Cupês Esportivos Peugeot

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Um dos modelos mais belos já feitos pela Peugeot foi o Peugeot RCZ, que nasceu em 2009 como uma espécie de versão mais estilosa do Peugeot 308 CC.

Ela foi feito pela marca francesa para brigar com concorrentes mais famosos como Audi TT e BMW Z4.


Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Ele tinha um motor mais potente e também um visual mais agressivo que o Peugeot 308 CC, que tinha sido apresentado na Europa um ano antes, em 2008.

Vamos ver agora todos os detalhes do Peugeot RCZ, além de entrar em detalhes da história do modelo por aqui, bem como comentar um pouco sobre o 308 conversível, confira:


Peugeot RCZ Concept 2007

Antes da Peugeot apresentar o 308 conversível em 2009, ela se antecipou e mostrou uma versão mais radical do modelo que era chamada de Peugeot RCZ.

O Peugeot RCZ Concept foi apresentado no Salão do Automóvel de Frankfurt em 2007 como uma versão de teto fixo do 308 CC, e é claro com um visual muito mais agressivo que o modelo derivado do hatchback.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

O Peugeot RCZ estava praticamente pronto para ser lançado e já contava basicamente com todas as linhas finais de produção – o que é um pouco difícil quando se fala de carros conceito.

Dois anos depois o modelo foi apresentado oficialmente no mesmo Salão do Automóvel em Frankfurt, na Alemanha.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Peugeot RCZ 2009 – 2013

Embora convivesse com o 308 de teto aberto, o Peugeot RCZ tinha brilho próprio além de inaugurar uma nova nomenclatura que só havia sido usada pouquíssimas vezes na história da marca.

Normalmente a Peugeot costuma batizar seus produtos com numerais com um zero no meio, como 108, 208 e 308.

Mas com o Peugeot RCZ era diferente, e ele precisava se desvincular ao máximo do tradicional 308 e seu irmão conversível 308.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Para isso o Peugeot RCZ apostava num corpo totalmente novo, com um novo teto fixo que tinha duas bolhas no teto de vidro – acomodando os dois passageiros dentro do modelo – e garantindo um visual único e esportivo.

O arco das janelas do Peugeot RCZ tinha um desenho diferente do modelo tradicional, além de um novo desenho para as portas e a pequena janela da coluna C que basicamente estava ali para enfeita, uma vez que o Peugeot RCZ era apenas homologado para duas pessoas.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

O perfil geral do Peugeot RCZ era muito semelhante a outros modelos esportivos como o Audi TT – sendo que muitos da indústria automotiva chamavam ele de “TT da Peugeot.”

A dianteira do Peugeot RCZ ganhava um visual levemente inspirado do 308 CC, onde a maior diferença ficava por conta das enormes caixas de roda que eram muito mais encorpadas do que do modelo conversível e também pelo fato de ser visivelmente menor que o modelo do qual ele deriva.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

A traseira também era exclusiva do Peugeot RCZ, contando com um desenho totalmente novo e mais agressivo, bem como novas lanternas traseiras que estavam maiores e em posição mais elevada do que no 308 CC.

As linhas gerais do para choque traseiro eram também novas, com uma atenção extra aos detalhes como os dois vincos que davam mais volume no para choque.

O extrator de ar traseiro do Peugeot RCZ também era novo assim como a dupla saída de escape, coisa que o modelo tradicional não tinha.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

No interior o Peugeot RCZ tinha alguns pontos diferentes do modelo tradicional, embora o interior ainda lembrasse muito outros modelos Peugeot.

O mais notável era o relógio no lugar da saída central de ar condicionado, acima do sistema de som.

Outro ponto era que o volante do Peugeot RCZ vinha com uma base reta, reforçando ainda mais o espírito esportivo do modelo, bem como novos bancos e costura vermelha, que indicava que o modelo era especial.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

No quesito motorização, o Peugeot RCZ europeu vinha com 3 opções de motores turbo a gasolina e dois a diesel, sendo que os movidos a gasolina eram o 1.6 litro turbo com potências que poderiam variar entre 156 cavalos a 270 cavalos e 33,65 kgfm de torque bruto.

Já para os motores a diesel o Peugeot RCZ tinha o 2.0 litros com potência de 163 cavalos e 34,64 kgfm de torque. Ambas as motorizações poderiam contar com um câmbio manual de 6 velocidades ou automático de 6 velocidades.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Mesmo sendo um carro pequeno, o Peugeot RCZ tinha boas medidas, como 4,28 metros de comprimento, 1,84 metro de largura, 1,36 metro de altura e entre eixos de 2,62 metros, o que fazia dele um modelo bem confortável para seus dois ocupantes.

O Peugeot RCZ seguiu assim até meados de 2013 quando recebeu um facelift que deixou o modelo com uma aparência ainda mais exclusiva em relação ao 308 cabriolet e ao próprio 308.

Peugeot RCZ 2013 – 2015

Um facelift apresentado em 2013, mexeu drasticamente na dianteira do Peugeot RCZ, afastando-o ainda mais do 308 cabrio e da versão hatchback.

Agora o modelo tinha na dianteira novos faróis com máscara negra, uma grade menor em formato de trapézio invertido com cantos mais arredondados e com um filete com o nome Peugeot.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Abaixo, estava uma nova entrada de ar com desenho mais agressivo que vagamente lembrava um sorriso meio sinistro e mais abaixo o porta placas.

O perfil geral do Peugeot RCZ não mudava, e nas laterais o modelo ganhava novas rodas de liga leve com desenho mais agressivo.

Na traseira a maior mudança no Peugeot RCZ era a presença de um novo aerofólio na versão R.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Por falar na versão R, o Peugeot RCZ R ganhava novas rodas de liga leve de 19 polegadas com desenho mais nervoso que o Peugeot RCZ comum, além de utilizar a versão mais potente do motor 1.6 turbo, que gerava bons 270 cavalos de potência e 33,65 kgfm de torque.

Com esses números o Peugeot RCZ R ia de 0a100 em 5,9 segundos e atingia a velocidade máxima de 250 km/h limitado eletronicamente.

Além da versão R, o Peugeot RCZ ganhou outras versões que acabaram por ser apenas conceitos.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Uma delas foi o Peugeot RCZ Hybrid4, que foi anunciado juntamente com a primeira leva do modelo antes do facelift.

Este RCZ híbrido utilizava um motor 2.0 litros HDi de 163 cavalos associado a um motor elétrico de 27 kW que gerava cerca de 37 cavalos, gerando uma boa cavalaria total. Tudo associado a um câmbio automático de 6 velocidades.

Mesmo sendo um carro com uma proposta promissora, o Peugeot RCZ híbrido não decolou por falta de interesse do mercado e por parte da marca, que preferia que o Peugeot RCZ continuasse sendo um esportivo “raiz”, consumindo apenas combustíveis fósseis.

Fora este conceito, o Peugeot RCZ ganhou outras versões com pacotes específicos para cada mercado onde era vendido.

O Peugeot RCZ saiu de linha em 18 de setembro de 2015, quando a nova geração do Peugeot 308 já tinha sido apresentada cerca de 2 anos antes.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Atualmente a marca não possui nenhum modelo semelhante no catálogo, deixando o papel de esportivo apenas para o 308 GTi, que utiliza a carroceria de quatro portas do novo 308, tem pintura bicolor e motor de até 270 cavalos.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Peugeot RCZ no Brasil

Por aqui tivemos em 2012 a estreia do 308 de sobrenome CC, que vinha para substituir o 307 CC e ser o carro de imagem da marca no país.

Na época em que foi lançado o modelo tinha como concorrentes como o Mini Cooper Cabrio e levava vantagem por ter peças compartilhadas com o 308 que vinha da Argentina e de usar o mesmo motor 1.6 litro turbo de 165 cavalos que começava a se popularizar pela marca.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

O modelo chegou a receber também o mesmo facelift aplicado no modelo europeu, mas o 308 CC acabou por encalhar em vendas por ter preço muito elevado e baixa procura por esta variante do modelo no país.

O jogo tinha virado quando o novo Peugeot RCZ foi apresentado por aqui, e que acabava de ganhar o apelido de TT da Peugeot.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

O visual mais agressivo que o Peugeot RCZ tinha agradava muito mais, e fazia com que os consumidores voltassem seus olhos novamente para a marca.

Já em 2013 o Peugeot RCZ ganhava a mesma atualização de estilo do modelo europeu e vinha em versão única por cerca de 132.990 reais com motor 1.6 turbo de 165 cavalos – diferentemente da versão europeia que poderia chegar até 270 cavalos.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

O Peugeot RCZ teve na ocasião vendas mais baixas ainda devido ao seu preço alto, motor não tão potente quanto poderia ser, e agora por ter peças importadas e mais caras por conta da variação cambial constante.

Por este e outros motivos a marca resolveu tirar o Peugeot RCZ de linha no país e até mesmo na Europa onde o modelo também já andava mal em vendas.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Na Europa a solução foi se aproveitar da nova geração do 308 e criar uma nova versão esportiva batizada de GTi com 270 cavalos de potência.

Como por aqui temos a jurássica primeira geração ainda em produção, trazer a nova geração do 308 e ainda por cima a versão mais esportiva tornaria o preço praticado por aqui inviável.

Procura por um Peugeot RCZ usado no Brasil?

Bem, por aqui o modelo tem preços que começam em 93 mil reais por um modelo 2014 com pouco mais de 50 mil km rodados. Ainda é um carro caro.

Peugeot 208 GT

A solução doméstica foi criar uma versão mais nervosa do Peugeot 208 e apelida-la de 208 GT.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Diferentemente do 208 GTi, que usa carroceria duas portas e pintura bicolor, o nosso usa carroceria de 4 portas e pintura tradicional.

Alguns detalhes novos deixam o modelo com aspecto mais esportivo como a nova grade dianteira e as novas rodas de liga leve com desenho mais esportivo, entregam que ali habita um coração esportivo.

No quesito motor, o 208 GT utiliza a mesma motorização do SUV 2008, o 1.6 litro THP flex com 173 cavalos de potência e 24,5 kgfm de torque máximo disponível a 1.400 rpm.

O cambio escolhido para casar com esse motor é o manual de 6 velocidades.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Por hora a marca tem não tem nenhum esportivo no seu catalogo nacional, se limitando apenas aos modelos 208, 308, 408 e os SUVs 2008, 3008 e 5008 e a linha de vans com o Peugeot Expert e o Partner.

Mas tanto o Peugeot RCZ quanto o 208 GT podem facilmente ser encontrados no mercado de usados.

O Peugeot 208 GT pode ser encontrado por valores que começam em cerca de 55 mil reais por um modelo 2016 com um pouco mais de 30 mil km rodados e podem chegar até cerca de 74 mil reais por uma unidade mais nova, 2017 com pouco mais de 5 mil km rodados.

Peugeot 308 CC 2009 – 2015

Além de falar do belíssimo Peugeot RCZ, devemos nos lembrar do modelo que deu origem a ele e conviveu com ele durante alguns anos.

O modelo em questão é o Peugeot 308 conversível, que é a segunda geração do 307 CC.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Diferente do 308 tradicional, o 308 aberto tinha um visual levemente mais esportivos graças as suas duas portas e teto retrátil, que davam charme ao carro.

A aparência externa do 308 CC era levemente diferente do 308 tradicional, com um novo desenho do para choque dianteiro que deixava o visual mais agressivo em relação ao modelo de quatro portas.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

A traseira exibia um layout diferente com novas lanternas que eram mais compridas que as utilizadas pelo hatch, além de um novo desenho mais esportivo no para choque traseiro, que agora contava com dois extratores de ar para reforçar ainda mais a áurea esportiva e agressiva do modelo em relação ao modelo familiar.

Já no painel o modelo usava a mesma identidade visual do 308, reduzindo assim os custos de produção do modelo.

Note que o interior do Peugeot 308 CC é bem parecido com o interior do Peugeot RCZ.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

Assim como o 308 normal, o 308 CC ganhou um discreto facelift em 2012, o que fez com que o modelo perdesse um pouco da agressividade e da personalidade própria.

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)

A dianteira ganhou a mesma identidade visual do irmão hatch e perua, incluindo as pequenas melhorias feitas dentro no painel.

Uma versão mais agressiva e mais autêntica foi apresentada em 2009, junto com o 308 CC, que atendia pelo nome de Peugeot RCZ e cujo desenho era mais invocado que o 308.

Ficha Técnica

Peugeot RCZ

Motor: Dianteiro, transversal, de quatro cilindros em linha, 1.598cm³ de cilindrada, 16 válvulas, a gasolina, com potência máxima de 165cv a 6.250rpm e torque de 24,5kgfm a 1.400rpm

Transmissão: Tração dianteira, câmbio automático sequencial de seis marchas

Suspensão/Rodas/Pneus:  Dianteira, independente, McPherson e barra estabilizadora; traseira, independente, com travessa deformável; 8 x 18 polegadas em liga leve; 235/45 R18

Direção: Tipo pinhão e cremalheira, com assistência eletro-hidráulica variável

Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira

Capacidades: Peso, 1.297kg; tanque, 55 litros; de carga (passageiros e bagagem), 440kg

Peugeot RCZ: detalhes, motor e equipamentos (do cupê esportivo)
Nota média 5 de 4 votos

Avatar

Kleber Silva

  • leomix leo

    Esse carro ainda é muito lindo até os dias de hoje.

    • Louis

      Olhando ao vivo, tem porte de superesportivo, principalmente olhando de trás.

    • André Luis Versiani

      Tem um aqui em Natal perto do meu trabalho, que carro fantástico meu amigo, Peugeot tá de parabéns por esta obra de arte sobre rodas!

  • fschulz84

    Eu ainda torço o pescoço quando vejo um RCZ passando… Tem um no estacionamento do meu trabalho, branco, deste modelo pós-facelift… Acho muito lindo ainda…

    • Marcus Vinicius

      O pescoço só não fica muito dolorido por falta de mais potência !

  • Domenico Monteleone

    Imagino a dificuldade de revender um carro desses, ou você entrega em loja por metade da Fipe, ou passa um ano tentando um particular e vende ainda abaixo de tabela.

    • Se uma particular conseguir comprar por metade do preço. Sucesso. Mas os lojistas que tem essa sorte rsrsrs

    • Josh Rios

      Muito pelo contrário, o alto valor que o carro ainda mantém demonstra isso, um amigo chegou a vender um em 2 meses pedindo acima da fipe.

      • Tripé

        Esse carro tem mecânica compartilhada com praticamente todos os modelos peugeot citroen, num corpo de carro esportivo. Não acho cômico sua revenda ser relativamente fácil por esse motivo.

  • Charlis

    Eu mesmo defendo aqui que desempenho não é tudo para definir um carro como esportivo, tal como, eu defendo que o Sandero RS é um dos carros mais esportivos vendido no Brasil.

    A questão é, esse carro teve um preço absurdamente alto, um visual ABSURDAMENTE lindo, porém, OBRIGADO um desempenho violento, pois esse carro consegue ser mais esportivo visualmente do que um Audi TT.
    Então, neste caso, dado o preço e o visual, esse carro merecia um desempenho melhor no meu ponto de vista.
    Pouca coisa, e até simples no meu entendimento, talvez apenas um câmbio manual como opcional aqui, já deixaria ele mais forte (como é o DS3).

    []s

    • Gabriel

      Na minha opinião,esse carro merecia um motor no minimo 2.0 turbo (300cv) na versão mansa de entrada e um 5 ou 6 cilindros, 2.5 ou 3.0 turbo na faixa dos 400cv para a versão R. (com tração integral ou traseira)
      Por que aparência estrutura e preço para isso ele tem

  • Annita Fingenberg

    Esse carro é muito bonito, sendo confundido por leigos até com o caríssimo Audi R8.

  • Marcus Vinicius

    O que faltou ao RCZ foi potência para fazer frente aos Z4 e TT só tinha 165 CV de potência!

  • FREDRED

    No mercado de usados o 208 Gt por 55 mil anúnciado, mas na negociação deve chegar facilmente entre 50 e 53 mil, é a melhor opção para quem quer ter um carro divertido e manutenção e demais custos dentro na normalidade, detalhe, um carro de 2013 ainda continua muito bonito e com design atual, e com todos os itens de segurança que os hater’s da psa reclamam.

  • Lelolol

    Acho o carro lindão, mas a peugeot deu mole no volante, acho grande demais. Acho lindo o volante do civic g8

  • HENRY ME

    Um belo Psa .

  • Charlis

    Parabens, sem duvidas vc tem um dos carros mais legais e lindos!
    Uma pena ele nao ter um pouquinho a mais de potência.
    Acredito que um cambio manual do DS3 já ajudaria bastante nisso.
    Anyway, se te atende, é o que importa!

  • Bruno_Mgá

    Peguei um RCZ 2012/2013 Branco em negócio há dois anos. Gostei muito do carro, era impressionante e até cômico o quanto aquele peugeot chamava atenção. No sinaleiro todo mundo ficava olhando e alguns até tirando fotos. Uma vez parei no posto para abastecer e a menina do caixa veio olhar o carro e me perguntou se ´´Esse carro é mais caro que o Camaro?“.
    Infelizmente fiquei pouco com o carro, nem cheguei a anunciar e um rapaz sismou de comprar ele e de fato levou.

    • Enzoando

      oq respondeu a mulher do caixa ??

      • Bruno_Mgá

        Respondi que não, custava menos.

        • Enzoando

          oh

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email