_Destaque Mercado Montadoras/Fábricas

Produção sobe 22,4% em 2017 e já se fala em recuperação este ano

 

 



fiat-fabrica-betim-visita-NA-49 Produção sobe 22,4% em 2017 e já se fala em recuperação este ano

Um bom sinal para o mercado brasileiro e a indústria é a recuperação da produção de veículos. Embora os emplacamentos já estejam em um nível positivo em comparação com 2016, ainda não cresceram de forma substancial, bem diferente do que ocorre nas linhas de montagem. De janeiro a julho, as montadoras produziram 22,4% a mais do que o ano passado. Foram 1.488.041 veículos leves e pesados, o que surpreendeu a Anfavea.

A previsão da entidade que reúne os fabricantes de veículos era de fechar 2017 com 2,6 milhões de veículos produzidos, mas agora já se fala em rever os números para cima. Mesmo com o segmento de caminhões (especialmente) e ônibus em baixa, o setor deve se beneficiar com a elevação das vendas internas e exportação de automóveis e comerciais leves. Estes dois segmentos puxaram a produção com alta de 22,6% nos primeiros sete meses do ano com 1,43 milhão. Os caminhões tiveram alta de 19%, embora ainda com volumes bem baixos. Nos ônibus, houve alta de 12,9%.

Atualmente, o parque automotivo nacional tem capacidade para produzir 5 milhões de veículos e a estimativa para 2017 é que o volume alcance até 2,8 milhões. Isso significa um nível de ociosidade abaixo de 50%, sendo que atualmente 52% da capacidade não está sendo utilizada. No setor de caminhões e ônibus é ainda pior, com 70% da capacidade sem uso.

Em julho, o Brasil produziu 224.763 unidades contra 190.612 veículos de julho de 2016, 5,9% maior que junho e 17,9% superior ao resultado do mesmo mês no ano passado. A Anfavea diz que o ritmo é estável e que é necessário para formação de estoques, ainda mais que o mês de agosto é favorável para a venda de veículos por conta da maior quantidade de dias úteis. No mês passado, 217 mil veículos compunham o estoque das montadoras, sendo suficiente para 36 dias de vendas, considerado um nível ideal pelos fabricantes de veículos.

Se o ritmo nas fábricas melhora, o nível de emprego também, embora em um percentual bem inferior. As contrações em julho subiram apenas 0,2% em comparação com junho, sendo que 125.172 pessoas estavam empregadas nas fábricas de veículos leves, comerciais e tratores até o fechamento do mês.

Em comparação com 2016, o nível de emprego caiu 1,3%. Cerca de 12.198 pessoas estavam em layoff ou PSE (Programa de Seguro Emprego), um nível mais baixo que o verificado em junho. A boa notícia nesse caso é que o Kwid exigiu da Renault a contratação de 1,3 mil pessoas. A montadora já havia ampliado o quadro em 700 funcionários, dedicados somente à produção para exportação.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Send this to a friend