Peugeot supera Renault na França pela primeira vez em 60 anos

Peugeot supera Renault na França pela primeira vez em 60 anos

Ainda que a Peugeot seja muito mais antiga que a Renault, o caso atual é que desde o final dos anos 50, as vendas de automóveis na França começaram a ser registradas pelo anuário da revista L´Argus e a marca do leão jamais conseguira superar a rival do losango.

Em 2021, contudo, a Peugeot conseguiu lograr uma vitória considerada histórica sobre a Renault, emplacando na França um total de 285.933 unidades contra 268.955 veículos da rival.

O Peugeot 208 foi o carro mais vendido, com 88.037 exemplares no mercado francês, superando o Clio,  com 85.370. A Renault também perdeu em SUVs compactos com o 2008 emplacando 75.476 contra 52.605 de seu Captur.

Peugeot supera Renault na França pela primeira vez em 60 anos

Nos médios, o Peugeot 3008 deu de lavada no Renault Kadjar, sendo 50.467 contra 11.321 do concorrente. Todavia, o Peugeot 308 perdeu para o Renault Megane com 21.515 contra 27.963, respectivamente.

Segundo a publicação francesa, a maior vitória da Renault sobre a Peugeot – historicamente muito mais antiga – foi em 1981, quando o R5 fez com que as vendas do losango fossem de 712.677 unidades contra 256.287 do leão.

Nos anos posteriores, a Peugeot seguiu de longe a Renault em sua própria casa, mas conseguiu reduzir a distância com o 205.

A partir dos anos 2000, com o 206, a Peugeot foi se aproximando, mas as diferenças nas vendas ainda eram gritantes e exigiam pelo menos um carro muito popular para virar o jogo.

Peugeot supera Renault na França pela primeira vez em 60 anos

Em 2001, a Renault emplacou 599.857 contra 466.554 da Peugeot. Dez anos depois, a coisa até piorou para a segunda, que viu a primeira colocar 639.508 veículos na França contra 498.401 da eterna concorrente doméstica.

Já em 2020, foram 17.000 carros a mais para a Renault e no ano seguinte, a vitória da Peugeot. Mas, o que teria mudado na visão dos franceses?

Aparentemente, em termos de produto, nada. O que fez a Renault perder a flor-de-lis foi o fim dos descontos maiores e também a briga por volume, mudanças feitas por Luca de Meo ao assumir a marca.

Além disso, a Renault teve problemas em 2021 com prazos mais longos para entrega dos veículos, bem como lançamentos atrasados, o que fez a Peugeot lograr os louros da vitória.

Por aqui, a coisa não mudou, com a Renault sendo marca de volume e a Peugeot somente agora reagindo sob o guarda-chuva da Stellantis.

[Fonte: L´Argus]

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.