Etc Manutenção

Posso abastecer meu carro com álcool de limpeza (de cozinha) ou cachaça?

pinga-51-cachaca Posso abastecer meu carro com álcool de limpeza (de cozinha) ou cachaça?

Muitas pessoas confundem as coisas, achando que tudo que é álcool é a mesma coisa. Mas não é bem assim. Existem vários tipos diferentes de álcool. Mas, em caso de emergência, será que posso abastecer meu carro com álcool de cozinha, ou cachaça, bem como qualquer outra bebida forte, que tenha bastante álcool?



Pessoalmente, posso dizer que o álcool de cozinha funciona como combustível sim, pois tenho conhecidos que já fizeram isso, em caso de emergência, apenas para chegar até o posto mais próximo. Mas que fique bem claro que isso deve ser feito o mais raramente possível, rodando a menor quilometragem, para não causar quaisquer danos ao carro.

Já usar alguma bebida, como cachaça, não posso dizer com conhecimento de causa se dá certo ou não. Mas, a probabilidade de você causar danos ao carro usando alguma bebida deve ser maior, pois a cachaça ou outra bebida não vai ser álcool puro. Vai ter água ou outros componentes ali no meio.

Vamos a uma pequena explicação dos tipos de álcool que existem, que encontramos no Yahoo:

Álcool etílico – Etanol. Derivado do etano.

Álcool etílico anidro carburante (AEAC) – Comumente chamado de álcool anidro. Utilizado em mistura com a gasolina, com o objetivo de aumentar o poder antidetonante em motores de Ciclo Otto.

Álcool etílico hidratado carburante (AEHC) – Comumente chamado de álcool hidratado. Utilizado no Brasil como
combustível em motores de Ciclo Otto. Também utilizado para fins industriais.

O etanol é hoje um produto de diversas aplicações no mercado, largamente utilizado como combustível automotivo na forma hidratada ou misturado à gasolina. Também tem aplicações em produtos como perfumes, desodorantes, medicamentos, produtos de limpeza doméstica e bebidas alcoólicas. O etanol é, numa definição simples, um álcool incolor, volátil, inflamável e totalmente solúvel em água, derivado da cana-de-açúcar, do milho, da uva, da beterraba ou de outros cereais, produzido através da fermentação da sacarose. Comercialmente, é conhecido como álcool etílico.

O etanol contém aproximadamente 35% de oxigênio em sua composição e possui combustão limpa, ou seja, sua queima resulta somente em calor, sem presença de fuligem. Devido a isso, a emissão de CO2 na queima é baixíssima.

  • evotremex

    Posso colocar cachaça no meu carro?

    Claro! :hahh: só que ele vai sair cambalenado rua afora :hauhau:

  • Luis.J.R.

    Nossa não dá ideia?Daqui a pouco vai ter nego bebendo alcool etílico pensando que é mesma coisa que cachaça.Apesar que o nosso presidente já provou todos eles. :hauhau:

  • Comanche

    Queremos mais Autoridades Legislativas e Executivas, acordem Governantes.

    Algumas Usinas de Álcool, já lançaram a proposta de acabar com o álcool hidratado (com proporção industrial de água), mas a proposta não pegou, precisaria substituir componentes internos dos veículos a álcool que estão em circulação e também uma pequena alteração nos novos de fábrica. Para as Usinas e para o consumidor seria melhor, pois diminuiria custos de estocagem, comercialização, custos de produção, já que a produção seria totalmente destinada somente para o álcool anidro (sem água).

    É o álcool que é comercializado nos USA como Ethanol “EUA – Etanol”.

    Seria para o consumidor uma enorme vantagem, pois o álcool puro anidro, polui significativamente menos que o álcool hidratado, por ter uma queima mais limpa “o meio ambiente, agradece mais ainda, já que o hidratado polui 95% menos que a gasolina e imagina com o anidro. E ainda o carro passa ter ganhos significativos de potência devido ao álcool anidro ser puro, e uma vantagem de consumo de litros por quilômetros rodados proporcionada ao consumidor pela grande economia de consumo de anidro, ao seja a conta não seria mais de 70% de parâmetro entre o álcool hidratado e a gasolina, o parâmetro percentual a ser utilizado seria um percentual trazendo maior vantagem ainda para o anidro.

    A mudança nos componentes dos carros já em circulação não são significativas e o resultado em economia de custos para todo Brasil como consumidor, uma enorme economia no bolso, já que os custos menores de produção e distribuição, também implicariam em valores menores nas bombas.

    O governo já passou da hora de uniformizar e tornar o mercado brasileiro, consumidor de um único tipo de álcool combustível “o Etanol Anidro”, igual ao Europeu e Americano.

  • Comanche

    Faltou uma vírgula depois do “Queremos mais”, pois queremos mais, autoridades… ou seja, queremos mais trabalho dos governos em nosso benefício.
    A frase sem vírgula, passa a noção errada de que queremos mais é o número maior de governantes e não de seu pouco trabalho no setor do álcool.

  • rodrigoneves

    E não esqueça que o preço do álcool acompanharia o aumento energético dele, ou seja, aumentaria também.

  • tscarani

    – Álcool anidro NÃO polui menos. A única diferença entre os dois é ÁGUA, que não é queimada e sai do jeito que entrou. Por isso mesmo não confere ter que modificar alguma coisa no motor.

    – Seria melhor, mas seria proporcionalmente mais caro, por motivos óbvios.

    – O governo diferencia os dois produtos para fim de tributação, logo não convém para ele.

  • fr_amaral

    Meu pai uma vez quase fez isso(por cachaça) no carro na estrada, mais por sorte o pouquinho de Alcool que tinha deu pra chegar no Posto!

    [Comentario #126724 sera citado aqui]

    Daki a poko vai ter nego abastecendo carro com cachaça pq é mais barato! :hauhau: :hauhau: :hauhau: :hauhau: :hauhau: :hauhau:

  • Nicolau

    isso é fato!!!!

    Anos a traz acabou a luz de minha cidade, tiamos que ir a um almoço em uma fazenda, meu pai comprou varios litros de alcool no mercado, e deu tudo certo!!!

    anda sim!

    :banana:

  • Comanche

    [Comentario #126754 sera citado aqui]

    1- Álcool anidro polui menos sim, já li um estudo completo sobre o tema e testes realizados com motores a combustão. Não é porque é livre de água, que nada muda, muito pelo contrário, como ele é puro e com maior octanagem, sua queima é melhor, fazendo o motor trabalhar de maneira a não sofrer o mesmo esforço que ocorre no álcool hidratado;

    2- Ao contrário do que disse, o motor tem sim que sofrer ajustes. Quando digo motor, digo por motivos óbvios os componentes do conjunto do motor e não obviamente o bloco do mesmo. Mas tem sim, aliás esse estudo foi motivo de um memorando ao governo e as montadoras, requerendo alteração nos veículos para que se adequacem, caso o governo desse a autorização para comercializar este tipo de combustível puro. Mas infelizmente não houve progresso, principalmente por causa dos carros que já circulam, os flex nem tanto, mas os somente a álcool teria problema; Inclusive não preciso lhe dizer que o álcool anidro puro, não é o mesmo álcool “de limpeza”; O que não confere é teu conhecimento limitado a cerca da questão, e disposto a falar sem propriedade do assunto.

    3- Não seria proporcionalmente mais caro, pois a industrialização do mesmo não sofreria processos de finalização onde é necessário a existência de caldeiras para que a água entre em estado de vapor, para deixa-la pura, e depois devolvê-la ao estado líquido e adicionar ao álcool puro. Ou seja, evitaria todo este e outros processos de produção, diminuindo custos e tempo para produção do hidratado, diminuiria o custo com a comercialização, transporte, facilitação para tributação, já que não haveria a necessidade de adição de corante para diferenciar um do outro e com isso seria uma tributação simplificada, já que seria um único produto. Os tanques de armazenagem e estoque que tem um custo absolutamente elevado para as Usinas, e tras sérios prejuízos ao consumidor, pela falta de lugar para estocar o álcool, fazendo com que suba na entressafra com muito vigor, já que não dá para estocar juntos, por tratar de produtos diferenciados. Portanto os custos e claramente os preços finais seriam sem sombra de dúvida menores.
    Ao mais, se for colocado o álcool hidratado no carro ao preço na Usina de R$0,75 litro, com o consumo maior deste combustível, será equiparado ao custo a preço de hoje R$0,91, já que haverá menor consumo por tratar de combustivel de melhor qualidade e igual ao consumido fora do Brasil. Os custos se considerados os preços que resultariam com a unificação do produto, proporcionaria além da economia de preço, também a economia do combustível consumido no motor maior ganho ainda.

    4- Não sou eu quem afirmo isto, é informação de estudo de anos, bancado por algumas Usinas e Universidades.

    5- Não concordo com a não conveniência do governo, pois os custos com a melhora do ar, e diminuição de problemas respiratórios na população, a facilidade em ter maior quantidade de álcool para atender a demanda externa, já que para atender o comércio exterior, quando não há mais estoque do anidro, é necessário trazer de volta para a industrialização o álcool hidratado “re”transformando-o em anidro num proceso para retirada da água, e sem essa necessidade por tratar de um produto único, permite ao setor produtor de etanol, ter a possibilidade e flexibilidade de atender o mercado externo em qualquer momento, já que geraria entrada de divisas econômicas para o Brasil. Facilitaria a padronização que estão tentando implementar no etanol, para que seja facilitada a exportação.

    Existe uma série de outros fatores favoráveis ao governo, o que falta é vontade política.

  • pablorocha

    Minha “saudosa” belina II a àlcool 1981(economica D+),chegou a beber em tempos de escasez,do alcool comum,só não fiz o teste da cachaça na época,mas creio que o grande “mal” da mardita seja a adição do açúcar,que em motores causa um sonoro e doloroso estrago.

  • Comanche

    Quando menciono o valor de R$0,91 me refiro ao Anidro

  • IGAUM

    CACHAÇA EM EXCESSO faz mal… a maquina nao funciona bem…

    RESUMO: vai dar M*RDA!

    Vide o LULLA!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    :hauhau: :hauhau: :hauhau: :hauhau:

  • felipeb193

    Se eu por cachaça no meu carro eu fico como??? :drinkk: antes eu bebado do o meu carro!

    Tenho conhecidos(não muito normais) que já colocaram cachaça num Del Rey a alcool, funciona sim, mas muito ruim! o carro engasga muito e fica muito fraco, mas anda! hahahhahahaha

  • Leacs

    [Comentario #126778 sera citado aqui]

    Cocordo com voce quase que na totalidade,A unica obsevacao eh sobre a uniformalizacao com o mercado externo.,Esse mercado usa o E85 ou seja,85%alcool anidro mais 15% gasolina,que deveria ter sido adotado aqui desde o principio., 1 pela uniformalizacao com outros mercados (descritos por voce mesmo).
    2 pela nao necessidade de reservatorio de gasolina sobressalente para partida a frio., o que por si so ja seria muito mais adequado.
    porem , para beneficiar os usineiros numa epoca em que o acucar nada valia ,o Brasil adotou o E100.
    Coisas deste Brasil.

  • danielpa

    Esse Brasil é fogo, carro Flex é uma bobagem tão grande, deveriamos ter carro só a alcool, ou só a gasolina, isso se a politica de combustiveis fosse séria, e não deixar tudo na mão dos usineiros

  • IGAUM

    [Comentario #126862 sera citado aqui]

    Me explique TECNICAMENTE PORQUE?

    Mas me explique os PORMENORES, pq solução pra RENDER BEM, já existe, basta IMPLEMENTAR.

    Grato.

  • Comanche

    [Comentario #126869 sera citado aqui]

    Concordo com o Igaum

  • Comanche

    [Comentario #126844 sera citado aqui]

    Discordo de vc.,

    Pelo seguinte o Álcool comercializado nos Eua ou Europa é igual sim ao álcool anidro comercializado no Brasil, não existe diferença, a não ser a diferença pequena que é provocada pela qualidade inferior do álcool vindo do milho comparado ao da cana, mas são quase iguais, podendo inclusive misturar um com o outro sem problemas, já que os dois são anidro. O que não pode é misturar o hidratado com o anidro, pois ai o anidro vira hidratado, já que recebe a contaminação da água do hidra no anidro provocado pela mistura e os carros estrangeiros não usam água.

    O que vc. disse referente ao E85, até mesmo os outros “E” que existe como o E25 e diversos outros, não é na verdade uma transformação do álcool durante o processo de fabricação, como ocorre com o hidratado que necessita de caldeira para purificar a água do líquido para o gasoso e depois novamente para o líquido e etc., pois o E85 é o mesmo etanol puro “anidro”, só que fora do processo de fabricação misturado a gasolina em proporções de 15,20 25 e até mais de % percentual, para utilização nos carros, assim como ocorre na gasolina do Brasil que recebe álcool anidro, mas isso não significa que o processo de fabricação da gasolina seja alterado por causa da adição do álcool, apenas é misturado após sua fabricação.

    Portanto o álcool anidro do Brasil é absolutamente igual ao do Exterior, salvo a excessão que em nada compromete, pelo fato do teor energético ser um pouco diferente e algumas propriedades do carbono, por ser de matéria prima diferente como cana e no exterior milho, batata ou beterraba. Essa diferença faz o álcool de milho, batat…, consumir e poluir mais do que o álcool da cana, mas não significa que não podem ser misturados, muito pelo contrário, podem ser misturados normalmente, ao contrário do hidratado.

    O E85 nada tem a ver com isso, já que trata-se apenas de uma adição “à posteriore” de 25% de gasolina no álcool puro do exterior, chamado corretamente de etanol ou ethanol.

    Abraços

  • RSFilho

    Um pequeno esclarecimento aos “técnicos” de plantão: no processo de destilação do caldo de cana-de-açúcar, o primeiro produto resultante é o álcool hidratado(!). O álcool anidro é resultado de um segundo processamento, através de colunas de benzeno (altamente cancerígeno!), onde é feita a remoção “forçada” dos últimos resquícios de água ainda presente.

    É por isso que o álcool anidro é (e sempre será) mais caro que o álcool hidratado. E mais poluente também, já que carrega resíduos desse processo de desidratação. E o aumento no rendimento do motor é quase imperceptível.

    Ao meu ver, a única vantegem poderia ser a menor corrosão, o que talvez barateasse um pouco os novos motores (somente os novos!).

    Resumindo: a vantagem seria insignificante e o preço seria maior.

    Só para ilustrar: segundo a Unica (União da Indústria da Cana-de-Açúcar), o preço pago ao produtor pelos litros de álcool hidratado e anidro, respectivamente, em novembro/2008 foram R$ 0,7264 e R$ 0,8970. Ou seja: o anidro é mais de 23% mais caro que o hidratado.

    Ok?

  • duhs2dany

    De cachaceiro ja basta o dono. Agora rodar com as minhas cachacas? vsf.
    Tem alcool de posto pra isso. Eu nao tomo do dele, ele tbm nao ira tomar do meu!
    :tong:

  • Rodrigomc

    Mas gente, eu axo q nao faz diferença nao pq o nosso combustivel aki é católico! É batizado atéééé…. :hauhau:

  • Felipe

    Aquela Do ALcool Servir como combustivel Foi Boa… KsKsKsKSSKsKSSKSKs

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend