Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

O Prisma 2012 chegou ao mercado com mudanças no visual exterior e no acabamento interno. Foi o último ano/modelo da primeira geração do sedã compacto da General Motors. O Chevrolet era um carro popular bem apreciado.


Com mais de 1,5 milhão de unidades produzidas com o Celta em Gravataí-RS, o Prisma não era um carro antigo em 2012, tendo nascido em 2006 como um derivado de seu irmão hatch.

Feito para ser um carro de baixo custo, o Prisma tinha uma arquitetura montada sobre a plataforma do Corsa B alemão, que chegou ao Brasil simultaneamente com o Opel em 1994.

Mesmo que parecesse o sedã mais barato da Chevrolet, ele não era, visto que o Chevrolet Corsa Classic ainda continuava em produção e seguiu adiante, saindo de linha em agosto de 2016.

Já o Prisma da primeira geração morreria bem antes, em outubro de 2012. Na hierarquia da Chevrolet, o modelo era o segundo entre os sedãs, que em tempos áureos contava ainda com Astra, Vectra e Omega.

Logo após sua saída, chegou a nova geração com o Chevrolet Onix, ampliando os horizontes. O Prisma 2012 era um carro de baixo custo de manutenção, que tornara o produto com boa aceitação no mercado.

Ele ganhara alterações exteriores, como a grade com acabamento cromado e barra na cor do carro, enquanto os retrovisores passaram a ser de série na cor do carro. Na traseira, friso cromado compôs o visual.

Por dentro, recebera cluster com novos grafismos e cor Ice Blue, assim como também novos comandos dos difusores de ar, espelho no para-sol do passageiro e alças no teto.

Além disso, ganhou um volante novo com detalhes em prata, bem como novo acabamento dos bancos, que eram diferenciados entre as versões oferecidas: LS e LT. Cada uma tinha um motor diferente, sendo estes 1.0 e 1.4, na ordem.

Os porta-objetos foram aumentados, assim como os porta-garrafas nas entradas. As portas receberam ainda aplique prata na versão LT. Esta versão vinha com motor GM Família I 1.4 de até 97 cavalos, enquanto o LS era 1.0 com até 78 cavalos.

O câmbio F17 de cinco marchas era a opção única para o modelo, que tinha 4,12 m de comprimento, 1,64 m de largura, 1,46 m de altura e 2,44 m de entre-eixos, tendo somente 439 litros no porta-malas.

Na mesma época do lançamento do Prisma, a GM apresentou um conceito baseado nele, mas que poderia ter mudado o curso da história para a Chevrolet no Brasil. Tratava-se do Prisma Y, um misto de crossover e minivan.

Ele foi uma das ideias mais brilhantes e perdidas da GM no Brasil, visto que surgira no Salão do Automóvel de 2006 como uma resposta ao Ford EcoSport, nascido dois anos antes e sozinho no mercado de SUVs compactos.

Usando a plataforma, portas e o mesmo estilo de faróis e lanternas, o Prisma Y era um belo derivado do sedã e teria um porta-malas bem generoso, sendo ainda capaz de andar em terra e com possível produção em Gravataí.

Substituiria o Tracker antigo (Suzuki Grand Vitara), mas também teria um papel de ser o antecessor da Spin, que chegou ao mercado apenas em 2013. Contudo, a GM desistiu da ideia e lançou o GPiX, um conceito que deu origem ao Agile.

Ao longo dos anos, o Prisma teve poucas atualizações, com novas rodas e pneus de aro 14 polegadas em 2008. Em 2009, ganhou o motor 1.0 VHC-E, visto que até então só era oferecido com o propulsor 1.4 Econo.Flex.

Na linha 2012, as versões com nomenclaturas LS e LT foram adicionadas ao produto. Ele permaneceu assim até o fim da primeira geração. Já a segunda nasceu com o Onix, também em Gravataí.

Com a plataforma Gamma II da GM com simplificação, ele compartilhava a mesma base Onix, Cobalt e Spin. Ainda com os motores Família I, o Prisma seguiu com muitas atualizações, em especial de segurança.

Também estreou transmissão automática no motor 1.4, que passou para até 106 cavalos. Foi um produto importante, que conviveu com o Cobalt, sendo bem econômico e confiável.

Esta segunda geração do Prisma continua em produção, na sede em São Caetano do Sul, mas chamado Joy Plus, sendo uma opção popular de acesso ou para frotistas.

Ele fora substituído pelo Onix Plus, que veio sobre a plataforma VSS-F e com motores CSS Prime 1.0 e 1.0 Turbo, entregando até 82 cavalos no primeiro e 116 cavalos no segundo, que não tem injeção direta.

De um sedã extremamente simples, o Prisma 2012 passou para um produto mais moderno e agora tem uma cara (e conteúdo) mais premium, chegando mesmo a dispor de internet 4G a bordo, Wi-Fi e estacionamento automático.

Com essa evolução, o primeiro Prisma mostra que a proposta se tornara um sucesso, ainda mais que a terceira geração faz dobradinha com o Onix em vendas, mesmo sob pandemia de Covid-19 a afetar o mercado em 2020.

Prisma 2012 – detalhes

Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

O Prisma 2012 ganhou uma repaginada no visual, adotando uma frente mais esportiva, com a grade no padrão da Chevrolet, compreendo assim grade com acabamento cromado nas bordas, bem como barra na cor do carro com o logo.

Mais proeminente, a grade se fundia com o capô alongado, tendo ainda os faróis amendoados com lentes simples, piscas integrados e lanternas com lâmpadas comuns.

O para-choque com grade inferior treliçada, tinha ainda molduras laterais com faróis de neblina e spoilers integrados, dando um ar mais esportivo ao sedã da General Motors.

Com opção de rodas de liga leve aro 14 polegadas de cinco raios, o Prisma tinha ainda pneus 175/65 R14, mas vinha de fábrica com rodas de aço com calotas e igualmente com aro 14 polegadas.

As maçanetas das portas e retrovisores tinham acabamento na cor do carro, tendo ainda a LT, frisos laterais na cor do carro. No teto, uma antena proeminente se apresentava.

Na traseira, as lanternas triangulares e de design fluido, eram as mesmas de 2006, porém, a tampa recebera uma moldura prateada no Prisma LT, além de manter os vincos pronunciados e o para-choque com recorte para o escape e placa.

O Prisma 2012 tinha saias laterais e spoilers no para-choque traseiro. Esse era o visual do sedã compacto da GM antes de seu fim no ano seguinte e da mudança para a nova geração.

Por dentro, o Chevrolet Prisma tinha um acabamento muito simples, com painel em dois tons de cinza, com difusores de ar circulares e cluster com mostradores analógicos de cor Ice Blue com conta-giros e velocímetro grandes.

Os menores eram nível de combustível e temperatura da água. Não havia computador de bordo, apenas um display com funções básicas, mas incluindo consumo médio.

O volante tinha três raios, sendo que a parte superior era prateada. No console central, o Prisma podia ter um rádio com CD/MP3/USB e Bluetooth da Positron, que era fornecedora da General Motors.

Havia comandos dos vidros elétricos apenas nas portas dianteiras, deixando as traseiras com manivelas. Os retrovisores externos tinham controles internos, mas havia travamento central elétrico e o banco do motorista tinha ajuste em altura.

O Prisma 2012 não dispunha de airbag duplo e nem de freios com ABS, sendo um carro bem básico. Os bancos tinham padronagem simples na LS e decorado na LT, com banco traseiro sem encosto inteiriço e com rebatimento manual.

Havia cintos de segurança de 3 pontos apenas nas laterais e apoios de cabeça somente para quatro. O quinto passageiro ficava sem estes itens, tendo apenas cinto traseiro subabdominal.

No teto havia alça apenas no lado do passageiro, assim como espelho no para-sol daquele lado. O retrovisor interno era dia e noite. O sedã tinha ainda desembaçador do vidro traseiro, ar condicionado, direção hidráulica e vidros verdes.

Bem rústico, ainda apresentava porta-copos, porta-objetos e porta-luvas com espaço pequeno. No porta-malas de 439 litros, luz interna na LT e apenas o assoalho tinha carpete.

Prisma 2012 – versões

Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

  • Chevrolet Prisma LS 1.0 MT
  • Chevrolet Prisma LT 1.4 MT

Equipamentos

Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

Chevrolet Prisma LS 1.0 MT – Motor 1.0 e transmissão manual de cinco marchas, mais para-choques na cor do carro, vidros verdes com parabrisa laminado, maçaneta externa e capa dos espelhos retrovisores na cor do veículo, conta-giros e relógio digital, rodas de aço aro 14 polegadas com calotas integrais, pneus 175/65 R14, limpador
e lavador do parabrisa com temporizador, ventilador com 4 velocidades, desembaçador do vidro traseiro, para-sol do passageiro com espelho integrado, bancos em tecido, protetor de cárter, alça de teto do lado do passageiro, retrovisor interno dia e noite, vidros manuais, travas manuais, retrovisores externos com controle interno e porta objetos acima do porta luvas.

Opcionais: ar quente, ar condicionado e direção hidráulica.

Chevrolet Prisma LT 1.4 MT – Itens da LS, mais motor 1.4 litro, além de padronagem diferenciada dos assentos, barra cromada na tampa do porta-malas e calotas integrais diferentes.

Opcionais: ar quente, ar condicionado, direção hidráulica, vidros dianteiros elétricos, travamento central elétrico, alarme antifurto e travamento automático das portas a partir de 15 km/h.

O Prisma 2012 tinha ainda opcionais vendidos como acessórios instalados em concessionárias, tais como rodas de liga leve, spoilers nos para-choques, saias laterais, faróis de neblina e sistema de áudio com CD/MP3/USB e Bluetooth.

Ele podia ainda vir com preparação para som com quatro alto-falantes e antena externa. Como parte dos equipamentos eram instalados nas lojas, estes recebiam garantia de fábrica da GM.

Preços

Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

  • Chevrolet Prisma LS 1.0 MT – R$ 31.344
  • Chevrolet Prisma LT 1.4 MT – R$ 32.150

Prisma 2012 – motor

Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

O Prisma 2012 era equipado com dois propulsores da Família I da General Motors, que fora desenvolvida nos anos 80 pela Opel, tendo chegado aqui pelas mãos da Chevrolet, a bordo do Corsa, em 1994.

Diferente da Família II, que chegou aqui com o Monza, este propulsor é menor em tamanho e peso, tendo sido desenvolvido para o Corsa A e carros pequenos da General Motors.

Apesar de seu volume ter chegado a 1.8 litro, como ainda é fabricado para a minivan Spin, ele foi construído em maior número com 1.0, 1.2, 1.3, 1.4 e 1.6 litros, sendo que apenas os 1.2 e 1.3 não foram produzidos no Brasil.

O Família I 1.0 chegou a ter cabeçote com 16 válvulas, mas sua forma com 8V durou até os dias atuais a bordo de Joy e Joy Plus. Já o 1.4 estreou mesmo a bordo do Celta e com 85 cavalos, sendo flexibilizado e usado no Prisma também.

Com bloco em ferro fundido e cabeçote de alumínio, o 1.0 VHC-E e o 1.4 Econo.Flex diferiam apenas no volume, possuindo injeção eletrônica multiponto com tecnologia flex usando tanquinho de gasolina para partida a frio.

Tendo já bobinas individuais, o propulsor recebeu melhoramentos ao longo dos anos para se tornar mais eficiente, mas no Prisma 2012, ele ainda não havia passado por duas atualizações até chegar ao atual SPE/4, outro nome do mesmo motor.

Com comando de válvulas roletado e acionado por correia dentada, o 1.0 VHC-E tinha 999 cm3 com taxa de compressão de 12,6:1 e entregando 77 cavalos na gasolina e 78 cavalos no etanol, ambos a 6.400 rpm.

Já os torques eram de 9,5 kgfm no primeiro e 9,7 kgfm no segundo, ambos a 5.200 rpm. Ele era equipado apenas com transmissão manual de cinco marchas.

No caso do 1.4 Econo.Flex, o quatro cilindros tinha 1.389 cm3 com compressão de 12,4:1, dispondo assim de 95 cavalos no derivado de petróleo e 97 cavalos no combustível vegetal, obtidos a 6.000 rpm.

Os torques eram alcançados a apenas 2.800 rpm, sendo assim um motor muito mais esperto que o 1.0, tendo 13,2 kgfm na gasolina e 13,7 kgfm no etanol. Em comparação com o Fire da Fiat, ele era bem mais forte.

O câmbio era o mesmo F17 de close ratio da versão 1.4, não tendo opção automatizada – como no Agile – ou automática, como na geração seguinte.

Esses motores durariam mais no Prisma seguinte, onde receberam duas atualizações, com a última trocando pisões, bielas, anéis, sedes de válvulas, virabrequim, junta de cabeçote, óleo lubrificante e periféricos para ficar mais eficiente.

A GM ainda mantém a produção dos três motores da Família I, que ainda inclui a picape Montana com o 1.4 litro. No novo Onix Plus, considerado a terceira geração do Prisma 2012, ele tem motor CSS Prime todo em alumínio e com três cilindros.

Desempenho

Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

O Prisma 2012 tinha um bom desempenho com os dois motores. O sedã compacto da GM precisava de pouco mais de 14 segundos para atingir 100 km/h e alcançava quase 165 km/h.

No 1.4, era ainda melhor, com 0 a 100 km/h abaixo de 11 segundos e com final acima de 180 km/h. Seus dois motores rendiam bem, porque o modelo era leve, pesando 921 kg no 1.0 e 905 kg no 1.4, que era mais leve ainda.

Isso permitiu uma boa resposta em desempenho, ainda que não fosse um carro muito potente. Isso refletiu diretamente no consumo.

  • Chevrolet Prisma 1.0 MT – 14,3 segundos e 164 km/h
  • Chevrolet Prisma 1.4 MT – 10,9 segundos e 182 km/h

Consumo

Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

No consumo, o Prisma 2012 fazia bem com etanol na cidade, com consumo urbano de 7,5 km/l e rodoviário acima de 9 km/l. Na gasolina, o 1.0 fazia mais de 11 km/l na cidade e acima de 13 km/l na rodovia.

Já o 1.4 era menos frugal na cidade com etanol, fazendo 7 km/l. Na gasolina, ele chegava a 10 km/l. Na estrada, pouco menos de 9 km/l no combustível vegetal e acima de 13 km/l no rodoviário.

Mesmo não tendo as atualizações mais recentes, esses motores ainda rendiam bem, mas poderiam ter bebido menos com mudanças importantes, especialmente em redução de consumo de energia.

  • Chevrolet Prisma 1.0 MT – 7,5/9,1 km/l e 11,2/13,1 km/l
  • Chevrolet Prisma 1.4 MT – 7,0/8,8 km/l e 10,4/13,2 km/l

Prisma 2012 – manutenção e revisão

Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

A rede Chevrolet tem revisões a cada 10.000 km ou 12 meses, tendo as paradas até 60.000 km, sendo ambos os motores do Prisma 2012 com custo total de R$ 3.600, o que é bastante alto para um carro simples nos valores atuais.

As revisões consistem em inspeção de itens básicos, como suspensão, direção, freios, parte elétrica e mecânica, assim como pneus e itens de segurança. O carro ainda passa por um check up eletrônico para averiguar outros defeitos.

Então, são substituídos velas, óleo do motor, filtro de ar, filtro de combustível, filtro de óleo, fluido de freio, correia dentada, correia em V, entre outros componentes de desgaste natural.

O plano de manutenção ainda possui serviços extras como funilaria, pintura, instalação de acessórios, higienização, entre outros. A rede está certificada para atender todos os problemas relacionados ao Prisma 2012, incluindo recall.

Troca de pneus, rodas, buchas, pivôs, amortecedores, molas, entre outros, podem ser feitos nas oficinas da Chevrolet, que também podem retirar o motor e enviá-lo para a fábrica.

Com preços tabelados, os clientes podem encontrar qualquer revendedor com os mesmos valores em todo o território nacional, tendo ainda parcelamento em quatro vezes e garantia dos serviços prestados.

Revisão10.000 km20.000 km30.000 km40.000 km50.000 km60.000 kmTotal
1.0R$ 244,00R$ 592,00R$ 676,00R$ 484,00R$ 884,00R$ 720,00R$ 3.600,00
1.4R$ 244,00R$ 592,00R$ 676,00R$ 484,00R$ 884,00R$ 720,00R$ 3.600,00

Prisma 2012 – ficha técnica

Prisma 2012: preços, versões, motor, consumo, desempenho, revisão

Motor1.01.4
Tipo
Número de cilindros4 em linha4 em linha
Cilindrada em cm39991389
Válvulas88
Taxa de compressão12,6:112,4:1
Injeção eletrônicaIndireta FlexIndireta Flex
Potência máxima77/78 cv a 6.400 rpm (gasolina/etanol)95/97 cv a 6.000 rpm (gasolina/etanol)
Torque máximo9,5/9,7 kgfm a 5.200 rpm (gasolina/etanol)13,2/13,7 kgfm a 2.800 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão
TipoManual de 5 marchasManual de 5 marchas
Tração
TipoDianteiraDianteira
Direção
TipoHidráulicaHidráulica
Freios
TipoDiscos dianteiros e tambores traseirosDiscos dianteiros e tambores traseiros
Suspensão
DianteiraMcPhersonMcPherson
TraseiraEixo de torçãoEixo de torção
Rodas e Pneus
RodasAço e liga leve, aro 14 polegadasAço e liga leve, aro 14 polegadas
Pneus175/65 R14175/65 R14
Dimensões
Comprimento (mm)4.1274.127
Largura (mm)1.6451.645
Altura (mm)1.4631.463
Entre eixos (mm)2.4432.443
Capacidades
Porta-malas (L)439439
Tanque de combustível (L)5454
Carga (Kg)440470
Peso em ordem de marcha (Kg)921905
Coeficiente aerodinâmico (cx)NDND

Prisma 2012 – fotos

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.