Por menos de R$ 50.000? Apenas Fiat Mobi e Renault Kwid

Por menos de R$ 50.000? Apenas Fiat Mobi e Renault Kwid

Os preços dispararam, mas os salários não. Com a crise instalada antes da pandemia, o Brasil desceu ladeira abaixo com a Covid-19. Se antes já era muito caro um carro novo, agora ficou ainda mais, com aumentos mensais (e ninguém fala de inflação…) no mercado nacional.


Há um ano, a oferta de carros abaixo de R$ 50.000, por exemplo, era pequena, mas ainda possível a escolha entre alguns modelos disponíveis, mas hoje só existem duas opções em carros novos.

Uma é o Fiat Mobi, a outra é o Renault Kwid. Os dois subcompactos das marcas italiana e francesa (únicos de sua categoria no mercado), respectivamente, custam abaixo desse nível de preço, mas mesmo assim, não dão margem para manobra.

No caso do Mobi, que atualmente lidera as parciais de abril, custa R$ 42.990 na versão Easy que, sinceramente, é um carro de frota. Sem opcionais, basta colocar um rack com escada e sair para o trabalho.

Não há direção hidráulica ou muito menos ar-condicionado. Vidros e travas elétricas? Por favor, né? O Mobi Easy é 100% dedicado ao trabalho. O lado bom (?) é que você pode escolher a cor que quiser sem queimar o orçamento, já que a pintura metálica custa R$ 1.550.

Por menos de R$ 50.000? Apenas Fiat Mobi e Renault Kwid

Acima da Easy, o Mobi tem a Like, que é menos pelada, porém, custa R$ 50.590. Se o interessado se esforçar (ou o vendedor der um desconto), dá para levar para casa.

Contudo, sem multimídia e outros itens pequenos, mas importantes, como abertura do tanque por dentro e regulagem de volante e cintos dianteiros.

Se a proposta da Fiat parece um insulto, então o caminho a seguir é a Renault. Lá, o Kwid Life – outro carro de frota, mas também sem rack e escada – sai por módicos R$ 42.690. Esqueça-o! Há um Kwid Zen te esperando…

Essa versão intermediária do subcompacto custa R$ 49.690 e só na cor branca, porque qualquer outra custa R$ 1.450 e isso já ferrou com o orçamento de R$ 50.000. Simpático, esse Kwid tem rádio 2din com USB e até Bluetooth!

Ele vem ainda com importante ar-condicionado e direção elétrica, além de vidros dianteiros e travas elétricos. No Kwid Zen, além dos airbags frontais, ainda existem os laterais. Com esse pacote, ele surge como a opção mais “vantajosa” até R$ 50.000.

Bom, isso por ora, visto que os preços continuam em ascensão e logo, apenas Easy e Life atenderão (aos frotistas) abaixo desse preço. Mas, há uma saída?

Para um comprar um carro novo não, agora o melhor mesmo é buscar um seminovo ou usado com o valor mencionado. Aliás, tem que procurar muito, porque os carros de segunda mão também estão aumentando de preço.

Afinal, os carros novos não sofrem apenas com a subida de preços, mas também pela falta de unidades nas lojas, devido à suspensão de produção de muitas fábricas por falta de peças ou pela pandemia.

 

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.