Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

O Chevrolet Prisma 2013 é a segunda geração do sedã compacto da GM, tendo sido lançado em fevereiro de 2013. O modelo sucedeu o antiquado e pobre Prisma da geração anterior, compartilhando a plataforma com o Chevrolet Onix.


Além disso, a plataforma Gamma II da GM sustentava ainda a dupla Chevrolet Spin e Cobalt, mas estes tinham medidas maiores, tendo entre-eixos padrão de 2,620 m contra 2,528 m do Prisma.

Com linhas fluidas e uma frente chamativa, o sedã era feito em Gravataí-RS ao lado do hatch e chegou como uma verdadeira evolução em relação ao anterior, derivado do Celta e bem pobre em equipamentos.

Já o Prisma 2013 chegou com uma estrutura mais completa, rígida e segura, trazendo de série airbag duplo e freios com ABS, além de EDB. Ainda que fosse apenas protocolar com as novas regras de emissão nacionais, era um avanço para ele.

Oferecido em duas versões – LT e LTZ – o Prisma chamava atenção por seus faróis com lentes azuis, grade cromada e linhas equilibradas. O Prisma 2013 chegou com oferta limitada, que depois seria ampliada com o câmbio automático.

Leia também sobre o Prisma 2014 e o Prisma 2015.

Ele foi um dos primeiros compactos de entrada a ter transmissão automática de seis marchas no Brasil, mas ela só chegou no segundo ano-modelo. Além disso, o Chevrolet tinha também uma arquitetura elétrica para suportar uma multimídia.

Esta era a MyLink com tela sensível ao toque de 7 polegadas, que trazia funcionalidades como Bluetooth, USB, auxiliar, comandos no volante, reprodução de imagens e vídeos, arquivos de música digital e dois aplicativos dedicados no sistema.

Um deles era o TuneIn, que conectava a multimídia a mais de 70.000 estações de rádio pelo mundo, ampliando o entretenimento a bordo. Além disso, havia o BringGo, um navegador GPS com dados de tráfego em tempo real.

Todos eles eram dependentes da conexão 4G do celular a bordo, devidamente conectado por wireless ao dispositivo. Além disso, o Prisma 2013 trazia um cockpit bem desenhado e com cluster análogo-digital, com conta-giros analógico e display.

Neste último, velocímetro, nível de combustível e temperatura da água eram integrados ao computador de bordo. O volante de três raios tinha um visual moderno e o porta-luvas chamava atenção por abrir de forma invertida.

As portas, contudo, tinham puxadores recuados, dificultando o manuseio, mas os bancos tinham boa padronagem, com couro e tecido na versão LTZ. Com porta-copos bem distribuídos, o Novo Prisma tinha mais espaço interno.

O banco traseiro agora era bipartido e permitia que o porta-malas de 500 litros fosse ampliado de forma funcional. O lado ruim é que o sedã da GM continuava sem cinto de 3 pontos no quinto passageiro e muito menos com Isofix e Top Tether.

Ele também apostou em manter a velha mecânica da Família I de motores da GM, levemente atualizada em relação ao velho Prisma, mantendo bloco de ferro fundido, cabeçote de alumínio e oito válvulas, além de injeção flex com tanquinho.

O 1.0 entregava até 80 cavalos ante 78 do modelo antigo, enquanto o torque subiu de 9,7 para 9,8 kgfm, ambos no álcool. No 1.4, a potência subiu de 95 para 98 cavalos na gasolina e de 97 para 106 cavalos no etanol, na mesma rotação de antes.

O torque foi ampliado para até 13,9 kgfm no álcool, mas caiu na gasolina para 12,9 kgfm. Com relação de marchas mais adequada, o Prisma 2013 tinha o câmbio F17 no 1.0 e F15 no 1.4, invertendo a ordem do anterior.

Com 4,27 m de comprimento, ele superava o anterior, que media 4,12 m. Era mais largo e pouco mais alto, tendo entre-eixos de 2,53 m ante 2,44 m do antigo. O modelo ganhou 61 litros no bagageiro e manteve o tamanho do tanque.

Tendo ampliado muito o conforto a bordo, o Novo Prisma melhorou bastante em acabamento numa comparação com o sedã que saiu de linha em outubro de 2012.

O novo conjunto tinha uma carroceria bem mais rígida e estável, bem como suspensão mais equilibrada e confortável. A direção ainda era hidráulica, mas isso mudaria pouco tempo depois, adotando um sistema elétrico e mais eficiente.

Com o Classic renovando-se para ficar mais tempo no mercado, assumindo de vez a posição do Prisma derivado do Celta, o novo sedã da Chevrolet podia assim ser vendido apenas nas duas versões citadas, com um bom pacote de equipamentos.

Ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricas nas quatro portas, retrovisores elétricos, multimídia MyLink, cluster com computador, volante em couro, bancos em couro e tecido, freios ABS e airbag duplo, estavam disponíveis.

Isso fazia com que o Prisma 2013 substituísse também o Corsa Sedan, apresentando um conjunto que poderia superar o antigo modelo da Opel, mas sem motor 1.8, embora o novo carro pudesse ostentá-lo.

Nesse caso, quem se aproveitou foi o Cobalt, lançado em 2011, que veio inicialmente com motor 1.4 de até 102 cavalos, mas logo depois assumiu o 1.8 com até 108 cavalos. Ele entrou no lugar também do Astra, completando a mudança.

Prisma e Cobalt andariam juntos por quase oito anos, mas o menor canibalizou as vendas do maior com o tempo e eles eram similares em preço, chegando as versões LT 1.4 a terem diferença de R$ 400, mas com itens diferentes.

Na estratégia da GM, no entanto, havia uma grande diferença entre os produtos. O Prisma 2013 era um sedã para quem não precisava de muito espaço e buscava mais economia de combustível.

Já o Cobalt esbanjava espaço e porta-malas – 563 litros, o maior do segmento – apto para quem precisava mais dessas características. Essa sobreposição de produtos deu certo no início, mas depois revelou-se um equívoco.

O Prisma recebeu câmbio automático em 2014, com seis marchas e adição de piloto automático, além de ampliação das versões. Mais adiante, recebeu projeção para Google Android Auto e Apple CarPlay.

Daí, veio a atualização da linha 2016, que deu a ele um visual melhor e mais aerodinâmico, inclusive com assinatura em LED, novos faróis, lanternas, grade, para-choques, tampa traseira, capô, rodas de liga leve, entre outros.

Ele recebeu ainda reforço estrutural para ficar mais rígido e seguro, além de reduzir peso. Novos rolamentos, defletores no assoalho, pneus de baixa resistência à rolagem, proteção de bateria, eletro-ventilador mais moderno e alternador novo.

Isso sem contar mudanças no óleo do motor, peças móveis de menor resistência e maior leveza, entre outras modificações, que transformaram os VHC-E e Econo.Flex em SPE/4, designação já usada na atualização prévia do Prisma 2013.

Nisso, ganhou os cintos completos, Isofix e TopTether, bem como o OnStar na multimídia, com navegação por setas e assistência 24 horas com localização. Câmera de ré, bancos em couro, volante multifuncional, entre outros, estavam lá.

O Prisma 2013 acabou tendo seu visual mantido na versão Joy, que assumiu o lugar do Classic, tendo somente motor 1.0. Em 2019, com a chegada do Onix Plus, passou a ter o visual da atualização de 2016 e foi simplificado, chamado Joy Plus.

Ele ainda continua em produção, mas somente em São Caetano do Sul e ainda mantendo o motor 1.0, além de acabamento simples e oferta de equipamentos bem limitada para custar menos que o Onix Plus.

Prisma 2013 – detalhes

Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

O Prisma 2013 tinha uma frente com faróis grandes e de lente simples, mas com tonalidade azul na versão LTZ, incorporando também repetidores de direção e lanternas. A grade era grande e dupla, ocupando parte do capô.

Ela era cortada por uma barra na cor do carro com o logotipo da gravata dourada, assim como molduras cromadas. Além disso, o Prisma portava um para-choque com grade inferior central e molduras laterais fluidas.

Nestas, ficavam os faróis de neblina circulares, montados num fundo preto e com frisos cromados. Nas laterais, as maçanetas eram embutidas e na cor do carro, assim como os retrovisores.

Já no teto, apenas antena pouco pronunciada. O sedã da GM tem rodas de aço com calotas aro 14 polegadas com pneus 185/70 R14 na versão LT, seja 1.0 ou 1.4. Já a LTZ vinha com rodas de liga leve aro 15 polegadas com pneus 185/65 R15.

Na traseira, as lanternas eram compactas e liberavam a tampa do porta-malas, tendo acabamento escurecido na versão LTZ. Esta também portava sensor de estacionamento no para-choque. A tampa do bagageiro vinha com brake-light.

Com vidros verdes, para-brisa degradê e vidro traseiro com desembaçador, o Prisma 2013 tinha um interior moderno e atraente, com volante em couro tendo comandos de mídia e telefonia. O computador ficava na haste dos limpadores.

O cluster era análogo-digital com conta-giros dotado de ponteiro vermelho e display digital em cor Ice Blue para velocímetro, temperatura da água, nível de combustível e computador de bordo. Lembrava o painel de uma motocicleta.

Ao centro, duas pequenas aberturas e a multimídia MyLink com tela touchscreen de 7 polegadas, tendo ainda aplicativos TuneIn e BrinGo, bem como Bluetooth, USB e auxiliar, estes dois abaixo dos comandos físicos do ar-condicionado.

O porta-luvas vinha com o nome Prisma e tinha tampa com abertura invertida e iluminação. A chave era tipo canivete e tinha telecomando com travamento das portas, levantamento ou retração dos vidros e ativação do alarme.

As portas tinham comandos para os quatro vidros elétricos one touch, assim como a coluna A do motorista mostrava comando para ajuste elétrico dos retrovisores externos. Os bancos tinham padronagem em tecido na LT e tecido/couro na LTZ.

O assento do motorista tem ajuste em altura, enquanto o banco traseiro era bipartido, com dois apoios de cabeça e cinto central subabdominal. Havia ainda cintos de segurança de 3 pontos nas laterais, com os dianteiros pré-tensionados.

No teto, alças e luz interna, bem como espelhos nos para-sois e retrovisor interno dia e noite. O Prisma 2013 tem ainda porta-copos dianteiros e traseiros, bem como alavanca de câmbio curta e sistema de som com quatro alto-falantes.

O porta-malas, que podia ser ampliado, tinha 500 litros e vinha com um estepe fino 115/70 R16, feito para rodar até 80 km/h e por tempo limitado. Esse espaço continha ainda iluminação e forração completa em carpete.

A tampa podia ser aberta por dentro do veículo ou pela chave-canivete com telecomando. O bocal do tanque também era acionado por dentro do veículo, que tinha ainda direção hidráulica com coluna ajustável em altura.

Prisma 2013 – versões

Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

  • Chevrolet Prisma LT 1.0 MT
  • Chevrolet Prisma LT 1.4 MT
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT

Equipamentos

Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

Chevrolet Prisma LT 1.0 MT – Motor 1.0 e câmbio manual de cinco marchas, mais ar-condicionado, direção hidráulica, vidros dianteiros elétricos, travamento central elétrico, para-choques na cor do carro, rodas de aço aro 14 polegadas, pneus 185/70 R14, calotas integrais, retrovisores na cor do carro, maçanetas na cor do carro, computador de bordo, retrovisores externos com controle interno, vidros traseiros manuais, vidros verdes, para-brisa degradê, vidro traseiro térmico, sistema de som com quatro alto-falantes e antena no teto, multimídia MyLink com tela de 7 polegadas sensível ao toque, Bluetooth, USB, auxiliar, fonte 12V, porta-luvas com iluminação, para-sois com espelhos, retrovisor interno dia e noite, bancos em tecido, alças no teto, banco traseiro bipartido, banco do motorista com ajuste em altura, coluna de direção ajustável em altura, cintos de segurança de 3 pontos laterais, cinto traseiro central subabdominal, quatro apoios de cabeça, maçanetas cromadas, volante com comandos de mídia e telefonia, acabamento interno em tom preto, porta-copos, travas de segurança nas portas traseiras, chave-canivete com telecomando, abertura interna do porta-malas e bocal do tanque, airbag duplo, freios com ABS e EDB, cintos dianteiros pré-tensionados e alarme.

Chevrolet Prisma LT 1.4 MT – Itens acima, mais motor 1.4 litro.

Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT – Itens acima, mais faróis com lentes azuis, faróis de neblina com frisos cromados, rodas de liga leve diamantadas aro 15 polegadas com pneus 185/65 R15, lanternas escurecidas, sensor de estacionamento, volante em couro, alavanca de câmbio em couro, bancos em couro e tecido, revestimento exclusivos nas portas, vidros elétricos nas portas traseiras e retrovisores externos com controle elétrico.

Preços

Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

  • Chevrolet Prisma LT 1.0 MT – R$ 34.990
  • Chevrolet Prisma LT 1.4 MT – R$ 39.090
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT – R$ 45.990

Prisma 2013 – motor

Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

O Prisma 2013 tinha os mesmos motores Família I do antigo Prisma, mas eles foram atualizados para alcançar mais potência, torque e economia, além de emitir menos poluentes.

Eles surgiram originalmente em 1982, sendo uma versão menor da Família II, que desembarcou no Brasil com o Chevrolet Monza em 1983, nas versões 1.6 e 1.8 litro, subindo depois para 2.0 litros.

Em 1994, a GM trouxe ao Brasil a Família I com o 1.0 OHC e outros derivados, chegando a ter versões 8V e 16V, além do motor 1.6 igualmente com 8V ou 16V. Nos anos 2000, surgiu o 1.4 8V chamado OHC, que depois virou Econo.Flex.

Também surgiu o 1.0 VHC, já com melhoramentos e depois o VHC-E, que incluiu coletor de admissão em plástico, acelerador eletrônico e mudanças na ECU. O 1.4 passou pelas mesmas mudanças e ainda com um comando roletado.

Ambos receberam bobinas individuais, mas não integradas às velas. Com bloco de ferro fundido e cabeçote de alumínio com duas válvulas por cilindro, os VHC-E e Econo.Flex do Prisma 2013 receberam mais modificações e novo nome.

Os dois motores longevos passaram a ser chamados SPE/4 e ganharam pistões retrabalhados, assim como anéis novos, reprogramação da ECU, alternador mais eficiente e outras modificações, que os deixaram mais fortes.

Dessa forma, o SPE/4 1.0 8V passou a ter 78 cavalos na gasolina e 80 cavalos no etanol, ambos a 6.400 rpm. Os torques ficaram em 9,5 kgfm no primeiro e 9,8 kgfm no segundo, ambos a 5.200 rpm.

No 1.4 litro, a potência subiu para 98 cavalos no derivado de petróleo e 106 cavalos no combustível vegetal, ambos a 6.000 rpm, tendo ainda torques de 12,9 kgfm no primeiro e 13,9 kgfm no segundo, obtidos a 4.800 rpm.

Na transmissão manual de cinco marchas, a caixa era a F17 no 1.0 e a F15-5 no 1.4, ambas com close ratio, tendo engates precisos, suaves, curtos e rápidos. O Prisma 2013 não tinha câmbio automático GF6-2 de seis marchas, só no 2014.

Desempenho

Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

O Prisma 2013 tinha um bom desempenho com o conjunto mecânico apresentado, permitindo assim que o motor 1.0 de até 80 cavalos impulsionasse o sedã de 0 a 100 km/h em pouco menos de 13 segundos e com máxima acima de 170 km/h.

Com motor 1.4, o Prisma ia muito melhor, fazendo esse mesmo tempo em apenas 10 segundos e com limite final em 180 km/h, sendo um desempenho agradável para um carro com motor pequeno.

  • Chevrolet Prisma 1.0 MT – 12,7 segundos e 173 km/h
  • Chevrolet Prisma 1.4 MT – 10,1 segundos e 180 km/h

Consumo

Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

O Prisma 2013 não tinha um bom consumo na cidade com gasolina, não fazendo nem 10 km/l tanto no 1.0 quanto no 1.4, porém, ia bem no álcool, com média próxima de 8 km/l.

Já na estrada, fazia média de 11 km/l no etanol, igualmente nos dois motores, mas na gasolina, a coisa era bem diferente, com o 1.0 atingindo mais de 15,5 km/l e o 1.4 obtendo consumo acima de 14 km/l.

  • Chevrolet Prisma 1.0 MT – 7,6/11,2 km/l e 9,7/15,6 km/l
  • Chevrolet Prisma 1.4 MT – 8,0/11,0 km/l e 9,1/14,3 km/l

Prisma 2013 – manutenção e revisão

Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

Revisão10.000 km20.000 km30.000 km40.000 km50.000 km60.000 kmTotal
1.0R$ 328,00R$ 744,00R$ 864,00R$ 628,00R$ 1.052,00R$ 956,00R$ 4.572,00
1.4R$ 328,00R$ 744,00R$ 864,00R$ 628,00R$ 1.052,00R$ 956,00R$ 4.572,00

Prisma 2013 – ficha técnica

Prisma 2013: motor, consumo, preços, manutenção, revisão, fotos

Motor1.01.4
Tipo
Número de cilindros4 em linha4 em linha
Cilindrada em cm39991389
Válvulas88
Taxa de compressão12,6:112,4:1
Injeção eletrônicaIndiretaIndireta
Potência máxima78/80 a 6.400 rpm (gasolina/etanol)98/106 cv a 6.000 rpm (gasolina/etanol)
Torque máximo9,5/9,8 kgfm a 5.200 rpm (gasolina/etanol)12,9/13,9 kgfm a 4.800 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão
TipoManual de 5 marchasManual de 5 marchas
Tração
TipoDianteiraDianteira
Direção
TipoHidráulicaHidráulica
Freios
TipoDiscos dianteiros e tambores traseirosDiscos dianteiros e tambores traseiros
Suspensão
DianteiraMcPhersonMcPherson
TraseiraEixo de torçãoEixo de torção
Rodas e Pneus
RodasAço 14 polegadasAço aro 14 polegadas ou liga leve aro 15 polegadas
Pneus185/70 R14185/70 R14 ou 185/65 R15
Dimensões
Comprimento (mm)4.2754.275
Largura (mm)1.7051.705
Altura (mm)1.4841.484
Entre eixos (mm)2.5282.528
Capacidades
Porta-malas (L)500500
Tanque de combustível (L)5454
Carga (Kg)426378
Peso em ordem de marcha (Kg) 1.031 1.079
Coeficiente aerodinâmico (cx)0,320,32

Prisma 2013 – fotos

https://www.youtube.com/watch?v=gpMu7jbb_6g

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.