Nissan Renault

Presidente da Renault-Nissan diz em transformar aliança em um sucesso

Presidente da Renault-Nissan diz em transformar aliança em um sucesso

Entre escândalos, prisão e demissão, a aliança Renault-Nissan vem tentando ficar mais forte em meio aos problemas. Pelo menos foi a impressão que o atual presidente da Renault, Jean-Dominique Senard, quis passar. O executivo disse que existe “desejo real” de transformar a aliança em um sucesso.


A declaração foi dada após os boatos que surgiram de uma possível separação entre Renault e Nissan. Segundo o jornal Financial Times, fontes disseram que a parceria “se tornou tóxica já que muitos executivos da Nissan creem que a empresa francesa põe para baixo o grupo japonês”. A Nissan desmentiu a notícia.

Presidente da Renault-Nissan diz em transformar aliança em um sucesso

Vale ressaltar que há uma certa “crise” entre Renault-Nissan desde o final de 2018, quando ocorreu a prisão do magnata do setor automotivo e ex-CEO do grupo, Carlos Ghosn. O brasileiro, que foi responsável pela união de ambas as montadoras no final dos anos 1990, é acusado de má conduta financeira. No fim do ano passado, Ghosn fugiu de Tóquio para o Líbano. Ele estava em prisão domiciliar no Japão e aguardava julgamento.

VEJA TAMBÉM:

No processo de “arrumar a casa”, Jean-Dominique Senard disse que o grupo tem um conselho supervisionando a aliança “que é feita de pessoas que são extremamente a favor dessa parceria”, afirmou o executivo. “Existe um desejo comum de associar nossos planos estratégicos e um desejo real de fazer dessa aliança um sucesso”, finalizou.

Presidente da Renault-Nissan diz em transformar aliança em um sucesso

Quando perguntado sobre a fuga cinematográfica de Ghosn, Senard preferiu não se posicionar e disse: “Penso apenas no futuro”.

O atual presidente tem inúmeros desafios agora em diante, como novos projetos entre Renault-Nissan. Além disso, haverá uma importante reunião no fim deste mês para decisões industriais e cortes de custos são “significativos” no futuro”. Outro desafio é na escolha de um novo CEO para a Renault, já que o antigo, Thierry Bolloré, foi demitido no final do ano passado.

[Fonte: UOL]

Darlan Helder

Darlan Helder

Natural de São Paulo, é jornalista e fotógrafo. Escreve na internet sobre o universo automotivo desde 2011

  • Alguém mais pronuncia mentalmente “gósh” mesmo sabendo agora que é “gôn”? Sempre lia “gósh” ou “gós’n” antes de ouvir a pronúncia pela TV.

    • Klaus Nickel

      pra mim será sempre “gósh”…eh eh eh

    • passis

      Eu acho que esse tal de “gôn” é porque o pessoal imita os franceses, que comem o “s”. Acredito eu, que por ser de origem arabe, a pronúncia seria algo como “gosnán”, mas sei lá…

    • Selsu Brass

      É que nem as palavras CEO e COACH hehe. Já ouvi cada pronúncia dessas palavras heheh. Mas eu tb não saou muito bom de falar essas palavras de outras línguas hehehe.

    • zekinha71

      Pra mim sempre foi gósn, porque eu conhecia uma família com esse sobrenome e eles falavam gósn.

  • omaisbanidodona

    È tiozinho nao vai “vacilar” no Japao agora !!! os japas agora abriram os olhos kkkkkk

  • Honest Car Salesman

    Precisam colocar alguém para comandar a Renault-Nissan na América Latina.
    Ambas têm modelos muito fracos no mercado brasileiro e preços que não condizem.
    Tem que ser bom & caro, ou meia-boca & barato. Inverter os papeis (meia-boca & caro) não dá certo…
    Observando a parte interna de um Stepway de R$ 73.900 na concessionária, eu me assustei com a qualidade da forração dos bancos. Fiquei em dúvida se é plástico, papelão, ou uma mistura dos dois.

  • Rogério R.

    Espero que essa aliança ganhe líderes com a conciência de que a Renault-Nissan-Mitsubishi funcionam bem juntas.

  • Vinicius

    Indústria automobilística perdeu dois grandes líderes, Sergio Marchionne e Carlos Ghosn, justamente na transição tecnológica, vão fazer falta.

  • Julio Alvarez

    É bom esse presidente de Renault/Nissan testar se ele cabe em uma caixa de instrumentos musicais. O seguro morreu de velho…

    • leitor

      Vê logo um piano de cauda. Ou caixas de som pra show de rock.

  • disturbed591

    A aliança que o governo Japonês olha de cara feia.

  • Kleverson Gomes

    O Ghosn já tinha feito isso com esplendor, e deu no que deu.

  • delvane sousa

    Não que seja ele Santo, mas cada vez mais acredito na versão dos Ghosn de que foi uma armação dos japas

  • leitor

    Não que seja a forma mais ortodoxa. Mas creio que essas irregularidades poderiam ser resolvidas internamente. Não é possível que gastos pessoais signifiquem prejuízo considerável à empresa. Ainda mais pra quem salvou a marca que é um negócio bilionário. O resultado será que pra achar outro vai pagar mais caro ainda que assumir e tentar regularizar. E a marca ainda tem muito a crescer.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email