Etc

Por que o brasileiro não entende as categorias de veículos e suas utilizações?

new-fit-dx-oficial-1 Por que o brasileiro não entende as categorias de veículos e suas utilizações?

B-car, C-car, D-car… Porque no Brasil isso não é levado a sério? Porque brasileiro comum não entende que existem categorias de veículos e que eles são projetados visando atender esse tipo de utilização? Culpa das montadoras? Culpa dos consumidores? Não…



Acho mesmo que a culpa é da imprensa, que auto intitula-se especializada, (revistas, sites de portais, etc) que teimam em fazer comparativos ridículos como Ecosport x Crossfox, ou Honda Fit x Fiat Idea x Chevrolet Meriva, entre outros que não tomarei como exemplo.

Esse tipo de comparativo leva o consumidor a pensar que o Ecosport é meramente um Fiesta com suspensão aumentada para parecer um SUV, como é o Crossfox. Na verdade não é, e não falo isso porque tenho conhecimento, mas sim porque ele um produto baseado no Fiesta, mas de concepção e construção diferentes para atender aos anseios dos consumidores que desejavam um carro com aparência mais robusta como um SUV mas com a praticidade e dimensões externas de um B-car, o que é muito diferente da simplicidade oferecida pelas modificações estéticas em um modelo já existente no catalogo, adornando-o com molas maiores, estepe preso à tampa do porta-malas e para-choques mais agressivos.

Para não parecer tendencioso, já que meu nickname supõe que gosto dos carros da marca do oval azul, criei um questionário de perguntas para mim mesmo sobre outro case que julgo bastante interessante: Honda Fit.

• O Honda Fit é um monovolume assim como a Fiat Idea e Chevrolet Meriva? Sim.
• Isso faz deles carros com conceitos parecidos? Não!!!!

O Honda Fit é um carro hatchback, projetado para servir ao mesmo tipo de pessoa que compraria um carro plataforma B qualquer, como um Volkswagen Polo. A grande sacada é fornecer espaço interno interessante com o mesmo tamanho externo habitual na categoria.

Entretanto mas ele não tem a altura da minivan que busca seus filhos na escola, o que acaba de vez com suas semelhanças, o que deveria extinguir por completo qualquer chance de matéria comparativa entre os carros.

Isso abre espaço para mais uma situação interessante de ser analisada pela pesquisa que teve a mim como único participante:

• O Honda Fit é um carro caro pelo tamanho que possui? Sim
• É certo delimitar o preço de um veículo pelo tamanho que ele possui? Não
• A Honda tem todo o direito de vender o Honda Fit por preços mais caros do que seus reais concorrentes? Sim

Se você acha que os concorrentes do Fit chamam-se Fiat Idea, Chevrolet Meriva e Nissan Linica, ledo engano. Acho que a Honda sabe muito bem que o Volkswagen Polo, Chevrolet Agile, Ford New Fiesta Hatch, Citroën C3, Peugeot 207, e demais que ocupam o nicho ridículo denominado no Brasil como o dos “Compactos Premium” realmente são os que devem ser atingidos.

Se eu consigo oferecer um produto pequeno por fora, grande por dentro posso pedir mais caro por isso e o consumidor pode sentir-se satisfeito por estar levando um ótimo produto para casa.

Pode parecer uma antítese ao falar sobre isso neste texto, pois começo falando que os carros no Brasil são mal interpretados pelos consumidores e agora defendo o direito da Honda vender seu pequeno B-Car ao preço de um C-Car?

Pensem bem: se eu paguei 60 mil em um B-Car porque queria algo que me proporcionasse espaço interno similar a um C-Car, sem ter que me preocupar com vagas maiores nos estacionamentos, preciso entender que ele não terá necessariamente as outras características inerentes a um C-car.

O mercado vai ser o responsável por aceitar este tipo de carro ou não, mas o perigo mora na generalização criada pela banalização dos comparativos divulgados na imprensa.
Quantos comparativos vocês viram ao longo dos anos entre Honda Fit, Citroën C3 e Volkswagen Polo? Quem venceria este embate mais facilmente?

O Conforto e estilo peculiar, quase infantil e feminino do pequeno francês, a pegada esportiva e jovial, praticamente pedante como todo jovem que melhorou de vida, do pequeno alemão, ou a praticidade cosmopolita do japonês de olhos arregalados, estranhamente simpático, como todo bom anime da terra do sol nascente?

O que seria mais fácil, vencer um comparativo contra carros com características tão distintas, apesar de pertencerem ao mesmo grupo, ou contra carros destinados desde a sua criação a terem como maiores emoções em singela vida, coisas prosaicas como o derramamento de um pote de Danoninho, ou quem sabe, algo mais perigoso como o vazamento de uma fralda descartável?

Respondam vocês mesmos e tirem as suas próprias conclusões. Uma imprensa séria vai render mais frutos para nós consumidores. Textos viciados em obter páginas de publicidade apenas renderão distorções futuras que serão refletidas em nossos bolsos.

Para isso se tornar realidade é fácil. Basta entendermos que carros são bens de consumo e como tal, não podem ser enquadrados em algo tão tosco quanto a delimitação por faixa de preço.

Seriam muito interessante termos produtos de todos os tipos nas mais variadas faixas. Que tal um Sedan C-Car básico custando o mesmo que um Hatch B-Car. Você apenas precisaria pensar no que tem em mente ao utilizar este veículo. As reportagens comparariam apenas carros similares independente do seu preço.

Nem sempre o mais caro é o melhor quando estamos analisando o propósito existencial de um veículo classe B. Neste mundo perfeito, seria totalmente compreensível a vitória do Renault Sandero sobre o Honda Fit em um comparativo. Infelizmente isso não vai ocorrer nunca, pois, no mundo brasileiro nenhuma a fábrica gostaria de ver seu modelo de 60 mil sendo vencido por um simples carro de origem romena que em versões mais em conta custa metade do preço.

Abaixo inserimos a “Parte 2” deste post, que era uma página em separado, agora está tudo junto aqui:

kia-motors-apresenta-oficialmente-o-new-cerato-no-brasil-4 Por que o brasileiro não entende as categorias de veículos e suas utilizações?

Estão cansados de ler e escutar as pessoas comparando seu Kia Cerato ou seu Fiat Linea com o seu Toyota Corolla? Você sabe que seu Ford Focus é superior do que os carros que seus amigos costumam perguntar a você se são opções viáveis? Eu também, e por isso estou tentando entender o comportamento do mercado Brasileiro, tido pelo mestre Carlos Ghosn como o mais difícil do mundo para se projetar um veículo.

Nada contra o Cerato ou Fiat Linea como produtos, deixo bem claro, mas sim contra o posicionamento da imprensa que acaba refletindo no comportamento dos proprietários e de maneira mais preocupante, no mercado. Vocês já viram a Kia tentando colocar os seus carros num patamar superior ao que eles pertencem?

Jamais. Creio que os executivos da Kia entenderam que o mercado está amadurecendo para entender que nem sempre preço significa categoria. Quando eles quiseram lançar o Kia Soul, criaram uma categoria nova para justificar o preço alto cobrado pelo estranho carro. A estratégia funcionou e o carro tem vendido bem nos mais variados mercados.

O consumidor que quer um carro como o Soul pouco se importa se o acabamento é simplório, ou se o motor é manco e que existe pelo mesmo preço carros interessantes com melhores atributos como acabamento, conforto, custos de manutenção e facilidade de revenda.

Esse modelo de posicionamento faz com que o Kia Soul seja até evitado em comparativos realizados pela imprensa internacional. Compara-lo com o que? Volkswagen New Bettle? Fiat 500? Smart Four Two? Chrysler PT cruiser? A única semelhança entre eles é o desenho marcante e o tipo de consumidor que busca algo diferenciado.

Já a indústria tradicional continua patinando ao tentar entender o comportamento do mercado brasileiro. A Fiat para mim é a melhor em compreender erroneamente os anseios dos consumidores que têm o direito de pensar em qual carro vai comprar, sem ligar muito para tamanho ou utilização, ou seja, o consumidor da Classe B+, disposto a gastar um pouco mais da sua renda com um produto que mostre ao mundo a sua personalidade.

(A faixa abaixo dos 45 mil reais usam outros critérios para fechar a compra do carro zero km, e nisso a Fiat continua imbatível com seus feirões e taxas incríveis para o temido financiamento de 1+60x de 599 reais.)

Esse consumidor é geralmente um jovem, tem ótima bagagem cultural, conhece outros países pessoalmente, ou já fez tantos planos de viagem que já entende como funcionam as outras culturas e busca reconhecimento em um mundo cada vez mais dominado pela padronização comportamental.

Alguns ainda moram com os país e por isso podem gastar mais do que sua renda supõe, o que cria ainda mais brechas para o investimento em modelos conceituais, sustentados pela capacidade cognitiva dos consumidores desse nicho, que costumam valorizar os detalhes diferenciados, estratégia até pouco tempo arriscada, reservada apenas para os modelos de alto luxo.

Porque um consumidor com este perfil compraria um sedan de uma marca que vende carros populares pelo mesmo preço praticado pelos concorrentes que oferecem mais status? Tecnologia, seria a resposta, correto?

Assim pensou, creio eu, a equipe da Fiat ao lançaro Fiat Linea dotado de itens interessantes para os mais jovens, quase sempre antenados no mundo digital e perfeitamente susceptíveis à decisões de compras movidas pela emoção.

Ledo engano amigos. O mais simples estudante de marketing sabe que o consumidor que dá valor a esse tipo de coisa tem uma ligação muito forte com a marca e seus valores. Vejam a Apple e seus i-gadgets, não duvido que em 10 anos tenhamos um i-car sendo vendidos nas Apples Stores da vida.

Ao olhar para o Fiat Linea, o jovem executivo de 32 anos que acabou de sair da casa dos pais e está em busca de algo tão interessante para se locomover quanto o seu I-Phone de último modelo, vai imaginar estar comprando algo como o celular da sua estagiária.

Aquele mesmo que você que é estagiário como eu, já pensou em comprar: capacidade para funcionar simultaneamente com 4 SIM cards, java, câmera, TV Digital, cortador de unha, massageador, estojo de ferramentas e HD portátil pelo módico preço de 200 reais e com a garantia tão confiável quanto a rentabilidade da bolsa de valores nos últimos dias.
O melhor dos atributos deste celular é parecer-se com o celular do seu chefe, no momento, seu modelo ideal de prosperidade e vitória pessoal. Muito legal para mostrar para os amigos, mas altamente risível numa roda de pessoas que costumam ver um iPhone como um acessório tão comum quanto uma escova de dente.

Ao pensar nisto, o jovem que estava folheando as páginas das sua revista semanal preferida encontra a propaganda da Hyundai. Nem preciso completar meu pensamento para faze-los imaginar a sequencia de sentimentos e desejos que irão ser despertados no jovem mancebo, que brevemente enfeitará sua garagem com mais um veículo produzido do outro lado do mundo, por um baixo custo, com mais tecnologia construtiva e mais segurança on board.

Eu falei sobre o Cerato no início do texto? Sim, ele é bonito, desde que equipado com rodas aro 17 e compete com o Fiat Linea com o Honda City e com o Ford New Fiesta Sedan. Entretanto, quando você compara friamente ele aos dois carros que cito no parágrafo anterior, sua vantagem acaba.

O Acabamento não é melhor, o motor não é melhor, o consumo não é melhor, o design não é melhor, a rede de concessionária não é melhor, seu valor de revenda não é melhor, seu espaço interno não é maior, sua segurança não é melhor.

Se ele não é o melhor em nada do que citei mais acima, porque vende tão bem? Porque a imprensa o compara em algumas oportunidades a carros mais caros, como Ford Focus, Nissan Sentra, Chevrolet Vectra, Toyota Corolla, Honda Civic, Volkswagen Jetta.

Quando o consumidor olha o preço de tabela do Cerato, acha uma pechincha levar para casa um carro com cambio automático de 6 marchas e teto solar por módicos 60 mil reais. Eu também acharia barato um carro com esses opcionais se nunca tivesse andado no carro e visto que ele tem uma dinâmica veicular tão ruim quanto qualquer carro de 35 mil reais e seu conforto em ordem de marcha, principalmente com rodas aro 17 não condizem com a sensação esperada ao se pressionar o pedal que deveria desperta a sonolenta cavalaria do motor que não gosta muito do nosso combustível.

Por Focusman

COMPARTILHAR:
  • Renato_Dantas

    Tai uma coisa que realmente não sabia, a FENABRAVE deveria divulgar no seu sítio estas categorias já que se trata de uma organização das montadoras, Focusman estás de parabéns muito bem escrito e elucidante veja só, para mim B-car era o modelo B da Mercedes, eita quanta ignorância da minha parte sô.

    • Tudo muito confuso. kkkkkkkkk.

      No meu site (clique no meu nick) eu tinha colocado os carros em categorias conforme o espaço interno. Acho mais plausivel e facil de comparar;

      • Castle_Bravo

        A matéria está ótima, mas como os americanos, também acho mais prático e fácil separar as categorias pelo tamanho do carro.

        • AF1979

          Vale lembrar que nos EUA, a distinção é muito feita com base no volume interno do carro, o que gera distorções, como um Accord sedã ser considerado carro grande, mas a versão cupê ser considerada compacta, e isso porque falamos de dois carros que usam uma mesma plataforma e ocupam praticamente o mesmo espaço na rua.

          • Castle_Bravo

            Sim, mesmo o sistema deles ainda gera alguns casos confusos, como os carros que estão "nas bordas" duma categoria ou outra, no caso específico do teu exemplo, o Accord é um médio "quase compacto", por isto acredito que o cupê seja considerado um compacto.

            Mas ainda assim, o considero o mais prático para o consumidor "não-entusiasta" entender. :)

            • AF1979

              O problema também desse sistema de classificação americano é que ele gera outras distorções. O PT Cruiser, por exemplo, era considerado perua, quando qualquer outro país do mundo o consideraria um hatch ou mesmo uma minivan (se pensarmos na altura de 1,60 m). E, convenhamos, o máximo mesmo de controvérsia que pode haver quanto ao PT Cruiser é em relação a sua altura, que é maior que a de uma Livina (1,57 m, excepcionalmente baixa para uma minivan).

              • Castle_Bravo

                Mas nos EUA, o PT Cruiser é considerado compacto… :S

      • Edson Roberto

        Se pensar assim, Logan é um sedan médio. E sinceramente é errado comparar assim.

        • Castle_Bravo

          Na Europa o Dacia Logan é compacto, como um Jetta ou Corolla, ainda que bem mais despojado, um compacto.

    • jttrainer

      achei o texto meio confuso kk

      no brasil eh assim:

      cara, brasileiro prioriza design, a prova disso eh o cobalt que mtos ja critcam e o chamam de agile sedan sem AO MENOS ter visto o carro, o carro ta anos luzes na frente do agile e a plataforma eh do corsa D, o mesmo ganhou 5 estrelas no crash test, o pessoal daki gosta mesmo eh de criticar, nao estou me referindo a vc e concord oque deveria organizar as categorias…

      atualmente os “baratos“ mais seguros sao o picanto, march e 500 e em breve o cobalt (pq vcs criticam algo q nem conhecem?)

      o problema eh q mtos julgam o carro sem ao menos conhecer ele e brasileiro prioriza design e confianca (prova? civic e corolla), o agile eh feio mas n acho essas coisas todas como alguns dizem, eh so mais 1 pra mim e sim, ele eh desatualizado em tudo..

      • alfredo_araujo

        Cara… tenho q discordar, em partes, do que vc escreveu.

        Apaixonado por carro procura o que ao comprar um ? Na minha opnião, em primeiro lugar, é beleza sim !!
        Após o carro ser "aprovado" no quesito beleza, ai sim… motorização, tecnologia embarcada, etc…

        Ai q vem o q vc escreveu… ele não pode ser apenas bonito.

        E o exemplo q vc deu… o Cobalt, se ele for feio e vier com um recheio tecnologico bom, NA MINHA OPNIÃO, na minha lista de carros desejados, ele não seria considerado.

        • jttrainer

          acho que isso varia de cd um msm, aki eh 50/50 pra beleza, se o carro for “aceitavel“ e tiver um bom recheio prefiro ele a outro mais bonito com menos coisas

          • Edson Roberto

            Bom… só discordo a uma coisa. Uma coisa é vc ter uma Corsa D com a erstrutura feita para ele com os requisitos de segurança de tal. ASsim como o Sandero é derivado de uma plataforam otima, porém simplificada, não pense que o Cobalt seja comparavel ao Corsa D, pois ele não é.

        • jpcasella

          Eu sou um apaixonado pelo carro, mas digo que você está 50% correto e 50% não, o meu modo de pensar e vou explicar o pq.
          Na ultima compra de carro, escolhi um compacto premium não tanto pela beleza mas sim pelo conforto e vida a bordo ser melhor que o dos concorrentes.
          Dentre os concorrentes que levei em consideração, um se destacava muito pela beleza, era mais belo, porém não tinha o mesmo conforto que o meu atual carro.
          Pensando por este lado, cheguei a conclusão, prefiro ter um carro não tão belo porém com um ótimo acabamento e conforto interno; Resumindo o que pensei de uma forma bem simples, estou nem aí se o carro não é tão bonito como o concorrente, vou passar mais tempo dirigindo o carro do que olhando ele, irei comprar um carro somente para que o vizinho olhe e fale, olha que carro bonito?

          • Edson Roberto

            Acredite…. conheço mta gente que abre mão de conforto e itens de serie para ter um carro piorado por ser "bonitinho".

            • fjmeskta

              Esse negocio de beleza é muito relativo cada um tem um gosto diferente, um carro que para uns é lindo para outros é ridiculo, não tem como mensurar algo assim. e nem da para dizer que isso é uma classificação.

              Classificação para mim, tem que ser baseada em numeros e fatos.
              Tais como tamanho do veiculo, a que ele se destina, faixa de preço, até potencia/torque poderia ser uma classificação pois podemos colocar no papel para comparar, comparar apenas tipo de motor tambem não da pois um carro 1.6 as vezes tem mais potencia que um 2.0 pois utilizam tecnologias diferentes.

        • Joao_Melo

          pois eu não ligo muito pra beleza. priorizo segurança, conforto, pacote de equipamentos, modernidade do projeto, etc. por último vem o quesito beleza. e antes da beleza exterior, prefiro a beleza do interior do carro.

        • rafthehay

          Acho que "apaixonado por carro" é um termo muito amplo. Há quem prefira um carro bonito pra admirá-lo no estacionamento, há quem curta carros cheios de tecnologia, verdadeiros "smartphones com rodas", quem procure um carro com a pureza de dirigir sem auxílios, com uma direção simples, direta e precisa, e quem curta carros com histórico no automobilismo, grandes histórias ou coisas assim.

          Em último caso, tem aqueles que abrem um sorriso ao ver qualquer coisa com 4 rodas, imaginando como deve ser guiar desde um carrinho de rolimã até um Rolls-Royce do embaixador passando.

          No caso, você se encaixa em um desses grupos, mas como disse, há diversos tipos de autoentusiastas :)

      • Vateau

        Se foi construído em outra plataforma não sei dizer no momento, mas é sim um ARRRRGile sedan! Até no que diz respeito a preço e dimensões.

      • Olha, concordo em parte contigo, quanto à priorização do design, isso é bem compreensível, no mundo, quem compra algo pensando exclusivamente na utilidade é que "não é normal".

        Carro, além de caro, é como o seu traje. Então, a esmagadora maioria vai priorizar a cara do seu carro sobre muitos outro atributos, fazendo uma comparação grosseira, seria como comparar um sapato desconfortável com uma pantufa supergostosa de usar, mas que dá uma baita vergonha de sair de casa com elas…

        O prazer de ter um carro bonito para o dono acaba até mesmo fazendo com que ele releve deficiências técnicas e limitações do seu produto. Isso os fabricantes sabem e usam algumas vezes para poder lucrar mais sobre menores custos.

        Quanto ao Cobalt, se for como o modelo fotografado na Argentina, não só será feio como será horroroso. Porém o Golf III era feioso em fotos, mas lindão ao vivo, então por hora, muita gente vai achar o Cobalt feio até que se prove o contrário ou se confirme as suposições. Quanto a ele ser da plataforma do Corsa D, isso não é garantia para prejulgar que ele também será 5 estrelas no crash test, pelo contrário, já que se trata de um projeto especial, para ser ainda mais barato que o Aveo…

        Quanto à tal da confiança, bem, isso é bem complicado, talvez por que carro seja algo bem caro por aqui, a grande maioria prefira carros de fabricantes com uma boa imagem e histórico, mas com a entrada de cada vez mais marcas, isso vai ter vida bem curta, a diversidade de opções vai tirar esse receito das pessoas de experimentarem algo novo. Inclusive os futuros modelos feiosos das tradicionais, que podem fazer muita gente cogitar alternativas antes de optar por algo que é limitado até mesmo na beleza…

    • Armando_Perez

      A propria FENABRAVE faz confusão na classificação de seus carros.

  • Pedro_Lourenco

    E mais. Aqui no BR, tudo q é maior torna se SUV.

    • WorthWRT

      Até o que é pequeno tbm é SUV, tem gente que fala de ecosport como SUV…onde que ela é um SUV? O povo acha que só porque é alto e grandinho é SUV, se CRV, Captiva, etc são SUV então o que é uma Cayenne, uma Escalade…SSUV (Super Sport Utility Vehicle)? Não sei como ainda não disseram que os Fiats Adventure são SUV, porque era só o que faltava kkkkkkkkk

      Ainda temos a categoria crossover antes dos SUVs.

      Mudando de categoria e não sei se concordará comigo, não acredito que o Cerato é concorrente de Civic, Corolla, Megane, Focus….acredito que ele está mais para Polo, City e Linea. (vai aparecere alguem dizendo que é concorrente por causa do tamanho e etc, então como resposta adiantada um exemplo: O C4 Pallas deveria ser concorrente do Fusion, Azera etc, porém o C4 Hatch é concorrente do Focus, Golf, i30 etc. E ai? Confundiu não foi?) Tamanho externo, na minha opnião, não deveria ser o primeiro fator para falar de categorias.

      • jttrainer

        verdade, o cerato eh de outra categoria mas tem gente que diz q ele eh concorrente direto do civic…

        oq me da mais raiva eh a ignorancia de alguns: exemplo, a propria fenabrave rotular o aircross numa categoria totalmente errada e alguns daki que msm sem conhecer o carro criticam..

        • Edson Roberto

          Certo, assim como o Rodrigo, em que base se diz em relação ao Cerato? Acabamento? Preço?

          Se pensar assim, o Sentra é o que?

      • Rodrigo

        Pergunta: Você diz que Cerato pertence a categoria do Polo e não Civic, o que faz você categorizar desta maneira?

        • dipereira0123

          Carro realmente não tem que ter categoria, tem que ter preço e ponto final, pra que ele serve, viagem, dia a dia, sport, quem decide é quem dirige, se for para pra olha tem um monte de gente que considera astra médio, sendo que ele é um projeto de + de 12 anos atras e hj não é mto maior que um fiesta por dentro, alem do + quando o city saiu ele era chamado de medio tambem, cerato é um caso até um pouco mais complicado, qualquer coisa que esteja perto de 50 mil como o focus os caras querem considerar médio compacto, até o fusion tem gente que fala que é medio grande, por causo do preço, na rua aki perto de casa tem um omega e um fusion que passam a noite na rua e observando as proporções do fusion são maiores que as do Omega

          no fim das contas, classificar é só um racismo automobilístico, são todos carro e ponto final

      • granrs78

        A Ecosport é sim um SUV pois tem angulos de ataque e tração 4×4 como opcional disponivel, e ela foi desenvolvida visando ser um SUV, diferentemente dos chamados "aventureiros urbanos" como Cross fox ou Palio Weekend Adventure que simplesmente são os mesmos carros somente com perfumarias offroad. Enquanto o Cerato ele é sim concorrente de Civic e cia e isso no mundo inteiro ele é visto como concorrente dos sedans mencionados, não só pelo tamanho(que é maior que o Civic por sinal) mas em largura e espaço interno, pois mesmo vc citando o Pallas por seu tamanho poderia ser concorrente de Fusion ele perder e muito em largura e espaço interno o mesmo vale para o Linea que é comprido mas perde também em largura e espaço interno para os sedan médios.

        • Edson Roberto

          O problema é que aqui ele tem motor 1.6. Portanto brasileiro deduz que motorização condiz em deixar o carro em um patamar inferior.

          Já pensou em Megane 1.6, Focus 1.6? Acho que consideram isso também. Astra??? Esse deve ser compacto pelo preço!!!

          (fui ironico)

        • D3Tyrael

          Por isso que falei "não sei se concordará comigo". Em 2007 estava olhando os sedans e na época, o concorrente de Civic, Vectra, Focus e etc era o KIA Magentis, no caso fiquei com um Megane. Então a KIA subiu a categoria do cerato para torná-lo um carro maior digamos assim e o magentis? Quem substituiu o antigo cerato? Entendeu?

          O caso de 4×4 não colocaria como justificativa, vendo que tem muitos outros carro com tração nas 4rodas, mesmo sendo integral.
          Já os angulos de ataque ficaria a incognita. O ecosport tem parachoque mais "recuados" para dentro. O que ocasiona um angulo de ataque/saída melhor. Porém apenas 16cm de altura em relacao ao solo (site da ford). Já uma adventure tem 19cm de altura em relação ao solo (pelo site da fiat). Então um ganha no parachoque recuado e outro na altura….e em angulo de saída acredito que o Crossfox seja igual ou pouco melhor que o Eco. No final, como tanto o fiat, vw, ford e outros pseudos são derivados de carros pequenos fica aquela questao, é ou nao um SUV?

          "Sport utility vehicles are off-road vehicles with four-wheel drive and true off-road capability. They most often feature high ground clearance and an upright, boxy body design. Sport Utilities are typically defined by a body on frame construction which offers more off-road capability but reduced on-road ride comfort and handling compared to a cross-over or car based utility vehicle." (Wikipedia)

          • granrs78

            O Magentis naquela época ele concorria com os sedans médios simplesmente por ter um preço similar a eles, mas ele era maior que Civic e Corolla, o mesmo está acontecendo com o Azera hj que é vendido por menos de 70.000,00 ou seja na faixa dos sedans médio só que ele é sedan grande. O Cerato naquela época realmente era menor que o novo Cerato, e seus preços não ultrapassavam os 50.000,00 sendo concorrente de Polo sedan e cia.

      • Edson Roberto

        Pior que no caso do Adventure da Fiat, determinam que ele é um SUV light…. aquela propaganda que o macaco cantava, no final dela era declarado dessa maneira…

        • fjmeskta

          MAis uma coisa as perfumarias nao deveriam mudar uma categoria do carro, a palio adventure continua sendo uma palio wekend apenas com alguns fru frus a mais, portanto ela continua sendo uma perua.

          Cross over seriam na minha opinião apenas aicross, sx4, sportage, tiggo, ecoesport.
          Idea adventure, palio adventure, sandero stepway, croos fox, 207 escapade, doblo adventure, livina xgear. Não mudam de categoria só porque mudaram para uma suspensão mais alta, plasticos a mais em seus parachoques e muitos adesivos.

          nesse caso são monovolume: ideia adventure, doblo adventure, livina xgear.
          são hatchs: sandero stepway, cross fox.
          e são peruas: palio adventure, 207 escapade.
          Pois se tirarmos todos os plasticos os carros serão os mesmo que os sem plasticos.

      • fjmeskta

        Em categoria macro todos estes são SUVs, sim a ecosport, seria um suv popular, um kia sportage, tambem seria um suv mas um de medio porte, poderiamos colocar no medio porte , um cayanne , x5, x6, q5, q7, pajero, são tambem suvs mas de uma categoria superior.

        Na verdade, se formos analizar apenas macro nos suvs estão: crooss overs ligth Ou pseudo suv como alguns chamam, os cross overs que seriam os suvs de medio porte, os suv de verdade. daria para incluir os jepes tambem nesse grupo por seu tamanho e formato, mas como é um off road, acaba ficando fora dessa. Mas tem muitos off roads rodando por ai que nunca nem viram barro.

        Assim como na analize macro nos sedans temos: sedans compactos, sedans medios, sedas grandes, e sedans de luxo. talves até poderiamos incluir os cupes nessa, mas se encaixa mais na calssificação de esportivos.

        Hatchs teriamos: hatchs compactos, hatchs medios, hatchs superiores.

        esportivos: hatchs esportivos, cupes, cabrioles, e as super esportivos

        peruas: compactas, peruas e peruas superiores.

        Vans: minivans, monovolumes, vans

        e por ai vai.

        Numa categoria macro poderiamos apenas considerar seu porte e destino, se formos ir separando poderiamos separar por preço, pois descordo do autor que não tem que considerar preço seria o mesmo que querer comparar um civic com um audi a5. ou comparar um i30 com um c30 da volvo. ou comparar um clio com um audi a1. são parecidos no tamanho, mas nada te a ver com relação ao conteudo que oferecem motor, etc. O publico alvo é totalmente diferente.

    • Monty0112

      Ja ouvi falarem que o Palio adventure era um SUV Light, realmentem tem sentido no que vc falou.

      • Mg2009M

        Palio Adv nem modelo é, apenas a versão top da Weekend

      • granrs78

        Quem falou essa mentira foi a Fiat no lançamento do modelo, pois não passa de uma perua com adereços offroad. A própria Fiat fala que os cambios dualogic são cambios automaticos, mais uma mentira para iludir os consumidores.

    • RicRB

      Concordo plenamente com Pedro_Lourenco!
      Acho um caso clássico, é a Citroen com seu Aircross! Considerada como SUV, por aí!

      • fjmeskta

        Eu considero o air cross, um mini suv ou cross over como alguns classificam, pois realmente seu tamanho, é consideravel. não é como a palio adventure que é somente plasticos a sua volta e uma suspensão mais elevada. até o gol ta querendo mudar de categoria com o gol rallye, mas ele não deixa de ser gol nao tem como tiralo da categoria de hatch compacto.

  • MeekeeB

    Não é querendo ser chato, mas essa matéria é um pouco inútil. Se o carro custa X, o cliente vai lá, olha o carro, olha suas dimensões, vê se é aquilo que ele espera, compra e acabou, não vai se preocupar se a revista o comparou com o modelo Y, se ele é um carro D1, XWR 5, VGF888 etc.

    "Esse tipo de comparativo leva o consumidor a pensar que o Ecosport é meramente um Fiesta com suspensão aumentada para parecer um SUV, como é o Crossfox. Na verdade não é, e não falo isso porque tenho conhecimento, mas sim porque ele um produto baseado no Fiesta, mas de concepção e construção diferentes para atender aos anseios dos consumidores que desejavam um carro com aparência mais robusta como um SUV"

    Posso até ter entendido errado, mas pra mim o que o autor disse é a mesma coisa que "meia dúzia = 6".

    Quem já andou em Fiesta e Ecosport ( tenho um amigo que tem ambos) sabe que os carros são sim muito parecidos, compartilham dezenas de peças entre si, e não tem toda essa ''concepção SUV pseudo off road" que o começo do texto dá a entender. Mas mesmo assim, é claro, ele é mais apto ao fora de estrada que um cross-fox, praticamente apenas pelos ângulos de ataque e suspensão mais elevada.

    • DenisCerq1981

      Concordo. Aprendi bons conceitos na matéria, porém considero outros conceitos para aquisição de carro. Preço/Dirigibilidade (potencia/frenagem/curvas)/Tempo de Projeto/Segurança Ativa/Segurança Passiva/Manutenção preventiva e corretiva/Preço de seguro. Não necessariamente nesta ordem. "Mimos" (sensor de luz/computador de bordo/sensor de chuva, etc..) e beleza, são meramente detalhes que não influenciam na minha decisão…

      Por isso na hora de comprar, eu comparo um Fit com um Focus, pois podem ter preços equivalentes e a princípio o que me baseia é o preço. Por exemplo, um city mais completo e um focus 2.0glx…Eu não teria dúvidas em comprar um focus. Pois conforme minha avaliação, o focus é muito superior. Por que compraria um city ao invés de um focus? por que compraria um city ao invés de um civic? Assim como outros inúmeros exemplos.

      Por isso comparar somente segmento, deixa de optar por opções com melhor custo-benefício.

      Brasileiro compra pela beleza e novidade.

      Abraço

    • Mg2009M

      Desde de 2008 tenho um Fiesta Sedan 1.0. Quando o câmbio quebrou no ano passado, fiquei um mês sem ele, e acabei alugando uma EcoSport FreeStyle. Com excessão do motor maior e do câmbio com marchas mais longas, a Eco e o Fiesta são idênticos. Saídas de ar, painel de instrumentos, maçanetas, volante, comandos do ar-condicionado, chave . . . Tudo igual. Em relação a posição de dirigir, adoro a EcoSport, mas qualquer curva mais rápida na estrada assusta em relação ao Fiesta.

      E sobre a postagem, "A Honda tem todo o direito de vender o Honda Fit por preços mais caros do que seus reais concorrentes? Sim" – Como alguém pode dizer uma coisa dessas? Eu mesmo só andei naquela EcoSport acima, por que era aluga, pois não teria coragem de pagar o preço que a Ford cobra. Mas aqui no Brasil, se paga por beleza: o sedan compacto Kia CERATO na sua antiga geração tinha motor 2.0 16V moderno e com 140cv, mas ganhou nova geração, ficou mais caro e evoluiu de motor para um 1.6 16V de 124cv.

    • Turbo_Car

      É… o focusman se deixou levar pela emoção.
      Mas as revistas não estão erradas em comparar um Fit com um Meriva ou Livina. São carros parecidos sim e possuem um valor de mercado próximo. Minha namorada não diferencia um hatch de um sedan, quanto mais um B-Car de um C-Car. E tenho certeza que isso se aplica a esmagadora maioria dos consumidores. Inclusive, nem eu mesmo sei o que é um B-Car ou C-Car. Nunca ouvi falar nessas categorias. Alguém sabe o que elas representam?

      • MeekeeB

        Com certeza, afinal, os compradores de um Fit tem o mesmo perfil de um comprador de Livina ou Idea. Essas definições de carros são chatas demais, carros 3 portas (não o Veloster hehe) eu não sei o que é até hoje, por exemplo. Eu prefiro utilizar as comuns compacto, sedan compacto, hatch médio, sedan médio, e os sedan médio-grande, como Fusion e Malibu. SUV pra mim vai de Tucson até X6M e pronto. Claro que em outros países os sedans médios daqui são compactos, isso é de mercado pra mercado, assim como essas B-Car, C-Car, são categorias internacionais, que se aplicadas ao pé da letra aqui, não corresponderiam corretamente ao nosso exótico mercado local.

        • rafthehay

          Não sei se ajuda a esclarecer, mas você não conhece a definição de carro 3 portas? Basicamente, faz parte de um conjunto que ajuda a simplificar a denominação de hatches e sedãs: 3 portas, hatch (2 portas laterais e a porta traseira), 4 portas, sedã (2 portas de cada lado), 5 portas, hatch (4 portas laterais e a porta traseira).

          Carros como o Veloster matam essa classificação :)

          Particularmente nunca tinha visto a classificação em ABC-Car, estou acostumado com a por segmentos (hatch compacto, médio, crossover, sedã compacto), a americana (compacto, sedã compacto, sedã familiar, sedã full-size), e a da euroncap (supermini, carro familiar pequeno, carro familiar grande, esportivo, etc)

          • MeekeeB

            Ajudou sim hehe. Essa denominação de 3 portas era muito usada nos anos 90, tenho algumas revistas de carro que praticamente não citam Hatch 2 portas, e sim Hatch 3 portas para todos os carros compactos com acessos no carona e no motorista.

      • fjmeskta

        Eu também nao encontrei esse tipo de classificação dita pelo Autor.

        As categorias que conheço são:
        -Hatch compacto
        -Hatch medios
        -Hatch esportivos
        -Sedan compactos
        -Sedans medios
        -Sedans Grandes
        -Coupes
        -Sedans de luxo
        -monovolumes ou mini vans
        -vans
        -Peruas ou station wagon
        -Picapes
        -Utilitários esportivos
        -Utilitários comerciais

        Acho que pelo nome já explica tudo não preciso dar exemplos, mas quem quiser exemplifico.

        Para mim falar em siglas não significa nada.

        Até vendedor de carro ou engenheiros não devem conhecer essa metrica que o autor esta dizendo.

    • Rodrigo

      Concordo totalmente com você.
      Me da uma agonia quando ou ouço alguém falando que o Eco é um jipe. E é justamente o que fala-se no artigo.

      • MeekeeB

        Pois é, pode-se até classifica-lo como SUV, afinal ele até tem o "porte" de um compacto. Mas agora falar que ele é um "jipe" é meio complicado… o comportamento ao rodar dele é muito inferior até ao de uma pickup como a L200, por exemplo. Palavra de quem já dirigiu ambos.

      • granrs78

        A Ecosport pode sim ser considerado como um autentico fora de estrada (somente a versão 4×4), pois tem tanto angulos de ataque e saida como qualquer SUV.

    • BSBDriver

      Concordo com o MeekeeB. Com todo respeito ao autor, até mesmo porque o texto está bem escrito, achei meio sem propósito. É preciso entender que cada consumidor dá mais valor a determinados aspectos do carro. Há aqueles que gostam de design, outros de motor, outros de espaço, outros de porta-trecos, etc. A avalição do consumidor não se dará porque, seja lá quem for, classificou o carro em A, B, C ou Z. Eu, por exemplo, vou escolher pela faixa de preço. Se estiver na faixa de preço que pretendo comprar, vou avaliar, independentemente de ser SUV, crossover, compacto, sub-compacto, hatch, sedan, A, B, C, etc.
      Saudações,

    • Caldeira

      Concordo com vc. Quando eu to interessado num carro a primeira coisa que olho é o estilo que quero, se é hatch, sedan, pequeno, grande e por ai vai. Depois olho o preço e vejo todos que se encaixam no estilo que quero e o preço estabelecido. Não dou a mínima para essas classificações. Eu não vou deixar de comprar um carro porque é B, C ou qualquer coisa que o diga. Nem vou ficar puto porque o carro é B e tem preço de C por questão classificatória apenas. Vou ver quem se encaixa no meu desejo e oferece mais por menos, simples assim. Preço é o mercado mesmo que determina e não a classificação. Se é um carro muito procurado e querido vai ser mais caro mesmo e ta certinho. Por isso a concorrência é a salvação para todos os prblemas.

  • vini_B

    eu ainda ñ consigo entender as revistas q publicam comparativos entre o Crossfox, Ecosport e idea Adventure………..Linea com City e New Fiesta, Corolla Altis com Sonata, Malibu e Fusion, carros diferentes com a msm proposta de categoria? isso ñ existe; mais o honda fit até pode ser comparado com o Idea e C3 Picasso mais pela sua altura principalmente faz com q sua categoria real seja ao lado do New Fiesta, qm sabe com a chegada dele o Fit mude de categoria.

    • Wandersound

      Linea, city e new fiesta são exatamente da mesma categoria

      • vini_B

        vc está enganado, o linea está na msm categoria do Fluence, 408, Corolla e Civic, começando pelos motores 1.8 de 132cv q ñ se comparam ao do City de 116cv e New Fiesta de 115cv, o temanho do Linea é 10cm maior q o Corolla, sua estrutura ñ é uma das melhores mais com seus iténs, potencia, comforto, espaço o Linea tem tudo pra competir com sedans de porte médio, e a msm coisa vale pro Cerato ñ é pq ele tem motor 1.6 q ele tem q ser de uma categoria inferior afinal o 1.6 dele rende 126cv! se ele fosse vendido aki com o msm 2.0 q é oferecido no Koup eu queria ver se alguém iria compara-lo com o City.

        • MeekeeB

          Esse é um grande problema: a proximidade das categorias. A distinção entre esses novos sedans "premium" e dos já manjados sedans médios é bem tênue. Mas, é só não ligar pra isso e comprar o carro que preferir!

        • Wandersound

          Bem, vamos lá: Linea é baseado em um hatch popular, diferente de seus ditos "concorrentes", ele tenta competir no segmento médio, mas ele não pode estar lá, nem sequer ser considerado médio por causa de seu motor, ou o clio sport V6 é médio por causa de seu motor? o comprimento é um detalhe a parte, mas plataforma, largura, espaço interno e o próprio exterior entrega ele evidentemente de que se trata de um carro do segmento compacto "premium" assim como city, tiida, new fiesta, etc… Ele é completão desde o básico para tentar se passar por algo que não é, ou seja, carro médio, como um sedã de um popular pode se tornar médio? até o painel é igual!

          • vini_B

            bom se vc acha acha o Linea compacto entre em um Linea e dps em um Corolla pra vc ver a diferença de espaço e comforto entre eles, digo isto pq já andei nos dois, e ñ é principalmente pelo motor dele porém o Bravo tbm tem o msm motor é espaçoso e comfortavel assim como o linea e é classificado como médio e pq o Linea tbm ñ pode ser? sendo ele tão bom qnt um corolla como se explica isto? a explicação é o seguinte o Linea pode ter a msm plataforma de um Compacto premium, certo, mais isso ñ diz q ele seja tbm, um compacto premium como o new fiesta e city significa um compacto mais requintado, agora eu te pergunto vc acha o Linea um compacto? o Linea é mais encorpado q um Corolla ou um Civic por exemplo, isso se chama de descriminação só pq o carro é da fiat ñ pode estar em uma categoria maior.

            • Wandersound

              Bem o interior claro do fiat linea ajuda a dar uma sensação maior de espaço é verdade, mas apesar do espaço para as pernas maior, na minha opinião, não acomoda 3 adultos trás tão bem ou melhor que um corola. Carros como corolla, civic, cerato, focus, etc, eles já nasceram e foram oncebidos como carros médios, o linea têm sua origem num popular, assim como tiida sedan, city, new fiesta, etc, isso pra mim é o que define se um carro é médio ou não, mas aí é d cada um, não quero mudar seu ponto de vista, apenas que compreenda o meu.

            • MeekeeB

              Nunca andei em Linea, mas tenho curiosidade. Alegam que ele é estreito, porém ele tem um bom entre-eixos, acho que é até maior que o de um Corolla.

        • Mg2009M

          Discordo do vini_B em 5 pontos:

          1) Mesmo o City tendo motor 1.5 de 116cv contra o 1.8 de 132cv do Linea, corre mais que este.
          2) Por mais que tenha 10 cm de comprimento a mais que o Corolla, o Linea tem espaço interno semelhante ao do Punto (ah, esquece que o Linea é um Punto Sedan).
          3)Fluence: 142cv, 408: 151cv, Corolla: 136 ou 153cv, Civic: 140cv, Focus: 145cv
          4) Ford Focus tem motor 1.6 de 115cv, por isso ele seria concorrente do Palio e do Gol 1.6?
          5) Só porque o Cerato tem o motor 1.6 mais potente do Brasil, ele deve ser considerado concorrente de Sedãs Médios de verdade com motor 2.0?

          • vini_B

            1º vc compararia um 1.0 de 60cv com um 1.4 80cv, ou 2.0 150cv com 2.5 de 180cv, ou até msm um V6 de 260cv com um V8 de 350? a msm coisa acontece com o 1.8 de 132cv do Linea e o 1.5 de 116cv do City ñ faz sentido eles serem comparados.
            2º o tamanho do carro é o q mais influencia a categoria dele assim como a sua plataforma, o Linea é um pouco maior q um Corolla e mais espaçoso tbm e acabou ñ tem como mudar isso, o como o luxo a bordo do Linea Absolute é comparavel a um Corolla Xei, obs já andei nos dois e sei o q digo.
            3ºo Linea pode ter menos potencia q os seus concorrentes 2.0 mais pra vc saber a arrancada q um Linea faz de 0-100kph em 9,9s e um corolla 2.0 com 153cv faz em 10,6s! é mt diferença, potencia ñ significa mt coisa e sim a eficiencia do motor.
            4ºcomo eu disse antes a potencia do motor ñ significa mt coisa, só pq o Linea tem motor 1.8 de 132cv ñ quer dizer q ele ñ possa tbm competir com o Corolla 1.8, Civic 1.8, Cruze 1.8 e até o Elantra tem motor 1.8 é ñ é descriminado.
            5º"Só porque o Cerato tem o motor 1.6 mais potente do Brasil, ele deve ser considerado concorrente de Sedãs Médios de verdade com motor 2.0?" e o q vc me diz do 2.0 8v de 120cv q a Volks oferece ao Jetta? o Cerato é mais potente q um 2.0, sua próxima geração vai compartilhar plataforma com o Elantra e atualmente ele compartilha com o Soul, então subitamente ele mudará de compacto premium para Médio? q estranho né.

            • granrs78

              O comprimento de um carro não pode ser fator determinante para o Linea ser considerado sedan médio, pois na largura o Linea entrega o jogo e mostra que ele não é um sedan médio. Se fosse assim o Pallas seria concorrente de Fusion, pois praticamente tem o mesmo comprimento? Claro que não, pois o Pallas perde e muito em largura e distancia entre eixos. A própria Fiat tem um hacth médio o Bravo então se o Bravo tivesse uma versão sedan concorreria em qual categoria? Sedans grandes? Seria concorrente dos sedans médios.E mais uma coisa, o Cerato e Elantra usam a mesma plataforma, pois Hyundai é dona da Kia e dividem as mesmas plataformas.

          • MeekeeB

            Cara, não concordo que você deva "reclassificar" um veículo por uns cavalinhos de potência a mais ou a menos.

            • vini_B

              ñ estou reclassificando o carro por uns cavalinhos a mais ou a menos e além disso eu tbm classifico uma categoria pelo seu tamanho, espaço interno, requinte, valorização, origem do carro………..e tudo isso aponta o Linea para um sedan médio.:S:)

              • Castle_Bravo

                Amigo, pelos padrões internacionais, o que o Linea tem de parecido com um Honda Accord ou Toyota Camry que são realmente mid-size "de verdade"?

                O Linea é tão somente um compacto, um "Punto Sedan" que a FIAT te empurra como "médio" para cobrar mais por ele, além do mais, potência do motor não deve ser parâmetro de configuração, fosse por isso, um Corsa SS não seria um "sub compacto" o mesmo para o Punto T-Jet.

        • jnasser

          "o linea está na msm categoria do Fluence, 408, Corolla e Civic"

          isso é o que a Fiat quer que acreditem, e com você funcionou

          • vini_B

            isso daí é preconceito só pq é da Fiat.
            a Volkswagen ninguém fala nada cobrando 65 mil em um Jetta pelado com 120cv q ñ valem nada.

    • Castle_Bravo

      Ford Fusion com o Chevrolet Malibu faz todo sentido, já que ambos são mid-size.

      • Kenny_

        O problema era o Corolla no meio do comparativo. A pouco tempo a 4Rodas fez outro comparativo do Jetta TSI (é esse o TOP?) contra o Malibu, Fusion e Sonata. E o Jetta ganhou, mas se levar em conta que pro autor o desempenho esportivo era mais importante do que o espaço interno quem parece estar sobrando no comparativo são os 3 sedans grandes.

        • fjmeskta

          Comparativos da 4R, e os do auto esporte eu nem levo mais em consideração tem muita coisa comprada nessas midias. Só não ve isso quem é cego.

          • Kenny_

            Uma ou outra informação dá para se aproveitar é só prestar um pouco de atenção o que acontece bastante nesses comparativos é o ocultamento de algumas caracteristicas dos modelos pra favorecer algum deles. Quanto a confiar em comparativos e avaliações, não confio 100% em nenhum, mesmo os da NA.

      • vini_B

        ñ amigo ñ disse isso, eu disse q compararam o COROLLA com o Malibu e fusion.;)

        • Castle_Bravo

          Desculpe, não tinha percebido, mas enfim, cheira a matéria comprada ou ingenuidade de quem escreveu, querer elevar o Corolla de carro compacto a uma categoria acima, a dos médios.

          O Jetta também, é outro carro compacto que querem "mediunizar" ele.

          • Alesr50

            Pois é até comentei num vídeo da Carroonline (deve ter tirado) comparando Jetta vs Fusion

            Já vi um que colova o AZERA no meio…?!?!?!?!

            Cacete só de olhar da pra ver que o Jetta é menor que todos!!

    • fjmeskta

      Malibu, sonata, e fusion, podem ser comparados sim, dependendo da motorização claro. Sonata só esta tão caro por que a caoa é sem noção. O que não dá é para querer comparar um sonata com um cadenza.

  • Ric53

    Lembro de um comparativo de uma revista, aquele bem famoso "os eleitos" que deu a vitória ao PalioWeekend em um comparativo…… contra a Tucson!

    • Lazaro

      Lembro do comparativo entre o Novo Uno e o Agile na 4 rodas e o Novo Uno ganhou com a seguinte justificativa: "O Novo Uno leva o comparativo por ser mais barato"

      Fiquei indignado, daqui a pouco eles vão colocar o Uno pra competir com o Passat e o Uno vai ganhar de novo por ser mais barato kkkk.

  • Battousay_X

    Eu concordo com o seu texto, mas escrever esta crítica é a mesma coisa que tentar "vacinar uma pessoa contra gripe mas a pessoa já está gripada".

    O pessoal que lê o noticias automitivas já são pessoas esclarecidas mas são um pequeno numero, frente a multidão cega do resto de nosso país que só pensa em falar pro vizinho que ele tem um carro novo e melhor que o dele.

  • Herumor_

    me lembrou aquele vídeo com a comparação ridícula e tendenciosa entre um Mille 0km, pelado de tudo contra uma Mercedes TOP de 20 anos… se vai comparar então compara direito né!!!!

    • fjmeskta

      Eu tambem fiquei muito de cara com essa comparação do auto esporte por isso que nem assisto mais esse programa é muito tendencioso. Basicamente é assim se voce me pagar bem eu falo bem de voce.

  • EDGAR__RJ

    No Brasil não pensam em Custo X benefício, ou Funcionalidade .
    O que realmente importa é se o Fit chama mais atenção que o Sandero, Se o Meriva tem Gravata e o Livina não, Se a revista falou , então vou comprar ……

  • DonVitor

    Acho que os consumidores tem uma parcela de culpa sim, muita gente comprar carro pelo status que o carro, estética ou se é novidade no mercado. Gente que comprar assim não se importa com classificações :P

  • meyerbro

    No momento que você falou que Honda Fit não é concorrente do Fiat Idea eu parei de ler!

    • CeloSurf_

      Apenas os mal informados como você acham que o Fit é uma MINIVAN só porque é monovolume.

      • MeekeeB

        Ele não falou que o Fit é uma minivan, e sim que concorre com o Idea. Como eu comentei, para mim essa balela de categoria de veículo é só pra enxer linguiça. Se eu vou na concessionaria, olho o carro C, analiso seu CxB, entro, olho as dimensões, o conforto, faço o test drive e assino o contrato, estou pouco me lixando se ele é um Crossover, SUV, SUV Light (essa é boa), Minivan etc. e com quais carros ele concorre.

        • meyerbro

          Exatamente! Disse tudo!

        • Castle_Bravo

          Se olharmos pelo lado do "A concorre com B" podemos considerar que todos os carros concorrem entre si, independente da categoria, afinal, a maioria das pessoas compra apenas um carro, e quando compra um, deixa de comprar os outros. :)

          Ao meu ver, é importante categorizar para o consumidor ter noção do valor de um carro ou de outro, afinal aqui no Brasil o que mais se vê é venderem carros compactos (Civic, Corolla, Jetta, etc.) como carros "grandes" ou "de luxo" e cobrarem umas três vezes o que valem noutros mercados.

          • MeekeeB

            Não exatamente todos concorrem com todos, até porque eles miram classes socioeconômicas distintas, mas mesmo assim eles não se resumem apenas a isso, afinal conheço pessoalmente gente com o patrimônio de vários milhões de reais que andam de carros populares. Dou o exemplo de um empresário com quem já trabalhei, dono de shoppings e hotéis que possui uma montana (do melhor modelo hehe) e um 307 SW. Ao mesmo passo que conheço pessoas com renda média de 5 mil mensais que possuem carros avaliados em 80, 90 mil reais.

            Agora, acho mais importante categorizarmos por categorias macro mesmo, nada de SUV Light, Compacto pequeno-extra-premium e bla bla bla.

            Realmente os sedans que você citou são compactos lá fora, onde não existem Prisma, Siena, Logan e demais. De acordo com nosso mercado, não creio ser errado dizer que Jetta é um sedan médio.

            O complicado mesmo é a questão de comparar o valor com os outros mercados. Nem vale a pena começar esse assunto agora.

            • Castle_Bravo

              Em nosso distorcido mercado, de novo acredito que a classificação americana serviria, pois Siena e Prisma por exemplo, entrariam na categoria sub-compacto, como por exemplo é o Fiesta nos EUA.

              Qualquer coisa abaixo disto (Ka, Picanto, Etc.) seria um Supermini ou City Car.

        • CeloSurf_

          Não viaja. As categorias, nada mais são do que os tipo de carrocerias dos veículos, para qual o propósito o veículo é destinado.

          Se for assim do jeito que vc está dizendo, que analisa só custo benefício e dimensões, eu que, surfo, carrego várias pranchas no carro, entro em estradas de terra esburacadas, etc etc etc, quando entrei na Hyundai, em vez de ter comprado um SantaFe por 97k, então eu deveria ter comprado um Azera por 70k, pois o custo benefício é muito melhor. Daí eu colocava ums racks no teto do azera e saia com a galera pra surfar, só iria dar eu né.

          Por isso eu elegi para minhas necessidades um SUV médio ou um crossover médio que são os tipos de carros que mais me atendem. Agora se todos os tipos de carroceria atendem suas necessidades, ai tudo bem, qualquer coisa serve. Para pessoas mais exigentes como eu, não serve.

          Ex: Uma minivan, é melhor para uma dona de casa que carrega os filhos pra lá e prá cá com um monte de tralhas, pois as portas tem fácil acesso, o teto é alto etc.

          Já um Hatchback, não se enquadra para uma mesma situação, pois as portas são menores, dificultando mais o acesso ao interior se comparado as minivans, o porta malas é menor não cabendo todas as tralhas, e por ai vai.

          • rafthehay

            Po, já pensou aquele Azera com couro claro e madeira no painel parando na beira da praia? Pessoal iria achar que você é daqueles caras que passou décadas longe do surfe, depois de se aposentar voltou para resgatar a glória de surfista.

            Isso ou um cara excêntrico mesmo.

          • andre_0102

            Eu discordo amigo, o único problema na sua escolha entre o Azera e a Santa Fé, é que o Azera tinha menos benefícios p/ vc. Uma coisa é custo (valor que está disposto a pagar) outra é beneficio( Não apenas oque o carro oferece), mas o que ele oferece p/ vc.

          • MeekeeB

            Desculpa amigo, mas quem viajou é você.Não disse que você deveria trocar uma categoria por outra ( um SUV por um Sedan, como você disse, fica meio absurdo). Se você prestasse mais atenção no que eu disse, e olhasse outros comentários meus nesse tópico, você veria que eu falei que o ideal é você entrar no carro e analisar, sem se deixar levar por siglas e modismos da midia. Você achou o Santa Fe melhor pra você? Ótimo! É isso que eu quis dizer, olhar o veículo que melhor se adapta a sua necessidade e não se importar se uma ou outra revista o coloca pra concorrer com uma Hilux SW4 ou outro carro mais distinto.

    • macielpb

      e num é msm, eu concordo com o fuscomam neste conceito em outros não

      • Kokokil

        fuscoman?
        Quem é esse?

        • macielpb

          eu queria dizer focusman, desculpa ou ker que eu peça de joelhos?

  • Sias

    Que o Fit não é minivan é visível…mas o pessoal teima em dizer que é, e querem fazer comparativo. Saiu recentemente em uma revista uma comparação entre C3 Picasso, Idea e Meriva e na edição seguinte um leitor reclamando que não tinham colocado o Fit na comparação, que era minivan também…

    Nem a Honda sabe em que enquadrar o Fit.

  • Tempero

    Minha opinião: Brasileiro naõ entende e NÃO PRECISA ENTENDER CATEGORIA.

    Segmentação existe para melhor estudar o mercado. Isso serve então para as montadoras estudarem o mercado.

    Lembro uma amiga que não via o Fit como concorrente do Meriva, Idea e companhia… Para ela, Fit era concorrente de Punto, de Polo… Ela estava errada? Não. Absolutamente não. Estava mais certa do que alguém? Também não. Ela compara com os carros que ela julgar atenderem às suas necessidades.

    Nos EUA, o Fit é concorrente do Tiida.

    Ou seja categoria é coisa pra quem vende, não pra quem compra. Quem compra, escolhe o que bem entender.

    • MeekeeB

      Ótima argumentação!

    • Wikle

      É isso aí! Eu comparo os carros pelo preço. Quando fui comprar o meu, botei na comparação desde Ecoesport até Punto e acabei comprando um Polo Hatck (semi-novo). E li centenas de comparativos, que mesmo comparando carros de categorias diferentes, me ajudaram na escolha. Claro que essa flexibilidade decorreu de eu ser solteiro, não precisar usar o carro todo dia, precisar de pouco espaço para carga, etc.

    • Rodrigo

      Caramba, Parabéns. Até que enfim alguém que pensa como eu.
      Concorrente é aquele que frusta a venda de outro PONTO. Se Sua amiga deixou de comprar o Fit para comprar o Polo, o polo concorreu e venceu.
      Os automotores estão aí como ferramentas (inicialmente) e servem para deslocamento e cada um faz o seu produto mais atrativo. Se meu nicho de mercado é o público que precisa carregar 500 Kg no veículo então eu vou criar um produto para este fim e vou comparar ele com outros produtos com a mesma característica.
      Para fins estatísticos, legislativos e utilidade é que existem as categorias de automóveis.
      Este artigo é sem pé nem cabeça, o autor confunde mais ainda a ideia que tem-se acerca deste tão debatido assunto.
      Meu avó não sabia se ele queria um Corola ou um Fit por exemplo. Acha que ele está ligando para qual vende mais ou qual categoria pertence cada um dele?
      Agora quanto a nomenclatura SUV eu fico doido. Inicialmente esta categoria surge os automóveis de trabalho e de guerra(4×4) e começam a ser utilizados para a família e uso mais "civil" não para trabalho. Geralmente com carrocerias e chassis mais reforçados assim como suspensão e motores robustos. E pegar um carro e julga-lo apenas por sua aparência e classifica-lo como um Utilitário esportivo é demais.

    • feu

      certíssimo! foi difiícil ler tanta cois até achar um comentário que fizesse mais sentido pra mim!
      O próprio posicionamento de preços dos carros já é um indicativo de concorrência…..

    • Ricardo_Alves

      a cabeca mais iluminada e a sua com certaza, "Ou seja categoria é coisa pra quem vende, não pra quem compra. Quem compra, escolhe o que bem entender." definicao perfeita.

  • Wandersound

    Meu amigo acho seu texto muito equivocado. O que deve ser comparado num carro é a proposta dele, espaço interno e ítens de conforto. o honda fit é um hatch? sim, só que com teto ato e modularidade interna de uma minivan, logo seus concorrentes diretos serão arros com mesmo tipo de concepção, ou seja, fiat idea, nissan livina, etc, e não carros como sandero por exemplo, não faz sentido isso.
    O que deve ser comparado é o público alvo de cada carro, comparar fit com polo não têm nada haver, públicos completamente diferentes, quem olha pra um, não olha pra outro.

  • Kenny_

    Não concordo muito com o texto, pois prezo os projetos mais funcionais. O Fit pode até não ser uma minivan como Meriva, idéia e afins, mas cumpre a mesma função delas até melhor que elas mesmas. Outro exemplo na própria Honda, o City é um sedan compacto, mas tem espaço interno e bagageiro maiores que de metade dos sedans médios.

    Pessoalmente acho mais sensato escolher o modelo dependendo do que a pessoa tem em mente pro carro. Se, por exemplo, eu quero um carro que carregue muita bagagem pra viajar com a familia, considero tanto um Freemont como um Fusion. Um carro de aparencia, considero Civic e I30. E por assim vai.

    EDIT: Esqueci de comentar, a NA tambem cometeu uns deslizes então. Nas matérias sobre o March e o Picanto recentemente, a NA postava que eles concorreriam com Gol, Sandero e etc…

    EDIT2: Uma curiosidade. Em que categoria se enquadra o Soul?

    • feu

      carro design! hahahahahha

    • fjmeskta

      O soul estaria na categoria de monovolumes ou minivans. Pelas classificação do autor não faço a menor ideia.

  • Texto muito bom Focusman, concordei em gênero e número! E acrescento, brasileiro está mais preocupado em mostrar o carro para o vizinho, do que comprar um carro sesato. Vide Fluence, Megane Grand Tour, Sentra, etc, etc…

  • Gui_Dias

    Muito interessante a matéria.
    Inclusive, em janeiro deste ano comprei meu primeiro carro: Honda Fit 07/08. Depois de meses pesquisando (e querendo um focus 2008), acabei no Honda. Minha faixa de compra era entre 30 e 35mil. Nunca havia pensando num FIT por achar que seria justamente de outra categoria, mas acabei vendo e me apaixonei.
    Não possui o design que eu queria (como de um focus, mais agressivo e forte, já que procurei um 2.0), mas vi um carro na mesma faixa de preço, com uma qualidade extremamente superior, espaço interno invejável e estupidamente econômico.
    Meu primo até hoje me zoa dizendo que é carro de mulher fazer compra, mas eu prefiro muito mais este conforto que ser "jovial", pagando caro, com manutenções frequentes e bebendo mais que eu.

    • JHerzév

      Parabéns pela compra, é um ótimo carro mesmo.

  • filemonjr

    Quem ganha com estas indefinições de categoria são as montadoras, que lançam carros que não se enquadram claramente em nenhuma das categorias. Assim podem cobrar mais caro e os consumidores ainda saem rindo, por pagar mais caro…__E Brasil…

  • Sigma7

    Deveria existir um selo do INMETRO para categorização de veículos.

    • macielpb

      perfeito, pois, estava fazendo uma pesquisa de preços e na css fiat mim disseram que o palio é o concorrente do fox, meu entendimento é:

      palio x gol
      punto x fox

      • Castle_Bravo

        Para humilhar os pelados nacionais, subir o nível do duelo, literalmente, interessante seria comparar Punto X Gol e Palio X Fox, são todos sub-compactos, não?

        Obviamente sei que um seria massacrado por outro, mas imagino que repetindo isto, serviria para o consumidor ver o quão ruins são os "carros de entrada" e o quanto cobram por quase nada, e isso que o Punto e o Fox já não são grande coisa também…

  • MajorAutomotivo

    Até hoje eu não percebo a diferença entre um SUV e um CrossOver.

  • ccn1410

    Eu faço minhas comparações por peso/tamanho/cv/torque.

  • MajorAutomotivo

    E o Kia Soul é o que?

    • Soichiro_Honda

      Ele está na categoria: MNPN (Mistura de Nada com Porra Nenhuma)

      • JHerzév

        É uma cilada, Bino!!!

    • Leandro1978

      "Carro design"…rs…

      • MeekeeB

        Hahaha muito brega essa campanha da KIA!

      • Castle_Bravo

        Piada isto, pior é quem "compra" a ideia.

    • Castle_Bravo

      Um compacto que a KIA te cobra mais caro porque considera um "Carro Design"

    • 7roll3r

      Categoria Fiat Uno premium

    • feu

      deveria ser algo como Cube cars ?

    • Rodrigo

      Acho idiota chamar de "carro design" mas isso é consequência dessa bagunça de classificação brasileira.

  • ChicoFCarvalho

    Ainda acho que a melhor metodologia para comparação de veículos é a velha e boa "4Ps": Preço, Proposta, Porte e Potência. Todos tem sua relevância e, dependendo do comprador, alguns mais que outros. Talvez a "Proposta" seja um dos critérios mais flexíveis, por exemplo, pouco importa no caso do Fit se ele é um monovolume ou um hatch, quando o consumidor vai compará-lo com as alternativas, os outros 3 "P" fazem toda a diferença. Também é muito comum e importante a utilização de critérios complementares do tipo: custo/facilidade de manutenção; valor de revenda; consumo; confiabilidade da marca; garantia; valor de seguro e obviamente design e status…tudo isso junto, conscientemente ou não, acabam sendo os fatores determinantes na escolha/comparação final.

    • expresso222

      O site Bestcars compara os carros nesta metodologia, que, para mim, é a melhor, mesmo vendo alguns comparativos meios esquisitos, mas, por esta, metodologia tem sentido.

  • Ricardo_Lopes

    Gostei da matéria, mas, como disse alguém antes, não sei se é vacinar quem já tá gripado… o ideal seria a montadora enquadrar seus produtos dentro de uma classificação padronizada e única, que regulamentasse o mercado? Por exemplo, o INMETRO (é só um exemplo, hein!) produz uma lista categorizada e aí as montadoras indicariam em qual lugar dalista encaixaria seus produtos?

  • Antonio_Sergio

    Na verdade, a grande bobagem que existe quanto à nossa classificação de categorias de automóveis é o termo "premium" adotado para diferenciar um modelo importado, daquele similar ao produzido no país.
    Explico: Ford Fiesta e Ford "new" Fiesta.
    Em TODO o Mundo, exceto no Brasil, o Ford dito NEW Fiesta é apenas e tão somente o substituto do Fiesta atualmente em produção por aqui.
    Mas, como o NEW Fiesta é importado, tem muuuito mais tecnologia e estilo, talvez qualidade, a Ford resolveu promovê-lo à categoria jaboticaba, digo "premium", algo que só existe por aqui.
    Temos também o VW Polo, o Peugeot 206 1/2, o Fiat Punto.
    A geração atual francesa do Renault Clio, que por ser "premium", não foi fabricada aqui, mas é apenas a substituta da geração anterior (a nossa). O Honda City, que na Índia é o preferido para taxi. E assim vai.

    • Gui_Dias

      E o chato que esse "NEW" não sai mesmo com o carro não sendo tão "NEW" assim, como o NEW civic e o NEW Fit.

  • joaozinho30

    É verdade.. Eu lembro que há uns 10 anos eu me indignei com um comparativo da Motor Show que incluía sedans menores, do tamanho de Astra e Polo, e um Vectra GL, que, logicamente, perdeu por falta de equipamentos opcionais. Sedans menores mais equipados se equiparam em preço com sedans maiores de entrada.
    Na época do Focus GL 1.6 com motor RoCam, eu lembro de ter visto um comparativo dele com um Fiesta de mesmo motor. O Focus era de entrada, sem Airbags, sem vidros elétricos traseiros, sem ABS, enquanto o Fiesta vinha com Airbag duplo, ABS, couro nos bancos, vidros elétricos one touch up/down nas quatro portas que se fechavam e abriam por controle remoto. Mesmo preço, porém categorias diferentes. Não precisa nem comentar o banho que o Focus dá no Fiesta em qualidade de acabamento e construção, ruído interno.

  • Felix_BSB

    Texto sem sentido. O que todo comprador considera (ou deveria considerar) na hora de fechar o negócio é seu "custo-benefício". Isto é, se o que ele vai pagar é justificado pelos benefícios que irá obter do veículo em questão. E nesses "benefícios" incluem-se consumo, manutenção, depreciação, desempenho, capacidade de carga, beleza… Seja o veículo um pequeno urbano ou uma caminhonete! O resto é papo furado.

    • MM_

      Desculpa, mas não existe essa de "deveria considerar" custo benefício.

      Muita gente não está preocupada com depreciação ou consumo, por exemplo. Isso vai da utilização de cada um. Eu rodo cerca de 10.000km/ano, vc acha que vou me preocupar com consumo, por exemplo?

  • BlueGopher

    Ao comprar um carro, analiso minhas necessidades de espaço, carga, potência, peso do carro(importante, e pouca gente olha), conforto desejado, e, claro, minha disponibilidade financeira.
    Feito isso, analiso todas as opções de mercado que me interessariam, pesquiso preços e opiniões de donos na internet e com conhecidos, faço test drives e finalmente decido o que comprar.
    Descarto carros que considero ter preço acima do que realmente valem, pois dou valor a meu dinheiro, sei o trabalho que dá ganhá-lo…
    E dou muito valor a veículos que me proporcionam prazer de dirigir.
    Raramente me preocupo com a categoria do veículo, afinal as montadoras embaralharam o meio de campo: SUVs, Crossovers, Minivans, notchbacks, hatchbacks, etc. Alguém sabe exatamente suas diferenças? E na verdade isso é importante?

  • Vateau

    Engraçado é ver que nos EUA compra-se Honda Civic a preço de Siena ou Prisma aqui no Brasil. Realmente todas as categorias automotivas brasileiras estão abusivamente fora da realidade!

  • É bem escroto isso mesmo de tentar colocar carros em categorias.
    Nessas horas, concorde e muito com metodologia usada nos comparativos (como o Best Cars) que usa os "4Ps": Preço, Proposta, Porte e Potência como já foi comentado.
    O problema é que no Brasil, um carro muito equipado na sua versão top, tem preço alto, por isso o pessoal já quer comparar com as versões mais básicas de modelos maiores e superiores.
    É como se um Fiat Linea completo por exemplo custasse o mesmo que um Azzera, por isso são concorrentes, segundo as especializadas é por ai.

    • LuccasVillela

      Concordo com teu comentario e com a teoria dos quatro Ps, do excelente Best Cars.

  • Piemonte

    A razão é que o Brasil é um país de ignorantes e analfabetos, que 'se acham' donos da verdade!

  • LuccasVillela

    Muito complicado, eu separo os carros assim (incluindo questão de preço, não só tamanho):

    Hatchs Compactos de Entrada: QQ, M100, Gol G4, Celta, Clio, Mille, Ka…
    Hatchs Compactos: 207, Sandero, Agile, Face, Fiesta, Corsa, Gol, Fox…
    Hatchs Compactos Premium: C3, Punto, Polo, Cielo (apesar do tamanho médio) (Sandero, 207 e Agile tem versões que brigam aqui).
    Hatchs Médios: 307, C4, Golf, i30, Focus, Vectra, etc, etc, etc…

    Sedan compacto de entrada: Classic, Logan, Siena, Prisma, Voyage, Fiesta…
    Sedan compacto: 207 passion, Symbol (Fiesta, Siena, Logan e Voyage tem versão que brigam aqui).
    Sedan compacto premium: New Fiesta Sedan, Polo Sedan, City, Linea…
    Sedan médio: Cerato, Sentra, Civic, Corolla, 408, Fluence, etc…

    Isso só pra falar nas categorias principais, ainda tem as outras mais complicadas, mas dependendo do carro eu acho apropriado o termo SUV Light ou Crossover Light (Ecospot, Aircross, até a familia adventure, pelo sistema Locker).

    • Castle_Bravo

      Cara, essa coisa de "premium" não existe em lugar nenhum do mundo, só aqui no Brasil, por conveniência das montadoras para cobrar mais caro por um produto igual a qualquer outro, mas menos "pelado".

      Cerato, Civic, Corolla, 408… são todos compactos, e tão somente, só que no Brasil desvaloriza se chamar de compacto um carro que o cara pagou mais de 70 mil, fica feio, então inventam que é "médio", "médio premium" ou outras bobagens.

      Outra aberração brasileira (e ao contrário do que disse o autor) é pegar um sub-compacto igual ao Fiesta, subir a suspensão, e botar um estepe na traseira e "transformar" em "Mini SUV"? putz, "mini SUV"? é de doer os ouvidos…

    • djeletro

      eu tambem vejo do mesmo jeito do lucasvilela, mais facil…… Melhor nem esquentar a cabeça em diferenciar categórias, compra o que você achar melhor para você e para o seu bolso.

  • lcac123

    o que é mesmo um Nissan Linica? Um carro novo da Nissan? porque o que todos nós conhecemos é o Nissan Livina! Essa matéria está me parecendo um pouco imparcial…!

  • djeletro

    Boa materia, parabéns ao autor.

  • YoOdEx

    Primeiro que brasileiro não pode se dar ao luxo de comprar um Sedan para viagens, um Monovolume se precisar levar muita trabalha, um city car pra ir ao trabalho. Precisamos de 1 único carro que faço tudo! Culpa do nossos preços altissimos, etc…
    Então pouco interessa se o Fit é não concorrente da Idea, Livina, Meriva.

    Quando o texto enquadrou o Fit como premium.. tudo bem, pelo preço e dimensões.. ok. Mas comparar com 207 por ser "premium" (que pra mim não é, é popular) perde o sentido. Fit está muito mais para Meriva e Idea, do que para 207 e C3.

    Agora, o que acho ruim e concordo, é brasileiro que acha que Linea e Corolla são da mesma categoria, so como exemplo. As dimensoes do Linea está mais para Fiesta Hacth do que Corolla. Enfim, no Brasil carros "semelhantes" são concorrentes se tiverem preços parcidos!

  • subzero99

    Na minha cabeça faz sentido fazer dois tipos de comparações: a por categoria, mas também por preço. Não adianta comparar um carro X de R$ 60.000 e outro Y da mesma categoria por R$ 80.000, por exemplo, até porque o brasileiro (e creio que o terceiro mundo/emergentes como um todo) levam muito mais em conta o fator preço na hora da compra.

  • Mak73

    Entendo a matéria,mas o povo Brasileiro na hora de comprar um carro não pensa qual carro comprar,mas sim o que comprar com a grana que tenho em mãos.´
    É por isso que existem comparações ridiculas das revistas de carros,pois o preço é semelhante.
    Exemplo:O que se pode comer com R$3,00?pastel?bauru?misto quente?sanduiche?rodizio de churrasco?rodizio de pizza?Marmitex?coxinha?kibe?oque?
    Carro é a mesma coisa!com R$40mil qual carro 0KM é possível comprar?

  • Cil

    A maior parte dos brasileiros prioriza o que ele pode pagar em 60 "suaves" prestações e que se dane tamanho, segurança, itens de série, etc. Eheheheheheheeheheh

  • lucca

    Brasil, o lugar onde a ignorância aflora!

  • kikofar

    O texto até começou bem, depois o editor misturou alhos com bugalhos, bife de caçarolinha com rifle de caçar rolinha e melancia com melancolia.

    As revistas "especializadas" fazem comparativos baseados, em grande parte, no uso consagrado do veículo pelo consumidor. Polo hatch eu só vejo gente mais nova (principalmente homem) dirigindo. Já o Fit é tido como um carro para família, porque, em parte, assim a Honda o divulgou. Basta ver quantas mães levam seus filhos pra aula ou vão ao supermercado num deles.

    Acho que o autor se perdeu na reportagem.

  • MM_

    Essa classificação pode até ser correta, mas não funciona no mundo real.

    A maioria das pessoas compara carros por faixa de preço. Normalmente existe um orçamento pré determinado e dentro daquele valor a pessoa procura o que lhe atende melhor.

    Eu sempre faço assim, diga-se de passagem. Quando fui comprar meu carro, estava pensando em gastar até R$ 60k. Fui ver Focus, i30, Soul, Cerato, Polo, C4, Sentra, entre outros. Sou casado sem filhos, portanto não me interessa se o carro tem porta malas ou não, então dentro desse valor, procurei o que mais me interessava dentre os quesitos de beleza exterior/equipamentos/desempenho/acabamento interno, ou seja, pouco me interessa se é A, B ou C.

  • JHerzév

    O Fit é hatchback, a Honda NUNCA o classificou como uma minivan. Mas o texto, no geral, é ridículo. Sim, o Fit é um hatch, mas concorre realmente com um C3?? O autor certamente nunca entrou em um Fit e depois em um C3, cujo espaço no banco traseiro é ínfimo e está mais próximo de um Fiat 500. Tenho um Fit e minha irmã um C3 e eu nunca compraria o Citroën por causa de seu acabamento ruim, repleto de plásticos ásperos e materiais frágeis, como os botões emborrachados do painel que descascam ao menor uso e espaço interno ridículo, com o banco do motorista ajustado para uma pessoa de 1,75m é simplesmente impossível levar outra de igual estatura atrás. E por último, insinuar que o Dacia Sandero, que é um bom carro pelo preço que pedem, é melhor que o Honda. Não acredito que perdi tempo lendo isso tudo.

    • MM_

      Realmente não concorre. O Citroen é mais completo, rs.

      Agora sério, realmente não concorre mesmo. Um Fit é bem maior internamente, mas é muito mais caro. Vejo gente pesquisando Fit e muitas vezes levando hatch médio, pq custam o mesmo preço e sáo mais potentes , mais bem acabados e mais completos. A não ser lógico que vc precise de espaço interno, tenha crianças etc…

    • Focusman

      kkk,

      Eu tenho os dois carros em casa amigo.

      Falo justamente isso por conhecer ambos os carros.

  • HSFort

    Brasileiro entende mesmo é de futebol. samba, bunda e ser maçicamente enganado.

    É o povo mais trouxa do mundo.

    De carro, única coisa que a maioria entende é que ele ANDA.

  • IgorRocha

    ótimo texto, mas que acho que peca em um sentido:
    misturar categorias com comparativos
    Categorizar nada mais é do que separar carros POR CARACTERÍSTICAS logo, os separo pelo criterio que eu escolher, pode ser tamanho, proposta, preço, potencia e se eu quiser, pq nao, peso!

    é comum ter que se subjulgar a categorizaçoes ao alugar um carro, onde provavelmente o criterio mais importante será o tamanho. mas ao avaliarmos para compra, imagino que tenhamos que olhar primeiro "o que cabe orçamento" unindo com "o que quero no carro"

    é tudo a velha questao de prioridades. nao é que brasileiro "nao entenda e nao saiba pra q serve" nós apenas, de modo geral, temos outras prioridades

  • Rodrigo

    Pergunta para os expertos:

    E se o Fusca e a Brasília voltassem a ser fabricados, seriam classificados como o que?
    Lembrando que o nome verdadeiro do fusca é Vokswagen Sedan.

    A política brasileira é tão esculhambada que até na classificação automotiva ele incomoda, fazendo com que o preço absurdo dos carros criem classificações denominadas "premium" e "de entrada". Não é o lugar certo para quem gosta de automóveis.
    Abraços.

    • GAbRieLGUIMA

      VW Sedan é uma herança da década de 40….

      Putz lembrei do Tempra 2 portas que a Fiat chamava de Tempra Coupe… Que ridículo!

  • marciors01

    Sobre o comentário do honda fit especificamente, o único furo é que ele custa o mesmo que os hatches médios mas não oferece desempenho, equipamentos e principalmente acabamento compativel com a sua faixa de preço.
    É um carro muito bom mas basta entrar em um fit ou linea para que tudo fique claro.
    O linea anda mais, é mais espaçoso e melhor acabado, e estou utilizando o linea como exemplo porque é um carro muito contestado já que é derivado do punto.
    O fit está em um limbo porque ele é realmente um pouco superior em espaço (e nada mais) aos compactos mas perde em desempenho, equipamentos e acabamento para carros médios.
    Um tio comprou um fit 1.4 que anda pouca coisa a mais do que um 1.0 por 54k, o carro é totalmente pelado, não tem nem ao menos freios abs ou cd player orignal, mas custa o mesmo que um focus 1.6, um bravo 1.8 ou sentra 2.0 com estes equipamentos básicos que faltam ao fit e muito mais.
    Poderia continuar citando outros carros mas ficaria chato, mas existem vários outros com espaço interno semelhante, melhor motorização, melhor acabamento e mais equipados por preço semelhante.
    O problema do fit é que ele custa demais não pelo seu tamanho mas pelo que oferece, e só vende porque é honda.

  • klaussbn

    O FATO É QUE A MIDIA DISTORCE SIM OS COMPARATIVOS, claro, todos ja sabem… acho q a pretensão da materia era elucidar como as categorias criadas/misturadas de má fé dão falsa noção de prevalencia a determinados carros… isso sim é palhaçada! pq blz, a maioria n tem nem dinheiro pra comprar 4 rodas e tal, ou mesmo q compra, anda de busao e n vai mudar em nada, no maximo na roda de amigos… mas os que tem poder aquisitivo se deixam levar SIM pelo que tem la…
    Minha cidade é um puro exemplo disso (Natal)

  • Focusman

    Valeu pelos coments pessoal, escrevi este texto sem nenhuma pretensão, apenas queria compartilhar minha opinião com vocês.

    Vejo que muitos gostaram do texto, o que é bom, e me preocupa saber que muitos concordam com a bagunça que é o nosso mercado.

    Abraços!!

    • GAbRieLGUIMA

      Focusman parabéns. Sempre fiquei indignado com tudo isso.

      Fato é que essas revistas são compradas pelas montadoras. #FATO

  • GAbRieLGUIMA

    E quanto aos Chineses ein. O J3 foi posicionado na mesma faixa de preço de Fiesta, Agile, Fox e etc… Mas será que ele não estaria numa categoria a baixo não…

    O Chery Face está em qual segmento… E Cielo, seria um médio como o Astra…

    To perdido!!!

  • ctnmartins

    Concordo com o autor sobre os reais concorrentes do FIt: Polo, New fiesta, Punto.
    porém, quando o mesmo afirma que:
    "… Se eu consigo oferecer um produto pequeno por fora, grande por dentro posso pedir mais caro por isso e o consumidor pode sentir-se satisfeito por estar levando um ótimo produto para casa."
    A honda pode cobrar até R$ 100.000,00 num Fit se ela achar que vai ter gente proposta a pagar. Agora afirmar que é um ótimo produto é outra história completamente diferente.
    Ao elevar o preço do FIT em 10.000 reais acima dos concorrentes oferecendo mais espaço e menos equipamentos faz com que o FIT invada a faixa de mercado dos hatches médios. Neste caso, o Honda Fit é inferior a todos os hatches médios do mercado: i30, Focus, C4 e cia e comparativamente a estes, passa a ser um produto apenas de ruim a razoável. Lembro que a versão TOP do Fit beira os 70 mil reais. Pergunto: na faixa dos 70 mil reais, existe algum veículo igual ou inferior a ele em termos de qualidade?
    Deixo a dúvida no ar…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email