Chevrolet História Sedãs

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões
Prisma LTZ

Embora não seja um carro inovador, o Chevrolet Prisma LTZ (juntamente de outros modelos como o Hyundai HB20S) conseguiu mudar parte dos paradigmas dos sedãs compactos no mercado brasileiro. Trouxe itens inéditos como central multimídia com tela sensível ao toque e câmbio automático de verdade, além de um interior com desenho cativante.

O Prisma da atual geração está presente em nosso mercado desde o começo de 2013. De lá para cá, já sofreu uma série de mudanças, inclusive na lista de equipamentos e no acabamento interno. Ele tem itens de conforto e tecnologia que realmente atraem os olhares dos consumidores – tanto é que ele é o sedã mais vendido do Brasil.


A versão LTZ do Chevrolet Prisma não é a mais vendida. Porém, por ser a topo de linha e a mais cara, é a configuração que traz tudo que um Prisma pode oferecer. O Chevrolet Prisma LTZ usa um motor 1.4 flex desde que foi lançado e tem ainda a opção de câmbio manual ou automático.

Confira abaixo os principais detalhes do Chevrolet Prisma na versão LTZ à venda no Brasil:

Índice


Chevrolet Prisma LTZ – história

Lançamento do novo Prisma LTZ em 2013

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

A nova geração do Prisma estreou no mercado brasileiro em fevereiro de 2013, quase seis meses após a estreia do Onix (sua versão hatch) e seis anos da chegada do primeiro Prisma. Ele estreou nos modelos LT 1.0, LT 1.4 e LTZ 1.4.

O Prisma LTZ 1.4 2013 custava R$ 45.990 e se destacava por itens como sistema multimídia MyLink, rodas de alumínio aro 15, vidros dianteiros e traseiros e retrovisores elétricos, computador de bordo, faróis de neblina dianteiros, ar-condicionado, direção hidráulica, sensor de estacionamento, entre outros.

Prisma ganha câmbio automático em 2013

A primeira grande novidade da linha Chevrolet Prisma de nova geração foi a introdução do câmbio automático como opcional nas versões com motor 1.4 litro flex. O modelo chegou em julho de 2013 com a mesma transmissão de modelos como Cruze, Sonic e Spin.

O câmbio é o GF6, com sistema adaptativo de trocas de marcha, módulo de controle integrado (que dispensa cabos entre o módulo e o câmbio) e freio-motor. Ele tem seis marchas, com a opção de trocas manuais através do sistema Active Select por um botão na alavanca.

Ele trouxe ainda piloto automático com controle no volante, este com revestimento em couro.

O Prisma LTZ automático 2014 custava R$ 49.990.

Nova linha Prisma LTZ com volante multifuncional em 2014

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Para a linha 2015, anunciada em maio de 2014, o Chevrolet Prisma ganhou mais equipamentos de série. As versões de entrada adotaram vidros dianteiros elétricos e ar-condicionado de série.

Já o Prisma LTZ 1.4 com câmbio automático passou a sair de fábrica com volante multifuncional com controle das funções de rádio e telefone e revestimento e couro.

O Prisma LTZ 1.4 2015 custava até R$ 55.890 com câmbio automático.

Chevrolet Prisma reestilizado e com outras melhorias em 2016

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

As mudanças mais profundas da linha Prisma foram anunciadas na metade de 2016. O sedã ganhou um visual repaginado, interior mais sofisticado, novos equipamentos e melhorias na mecânica.

No visual, adotou uma nova grade bipartida integrada aos faróis mais finos e com guias em LED, novos para-choques, rodas redesenhadas, lanternas traseiras com novo layout interno e formato retocado, entre outros.

O interior adotou um painel levemente retocado, painéis de porta redesenhados e novos detalhes de acabamento. Nos itens de série, o Prisma LTZ 2017 recebeu sistema OnStar, central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, bancos com revestimento premium, câmera de ré e faróis com guia em LED.

Na mecânica, o motor 1.4 foi retrabalhado para ficar mais eficiente e o câmbio manual recebeu mais uma marcha, totalizando seis. A GM diz que houve uma melhora de até 22% no consumo do carro.

Além disso, ele adotou melhorias na suspensão e ganhou uma nova direção elétrica. O Prisma LTZ custava R$ 58.690 no manual e R$ 64.690 no automático.

Prisma LTZ com poucas novidades em 2017

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Em maio de 2017, a Chevrolet apresentou o Prisma 2018 com poucas novidades. O carro ganhou lanterna traseira de neblina e uma nova opção de cor, a Imperial Blue, um tom escuro de azul metálico por R$ 1.400 adicionais.

O preço do Prisma LTZ 2018 era de R$ 60.990 com câmbio manual e R$ 67.050 com transmissão automática.

Novo Prisma 2019 com mais equipamentos em 2018

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Já em junho de 2018, a Chevrolet voltou a equipar o Prisma. O modelo LTZ adotou encosto de cabeça e cinto de três pontos para o ocupante central do banco traseiro e bancos revestidos totalmente em couro.

Ele recebeu também nova chave tipo canivete e painel de instrumentos com iluminação na cor branca.

Os preços do Prisma LTZ 2019 variavam de R$ 63.890 a R$ 69.690.

Nova geração do Prisma é lançada na China em 2019

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

A atual geração do Prisma já está com os dias contados. A nova geração do sedã da Chevrolet já foi apresentada na China e deve chegar ao Brasil no fim de 2019 ou no início de 2020. O modelo foi totalmente renovado, com direito a uma nova plataforma batizada de GEM (Global Emerging Markets), motor 1.0 turbo com injeção direta de até 130 cv e uma série de novos equipamentos.

No Brasil, o Novo Prisma vai subir alguns degraus e, com isso, deve ficar mais caro. O modelo atual vai assumir o papel do Prisma Joy, ganhando retoques no visual e melhorias no interior apresentados em 2016.

Chevrolet Prisma LTZ – detalhes

Por ser a versão mais cara da linha, o Prisma LTZ tenta seduzir os consumidores pelo visual mais sofisticado, o interior com acabamento mais esmerado e a lista de equipamentos mais recheada.

Anteriormente, o Prisma LTZ oferecia uma série de recursos não encontrados em outras versões da gama. Porém, recentemente, a Chevrolet tratou de equipar sobretudo o Prisma LT 1.4 e este modelo agora se equipara facilmente ao LTZ.

Entre as exclusividades, o Prisma LTZ traz apenas bancos revestidos totalmente de couro sintético, faróis e lanterna de neblina, vidros traseiros elétricos, luzes de posição em LED, rodas de alumínio com superfície usinada, faróis com lâmpadas blue vision, entre outros.

O Prisma LT, por sua vez, já é bem servido de recursos, com direito a rodas de alumínio, bancos parcialmente em couro, vidros dianteiros, travas e retrovisores elétricos, volante multifuncional em couro, central multimídia, faróis com máscara negra, sensor de estacionamento, entre outros. Além disso, é R$ 4,6 mil mais em conta.

Ainda assim, o Chevrolet Prisma LTZ é considerado um carro atraente por muitos. O interior traz acabamento em dois tons, que mescla plásticos nas cores preto e marrom. Além disso, esbanja detalhes cromados e preto brilhante por todos os lados, como no volante, alavanca de câmbio, maçanetas e aro das saídas de ar.

Fica devendo recursos como controle eletrônico de estabilidade, controle de tração e assistente de partida em rampas, disponíveis em modelos como Toyota Etios Sedan e o Fiat Cronos nas versões mais caras.

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Chevrolet Prisma LTZ – versões

O Chevrolet Prisma LTZ está disponível em duas configurações, sendo uma com câmbio manual e outra com transmissão automática. Confira:

  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT 2019
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 AT 2019

Chevrolet Prisma LTZ – equipamentos

Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT 2019

Segurança: airbag duplo, alarme antifurto, alças de segurança dianteira e traseiras, encosto de cabeça e cinto de três pontos para os cinco ocupantes, Isofix e Top Tether para fixação de cadeirinhas infantis no banco traseiro, faróis e lanterna de neblina, monitoramento da pressão dos pneus, entre outros.

Conforto: banco do motorista com ajuste de altura, banco traseiro rebatível, ar-condicionado, tampa do porta-malas com abertura elétrica, chave tipo canivete, direção elétrica progressiva, retrovisores externos elétricos, vidros dianteiros e traseiros elétricos com acionamento por “um toque”, anti esmagamento e fechamento e abertura automáticos pela chave, volante multifuncional, sistema de luz “siga-me” e “leve-me” dos faróis, porta-revista na parte traseira dos encostos dianteiros, sensor de estacionamento, entre outros.

Visual e acabamento: detalhes de acabamento interno cromados, faróis com máscara negra e lâmpadas blue vision, grade frontal cromada, luz de posição em LED, maçanetas internas cromadas, rodas de alumínio de 15 polegadas com superfície usinada, bancos revestidos em couro sintético, volante com revestimento premium, entre outros.

Tecnologia: computador de bordo com quatro funções (consumo médio, velocidade média, autonomia e tempo de viagem), câmera de ré, sistema multimídia MyLink com tela de sete polegadas, Android Auto, Apple CarPlay e Bluetooth, sistema de som com quatro alto-falantes e sistema OnStar (com assistência a recuperação veicular, monitoramento de rotas, alerta de chegada ao destino, aviso automático de acidentes, informações em tempo real do carro, agendamento de revisão, alerta de rodízio, localização e reservas, pontos de interesse, call center, consultas rápidas, alerta de movimento, de valet e de velocidade, localização, entre outros).

Chevrolet Prisma LTZ 1.4 AT 2019

Conforto: recebe piloto automático com comandos no volante e transmissão automática de seis marchas com trocas manuais por botão na alavanca.

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Chevrolet Prisma LTZ – preços

Os preços do Prisma LTZ 0 km, de acordo com o site da Chevrolet, são os seguintes:

  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT 2019: R$ 65.790
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 AT 2019: R$ 70.990

Veja também os preços do Prisma LTZ no mercado de usados, segundo a Tabela Fipe:

  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT 2013: R$ 36.550
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT 2014: R$ 39.600
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT 2015: R$ 41.410
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT 2016: R$ 45.520
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT 2017: R$ 50.530
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT 2018: R$ 52.755
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 MT 2019: R$ 58.770

 

  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 AT 2014: R$ 41.215
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 AT 2015: R$ 43.140
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 AT 2016: R$ 48.220
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 AT 2017: R$ 53.290
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 AT 2018: R$ 57.315
  • Chevrolet Prisma LTZ 1.4 AT 2019: R$ 63.320

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Chevrolet Prisma LTZ – motor

Assim como acontece com o Onix, o Prisma LTZ é equipado sempre com o motor 1.4 litro flex de 8 válvulas e quatro cilindros, que pertence à família SPE/4.

Na realidade, tal propulsor é praticamente o mesmo 1.4 da Família I da General Motors lançado há quase 40 anos, mas com as devidas mudanças para se encaixar nos parâmetros atuais.

Tal motor desenvolve 98 cavalos de potência com gasolina e 106 cv com etanol, a 6.000 rpm. Já o torque é de 13 kgfm com gasolina e 13,9 kgfm com etanol, a partir de 4.800 giros.

Na linha reestilizada do Prisma, o motor 1.4 flex passou por mudanças para se tornar mais eficiente.

Ganhou novos anéis, bielas e pistões redesenhados e mais leves, módulo eletrônico mais potente e eficiente, novo tipo de óleo lubrificante e novos sistemas de gerenciamento de cargas elétricas e de arrefecimento.

Junto a motor 1.4 flex está um câmbio manual de seis marchas ou automático Active Select também de seis marchas com conversor de torque, que permite trocas manuais por meio de um botão (nada prático) na alavanca.

Dá para dizer que este motor 1.4 flex, com câmbio manual ou automático, dá conta do recado. Todavia, ao lado de modelos como HB20S 1.6, Ka Sedan 1.5 e Cronos 1.8, o Chevrolet Prisma deixa a desejar quando o assunto é desempenho.

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Chevrolet Prisma LTZ – consumo

De acordo com o Inmetro, estes são os números de consumo do Prisma LTZ:

Chevrolet Prisma 1.4 MT 2019

  • 8,5 km/l na cidade e 10,5 km/l na estrada com etanol;
  • 12,5 km/l na cidade e 15,3 km/l na estrada com gasolina;
  • Nota “C” na comparação relativa na categoria e “B” na comparação absoluta geral.

Chevrolet Prisma 1.4 AT 2019

  • 8 km/l na cidade e 10 km/l na estrada com etanol;
  • 11,7 km/l na cidade e 14,6 km/l na estrada com gasolina;
  • Nota “B” na comparação relativa na categoria e “B” na comparação absoluta geral.

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Chevrolet Prisma LTZ – desempenho

Confira os números de desempenho do Prisma 1.4:

Chevrolet Prisma 1.4 MT 2019

  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 10,5 segundos;
  • Velocidade máxima de 180 km/h.

Chevrolet Prisma 1.4 MT 2019

  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 11,9 segundos;
  • Velocidade máxima de 171 km/h.

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Chevrolet Prisma LTZ – garantia e revisões

A Chevrolet vende o Prisma com garantia de fábrica de três anos e revisões a preços tabelados. As seis primeiras revisões do sedã compacto com motor 1.4 totalizam R$ 3.404.

Veja os preços de cada revisão do Prisma 1.4:

  • Revisão de 10.000 km: R$ 256
  • Revisão de 20.000 km: R$ 512
  • Revisão de 30.000 km: R$ 672
  • Revisão de 40.000 km: R$ 492
  • Revisão de 50.000 km: R$ 424
  • Revisão de 60.000 km: R$ 1.048

Chevrolet Prisma LTZ – concorrentes

Volkswagen Voyage 1.6 AT 2020 – R$ 69.120

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

O concorrente mais em conta do Prisma LTZ é o Voyage com motor 1.6 flex de 120 cv e câmbio automático de seis marchas.

Ele parte na verdade de R$ 63.870, mas vem relativamente “pelado” e oferece alguns pacotes opcionais para ficar mais atraentes.

Por R$ 69.120, ele dispõe de computador de bordo, volante multifuncional em couro, alarme, sensor de estacionamento, faróis de neblina, retrovisores elétricos com função tilt-down e repetidores de seta, rodas de liga-leve aro 15, vidros elétricos, travas elétricas, central multimídia com espelhamento de smartphones, ar-condicionado, direção hidráulica, volante com paddle shifs, entre outros.

Fiat Cronos Drive 1.8 AT 2020 – R$ 69.990

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Outro rival do Prisma LTZ é o Cronos, da Fiat.

Neste caso, o modelo que mais se aproxima é o Cronos Drive com motor 1.8 litro flex de até 139 cavalos de potência e transmissão automática de seis marchas. É a primeira versão da linha com câmbio automático de verdade – o Cronos Drive 1.3 tem câmbio automatizado GSR por R$ 66.690.

O Cronos Drive 1.8 AT sai de fábrica com ar-condicionado, central multimídia com tela de sete polegadas, Android Auto, Apple CarPlay e navegador GPS, chave canivete, direção elétrica progressiva, faróis com follow me home, preparação para rádio, painel com tela TFT de 3,5 polegadas, sensor de estacionamento, monitoramento da pressão dos pneus, vidros dianteiros elétricos, volante multifuncional com ajuste de altura, controle de tração, Isofix, controle de estabilidade, entre outros.

Hyundai HB20S Premium 1.6 AT 2019 – R$ 72.990

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Um dos rivais diretos do Prisma, o HB20S em sua versão topo de linha Premium com motor 1.6 flex de 126 cv e câmbio automático de seis marchas está disponível por quase R$ 73 mil. Ele se destaca pelo visual moderno.

Nos itens de série, o HB20S Premium tem faróis com projetor e guias em LED, retrovisores externos com rebatimento elétrico, trio elétrico, direção hidráulica, airbags frontais e laterais, acabamento interno em couro cinza, volante multifuncional em couro ajustável em altura e profundidade, alarme, Isofix, ar-condicionado automático digital, sensor de estacionamento, sensor de luz, central multimídia com tela de sete polegadas, Android Auto, Apple CarPlay e TV digital, entre outros.

Ford Ka Sedan Titanium 1.5 AT 2020 – R$ 73.290

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões

Por último, mas não menos importante, o Ka Sedan Titanium é o rival direto mais caro do Prisma LTZ. Tem motor 1.5 flex de três cilindros, que rende até 136 cv, com câmbio automático de seis marchas com conversor de torque.

Ele tem itens como airbags frontais e laterais, alarme, volante multifuncional em couro com ajuste de altura, assistente de partida em rampas, controles de estabilidade e tração, câmera de ré, bancos em couro, computador de bordo, direção elétrica, partida do motor por botão, chave presencial, sensor de estacionamento, piloto automático, central multimídia com tela sensível ao toque, Android Auto e Apple CarPlay, rodas de liga-leve aro 15, entre outros.

Chevrolet Prisma LTZ – ficha técnica

Motor

1.4 SPE/4 ECO

Tipo

Dianteiro, transversal e flex

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm3

1.389

Válvulas

8 (2 por cilindro)

Taxa de compressão

12:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

98 cv com gasolina e 106 cv com etanol a 6.000 rpm

Torque Máximo

13 kgfm com gasolina e 13,9 kgfm com etanol a 4.800 rpm

Transmissão

Tipo

Manual de seis velocidades ou automático de seis marchas com conversor de torque

Tração

Tipo

Dianteira

Freios

Tipo

Discos ventilados (dianteira) e tambores (traseira)

Direção

Tipo

Elétrica progressiva

Suspensão

Dianteira

Independente, McPherson, com molas helicoidais

Traseira

Eixo de torção, com molas helicoidais

Rodas e Pneus

Rodas

Liga-leve de 15 polegadas

Pneus

185/65 R15

Dimensões

Comprimento total (mm)

4.282

Largura (mm)

1.705

Altura (mm)

1.478

Distância entre os eixos (mm)

2.528

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

375

Porta-malas (litros)

280

Tanque (litros)

54

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.054 (MT) / 1.085 (AT)

Coeficiente de arrasto (Cx)

0,33

Chevrolet Prisma LTZ – fotos

Prisma LTZ: equipamentos, preços, motor, consumo, revisões
Nota média 5 de 1 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • Chris

    O que mais assusta são os preços (de todos), ford KA mais de 73 mil, é chover no molhado falar sobre isso, mas está surreal!!!

  • Paulo Lustosa

    Prisma 1.4 tem 1389cm³, não 1591, e a taxa é 12,4:1

    • Marcos Villela

      Pois é … se fosse 1591 era 1.6 e não 1.4 …

      • Paulo Lustosa

        Pois é, colocaram a cilindrada do motor Gamma do HB20 para um Família I N14UFH kkkk

  • Gabriel Molina Pinheiro

    Todos caríssimos pelo que oferecem.

    • El Gato!

      Não adianta… no Brasil hoje, para você ter um carro minimamente razoável, saem 100 mil da conta. Abaixo desse valor, só “carro de país em desenvolvimento”. É lamentável.

  • Emanuel Schott

    Eu não sei de onde tiram esses valores de revisão. Chega na concessionária o preço é o dobro disso, mesmo considerando apenas a revisão básica (sem um monte de coisa que a loja tenta empurrar junto).

    • Fernando Gabriel

      Já levei 4 GM’s em menos de 1 ano e os preços das revisões foram exatamente o de tabela.O que encarece são os “extras” como limpeza de bicos, limpeza de ar condicionado, polimento, etc etc

    • Pablo Henrique

      No caso das concessionárias Chevrolet, aqui em Salvador pelo menos, bate com o preço que está no site da fabricante. Fiz as revisões do meu Prisma em concessionárias de mais de uma rede inclusive para avaliar o atendimento. Agora com 30 mil km e a absurda revisão de 672,00, optei por fazer por conta própria, e somando todas as peças + mão de obra gastei apenas 482,00, sendo que neste valor está incluso um jogo de pastilhas de freio e alinhamento + balanceamento, que se fossem somados aos 672,00 da revisão básica na concessionária, com certeza passaria de R$ 1.000,00 a conta, um absurdo por um carro popular.

  • Francisco Vieira de Bem

    Sempre achei a linha Onix/Prisma visualmente bonitas, o problema é comprar um carro 8V em 2019. em 2015 comprei um Ka e não me arrependi, muito mais moderno e completo. Se fosse comprar um carro de entrada hoje, continuaria ignorando a linha Onix/Prisma

    • Paulo Lustosa

      Olha, configuração de válvulas nem sempre significa mais modernidade no projeto, vide o Firefly 1.3 que é mais moderno que o Sigma 1.5 16V do Ka antes do Facelift, e de fato, o motor GM é um projeto extremamente antigo, de 1982, embora pra esse mesmo motor existe em prateleira cabeçote de 16V com VVT em ambos os comandos e coletor de admissão variável. Negócio é que pra uso urbano o motor de duas válvulas por cilindro tem disposição de torque bem mais cedo que o 16V, mesmo o 16V possuíndo recursos como VVT e coletor de admissão variável, recursos esses que o Ka só possui no 1.0 3Cil e no 1.5 3Cil mais novo. E comparando as versões de preço parecido do Ka Sedan e do Prisma, sendo o Ka Sedan SE Plus 1.5 e o Prisma LT, de vantagem o Ka somente oferece o motor 1.5L de 137 cv, enquanto o GM contra-ataca na parte de equipamentos de série por oferecer a mais as rodas de liga-leve, conjunto roda-pneu de maior diâmetro, acabamento interno melhor e por oferecer uma transmissão superior ao Ford IB5 usado no Ka, que ainda utiliza varão e tem projeto oriúndo dos Escort com motor CHT vendido no Brasil e CVH na Europa, e com uma marcha a mais. Agora que está vindo esse mês a nova geração do Onix com motor turbo e mais reforçado em questão de segurança, incluindo ESP, é bom aguardar os novos capítulos.

      • André Luis Versiani

        Excelente comentário!

  • Robinho

    São bonitos, confiáveis, bom de revenda, mas nunca tive vontade de ter um…

    • Paulo Lustosa

      Também não me enche os olhos essa linha. Eu tô procurando um substituto pro meu Cobalt LTZ 2013 depois de ter rodado com ele 112 mil km, e não tô encontrando na GM na casa dos 60 mil que me agrade.

  • Tommy

    Sempre achei o Prisma um carro caro e fora de propósito, seja na 1° geração onde ficava espremido entre o Classic e o Corsa C sedan, seja nessa que jogou o preço do Cobalt pra cima e ficou espremida entre Classic e Cobalt/Sonic Sedan

    A nova geração, agora Onix Plus, provavelmente seguirá o caminho de se manter no meio de outros dois compactos bagunçando a linha toda, mas dessa vez vai ser o mais interessante dos três.

  • Pablo Henrique

    O meu é um LT 17/18 Automático. É até difícil falar em pontos negativos, porque quem compra um carro desse segmento tem que se contentar e saber que sim, seu carro não vai ter tecidos e plásticos de primeira qualidade, pois é um carro popular. No caso do Prisma, menos mal que o acabamento da Chevrolet é bem executado. O consumo também segue a mesma linha de raciocínio, é ruim, mas quem compra já deve saber. O meu aqui em Salvador, que é uma cidade com o relevo bastante acidentado, e muitos quebra-molas (lombadas) não faz mais de 7,5 no etanol. Para o desempenho eu não tenho críticas, é bem satisfatório para os números que o carro possui, e como eu só uso etanol (usei gasolina apenas em uma viagem de 700km) dentro da cidade, não sinto falta de desempenho. Um ponto negativo é o gasto das pastilhas de freio, gasta muito. Com 30 mil km já estou fazendo a segunda troca. Por outro lado, o que alguns veem como ponto negativo, a questão da utilização de um motor consolidado (sim, antigo kkkk), eu enxergo de maneira positiva do ponto de vista da manutenção, as peças são baratas e não requer mão de obra extremamente especializada.

    • Cristiano França

      Estou interessado em um justamente pelo motor ser de fácil manutenção e as peças serem baratas. Sobre o consumo eu vou achar bom, pois moro em BH e tenho um new civic AT 2008 que faz 5 no álcool e 7 na gasolina. Meu civic tem apenas 102 mil rodados e possui a manutenção em dia, mas fazendo as contas, o consumo a mais e o valor das peças e a manutenção dele estão me encaminhando para um modelo mais popular.

      • Janduir

        Esse motor eu acho que a Gm apesar de lançar um motor mais moderno, entendo que eles deveram manter por muito tempo esse Familia I. Qualquer um mexe e tem a manutenção muito barata. Vejo alguns amigos sofrendo com UP 1.0 Turbo em que suas peças não estão durando muito e são uma fortuna.

    • Janduir

      7,5 no etanol está ótimo…

  • Duarte Fonseca

    “Na realidade, tal propulsor é praticamente o mesmo 1.4 da Família I da General Motors lançado há quase 40 anos, mas com as devidas mudanças para se encaixar nos parâmetros atuais”….

  • Pablo Henrique

    Cara, assim… esse motor é mais antigo, é sabido por todos que rende menos, consome mais e etc. Mas “na prática” não é uma comparação de tabela (que ficou muito bem feita inclusive), e sim o uso no dia a dia. Posso te garantir que não deve tanto comparado aos que você incluiu na tabela (que são todos 1.6, sendo que o GM é 1.4) Me arrisco dizer até que comparado a um Fiesta Rocam 1.6, o GM anda melhor. Só não posso cravar isso porque meu prisma é automático, se fosse manual eu teria uma referência melhor.

  • Pablo Henrique

    Cara, assim… esse motor é mais antigo, é sabido por todos que rende menos, consome mais e etc. Mas “na prática” não é uma comparação de tabela (que ficou muito bem feita inclusive), e sim o uso no dia a dia. Posso te garantir que não deve tanto comparado aos que você incluiu na tabela, mesmo sendo 1.4. Me arrisco dizer até que comparado ao Fiesta Rocam 1.6, o GM anda melhor. Só não posso cravar isso porque meu prisma é automático, se fosse manual eu teria uma referência melhor.

    • Retrato do Papai

      o meu ponto foi apenas demonstrar que o motor com maior potência de pico não necessariamente é o mais potente… ele é mais potente apenas em 10% da faixa de uso, e apenas em uma situação excepcional, que é a casa dos 5.000 rpm, em todos os demais regimes ele fica (muito) para trás… resumindo, um prisma com motor Rocam, K7M ou EA111, todos 1.6, teria desempenho muito maior, mesmo esses motores sendo “menos potentes”

      • Paulo Lustosa

        Relação de transmissão e a operação da mesma também conta, e as relações de marcha do Prisma são bem curtas, compensando o alto pico de potência do carro devido ao uso de comando de válvulas agressivo.

  • Paulo Lustosa

    Definição de potência se dá pelo pico do motor, não da faixa utilizável, faixa utilizável de potência e torque se dá o nome de elasticidade, e esse motor na prática não faz feio, pois com a boa transmissão manual e a boa aerodinâmica que o Prisma atual possui, ele anda praticamente de igual pra igual com os concorrentes 1.6 8V.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email