Europa Hatches Lançamentos Peugeot

Peugeot “exporta” flexibilidade com 308 BioFlex na Europa

peugeot-exporta-flexibilidade-com-308-bioflex-na-europa Peugeot "exporta" flexibilidade com 308 BioFlex na Europa

A Peugeot “exporta” a tecnologia flexível que adquiriu certamente no Brasil para a Europa.

Agora, o conceito de utilização de dois combustíveis independentemente ou em conjunto, está presente no Peugeot 308 BioFlex.

O modelo europeu, voltado também para a redução de consumo de combustível, possui o motor 1.6 16V adaptado para usar etanol E85 ou gasolina sem chumbo, em qualquer proporção.

A redução do consumo se dá apenas pela utilização de pneus de baixa resistência à rolagem, que no caso são os Michelin Energy Saver. O redução é muito pequena, ainda que exista.

O nível de emissões é de 159g/km de CO2, mas com etanol, o nível cai em 70%. O modelo é vendido nas versões Premium e Premium Pack, por 20.600 e 21.900 euros, respectivamente.

Fonte: Peugeot.

  • Ciro

    O 1.6 foi pra lá mas o 308 não vem pra cá.

  • Raul

    Quero esse 308 aqui no Brasil!

    Somos muito ridicularizados por nossas montadoras que apenas pensam em lucros.
    Cade a tecnologia? Cade modelos economicos? Cade os carros esportivos “verdadeiros”?

    Abs, Raul

    • Luquinha

      A tecnologia que trazem é o carro que o país não tem.
      O Brasil não fabrica um carro próprio e por isso vem qualquer coisa que serve pra competir com as outras quaisquer de outras montadoras.
      Se tiver alguma vantagem daqui é levado pra lá, oras.

  • kelson

    “O modelo é vendido nas versões Premium e Premium Pack, por 20.600 e 21.900 euros, respectivamente.”

    Digamos que fosse importado e desconsiderando todos os impostos e custos de transporte e ainda do lucro das concessionárias, chegaria mais caro que o Hyundai i30. Ou seja, quandos e acresvetnar tudo aí de cima sairia a preço de Civic e Corolla top de linha. Ou seja, inviável. :water:

  • Osprey

    Aí quando vem pro Brasil por 80 mil e o seguro custando 7 mil reais todo mundo reclamam, falam q o carro é uma porcaria, etc…

  • duhs2dany

    Tem algumas coisas q vao… mas nao voltam!

    Q merda.

  • ooi

    a linha de produtos da Peugeot ta ficando defasada!

    o 207 (pelo menos na minha cidade) não deslanchou tanto quanto vendia o 206

    E o 307 já tá idoso e poucos andam comprando!

    uma hora ou outra a Peugeot vai ter que atualizar a linha.. a menos que queira virar CHEVROLET!

  • fernando

    A PSA ainda não tem no Brasil a infra-estrutura que eles tem na Argentina. Lá eles tem mais anos de tradição e aceitação do mercado.

    Quando eles lançam um modelo na Argentina, primeiro eles importam da França por um tempo (com taxas bem mais acessíveis que as nossas, convenhamos), depois nacionalizam, mandam unidades pro Brasil, e dependendo do número de vendas aqui, chegam até fabricar em Porto Real (C3, Xsara Picasso, 206).

    Como a situação político-econômica na Argentina não é das melhores, optaram em manter os mesmos carros, tanto é que o 207 só lançaram as versões exclusivas (+caras) e o 207pirata (206,5). O 308 deve ser lançado, visto a chegada no Novo Ford Focus por lá e o Fiat Bravo que está pra chegar (a Fiat ta malhando mto pra poder adaptar esse carro pra andar na América do Sul e nacionalizar as suas peças que foi algo não feito direito nos Brava/Marea/Stilo); é só o clima na Argentina dar uma apaziguada (se der, pq de populistas e esquerdistas burros a América Latina está cheia e sabemos mto bem quem são).

    Enquanto isso, a Citroën passa a se tornar uma marca de seguimento/aparência premium, sendo a queridinha da classe média, embora seu custo de produção seja o mesmo da Peugeot. E esta para se firmar no mercado brasileiro lança as defasadas variantes sedan, SW e pick-up do 206,5, para que haja melhor disponibilidade de peças e variedade de modelos; nada muito diferente do que a VW fez com Gol/Golf/Santana, nem da GMB com Corsa/Astra/Monzatechs, nem da Fiat com Uno/Palio/Marea/Stilo, nem da Ford com o Fiesta.

    Enquanto o consumidor continuar a comprar carros “novos-velhos”, fazer financiamentos pro resto da vida, e alimentar toda essa bandalheira automobilisticas, esse mercado continuará nessa.

    A dupla Hyundai-Kia e a Subaru (antes que me chamem de eunuco defensor mala-sem-alça do Azera) estão oferecendo ótimas opções de pagamento para seus carros, mesmo com os 35% de importação, com garantias acima do comum e pouca manutenção. Essas montadoras são as que o Brasil tem que passar a comprar, gerando concorrência a ponto de retirar as abrasileiras do estado “acomodado” no qual se encontram e forçar ao governo a reduzir impostos para que não haja desemprego. No início de 90, parte disso aconteceu, houve desemprego, preferência pelos importados e as montadoras tiveram que se adequar a novas normas de segurança, anti-poluição, etc…; a parte triste foi terem virado as costas para a Gurgel – se houvesse legislação favorecendo uma empresa 100% brasileira como ela, esta poderia ter feito um projeto ambicioso de joint-venture a exemplo da VW com as FAW, SAIC e Shanghai.

    Eu tenho um Ford Focus 1.8glx desde 2002 e vou ficar com ele ainda por muito tempo. Não só pelo fato d’eu gostar mto do meu carro :heart:, mas pq não concordo em pagar o preço de um Camry (vendido nos EUA) em um Corolla brasileiro. Se eu chegar a trocar de carro, ou será um desses importados vantajosos ou um semi-novo mais acessível. O bom dessa crise é que o mercado de usados/semi-novos está aquecido e o mercado de 0km está começando a oferecer bons descontos (vide Nissan Sentra por menos de 50k)

  • Rodrigo M Souza

    Tenho um Peugeot 307 HB Pack, acredito ser o melhor custo benefício no modelo hatch 4 portas médio atualmente, tem tecnologia, tem um excelente design, um excelente motor!!! Que venha o 308, pois comprarei assim que sair. Golf, Stilo, Vectra gt ou gtx, esses sim, deveriam sumir !!!

Send this to a friend