*Destaque *Featured Hatches Lançamentos Peugeot

Peugeot 208 Urbantech chega como série especial por R$ 74.490

peugeot-208-urbantech Peugeot 208 Urbantech chega como série especial por R$ 74.490

Depois do lançamento da nova linha com câmbio automático de seis marchas, o Peugeot 208 agora estreia uma nova série especial limitada no mercado brasileiro. Batizada de Urbantech, a nova versão especial do hatch compacto se diferencia por alguns detalhes estéticos e de acabamento. O modelo traz ainda o motor 1.6 litro flex aspirado e a nova transmissão automática de seis velocidades.



Entre os diferenciais, há rodas exclusivas de 17 polegadas, retrovisores com capa cromada, conjunto óptico com guia de luz em LED, entre outros. Já o interior conta com volante Sportdrive com revestimento em couro perfurado, painel com acabamento soft touch Stellar, bancos revestidos em couro e tecido com o nome da série bordado nos encostos e jogo de tapetes personalizados.

A lista de equipamentos do carro inclui os mesmos itens da versão de base Griffe (a mais cara da linha), como sistema multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, teto panorâmico de vidro, sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis no banco traseiro, volante multifuncional com ajuste de altura e profundidade e banco do motorista ajustável em altura.

Há também direção elétrica progressiva, seis airbags, ar-condicionado digital de duas zonas, sensores de chuva e luminosidade, câmera de ré, sensor de estacionamento traseiro, apoio de braço central, controle de cruzeiro, entre outros.

O motor que equipa o Peugeot 208 Urbantech é o 1.6 litro flex de quatro cilindros, que consegue desenvolver até 118 cavalos de potência e 16,1 kgfm de torque. Junto a ele está o câmbio automático de seis marchas, com os modos Drive, Sport, Eco e Sequencial. Segundo a marca, o hatch entrega consumo de 7,7 km/l na cidade e 9,3 km/l na estrada com etanol e 11 e 13,2 km/l, respectivamente, com gasolina.

O Peugeot 208 Urbantech pode ser encontrado nas concessionárias com preço de R$ 74.490. A série especial está disponível somente nas cores Dark Carmin e Branco Nacré.

COMPARTILHAR:

130 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • Vendo esses preços…. tenho certeza que sou quebrado!
    Agora, a versão anterior acho mais bonita que essa… até o farol de projetor perdeu, ficou sem graça.

      • Rapaz, em outros mercados sim, mas infelizmente aqui no Br não é carro popular… até porque temos modelos bem inferiores no quesito acabamento e quantidade de equipamentos. (Claro que isso não justifica o preço).

      • Discordo. Por 49 mil no nosso mercado você mal leva Onix 1.0 com o kit dignidade para casa. É triste, mas é a nossa realidade.
        O 208 tem nível de equipamentos e acabamento muito próximo de sedãs médios bem equipados, e uma dirigibilidade invejável. Com câmbio de 6 marchas, só perde mesmo em espaço quando comparado com hatches médios.
        Uma boa medida é comparar o 208 Griffe com o C4 Exclusive, que é meu carro: ele tem a menos que o Citroen top de linha apenas o keyless e o rebatimento automático dos retrovisores, além da imperdoável falha da Peugeot de obrigar o dono de um 208 com esse nível de equipamentos a entregar a chave para o frentista abrir o tanque de combustível. Como se vê é um senhor pacote de equipamentos. Bem menos equipado que isso e com acabamento interior muito inferior, o Up! top de linha passa dos 60 mil reais.

        • Vou ter que discordar!
          Aqui em casa temos justamente um 208 1.5 Allure e um Up Cross TSI do modelo novo.
          O Up tem acabamento mais simples, mas melhor encaixado e sim melhor acabado, porém não tão bonito aos olhos.

          Mecanicamente o Up também é todo melhor que o 208. Resumindo, a preferência aqui em casa é unanime pelo Up.

          • O acabamento do Up! é bem feito, sua fabricação diferenciada nos detalhes (acho o máximo o fechamento de porta suave do modelo), mas tem visual simplório ao extremo. O encosto unificado ao banco, as partes metálicas aparentes nas portas (juro que me remetem ao meu primeiro carro – um Fusca), a saída de ar central (ou a falta dela), o design reto e simples do painel e do cluster… tudo remete a um produto extremamente simples, de entrada mesmo. Aí junta-se o espaço interno e de porta-malas… me sinto bem melhor acolhido dentro do Peugeot. Mesmo no visual externo, há que se convir que o 208 tem imponência diferenciada com relação ao sub-compacto da VW.
            Ok, o Up! é bem mais divertido de guiar com os motores TSI, mas convenhamos, pelo preço do Up Cross (60 mil com pintura metálica e multimídia) você leva hoje versões intermediárias bem equipadas e com motor 1.6 do 208 (basta uma pequena negociação para sair com uma Allure 1.6 prateada por 60 mil). E o motor 1.5 já nem existe mais.
            Tudo vai da função que se espera do carro. Se for pela questão da diversão ao volante, o pequeno VW tem comportamento dinâmico diferenciado característico dos motores com turbo de baixa inércia. Eu gosto da pegada do Up!, mas se fosse para ter um só carro em casa, iria de 208. Até porque, com o motor 1.6, o francesinho tem uma dirigibilidade muito boa, também.
            Mas, como já disse em outras oportunidades por aqui, carro é igual sapato: cada pé tem o seu… rs. Abraço.

            • Que resposta sensacional! Há tempos não lia algo de tão bom senso por aqui!
              Parabéns e um abraço!

              (caso haja dúvida, não teve ironia no meu comentário)

  • As montadoras empurram goela abaixo a ideia de que 100 airbags substituem o ESP. Sistemas como ESP e controle de tração, etc, são para evitar que os acidentes aconteçam. Airbags são pra quando a vaca já está a caminho do brejo.

      • Ô louco, aí também não kkk. O freio traseiro tem pouca utilidade nos carros FWD, colega, na maioria dos casos não passa de 20% da frenagem do carro. Não sei por que implicam tanto com os tambores. Claro que se fosse tudo a disco seria melhor, mas tem coisas mais importantes que isso.

        • O freio traseiro é responsável por 30% da frenagem, podendo ser até mais em alguns carros. Existe sim uma enorme diferença entre freios a disco e tambor. Prefiro freiar e não testar os airbags rsrsrs…

              • Cara, sim. Tive um focus glx 2.0 2008 (mk I) e um Ghia 2.0 2010 (mk II), sendo q o primeiro nao tinha abs e o segundo sim, e o primeiro a tambor e o segundo disco nas 4. Aplicando a frenagem corretamente (pressoes fortes e em salvas no pedal de freio no caso do focus sem abs), os dois freavam muito parecido, e olha q sao medios… a coisa aperta, de fato, apos os 1500kg de peso…
                Ademais, se fosse algo q comprometesse a seguranca, o hrv e o sentra americanos, por exemplo, nao teriam versoes com tambor…

                • Quero ver num momento de panico se usa esse freio de forma corretamente. A empresa que trabalhei tinha strada com e sem abs. Cara, era gritante a diferença. Carro sem abs tem uma tendencia em travar que nao e no tato do pé em uma situação de risco que voce ira conseguir contornar.

      • Cara, eu não. Definitivamente. Inclusive, em um treinamento na Hyundai em SP, quando trabalhei lá, o professor de engenharia explicou um pouco a respeito, dizendo que a diferença do disco nas 4 rodas para o tambor nas traseiras não é determinante em alguns casos. De fato, para nós que conduzimos hatches, sedãs, crossovers de tração dianteira, é sempre melhor o freio a disco nas 4, mas não acho que nem de longe é mais importante que controle de estabilidade. Este texto explica um pouco: http://bestcars.uol.com.br/bc/informe-se/noticias/se-freio-a-disco-e-melhor-por-que-picapes-usam-tambor/

        • Veja um trecho deste próprio texto: “Então, por que adotar freios a disco na traseira em carros? O motivo é o tempo de resposta: como as sapatas estão afastadas do tambor por molas, há certo retardo nesse sistema até que o fluido de freio as movimente e aplique a pressão necessária. Em um hatch pequeno, essa diferença representa algo em torno de 2 m na distância total de frenagem a 80 km/h.” Parece pouco, mas 2 metros a menos em uma frenagem de 80 km/h é muita coisa. Acho que o ESP ainda é mais importante, mas o freio à disco traseiro também é um item essencial na segurança. Ainda não falamos sobre o tamanho dos discos, mas isso fica para outra conversa. Fato é que eu prefiro um carro com discos grandes e ESP do que trezentos airbags pra tentar “desfazer” a cagada de uma batida. Prefiro não bater.

          • Legal o seu ponto de “prefiro não bater”. Mas quem prefere? Shit happens, não dá pra pensar que só por ter disco nas 4 rodas é que vc não irá bater…

  • Pra quem achava que eum HB20 Premium TOP por 66830 caro…
    Esse Peugeot tem algumas coisas a mais como 6 air bags (Hb20 tem 4), teto solar, ar digital 2 zona (Hb20 é digital 1 zona), roda 17 (hyundai tem roda 15) etc, mas a diferença de 8 mil reais é muito grande… Se tivesse controle de tração e estabilidade era mais fácil justificar.

    • Olha, sem querer causar polêmica, mas em termos de nível de acabamento interno há uma boa diferença significativa entre o coreano e o Francês. E se você colocar esses equipamentos em uma conta de opcionais em qualquer modelo nacional, vai ver que os 8 mil ficam até em conta. O teto panorâmico não costuma sair por menos de 5 mil.
      Mais fácil comparar o HB20 premium com o 208 Griffe, que mantém o ótimo nível de equipamentos e acabamento desta versão Urbantech e sai fácil por 65 mil em qualquer concessionária Peugeot. É só negociar.

    • Por 65k o 208 allure at6 tem isso tudo, menos as rodas 17 e se não me engano são 4 airbags… a questão é que esse ai tem sensor crepuscular, de chuva, camera de ré e etc… Coisas que o grife também tem, então esse é mais caro só por causa da roda 17 no lugar da 16 e aumenta esses 4k? griffe 70500 (se não me engano)

    • Cara eu como dono de ex peugeot ficaria com pé atrás viu. Aqui em goiania a ccs trato o dono como dono de um carro raro que so acha peça na frança mesmo. Sofri muito com meu 408 thp e nao sei se teria outro. Hj como dono de um hb-20, vejo a diferenca gritante no atendimento e disponibilidade de peças entre os modelos. Eu acho muito mais carro ( ja pensei varias vezes em comprar um 208) mas ficaria receoso com o 208. Sobre o ar dual zone, meu 408 tinha e te digo: Uma das coisas mais inuteis que ja vi em um carro kkk, mas com certeza agrega valor.

      • Eu tive um 208 Griffe com ar bizone. E concordo com você: inutilidade ao extremo. Até mesmo por ser digital era chato ter que ajustar os dois lado com toques. Hoje tenho um Renegade com ar analógico e estou achando até mais prático o uso.

      • Vinicius, eu acho caro porque a Peugeot deveria ter usado a mesma política que usou no 3008, oferecendo um carro com MUITO conteúdo no mesmo preço dos concorrentes com menos conteúdo, deixando o carro muito competitivo. Fez isso pra ganhar mercado. Comparando o 208 com o HB20, em termos mercadológicos, o HB20 está muito mais consagrado e tem outras coisas que nao são equipamentos que tem que colocar na conta também, como uma rede de concessionárias maior, com melhor reputação (nao estou dizendo que sao melhores, pelo menos a reputação é!), 5 anos de garantia, motor mais moderno com bloco em aluminio ( 208 é ferro fundido), corrente no lugar da correia, menor custo de manutenção e por aí vai.
        Nao quero desmerecer o 208, pelo contrário, acho que ficou um carro muito bem acertado com o cambio de 6 marchas que era justamente o ponto fraco do carro. Acabamento bom, design legal, boa qualidade construtiva, etc, só falta a Peugeot acreditar mais no carro…

        • Pior que pra quem gosta de desempenho esta é a melhor opção.

          Não há nenhum outro carro no mercado que faça 0-100 na casa dos 7 segundos por menos de 100 mil. Com um chipzinho já faz nos 6.5…

          • Sim, ele anda muito bem mesmo, e é completo também, só que ainda assim é um 208 e eu vi no site dependendo da cor ele custa quase 87k, daí é demais né, se fosse uns 15 mil a menos quem sabe não venderia mais, porque dai já esbarraria no fiesta 1.0 turbo e sandero RS

            • Tudo tem seu preço: mesmo em comparação com o Sandero RS, o desempenho do 208 é sensivelmente superior. E o nível de disponibilidade de equipamentos e de acabamento interno é absurdamente superior no 208, a começar pela disponibilidade de airbags. Opinião de quem tem olhado com carinho esses dois modelos para uma possível futura compra.
              O Fiesta turbo tem outra pegada, com desempenho muito aquém dos outros dois modelos citados e proposta nem um pouco esportiva, mesmo no visual.

              • Sim! Na realidade o desempenho do 208 gt está num patamar muito acima, bem acima até dos hatches médios que tem aqui, e disse sandero RS e fiesta turbo porque são os carros de mesmo porte que se aproximam em tecnologia e desempenho, mas mesmo assim o peugeot poderia custar mais barato, agora pouco ela lançou um 208 aspirado por 75 mil, estão loucos da cabeça

                • Tenho informações de que é possível negociar bem nas concessionárias Peugeot. Já me disseram que é possível pegar um GT 17/17 por até 75 mil. Barato não é, mas até que é um preço razoável, considerando-se nosso mercado.
                  O 208 se aproxima muito em sofisticação, equipamentos e acabamento do DS3.

        • Esses “hot pockets” são carros quase que de imagem, apenas. São versões que as montadoras lançam basicamente para servir de marketing do produto. Nunca foram modelos de volume considerável de venda.
          O consumidor desse tipo de modelo tem uma visão muito específica, está procurando apenas diversão ao volante em detrimento de outras características, como espaço interno ou no porta-malas.
          É sempre muito difícil encontrar um 208 GT, ou um Sandero RS, ou um DS3 nas ruas. São modelos caros, que se encontram em uma faixa de preços onde figuram outras opções de categorias superiores. Um bom exemplo está na própria Peugeot: você entra na concessionária para ver o GT e encontra ao seu lado um 308 THP na mesma faixa de preços, com câmbio automático, acabamento diferenciado e espaço interno muito superior. Não há motivo racional para se escolher o compacto. É pura emoção.

    • Essas versões especiais são meio fora de lógica. Melhor comprar um Griffe normal, tão bem equipado quanto essa série e por quase 10 mil a menos. Pra pagar 75 mil nessa Urbantech tem que estar com muita vontade de ter volante com couro furadinho, capa cromada no retrovisor e rodas 17″ no lugar das de 16″.
      O GT tem a “desvantagem” do câmbio manual e ainda custa 10 mil a mais que a Urbantech. É um modelo bem de nicho, mesmo.

    • concordo contigo, mas veja, se esse 208 custa isso, a VW que tem não sei o quê na cabeça na hora de precificar seus carros, vai colocar o seu mega hiper lançamento do ano mais barato do que um “reles” 208?
      duvido mto o Polo TSI custar menos de 75k. Vai beirar os 80k!

    • Por 75k ainda é mais jogo que quase todos os suv compactos, concorda?

      75k com farol e lanternas led, cambio at aisin, cluster digital e motor turbo de injeção direta é uma bela de uma surra num kicks da vida, que custa qse 100 fucking mil reais.

      Sinceramente, o polo top por 75k (se a vw não capar o carro), é uma opção interessante.

    • Segundo comenta na internet o 1.0 tsi at6 vai custar menos de 70 mil… Problema quando se fala da VW é que saber o que vem no carro! Se ela estiver a fim de brigar o carro tem que vir completinho com central multimidia e tudo, mesmo que não venha com ar digital por esse preço. Uma coisa é por 75 mais ou menos deveria vir com todos opcionais até pq o golf hoje parte de 77

  • Eu acho que você está sendo otimista… o Polo 1.0 AT deve passar de 80k bem fácil, esse é o meu palpite. De qualquer forma, 75k num 208 é injustificável…

    • Do mesmo jeito que é injustificável um Up! a 60 mil, um Crossfox a 80 mil, um Onix com kit dignidade a 50 mil, um HB20 premium a 70 mil ou um Civic Touring a 130 mil: nosso mercado está surreal quando comparado ao poder aquisitivo médio da população. É isso. Não adianta ficar chorando pitanga com relação a um modelo X ou Y. Estão todos em um patamar de preço inatingível para a maior parcela da população.

      • Não sei pra ti Ubaldir, mas sinceramente não sei se na proxima aquisição eu irei embarcar em um médio. Os preços puxaram até os usados para cima!

        • Ando bem inclinado a “encurtar” meu carro, amigo. Pensando em um carrinho um pouquinho maior pra patroa pra servir para as viagens em família que faço de vez em quando (normalmente curtas) e pegar um compacto pra mim, já que tenho andado muito só no C4. Um carro do tipo do Captur cairia bem.
          Ando “curiando” o 208 GT e o Sandero RS para mim. O preço do Renault é um atrativo enorme, tenho que frisar. Mas que o GT é um produto bem mais sofisticado, não há como negar.
          Mas vai ficar para o ano que vem ou 2019. Esperar o Brasil “pegar rumo” de novo. Por enquanto, o Lounge e o 208 andam em grande forma, ambos na casa dos 50 mil km rodados.

    • também acho injustificavel…tenho um 1.2 puretech allure que paguei 51 mil (R$ 24 mil a menos, um terço do valor do carro) e tem a maioria desses equipamentos que eles citam como diferencial: teto de vidro panoramico, farois com guias de led, ar digital bi-zone, multimidia, etc…. na pratica o cliente ta pagando 24 mil por um cambio automatico, banco de couro, 2 AB a mais, frescurinhas como sensor de chuva/iluminação, capa de retrovisor cromada (sai por menos de 5 dolares na china) e motor um pouco mais potente (porem menos economico)…

  • Esse preço beira a insanidade por um carro tão comum nas ruas. Se for devido apenas a questão do visual é melhor comprar um modelo usado de 30 mil Reais e equipar. Por causa dessas firulas custa 75 mil ? Ridículo este preço, quase o valor da versão GT.

  • Bonito e bem equipado, porém com preço de golf tsi que na minha humilde opinião é mais carro que o 208.
    Se custasse uns 69 mil acho que tava ótimo em custo benefício.

    • Esse ‘lixo’ está entre os mais vendidos na Europa já tem mais de meia década, é o hatchzinho mais vendido na ARgentina nos últimos anos, mas realmente o consumidor brasileiro só está entre os mais analfabetos qdo não se trata de carro, pois em se tratando de carros é muito ‘instruído’ e ‘pouco’ conservador!!! hahhaaha

      • Vai lá então pagar 75 mil de um hatchzinho compacto, sr. brasileiro instruído.
        Aliás, se você não sabe, o nosso Gol é o carro mais vendido na Argentina. Talvez eles não sejam tão superiores aos brasileiros assim como você imagina. Que coisa, não?

  • E o carro perdeu as DLR em todas as versões e os farois com projetores na versão Griffe, nem mesmo um ESP num carro de 75 mil quando alguns concorrentes principais e futuros já tem disponível

      • Aquela faixa de LED não dá nem pra ver nem de dia, mais ou menos com as luzes ligadas à noite. O carro precisa ficar mais recheado, o Argo por 74 mil já tem ESP, Fiesta, futuro Polo, novo Fit, ou a PSA coloca mais itens ou vai começar a perder clientes, um projetor nos faróis tem na prateleira, rebatimento dos retrovisores, partida sem chave não faria mal nenhum

  • Na minha opinião vale mais a pena comprar um Sandero RS e ainda sobra dinheiro, além disso o Sandero possui barras de proteção nas portas em todas as versões.

  • Esta versão bem com barras de proteção lateral?
    No mais, por este valor, deveria vir com o 1.6 THP e ESP, mas não é de esperar algo dessa gabarito aqui, no Brasil.

      • Prefiero que NO tenga soft touch, llantas de 17 pulgadas, y que tenga ESP y discos traseros. NO entiendo como la gente en Brasil NO RECLAMA ESO. Lo unico que interesa en ese pais es la TELA MULTIMEDIA y que sea compatible con Waze ???? Que venga SIN PANTALLA, pero que tenga ESP y 6 aribags con refuerzos laterales, DESDE EL ACTIVE. Los accesorios que los cobren aparte.

      • Si. Gti y hDI, El resto de las versiones, LAMENTABLEMENTE se importan de Brasil, siendo CARAS, INSEGURAS y con plataformas DISTINTAS a las europeas. Una lastima lo que hace Porto Real. Yo soy propietario de un 208 GT, estoy conforme, pero, algunos aspectos de calidad y equipamiento, dejan mucho que desear.

  • Poderia ganhar motor 1.0 3 cilindros, e preços de Onix Joy. Última esperança para tentar salvar esse carrinho em vendas. E fazer o concorrer com Ka, Sandero, Hb20

  • A pergunta que fica é porque os antas da peugeot quando faz modificações em vez de achismos ou clínicas não pergunto a quem tem peugeot sobre o que gosta, não gosta, o que deve melhorar. Em casa são dois, um 1.2 da filhota e um griffe da patroa. O carrinho é ótimo, mas vamos lá. Da versão 2016 para a 2017 tiraram o DRL, bacana né? Quem usa estradas, e todos usam, para que serve o automático dos faróis? Nada se temos que acender no braço. Da 2017 para a 2018, incluíram o at6, maravilha, mas tiraram as borboletas. Até o meu passat erra marcha e as borboletas são uma mão na roda e rápidas para colocar a marcha certa. Querem um exemplo? Sai no plano e logo em seguida há uma subida. O carro embala, 2ª, 3ª a subida tá começando e ele engata uma 4ª. Você dá um clique é voilá. Isso acontece até no meu ótimo dsg. Mas tirando as borboletas você tem duas opções, ou acelera mais para ele entender que precisa reduzir ou vai na alavanca, passa para manual e desce a marcha, e depois tem que voltar a alavanca para D. Se não fizer isso o carro perde velocidade, entenda-se embalo, e só ai reduz. Tudo errado, é downgrade. Economias porcas. A nova central multimídia, bacana, mais recursos, mas tirou a entrada usb do console e deixou direto na central. Do jeito que roubam celulares, você não vai mais poder levar um velhinho para “dar” para os ladrões. O fio branco estará lá indicando o celular lá embaixo. Ao invés disso deveriam manter essa nova na central e manter a outro no console. Se quiser ouvir músicas do seu pendrive terá que desligar o telefone, e vice-versa. Ainda tratando da central, o bacana das versões anteriores era que estava perfeitamente integrada ao painel, mas na nova versão quiseram dar mais destaque e fizeram uma gambiarra, para ela ficar mais alto. Some isso ao fio brando do usb. Quando a peugeot lançou o 208/2008 estavam um passo à frente dos concorrentes, só não souberam vender, agora estão um passo atrás e ainda não aprenderam a vender. Por fim, a peugeot não ouvindo quem tem seus carros só mostra que a engenharia é o único departamento que funciona na empresa, além é claro do desrespeito. Quem melhor do que o usuário do carro para dizer o que falta, o que melhor? Bom, fora a engenharia só tem antas na peugeot.

    • Esqueci do ESP…. exclusividade do GT. Mas o mercado é mais sábio que o peugeot. Sabem que o carrinho é bom, mas não pagam o que a fábrica pede. Já compramos o zero com deságio que paga a depreciação. E não é uma roda mais bonita que fará o carro vender mais. Até porque o perfil é muito baixo, o carro fica bonito e duro. A de aro 16 perfil 55 a pressão é de 29lbs, deixamos em 28.

  • Gosto muito dos carros da Peugeot. Tive 3 seguidos. Mas não dá. Perde-se muito na venda, sem liquidez nenhuma. Um Fit custa menos zero e vale muito mais usado. Não que eu veja carro como investimento, mas não dá pra perder dinheiro. A cabeça do brasileiro não bate mesmo com a Peugeot, infelizmente.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email