchas fazem falta, mas o conjunto agrada
Nota média 4 de 2 votos

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email